Saúde: Projeto de criação do mosquito Aedes transgênico será expandido na Bahia

/ Saúde

Para garantir a ampliação do projeto de criação de mosquitos Aedes aegypti transgênicos no estado, o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, esteve na empresa Moscamed, única biofábrica de insetos do Brasil, localizada no município de Juazeiro, na região norte. O encontro ocorreu um dia após a visita [20] do ministro da Saúde, Marcelo Castro, a Salvador, quando ficou acertado que o projeto seria incluído na estratégia nacional de combate as doenças transmitidas pelo mosquito, como dengue, chikungunya e zika. Na ocasião, foi solicitado à Moscamed um cronograma e a previsão de investimento para a expansão do projeto, que será desenvolvido sob a coordenação do subsecretário da Saúde da Bahia, Roberto Badaró. Segundo Vilas-Boas, a estratégia é ampliar a iniciativa, hoje presente somente em Jacobina, para as 20 cidades com maior incidência de arboviroses em todo o estado.  Inicialmente, serão identificados os bairros mais afetados de cada município, a fim de que haja liberação dos mosquitos transgênicos e redução da população selvagem. ”Temos a convicção de que estratégias alternativas de combate ao mosquito devem ser estimuladas, pois ele se tornou a principal ameaça à saúde pública do País, visto que é vetor de transmissão da dengue, chikungunya e zika”, ressalta Vilas-Boas. Ele enfatiza que essas doenças estão possivelmente relacionadas ao aumento do número de casos da síndrome de Guillain-Barré e de microcefalia, sobretudo, no Nordeste. A estratégia da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) inclui ainda a utilização de aplicativos para smartphones nas plataformas Android e iOS. A ideia é que qualquer pessoa possa avisar aos órgãos competentes o local exato de incidência dos focos do mosquito, utilizando para isso o GPS como tecnologia para o georreferenciamento. Assim, o combate do mosquito pelos agentes de endemia será mais eficaz.

Saúde: Oito estados do Nordeste e Goiás têm 739 casos suspeitos de microcefalia

/ Saúde

Oito estados do Nordeste e Goiás têm 739 casos suspeitos de microcefalia
Já são 739 casos suspeitos de microcefalia. Foto: Reprodução

O número de casos suspeitos de microcefalia em recém-nascidos de oito estados da Região Nordeste (Pernambuco, Paraíba, Sergipe, Rio Grande do Norte, Piauí, Alagoas, Ceará e a Bahia) e de Goiás chegou a 739 neste ano, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Esses estados nordestinos têm registrado aumento significativo no número de casos de microcefalia em relação aos anos anteriores. A notificação de Goiás foi a primeira fora do Nordeste. No ano passado, em todo o país, foram registrados 147 casos de microcefalia. O maior número de casos está em Pernambuco (487), primeiro estado a identificar aumento de microcefalia na região. Em 2014, Pernambuco registrou 12 casos. Em seguida, estão a Paraíba (96), Sergipe (54), o Rio Grande do Norte (47), o Piauí (27), Alagoas (dez), o Ceará (nove), a Bahia (oito) e Goiás (um). Entre esses casos, há uma morte que pode estar relacionada à microcefalia, de acordo com o ministério. O caso está em investigação. O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse que, desde o início da notificação do aumento no número de casos de microcefalia, pesquisadores analisam a hipótese de relação da doença com a infecção pelo vírus Zika, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo vetor da dengue. ”Pesquisadores, desde o início, estão estabelecendo uma correlação positiva entre a microcefalia e o vírus Zika”, disse o ministro, em entrevista a jornalistas. ”O que os pesquisadores estão dizendo é que podemos afirmar com segurança que é acima de 90% a probabilidade de ser verdadeiramente o Zika. Há pesquisadores que chegam a dizer que há 99,5% de certeza que é o Zika vírus. Se tivéssemos uma literatura internacional que nos respaldasse, não tinha nenhum problema. O problema é que tudo que está acontecendo no Brasil é inédito. No mundo todo, não há um caso de epidemia de Zika nem de surto de microcefalia como está acontecendo no Brasil”, completou. Leia mais

Saúde: Com aumento dos casos, governo lança campanha sobre microcefalia

/ Saúde

Ministro Edinho Silva. Foto: Reprodução / Agência Brasil
Ministro Edinho Silva. Foto: Reprodução / Agência Brasil

