Município de Brejões sedia o 6º Encontro de Cultura do Vale do Jiquiriçá 2018, nesta sexta-feira

Brejões sedia o 6º Encontro de Cultura do Vale do Jiquiriçá 2018, que acontece nesta sexta-feira (17), das 8h às 17h, na Casa do Brejo, espaço cultural lançado pela Prefeitura de Brejões, em junho deste ano. Promovido pela Secretaria de Educação municipal, o evento visa reunir agentes, dirigentes e produtores culturais da região para um diálogo sobre a implementação de ações na área da Cultura, a partir da troca de experiências e com ênfase na troca de experiências e construção de propostas.


Homem em Amargosa é preso por latrocínio cometido contra idoso de 72 anos em 2012

Chicão teria matado idoso na zona rural. Foto: Polícia Civil

Em cumprimento a um mandado de prisão preventiva por latrocínio, Luiz Carlos Souza Santos, conhecido como Chicão, foi localizado, na manhã de segunda-feira (13), por policiais da Delegacia Territorial (DT), de Amargosa, no Vale do Jiquiriçá. Chicão é acusado de ser o autor do roubo seguido de morte de Miguel Souza de Almeida, de 72 anos, em 2012, na zona rural de Amargosa. Ele morava com o idoso e a mulher, na residência do casal, e planejou o assalto com outros dois comparsas. Com a elucidação do crime pela equipe da DT/Amargosa, o latrocida será encaminhado para o sistema prisional, em Salvador, onde ficará à disposição da Justiça.

Licuri gera emprego e renda para produtores no distrito de Jatobá, município de Milagres

Associação de Produtores de Ouricuri do Jatobá. Foto: Divulgação

Usufruir dos produtos naturais que o bioma caatinga oferece, de forma consciente e sustentável, sem agredir a natureza. Foi partindo deste princípio que produtores rurais do distrito de Jatobá, no município de Milagres, no Vale do Jiquiriçá, decidiram se unir em torno de uma agremiação que beneficiasse a comunidade local e valorizasse o licurizeiro, a partir da exploração agroextrativista. Assim, em 2017, eles criaram a Associação de Produtores de Ouricuri do Jatobá (APOJ). Tendo o licuri como matéria-prima principal – entre outras como jatobá, umbu e maracujá –, os agricultores familiares produzem iguarias como bolos, tortas, cocadas, licor, beijinho, brigadeiro, sequilhos e pé de moleque. Também produzem peças de artesanato a partir das folhas da palmeira do fruto. E para quem não sabe ainda o que é licuri, basta lembrar do antigo dito popular: ”eu sou eu, licuri é coco”. Empolgado com o destino que foi dado ao licuri na região, o presidente da APOJ, Antônio Ramos da Hora, conhecido como Neto, conta como a entidade surgiu, em 2017. ”Certa vez, estava vendendo umbu na estrada e parou um carro. O motorista comprou um litro do meu umbu e me perguntou: o que vocês fazem para sobreviver quando acaba a safra da fruta? Fui para a casa pensativo com aquela indagação e, a partir daí, achei que tínhamos que pensar em um modo de aproveitar tudo o que a terra produz, para nos dar mais meios de sobrevivência, e ao mesmo tempo, tratar a natureza na base da sustentabilidade para que ela nunca nos falte. Foi daí que veio a ideia de fundar a associação”, conta, destacando que, hoje, o extrativismo do licuri gera emprego e renda na comunidade. Sendo um dos frutos típicos da região, com produção natural em grande escala, o licuri ganhou notoriedade na culinária. Para isso, o coquinho passa pelos processos de quebra, seleção e separação das amêndoas. In natura ou transformado em guloseimas, os produtos são vendidos informalmente na feira livre da cidade, em eventos e na porta das escolas. ”A população está aceitando bem os nossos produtos. As pessoas experimentam, elogiam e voltam a comprar, o que é uma prova de que estamos no caminho certo”, considera Neto. A Associação de Produtores de Ouricuri do Jatobá conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Milagres; da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB); e do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) do Vale de Jiquiriçá. As instituições de ensino estudam os aspectos socioambientais, econômicos e culturais associados ao licuri, por meio de pesquisas relacionadas à Agroecologia, envolvendo os seus diversos usos, o cultivo, a conservação e a produção. Além de estudantes do Ensino Superior e da Educação Profissional, a APOJ recebe alunos da Educação Básica, que fazem visitas técnicas para conhecer a importância histórica e econômica dessa palmeira sertaneja, além de degustar os quitutes originados do licuri. Leia mais

