Em Salvador, Alckmin minimiza média baixa nas pesquisas e critica Bolsonaro; ”é um atraso”

/ Política

Alckmin recebeu título de cidadão baiano. Foto: Almiro Lopes

Em sua primeira visita à Bahia como pré-candidato à Presidência da República, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin minimizou, nesta quinta-feira (7), a baixa pontuação dele em pesquisas de intenção de votos pouco antes de receber o título de cidadão baiano, em solenidade na Assembleia Legislativa. Mantendo a estratégia que tem adotado nos últimos dias de ataque ao deputado Jair Bolsonaro (PSL), também postulante ao Palácio do Planalto, Alckmin classificou o projeto do rival para o como “um atraso” e alfinetou: ”quem anda para trás é caranguejo”. ”Não vai se criar emprego à bala, mas com competitividade, confiança, investimento. Não vai resolver os problemas de saúde, esse sofrimento que a população brasileira passa, da educação, à bala”, afirmou o tucano. Ao responder a uma provocação de Bolsonaro, que disse só falar com Alckmin quando o tucano atingisse dois dígitos nas pesquisas, ele preferiu economizar nas palavras: “Está de salto alto. Vou com as sandálias da humildade”. Ao frisar o debate sobre as elevadas taxas de violência no país, ele destacou que sua política nacional de segurança está sendo construída por profissionais das mais diversas áreas, entre eles o general João Campos, que foi comandante da Escola de Estado Maior do Exército. ”Em São Paulo, tínhamos 13 mil homicídios em  2001 e reduzimos para 3,5 mil no ano passado. A prioridade nossa, além de  emprego e renda, será segurança”. Ele ainda negou que haja pressão dos correligionários para sua pré-candidatura decole em função dos resultados nas pesquisas. ”Quem decola é avião. Não tem nenhuma desconfiança. A campanha só vai começar quando iniciar o horário do rádio e da TV. Isso só vai acontecer em setembro. Depois de uma semana de TV, dez dias, aí que as coisas vão começar a modificar”, disse. O ex-governador paulista revelou que sua pré-candidatura tem o apoio de quatro partidos, mas não disse quais. ”Eu acho até que vai aumentar essa aliança. Vamos trabalhar muito para chegar no segundo turno”, enfatizou. Pela manhã, ainda nesta quinta, ele visitou os municípios de Barra e Valença, acompanhado do pré-candidato ao governo do estado Zé Ronaldo (DEM). À tarde, ministrou uma palestra para estudantes da Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia. Informações do Correio

Os comentários estão fechados.