Pesquisa Ibope à Presidência: Bolsonaro lidera com 28%, Haddad já tem 22%, e Ciro 11%

/ Política

Jair Bolsonaro e Haddad polarizam eleição. Fotomontagem BMF

Sob ataques constantes dos outros candidatos à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) se manteve com 28% das intenções de voto em uma nova pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (24). Enquanto o líder parece ter estacionado, Fernando Haddad, candidato do PT ao Planalto, segue em ascensão. O estudo mostrou que o substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já tem 22% da preferência do eleitorado. Com o crescimento, Haddad ampliou a diferença para o terceiro colocado e já tem o dobro das intenções de votos que Ciro Gomes (11%), candidato do PDT. A pesquisa ainda mostrou que Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) também estacionaram, oscilando na margem de erro com 8% e 5% das intenções, respectivamente. O Ibope ouviu 2.506 pessoas em 178 municípios entre os dias 22 e 23 de setembro. A margem de erro estimada é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi contratada pelo Estado e pela TV Globo. O registro no Tribunal Superior Eleitoral foi feito sob o protocolo BR?06630/2018.

Prazo para eleito solicitar 2ª via do título eleitoral termina nesta quinta-feira (27)

/ Política

Termina nesta quinta-feira (27), dez dias antes do primeiro turno das eleições 2018, o prazo para o eleitor solicitar a segunda via do título no cartório eleitoral da zona onde está cadastrado. A previsão consta no artigo 52 do Código Eleitoral. É importante ressaltar que para a emissão da segunda via do título, o eleitor deve estar quite com a Justiça Eleitoral, ou seja, não poderá ter débitos pendentes como multas por ausência às urnas ou aos trabalhos eleitorais, como o de mesário, ou ainda ter recebido multas em razão de violação de dispositivos do Código Eleitoral (Lei 4.737/1965), da Lei das Eleições (Lei 9.504/1997) e leis conexas. Multas devem ser pagas por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU) emitida pelo cartório eleitoral e podem variar de R$ 1,05 a R$ 35,14.

Rui Costa cumpre agenda de campanha nesta terça no Vale, encerrando com caminhada em Jaguaquara

/ Política

Rui vai cumprir agenda no Vale do Jiquiriçá. Foto: Ulisses Dumas

Os candidatos da chapa majoritária governista, liderados pelo governador Rui Costa (PT), que tenta a reeleição, cumprirão agenda nesta terça-feira (25) em Jaguaquara. Rui, João Leão (PP), Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD) desembarcam em Maracás, a partir das 09h, onde terá início a visita da comitiva ao Vale do Jiquiriçá. Os candidatos farão carreata por Maracás, Lagedo do Tabocal, Itiruçu, Itaquara, encerrando o ato as 17h30 com comício na Praça dos Imigrantes em Jaguaquara, após caminhada que terá como ponto de partida o Trevo da Onça, entrada da cidade.

Às vésperas da eleição, Angelo Coronel espera que ‘100% do PSB’ apoie sua candidatura

/ Política

Coronel foi indicado por Otto para a majoritária Foto: Divulgação

O não apoio do PSB, comandado na Bahia pela senadora e candidata a deputada federal, foi questionado pelo jornal Tribuna da Bahia durante entrevista ao postulante ao Senado pelo PSD, Angelo Coronel. Lídice foi preterida pelo governador Rui Costa (PT) e acabou sendo substituída pelo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia na chapa majoritária do governo. Segundo Coronel, ainda existe uma ”pequena parte” do partido que ainda não o apoia, mas a situação pode ser revertida. ”Eu espero que 100% do PSB venha nos apoiar, mas hoje já temos um grande número de pessoas que nos apoiam, tanto prefeitos, ex-prefeitos, deputados federais e estaduais que nos apoiam. Tem uma pequena parte que ainda não declarou apoio ao nosso nome para senador e outros já declararam a outros nomes, mas eu espero que a consciência chegue e que venha nos apoiar porque grupo é grupo”, ressaltou.