 

Cravolândia: Homem de 61 anos é preso suspeito de estuprar duas filhas há mais de 4 anos

José Souza Fontes foi encontrado em Amargosa. Foto: Polícia Civil

Suspeito pela prática de estupro de vulnerável, um homem de 61 anos foi preso em Amargosa e apresentado nesta sexta-feira (10) na Delegacia Territorial de Cravolânda, no Vale do Jiquiriçá, onde teria cometido o delito. José Souza Fontes foi preso hoje  mandado de prisão expedido pela Justiça da comarca de Santa Inês, que responde pela região. De acordo com o delegado que apura o caso, Chardison Castro de Oliveira, em contato com o Blog Marcos Frahm, conselheiros tutelares compareceram a unidade prisional, apresentando duas menores, de 14 e 16 anos, que segundo a autoridade policial são filhas do suspeito, tendo as irmãs revelado os constantes atos de violência sexual praticados contra elas há mais de 4 anos pelo próprio pai. O delegado realizou as oitivas, termos de depoimento e declaração das vítimas e testemunhas, solicitando ainda a identificação criminal por meio de exame de corpo delito. Ainda segundo Chardison Castro, José foi encontrado pela sua equipe de policiais em uma residência de propriedade do irmão, no Centro de Amargosa, onde se preparava para fugir para São Paulo, sendo impedido pelos agentes, que cumpriram o mandado de prisão preventiva. O suspeito segue detido a disposição da Justiça.

Brejões: Bebê recém-nascido sobrevive após ser abandonado em saco de lixo pela mãe

Bebê foi resgatado por uma enfermeiro. Foto: Blog Marcos Frahm

Um bebê recém-nascido foi encontrado dentro de um saco de lixo na Praça da Feira de Brejões, no Vale do Jiquiriçá. Segundo a polícia, a criança do sexo masculino foi encontrada na manhã de sábado, por volta das 06h, quando uma feirante ouviu a criança chorando e acionou uma equipe do Hospital Municipal, que enviou ao local uma ambulância para resgatar o bebê. A equipe retornou a unidade hospitalar com a criança e, ao chegar ao hospital, foi informada de que uma jovem teria dado entrada no pronto-socorro com sangramento. Os profissionais de saúde descobriram que Anatália Almeida Cerqueira, de 26 anos, era mãe da criança e reconheceu o bebê, revelando que escondeu a gravidez da família e que o parto aconteceu em uma casa, mas que abandonou o filho, tendo sofrido hemorragia e recorrido ao hospital em busca de atendimento.

Inquérito policial apura o caso

O caso repercute na imprensa baiana. Na tarde desta segunda-feira (6), o delegado de Brejões, Dr. Isaías Pereira, em contato com o Blog Marcos Frahm, disse que foi instaurado um inquérito policial para apurar o abandono. O menino vai se chamar João Gabriel e segue internado, juntamente com a mãe. – Foi instaurado um inquérito para apurar as circunstâncias do abandono dessa criança. Ela foi encontrada dentro de um saco plástico, por populares que acionaram a ambulância e quando a ambulância chegou ao hospital tinha uma paciente com sangramento e veio a certeza de que a criança era da mulher que se encontrava no hospital. A criança e a mãe estão no hospital. A mulher sofreu hemorragia e passa por exames e está em observação. A gente está ouvindo familiares, testemunhas, a pessoa que encontrou a criança e acionou a ambulância e o pessoal do hospital, o enfermeiro que esteve no local. Também solicitamos os prontuários médicos e todas as providências que o caso requer foram tomadas – disse a autoridade policial.

