Jequié: Tombamento de bens culturais é discutido entre Prefeitura e Instituto do Patrimônio Artístico

/ Jequié

Reunião objetivou a proteção ao patrimônio cultural. Foto: Secom

Com o objetivo de proteger o patrimônio cultural como as obras de arte, objetos, documentos e edificações de valor histórico e artístico, existentes no município, a Prefeitura de Jequié sancionou, em outubro de 2017, a Lei Municipal nº 2.024, elaborada pela Secretaria de Cultura e Turismo, atendendo ao requerimento do vereador José Augusto de Aguiar, o Gutinha, com o objetivo de assegurar a proteção aos bens materiais e imateriais, que são relacionados aos saberes populares, tradições e celebrações da cultura popular. Nesse sentido, uma reunião foi realizada na sede do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC-BA), em Salvador, na tarde da última sexta-feira, dia 21. Na ocasião estiveram, presentes o secretário de Cultura e Turismo de Jequié, Alysson Andrade, e o arquiteto do IPAC-BA, José Carlos Motta. Durante o encontro foi discutido, entre outros assuntos, o tombamento cultural do painel do artista plástico paranaense Lênio Braga, de propriedade do Estado da Bahia, edificado em 1967, na parte interna do Terminal Rodoviário de Jequié, uma obra de inestimável valor histórico e artístico. De acordo com o secretário, em 2018, os jequieenses poderão celebrar o aniversário de 121 anos de emancipação política da cidade com mais alegria, isso porque estão previstos, para o mês de outubro, os três primeiros tombamentos históricos e culturais em âmbito municipal. Os tombamentos dos bens culturais locais, cujos processos se encontram em fase de conclusão na sede da Secretaria, tornam-se um marco para o município de Jequié, considerando que muito se perdeu em relação ao seu patrimônio histórico e cultural, ao longo dos anos, em função da falta de iniciativa do poder público.

 

Os comentários estão fechados.