Apoiador de Bolsonaro, Lázaro diz que relação com ACM, que apoia Alckmin, está ótima

/ Política

Lázaro está em segundo lugar nas pesquisas. Foto: Facebook

Presente no ato de apoio à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República, no domingo (23), no Farol da Barra, o candidato ao Senado pelo PSC, Irmão Lázaro, afirmou que sua relação com o prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, e com o candidato ao governo pelo partido, José Ronaldo, ”continua ótima”.”Sempre apoiei Bolsonaro, Bolsonaro sempre foi meu amigo. Quando meu nome foi aceito pela chapa, todos já sabiam que eu apoiava o Jair Bolsonaro. Mas, a minha relação com o prefeito ACM Neto é maravilhosa, a mesma coisa com o ex-prefeito de Feira de Santana, o candidato José Ronaldo”, ressaltou à coluna Raio Laser, do jornal Tribuna da Bahia. Lázaro está em segundo lugar nas pesquisas de intenções de votos atrás de Jaques Wagner (PT) e à frente de Angelo Coronel (PSD) e Jutahy Magalhães (PSDB), seu companheiro de chapa.

Em Salvador, Ciro Gomes se coloca como conciliador, ataca Bolsonaro e PT e poupa Lula

/ Política

Ciro Gomes faz comício em Salvador. Foto: Reprodução/G1

Em visita a Salvador, neste sábado (22), o candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) afirmou que, apesar da sua preocupação com os pobres, quer governar para todos os brasileiros. Em terceiro lugar nas pesquisas de intenções de votos, o pedetista pretende se mostrar como um político capaz de unificar o país. ”Quero unir o Brasil que produz com o que trabalha”, afirmou Ciro, segundo o site bahia.ba. O presidenciável disse ainda que nenhuma família brasileira deveria brigar por questões político-partidárias. Apesar de se mostrar como um candidato da conciliação, o pedetista voltou a chamar o adversário Jair Bolsonaro (PSL) de ”nazista” e o General Mourão (PRTB), seu vice, de ”jumento de carga” e ”vagabundo”. No caso do general, Ciro criticou a fala do militar sobre famílias chefiadas por mulheres serem mão de fábrica para o tráfico. Mesmo com as criticas feitas ao PT durante o seu discurso, Ciro poupou o ex-presidente Lula. ”O meu amigo Fernando Haddad perdeu em São Paulo com o apoio do Lula e meu nos bairros pobres e ricos. Isso não o desmerece, mas na hora do extremismo não podemos brincar com fogo”, defendeu. O candidato do PDT também elogiou o governador Rui Costa e o ex-governador Jaques Wagner, ao destacar a aliança entre os partidos na Bahia

ACM Neto diz que Bolsonaro nunca apresentou propostas relevantes como deputado

/ Política

Neto ataca Jair Bolsonaro e Fernando Haddad. Foto: Facebook

Muito aplaudido quando discursou ontem (21) em comício receptivo a Geraldo Alckmin, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) foi duro ao criticar o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, por segundo ele nunca ter apresentado propostas relevantes como parlamentar, e o presidenciável do PT, Fernando Haddad, a quem ironizou por ter perdido a eleição para prefeitura de São Paulo ainda no primeiro turno, em 2016. O tom duro do aliado foi a senha para Alckmin, conhecido pelo tom tranquilo, também endurecer o discurso contra os rivais, que lideram as últimas sondagens eleitorais. ”(Haddad) Não conseguiu dar conta de uma prefeitura, como é que vai conseguir dar conta do Brasil?”, afirmou, por exemplo, sobre o candidato do PT, mas sem citá-lo nominalmente. O ex-governador paulista ainda voltou a afirmar que Bolsonaro ”deu o primeiro tiro no bolso do contribuinte, na classe média, querendo criar mais um imposto, um imposto ruim, em cascata”, ao se referir à proposta de recriação da CPMF, feita pelo guru econômico do capitão da reserva, o economista Paulo Guedes. ”Do outro lado tem um candidato querendo resolver tudo na bala. O Brasil não vai resolver seus problemas na bala”, alfinetou Alckmim. A ex-presidente cassada Dilma Rousseff (PT) também foi alvo do presidenciável, quando perguntado sobre o desemprego no País. ”Foi dona Dilma e o PT que foram responsáveis por esse descalabro. A crise foi muito dura. Foram 13 milhões de desempregados que o PT deixou como herança do descontrole total das contas públicas”, afirmou.

