Em meio ao coronavírus, Governo reconhece situação de emergência em Santa Inês por conta das chuvas

Santa Inês decretou situação de emergência. Foto: Blog Marcos Frahm

O governo do estado decretou situação de emergência no município de Santa Inês,  no Vale do Jiquiriçá, por conta dos danos causados, conforme alegação da Prefeitura, pelas intensas chuvas na cidade, na segunda semana deste mês de março. A informação foi publicada no diário oficial do último sábado (28).

O decreto é válido por 90 dias e reconhece a situação declarada pelo próprio município no dia 12 deste mês. A determinação foi assinada pelo governador Rui Costa.

Em Santa Inês, a Prefeitura adota também medidas restritivas após as informações sobre o coronavírus na Bahia, inclusive com barreiras nas vias de acesso a cidade. Por lá, ainda não ha caso confirmado, mas o comércio foi fechado sob alegação de prevenção ao Covid.

Coronavírus: Após apelo de lojistas, prefeitos do Vale do Jiquiriçá vão flexibilizar o comércio

Presidente do Consórcio do Vale, Zeca Braga, em videoconferência

Os prefeitos que integram o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Vale do Jiquiriçá – Convale, voltaram a se reunir virtualmente, neste domingo (29), tendo discutido ações e medidas adotas pelas respectivas cidades de enfrentamento ao coronavírus.

Ainda sem caso confirmado no território, mas com alguns suspeitos e acompanhando o registro de casos confirmados numa região próxima, como em Jequié e Ipiaú, no Médio Rio de Contas,  os gestores do Vale demonstram preocupação e são tomados pela perplexidade diante do cenário inusitado que é vivenciado pelos munícipes, com isolamento social.

O comércio nos municípios está fechado desde a última semana, com decretos dos prefeitos que impõem regras. Neste domingo, já por volta da meia-noite, depois de muitas discussões, conforme apurou o Blog Marcos Frahm, os mandatários, que dialogaram com o presidente da entidade e prefeito de Planaltino, Zeca Braga, decidiram pela flexibilização dos decretos, permitindo a reabertura gradual dos estabelecimentos, inclusive os que são responsáveis pela venda de produtos essenciais a população, e outros permanecerão fechados.

Em Jaguaquara, cidade mais populosa da região, por exemplo, as pessoas irão conhecer nesta segunda-feira o teor do decreto que será assinado pelo prefeito, que teria autorizado o fechamento do comércio por meio do decreto 047, datado de 21 de março.

O Executivo de Jaguaquara recebeu documento assinado por membros da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL sinalizando que, através de pesquisa, a maioria dos associados é favorável a reabertura, com o argumento foi de que há muitos prejuízos com as portas fechadas.

Segundo o presidente do Convale, Braga, cada gestor tomará decisão com decretos que trarão especificações diferentes, atendendo as necessidades de acordo com as características do setor comercial de cada cidade, mas terá que manter medidas de prevenção ao Covid-19. Participaram do encontro virtual, além de Jaguaquara e Planaltino, os prefeitos de: Maracás, Amargosa, Mutuípe, Cravolândia, Santa Inês, Brejões, Itaquara, Irajuba, São Miguel das Matas, Ubaíra e Elísio Medrado. *Nota original do BMFrahm

Apesar da sugestão do governador, prefeitos do Vale decidem manter comércio fechado

Presidente do Consórcio do Vale, Zeca Braga. Foto: Blog Marcos Frahm

Os prefeitos de municípios do território de Identidade Vale do Jiquiriçá, que integram o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Vale do Jiquiriçá – CONVALE, entidade que representa mais de 20 cidades da região fizeram reunião virtual, nesta quinta-feira (26), tendo os gestores discutido novas medidas a serem adotadas por parte das respectivas prefeituras para o combate ao Covid-19.

A reunião por meio de videoconferência ocorreu após bate-papo virtual do governador Rui Costa com os mandatários e, no Vale, os prefeitos dizem respeitar a sugestão do chefe do Executivo baiano, de que cidades sem casos confirmados de coronavírus  mantenham o comércio e feira livre na ativa, mas que manterão as decisões tomadas nos municípios em decretos municipais.

