Morre o ex-prefeito de Eunápolis, Feruk Abrahão, por complicações da Covid-19

/ Saúde

Morre o ex-prefeito de Eunápolis, Feruk Felippe. Foto: Divulgação

Morreu, no sábado (29), o médico e ex-prefeito de Eunápolis, no extremo sul da Bahia, Feruk Felippe Abrahão, por complicações da Covid-19. A informação foi confirmada pela prefeitura.

Feruk Abrahão foi fundador de um dos primeiros hospitais da cidade e atuou como chefe do executivo municipal entre os anos de 1993 e 1996. Ele deixa a esposa e três filhos.

O corpo do ex-prefeito foi enterrado neste domingo (30), no cemitério Campo Santo, em Eunápolis Por meio de nota divulgada em uma rede social, a prefeitura lamentou a morte de Feruk Abrahão.

”Siga em paz Feruk Felippe Abrahão. O município de Eunápolis se solidariza junto a familiares e amigos do ex-prefeito e médico da cidade”, escreveu na nota. A atual prefeita Cordélia Torres de Almeida decretou luto oficial por três dias no município. Com informações do G1

Jequié registra 125 casos de Covid em 24h e ocupação de UTI no São Vicente é de 100%

/ Saúde

O boletim da Covid-19 em Jequié, divulgado neste domingo (30) pela Prefeitura informa que houve o registro de 125 novos casos positivos nas últimas 24 horas, perfazendo um total de 19.950 pessoas confirmadas com a doença.

Até agora 18.121 pacientes encontram-se recuperados e o número de óbitos é de 410, destes, apenas 1, de uma mulher não vacinada foi registrado em 2022.

De acordo com o número de leitos de UTI-Covid do Hospital São Vicente, a taxa de ocupação é de 100%. Destes, 1 leito está ocupado por residente de Jequié e 9 leitos estão ocupados por pessoas de outro município.

Até o presente momento 128.783 pessoas foram vacinadas com primeira dose em Jequié.

Jequié registra 158 novos casos e chega a 1.438 positivos, com ocupação de UTI de 90%

/ Saúde

O boletim da Covid em Jequié informa que houve o registro de 158 novos casos positivos nas últimas 24 horas, nesta sexta-feira (28), perfazendo um total de 19.620 pessoas confirmadas com a doença. Até agora 17.772 pacientes encontram-se recuperados e o número de mortes é de 410, com a última de uma mulher, nesta semana, que não teria se vacinado.

De acordo com o número de leitos de UTI-Covid do Hospital São Vicente, a taxa de ocupação é de 90%. Destes, 2 leitos estão ocupados por residentes de Jequié e 7 leitos estão ocupados por pessoas de outro município.

Até o presente momento 128.697 pessoas foram vacinadas com primeira dose em Jequié.

Ubatã: Mais de 20 servidores da saúde estão infectados pela Covid, revela secretária

/ Saúde

Secretária de Saúde, Bárbara Santiago. Foto: Ubatã Notícias

Mais de 20 servidores da Saúde  no município de Ubatã, na região do Médio Rio de Contas, estão infectados por Covid-19. A informação foi revelada nesta sexta-feira (28) pela Secretária de Saúde, Bárbara Santiago, em entrevista ao programa Primeira Página, da Rádio Povo.

Conforme a Titular da Pasta, há registros de motoristas, técnicos em enfermagem, serventes, enfermeiros e médicos infectados, o que, de acordo com Bárbara, tem elevado os desafios para a atuação da Saúde.

A Secretária ainda revelou que o município implantará um Gripário, que será instalado no Hospital César Monteiro Pirajá. O espaço, que funcionará todos os dias da semana, será destinado as pessoas que apresentem sinais e sintomas gripais. No espaço ainda será realizado triagem e testagem. As informações são do site Ubatã Notícias

Variante Ômicron é responsável por mais de 71% dos casos na Bahia; Jequié e Santo Estêvão registraram

/ Saúde

Em nova rodada de sequenciamento genético, o Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA) detectou a variante Ômicron em 71% das amostras coletadas em janeiro deste ano. Do total de 64 sequenciamentos concluídos nesta sexta-feira (28), a Ômicron foi identificada em 46 amostras. Já a variante Delta foi detectada em 16 amostras e uma amostra teve resultado inconclusivo.

