Delegado diz que assassinato de pediatra dentro de clínica no Oeste da Bahia foi encomendado

/ Polícia

Júlio César atendia em várias cidades baianas. Foto: Arquivo Pessoal

O assassinato do médico Júlio César de Queiroz Teixeira, 44 anos, morto a tiros dentro da clínica onde ele trabalhava, na cidade de Barra, no oeste da Bahia, foi um crime encomendado. A informação foi divulgada pelo delegado Jenivaldo Rodrigues, responsável por investigar o caso.

O suspeito de atirar contra o médico foi preso na segunda-feira (27), no município de Barra. Ele foi identificado como Jefferson Ferreira. O comparsa, que levou o atirador até a clínica, também já foi detido. O nome dele não foi divulgado.

”Já prendemos o executor e quem estava pilotando a moto. Estamos agora organizando tudo para ver se acha o mandante, mas a gente sabe que foi um crime de mando”, disse o delegado. De acordo com a polícia, a motocicleta e o capacete utilizados no dia crime foram apreendidos com o suspeito. No dia do crime, o homem entrou na clínica usando o equipamento na cabeça.

Denúncias sobre abuso sexual

No sábado (25), a polícia afirmou que apura se o pediatra foi assassinado após alertar uma família sobre uma criança atendida por ele, que apresentou sinais de abuso sexual. O caso teria ocorrido no ano de 2016, em Buritirama, cidade que fica na mesma região. O delegado disse que foi informado sobre a situação pela família do pediatra. O irmão dele, Lula Teixeira, também falou sobe o caso com o g1, na sexta-feira (24). A polícia vai investigar se a morte foi causada por vingança.

Lula disse que a esposa do médico assassinado trabalhava como enfermeira e atuava com o marido nos atendimentos. Ela presenciou o crime, que ocorreu no momento em que Júlio César fazia o segundo atendimento do dia. Além da mulher, dois funcionários e uma criança, que estava acompanhada por responsável, presenciaram o assassinato. A polícia não informou se as testemunhas já prestaram depoimento.

O médico pediatra foi morto dentro do consultório que ele prestava atendimento, em uma clínica particular de Barra. O crime aconteceu na manhã da última quinta-feira (23). Segundo a polícia, o pediatra foi atingido por quatro tiros, um deles na cabeça. Ele chegou a ser socorrido por outros funcionários da clínica e foi levado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.

Os comentários estão fechados.