O aumento considerável dos casos de microcefalia no Nordeste do país motivou o governo Federal a elaborar uma campanha para informar e esclarecer a população sobre o surto. De acordo com balanço do ministério da Saúde, até o último dia 17, 399 casos da doença em recém-nascidos foram notificados em sete estados da região. ”Não temos que criar nenhuma situação de alarde indevido, mas a situação preocupa”, reconheceu o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, em entrevista após a reunião. Pesquisadores estudam uma possível relação da microcefalia com o Zika vírus. ”A presidenta pediu para que o ministro da Saúde tome todas as medidas necessárias para que a gente possa, independentemente das conclusões dos estudos que estão sendo feitos, enfrentar o surto, em primeiro lugar combatendo o mosquito”, disse Silva.

No Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano, diz professor da Unicamp

/ Saúde

Estudo sobre parto prematuro. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Estudo sobre parto prematuro. Foto: Marcelo Camargo

Um estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) quer avaliar a eficácia de um novo tratamento para prevenir o parto prematuro. Os pesquisadores da instituição avaliam se a associação entre o tratamento com hormônios e um anel de silicone reduz as chances de parto prematuro entre as mulheres que tenham encurtamento do colo do útero. A prematuridade é quando o bebê nasce antes de ter completado 37 semanas de gestação. No Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano. Mais de 12% dos nascimentos no país ocorrem antes da gestação completar 37 semanas. Um prematuro precisa de cuidados especiais, geralmente em Unidades de Terapia Intensiva, o que aumenta em três vezes o risco de morte e sequelas futuras para sua vida adulta. Segundo o professor responsável pela pesquisa, Rodolfo de Carvalho Pacagnella, uma das principais causas do parto prematuro espontâneo (quando não há problemas com a mãe ou o bebê), é o encurtamento do colo do útero. Normalmente, quando isso é detectado, por meio de ultrassom, a gestante é submetida a um tratamento com progesterona, um hormônio que a mulher já produz naturalmente. Estudos recentes demostraram, no entanto, que um anel de silicone, que serve para fechar o colo, também pode ajudar a diminuir a possibilidade de um nascimento antes da hora. Leia na íntegra

Na Bahia, ministro diz que mosquito aedes aegypti é a principal ameaça à saúde pública

/ Saúde

ministro da saúde, Marcelo Castro
Ministro da saúde, Marcelo Castro. Foto: Divulgação

Os secretários estaduais de saúde do Nordeste, sob coordenação do vice-presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) e secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, se reuniram nesta sexta-feira (20/11), em Salvador, a fim de construir uma estratégia agressiva de combate ao mosquito e controle dos agravos. Há cerca de 30 anos o país convive com o mosquito aedes aegypti e os ciclos de dengue sem que haja resultados efetivos. Ao acrescentar a transmissão de outras doenças pelo mesmo vetor, como chikungunya e zika virus, bem como a suposta associação com o aumento do número de casos relacionados à microcefalia e síndrome de Guillain-Barré, constata-se que o país, sobretudo a região Nordeste, enfrenta uma séria ameaça a saúde pública. Na pauta com o ministro da saúde, Marcelo Castro, foi entregue um documento com as necessidades conjuntas dos estados e, entre os destaques, o pleito de que o ministério reconheça o mosquito aedes aegypti como a principal ameaça a saúde pública do país. ”Precisamos de ações enérgicas e estratégias de combate inovadoras, além de uma estrutura de financiamento própria para combater o mosquito e a consequente transmissão das arboviroses e o controle de suas complicações”, destaca Fábio Vilas-Boas. Quem compartilha essa opinião é o secretário executivo do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde, Jurandi Frutuoso. ”Essa não é uma missão restrita à área da saúde, mas uma missão para governos, com a liderança de governadores, prefeitos e até da presidência”, pontua. O documento, além de conclamar um maior envolvimento do Estado brasileiro com a integração das três esferas de governo e participação efetiva da sociedade civil, propõe envolver setores governamentais, por vezes, alheios à situação, tais como Meio Ambiente, Infraestrutura, Desenvolvimento Urbano, Fazenda, Educação, Comunicação e Assistência Social. Os secretários estaduais de saúde também propõem, diante da necessidade de enfrentamento deste problema, a criação de um Fundo Nacional para que recursos sejam aplicados de forma exclusiva em ações de combate às arboviroses.