Vice de Zé Ronaldo nega ser servidora pública após ter registro de candidatura questionado no TRE-BA

/ Política

Mônica tem candidatura questionada pelo TRE. Foto: Bocão News

A candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por José Ronaldo (DEM), a integrante do Movimento Brasil Livre (MBL), Mônica Bahia (PSDB), negou ser servidora pública, após ter seu registro de candidatura questionado no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Em entrevista ao site BNews, na noite desta sexta-feira (21), durante comício do presidenciável Geraldo Alckmin em Salvador, a postulante se limitou a dizer que ”não é servidora pública e o jurídico está tratando do assunto”. No início do mês, o cidadão Reginaldo de Souza Bomfim Filho voltou a questionar a candidatura da tucana após o TRE-BA deferi-la. Ele já tinha entrado com o mesmo pedido logo após o anúncio da vice, mas a petição, segundo a própria Justiça Eleitoral, não foi processada devidamente, sendo, agora, apresentada novamente. Mônica já afirmou em palanque e em propaganda eleitoral que é servidora pública ”e conhecia de perto os problemas da regulação”. De acordo com a Constituição Federal, servidores públicos não podem concorrer a cargos eletivos sem que tenham se afastado do cargo. Neste caso, Mônica Bahia deveria ter se desincompatibilizado no dia 7 de abril.

Pesquisa DataPoder360 diz que Bolsonaro e Fernando Haddad estão empatados tecnicamente

/ Política

Bolsonaro e Haddad devem disputar o 2º turno. Foto: Reprodução

Em levantamento feito pela DataPoder360 nos dias 19 e 20 de setembro e divulgada na noite de ontem (21), os candidatos a Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) aparecem empatados tecnicamente na primeira posição. O candidato do PSL segue na liderança com 26% seguido pelo petista, que tem 22% das intenções de voto. Ciro (PDT) aparece com 14%, Alckmin (PSDB) com 6%, Marina (Rede) com 4%, Alvaro (podemos) com 3%, Meirelles (MDB) com 3% e Boulos (Psol) com 2%. Darciolo (Patriota), Eymael (DC), Amoêdo (Novo) e Goulart (PPL) estão com 1%. Vera (PSTU) não pontuou. Brancos e nulos representam 12% e não sabem ou não responderam contam 3%. O levantamento também fez quatro testes de segundo turno. Bolsonaro, líder das pesquisas, venceria Alckmin e Marina, mas empataria pela margem de erro com Haddad. Ciro Gomes seria o único que venceria o militar: 42% a 36%. A pesquisa foi realizada com 4.000 entrevistas em todas as unidades da Federação. É o termômetro mais preciso e atual da corrida pelo Planalto. O registro na Justiça Eleitoral é BR-02039/2018.

”Seremos mais fortes remando juntos”, afirma Rui durante caminhada em Paulo Afonso

/ Política

Rui Costa segue percorrendo o interior bainao. Foto: Divulgação

A caravana da chapa governista, que inclui os candidatos a vice-governador, João Leão, e a senador, Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD), realizou uma caminhada na cidade de Paulo Afonso, na manhã desta sexta. À tarde, a caravana visitou Camaçari, partindo em caminhada a partir da Praça Desembargador Montenegro. Neste sábado, a caravana seguirá para Porto Seguro, Eunápolis, Itabela e Santa Cruz Cabrália. No domingo, a cidade de Juazeiro receberá a Correria pela Bahia reforçada pela presença de Fernando Haddad e Manuela D’Ávila, candidatos a presidente e vice na chapa de aliança PT/PC do B/Pros. Mesmo dia. às 18 horas, o destino é Bom Jesus da Lapa. Segunda-feira, a caravana estará em Santo Estevão, Amélia Rodrigues, São Sebastião do Passé e Simões Filho.

