Jacques Wagner defende que PT ”ceda” presidência e seja vice de Ciro Gomes nas eleições

/ Política

Wagner se esquiva de candidatura à presidência. Foto: João Ramos

Ex-governador da Bahia e um dos principais nomes do PT, Jaques Wagner defendeu que a legenda esteja aberta a conversar com o pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT). De acordo com a Folha, Wagner admitiu a hipótese do partido não encabeçar uma chapa para disputar o Planalto. “Sou suspeito nesta matéria porque sempre defendi que, após 16 anos, estava na hora de ceder a precedência. Sempre achei isso. Não conheço na democracia ninguém que fique 30 anos. Em geral fica 12, 16, 20. Defendi isso quando o Eduardo Campos ainda era vivo. Estou à vontade neste território”, afirmou. Além da possibilidade de apoio a Ciro, Wagner defendeu também abertura de diálogo com o ex-ministro Joaquim Barbosa, potencial candidato do PSB. “Acho que o PT tem que buscar o diálogo com os partidos que sempre defenderam um Brasil democrático, popular, progressista e com distribuição de renda.” Ele inclui na lista a pré-candidata do PC do B, Manuela D’Ávila (RS). “O Ciro eu sei mais ou menos o pensamento dele, a Manuela eu sei mais ou menos o pensamento dela, o Joaquim está começando a apresentar o seu pensamento. Óbvio que de todos que eu falei o Joaquim é o mais outsider. Nunca foi uma pessoa dedicada propriamente à política”, afirmou.

Os comentários estão fechados.