Organização Mundial da Saúde estuda validade de vacina fracionada para a febre amarela

/ Saúde

Pesquisadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda tentam determinar qual o período de validade da vacina fracionada para a febre amarela. O jornal O Estado de S. Paulo apurou que a entidade acompanha de perto campanhas em dois países africanos para determinar o prazo para que a população volte a ser vacinada. Por enquanto, usa como padrão que a dose fracionada tem validade de um ano. No Brasil, o governo anunciou que começará com a campanha de vacinação em São Paulo, Minas Gerais e Bahia a partir de fevereiro – com doses fracionadas. Segundo o cientista Alejandro Costa, da Iniciativa para a Pesquisa de Vacinas da OMS, o governo brasileiro afirma ter evidências da validade desse imunizante por oito anos. Em 2016, a OMS foi obrigada a destinar milhões de doses de um estoque internacional para Angola e República Democrática do Congo, na África, ambos sob o surto da doença. Segundo Costa, a opção naquele momento foi por fracionar a vacina. Para ele, que esteve em reuniões com o Ministério da Saúde no mês passado, o fracionamento é uma solução real a ser considerada também no caso brasileiro. “É uma questão de emergência. Reconhecemos como uma solução prática e efetiva”, disse. “O que ainda não se sabe é o prazo pelo qual a vacina garante a proteção”, afirmou Costa. “Estudos mostravam proteção de um ano. No Brasil, eles têm evidências de que essa proteção é de oito anos.” Costa relata que, no ano passado, a OMS voltou à República Democrática do Congo para testar as pessoas vacinadas no surto de 2016 e constatou que a dose tem tido validade acima do prazo padrão da entidade. “O governo congolês quer saber quando deve voltar a vacinar e é isso que estamos acompanhando agora para determinar.” Ele aponta que, enquanto esse acompanhamento não estiver concluído, o estoque mundial coordenado pela OMS continuará a considerar o fracionamento válido para um ano. Questionado, o Ministério da Saúde do Brasil afirmou que “reitera a segurança e eficácia” do fracionamento. Para definir a validade de oito anos para a dose fracionada, usou como base estudo realizado no laboratório Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz com 319 militares vacinados dessa forma em 2009. “Oito anos depois, 85,3% dos militares ainda tinham anticorpos contra a doença.”

Caso de febre amarela é registrado em Itaberaba; paciente é um homem de 49 anos

/ Saúde

Um caso de febre amarela foi confirmado nesta quinta-feira (11) pela Secretaria Municipal de Saúde de Itaberaba, município da Chapada Diamantina. Segundo informações divulgadas pelo jornal A Tarde, o paciente é um homem de 49 anos que estava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade e foi transferido na última quarta (10) para o Hospital Couto Maia, em Salvador. ”Recebemos hoje a confirmação através do diretor do Núcleo Regional de Saúde, Edy Gomes, de que os testes de laboratório comprovam se tratar mesmo de febre amarela”, afirmou o secretário de Saúde de Itaberaba, João Rodrigues. Ainda segundo ele, desde esta quinta, quando o paciente foi internado com suspeita de febre amarela, são adotadas na cidade medidas para evitar a proliferação da doença. O homem mora com sua família no município de Taboão da Serra e passou as festas de final de ano em Itapecerica da Serra, ambos em São Paulo, tendo o último registrado diversos casos confirmados da doença. Já em Itaberaba, ele e a mulher passavam férias na casa de familiares, no bairro Paroquial. As pessoas da casa e da vizinhança já foram vacinadas e os imóveis no entorno da residência e na UPA 24 horas recebem tratamento especial para eliminar qualquer foco do mosquito Aedes aegypti.

SAMU de Feira de Santana abre inscrições para Processo Seletivo com 40 vagas de médico

/ Saúde

Foram abertas nesta terça-feira (9) as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado a 40 vagas à função de médico do Samu de Feira de Santana serão encerradas às 23h59 minutos do dia 19 deste mês. As inscrições, que custarão R$ 50, serão feitas exclusivamente pelo site. A contratação, por tempo determinado de dois anos, será pelo Reda e prorrogável por igual período. O salario prevsdito no edital é de até R$6.986,19. O processo seletivo terá duas etapas – ambas classificatórias e eliminatórias. A primeira será a avaliação de títulos e a segunda de capacitação inicial, que será de 40 horas. A entrega dos documentos e titulações, após a efetivação da inscrição, será na Secretaria de Saúde, de 15 a 26 de janeiro, das 9 às 12h e das 14 às 17h. As 40 vagas foram assim distribuídas, de acordo com a legislação: 26 para a ampla concorrência, 12 para os candidatos que se declararem afrodescendentes e duas para as pessoas com deficiência. A inscrição será confirmada após o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal ratificarem a operação. Assim, o candidato deverá acessar sua inscrição e gerar o comprovante específico. O Edital 01-2018, da Secretaria Municipal de Saúde foi publicado na edição desta terça-feira (9) do Diário Oficial do Município.

