Sebastião-Nery

Airton de Oliveira Goulart, jovem, bigodudo, bem-vestido, bem falante, chegou a Curitiba. Era desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo e logo fez um amplo círculo de amizades. Não havia recepção no Palácio Iguaçu, ou aniversário de autoridade, que o paulista não estivesse lá. E brilhava. Em um mês já conversava sobre o Paraná, o poder, com a mais absoluta segurança e informação. O desembargador Goulart ia se aposentar no Tribunal de Justiça de São Paulo e por isso estava em Curitiba procurando casa para morar, decidido a fugir da poluição paulista. Um dia um amigo advogado o achou jovem demais para desembargador: – Você fez uma carreira muito rápida. – Pois é. Minha família é importante. Pistolão, subi ligeiro. Uma noite, estava o desembargador Goulart posto em sossego, no hotel, tocou o telefone: – Desembargador, precisamos ouvi-lo na Universidade. Há muito estamos querendo que o senhor fale para nossos professores e alunos. – Como não? Estarei lá com muito prazer. Foi, deu uma aula debaixo de palmas. Desembargadores, juízes e professores ficaram encantados com as luzes do colega paulista. No dia seguinte, a imprensa de Curitiba publicou sua foto na tribuna, falando. Um dos jornais chegou a Araraquara, em São Paulo, e foi um sucesso na penitenciária, de onde o falso desembargador havia fugido há três meses, cumprindo pena por assalto à mão armada. Desapareceu. ANDRÉ VARGAS Não confundir Araraquara com Londrina. Mas a “Folha” informou: “O deputado André Vargas (PT-PR) e o doleiro Alberto Youssef, pivô do pedido de investigação contra o petista na Câmara, são réus no mesmo escândalo de corrupção no Paraná e respondem na Justiça desde 99. O chamado caso Ama/Comurb é o maior escândalo de corrupção da história de Londrina, base política de Vargas. No final da década de 1990, pelo menos R$ 14 milhões, em valores da época, teriam sido desviados em licitações fraudulentas”. Essa turma de Londrina era inseparável : o deputado José Janene, o chefão, foi condenado no Mensalão por pegar mais de 4 milhões (não está preso porque morreu); Antonio Belinati, eleito prefeito, foi cassado e preso; Paulo Roberto Costa, diretor da Petrobrás. está preso; Alberto Youssef, doleiro, também preso. Falta André Vargas, o valentão “revolucionário” e negocista do PT. Já teve que devolver dinheiro e será cassado pela Câmara. Onde fica mesmo Araraquara? LULA A venerável “Folha de S. Paulo” publicou : “O ex-presidente Lula criticou ontem as tentativas da oposição de criar uma CPI para investigar os negócios da Petrobrás e disse que o PT “tem que ir para cima” para evitar que ela seja usada contra o governo” : – “Essas pessoas (que defendem a CPI da Petrobrás) nunca quiseram fazer CPI. Nesse aspecto, o PT tem que ir para cima. Se o PT tivesse feito o debate político no momento certo possivelmente a história teria sido outra”. JANIO No dia seguinte, o venerando colunista Janio de Freitas, terceiro na hierarquia do Conselho Editorial da “Folha”, escreveu na mesma “Folha” : – “Nem Lula propôs que o PT impeça a CPI, nem disse que os petistas devem “partir para cima” da oposição. Não só Fernando Henrique leu tais recomendações não feitas. É que no jornalismo, cada vez mais, e ainda pior em fase eleitoral, nada garante que o não dito (sic) vire dito. E vice-versa”. JORNALISMO Lula diz, a “Folha” rediz, Janio desdiz. Como fico eu, meio século leitor da “Folha” e dez anos colaborador? – Cancelo a assinatura da “Folha” ou cancelo a leitura do Janio?

Por Sebastião Nery