Municípios do Médio Rio de Contas e Vale do Jiquiriçá aderem a Consórcios de Saúde

/ Saúde

Consórcio é proposto pelo Governo do Estado
Consórcio é proposto pelo governo estadual. Foto: Divulgação

Dezesseis municípios da região de Jequié assinam, nesta quinta-feira (19/11), às 14h30, no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia, o protocolo de intenções para constituição dos consórcios de saúde. Participam da solenidade o vice-governador, João Leão, que representará o governador Rui Costa, e o secretário Estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas. Os municípios que formarão o consórcio são do Médio Rio de Contas e do Vale do Jiquiriçá: Barra do Rocha, Cravolândia, Dário Meira, Ibirataia, Itagi, Itaquara, Itagibá, Itamari, Itiruçu, Jaguaquara, Jequié, Lafaiete Coutinho, Lajedo do Tabocal, Planaltino, Santa Inês e Irajuba. Os consórcios, cuja lei foi sancionada pelo governador Rui Costa no dia 23 de setembro, foram criados com o objetivo de melhorarem os serviços de saúde prestados pelos municípios à população. São constituídos através da união de dois ou mais municípios, sem fins lucrativos, com a finalidade de prestar serviços e desenvolver ações conjuntas que visem o interesse coletivo e benefícios públicos.

”Na Bahia, deu certo o Hospital do Subúrbio. A saúde tem jeito”, diz o governador de Goiás

/ Saúde

Governador de Goiás, Marconi Perillo. Foto: Goiás Agora
Governador de Goiás, Marconi Perillo. Foto: Goiás Agora

Durante mais um evento do LIDE Bahia, realizado com um almoço-debate nesta terça-feira (17/11), em Salvador, o palestrante convidado, o governador de Goiás Marconi Perillo, falou em entrevista ao Metro1, sobre o corte de gastos em Goiás e as ações desenvolvidas no Estado. ”Nós crescemos nas exportações. Chegamos a U$ 8 bilhões. Estamos com um saldo positivo de empregos. Nós crescemos 50% a mais do que o Brasil no PIB. Nossos indicadores melhoraram. Nós criamos o Pacto pela Educação, definimos políticas e mudanças e fizemos mudanças”, afirmou. Para Perillo, em uma crise como essa é preciso ser criativo. ”Há dois meses lancei um programa chamado Inova Goiás, que reúne recursos que serão destinados para áreas estratégicas. O Brasil irá pra frente se fizermos investimentos nas pesquisas, na área de tecnologia. Vou trabalhar para que Goiás seja um dos estados mais inovadores do Brasil”, disse. O governador de Goiás também falou sobre a área de Saúde e destacou que terceirizou todos os hospitais públicos. ”Nós fizemos uma revolução no sistema de saúde de Goiás. Nós quebramos a resistência de saúde nos hospitais velhos. As pessoas têm medo das mudanças. Aqui na Bahia deu certo no Hospital do Subúrbio. A saúde tem jeito. É preciso ter coragem para mudar. Num hospital de urgência eu tinha 2.100 funcionários, caiu para 900, agora aumentamos. Nós pagamos bem e eles querem trabalhar conosco”, destacou. Questionado sobre um possível impeachment de Dilma Rousseff, Marconi Perillo evitou falar no assunto, mas disse que tem tido uma agenda positiva com a presidente.

Saúde: Ministério vai investir R$ 10 milhões em pesquisa sobre ”pílula do câncer”

/ Saúde

Fosfoetanolamina sintética passará por pesquisa
Fosfoetanolamina passará por pesquisa. Foto: Divulgação