Segundo o presidente do Consórcio e prefeito de Planaltino, Zeca Braga, a maioria dos prefeitos reforçam o entendimento pela necessidade de manutenção do isolamento social, como principal estratégia de combate à disseminação do novo coronavírus. ”Nós prefeitos dialogamos e todos decidiram pela manutenção de medidas restritivas, como o fechamento do comércio até a próxima segunda-feira. Quanto à feira livre, algumas cidades, independente de decreto, realizam as feiras, com a proibição de pessoas de outros lugares. Respeitamos o posicionamento do governador, só que entendemos que devemos manter o que já vínhamos fazendo, pois a questão econômica é importante, mas a prioridade é a vida das pessoas. No domingo, nós teremos outra reunião, mas até lá ficarão mantidos os decretos em consonância com os demais gestores”, disse Braga.

Coronavírus: Prefeitura de Maracás restringe entrada de veículos e passageiros de outras cidades

Barreiras sanitárias são montadas em Maracás. Foto: Divulgação

A Prefeitura de Maracás, no Vale do Jiquiriçá, publicou um decreto restringindo a entrada de pessoas e veículos em função da pandemia de coronavírus.

Entre as medidas que devem ser adotadas, estão à restrição de entrada de veículos e seus ocupantes, no município, com a realização, por parte da Prefeitura, com apoio da Polícia Militar, de barreiras sanitárias.

Nesta segunda-feira (23), as principais vias de acesso a Maracás já contaram as barreiras, montas pelas secretarias de Saúde e Infraestrutura e monitoradas pela PM.

O decreto 467 tem prazo de 15 dias, podendo ser prorrogado. A Prefeitura diz estar adotando diversas medidas restritivas para a contenção do COVID-19.

Contudo, populares em Maracás fazem questionamentos sobre as atividades da mineradora Largo Resources, proprietária da mina de vanádio no município onde atua com centenas de pessoas.

Uma reunião entre Prefeitura e representantes da empresa estaria prevista para ocorrer na tarde de hoje e discutir normas a serem adotadas. As últimas informações são de que a Largo já reduziu em 30% o número de trabalhadores que atuam na mineradora.

Maracas segue sem casos confirmados do COVID-19, mas diz que monitora possíveis infectados

Equipe distribui panfletos com orientações na cidade. Foto: Divulgação

Maracás segue sem casos confirmados do novo coronavírus, conforme informações da Secretaria Municipal de Saúde. Neste domingo, a Secretaria divulgou boletim revelando que monitora 04 casos suspeitos, que 02 foram descartados e 82 estão sob investigação pelos órgãos de saúde.

A Prefeitura adotou medidas restritivas, fechando o comércio e atuando através das secretarias com o trabalho de fiscalização.

Maracás é sede de uma mineradora de Vanádio, que atua no município com cerca de 1 mil trabalhadores e segundo informações populares já fazem apelo pela suspensão das atividades na empresa.

No final de semana, a direção da mineradora emitiu comunicado através de vídeo divulgado em redes social dizendo estar orientando os servidores com prevenção co COVID-19.

Com casos suspeitos, Amarosa realiza triagem e orientação nas principais entradas da cidade

Profissionais da saúde atuam com triagem. Foto: Divulgação

A Prefeitura de Amargosa, onde há 06  casos suspeitos, 05 descartados e 01 aguardando resultado, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou, neste sábado (21), barreiras sanitárias buscando impedir a entrada do Coronavírus na cidade, no Vale do Jiquiriçá.

As medidas adotadas aconteceram na rodoviária e também nas principais entradas da cidade, nas rotas que ligam Amargosa a Mutuípe, Santo Antônio de Jesus e Milagres. Contando com o apoio da Polícia Militar e Guarda Civil Municipal, os profissionais de saúde realizaram a triagem na busca de identificar pessoas recém chegadas com possíveis sintomas do Coronavírus (COVID-19).

”O trabalho realizado pelas equipes deve continuar e também busca localizar as pessoas oriundas de localidades de risco ou que já tenham casos do vírus confirmados. Uma vez identificadas, essas pessoas são orientadas a realizarem a quarentena domiciliar, visando sempre a preservação da saúde da nossa população”, dia a prefeitura através de nota.

O mutirão dos profissionais esteve realizando a mesma triagem no ambiente da feira livre municipal, que já possui restrições específicas de acordo com o Decreto 021/2020. A equipe da saúde informou ter visitado todo o espaço de comércio com a intenção de realizar uma busca ativa por pessoas sintomáticas ou oriundas de locais de risco que estejam no mercado municipal.

