Mesmo com preço alto, combustíveis bateram recorde de vendas em 2021, diz Agência de Petróleo

/ Economia

O aumento de preços constante não reduziu o consumo dos principais combustíveis em 2021. O diesel registrou forte impacto no crescimento nos últimos anos, com a forte expectativa pela retomada da economia após impactos do da pandemia do Covid-19.

De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural Biocombustíveis (ANP), no ano passado foi registrado o maior volume de vendas de combustíveis desde 2000.

Comparado e ano e em números, foram 118,2 milhões de metros cúbicos comercializados de gasolina, etanol e diesel, desde os distribuidores aos revendedores. Um metro cúbico é equivalente a 1 mil litros.

Foram 16,7 milhões de metros cúbicos de etanol, 39,3 milhões de gasolina e 62,1 milhões de diesel. A alta foi de 5% contra 2020, ano que foi impactado pela chegada da pandemia. O etanol teve queda de 13% na procura, a gasolina e o diesel compensaram a perda. Foram altas de 9,5% e 8%.

Em 2021 foram comercializados 118 milhões de metros cúbicos. Em 2019, o etanol teve melhor desempenho com 22,5 milhões de metros cúbicos vendidos e o diesel 57,2 milhões.

Os comentários estão fechados.