Citação ao presidente Bolsonaro em caso Marielle Franco pode levar investigação ao STF

/ Política

Bolsonaro segue em viagem fora do país. Foto: Valdenio Vieira

O depoimento de um porteiro do condomínio Vivendas da Barra, onde morava Ronnie Lessa, um dos dois acusados de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e seu motorista Anderson Gomes, poderá obrigar o Supremo Tribunal Federal (STF) a se pronunciar sobre o caso, porque o funcionário nele citou o presidente Jair Bolsonaro.

Segundo reportagem exibida nesta terça-feira (29) pelo ”Jornal Nacional”, da TV Globo, o empregado afirmou à Polícia Civil que, às 17h10 de 14 de março de 2018 (horas antes do crime), um homem chamado Elcio (que seria Elcio Queiroz, o outro acusado pelo duplo homicídio) entrou no condomínio dirigindo um Renault Logan prata e afirmou que iria à casa 58, onde morava Bolsonaro. O porteiro afirma que então ligou para a casa 58 e o ”seu Jair” atendeu e autorizou a entrada de Elcio. O então deputado, porém, estava em Brasília, segundo registros da Câmara.

O porteiro, de acordo com a emissora, afirmou à Polícia que acompanhou a movimentação do carro, pelas câmeras de segurança do condomínio. Constatou que Elcio não foi à casa 58, mas sim à 66, onde morava Ronnie Lessa – preso, assim como Elcio, em março deste ano, sob acusação de disparar os tiros que mataram Marielle e Anderson, enquanto Elcio dirigia o carro. O funcionário contou à Polícia que, ao constatar a mudança de destino do visitante, ligou novamente para a casa 58 e novamente ”o seu Jair” teria atendido e afirmado que sabia para onde Elcio estava indo.

Nesse dia, no entanto, Jair Bolsonaro registrou presença com as digitais na Câmara dos Deputados, onde exercia o mandato de deputado federal. Nesse dia, participou de duas votações na Casa e divulgou vídeos e fotos, tiradas em seu gabinete na capital, nas redes sociais.

Segundo a reportagem da TV Globo, as conversas pelos interfones do condomínio em que Bolsonaro tem casa no Rio são gravadas. A Polícia Civil do Rio tenta localizar essas gravações para descobrir se o porteiro realmente fez contato com a casa de Bolsonaro e quem atendeu o interfone.

Ainda segundo a TV Globo, integrantes do Ministério Público do Estado do Rio, que acompanham a investigação sobre a morte de Marielle Franco foram a Brasília, no último dia 17, para consultar o presidente do STF, Dias Toffoli, sobre a continuidade da apuração. Eles queriam saber se, por causada citação a Bolsonaro, não seria obrigatória a autorização do STF para que a investigação continuasse, já que o presidente tem foro privilegiado.

Consultada pelo Estado, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República não se manifestou sobre o caso até às 21h45 desta terça-feira.

Ao ”Jornal Nacional”, o advogado Frederick Wassef, que representa Jair Bolsonaro, negou a versão do porteiro e afirmou que se trata de uma tentativa de atingir o presidente. Segundo ele, Bolsonaro não conhece os acusados pela morte de Marielle. Wassef desafiou a que provem o contrário e afirmou que o depoimento pode ter sido forjado.

“Eu nego isso”, declarou à Globo. ”Isso é uma mentira. Deve ser um erro de digitação, alguma coisa. O Jair Bolsonaro, no dia 14 de março de 2018, encontrava-se em Brasília, na Câmara dos Deputados, inclusive existe o registro de entrada dele lá, com o dedo, e todas as demais provas. Eu afirmo com absoluta certeza e desafio qualquer um no Brasil a provar o contrário. Isso é uma mentira, isso é uma fraude, isso é uma farsa para atacar a imagem e a reputação do presidente da República. E é o caso de uma investigação por esse falso testemunho em que qualquer pessoa tenha afirmado que essa pessoa foi procurar Jair Bolsonaro. Talvez, esse indivíduo tenha ido à casa de outra pessoa, e alguém, com intuito de incriminar o presidente da República, conseguiu um depoimento falso, onde essa pessoa afirma que falou com Jair Bolsonaro. O presidente não conhece a pessoa de Élcio, e essa pessoa não conhece o presidente. Isso é uma mentira e uma farsa”.