Em Salvador, Alckmin ataca Bolsonaro e Haddad e fala que ”campanha tende a se acirrar”

/ Política

Alckmin visita Salvador ao lado de ACM Neto. Foto: Divulgação

Após um breve corpo a corpo no Centro Histórico de Salvador, no final da tarde desta sexta-feira, 21, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, participou de um comício e atacou os adversários Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Além disso, o tucano afirmou que “a campanha tende a se acirrar a partir de agora”. Seguindo o tom adotado pelo prefeito de Salvador ACM Neto, que comparou Haddad a um poste que não conseguiu iluminar a capital paulista, Alckmin destacou que, se o petista não conseguiu comandar a Prefeitura da capital paulista, não conseguiria governar o Brasil. “Vejo um candidato que quer resolver tudo a bala e o primeiro tiro que deu foi no bolso da classe média, anunciando a volta da CPMF”, afirmou, em referência a Bolsonaro, a quem classificou como o “candidato que resolver tudo à bala”. Sobre a carta divulgada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, conclamando uma união do centro contra extremos, Alckmin disse que “do alto da sua experiência, o presidente Fernando Henrique colocou muito bem.” “Não é com extremismo que iremos resolver os problemas do Brasil, precisamos atuar num esforço conciliador”, disse. Geraldo Alckmin culpou o governo da presidente cassada Dilma Rousseff e o PT pelo “descalabro do desemprego” e prometeu cuidar da Saúde e “enxergar quem sofre”.

Com campanha de deputado federal discreta, tucano Aécio Neves já recebeu R$ 2 mi do fundo eleitoral

