”Importante vetor de crescimento econômico da Bahia”, diz ACM Neto sobre o Oeste da Bahia

/ Política

Pré-candidato visita o Oeste da Bahia. Foto: assessoria/ACM Neto

O pré-candidato a governador da Bahia, ACM Neto (União Brasil), se comprometeu, caso seja eleito, a construir um plano de industrialização para o oeste, em especial da agroindústria, e de implantar um polo administrativo do governo na região. O compromisso foi assumido neste sábado (4), durante visita a cidade de Correntina. Na ocasião, o ex-prefeito de Salvador considerou a região oeste um dos mais importantes vetores de crescimento econômico da Bahia e do Brasil.

”A região oeste é um dos mais importantes vetores de crescimento econômico da Bahia e do Brasil. Mas só que para isso primeiro vai ser fundamental ter uma mudança de postura de distância do governo do oeste. Nós vamos mudar essa história, vamos implementar novo modelo de relação do governo. Eu irei fazer um trabalho de proximidade, estarei presente e vou trazer o governo comigo aqui para o oeste da Bahia”, afirmou.

Dentro desta descentralização que o ex-prefeito de Salvador pretende realizar, a unidade do oeste será a primeira. ”Eu tenho dito nós vamos organizar estruturas administrativas do governo em cada uma das principais regiões do estado para descentralizar serviços e decisões. A primeira será implantada no oeste para mostrar o nosso compromisso de impulsionar e alavancar o crescimento dessa grande região do nosso estado”, salientou.

Para Neto, a construção de um plano de industrialização da região, aproveitando todo o potencial do oeste, é fundamental para que a Bahia tenha crescimento econômico com geração de emprego e renda. Neste sentido, citou os graves problemas sociais do estado, que lidera em desemprego e violência no país, e é último em educação.

ACM Neto ainda firmou compromisso de trabalhar por Correntina, levando investimentos para urbanização e qualificação da orla, além de ações para aproveitar o potencial turístico da cidade e da região.

Os comentários estão fechados.