Butantan reduz quantidade de doses de vacinas em frascos e prejudica vacinação na Bahia

/ Saúde

Secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas. Foto: Fernando Vivas

A vacinação contra a Covid-19 na Bahia está sendo prejudicada por um erro do Instituto Butantan, segundo informou nesta terça-feira (13) o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas.

De acordo com ele, o governo estadual identificou que o instituto, responsável pela CoronaVac no Brasil, está enviando lotes com quantidade de doses inferiores ao descrito no rótulo.

”Esse tem sido um problema muito grave. Inicialmente, os frascos vinham sendo envasados com dez a dose doses, na expectativa de que, havendo aspiração de quantidade um pouco maior, não houveses prejuízo para a população. Tem acontecido, por erro do Butantan, de vários frascos virem com menos de dez doses”, explicou Vilas-Boas.

Para tentar minimizar os prejuízos, visto que cerca de 30 cidades baianas receberam doses a menos, o governo de Rui Costa (PT) está articulando um plano reserva.

”Estamos tentando viabilizar para esses municípios que ficaram prejudicados a regulação dos 5% que temos de reserva para esse tipo de situação, de quebra de frasco, de extravio. E cobrando do Ministério [da Saúde] a reposição”, disse o secretário.

Butantan adiciona novas orientações em bula da Coronavac para evitar desperdício de doses

/ Saúde

Após cidades de 12 estados relatarem terem recebido menos doses da Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, do que o indicado na embalagem, o Instituto Butantan anunciou ontem (12) que irá revisar a bula do imunizante.

Em resposta às denúncias, o instituto afirmou que há a possibilidade da perda de doses no processo de aspiração do líquido dentro do frasco, além do desperdício que pode acontecer com o uso de seringas e agulhas não recomendadas.

A nova bula virá com orientações de como devem ser manuseadas as doses, qual é a seringa correta a ser utilizada e qual a técnica recomendada de aspiração. Os fracos atuais contém 5,7 ml da substância. São utilizados 0,5 ml por aplicação. Ou seja, deveria sobrar 0,7 ml – correspondente a uma dose extra.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou em nota que “observou um aumento de queixas técnicas relacionadas à redução de volume nas ampolas da vacina” e que “estes relatos estão sendo investigados com prioridade pela área de fiscalização”. Com informações do Metro1.

Laboratório Central da Bahia ultrapassa marca de 1 milhão de testes de Covid-19 realizados

/ Saúde

A Bahia já realizou mais de 1 milhão de testes RT-PCR, para detecção de coronavírus (Covid-19), por meio do Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Moniz (Lacen-BA), unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). O número foi ultrapassado cerca de 13 meses após o registro do primeiro caso positivo, em 6 de março de 2020.

Para o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, o resultado foi alcançado graças aos investimentos do Governo do Estado para ampliação do laboratório e aquisição de matéria-prima. ”Foram mais de R$ 20 milhões investidos, em obras e equipamentos. A entrega da nova ala tornou o Lacen-BA o maior laboratório do país em capacidade de realização de exames da Covid-19 e foi idealizada de forma preventiva para o estado, ainda em janeiro de 2020”, afirma o gestor.

A diretora-geral do Lacen-BA, Arabela Leal, detalha que foram comprados extratores, pipetadores, amplificadores, termocicladores, insumos, além de um sequenciador, equipamento que realiza o sequenciamento genético do coronavírus. Além disso, foi realizada a contratação de pessoal para ampliação do serviço e, desse modo, a unidade passou a funcionar 24 horas, sete dias por semana.

”O Lacen-BA mudou toda a sua logística de trabalho. Tivemos que nos adaptar completamente às novas rotinas e temos feito isso diariamente, já que estamos trabalhando por demanda espontânea. É interessante observar como comparativo que, no ano de 2019 inteiro, realizamos um total de 27 mil exames de biologia molecular, somando todos os agravos, como vírus respiratórios e arboviroses. Desde o primeiro caso positivo de Covid-19, em 6 de março de 2020, realizamos 1 milhão de exames”, acrescenta a diretora-geral da unidade.