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) vai investir R$ 10 milhões em pesquisas sobre a fosfoetanolamina sintética, para descobrir se a polêmica substância produzida por um laboratório da Universidade de São Paulo (USP) tem potencial para tratar o câncer. O anúncio oficial foi feito nesta quinta-feira (12), no site do ministério. O compromisso foi acertado em reunião do recém-empossado ministro Celso Pansera com representantes da comunidade científica e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), na quinta-feira, 12, em Brasília. Na segunda-feira deverá ser anunciado um plano de trabalho oficial para dar andamento às pesquisas. Na quarta-feira, 11, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou a suspensão do fornecimento da pílula a pacientes com câncer. Com a decisão, tomada pelo Órgão Especial do tribunal, foram cassadas todas as liminares de primeira instância que obrigavam a Universidade de São Paulo (USP) a fornecer a substância. O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também serão envolvidos no processo. O MCTI quer garantir que as autorizações necessárias para realização dos estudos sejam concedidas em até 18 meses – dentro dos prazos legais estabelecidos. “Nós queremos uma estratégia comum do governo, envolvendo o MCTI, o Ministério da Saúde e a Anvisa. A legislação brasileira tem uma série de prazos que demoram e vamos tentar negociar com o ministério e a Anvisa”, afirmou Pansera, no anúncio divulgado pelo ministério. “Temos a obrigação de verificar isso cientificamente”, disse, referindo-se às expectativas criadas pela substância entre pacientes com câncer. Segundo o MCTI, os estudos deverão ser feitos por laboratórios e instituições de pesquisa que mantêm parcerias com os ministérios da Ciência e da Saúde, incluindo o Instituto Butantã, em São Paulo. Um site deve ser criado para divulgar publicamente os resultados dos estudos, à medida que eles forem produzidos.

Ministério da Saúde recomenda que mulheres não engravidem devido a casos de microcefalia

/ Saúde

Aumenta número de bebês com microcefalia
Aumenta número de bebês com microcefalia. Foto: Divulgação

Por conta do atual estado de emergência sanitária nacional devido ao surto de bebês com microcefalia em Pernambuco, o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, aconselhou que as mulheres do estado adiem planos de gravidez até que haja maior clareza sobre as causas do aumento de casos da doença. “Não engravidem agora. Esse é o conselho mais sóbrio que pode ser dado”. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, foram identificados até o momento 141 casos de má-formação em Pernambuco, a maior parte desde agosto. O indicador é 15 vezes superior à média registrada entre 2010 e 2014, de nove casos por ano. Entre as hipóteses analisadas pelo Ministério da Saúde para o aumento é o grande número de casos de zika vírus. Leia na íntegra

Consumo de uva passa ajuda a prevenir câncer, Alzheimer, Parkinson e demência

/ Saúde

Consumir uvas passas trás benefícios à saúde
Consumir uvas passas trás benefícios à saúde. Foto: Divulgação

Uvas passas apresentam mais benefícios à saúde do que uvas frescas. De acordo com especialistas, o alimento ajuda a prevenir câncer, Alzheimer, Parkinson e demência. ”Porque você removeu a água e tudo que tinha na uva. Vai ficar mais concentrado, quando você tira a água, vitaminas A, B e K ficarão presentes na uva”, afirmou o biomédico da Embrapa, Gildo Almeida, em entrevista ao Globo Repórter. Uma substância chamada resveratrol é uma das principais responsáveis pelos benefícios. “Ela protege, previne, por exemplo, doenças como câncer, Alzheimer, Parkinson e demência. O boro que tem dentro dessas passas vai evitar que as pessoas na menopausa tenham perda óssea. Então, protege inclusive pessoas idosas contra algumas doenças que acometem o osso. Todo mundo pode comer uva passa, menos aqueles que tem restrição em açúcar”. O resveratrol favorece a produção, pelo fígado, de HDL, o chamado colesterol bom, e a redução da produção de LDL, conhecido como colesterol ruim.

Campanha nacional de combate ao câncer de pele acontece neste sábado em Jequié

/ Saúde

Atendimento em Jequié ocorre Unidade Básica de Saúde Almerinda Lomanto.
Atendimento em Jequié ocorre na Unidade Almerinda Lomanto

A Sociedade Brasileira de Dermatologia realiza, neste sábado (7), um mutirão de atendimento para lembrar o Dia Nacional do Combate ao Câncer de Pele. Na Bahia, cerca de 200 profissionais voluntários, entre médicos e auxiliares, estarão envolvidos na ação. Além de Salvador, Jequié, Alagoinhas, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Ilhéus terão ações específicas. De acordo com a coordenadora local da campanha, Ariene Paixão, o número de atendimentos deve ser 40% maior que no ano passado. “Cerca de 10% do público que passou pelos consultórios ao longo desses anos da campanha tiveram suspeita de câncer de pele. É uma iniciativa muito importante para alertar, orientar e diagnosticar a população. Esperamos atender mais de mil pacientes em todo o estado”, afirmou. Em todo o estado, os atendimentos acontecerão das 8h às 13h. Na capital baiana, a iniciativa acontece no Centro Estadual de Oncologia (Cican) e no Hospital Aristides Maltez. Em Alagoinhas, no Serviço Médico Especializado (Semel); em Feira de Santana, na Secretaria Municipal de Saúde; em Ilhéus na Clínica AMO (Assistência Multidisciplinar em Oncologia); em Vitória da Conquista, na sede da Companhia Independente de Policiamento Especializado; e em Jequié, na Unidade Básica de Saúde Almerinda Lomanto.