A Prefeitura de Amargosa ainda informa que, em caso de dúvidas ou sintomas, a população deve ligar ou mandar uma mensagem via WhatsApp para o número (75) 98150-0901, através do qual receberão orientações dos nossos profissionais de saúde.

Maracás reduz horário da feira para conter coronavírus e monitora reserva feita por chineses

Prefeito Soya adota medidas em Maracás. Foto: Blog Marcos Frahm

O prefeito Uilson Novaes – Soya, de Maracás, também adotou medidas restritivas para conter o coronavírus e através de decreto impõe o controle de órgãos públicos e privados na cidade.

Uma das determinações do gestor para evitar a aglomeração de pessoas é a redução no horário da feira livre deste sábado (21), que ocorrerá das 05h às 13h, além da suspensão de aulas, proibição de feirantes de outros municípios e pede para que os comerciantes atendam aos requisitos de higiene determinados pelo Ministério da Saúde.

Dentre as medidas preventivas para evitar a transmissão do COVID-19 está à suspensão das atividades em igrejas, academias e outros estabelecimentos do município. Ainda nesta sexta-feira, conforme a Prefeitura, o prefeito e a sua equipe irão decidir sobre o funcionamento de bares e restaurantes. Até o momento não há registro de casos em Maracás.

Contudo, uma última informação repassada ao Blog Marcos Frahm de que chineses teriam feito reserva para pernoitar em uma pousada da cidade chamou a atenção da Secretaria Municipal de Saúde e Vigilância Sanitária, que se movimentam através de seus membros em reunião com representantes da pousada para tratar do assunto e pedir o cancelamento da reserva.

Milagres: Promotor de Justiça cobra do prefeito fiscalização e combate a paredões na cidade

Uma recomendação do Ministério Público do Estado (MP-BA) pede que o prefeito de Milagres, no Vale do Jiquiriçá, Cézar Rotondando Machado, adote medidas contra a poluição sonora, principalmente contra os chamados ”paredões”.

Em comunicado publicado nesta quinta-feira (19), o promotor de Justiça Ailson Leite Barros estendeu a recomendação a todos os proprietários de veículos que não façam uso de som externo, independentemente do volume ou frequência, que perturbe o sossego público.

A medida, segundo o promotor, vale também para proprietários de instrumentos sonoros de alta potência, ou de estabelecimentos comerciais dedicados ao entretenimento, como bares, restaurantes, clubes, lanchonetes e congêneres.

No pedido, o promotor ainda cobra que esses proprietários afixem, em lugar facilmente visível ao público, um aviso aconselhando o não uso de som, sujeitando o infrator até prisão em flagrante. As informações são do site Bahia Notícias

Coronavírus: prefeito de Milagres cancela Festa do Vaqueiro e suspende aulas da rede municipal

O prefeito de Milagres, Cézar de Adério, através de decreto, cancelou a tradicional Festa do Vaqueiro, que ocorre anualmente no município no mês de abril, atraindo grande público com shows musicais. No decreto, o gestor afirma que a decisão foi tomada como forma de prevenção contra o novo coronavírus.

O decreto também trás medidas restritivas adotadas pela gestão municipal, a exemplos da suspensão das aulas da rede municipal de ensino e proibição de eventos na cidade para evitar a aglomeração de pessoas.

Jaguaquara: PM prende suspeito com droga em festa de cavalgada e apreende armas em Santa Inês

Droga e dinheiro aprendidos em festa. Foto: Divulgação/PM

A Polícia Militar, através da 3ª Cia, realizou apreensões em Jaguaquara e Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá. Em Jaguaquara, policiais detiveram um suspeito que segundo informações teria sido visto entregando um pacote a outra pessoa em um evento que acontecia na noite de domingo (15), na Arena Masterize.

Ainda segundo a PM, o suspeito ao perceber que era observado pelos policiais dispensou o pacote ao solo, sendo encontrado pela guarnição que constatou no seu interior ser cocaína.

Também foi apreendida a quarta de R$ 538,00 (quinhentos e trinta e oito reais) em espécie. O indivíduo foi levado para à Delegacia da Polícia Civil.

Polícia Militar apreendeu armas artesanais em Santa Inês

Em Santa Inês, após deflagrada operação, que tinha como objetivo a captura dos autores de um crime de homicídio, ocorrido no último sábado (14),  e munidas de informações sobre rota de fuga dos criminosos e provável local onde a arma utilizada fora escondida, as guarnições envolvidas deslocaram-se até uma residência na Rua Marechal Deodoro, onde após autorização do proprietário e conduzido, foi realizada uma busca minuciosa, momento em que foram localizadas 3 armas de fogo artesanais, diversas armas brancas e munição.

