Com ocupação do Hospital de Campanha, prefeito de Feira alerta para superlotação em hospitais privados

/ Saúde

Prefeito de Feira, Colbert Martins. Foto: Jornal Grande Bahia

O Hospital de Campanha de Feira de Santana, que é destinado ao tratamento exclusivo da Covid-19, está com os leitos de UTI com 100% de ocupação na manhã deste domingo (21). Todos os 18 leitos de UTI da unidade estão com pacientes internados. E dos 35 leitos clínicos disponíveis, 21 estão ocupados.

No Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), os 14 leitos clínicos ofertados para pacientes com Covid estão ocupados. Já dos 40 leitos de UTI adulto da unidade, 37 estão sendo utilizados, segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

Somente no sábado (20), mais 88 casos positivos da doença no município foram divulgados pelo boletim epidemiológico da Vigilância Epidemiológica.

De acordo com o prefeito Colbert Martins, em entrevista ao programa de Silvério Silva, às 7h40 de hoje havia 14 pessoas internadas na UTI do Hospital de Campanha, e 21 internados nos leitos clínicos. No entanto, entre as 8h e o meio-dia, esse número aumentou e mais quatro pacientes graves foram admitidos na UTI da unidade hospitalar. A situação grave também foi confirmada pelo diretor do Hospital da Campanha, Dr. Francisco Mota, ao Acorda Cidade.

”O diretor me ligou avisando que internaram mais quatro pessoas, dezoito é o número máximo de pessoas que podemos ter na UTI. Isso significa que as pessoas precisam ter extremo cuidado, pois a doença está evoluindo numa velocidade enorme. Não tem mais vaga pra internar na UTI do Hospital de Campanha, e a informação que eu tenho é que o Hospital Geral Clériston Andrade está também com 100% de ocupação”, informou o prefeito.

Diante da situação atual, o prefeito Colbert Martins informou em entrevista ao site Acorda Cidade, que o secretário de saúde visitou na manhã de hoje as Upas e Políclínicas do município a fim de aumentar o número de leitos de internação.

”Para ampliarmos nossas possibilidades de internação nas salas vermelhas, que existem nessas unidades. Tem dois respiradores em cada policlínica. Então isso é possível para as internações de maior gravidade. Se tiver necessidade será feita a internação desse tipo de paciente nesses locais. No Hospital de campanha não dá, já está no limite. Estamos tentando ver a possibilidade de ampliação lá, mas ainda não tivemos como. As sete policlínicas podem internar pacientes” afirmou Colbert Martins.

Ele alertou ainda para a superlotação dos leitos dos hospitais privados em Feira e Salvador. ”Estão praticamente lotados. Em Salvador, os hospitais privados estão todos cheios, pois a quantidade de leitos é muito baixa também. Não dá pra sair de Feira para ir pra capital, pois não tem vaga lá. Por isso, quero alertar aos meus irmãos de Feira de Santana que essa situação está se tornando absolutamente insustentável e é preciso que a gente haja da melhor forma possível com muita responsabilidade para evitar o contínuo aumento da transmissão do coronavírus”, destacou.

Com informações da repórter Maylla Nunes, do site Acorda Cidade.

Os comentários estão fechados.