Sequenciamento

No período de 18 de setembro até 30 de março de 2021, o Lacen-BA realizou o sequenciamento de 175 genomas completos do SARS-CoV-2 (coronavírus), identificando a circulação de 13 linhagens diferentes de coronavírus. A unidade tornou-se referência nacional para fazer o sequenciamento genético de amostras da Bahia e de outros cinco estados (Sergipe, Alagoas, Piauí, Pernambuco e Rio Grande do Norte).

Novas linhagens

Em janeiro de 2021, foram também detectadas no estado as novas variantes do SARS-CoV-2, recentemente identificadas no Brasil, sendo elas a variante P.1 e P.2 isoladas pela primeira vez no norte (Manaus, Amazonas) e no sudeste do país (Rio de Janeiro). Em fevereiro de 2021, também foi detectada a linhagem peruana C.14, marcando a introdução da mesma através de um viajante por meio de um navio, e a linhagem B.1.1.7 ou variante do Reino Unido ou britânica, detectada no Reino Unido pela primeira vez no início de dezembro de 2020.

Pandemia de covid-19 “está longe de terminar”, diz chefe da Organização Mundial da Saúde

/ Saúde

Tedros Adhanom Ghebreyesus, da OMS. Foto: Reprodução

Confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode ser controlada em meses com a adoção de medidas de saúde pública comprovadas, disse o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, nesta segunda-feira (12).

Até agora, cerca de 780 milhões de vacinas foram administradas globalmente, mas medidas como o uso de máscaras e a manutenção do distanciamento físico precisam ser aplicadas para reverter a trajetória da pandemia.

”Nós também queremos ver sociedades e economias reabrindo, e viagens e comércio recomeçando”, disse Tedros em uma coletiva de imprensa. ”Mas, neste momento, unidades de tratamento intensivo de muitos países estão sobrecarregadas e pessoas estão morrendo — e isto é totalmente evitável”, acrescentou.

”A pandemia de Covid-19 está muito longe de terminar. Mas temos muitos motivos para otimismo. O declínio de casos e mortes durante os dois primeiros meses do ano mostra que este vírus e suas variantes podem ser detidos”, acrescentou.

Segundo ele, a transmissão está sendo impulsionada pela ”confusão, negligência e inconstância nas medidas de saúde pública”.

A Índia superou o Brasil e se tornou a nação com o segundo número mais alto de infecções pelo novo coronavírus do mundo, só ficando atrás dos Estados Unidos, agora que enfrenta uma segunda onda gigantesca, tendo dado cerca de 105 milhões de doses de vacina para uma população de 1,4 bilhão de habitantes.

TCU determina que Ministério da Saúde dê ”imediata destinação” a testes de Covid prestes a vencer

/ Saúde

Sob pena de multa, o Tribunal de Contas da União determinou que o Ministério da Saúde dê ‘imediata destinação’ a testes de Covid-19, com vencimento entre maio e junho, que poderiam servir para diagnosticar cerca de três milhões de pessoas. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

Os dados constam de uma decisão do ministro Benjamin Zymler que aponta ”risco iminente” de perda dos testes e ”discrepância” entre o número de kits registrados nos relatórios de entrada e saída fornecidos pela pasta e o inventário realizado pelo próprio ministério.

O despacho do ministro ressalta ainda que a apuração sobre o atraso na destinação dos testes poderá ensejar a responsabilidade de agentes públicos.

Após vacinação, cidade paulista completa duas semanas sem intubar pacientes

/ Saúde

prefeito Léo Capitelli agradece ao Butantan. Foto: Rede social

A cidade de Serrana, no interior de São Paulo, completou duas semanas sem intubar novos pacientes nas unidades de saúde. O município participa do ‘Projeto S’ do Instituto Butantan, que analisa o resultado da vacinação contra a Covid-19 com a Coronavac na população adulta. A cidade foi a primeira do país a iniciar a imunização em massa.