Municípios

Os casos foram identificados em residentes dos seguintes municípios: Alcobaça, Camacan, Candeias, Cândido Sales, Castro Alves, Conceição do Coité, Conceição do Jacuípe, Eunápolis, Feira de Santana, Ilhéus, Itabela, Itabuna, Itamaraju, Itambé, Itaparica, Itapetinga, Jacobina, Jequié, Lauro de Freitas, Lençóis, Monte Santo, Mucugê, Mucuri, Pintadas, Poções, Pojuca, Prado, Remanso, Riacho de Santana, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Cruz Cabrália, Santo Estevão, Serrinha e Ubaitaba. Além destes, turistas de Belo Horizonte (MG), Franca (SP), Hortolândia (SP) e Natal (RN) também tiveram amostras detectadas para Ômicron enquanto visitavam as cidades baianas de Nova Viçosa, Nova Itarana, Serrolândia e Ilhéus, respectivamente. São 27 mulheres e 19 homens, com a faixa etária variando entre 3 e 86 anos.

A escolha das amostras para o sequenciamento é baseada na representatividade de todas as regiões geográficas da Bahia, casos suspeitos de reinfecção, amostras de indivíduos que evoluíram para óbito, contatos de indivíduos portadores de variantes de atenção (VOC) e indivíduos que viajaram para área de circulação das novas variantes com sintomas clínicos característicos.

Conselho Nacional dos Secretários de Saúde pedem revogação de portaria sobre kit covid

/ Saúde

Os conselhos nacionais dos Secretários de Saúde (Conass) e das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) entregaram ofício ao Ministério da Saúde nesta quinta-feira (27) que solicita a revogação de uma nota técnica da Secretaria de Ciência e Tecnologia, do Ministério da Saúde, que inicialmente indicava medicamentos do chamado kit covid.

A nota técnica havia sido assinada pelo secretário de Ciência e Tecnologia da Saúde, Hélio Angotti Neto, e tinha informações divergentes das contidas no relatório da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec).

O relatório do Conitec aponta a inexistência de evidências que validem o uso da ivermectina, da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19.

“As Diretrizes Brasileiras para Tratamento do Paciente com Covid-19 (hospitalar e ambulatorial) precisam ser adotadas com urgência pelo Ministério da Saúde, e empregadas pelos gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) para orientar profissionais e organizar os serviços de acordo com as melhores práticas e tratamentos, com base no melhor conhecimento científico em benefício da saúde da população brasileira”, destaca o documento.

O ofício foi apresentado na reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), da qual participam as representações das secretarias estaduais e municipais e do Ministério da Saúde. Na reunião, o ministro Marcelo Queiroga declarou que irá avaliar a reivindicação.

O que diz o relatório
O relatório da Conitec, datado de novembro de 2021, conclui que não há medicamentos específicos para tratamento de pacientes ambulatoriais com covid-19. ”Nenhuma das tecnologias de saúde avaliadas foi indicada para uso de rotina no tratamento ambulatorial do paciente com suspeita ou diagnóstico de covid-19”, afirma o texto.

Primeira cidade a registrar caso de Covid-19 na BA, Feira de Santana, bate recorde de casos

/ Saúde

A primeira cidade a registrar casos de Covid-19 na Bahia, Feira de Santana, segundo maior município do estado, bateu recorde com 935 testes positivos nesta quinta-feira (27).

Essa é a maior quantidade de exames positivados divulgados desde o início da pandemia, em 6 de março de 2020, conforme informação da prefeitura.

O município contabilizou 49.389 curados da doença, índice que representa 88,2% dos casos confirmados. Além disso, mais um óbito foi confirmado nesta quinta, mas ele ocorreu em 25 de janeiro.

Já o número de testes negativados nesta quinta-feira é de 681 e o de pacientes internados é de 12.

Desde o início da pandemia, 55.973 casos foram confirmados em Feira de Santana. Desse total, 49.389 são considerados recuperados e 1.028 foram a óbito. As informações são do G1

Rui autoriza contratação por Reda na área da saúde para reforçar equipes na linha de frente da Covid

/ Saúde

Governador Rui Costa. Foto: Mattheus Miranda/bahia.ba

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) irá contratar profissionais da área médica por meio do Reda para reforçar as equipes de assistência aos pacientes com Covid-19. A informação foi divulgada pelo governador Rui Costa nesta quinta-feira (27). A autorização foi assinada pelo governador na quarta-feira (26), mas o quantitativo vai depender da demanda apresentada pelas unidades de saúde junto a Sesab.