Ainda de acordo com o delegado, a criança, que reage bem ao atendimento médico, não nasceu prematuramente e passa por exames para posteriormente receber alta. João Gabriel ficará sob os cuidados da avó e Anatália deverá responder, conforme informações policiais, por abandono de incapaz.

Mutuípe: Fazendeiro suspeito de tentar matar mulher a tiros após discussão se apresenta à polícia

Marcelo e Rosicleide estavam separados. Foto: Reprodução

O homem suspeito de tentar matar a mulher a tiros após uma discussão, na cidade de Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, se apresentou na Delegacia da cidade, na tarde de quarta-feira (1º). O casal estava em processo de separação quando o crime ocorreu. Conforme informações da delegada Corina Lopes Oliveira, que investiga o caso, Marcelo dos Santos Píton teve a prisão preventiva decretada em maio e estava foragido. De acordo com a polícia, o suspeito se apresentou na companhia de um advogado e confessou o crime, mas disse que não tinha a intenção de matar a vítima. Segundo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), o homem, que é fazendeiro, foi autuado por tentativa de feminicídio. O inquérito que apura o crime já foi remetido ao Ministério Público (MP). A SSP afirmou que as investigações da polícia contestam a versão dada pelo suspeito, já que ele conseguiu acertar a cabeça da vítima, mesmo ela estando debruçada na janela da casa. Marcelo Píton afirmou também que havia fugido para Goiás, logo depois de cometer o crime e que esperava o estado de saúde da vítima melhorar para voltar a cidade. A delegada Corina Lopes Oliveira informou que a vítima, Rosicleide de Jesus Sousa, de 40 anos, ficou internada num hospital, em Mutuípe, depois transferida para Santo Antônio de Jesus, mas já recebeu alta e se recupera em casa. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, a professora foi vítima de diversas agressões ao longo dos 10 anos em que manteve um relacionamento com o Marcelo, mas nunca denunciou à polícia.

O caso

A delegada Corina Lopes disse que parentes da vítima contaram à polícia que Rosicleide e Marcelo discutiram na manhã de 19 de maio, quando o suspeito atirou na cabeça da professora. De acordo com a delegada, a vítima foi até casa onde o casal morava, na localidade de Baixa Alegre, zona rural de Mutuípe, para pegar alguns pertences dela. Marcelo, que estava do lado de fora do imóvel, não gostou da situação, fez ameaças à professora e uma discussão entre dois foi iniciada. Corina Lopes Oliveira informou que Rosicleide entrou em casa e Marcelo começou a atirar em um matagal próximo à residência. Quando a vítima foi até a janela, para ver o que estava acontecendo, o suspeito atirou na direção dela, atingindo-a na cabeça. Ele fugiu após o crime.

Santa Inês: Mãe doa bebê para casal da região de Salvador e finge morte do filho de 4 meses

Um bebê de quatro meses, oriundo da cidade de Santa Inês, que a mãe alegava ter morrido durante uma viagem foi encontrado pela polícia com um casal na região metropolitana de Salvador, na segunda-feira (18). Segundo informações da Polícia Civil, a mãe disse que entregou a criança alegando falta de condições financeiras. Conforme a polícia, o casal que estava com a criança alegou à polícia que a mãe biológica deu o bebê e disse não saber a história contada por ela sobre a morte do menino, conforme publicação do G1. De acordo com a Polícia Civil, o Conselho Tutelar de Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá, acionou a Delegacia Territorial (DT) da cidade, há 36 KM de Jaguaquara, depois que a mãe do menino viajou para Salvador e retornou sem a criança, alegando que a criança morreu. Os conselheiros desconfiaram da versão da mulher, que já tem outros três filhos, e vive em extrema de pobreza, segundo a polícia. O Conselho Tutelar de Santa Inês manteve, provisoriamente, o bebê com a família que pretende adotá-lo, até a conclusão do inquérito instaurado pela Delegacia de Santa Inês. ”A família foi localizada e compareceu à unidade para prestar esclarecimentos, trazendo provas robustas de estarem cuidando do bebê da melhor forma possível e, inclusive, que já peticionou a Tutela Legal da criança na Justiça”, explicou, em nota, a delegada Grazziele Quaresma, que investiga o caso.