Foi dada voz de prisão ao conduzido e, ele, assim como todo o material apreendido foram apresentados à Autoridade Competente para adoção das medidas cabíveis.

Vale do Jiquiriçá: Homem é assassinados a tiros em via pública da cidade de Santa Inês

Crime aconteceu na noite de sábado. Foto: Blog Marcos Frahm

Um homem foi morto a tiros no fim da noite de sábado (14), na cidade de Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá. O crime ocorreu na Rua Presidente Castelo Branco, e a vítima foi identificada como Jean Andrade dos Santos, que recebeu, inclusive, disparos no rosto.

Conforme informações do plantão policial, da Polícia Civil, Jean foi encontrado em decúbito ventral, sem sinais vitais, com perfurações à bala pelo corpo.

No local, segundo a polícia, a genitora da vítima disse ter sido um ex-amigo do seu filho o autor do crime, e que os dois estavam em conflitos pessoais por causa de uma mulher, que teria se relacionado com ambos. A PM desencadeou uma operação, mas não encontrou o suspeito.

O corpo foi encaminhado ao IML de Jequié, após serviços periciais realizados por uma equipe do Departamento de Polícia Técnica. As investigações sobre o caso já estão curso, de acordo com a Polícia Civil de Santa Inês.

Vale do Jiquiriçá: Em meio à coronavírus, IF Baiano Campus de Santa Inês suspende aulas

Instituição de ensino suspende aulas. Foto: Blog Marcos Frahm

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano), campus de Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá, informou por meio de nota pública que as aulas estarão suspensas até o próximo dia (20), devido à pandemia do Coronavírus (Covid-19).

A instituição pública federal de ensino, que atende alunos de diversos municípios da região orienta os alunos e servidores para o enfrentamento da emergência de saúde pública por conta do COVID-19.

Leia abaixo a nota do IF Baiano

Suspensão das atividades no IFBAIANO Campus Santa Inês no período de 14 a 20 de março de 2020, acompanhando a declaração da OMS a acerca do estado de pandemia causado pelo COVID-19. A pandemia é o termo utilizado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

O IFBAIANO liberou também uma Instrução Normativa com orientações para enfrentamento da emergência de saúde pública por conta do COVID-19. Até o momento o que se sabe sobre a pandemia e sobre o vírus:

O que é o novo coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que pode causar danos em animais e em humanos. Em pessoas, pode resultar em infecções respiratórias que vão desde um resfriado até síndromes respiratórias agudas severas. O novo coronavírus (SARS-Cov-2) causa a doença denominada Covid-19, que teve início na China, em dezembro de 2019.

Mutuípe: Prefeito emite nota após acusação de fraude e diz oposição quer ofuscar transformação na saúde

Rodrigo faz elogios a sua gestão e critica oposição. Foto: Marcos Frahm

Acusado de fraude por contratar serviços de saúde, sem licitação, o prefeito do Município de Mutuípe, Rodrigo Maicon Andrade (MDB), que foi denunciado à Justiça, conforme publicação anterior [relembre] emitiu nota pública para esclarecer o caso, na noite desta quinta-feira (5), tendo encaminhado informações ao Blog Marcos Frahm com afirmação de que a oposição, liderada pelo ex-prefeito Carlinhos do PT, tenta ofuscar a transformação dos serviços de saúde do município. Na denúncia protocolada, os secretários de saúde, André Luiz Eloy, de Administração, Carlos Eugênio Leal e o assistente administrativo, Bráulio Monteiro de Souza Filho, também são citados no processo como cúmplices dos atos de improbidade administrativa.

A denúncia diz que os mesmos teriam simulado uma situação de emergência no município, localizado no Vale do Jiquiriçá, para frustrar o processo licitatório, com a finalidade de escolher a Associação de Proteção a Maternidade e infância Ubaira, empresa da cidade vizinha para prestar serviços de saúde na cidade de Mutuípe, tendo a Prefeitura efetuado pagamento no valor de R$ 171 mil a mais do que o previsto em contrato.

Contudo, o prefeito, em nota, classifica a empresa de idônea, que o referido contrato foi realizado em 2017, no início da sua gestão e que cumprido de forma efetiva, mas que ”somente em 2020, ano eleitoral, coincidentemente, o ex-gestor decide fazer a mentirosa denúncia”.