Apesar dos bons resultados, o prefeito Leo Capitelli (MDB) afirmou que ainda é cedo para fazer a correlação entre a queda no número de casos com a ampliação da vacinação. A teoria, contudo, pode ser provada no início de maio, com a divulgação do relatório da pesquisa.

”Vimos diminuição na lotação da UPA e da Santa Casa da cidade, o fluxo de casos graves diminuiu bastante e desde o dia 28 de março não precisamos intubar pacientes de Covid-19. Ainda é cedo para fazer correlação com a vacinação, mas já estamos vendo resultados”, afirmou o prefeito em entrevista à CNN.

Ex-secretário da Prefeitura de Salvador, Sérgio Guanabara é internado em UTI com Covid-19

/ Saúde

Guanabara foi internado no São Rafael. Foto: Secom/PMS

O ex-secretário da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), da Prefeitura de Salvador, Sérgio Guanabara, precisou ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Rafael nesta segunda-feira, em decorrência de complicações com a Covid-19.

A notícia foi dada pelo presidente da Câmara Municipal de Salvador (CMS), Geraldo Júnior, durante sessão. “Queria pedir a oração de todos os vereadores por uma figura querida por todos nós, que há poucos instantes foi internado vítima do Covid na UTI do Hospital São Rafael”, disse o parlamentar.

Segundo o site bahia.ba, Guanabara demonstrou estar confiante na recuperação e agradeceu a força que vem recebendo. ”O carinho e apoio dos amigos, da minha esposa e filhos, minha família em oração, e do tratamento que estou recebendo aqui no hospital, são fundamentais para que eu vença essa guerra contra o vírus. Grande beijo!.”

O economista foi titular da Sedur e também já ocupou os cargos de chefe de gabinete e a subsecretaria da Sucom nos oito anos de gestão do então prefeito ACM Neto.

Ministro da Saúde, Queiroga analisará protocolo que prescreve cloroquina contra Covid-19

/ Saúde

Ministro Queiroga e o prefeito de Salvador, Bruno. Fotos: Ailton de Freitas

Motivação para a queda de dois ministros da Saúde, o protocolo do governo federal que indica o uso de cloroquina no tratamento de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, será reavaliado pela pasta. A recomendação explícita pode dar lugar a uma versão amenizada, apenas ressaltando o direito dos médicos de apelar ao ”off-label”, uso fora da bula, quando acharem necessário, mas retirando a citação nominal do medicamento. A informação é do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias.

A ”liberdade” do médico para decidir o tratamento, conforme o governo tem abordado o assunto, ganhou força como meio de rebater as críticas direcionadas ao uso de remédios sem eficácia, o que foi estimulado desde o início da pandemia.

Editada há quase um ano, em maio de 2020, pelo ex-ministro da Saúde general Eduardo Pazuello, a recomendação não é chancelada pela comunidade médico-científica. O uso do fármaco não tem efeito comprovado.

Polêmico, o protocolo causou embates entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), entusiasta da ideia, e os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich – ambos médicos.

Bahia recebe mais 50 leitos de UTI para Covid-19, anuncia secretário estadual de Saúde

/ Saúde

O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, anunciou hoje (9) a abertura de mais 50 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Bahia até este final de semana. Com isso, o estado passa a ter 1.523 leitos da categoria para o tratamento da Covid-19.

Mais dez leitos de UTI entram em funcionamento a partir de hoje (9), no Hospital de Valença, na região do baixo sul. Também começaram a operar hoje mais 20 leitos de UTI no Hospital Metropolitano, em Lauro de Freitas. Além disso, serão abertos mais dez leitos em Caetité e outros dez em Remanso.

A implementação dos novos leitos irão servir para manter a taxa de ocupação de leitos e filas de regulação em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estáveis. “Com isso, nós conseguimos, dessa forma, manter a taxa de ocupação sob controle e, paralelamente, reduzindo o número de pessoas que estão aguardando nas UPAs”, explicou o secretário.