Laje: Cidadania e garantia dos direitos marcam a passagem da Unidade Móvel da Defensoria

Unidade Móvel da Defensoria Pública atende em Laje. Foto: Divulgação

A edição deste mês de junho da ”Feira de Saúde e Cidadania” da cidade de Laje, no Vale do Jiquiriçá, teve uma convidada especial: a Unidade Móvel de Atendimento da Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA, que, nos dias 14 e 15 de junho, promoveu o exercício da cidadania e de garantia dos direitos aos moradores das zonas urbana e rural do Município. Ao todo, 121 pessoas foram atendidas durante os dois dias da itinerância. Em meio às vacinas, aferições de pressão arterial, testes de glicemia e exames nas mais diversas especialidades, os moradores também aproveitaram para correr atrás dos seus direitos e fizeram fila para serem atendidos na Unidade Móvel da Defensoria. Uma das primeiras a chegar, a dona de casa Jamile Santos, 30 anos, adiantou qual era o seu ”problema” e de muitos moradores da cidade. ”Aqui, tem muitos erros nos registros de nascimento. São erros bestas que travam a nossa vida e nos impedem de tirar novos documentos. Na minha certidão, por exemplo, o sexo não está feminino, está escrito ignorado”, contou a dona de casa, que foi encaminhada pela Defensoria para fazer exames físicos e ginecológicos para provar que é do sexo feminino. Ao retornar, com o laudo já em mãos, recebeu o ofício com a solicitação da retificação para levar ao Cartório de Registro Civil da cidade. Quem também chegou cedo foi a lavradora Maria Florinda de Almeida, 50 anos, registrada com o mês de nascimento incorreto. ”O certo é setembro e, no registro, está agosto. Eu agradeço tanto a presença de vosmicês. Foi um alívio para mim. Estou há 12 anos tentando resolver isso e nunca consegui. Que este trabalho chegue a outras cidades”, desejou a dona de casa, que retornou à Unidade Móvel no segundo dia para mostrar que a retificação tinha sido feita. ”Daqui a cinco dias vou buscar meu novo registro”, comemorou a lavradora. ”São em situações como esta que nós vemos a necessidade da Defensoria Pública na comarca. Aqui, em Laje, efetivamente, conseguimos resolver problemas que parecem simples, como esta grande quantidade de retificações de registros, mas que são complexos para as pessoas que não tem por perto uma instituição, como a Defensoria Pública, para dar assistência jurídica integral e gratuita. A Unidade Móvel chega às cidades para preencher esta lacuna. O grande número de ações, a efetividade, os resultados práticos que nós vimos nestes dois dias em Laje fazem com que queiramos, cada vez mais, levar a Defensoria a todas as cidades do interior baiano”, ressaltou o defensor público que coordena a Unidade Móvel de Atendimento da DPE/BA, Marcus Vinícius Lopes de Almeida.