Leia abaixo a nota do prefeito

Lamentável e inescrupulosa a atuação comandada pelo Ex Prefeito de Mutuípe, Carlinhos do PT e do seu Grupo Político, uma tentativa de renascer da velha política, utilizando-se em ANO ELEITORAL do judiciário e da imprensa para tentar ofuscar a verdadeira transformação dos serviços de saúde que estamos oferecendo à população de Mutuípe.

A população da nossa cidade, especialmente aquela mais carente, bem sabe como encontramos a saúde do nosso município: postos de saúde fechados, falta de médicos e demais profissionais de saúde, abandono do centro de atenção Psicossocial (CAPS), falta de medicamentos, inclusive os controlados, um verdadeiro descaso com a nossa população, que não merecia a decisão do Ex Prefeito Municipal (Carlinhos do PT) de punir a nossa gente pela fragorosa derrota nas urnas.

Diante desse cenário de absoluto abandono e desprezo, e sendo a vida e a saúde da nossa população prioridade máxima da nossa gestão e dever CONSTITUCIONAL de qualquer gestor, decretamos a situação de emergência que se encontrava a nossa cidade, e a partir daí iniciamos a contratação emergencial de serviços – DENTRO DA LEGALIDADE (Art. 24, IV da Lei 8666/93), a exemplo da APMIU (ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO A MATERNIDADE E INFÂNCIA UBAÍRA), empresa idônea e reconhecida na prestação de serviços de saúde em diversos Municípios a mais de 60 anos, afim de suprir as demandas da população de Mutuípe. O referido contrato foi realizado em 2017, no início da nossa gestão, e cumprido de forma efetiva, mas somente em 2020, ano eleitoral, coincidentemente, o ex-gestor decide fazer a mentirosa denúncia.

Certo de que a população de Mutuípe afasta essa forma maldosa e perversa de fazer política reitero meu compromisso com a seriedade na gestão dos recursos públicos do nosso município e com a saúde do nosso povo.

Por fim, reafirmo ainda que não respondo nenhum processo judicial e estou em plano gozo dos direitos políticos para concorrer às próximas eleições municipais, até por que, até o momento tenho todas as contas aprovadas pelo Ministério Público.

Rodrigo Maicon
Prefeito de Mutuípe

Prefeito de Mutuípe contrata empresa e paga R$171 mil a mais do que o previsto em contrato

Prefeito Rodrigo Maicon é denunciado. Foto: Blog Marcos Frahm

Acusado de fraude por contratar serviços de saúde, sem licitação, o prefeito do Município de Mutuípe, Rodrigo Maicon Andrade (MDB), é alvo de uma ação popular protocolada na última terça-feira (3) no judiciário baiano. Os secretários de saúde, André Luiz Eloy, de Administração, Carlos Eugênio Leal e o assistente administrativo, Bráulio Monteiro de Souza Filho, também são citados no processo como cúmplices dos atos de improbidade administrativa.

Eles teriam simulado uma situação de emergência no município, localizado no Vale do Jiquiriçá, para frustrar o processo licitatório, com a finalidade de escolher a Associação de Proteção a Maternidade e infância Ubaira, empresa da cidade vizinha para prestar serviços de saúde na cidade de Mutuípe. De acordo com as provas anexadas ao processo, três propostas de cotação de preço foram apresentadas por empresas distintas e supostamente concorrentes.

As três possuíam a mesma formatação, evidenciando indícios que a própria dispensa de licitação foi ”montada” para assegurar a contratação da empresa da cidade vizinha. Além da dispensa indevida do processo licitatório, o prefeito é ainda acusado de pagar a Associação de Proteção a Maternidade e infância Ubaira o valor de R$ 171.003,20 (cento e setenta e um mil, três reais e vinte centavos) a mais do que o valor contratado, sem qualquer explicação, contrariando a Lei Federal de Licitações 8666/93.

Mais irregularidades- As irregularidades não param por aí. A Prefeitura de Mutuípe pagou a empresa o valor de R$ R$ 686.515,70 (seiscentos e oitenta e seis, quinhentos e quinze e setenta centavos) sem qualquer comprovação que os serviços foram efetivamente prestados, o que fere a Lei Federal 4.320 que regulamenta os processos de pagamentos no poder público. As informações são do site bahia.ba