Deputado diz que pré-candidatura de João Roma é estratégia para dissociar Neto de Bolsonaro

/ Entrevista

Na avaliação do deputado estadual Alex Lima (PSB), a pré-candidatura do ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), ao governo da Bahia é uma estratégia para dissociar o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

”Pra mim, é uma pré-candidatura laranja. Pensando no desgaste de Bolsonaro, a escalada de João Roma é para fazer palanque de Bolsonaro na Bahia e o DEM sair de ‘bonzinho’. Os dois são amigos históricos”, analisou, em entrevista ao programa BNews Agora, na rádio Piatã FM, nesta terça-feira (31).

A declaração de Lima é em resposta ao investimento de João Roma nas críticas ao PT. O ministro adotou uma postura mais incisiva nas últimas semanas e tem defendido mais enfaticamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Depois de terem enviado ao Congresso a proposta do Auxílio Brasil, principal pauta da pasta, o deputado federal licenciado e sua equipe avaliaram a necessidade de avançar mais abertamente no terreno político estadual, a fim de ampliar as condições para uma candidatura de terceira via em 2022.

Durante a entrevista, o deputado estadual também disse que a vinda do MDB à base do governo Rui Costa (PT) seria bem-vinda. “Não tenho nenhum problema com o MDB. Espero que venham fazer parte de nossa fileira”, afirmou.

Ainda segundo o site BNews, a definição do nome de Nelson Pellegrino para o posto de conselheiro no Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA) abriu a bolsa de apostas dentro do governo sobre quem sucederá o petista na Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). Interlocutores do governo passaram a consider a possibilidade de formalizar um convite para atrair o MDB à base e, por conseguinte, assumir o comando da pasta. Para alguns, seria uma espécie de “cartão de boas-vindas”.

Os comentários estão fechados.