Saúde: Casos de microcefalia sobem 16% em apenas uma semana na Bahia

/ Saúde

Um novo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgado nesta terça-feira (22/12), apontou aumento de 16% nos casos de microcefalia em apenas uma semana. Com 271 registros a mais nesse período, a Bahia continua sendo o terceiro estado com maior número de casos possivelmente relacionadas ao vírus Zika. No Brasil, o total foi de 2.782 casos suspeitos e 40 mortes. As ocorrências estão distribuídas em 618 municípios de 20 unidades da Federação. Pernambuco continua sendo o estado com maior número de casos, com 1.031, seguido pela Paraíba, com 429. O Ministério da Saúde alerta para a necessidade de reforçar o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chicungunya e do vírus zika nas férias e festas de fim de ano, período marcado por chuvas em muitos estados e com maior circulação de pessoas.

Saúde: Municípios receberão R$ 20,1 milhões para Piso da Atenção Básica

/ Saúde

O Ministério da Saúde editou Portaria, publicada em edição extra do Diário Oficial da União neste sábado, para habilitar municípios a receberem recursos referentes ao incremento temporário do Piso da Atenção Básica (PAB). Segundo quadro anexo à portaria, serão beneficiados 76 municípios, dos Estados do Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. Ao todo, serão liberados R$ 20,108 milhões, a serem transferidos aos municípios em seis parcelas mensais. De acordo com a Portaria, os recursos referem-se à aplicação das emendas parlamentares para incremento temporário do Piso da Atenção Básica. Os recursos deverão ser aplicados para manutenção de ações da Atenção Básica. O texto da norma esclarece que os recursos não terão natureza plurianual e não poderão ser incorporados aos limites dos respectivos municípios de forma que os efeitos orçamentários da portaria se limitam a este exercício. O Fundo Nacional de Saúde deverá adotar as medidas necessárias para a transferência dos recursos financeiros previstos. Essa mesma edição extra do Diário Oficial traz ainda a publicação de outras 10 portarias do Ministério da Saúde que tratam da habilitação de propostas a receberem recursos referentes ao incentivo para instalação de Polo da Academia da Saúde; ao Programa de Requalificação de Unidades Básicas de Saúde componentes construção, ampliação e reforma; à aquisição de equipamentos e material permanente para estabelecimentos de saúde no âmbito da Atenção Básica; ao incremento temporário do Piso da Atenção Básica; e à aquisição de produtos médicos de uso único para estabelecimentos de saúde.

Ministério da Saúde esclarece através de nota pública, notícias falsas sobre Zika vírus

/ Saúde

As doenças relacionadas ao vírus Zika são novas e têm pouco conhecimento científico consolidado, no qual tem gerado muitas dúvidas à população. Com isso, o Ministério da Saúde intensificou ações nas redes sociais para informar a população sobre boatos que têm circulado na internet. Confira: 1. OS CASOS DE MICROCEFALIA ESTÃO RELACIONADOS AO USO DE VACINAS VENCIDAS?MITO. O aumento de casos de microcefalia no país está associado ao vírus Zika, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. Não há registro na literatura médica nacional e internacional sobre  a associação do uso de  vacinas  com a microcefalia. Todas as vacinas ofertadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) são seguras. O PNI é responsável pelo repasse, aos estados, dos imunobiológicos que fazem parte dos calendários de vacinação. Uma das ferramentas essenciais para o sucesso dos programas de imunização é a avaliação da qualidade dos imunobiológicos. O controle de qualidade das vacinas é realizado pelo laboratório produtor obedecendo a critérios padronizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Após aprovação em testes de controle do laboratório produtor, cada lote de vacina é submetido à análise no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) do Ministério da Saúde. Desde 1983, os lotes por amostragem de imunobiológicos adquiridos pelos programas oficiais de imunização vêm sendo analisados, garantindo sua segurança, potência e estabilidade, antes de serem utilizados na população. Confira na íntegra

Corpo de bebê decepado durante parto em hospital de Itapetinga é exumado

/ Saúde

Bebê decapitado foi sepultado. Foto: Itapetinga na Mídia
Bebê decepado foi sepultado. Foto: Itapetinga na Mídia

