Jequié: Morre Lorena Bulhões, diretora do Matisse e esposa do secretário José Sérgio

/ Jequié

Lorena Bulhões ao lado do esposo José Sérgio “Pit” e dos filhos do casal Lucas e Larissa
Lorena Bulhões ao lado de José Sérgio e filhos. Foto: Facebook

Faleceu em Salvador, nesta sexta-feira (3) onde realiza tratamento médico, após ter sido detectada uma enfermidade,  a Psicóloga jequieense Lorena Bulhões Nogueira, 46, esposa do Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, José Sérgio Costa Nogueira ”Pit”. A educadora Lorena, era filha de Moacir e Nélia Bulhões e, atuava no quadro diretivo dos colégios Criança Ativa e Matisse. O falecimento de Lorena, causa profunda consternação entre familiares, colegas de trabalho e pessoas amigas. O corpo da jovem está sendo trazido de Salvador para Jequié, segundo informou o site Jequié Repórter.

2 comentários para “Jequié: Morre Lorena Bulhões, diretora do Matisse e esposa do secretário José Sérgio”

  1. Álvaro de Mello Veiga

    Homenagem à Ló.
    Surge a pergunta que o homem se faz há milênios: Que é a vida? Eis o grande mistério, a grande incógnita a desafiar inteligência a mais aguçada. Várias são as religiões e os recursos para amenizar os aflitos diante da perda de um ente querido. Todavia, no indecifrável, no labirinto em que o ser humano trilha, existe uma luz grandiosa, diferente de todas as outras: não ofusca os olhos, senão ilumina a alma, tornando-a mais leve. – No mundo terráqueo, é conhecida por acalentamento, bondade, por isso na lembrança se irradia num gesto generoso, num abraço fraternal, num elo de amizade, num olhar de compreensão. – No Universo, é o liame que possibilita o reencontro com os entes queridos que já partiram, o contato com o verdadeiro sentido existencial.

    Foste, Lorena, uma pessoa vivaz, uma eterna criança a irradiar alegria aonde chegavas. Foste portadora do otimismo, mãe devota, capaz de qualquer sacrifício, esposa exemplar, filha digna, amiga sincera; contagiavas a todos pela alegria e otimismo. Vivias cada minuto, cada instante. Eis o exemplo que deixarás a todos nós e que, sem dúvida, ficará gravado em nossos corações até o verdadeiro redescobrimento existencial.

    Não morreste, porque, a morte não é o fim; permaneces na lembrança dos que ficam, nos exemplos que permeiam os corações, na esperança do reencontro celeste.

    Percebemos quão é difícil a dor da separação; com ela morre um pouco de nós.

    Conforta-nos, neste momento afligidor, a certeza de saber que serás bem acolhida e fruirás o reino do Onipotente, que, como um pai extremoso, nunca abandona seus filhos.

    Hoje possuis a imortalidade, nós, meros mortais, enaltecemos a grandiosidade do teu espírito.

    Temos conhecimento de ser a vida frágil como as pétalas de uma rosa, e a separação dolorosa como seus espinhos… No fim fica o perfume, apenas o perfume dessa flor que representaste a lembrar sempre um coração magnânimo que tão cedo nos deixou.

    Do tio que muito a amou e amará sempre na lembrança: Álvaro.

  2. Osmar Silva Gonçalves

    Lamentável. Grande perda para os familiares, amigos e colegas de trabalho. A educação de Jequié está de luto. Minhas condolências. Que o Senhor conforte toda família.

Os comentários estão fechados.