Durante o ato de entregua de ambulâncias e assinatura de convênios com prefeituras, Rui Costa ressaltou que a preocupação maior atualmente não é o número de leitos Covid-19, mas casos de pacientes de outras enfermidades que dão entrada em hospitais com Covid-19. O gestor explicou que isso acelera mais ainda a disseminação do novo coronavírus, principalmente com a variante Ômicron, ”fragilizando a estrutra de saúde pelas licenças médicas dos profissionais”.

Rui Costa lembrou estudos científicos que apontam uma resistência maior da Ômicron para sobreviver em superfícies como madeira e plástico. Contudo, completou, não há uma medida nova a ser implantada, mas sim o reforço da vacinação e do uso de máscaras.”A gente anda na rua, vocês repórteres andam nas ruas, estamos vendo muita gente sem máscara e isso ajuda a proliferar o vírus”, lamentou o governador. “Quanto mais fechado for o ambiente, mais necessário e o uso da máscaras”, orientou. Com informações do bahia.ba

Prefeito de Salvador anuncia que Barra voltará a ter ”portais de controle” contra a Covid

/ Saúde

Prefeito Bruno Reis. Foto: Mattheus Miranda/bahia.ba

O bairro da Barra voltará a ter portais de controle para o cumprimento das medidas estabelecidas para conter a disseminação da Covid-19. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (27), pelo prefeito Bruno Reis (DEM/UB), durante a entrega 3ª etapa do Farol de Itapuã.

”Vamos retomar os portais, estar lá orientando, para as pessoas terem acesso do Barra Center ao Porto da Barra. Que elas tenham acesso usando máscara. Vamos estar distribuindo máscaras nos portais, fazer higienização, e estar com a Guarda Municipal neste trecho orientando as pessoas para evitar aglomerações e seguir os protocolos estabelecidos pelos decretos”, afirmou o gestor.

Apesar disso, Bruno ressaltou que a Guarda Municipal está atuando com efetivo reduzido, de 40%, e pediu colaboração dos soteropolitanos. “A pior coisa para um governante é adotar medidas e não conseguir exigir que elas sejam cumpridas (…) É humanamente impossível, com 40% do efetivo reduzido, a gente controlar toda a cidade. Ainda mais levando-se em consideração que tem muita gente que já tomou três doses de vacina, que já pegou Covid pela segunda vez, e que acha, e aí está achando errado, que está imune, que a pandemia acabou”, criticou.

Salvador vem registrando um aumento no número de casos da Covid-19, assim como é em todo o país. Nesta quinta, o prefeito informou que a cidade ampliará em 50% a oferta de leitos pediátricos (lembre aqui).

Junto a isso, Bruno anunciou a contratação de 343 novos profissionais de saúde para auxiliar nas ações de combate à pandemia. De acordo com o gestor, nesta quinta, 125 técnicos de enfermagem foram convocados pelo Reda, 107 auxiliares de serviços gerais pelas empresas terceirizadas pela prefeitura e mais 111 auxiliares administrativos. Com informações do site Bahia Notícias

Sesab suspende visitas em unidades de saúde públicas e privadas de todo Estado por conta da Covid

/ Saúde

O Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) atualizou as Notas Técnicas que trazem orientações sobre o funcionamento dos serviços de saúde públicos e privados na vigência da pandemia pela Covid-19. Os documentos apontam recomendações sobre visitas nas unidades estaduais, acompanhantes, cirurgias eletivas e campanha vacinal contra a Covid-19.

De acordo com a Nota Técnica Nº 66, fica determinada a suspensão das visitas em todas as unidades de internação, sejam enfermarias ou em unidades fechadas como UTIs e Centro Cirúrgico por conta do aumento do número de casos de Covid-19 em toda Bahia. “As unidades de saúde devem incentivar as visitas virtuais, através de vídeo chamadas ou ligações, através da equipe multiprofissional, conforme o Manual de Orientações para reunião virtual com a equipe de assistência, disponível no site da Sesab”, explica o documento. É autorizada a permanência de um acompanhante para pacientes acima de 60 anos, portadores de necessidades especiais, menores de 18 anos ou em cuidados paliativos.