O corpo do bebê que teve a cabeça decepada durante o parto no dia 6 de setembro, em Itapetinga, no centro-sul do estado, foi exumado na tarde de quarta-feira (16/12). O parto ocorreu no Hospital Cristo Redentor. Segundo informações do jornal Correio, a perícia aponta que houve corte no pescoço da criança, além de indícios de fratura na clavícula e em outros ossos. Após a perícia, o corpo foi sepultado novamente. De acordo com o delegado Marcos Larocca, que conduz as investigações, a necropsia, realizada para determinar a causa da morte, não pode ser realizada por conta do tempo que o bebê passou enterrado. A previsão de conclusão do laudo do Departamento de Polícia Técnica (DPT) é de até 30 dias. Larocca afirmou que alguns depoimentos já foram realizados. “Estamos tendo dificuldade para marcar com a equipe médica, mas em 30 dias devemos concluir o inquérito”, disse. O médico responsável pelo parto, Rubem Moreira Santos, será o último a ser ouvido.

Governador discute com municípios baianos estratégias de combate ao Aedes

/ Saúde

Rui enfatiza combate à dengue. Fotos: Manu Dias/Secom
Rui Costa enfatiza combate à dengue. Fotos: Manu Dias/Secom
Representantes de mais de 100 municípios baianos com maior incidência de zika vírus, dengue e febre chikungunya participaram, na manhã desta quinta-feira (dia 17), de encontro promovido pelo Governo do Estado para traçar estratégias de combate ao mosquito transmissor das doenças, o Aedes aegypti. Reunidos no auditório da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), no Centro Administrativo da Bahia, os prefeitos receberam do governador Rui Costa e da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) instruções e metas para diminuir os números de casos no interior. ”Essa iniciativa trata de um trabalho de mobilização e comunicação permanente, queremos dar uma ‘arrancada’ em muitas dessas ações. Acreditamos também na importância da educação, com materiais informativos para serem entregues nas escolas, no próximo ano letivo, mas entendemos ainda que não basta o papel impresso, vamos divulgar em nossas redes sociais, pelo celular. Faremos um documento público para autorizar as prefeituras a utilizarem livremente as peças publicitárias que produzirmos. Temos que pensar no futuro, porque estamos falando de vírus que podem passar para as próximas gerações”, contou o governador.

Prefeitos de 100 municípios baianos se reuniram
Prefeitos de 100 municípios baianos se reuniram com Rui Costa
O objetivo desse encontro, segundo a assessoria do governador, é a conscientização das prefeituras com relação à importância de se adotar medidas efetivas para conter a proliferação do mosquito e das doenças. Na sequência, a ideia da Sesab é reunir secretários municipais e técnicos de saúde para estabelecer as estratégias e disseminar as ações que o Governo do Estado já vem desenvolvendo, divididas em três frentes: o combate ao mosquito, o atendimento às pessoas que estão com as doenças e outras consequências dessas enfermidades e a promoção do desenvolvimento tecnológico, educação e pesquisa. Além disso, as prefeituras ainda contam com incentivo financeiros a serem aplicados no combate ao vetor e em campanhas publicitárias. Aos municípios é recomendado que estruturem e reforcem as equipes de combate, mobilizem as comunidades, as secretarias, e intensifiquem ações em espaços públicos. O acesso da população à saúde e acompanhamento, em especial às gestantes e recém-nascidos, é fundamental.

Saúde: Estado da Bahia ainda não tem casos de microcefalia associados ao zika

/ Saúde

O Ministério da Saúde (MS) confirmou nesta terça-feira que 134 casos de microcefalia notificados este ano no Brasil foram causados pelo zika vírus – até o momento nenhum na Bahia. Segundo o balanço, 51 das ocorrências foram em Sergipe, 35 no Rio Grande do Norte, 29 em Pernambuco e 19 na Paraíba. Até o último dia 12, foram notificados 2.401 casos suspeitos de microcefalia no país. Destes, 134 foram confirmados e 2.165 ainda estão sendo investigados. A Bahia permanece como o terceiro estado com maior número de casos suspeitos, são 316 até o momento. Pernambuco e  Paraíba lideram a lista de ocorrências com 874 e 322 casos, respectivamente. O MS também descartou a relação entre microcefalia e zika vírus em 102 casos, embora não rejeite a possibilidade de haver bebês com microcefalia neste grupo. Das 29 mortes que eram investigadas por decorrência de microcefalia, uma foi confirmada e duas, descartadas. Outros 26 casos de morte suspeita de ter sido causada pela má-formação craniana ainda estão sendo analisados. O  balanço traz ainda os seis novos estados (Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, São Paulo e Rio Grande do Sul) que notificaram casos suspeitos de microcefalia em bebês. A Tarde