Formar um médico na Bahia custa até R$ 720 mil; confira quais são as faculdades mais caras

/ Saúde

Quanto custa o sonho da medicina? Foto: Arisson Marinho/Correio

Quanto custa um sonho? Bom, há quem defenda que sonhos não têm preço. Mas, se você quiser ser médico na Bahia, pode precisar desembolsar nada menos R$ 720 mil. É o cálculo que fazem estudantes e a própria Associação Baiana de Medicina (ABM) a partir dos valores das mensalidades praticados por algumas instituições de ensino do Estado. Uma das universidades chega a cobrar mais de R$ 10 mil por mês. Em seis anos de curso, com 12 meses por ano. A Unime, em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, tem o curso de medicina mais caro da Bahia. Oitavo semestre, o estudante Guilherme Pimentel, 26 anos, veio de longe para realizar seu sonho. Ao chegar, vindo do Tocantins, constatou: “Cursos de medicina se transformaram em um grande comércio. São eles que mantêm vivas as faculdades particulares, já que outros cursos vão de mal a pior”, acredita Guilherme, que até o último semestre desembolsava integralmente R$ 8,4 mil por mês. Agora, em 2017, Guilherme terá que pagar ainda mais. ”Vai ter um aumento. Passarei a pagar perto de R$ 9,4 mil. Mas vai ter colega pagando acima de R$ 10 mil”, calcula. Quer dizer, colegas, não. A família. Além do gasto com a mensalidade, o procurador e a defensora pública do Tocantins precisam pagar aluguel e alimentação do filho em Salvador. ”Calculo que vou gastar meio milhão de reais até o final do curso só com a mensalidade. Imagine os que se matricularam agora”.

Unidades de saúde na Bahia são obrigadas a fixar cartazes com penas de omissão de socorro

/ Saúde

Após aprovação no início do mês no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), agora é obrigatório que postos de saúde, clínicas e hospitais fixem cartazes com esclarecimentos sobre a legislação que penaliza o crime de omissão de socorro. Pela lei, o cartaz deve conter o artigo 135 do Código Penal Brasileiro que trata sobre o assunto. Se comprovada a infração, o responsável pode ser condenado a uma pena de um ano e seis meses de prisão ou multa. No texto é estabelecido ainda que as informações devem constar de forma legível com possibilidade de visualização à distância.

Saúde: Campanha para reduzir cesarianas desnecessárias entra na 2ª fase em janeiro

/ Saúde

136 maternidades participam da campanha. Foto: Agência Brasil

Com 136 maternidades participantes, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) inicia em janeiro a segunda etapa da Campanha Parto Adequado. A meta é reduzir o número de cesarianas desnecessárias, ou seja, que não tenham indicação clínica e sejam feitas apenas por conveniência das partes envolvidas, podendo, inclusive, causar prejuízos à saúde do bebê. No ano passado, 35 maternidades fizeram parte da primeira fase da campanha. O projeto é desenvolvido em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement. Sessenta e oito operadoras de planos de saúde manifestaram interesse em apoiar o projeto. Segundo o diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Rodrigo Aguiar, no período de festas de fim de ano, o problema das cesarianas desnecessárias agrava-se um pouco. ”Por conta das festas, a tendência é haver uma antecipação da data do parto, e o agendamento em períodos que variam entre uma a duas semanas da data adequada para que o parto fosse realizado.” Rodrigo Aguiar disse que a antecipação do parto pode causar consequências negativas para a saúde da mãe e, principalmente, do bebê. Entre os problemas mais frequentes, o médico destacou as complicações respiratórias, considerando que o recém-nascido não está com o sistema respiratório amadurecido o suficiente para lidar com o mundo exterior. Por causa disso, aumenta a incidência de internações em unidades de terapia intensiva (UTIs) neonatais, o que afasta o bebê da mãe nos primeiros dias de vida. ”Só essas duas consequências já são suficientes para a gente desincentivar essa prática”, disse o diretor da ANS. Quando o parto ocorre de forma natural, há uma série de benefícios para o bebê. Além da relação mais aproximada que já se estabelece com a mãe, Rodrigo Aguiar ressaltou que existe uma indução muito maior ao aleitamento materno. ”A mãe produz melhor o leite, e o bebê recebe, aceita e absorve melhor aquele leite”. A criança nascida de parto normal consegue também se preparar melhor para se adaptar ao mundo externo, com maior amadurecimento do pulmão e contato com as bactérias benéficas da mãe, reduzindo a incidência de doenças infantis, acrescentou o médico. Ele lembrou que há ainda uma recuperação mais rápida do útero e do corpo da mulher.