Municípios do Extremo Sul da Bahia formam primeiro Consórcio Público de Saúde

/ Saúde

Governador Rui assina protocolo. Foto: Pedro Moraes/Secom
Governador Rui assina protocolo. Foto: Pedro Moraes/Secom

Treze municípios do Extremo Sul baiano avançam na criação do primeiro Consórcio de Saúde do estado. O compromisso foi formalizado a partir da assinatura do protocolo de intenções para a constituição da entidade, na tarde desta quinta-feira (5/11), em cerimônia realizada no Salão de Atos da Governadoria, com a participação do governador Rui Costa e do secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas. Os consórcios propõem um novo modelo de financiamento e gestão dos serviços de saúde com o objetivo de ampliar e descentralizar a assistência, ajudando a reequilibrar as finanças municipais. ”É um marco histórico na saúde pública da Bahia, um passo importante para inverter a lógica do ‘cada um por si e Deus por todos’ nos serviços de saúde do estado. Estamos substituindo este modelo pelo planejamento que permite enxergar a saúde [de modo] estadual e regionalmente”, disse Rui Os municípios de Teixeira de Freitas, Caravelas, Ibirapuã, Itamaraju, Itanhém, Jucuruçu, Lajedão, Vereda, Prado, Nova Viçosa, Alcobaça, Medeiros Neto e Mucuri formam o Consórcio da Região de Saúde de Teixeira de Freitas. A implantação depende agora de aprovação em Assembleia Geral, do regimento e da eleição do Presidente. Depois, serão firmados os contratos de programa e de rateio.

Saúde: USP é autuada por ausência de farmacêutico na produção da pílula contra o câncer

/ Saúde

Pílula gera grande repercussão. Foto: Shutterstock
Pílula gera grande repercussão. Foto: Shutterstock

O Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP) autuou o laboratório da Universidade de São Paulo (USP), no campus de São Carlos (SP), pela ausência de farmacêuticos no local onde é produzida a fosfoetanolamina sintética. O composto tem sido utilizado por algumas pessoas como medicamento contra o câncer, mesmo sem eficácia comprovada. “O produto é feito em condições precárias, sem nenhum controle e sem garantia de que o produto é feito adequadamente, com qualidade. Não tem nenhuma condição, não tem responsável técnico, não tem farmacêutico, nem na produção, nem na dispensação [distribuição]. O medicamento é manipulado em um local inapropriado”, afirmou o presidente do CRF-SP, Pedro Eduardo Menegasso, em entrevista à Agência Brasil. ”Medicamento só pode ser manipulado em farmácia, então, é um negócio absurdo. Não tem a mínima condição de se produzir qualquer produto para consumo humano em um lugar daquele. Pior, a suposta fórmula fica guardada a sete chaves, na mão de um técnico, e esse técnico atende às pessoas e avalia a dose. Isso não existe, nem um pajé faz isso”, completou. Segundo o CRF, a USP terá até esta quinta-feira (5) para adequar o laboratório à produção da substância. Caso as modificações não sejam feitas, a universidade poderá ser multada.

Dez municípios do sul da Bahia aderem ao protocolo para criação do Consórcios de Saúde

/ Saúde

Dez municípios do sul da Bahia vão assinar, nesta quinta-feira (5/11), o protocolo de intenções para constituição dos Consórcios de Saúde. A solenidade ocorreu às 14h, no Salão de Atos da Governadoria, com a participação do governador Rui Costa e do secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas.  Os municípios que formarão o consórcio são: Teixeira de Freitas, Caravelas, Ibirapuã, Itamaraju, Itanhém, Jucuruçu, Lajedão, Vereda, Prado e Nova Viçosa. Os consórcios, cuja lei foi sancionada pelo governador Rui Costa no dia 23 de setembro, foram criados como uma alternativa para os municípios melhorarem o acesso da população aos serviços de saúde. São constituídos através da união de dois ou mais municípios, sem fins lucrativos, com a finalidade de prestar serviços e desenvolver ações conjuntas que visem o interesse coletivo e benefícios públicos.