Diagnosticado com câncer, prefeito de SP deve passar por sessão de quimioterapia nesta terça

/ Política

Bruno Covas enfrenta sérios problemas. Foto: Governo do SP

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), diagnosticado com câncer nesta segunda-feira (28), deve fazer a primeira sessão de quimioterapia nesta terça-feira, no hospital Sírio-Libanês. O câncer está localizado na transição entre o estômago e o esôfago.

”Obviamente, quanto mais rápido a gente começar o tratamento, melhor. Então, esse é o motivo que já começamos. Sabendo que, eventualmente, em duas a três semanas, a gente refina o tratamento. Ele está internado pela trombose, ele está assintomático do tumor e – dependendo da alta da trombose, a gente aproveita para ganhar tempo e começar a quimioterapia internado”, explicou o oncologista Túlio Pfiffer ao portal G1.

Além do tumor na transição entre o esôfago e o estômago, Covas possui pequenas lesões no fígado e nos gânglios linfáticos. Isso se deve a um processo denominado metástase, que se caracteriza pela migração de células do tumor para outras partes do corpo. De acordo com os médicos, a doença foi traiçoeira, porque não havia sintoma no local.

Acusado de oferecer atendimento médico irregular, deputado Targino Machado é julgado pelo TRE-BA

/ Política

Targino é acusado de irregularidades. Foto: Reprodução

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) julga, nesta terça-feira (29), o processo movido contra o deputado estadual Targino Machado, no qual é acusado de oferecer atendimentos médicos irregulares para a população de Feira de Santana, no centro norte baiano, em troca de votos. De acordo com as investigações, os atendimentos eram realizados em clínicas clandestinas na cidade.

O inquérito apontou, ainda, que parlamentar também transportava pessoas para os municípios de Cachoeira e São Félix, onde tinham acesso, irregularmente, a serviços de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). Denúncia foi feita pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Bolsonaro diz que vídeo com leão e hienas foi ”erro”, culpa filho e pede desculpas ao STF

/ Política

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ao Estado que a publicação em sua conta no Twitter em que se compara a um leão sendo atacado por hienas foi um ”erro” e, por isso, pede desculpas.

No vídeo, divulgado na segunda-feira, 28, os animais que ameaçam o leão levam o símbolo de instituições, como o Supremo Tribunal Federal, a Organização das Nações Unidas (ONU), o seu partido, PSL, e siglas de oposição – entre as quais o PT e o PCdoB -, além da imprensa. A postagem foi apagada cerca de duas horas depois diante de forte repercussão negativa.

”Me desculpo publicamente ao STF, a quem por ventura ficou ofendido. Foi uma injustiça, sim, corrigimos e vamos publicar uma matéria que leva para esse lado das desculpas. Erramos e haverá retratação”, disse o presidente durante viagem à Arábia Saudita.

No filme postado ontem, o rei da selva se alia a outro leão, chamado ”conservador patriota”, parte para o contra-ataque e vence seus inimigos. ”Vamos apoiar o nosso presidente até o fim. E não atacá-lo. Já tem a oposição para fazer isso!”, dizem os letreiros sobrepostos às imagens da fuga. A montagem se encerra com a transição de imagens da bandeira do Brasil para a de Bolsonaro de braços abertos. A trilha sonora épica dá espaço a uma gravação do presidente repetindo o seu lema de campanha: ”Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

O presidente afirmou que o vídeo foi publicado em sua conta sem o devido cuidado e que orientou sua equipe a evitar este tipo de conteúdo. ”O vídeo não é meu, esse vídeo apareceu, foi dada uma olhada e ninguém percebeu com atenção que tinham alguns símbolos que apareciam por frações de segundos. Depois, percebemos que estávamos sendo injustos, retiramos e falei que o foco (nas redes sociais) são as nossas viagens.”