Governador entrega nova ala da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Municipal de Brumado

/ Saúde

Hospital Municipal de Brumado recebe reforço. Foto: Mateus Pereira

Mais qualidade nos serviços de saúde para cerca de 160 mil baianos é o novo legado que o governador Rui Costa entregou para a população do Centro-Sul Baiano nesta quinta-feira (21). O chefe do executivo inaugurou a nova ala da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Municipal Professor Magalhães Neto, localizado em Brumado. A partir de agora, o hospital passa a contar com dez leitos de UTI adulta e mais dez de UTI Neonatal. ”Com esses novos leitos, o hospital de Brumado passa a poder realizar diversos procedimentos cirúrgicos de alta complexidade, que antes não estava habilitado a fazer, por não ter uma UTI de retaguarda. Estas unidades, tanto a adulta, quanto a neonatal, vai ajudar a salvar muitas vidas”, destacou o governador. A unidade hospitalar é considerada de médio porte e faz parte da Rede de Atenção às Urgências e da Rede Cegonha da Região de Saúde de Brumado. O hospital oferece serviços de urgência, atendimento à gestação de alto risco, atenção às pessoas com sofrimento ou transtorno mental, além de apoio diagnóstico e terapêutico. O Hospital Municipal de Brumado realiza 70 mil atendimentos por ano, incluindo 60 partos por mês. Segundo o diretor-geral da unidade, Bruno Andrade, os equipamentos fortalecem o acesso integral da população à saúde. ”Com a abertura desses leitos, a população fica melhor assistida no que tange a alta complexidade e vai ficar mais fácil o acesso a serviço de qualidade. Além disso, passamos a ter possibilidade de abertura de novos serviços na região em um futuro próximo, como procedimentos de cardiologia intervencionista e neurocirurgia. Ofertas que só serão viabilizadas em função da instalação desses leitos de UTI que foram inaugurados”, explica. O hospital atende a demandas de 21 municípios, entre eles Araçatuba, Barra da Estiva, Contendas do Sincorá, Dom Basílio, Guajeru, Ibicoara, Ituaçu, Jussiape, Malhada de Pedras, Rio de Contas, Tanhaçu, Maetinga, e Presidente Jânio Quadros.

Policlínica Regional em Teixeira de Freitas realiza mais de mil atendimentos e 250 exames em um mês

/ Saúde

Com mais de mil atendimentos e 250 exames de alta complexidade realizados no primeiro mês de funcionamento, a Policlínica Regional em Teixeira de Freitas, já atendeu pacientes dos 13 municípios consorciados.As especialidades médicas que lideraram o número de consultas foram gastroenterologia, ortopedia, pneumologia e angiologia. De acordo com o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, ”a policlínica possibilita, simultaneamente, que o paciente tenha um atendimento especializado e acesso a exames de alta complexidade, bem como evita o deslocamento para os grandes centros urbanos em busca desses serviços”, afirma o secretário. Para os médicos que estão interessados em atuar no extremo sul da Bahia, a diretora geral da policlínica, Lizandra Amim, informa que no mês de janeiro de 2018 será publicado um edital para a contratação de profissionais nas especialidades de cardiologia, neurologia, mastologia, otorrinolaringologia e oftalmologia.

Fundação José Silveira recebe Medalha do Mérito do MP por defesa dos interesses sociais

/ Saúde

Ediene Lousado entrega medalha a Geraldo Leite. Foto: Divulgação

Considerada uma das mais atuantes instituições filantrópicas do Norte e Nordeste, a Fundação José Silveira (FJS) recebeu, na última quinta-feira (14), a Medalha do Mérito do Ministério Público da Bahia (MP-BA). A honraria é concedida a instituições e pessoas que se destacam pelos serviços prestados em defesa dos interesses sociais. Procuradora-geral de Justiça da Bahia, Ediene Lousado destacou a escolha por unanimidade e lembrou os trabalhos feitos pela Fundação para melhorar a vida dos baianos. ”Nesses 400 anos de Ministério Público da Bahia, a Fundação já faz parte de nossa história. O caminho é longo, a missão é árdua e temos muitos desafios pela frente. Por isso, precisamos continuar com essa parceria. O nosso povo agradece; a sociedade, também”, disse. Para o presidente da FJS, Dr. Geraldo Leite, a honraria é a concretização de um trabalho árduo. ”Sinto-me honrado por essa distinção e pelo reconhecimento do Ministério Público ao trabalho realizado pela Fundação José Silveira ao longo dos seus 80 anos de existência”, concluiu.