A normativa técnica estabelece ainda que as unidades de saúde devem exigir comprovação de esquema vacinal completo, por meio de cartão de vacinação ou meio eletrônico, através do aplicativo ConecteSUS do Ministério da Saúde – ou aplicativo próprio do município de residência, caso exista. O esquema vacinal completo deve estar de acordo com o Plano Nacional de Imunização, que recomenda a primeira, segunda e terceira doses, com intervalos entre a segunda e terceira dose de 150 dias.

Cirurgias eletivas – Não há orientação para a suspensão de cirurgias eletivas em virtude da Covid-19. A recomendação permanece a mesma desde maio de 2021, cuja recomendação é que sejam realizados procedimentos de modo seguro. Cada unidade deve estabelecer estratégias de priorização da agenda cirúrgica, observando sempre as características inerentes a cada especialidade cirúrgica e as condições clínicas do paciente, cuja espera possa piorar o prognóstico da doença.

Os procedimentos devem ser cancelados, salvo casos de urgência e emergência, caso o paciente apresente febre ou qualquer outro sintoma respiratório nos últimos 10 dias, assim como tenha tido contato próximo com pessoa diagnosticada com Covid-19 nos 14 dias que antecederem a cirurgia.

Gestantes e Puérperas – No caso dos acompanhantes de gestantes e puérperas, buscando reduzir o fluxo de pessoas circulando nas unidades de saúde, cada paciente passa a ter direito a um acompanhante durante toda a evolução do trabalho de parto, desde que seja respeitado o distanciamento mínimo de 2 metros entre as pessoas presentes na sala, contando com a equipe de saúde e as outras parturientes. O acompanhante deve utilizar máscara cirúrgica durante todo o período que estiver na unidade de saúde e ser orientado quanto aos cuidados gerais de contato e higienização. Para as pacientes menores de 18 anos (o acompanhante deverá ser o pai, a mãe ou o responsável legal pelo mesmo).

Novo carregamento da vacina pediátrica da Pfizer chega ao Brasil, no Aeroporto de Viracopos, em SP

/ Saúde

Chegou hoje (24) no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, interior paulista, um carregamento de 1,8 milhões de doses de vacina pediátrica contra a covid-19. É o terceiro lote enviado ao Brasil do imunizante da Pfizer destinado a aplicação em crianças.

A entrega de hoje estava prevista para ser realizada na próxima quinta-feira (27), porém foi antecipada pelo laboratório norte-americano. Já tinham sido enviadas 2,5 milhões de doses desde que a vacinação de crianças com idade entre 5 e 11 anos foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Até o fim de março, o governo federal espera receber 20 milhões de doses de vacinas pediátricas da Pfizer.

Na última sexta-feira (21), a vacina Coronavac também foi incluída pelo Ministério da Saúde no plano de imunização contra a covid-19 para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos de idade. O governo federal está negociando os termos de compra com o Instituto Butantan, que produz o imunizante no Brasil em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Coronavac é a mais segura para imunização infantil, diz infectologista de escola de Medicina

/ Saúde

A ampliação do uso da vacina Coronavac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, foi aprovada no início da tarde da última quinta-feira (20) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para a faixa etária de 6 a 17 anos. Até então, a vacina Comirnaty, desenvolvida pela Pfizer, era a única liberada pela agência para aplicação em crianças e adolescentes.

A notícia é muito positiva, segundo Eduardo Medeiros, infectologista e docente da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp), pois a vacina é fabricada com tecnologia do vírus SARS-CoV-2 inativado.

”As experiências positivas com vacinas desse tipo são amplamente documentadas na literatura científica, caso da vacina com o vírus injetável contra a poliomielite. É uma tecnologia segura com que temos experiência”, pontua.

Medeiros explica que essa tecnologia permite que o vírus seja inativado ou pelo calor ou por componentes químicos, o que impede que o patógeno se multiplique no corpo do paciente. Quem recebe um imunizante com essa plataforma, caso da Coronavac, tem uma resposta imunológica mais branda, com menos efeitos adversos e, por isso, mais segura para as crianças.

A vacina da Pfizer, elaborada a partir do RNA do coronavírus, é a primeira da história com essa tecnologia. ”Foram feitos todos os estudos e comprovados os resultados positivos em crianças. Mas, utilizada em grandes populações, efeitos adversos não observados nos estudos clínicos de fase 3 podem surgir”, complementa.