Governo Federal lança Protocolo de Atenção à Saúde para combater a ”microcefalia”

/ Saúde

Alberto Beltrame explica. Foto: Thamyres Ferreira/MS
Alberto Beltrame explica programa. Foto: Thamyres Ferreira/MS

Crianças nascidas com microcefalia deverão participar de um programa de acompanhamento, desde o nascimento até os 3 anos de idade, com o objetivo de estimular o desenvolvimento, segundo informou o Ministério da Saúde, nesta segunda-feira (14/12). De acordo com a pasta, a intenção da medida é contribuir com o esforço do ”potencial de cada criança”, englobando aspectos como crescimento físico e ”maturação neurológica, comportamental, cognitiva, social e afetiva, que poderão ser prejudicados pela microcefalia”. As crianças vão receber acompanhamentos de profissionais de estabelecimentos da rede pública, como centros especializados de reabilitação, núcleos de apoio à saúde da família, além de ambulatórios de seguimento de recém-nascidos.O secretário de Atenção à Saúde, Alberto Beltrame, afirmou que o resultado depende da intensidade da doença em cada criança. ”O grau de sucesso vai depender da gravidade da malformação causada pelo zika […] Quanto maior o dano, menor as chances de ter um melhor resultado. Mas todas as crianças deverão ser estimuladas”, explicou. O Ministério informou, ainda, que o repasse de verba pode ser aumentado nas instalações, caso haja necessidade, inclusive chamando mais profissionais através do programa Mais Médicos.

Saúde: Vacina contra a dengue do Instituto Butantã teve a última fase para testes

/ Saúde

A vacina contra a dengue do Instituto Butantã teve a última fase para testes em humanos liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A instituição espera selecionar 17 mil voluntário em 13 cidades de 12 estados brasileiros para participarem da pesquisa. Os testes serão feitos em 14 centros de estudo credenciados pelo Butantan. Esta é a última fase de estudos antes que a vacina possa ser submetida à avaliação da Anvisa para registro. Dois terços dos voluntários receberão a vacina e um terço receberá placebo. O objetivo é verificar, depois de um período, se o grupo que foi vacinado teve uma redução considerável de casos de dengue em comparação ao grupo de controle. A depender dos resultado, há a expectativa de que a vacina esteja disponível até 2017 na rede pública. A dose será única e capaz de proteger contra os quatro tipos de dengue.

”Não faltará dinheiro para o combate ao Aedes aegypti”, garante secretário de Saúde

/ Saúde

Vilas-Boas garante combate à dengue. Foto: Sineia Coelho/Ascom Sesab
Vilas-Boas garante combate à dengue. Foto: Sineia Coelho

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas Boas, afirmou que o governo federal garantiu a todos os secretários do Brasil que, mesmo com o contingenciamento de gastos, não faltará verba para o combate do Aedes aegypti – mosquito vetor de doenças como dengue, chikungunya, zika e associado ao aumento de casos de microcefalia. ”É uma preocupação nacional a redução de recursos do ministério da Saúde. Entretanto, a presidente garantiu que para o combate do Aedes, não vai faltar recursos”, afirmou, durante a inauguração do Centro de Operações de Emergências em Saúde (veja aqui). Ainda de acordo com Vilas Boas, o governo tem trabalhado no combate ao mosquito em três frentes de trabalho: combate ao vetor, assistência às pessoas infectadas e educação e pesquisa. ”Temos uma série de ações para cada um deles”, afirmou. Ainda de acordo com o chefe da Saúde, o centro ”o centro vai ser responsável por centralizar as informações para o governo do estado e do ministério”. ”Ele vai ser responsável por congregar especialistas da medicina em diversas áreas e continuar construindo o processo de passo-a-passo dessa nova doença que está se instalando em nosso país”, apontou, ao afirmar que o governo já fez a distribuição de larvicidas para toda a região do estado. ”Os municípios que por ventura não receberam, devem se dirigir aos núcleos regionais de saúde para buscar a sua quantia”, pediu Fábio. Informações do Bahia Notícias