Agência de medicamentos europeia mantém recomendação para vacina de Oxford

/ Saúde

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) manteve a recomendação de uso da vacina produzido pela Oxford/Astrazeneca.O órgão afirmou que os coágulos sanguíneos sofridos por algumas pessoas vacinadas com o imunizante contra a Covid-19 devem ser considerados um efeito colateral ”muito raro”.

A EMA ainda aponta ”uma possível ligação com casos muito raros de coágulos sanguíneos incomuns, juntamente com níveis baixos de plaquetas sanguíneas”. Para a agência, o balanço entre riscos e benefícios permanece ”positivo”.

No Brasil, a vacina já teve o uso emergencial aprovado por unanimidade pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em janeiro. Em março,o imunizante recebeu também o registro definitivo no país. O processo envolveu uma série de testes de segurança e eficácia que atestaram a sua qualidade. Metro1

Secretária da Saúde de Porto Seguro orienta apenas uma dose da vacina para quem teve Covid

/ Saúde

Secretária da Saúde de Porto, Raissa Soares. Foto: Marcos Corrêa

Secretária da Saúde de Porto Seguro, a médica Raissa Soares orientou, equivocadamente, a população sobre a vacinação contra o coronavírus durante uma entrevista online com um jornalista. No vídeo, Raissa, que é defensora do tratamento precoce, sem comprovação, contra a doença, afirma que tomar as duas doses do imunizante só é necessário para quem ainda não contraiu a doença.

”Queria aproveitar esse espaço para alertar quem está vacinando. Quem já teve covid, só deve tomar uma dose. Vejo pessoas que já tiveram tomando as duas doses. As vacinas que chegam têm uma bula. A Sesab aqui da Bahia tem orientado que quem teve a covid já estimulou o sistema imunológico uma vez. Não tem que se vacinar duas vezes”, disse.

A Secretaria estadual da Saúde (Sesab), no entanto, negou a informação. ”Todos os pacientes que tiveram o diagnóstico positivo para a Covid-19 devem se vacinar com as duas doses da vacina, sendo a primeira dose após 30 dias a partir do início dos sintomas da Covid-19 ou da data de coleta da primeira amostra de RT-PCR positiva para Sars-CoV-2. Esta é a orientação das autoridades sanitárias federal e estadual. A imunidade natural (provocada por doença) não possui um tempo exato de permanência, logo é preciso fazer o esquema vacinal em duas doses”, disse a pasta.

Covid-19: Hospital Metropolitano abre seleção com vagas para médicos intensivistas

/ Saúde

Para poder ampliar a oferta de leitos de Unidade de Tratamento Intensiva (UTI), o Hospital Metropolitano abriu seleção para médicos plantonistas e diaristas no combate à Covid-19, segundo anúncio do secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas.

”Faltam 20 médicos plantonistas e 3 médicos diaristas para fechar escala e poder abrir 50 leitos de UTI no Hospital Metropolitano”, escreveu Vilas-Boas em sua conta do Twitter.

Os interessados em participar do processo seletivo devem enviar o currículo para [email protected]

Maracás vacina mais de 14% da população contra Covid-19, diz boletim da Secretaria Municipal

/ Saúde

Maracás já vacinou 14,18% da população local. Foto: Divulgação

O Município de Maracás já vacinou 3.391 pessoas contra o Coronavírus, conforme o novo boletim da Secretaria Municipal de Saúde, atualizado na noite desta segunda-feira (05).

O número representa 14,18%, do total da população local, com aplicação da 1ª e 2ª doses da vacina. Nesta segunda e terça, são vacinadas pessoas com 66 anos.

Contudo o Município segue liderando em número de óbitos provocados pela doença no território do Vale do Jiquiriçá. Entre as cidades que integram a região, Maracás contabiliza, até hoje, 45 mortes, segundo dados da Secretaria. Do total de 2.207 casos confirmados desde o início da pandemia, 77 estão ativos.