Segundo o infectologista, a Coronavac tem ainda outra vantagem: evitar erros de dosagem que podem prejudicar a eficácia da vacina e mesmo a logística para a compra. No caso da vacina infantil da Pfizer, mudam a dosagem, a composição e a concentração das administradas em adultos.

”A Coronavac não exige essa adaptação. Além disso, o intervalo de aplicação recomendado entre uma e outra dose permanece o mesmo – em média, 28 dias”, finaliza.

Senadores querem ouvir secretário Hélio Angotti Neto sobre sua nota ”antivacina”

/ Saúde

Hélio deverá prestar esclarecimentos no Senado – Foto: Divulgação

A Frente Parlamentar Observatório da Pandemia, que acompanha os desdobramentos da CPI da Covid no Senado, deve convidar o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto para esclarecimentos sobre sua nota antivacina.

O documento assinado por Angotti atribui eficácia à hidroxicloroquina no tratamento contra covid-19 e diz que as vacinas não têm a mesma efetividade, o inverso do que mostram os estudos em todo mundo.

Além disso, barra as diretrizes que contraindicavam o ”kit covid” no tratamento ambulatorial e hospitalar da doença, elaboradas por um grupo de médicos convocados pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e aprovadas pela Comisso Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema de Saúde (Conitec).

O grupo de senadores deve chamar também o ministro Marcelo Queiroga para explicar a nota técnica, o apagão de dados sobre a pandemia e o atraso da vacinação das crianças. Caso não compareçam, a ideia é convocá-los por meio de comissões permanentes do Senado.

”Só com pressão sobre os criminosos é que o crime pode ser contido! Estamos diante de um novo surto da Covid-19 no Brasil, e os sistemas de saúde estão colapsando, inclusive aqui no meu Estado, o Amapá”, afirmou o senador Randolfe Rodrigues.

Outro convidado deve ser o Procurador-Geral da República (PGR), Augusto Aras, em virtude da demora, na opinião do Observatório, em tomar providências efetivas na apuração dos crimes apontados pelo relatório final da CPI da Covid.

A Frente também quer ouvir as instâncias estaduais do Ministério Público e representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como o presidente Antonio Barra Torres. *A Tarde

Governo Federal não repassou recursos novos para vitimas da enchente, afirma Sesab

/ Saúde

Tereza Paim nega apoio do Governo Federal. Foto: Sesab

A secretária de Saúde da Bahia, Tereza Paim, afirmou que recebeu com surpresa e espanto a atitude do Governo Federal em anunciar, na última sexta-feira (21), recursos velhos como se fossem novos, direcionados a 155 municípios baianos em situação de emergência decorrente das enchentes que provocaram 27 mortes e desalojaram ou desabrigaram 86 mil pessoas. Segundo a gestora da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), o que se vê na portaria nº 80 do Ministério da Saúde, publicada no Diário Oficial da União, é uma antecipação de recursos que já eram de direito dos municípios e se desconta ao longo do ano.

”É com surpresa e espanto que vemos essa atitude. São mais de 800 mil pessoas afetadas e os municípios encontram-se com estruturas arrasadas, sendo necessário recursos adicionais, não uma antecipação do que já era de direito das prefeituras. O Governo da Bahia tem recuperado pontes, estradas, enviado insumos, medicamentos e profissionais de saúde com recursos próprios e até o momento, o Ministério da Saúde enviou apenas 58 médicos dos 109 prometidos”, afirma a secretária da Saúde da Bahia, Tereza Paim.

De acordo com a portaria ministerial, ”o gestor municipal de saúde poderá manifestar interesse pelos percentuais de dedução mensal de 30%, 30%, 20% e 20% ou 40%, 30%, 20% e 10% dos valores [antecipados]”, afirma o documento assinado pelo ministro Marcelo Queiroga. O total estimado para essa antecipação é de R$ 104 milhões para 155 municípios baianos. Com a perda de equipamentos, insumos e até a destruição de Unidades Básicas de Saúde, os municípios lutam para reestruturar os serviços essenciais de saúde e evitar doenças como leptospirose, Dengue, Chikungunya, Influenza A e Covid-19 na população. *Bahia Notícias