Eleições: 51,8% dos paulistas desaprovam governo Bolsonaro, diz o Instituto Paraná Pesquisas

/ Política

Instituto diz que Bolsonaro lidera em SP.Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

A maioria dos paulistas desaprovam a condução do presidente Jair Bolsonaro (PL) à frente do governo federal. Isso é o que indica o levantamento do Instituto Paraná Pesquisas divulgado neste sábado (30).

Cerca de 51,8% dos entrevistados consideraram negativamente o liberal, enquanto outros 43,3% aprovaram as ações do militar reformado. Um total de 4,9% dos paulistas não souberam ou não opinaram.

O instituto ouviu 1820 eleitores de 78 municípios de São Paulo entre os dias 24 e 29 de abril de 2022. E 44,4% dos entrevistados disseram que avaliam como ruim ou péssima a administração federal. Os que afirmam que a gestão é ótima ou boa somam 33,1% e os que não souberam ou não opinaram são 1,4%.

Os resultados são da estimulada, em que os participantes são provocados a opinar sobre as alternativas disponíveis no questionário.

Comparado ao mês passado, Bolsonaro teve um crescimento entre os que aprovam seu governo (passou de 40% para 43,3%) e uma redução entre os que desaprovam (de 55,1% para 51,8%). Eleitores que não souberam como opinar ou preferiram não opinar se mantiveram no mesmo patamar, 4,9%.

Mais residentes em SP passaram a ter a gestão como ótima, eram 13,7% e agora são 14,8%. Assim como os que acharam boa também aumentou (eram 16,2% e somam atualmente 18,3%).

Embora os que acham o governo regular continuem nos 21,2 pontos percentuais do levantamento anterior, os que o têm como ruim diminuíram de 9,6% para 8,3%.

Uma fatia considerável da amostra representativa ouvida pelo Paraná ainda acha a gestão péssima: 36,1%. No entanto, neste quesito, Bolsonaro também obteve um resultado mais agradável que o do mês passado, que era de 38,5%.

Mais pessoas não souberam como opinar ou preferiram não opinar (de 0,9% o número passou para 1,4%).

A pesquisa tem um nível de confiança de 95% e a margem de erro é de 2,3%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o n.º BR-07854/2022.

Os comentários estão fechados.