Mutuípe: Unidade Móvel da Defensoria garante atendimento a mais de 170 moradores

Unidade Móvel atende moradores de Mutuípe. Foto: Ingrid Carmo

A Unidade Móvel de Atendimento da Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA avança sob as estradas baianas e chegou a mais um território de identidade do Estado: o Vale do Jiquiriçá. Nos dias 12 e 13 de junho, 178 moradores do Município de Mutuípe foram até à Avenida Beira Rio, no centro da cidade, e aproveitaram os serviços oferecidos pela Defensoria. ”Defensoria chega até você”, diz o panfleto recebido pela dona de casa Iraci dos Santos, 41 anos. Ela não pensou duas vezes e, no primeiro dia do atendimento, logo cedo, lá estava para resolver uma questão urgente de saúde. ”Tenho câncer na mama direita e a médica me disse que não posso perder tempo. Vim em busca de ajuda para fazer alguns exames, pois os laudos que eu tenho já estão vencidos. Quanto mais o tempo passa, mais cresce a chance de retirada da mama e esse é o meu maior medo. Quero fazer logo esta cirurgia, quero ficar curada”, contou a dona de casa. Iraci dos Santos precisa fazer exames pré-operatórios como eletroencefalograma, ecocardiograma, ultrassonografia mamária e mamografia. ”Como medida, encaminhamos ofícios para a Secretaria Municipal de Saúde de Mutuípe providenciar estes exames com urgência e também para o Ministério Público acompanhar, juridicamente, o tratamento da paciente”, explicou o defensor público Ricardo Carillo, durante o atendimento à dona de casa. Quem também aproveitou a presença da Defensoria na cidade e chamou a ex-mulher para estabelecer um acordo de alimentos da filha foi o marceneiro Rosivaldo Santos, 28 anos. Desde que a pequena M.J.S., de 5 anos, nasceu, o pai não dá o valor dos alimentos em dinheiro, mas compra o que vem relacionado na lista enviada quinzenalmente pela mãe da criança. ”A lista sempre funcionou e ele compra tudo direitinho e vai lá em casa levar”, contou. ”Resolvi passar a depositar o valor em uma conta bancária. Aproveitei a Defensoria aqui na cidade para já fazer o acordo e deixar tudo definido. Fica melhor assim. Se eu não estiver na cidade, nada vai faltar para ela”, contou o marceneiro. ”Chegamos ao Vale do Jiquiriçá, um Território de Identidade muito carente do nosso Estado, que conta com defensores públicos apenas na cidade de Amargosa. A comarca de Mutuípe carece de uma assistência jurídica integral e gratuita como a proporcionada pela Defensoria Pública. Pela quantidade de demandas apresentadas nestes dois dias, vimos o quanto a população necessita dos serviços oferecidos pela Defensoria. Conseguimos solucionar diversos casos como retificação de registros, divórcios, acordos de alimentos, guardas e um elevado número de exames de DNA. A vinda da Defensoria viabilizou que estes acordos e mediações fossem realizados”, ressaltou o defensor público que coordenada a Unidade Móvel, Marcus Vinícius Lopes de Almeida. A última itinerância deste primeiro semestre de 2018 da Unidade Móvel de Atendimento da Defensoria será na cidade de Laje, que fica a 232 quilômetros de Salvador. O atendimento será realizado hoje, dia 14, e na sexta-feira, dia 15 de junho, na Praça Lomanto Junior, no centro da cidade. O horário é das 8 às 12h e das 13h30 às 16h.

Acidente entre carro e moto mata homem de 62 anos na BA-120, entre Santa Inês e Cravolândia

Motociclista morreu após acidente. Foto: Leitor do Blog Marcos Frahm

Um homem de 62 anos morreu após se envolver num acidente de trânsito na BA-120, estrada que liga Santa Inês a Cravolândia, no Vale do Jiquiriçá. Antônio Jesus do Livramento conduzia uma motocicleta que colidiu com um carro Celta de placa JRR-3233, que era conduzido por um servidor da Prefeitura de Santa Inês. O acidente aconteceu na noite deste domingo (10). A vítima fatal residia em Cravolândia. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência chegou ao socorrer a vítima, que não resistiu aos ferimentos. O motorista do carro ficou ferido e foi socorrido ao Hospital Municipal de Santa Inês. As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil.