Itaquara: Criança picada por escorpião é transferida do HGPV para UTI pediátrica em Conquista

/ Saúde

hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
Transferência foi em UTI terrestre. Foto: Blog Marcos Frahm

Foi transferida do Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, de Jequié, para o Hospital Geral de Vitória da Conquista – HGVC, o bebê de oito meses picado por um escorpião na tarde da última terça-feira (8/12) no povoado da Agência, na área rural do município de Itaquara, no Vale do Jiquiriçá. A criança foi encaminhada para uma Unidade de Tratamento Intensivo – UTI Pediátrica, em Conquista, em virtude dos cuidados que são necessários para evitar o agravamento do quadro. De acordo com o diretor do HGPV, Braulio José Ferreira Neto, em contato com o Blog Marcos Frahm, o quadro do bebê é estável, mas foi necessária a transferência depois que a central de regulação da Sesab foi acionada pelo Hospital Prado Valadares. A criança foi socorrida, após ser picada, numa viatura da Polícia Civil de Itaquara, que realizava operação na zona rural e foi interceptada pela mãe do bebê que, desesperada, conforme informou o delegado Almir Fernandes, disse que o filho tinha sido picado por um escorpião e enquanto dormia num colchão da casa onde mora e pediu socorro. A polícia imediatamente encaminhou a criança para o Hospital Municipal de Itaquara, de onde foi transferida para o HGPV, tendo permanecido internada até o fim da noite de ontem, quando foi levada para Vitória da Conquista. Procurada, a Prefeitura de Itaquara informou que, pelo fato de o hospital local, que é de pequeno porte, não dispor de ampolas de soro antiescorpiônico disponibilizado pela Secretaria Estadual da Saúde, conforme revelou a Prefeitura, solicitou do Hospital Municipal de Jaguaquara, município distante 10 Km de Itaquara, o soro antiescorpiônico, para os primeiros atendimentos ao bebê, que precisou ser levado posteriormente para Jequié. Dados comprovam que neste período do ano aumentam os casos de picadas de escorpião nas regiões interioranas, sobretudo em localidades rurais. Picadas de escorpião são mais graves em crianças pequenas e idosos, levado as vítimas, inclusive, a óbito. No caso do menino de Itaquara, ele resistiu ao ataque e reage bem ao tratamento pelo qual está sendo submetido, segundo a direção do HGPV.

Saúde: Senado aprova ampliação de licença-maternidade para mãe de bebês prematuros

/ Saúde

O Senado aprovou, nesta quarta-feira (9/12), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 99) que amplia a licença-maternidade para mães de bebês prematuros. Com a aprovação da PEC, será acrescentado o tempo de internação do recém-nascido ao prazo de 120 dias da licença maternidade, já previstos na legislação atual. A PEC, de autoria do senador Aécio Neves, altera o inciso XVIII do art. 7º da Constituição Federal, que, aprovado pela Câmara dos Deputados, passará a vigorar com a seguinte redação: “Licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de 120 dias estendendo-se a licença-maternidade, em caso de nascimento de prematuro, à quantidade de dias que o recém-nascido passar internado”. A Proposta estabelece 8 meses como tempo máximo de período de internação a ser contabilizado para cálculo da licença maternidade. Assim, a licença remunerada poderá chegar até a um ano para a mãe de bebê prematuro que necessitar de longo período de internação. Para se tornar lei, a PEC precisará ser aprovada pela Câmara dos Deputados e, em seguida, sancionada pela presidente da República.

Saúde: Ministério negocia distribuição de repelente de mosquito para mulheres grávidas