ANS suspende a comercialização de 31 planos de saúde de 10 operadoras a partir de hoje

/ Saúde

Começa a vigorar nesta sexta-feira (8) a suspensão da comercialização de 31 planos de saúde de 10 operadoras. A determinação é da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), tendo por base reclamações relativas à cobertura assistencial recebidas no terceiro semestre de 2017. Entre as principais queixas apresentadas pelos usuários estão a demora no atendimento e as negativas apresentadas pelas empresas. A ANS informou que os 167,7 mil beneficiários desses planos suspensos estão protegidos e continuarão sendo assistidos regularmente. De acordo com a agência, os planos só poderão voltar a ser comercializados para novos clientes caso seja comprovada a melhoria do atendimento. Para ter acesso à lista de planos que tiveram a comercialização suspensa, clique aqui. A ANS recebeu 15.912 reclamações de natureza assistencial entre o dia 1° de julho e 30 de setembro. Desse total, 14.138 queixas foram encaminhadas para análise. No período, 92% das reclamações foram resolvidas pela mediação feita pela ANS via Notificação de Intermediação Preliminar, uma solução que é mais rápida para superar o problema. Os casos não resolvidos viram processos contra as operadoras, podendo ser contabilizados para a suspensão da comercialização. A suspensão está prevista pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento, com o objetivo de garantir atendimento de qualidade aos beneficiários. A ANS monitora as reclamações feitas pelos usuários e a cada três meses identifica as operadoras e planos com maior número de reclamações assistenciais, levando em conta também o número de beneficiários e a segmentação assistencial. As informações sobre o programa de monitoramento por operadora são públicas. O consumidor pode conferir o histórico das empresas antes da compra e saber se ela teve planos suspensos ou reativados. Além disso, é disponibilizado um panorama geral com a classificação de todas as operadoras. Quem busca informações sobre planos ou precisa entrar em contato com a ANS pode acessar os canais de atendimento da agência na internet ou ligar para 0800 7019656. As informações são da Agência Brasil

Policlínica Regional em Irecê começa a funcionar segunda-feira, com exames de alta complexidade

/ Saúde

Policlínica Regional em Irecê será entregue hoje. Foto: Secom
Resultado de um investimento de R$ 25 milhões, a Policlínica Regional em Irecê começa a funcionar na próxima segunda-feira (11), oferecendo exames de alta complexidade e atendimento em diversas especialidades para 22 municípios da região. A unidade será entregue pelo governador Rui Costa nesta sexta (8), às 16, com a participação dos representantes das prefeituras que integram o consórcio de saúde responsável pela gestão da policlínica. Além de Irecê, a unidade vai atender a população dos municípios de América Dourada, Barra do Mendes, Barro Alto, Cafarnaum, Canarana, Central, Gentil do Ouro, Ibipeba, Ibititá, Itaguaçu da Bahia, João Dourado, Jussara, Lapão, Morro do chapéu, Mulungu do Morro, Presidente Dutra, São Gabriel, Souto Soares, Tapiramutá, Uibaí e Xique-Xique. O transporte dos pacientes dos municípios consorciados até a policlínica será realizado gratuitamente, por meio de 13 micro-ônibus adquiridos pelo Governo do Estado. Até agora, já foram inauguradas as policlínicas regionais do Extremo Sul (Teixeira de Freitas) e do Alto Sertão (Guanambi), além do Hospital Regional da Chapada (Seabra). No próximo dia 15, será entregue o Hospital da Costa do Cacau, e em 22 de dezembro, a Policlínica Regional em Jequié.

