Depois de 20 anos, Itiruçu confirma reeleição e prefeita diz ter superado a união de caciques

/ Eleições 2020

Lorena venceu Ailton Cezarino

Apesar da grave crise política, que o país atravessa, com o descrédito da classe política por parte da população, generalizadamente, a continuidade foi a marca das eleições municipais de 2020. Um levantamento preliminar da Confederação Nacional de Municípios (CNM), mostra que os eleitores de 2.237 cidades brasileiras reelegeram os atuais gestores no domingo (15), maior número já registrado no país desde a aprovação da emenda constitucional que permitiu a prefeitos, governadores e presidentes a concorrer a um segundo mandato, em 1998.

Em Itiruçu, por exemplo, depois de 20 anos o município volta a ter gestor público reeleito para representar o Executivo Municipal. A médica Lorena Di Gregório (PSD) teve o seu mandato renovado, quando derrotou o ex-prefeito Ailton Cezarino (PSB) com uma diferença de 1.081 votos.

Ao fim da apuração de domingo, Lorenna teve 58,18% dos votos, 3.845 no total, contra 41,82% (2.764 votos) obtidos pelo adversário. Com 9.458 eleitores aptos a votar, Itiruçu teve 23,02% de abstenção, 2,28% votos brancos e 6,95% votos nulos.

Ao comentar o resultado das urnas, durante contato com o Blog Marcos Frahm, nesta quinta-feira (19), a médica de 42 anos disse estar mais madura política e administrativamente para exercer o segundo mandato, tendo relembrado as dificuldades encontradas no primeiro mandato. ”A reeleição é um desafio muito grande para o gestor, por ser uma forma de testar a administração e com essa aprovação teremos mais garra para continuar o trabalho. Os primeiro quatro anos foram muito difíceis e tivemos que colocar a casa e dia, pois encontramos diversas pendências previdenciárias, restrições no CAUC, enfim. Então foram quatro anos de aprendizado, de organização e eu digo que a semente foi plantada e será colhida no segundo mandato”.

Para a prefeita, o desafio é superar o seu próprio governo e fazer uma gestão melhor. Para ela, a eleição 2020, além de atípica por conta das vedações impostas pela Justiça Eleitoral em decorrência da pandemia do coronavírus, foi mais desafiadora, sendo preciso enfrentar a união de forças de caciques da política local, ex-prefeitos [a exemplo de Wagner Novaes que apoiou Ailton] que segundo ela marcharam contrários a sua reeleição.  ”Pra mim, foi muito difícil vencer os caciques e foi uma vitória muito grande, porque depois de 20 anos nós tivemos reeleição em Itiruçu e desta vez uma mulher sendo reeleita”.

Deixar uma Resposta