Jequié iniciará processo do pedido de beatificação de padre Hilário, no próximo dia 25

/ Jequié

 Luiz Cláudio, novo reitor do Santuário. Foto: Dell Santos
Luiz Cláudio, novo reitor do Santuário. Foto: Dell Santos

O padre Luiz Cláudio, novo reitor do Santuário Jesus Crucificado – Convento Passionista de Jequié -, recebeu profissionais de imprensa da cidade, nesta quinta-feira (2) para abordar sobre a programação festiva elaborada para o período de 16 a 26 deste mês. O encontro contou com a presença do bispo da diocese de Jequié, dom José Ruy; de padres passionistas, a exemplo de Pedro Bacchiocchi; além de seminaristas passionistas. A Festa terá como tema central: “Com São Paulo da Cruz queremos ser missionários de Jesus Crucificado a exemplo do padre Hilário”. Na abertura, no dia 16, dom José Ruy dará posse ao novo reitor. No dia 25, ocorrerá o translado dos restos mortais de padre Hilário Terrosi do Cemitério São Lázaro, no bairro Jequiezinho, para o interior do Santuário, fato que permitirá o início do processo de beatificação de padre Hilário, considerado um homem santo pelas suas virtudes. Além de um ser humano dotado de grande sabedoria e bondade, dedicou toda sua vida as orações, à caridade e ao amor ao povo e a igreja. Na reunião com a imprensa, os religiosos fizeram um breve histórico de padre Hilário Terrosi, que chegou ao Brasil em 1949. Antes de Jequié teve uma passagem marcante por Boa Nova. Tanto lá como aqui, contribuiu para o projeto de expansão da igreja, consequentemente para a evangelização. “Sempre dedicou especial atenção aos pobres. Aqui eram formadas enormes filas de pessoas que vinham ao encontro de padre Hirário”, relatou Pedro Bacchiocchi. Falecido em junho de 2004, Hilário Terrosi, o padre que confeccionava terços para auxiliar nas ações do Convento, deixou uma imensa lacuna. O bispo de Jequié, dom José Ruy se encheu de alegria para falar de padre Hilário. “Um homem que compreendia o coração humano, principalmente o coração humano triste”. E complementou: “Quem sabe se esse santo, que todo o povo que foi beneficiado por ele já o reconhece, um dia também não será reconhecido pela igreja como o primeiro santo de Jequié”, destacou. Com informações do site Jequié e Região

Os comentários estão fechados.