/ Saúde

Repelentes podem ser disponibilizado para grávidas
Repelentes podem ser disponibilizados. Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse hoje (9/12), na capital paulista, que está em negociação com o Exército para produção de repelente que será distribuído para mulheres grávidas. ”Nós sabemos que houve grande consumo de repelente. Nós estamos em contato com o laboratório do Exército, que fabrica normalmente esses repelentes para suas tropas. Entramos em contato e vamos estabelecer uma parceria”, declarou após evento do Seminário Lide, que reuniu mais de 400 lideranças empresariais da área da saúde. Castro informou que os repelentes serão distribuídos somente para mulheres grávidas do país, com exceção do Rio Grande do Sul, onde o vírus Zika ainda não circula.”Estamos dando atenção especial às gestantes e mulheres em período fértil. É o nosso grande foco. É drama humano, de dimensões extraordinárias, uma mulher grávida saber que foi picada por um mosquito. Ela vai entrar, seguramente, em pânico, porque sabe das consequências que isso poderá trazer para o seu filho”, declarou. O ministro destacou também a atenção à Região Nordeste, onde estão registrados o maior número de casos de microcefalia relacionados ao vírus Zika. O Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgado ontem (8), mostra que são 1.761 casos suspeitos em 422 municípios brasileiros, sendo que Pernambuco permanece como o estado com o maior número de casos (804). O ministro reforçou a necessidade de as mulheres, além de usarem repelente, priorizem roupas que deixam o corpo encoberto e, se possível, coloquem tela nos apartamentos. Informações da Agência Brasil

”Waze do mosquito”: Secretaria da Saúde cria aplicativo que ajuda detectar vírus

/ Saúde

Os casos de microcefalia no Brasil aumentaram 41% na última semana, de acordo com o Ministério da Saúde. Somente na Bahia, foram 180 casos registrados, sendo o estado com o maior número de casos suspeitos do país. A partir desses dados, o secretário de saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas Boas, afirmou que a secretaria tem ferramentas para detectar e evitar o vírus que causa a doença.c”Nós não temos como prever isso, quais os vírus que são transmitidos pelo mosquito [Aedes aegypti]. A doença veio da África, nesse processo de migração o vírus sofreu mutações e se adaptou ao ser humano. Os vírus sofrem mutações, por isso é importante não permitir que o mosquito nasça. O que nós temos de ferramenta é evitar que o mosquito se crie”, disse durante entrevista à Rádio Metrópole.  O secretário aproveitou para anunciar uma novidade que ele chamou de ”Waze do mosquito”. ”Nós desenvolvemos na Sesab um teste rápido no celular para detectar o vírus. Eu no meu celular vejo onde está tendo vírus e mando uma equipe para matar o mosquito. Agora no dia 18 vamos lançar um aplicativo que qualquer indivíduo vai poder baixar. A pessoa encontra uma poça de água, tira a foto para mim e eu identifico, isso é georreferenciado. Eu vou ter como deslocar equipes para combater os focos”, complementou. A microcefalia é uma má-formação do cérebro, quando no feto não se desenvolve de maneira adequada. O Governo federal já afirmou que há uma relação entre o aumento dos casos da doença e o zika vírus, transmitido pelo Aedes aegypti, mosquito que também transmite quatro tipos de dengue e a chikungunya.

Em combate à dengue, Fiocruz planeja soltar mosquitos Aedes aegypti modificados

/ Saúde

Foto: Gutemberg Brito/ Fiocruz/ Divulgação
Fiocruz usa estratégia. Foto: Gutemberg Brito/Divulgação

Como estratégia de combate a dengue, a Fiocruz vai soltar mosquitos Aedes aegypti modificados com uma bactéria que impede a transmissão do vírus da doença em uma cidade de até 400 mil habitantes. A operação, que ainda não tem local definido, será realizada em janeiro. Segundo o vice-presidente da Fiocruz, Rodrigo Stabeli, a operação foi discutida em reunião recente com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, e terá os próximos detalhes definidos no dia 18 de janeiro. A ação integra o projeto ”Eliminar a Dengue: Desafio Brasil”, que, desde 2009, insere no mosquito uma bactéria chamada Wolbachia, com uso de uma agulha. Os pesquisadores afirmam que não há mudança genética, mas com a bactéria, o mosquito não transmite o vírus da dengue às pessoas que ele pica. Espera-se que esse mesmo mecanismo seja aplicável para impedir a contaminação do vírus zika. ”Países como Austrália e Vietnã fizeram isso e tiveram bons resultados no controle da dengue e da chikungunya. A Indonésia teve resultados satisfatórios também para o zika. Os dados são preliminares e não foram publicados ainda”, disse Stabeli a O Globo. A bactéria está presente em mais de 60% dos insetos, como grilos, baratas e moscas, no entanto, os que transmitem doenças infecciosas não a possuem. “O interessante é que a Wolbachia é passada da fêmea para os filhotes, até um ponto em que a grande maioria dos mosquitos existentes não sejam mais transmissores”, explicou.