São João em Amargosa terá Henrique e Juliano, cantora Elba Ramalho, Gabriel Diniz e Flávio José

Henrique e Juliano irão soltar a voz em Amargosa. Foto: Divulgação

Os cantores Gabriel Diniz, Elma Ramalho, Flávio José e a dupla Henrique e Juliano são algumas das atrações já confirmadas do São João de Armagosa, que fica no Vale do Jiquiriçá. A festa acontece na Praça do Bosque, entre 21 a 24 de junho. A entrada é gratuita. A festa vai disponibilizar, além do palco principal, um local onde se apresentarão artistas e bandas da região, e um espaço com trios de sanfoneiros todos os dias, a partir das 14h. Como é ano de Copa do Mundo, também serão colocados telões para exibição de jogos. Apesar da festa principal de Amargosa ser realizada na Praça do Bosque, o público ainda pode conferir o Forró do Piu Piu, que é uma festa paga, com ingressos que variam de R$ 160 a R$ 550 e realizada na Fazenda Colibri. O evento que acontece apenas no dia 23 de junho, já tem confirmação dos shows de Wesley Safadão e Léo Santana.

Santa Inês: Jovem de 21 anos, Danilo Lima, apelidado de 10 Centavos, morreu em ação da PM

Danilo Lima, 10 Centavos, morreu em ação policial. Foto: BMF

Um jovem de 21 anos morreu durante ação da Polícia Militar de Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá, na noite desta quinta-feira (7). De acordo com informações da 3ª Cia da PM, policiais teriam avistado Danilo Lima Xavier em atitude suspeita e o mesmo teria empreendido fuga ao perceber a viatura. A guarnição fez o acompanhamento e, conforme a PM, Danilo, que era apelidado de 10 Centavos, fez disparos de arma de fogo, sendo alvejado pelos policiais e socorrido ao Hospital Maria Leandra, mas não resistiu. A PM informou ainda que apreendeu um revólver calibre 38 com numeração suprimida. A Delegacia Territorial de Santa Inês informou que Danilo possuía passagem pela unidade prisional por tráfico de entorpecente.

Vale do Jiquiriçá: Moradores de Santa Inês saem às ruas em apoio ao protesto dos caminhoneiros

Moradores protestam em Santa Inês nas ruas. Foto: Leitor do BMF

Na cidade de Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá, moradores saíram às ruas nesta quarta-feira (30) em apoio à greve dos caminhoneiros, que chegou ao 10º dia, sendo encerrado o movimento nacional na maior parte das rodovias do país. Em Santa Inês, um grupo caminhou pelas vias da cidade e se aglomerou em frente a um dos postos de combustíveis desabastecido, gritando Fora Temer.

Mutuípe: Liminar define que professora agredida pelo ex deve ser transferida com urgência para Salvador

Ex-marido atirou na cabeça de Rosicleide Souza. Foto: Rede Social

Liminar concedida nesta quarta-feira (24) pelo juiz Fabiano Freitas Soares determina que a professora Rosicleide Souza, de 40 anos, atingida por um tiro na cabeça no sábado (19), em Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, seja transferida com urgência pelo Planserv para algum hospital de Salvador. Segundo o site Bahia Notícias, a vítima se encontra em estado grave no Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo e, segundo a liminar, deve ser movida para o Hospital Santa Izabel, Hospital Português ou Hospital da Bahia, com vaga disponível em UTI Neuro, ou, na falta de vagas, para Unidade Hospitalar Particular, no Hospital Aliança ou Hospital São Rafael. Caso a medida seja descumprida, o plano de saúde terá que pagar uma multa diária de R$ 1 mil. A mulher foi atingida pelo tiro deflagrado pelo ex-companheiro, identificado como Marcelo. Os dois estavam em processo de separação. ”Ela tinha ido a essa casa. Quando chegou lá, ouviu o companheiro que xingava ela e ameaçava atirar. Quando a professora apareceu em uma janela, ele atirou, o que acabou atingido ela”, relatou a delegada Corina Lopes, titular da Delegacia de Mutuípe. Depois de atirar na mulher, o homem fugiu. Ainda segundo a delegada, já foi pedida à Justiça a prisão preventiva do acusado, também conhecido como ”Marcelo Cachaça”. A delegada também informou que vai ouvir testemunhas do caso. O casal tem dois filhos. Desde que ocorreu o crime, na zona rural, os menores estão com parentes.