Presidente Jair Bolsonaro se compara a leão atacado por hienas do STF, PSL, PT e ONU

/ Política

Bolsonaro cumpre agenda fora do país. Foto: Valdenio Vieira

Após declarar que considera criar a sua própria legenda, o Partido da Defesa Nacional (PDN), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou nesta segunda-feira, 28, vídeo nas redes sociais em que se compara a um leão sendo atacado por hienas que representam o Supremo Tribunal Federal (STF), o PSL, PT, veículos de imprensa, a Organização das Nações Unidas (ONU), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e outras entidades. O vídeo foi tirado do ar.

Durante o vídeo, um segundo leão, identificado por uma legenda como ”conservador patriota”, aproxima-se do animal que representa o presidente da República e afasta as hienas. ”Vamos apoiar o nosso presidente até o fim”; e não atacá-lo; ”já tem a oposição para fazer isso!”, dizem as mensagens sobrepostas no vídeo enquanto os bichos fogem. O vídeo se encerra com a bandeira do Brasil e uma foto de Bolsonaro de braços abertos. Há também hienas identificadas pelo símbolo do feminismo, o Greenpeace, o PSDB, o Movimento Brasil Livre (MBL), além de ”Lei Rouanet”, ”isentão” e ”via sensata”.

Bolsonaro está crise com o PSL, negocia migrar para outras legendas e disse na última semana que pode até mesmo ficar sem partido algum. O presidente está em Riad, na Arábia Saudita, onde cumpre agenda de viagens pela Ásia e Oriente Médio. No texto que acompanha o vídeo, Bolsonaro lista os seguintes países: Chile, Argentina, Bolívia, Peru e Equador. ”Mais que a vida, a nossa LIBERDADE”, escreve Bolsonaro. Os países citados pelo presidente passam por momentos de instabilidade política, eleições e protestos.

No domingo (27/10), a Argentina elegeu como presidente o peronista Alberto Fernández, integrante da mesma chapa da ex-presidente Cristina Kirchner. Bolsonaro lamentou o resultado e disse que não irá cumprimentar a chapa vencedora. O presidente ficou incomodado com uma imagem publicada por Fernández, horas antes do resultado, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde 2018 no âmbito da Operação Lava Jato. ”O primeiro ato do Fernández foi ‘Lula livre’, dizendo que está preso injustamente. Já disse a que veio”, avaliou.

Bolsonaristas criticam a deputada Dayane Pimentel durante manifestação em Salvador

/ Política

Manifestação foi realizada na capital. Foto: Roberto Viana/BNews

A deputada federal Dayane Pimentel (PSL) virou alvo de críticas após ser flagrada em um grampo, durante uma reunião, onde se manifesta negativamente sobre Jair Bolsonaro (PSL). Durante a conversa, ela comenta sobre a lista com as assinaturas para colocar o deputado Eduardo Bolsonaro na liderança do PSL na Câmara Federal.

”O presidente diz: ‘Assina, senão é meu inimigo’. Quem é que não ia assinar? Por isso que eu não fui”, disse a parlamentar, no áudio vazado na imprensa.

Durante a manifestação organizada pelos eleitores do presidente, neste domingo (27), em Salvador, a parlamentar recebeu inúmeras críticas. Clarivaldo Pessoa, um dos militantes que estavam no trio elétrico do movimento, afirmou ao site BNews que ”dentro do PSL, a crise foi se avolumando a partir de pessoas que não têm identidade com o projeto de governo”.

”A crise veio à tona a partir do momento que as pessoas manifestaram na reunião estar contra o presidente da República. Não vou dizer que foi um engodo, uma armação, mas a Presidência já sabia e o clã da família Bolsonaro já sabiam”, completou.

Ele também aproveitou e explicou que o protesto, que teve baixa adesão, não tem ligações com políticos e que nasceu de um movimento espontâneo.

