Com apoio da Prefeitura de Jequié, Associação Paradesportiva promove jogo amistoso entre atletas

/ Jequié

Jogo amistoso de basquete em cadeira de rodas, com os atletas da APIB

Com o objetivo de dar mais visibilidade à prática desportiva, enquanto propiciadora de inclusão da pessoa com deficiência, a Associação Paradesportiva do Interior da Bahia (APIB), com apoio da Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Esporte e Lazer, promoveu, na tarde da sexta-feira (09), um jogo amistoso de basquete em cadeira de rodas, com os atletas da APIB e Associação Grapiúna do Paraplégico (AGP), na quadra poliesportiva do Viveiro, no bairro São José. Estiveram presentes a equipe técnica da Secretaria de Esporte e Lazer; o presidente, Jaldo Santana Roseno, e o vice-presidente, Carlos Augusto Souza Brito, da Associação Paradesportiva do Interior da Bahia (APIB); o presidente, Bruno Santos Santana, da AGP; e os atletas paradesportistas das duas entidades.

A Secretaria de Esporte e Lazer disponibilizou a logística da premiação e todo o suporte para a realização do evento que, de acordo com o secretário de Esporte e Lazer, Matheus Macedo, serve de inspiração para que a sociedade compreenda mais sobre a importância da inclusão.

Os jogos são disputados por duas. Fotos: Divulgação/PMJ

O basquete em cadeira de rodas foi a primeira modalidade paralímpica praticada no Brasil e somente no país, há aproximadamente 110 clubes que oferecem esta modalidade praticada por pessoas com deficiências físico-motoras. Os jogos são disputados por duas equipes com cinco jogadores cada e a partida é dividida em quatro quartos, de 10 minutos cada. A principal diferença em relação ao basquete convencional é que os jogadores devem quicar, arremessar ou passar a bola a cada dois toques dados na cadeira de rodas.

”O apoio da Prefeitura, nas ações da APIB, é muito importante. Nós treinamos às segundas e quartas, na quadra do Viveiro e, através do suporte que é ofertado pelo município, com um veículo com acessibilidade, nós podemos ir e vir até o local e participar dos treinos.  Para uma pessoa andante, é algo absolutamente muito fácil, para a pessoa cadeirante, existem dificuldades e barreiras físicas que temos lutado e estamos conseguindo transpô-las. Antes da APIB, a pessoa com deficiência não tinha uma referência esportiva e, graças ao esforço dos membros e com o apoio da Secretaria de Esporte e Lazer, temos conseguido avançar.”, disse o presidente da APIB, Jaldo Santana Roseno.

”Temos feito ações de valorização do Esporte em suas variadas modalidades e o basquete em cadeira de rodas também tem recebido o apoio da Prefeitura, inclusive com a doação recente de 10 cadeiras de rodas esportivas para os atletas. O basquete em cadeira de rodas pode ser praticado por homens e mulheres com deficiência físico-motora e isso dá espaço para que todas as demais pessoas passem a enxergar que, com o suporte certo, aqui temos as cadeiras de rodas esportivas, a pessoa com deficiência, devidamente treinada, é capaz de vencer toda as barreiras físico-motoras. Isso é inclusão, é respeito!”, destacou o secretário de Esporte e Lazer, Matheus Budega.

Os comentários estão fechados.