/ Política

Aécio disputava vaga de deputado federal. Foto: Reprodução

Quatro anos depois de perder uma eleição presidencial por diferença inferior a 3,5 milhões de votos, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) faz campanha fora dos holofotes para deputado federal em Minas Gerais. Sem apoio, ao menos oficialmente, dos principais integrantes do partido – entre os quais seu afilhado político, o também senador Antonio Anastasia, candidato ao governo de Minas e o presidenciável Geraldo Alckmin -, Aécio Neves mantém agenda restrita de viagens ao interior, não divulga os atos políticos a que vai comparecer. Apesar da campanha aparentemente discreta, ao estilo “mineirinho”, informações enviadas pela campanha do senador ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que, até o momento, o parlamentar recebeu R$ 2 milhões de recursos do fundo especial, repassados pelo PSDB nacional, e R$ 19.195,00 de 11 pessoas físicas, com valores que oscilam entre R$ 145,00 e R$ 5 mil. O valor recebido por Aécio Neves do fundo especial via direção nacional do partido é bem superior ao repassado a outros candidatos tucanos de expressão no Estado e que disputam o mesmo cargo. O presidente estadual da legenda, Domingos Sávio, que tenta a reeleição, recebeu R$ 900 mil. O vice-presidente, Paulo Abi Ackel, R$ 500 mil. Ambos disputam a reeleição. Com menor visibilidade na comparação Aécio e dirigentes partidários, Cidinha Campos recebeu R$ 80 mil. Os gastos de Aécio até o momento totalizaram R$ 844.838,69. Do montante, o valor mais expressivo, R$ 106.330,00 foi com empresa de encadernação e edição. Há ainda R$ 64.686,04 com empresa de aluguel de veículos. Depois de governar Minas Gerais por duas vezes, ser eleito senador e perder a disputa presidencial de 2014 para Dilma Rousseff (PT), que sofreu impeachment e hoje lidera as pesquisas de intenção de voto para o Senado por Minas, o tucano já não tem a mesma força política, sobretudo após ter sido flagrado em grampo da Polícia Federal pedindo R$ 2 milhões para o empresário Joesley Batista. A alegação de Aécio é que se tratava de um empréstimo, que seria oficializado em contrato, para pagamento de advogados em processos que o parlamentar já respondia. O tucano virou réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em ação da Procuradoria Geral da República (PGR) por corrupção passiva e obstrução de justiça. Desde 16 de agosto, data em que teve início a campanha 2018 – portanto, em 38 dias – o senador registrou com vídeos em sua página no Facebook cinco atos de campanha. O primeiro, dia 25 de agosto, em fazenda próxima a Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri; outro em Belo Horizonte, quatro dias depois; o terceiro em São João del Rei, no Campo das Vertentes, no dia 31; o quarto em Ipatinga, no Vale do Aço, em 1º de setembro; e o último em São Romão, no Norte do Estado, na terça-feira, 18. Em todos os atos, Aécio está ao lado de lideranças locais. O tucano não participou, ao menos até o momento, de nenhum comício de Anastasia ou do candidato à Presidência da República de seu partido, Geraldo Alckmin, em Minas. No Facebook do senador são publicadas também animações sobre o que o tucano fez como governador do Estado e propostas. Há ainda um vídeo em que Aécio responde a perguntas de internautas. Famoso pela ativa presença na vida noturna do Rio de Janeiro, na publicação o tucano busca realçar raízes mineiras. O vídeo foi chamado de “Dedo de prosa com Aécio” e fala de comida vendida no estádio Mineirão e de sua torcida pelo Cruzeiro. Em uma pergunta citada pelo tucano, um eleitor quer saber se o senador já comeu “o tropeiro zoiudo (com ovo) do Mineirão”, ele responde: “Muito. Era um frequentador assíduo do Mineirão”. Em outra pergunta, querem saber qual foi o melhor jogo entre Cruzeiro e Atlético. O tucano cita um que, segundo ele, ocorreu no final da década de 60 ou início dos anos 70. Aécio, respondendo a outra pergunta de ordem pessoal, diz que hoje, não é mais “pegador”. “Na verdade, eu fui muito namorador. Gostava muito de namorar. E namoro até hoje, a minha loira do Sul”, e manda um beijo para a mulher, Letícia, que aparentemente está na mesma sala em que o tucano gravou o vídeo. Ao longo da semana, Aécio recebe líderes políticos do interior no apartamento que mantém no bairro Anchieta, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, fazendo o caminho inverso do normalmente observado pelos candidatos, de ir ao encontro dos eleitores nas bases. Quem mora próximo ao apartamento do tucano garante que a movimentação no local é intensa. “Tem dia que não tem como estacionar, de tanto carro”, afirma um vizinho.

Pesquisa Brasilis/Genial: Bolsonaro segue na frente e Fernando Haddad em segundo

/ Política

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, segue liderando as pesquisas eleitorais, de acordo com levantamento do instituto Brasilis, a pedido da Genial Investimentos. Bolsonaro, que continua internado e sem poder fazer campanha de rua, aparece com 30% das intenções de voto, seguido por Fernando Haddad, com 17%. Empatados na terceira posição, com 7%, estão Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB). Marina Silva, da Rede, vem logo depois com 6%. Votos em branco ou nulo somam 11%, enquanto os que não sabem ou não quiseram responder são 7%. O instituto entrevistou mil pessoas por telefone. A pesquisa tem um intervalo de confiança de 95%.

Pesquisa do Instituto Ibope revela que gestão de Rui Costa é aprovada por 69% dos baianos

/ Política

Maioria dos baianos aprova gestão de Rui. Foto: Diego Mascarenhas

Pesquisa do instituto Ibope divulgada na terça-feira (18) sobre as intenções de voto para o governo da Bahia mediu também o grau de satisfação dos eleitores com a administração de Rui Costa (PT), que tenta se reeleger. Dos 1008 entrevistados entre os dias 15 e 17 últimos, 52% dos eleitores avaliaram o governo Rui como ótimo/bom; 29% como regular; 19% como ruim/péssimo. No total, o índice de aprovação dos baianos a Rui Costa é de 69%; reprovação chega a 18%; e 12% não souberam (ou não quiseram) avaliar.