Médico é agredido por familiar após alertar sobre riscos da Covid: ”Estou do lado que zela pela vida”

/ Saúde

José Eduardo Mainart Panini

O médico infectologista José Eduardo Mainart Panini foi agredido por um familiar após alertar sobre os riscos da Covid-19, em Toledo, no oeste do Paraná. Segundo ele, o agressor estava se preparando para ir a uma festa.

”Fomos tentar falar que era errado, que ele não deveria ir à balada e colocar em risco a saúde de ninguém, e ele já partiu para cima de mim. Até que chegou um amigo dele, que estava no carro o esperando, me segurou no chão, me deu um mata-leão, apertando muito meu pescoço, enquanto esse familiar me agredia. Minha esposa, que também é médica, também foi agredida com um soco”, contou ao G1.

A agressão ocorreu na sexta-feira (26), no mesmo dia em que o Governo do Paraná estabeleceu medidas mais rígidas em relação à pandemia no estado, devido o aumento expressivo no número de contaminados e de mortos pela doença.

Em uma rede social, nesta segunda-feira (1º), ele escreveu sobre o ocorrido. Na publicação, o médico disse que apesar da agressão se mantém disposto na luta contra o novo coronavírus: ”O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”

Panini tem 31 anos e é médico há sete anos. Ele atua na Prefeitura Municipal de Toledo, no Consórcio Intermunicipal de Saúde Costa Oeste do Paraná (Ciscopar) e no Hospital Doutor Campagnolo.

”Já vai fazer um ano que estou trabalhando exaustivamente em relação à pandemia. Pelo que eu fiz até agora, pelo que eu defendi, eu sinceramente acho que estou do lado das pessoas que querem que a pandemia acabe, que tem cuidado pelo próximo. Foi um ano fazendo tanta coisa, realizando tantos protocolos de equipamento de proteção individual, para diminuir a chance de transmissão, de organização de alas, de enfermarias. Está tudo organizado, mas a doença nos venceu e se a gente não souber lidar, vamos perder ainda mais gente. Depende, agora, exclusivamente das pessoas, da consciência delas, dos atos, mais nada”, disse ele.

Boletins de ocorrência

A esposa dele registou um boletim de ocorrência sobre a agressão, sem referência ao ambiente profissional do médico, na Polícia Civil de Toledo.

Nesta segunda-feira, Panini disse que também foi à delegacia registrar um boletim de ocorrência, após a postagem repercutir nas redes sociais. Na terça-feira (2), ele passará por exame de corpo de delito.

A Polícia Civil de Toledo afirmou ao G1 que investiga o caso.

Repúdio à agressão

O Conselho Municipal de Saúde de Toledo emitiu uma nota de repúdio sobre a agressão sofrida pelo médico. Pediu ainda que os autores sejam identificados e punidos.

Os comentários estão fechados.