Versamune MCTI, vacina 100% nacional, deve ser testada ainda em 2021, diz ministro

/ Saúde

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, falou hoje (05) sobre o desenvolvimento e prazos da Versamune MCTI – um imunizante contra covid-19 100% nacional que foi submetido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aprovação.

Segundo o ministro, o governo espera que as fases de testes obrigatórias para o uso amplo da vacina ocorram ainda este ano. As fases 1 e 2 deverão contar com 360 pacientes cada. Após a comprovação de eficácia e segurança, a fase 3 – que testa a vacina em um grupo maior e mais diverso de pacientes – deverá contar com 20 mil pessoas. Pontes cogitou a possibilidade da aceleração emergencial da fase 3 da Versamune MCTI, assim como ocorreu com outras vacinas já em uso aprovadas pela Anvisa. ”Esperamos que os testes aconteçam ainda neste ano, pelo menos para ter uma abertura em emergência da fase 3. Havendo eficiência e segurança comprovadas, a vacina será usada aqui no Brasil”, afirmou Pontes.

Controle sobre mutações

Marcos Pontes ressaltou a importância da produção de uma vacina 100% nacional, que servirá para atender rapidamente a população brasileira caso novas mutações ocorram. O ministro também lembrou da importância da mantenção da soberania e da independência de fontes externas de vacina.

“Cada vez que temos uma mutação dessas, se dependermos do exterior completamente para fazer modificações – principalmente se as mutações forem com características exclusivas do país, centralizadas aqui – isso fica difícil. Demora muito tempo e perdemos muita gente. Não queremos isso. Poder controlar rapidamente a tecnologia e os insumos é essencial”, argumentou o ministro.

As áreas de farmácia, biomedicina, química e a economia nacional também serão beneficiadas pela produção de um imunizante nacional. ”O desenvolvimento nacional fica mais barato do que a importação, e ele produz empregos e empresas. Precisamos de todo um sistema montado para outras vacinas e outras pandemias.”

Outras vacinas em desenvolvimento

Marcos Pontes informou que há outras vacinas e remédios em desenvolvimento avançado contra a covid-19. Duas outras vacinas já estão em fase pré-clínica e deverão ter a documentação apresentada à Anvisa nos próximos meses.

”Nossa estratégia funciona em três eixos. Neste ano, o eixo é comprar vacinas internacionais e aplicar na população o mais rápido possível, para cercar o vírus. Na segunda perna, estão as vacinas nacionais, que podem ajudar este ano, mas que terão papel fundamental no ano que vem. A terceira parte é a construção de um centro de vacinas que possa produzir vacinas rapidamente para outras doenças e outras pandemias. Tudo isso está sendo feito em paralelelo”, explicou.

Testes antivirais com medicamentos também estão sendo feitos e financiados pelo governo federal. O ministro afirmou que há um medicamento em fase adiantada que será apresentado para os testes pré-clínicos em pouco tempo. ”A ideia é que tenhamos uma cobertura completa para os brasileiros.”

Programa espacial brasileiro

Sobre os recentes lançamentos espaciais feitos em parceria com outros países, Marcos Pontes afirmou que nutre com entusiasmo o futuro do programa espacial nacional. ”É muito importante que nós tenhamos esse desenvolvimento feito especialmente nas universidades. Não só pelo conhecimento em tecnologia nos laboratórios, mas também pela formação de pessoal para o programa espacial brasileiro, que está decolando”, declarou.

A Agência Brasil de Comunicação informou que acompanhou o lançamento do nanossatélite NanoSatC-Br2, feito em parceria com a Rússia, e o lançamento do Amazonia 1, feito em parceria com a Índia.

Sobre futuros lançamentos, Pontes afirmou que o desenvolvimento de satélites com o projeto plataforma multimissão continuará, e que uma parceria com a Agência Aeroespacial Norte-Americana (Nasa) colocará um robô explorador brasileiro em solo lunar em um futuro próximo. Marcos Pontes também adiantou que haverá novos desenvolvimentos na parceria aeroespacial com Israel.