Cirurgias eletivas: Fila de espera do SUS tem mais de 900 mil procedimentos, diz levantamento

/ Saúde

Ao menos 904 mil cirurgias eletivas (que podem ser marcadas, não são de urgências e emergências) estão pendentes no Sistema Único de Saúde (SUS) em diferentes estados e municípios do país. Os números constam em levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM), com dados enviados pelas secretarias de saúde de 16 estados e dez capitais até junho deste ano. Pelo menos 746 procedimentos cirúrgicos estão na fila de espera há mais de dez anos e que 83% dos pedidos estão pendentes a partir de 2016. Segundo informações da Agência Brasil, o Ministério da Saúde informou que o sistema de fila única foi adotado desde maio para organizar a demanda. Não há comparação por ser o primeiro levantamento e não haver dados dos anos anteriores. Sete estados e oito capitais não enviaram informações, sob justificativa de não tê-las disponíveis ou ainda negarem diretamente acesso aos dados. A pesquisa considera o número de procedimentos agendados e não o número de pacientes na fila. A maioria das cirurgias marcadas é de catarata, hérnia, vesícula, amígdalas e adenoide, além de cirurgias ortopédicas. A maior concentração é nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Ceará. Das capitais e estados que disponibilizaram informações, as mulheres correspondem a 67% dos pacientes que aguardam algum tipo de procedimento especializado.

Vaqueiro se engasgou com dentadura em Arraial D’Ajuda e passou por cirurgia de 04 horas

/ Saúde

O vaqueiro Ceslimar Ferreira Pinheiro, 56 anos, passou por cirurgia depois de engolir uma prótese dentária e quase morrer asfixiado em Arraial D’Ajuda, em Porto Seguro, no sul da Bahia. Ele mesmo narrou a situação, que aconteceu na sexta-feira (24), em um vídeo. ”Estava dormindo, me assustei e engoli. Eu sufoquei e perdi o fôlego. Aí passei a mão na boca e dei falta. A valência é que tinha um pedreiro em casa, aí eu pedi socorro. Fiquei quase morto. Se eles demorassem mais umas duas horas eu tinha morrido, não tinha aguentando. Tava só perdendo o fôlego e o bicho tampando tudo”, conta. O vaqueiro foi levado primeiro para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Arraial. Lá, os funcionários não conseguiram remover a prótese e ele foi transferido para o Hospital de Base de Porto Seguro,onde também não houve sucesso na tentativa de remoção. Ceslimar foi levado então para o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, onde passou por uma cirurgia de urgência de cerca de quatro horas e teve a prótese removida.  Ele continua internado se recuperando. Em vídeo do Liberdade News, o vaqueiro recontou a situação.

Governador Rui Costa inaugurou o Hospital Regional da Chapada, de alta complexidade, em Seabra

/ Saúde

Rui Costa entrega hospital de alta complexidade. Foto: Manu Dias

Seabra agora é referência em saúde para outros 12 municípios da região. Na tarde desta sexta-feira (1º), o governador Rui Costa inaugurou o Hospital Regional da Chapada, primeira unidade de alta complexidade da Chapada Diamantina. Foram investidos R$ 64 milhões, sendo R$ 50 milhões em obras e R$ 14 milhões em equipamentos. O hospital possui 101 leitos, sendo 10 de Terapia Intensiva (UTI). ”Me orgulho de estar fazendo o maior investimento do país, entre todos os estados, em saúde pública. A população brasileira e baiana está envelhecendo e demandando mais saúde, principalmente de média e alta complexidade. E é isso que estamos fazendo pela Bahia e aqui em Seabra”, afirmou Rui.

Foram investidos R$ 64 milhões na obra, diz o Governo do Estado

Mais de 223 mil pessoas vão ter acesso a atendimento de urgência e emergência 24 horas, bem como centros de bioimagem e cirúrgico, além de ambulatório. ”Esse é um momento histórico no estado da Bahia, principalmente para a região da Chapada. Todas as demandas de urgência e emergência importantes vão ser abarcadas aqui, neste hospital completamente novo, até na concepção arquitetônica”, ressaltou o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas. O perfil assistencial de hospital geral oferece aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) atendimento nas áreas pediátrica, traumato-ortopédica e psiquiátrica; consultas especializadas e cirurgias ambulatoriais; procedimentos de diagnose e terapias e demais serviços de apoio assistencial e administrativo. A equipe da unidade é formada por 349 profissionais, entre os quais 80 médicos, 34 enfermeiros e 98 técnicos de enfermagem. Com o novo equipamento, a população da região da Chapada que precisava, por exemplo, de internamento em UTI não mais terá a necessidade de se deslocar para Irecê, Feira de Santana ou até mesmo Salvador. No próximo domingo (3), o Hospital da Chapada já começa a funcionar e de uma forma muito especial. Serão realizados os procedimentos do mutirão de cirurgias eletivas nos pacientes aprovados durante as consultas feitas no decorrer da semana. O mutirão é outro ganho importante para a saúde da Bahia. Em apenas um ano de execução, a iniciativa superou a meta e já possibilitou 13 mil cirurgias.