Educação: Estudantes apresentam projetos científicos na Feira Baiana da Agricultura Familiar

/ Educação

Daniele Bispo é do Vale do Jiquiriçá. Foto: Geraldo Carvalho

A 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, realizada até domingo (1º), no Parque de Exposições de Salvador, está sendo palco para os estudantes da Educação Profissional da rede estadual apresentarem projetos e tecnologias sociais de baixo custo. Os projetos — voltados para temas como sustentabilidade, inovação e empreendedorismo — foram desenvolvidos nas escolas e centros de Educação Profissional. O evento, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), apresenta ao público a diversidade cultural e o potencial produtivo do setor rural baiano.

Outro destaque da feira são as mini escolas-fábrica da Carne de Sol, do Centro Tecnológico de Educação Profissional (Cetep) do Médio Sudoeste da Bahia, localizado em Itororó, e, de Chocolate, do Cetep do Baixo Sul, situado em Gandu, que estão com estruturas instaladas no evento, com a presença de alunos e professores compartilhando suas experiências de aprendizado.

Dentre os projetos que estão sendo apresentados no Balcão Tecnológico, destacam-se Palmix: sabonete da palma forrageira, desenvolvidos pelos estudantes do Colégio Estadual Luís Cabral, localizado em Canudos; ‘Sistema de Irrigação Inteligente (Cetep) em Tecnologia da Informação e Comunicação’, em Lauro de Freitas; e ‘Os benefícios da bebida probiótica kombucha com adição de mel das abelhas Apis Melliferas’, do Cetep Vale do Jiquiriçá, localizado em Amargosa, dentre outros.

O estudante Kaik Peixinho Guimarães, 15 anos, do curso técnico em Agroecologia do Colégio Estadual Luís Cabral, localizado em Canudos, explicou sobre o projeto do sabonete. ”Desenvolvemos o produto com o objetivo de mostrar que a utilização da palma não se restringe apenas à alimentação animal ou humana. Pode ser usada para a produção de cosmético, como o nosso sabonete que possui vitaminas A, D e E, além de colágeno que serve para aumentar a elasticidade da pele e é muito benéfico para a saúde”, revelou.

A estudante Daniele Bispo, 21, do curso técnico em Agropecuária, do Cetep Vale do Jiquiriçá, localizado em Amargosa, está apresentando com seus colegas o projeto ‘Os benefícios da bebida probiótica Kombucha com adição de mel das abelhas Apis Melliferas’. ”Trata-se de uma bebida probiótica feita através da infusão de chá verde e utilizamos a produção do mel que temos no nosso colégio com o objetivo de substituir o refrigerante industrializado com sabores de abacaxi e uva integral”.

Daniele acrescentou que ”a bebida é feita a partir de uma bactéria rica em lactobacilos, vitaminas K, B1 e B12 e enzimas gastrointestinais que combatem a asma, câncer e cândida, além de ser bom para a articulação e funciona como estimulante sexual”.

Os comentários estão fechados.