Aniversário do ex-presidente Lula é marcado por atos e publicações de famosos nas redes sociais

/ Política

Luiz Inácio completa 74 anos. Foto: Ricardo Stuckert

O aniversário de 74 anos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, neste domingo (27), é marcado por manifestações em vários pontos do país. Lula nasceu em 27 de outubro de 1945, na cidade pernambucana de Caetés.

Os atos comemorativos foram iniciados ainda na quinta-feira (24), com a instalação de bancas para coleta de assinaturas para a campanha ”Lula Livre”.

Na internet personalidades usaram contas nas redes sociais para parabenizar o ex-presidente. Entre eles o compositor Chico Buarque, a filósofa americana Angela Davis, o sambista Martinho da Vila e banda Pato Fu desejaram os parabéns ao ex-presidente. *BN

Áudio indica que Bolsonaro tratou com Queiroz sobre demissão de funcionária fantasma

/ Política

A gravação foi obtida pela Folha de S. Paulo. Foto: Reprodução

Um áudio vazado indica que o presidente Jair Bolsonaro comunicou a Fabricio Queiroz, o ex-assessor do seu filho e senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), a intenção de demitir uma funcionária do gabinete de seu outro filho, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC). O intuito era desvincular a mulher da família.

A gravação foi obtida pela Folha de S. Paulo e divulgada neste domingo (27). No áudio, Queiroz comenta a situação de Cileide Barbosa Mendes, de 43 anos, doméstica da família de Bolsonaro e “laranja” na empresa do ex-marido de Ana Cristina Valle – Ana é ex-mulher do presidente.

”Na época, o Jair falou para mim que ele ia exonerar a Cileide porque a reportagem estava indo direto lá na rua e para não vincular ela ao gabinete. Aí ele falou: ‘Vou ter que exonerar ela assim mesmo’. Ele exonerou e depois não arrumou nada para ela não? Ela continua na casa em Bento Ribeiro?”, diz o ex-assessor no áudio, gravado em março deste ano.

A gravação, contudo, não esclarece quando ocorreu a mencionada conversa entre o presidente e Queiroz. Mas Jair e Flávio afirmam que não conversam com o ex-assessor desde o final do ano passado, quando veio à tona o relatório no qual o Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) revela uma movimentação financeira atípica nas contas de Queiroz.

Com agressão a primo, deputado pode ter enterrado de vez candidatura em Conquista

/ Política

Marcell Moraes agrediu o primo assessor. Foto: Divulgação

Entre colegas, a situação do deputado estadual Marcell Moraes (PSDB), acusado de ter espancado um primo sob a suspeita de que ele o estava traindo com a sua amante, é considerada gravíssima.

Alguns dizem que Moraes terá dificuldade de se explicar ante uma eventual acusação policial e judicial de ter reagido a uma agressão porque, inclusive, quando a notícia se espalhou, a negou para várias pessoas.

”Como é que agora, a irmã dele aparece dizendo que ele não fala com a imprensa nem se justifica por que está também machucado em um hospital?”, questiona um parlamentar que diz gostar pessoalmente do tucano.

Eles acreditam, no entanto, que o pior efeito será sobre sua carreira política. A candidatura a prefeito de Vitória da Conquista, por exemplo, muitos acreditam que foi para o saco, a partir de uma campanha dos adversários.

Com boa votação na cidade, o tucano chegou a transferir seu domicílio eleitoral, recebeu o título de cidadão conquistense de um vereador e praticamente se mudou para lá.

A história da agressão depois que Marcell pulou uma verdadeira fogueira no Tribunal Regional Eleitoral, onde foi absolvido de um processo de cassação. O primo do deputado, que também é lotado em seu gabinete, o acusou de ter agredido na companhia de outros assessores. Matéria do Política Livre

Do PDT, Alex Santana nega pertencer ao grupo ACM; ”total alinhamento com o Governo do Estado”

/ Política

Alex Santana diz que segue com Rui Costa. Foto: Divulgação

Após sofrer processo interno no PDT, por suposta infidelidade partidária por ter votado em favor da reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro, o deputado federal Alex Santana (PDT), que teve sua imagem vinculada ao prefeito da capital baiana, ACM Neto (DEM), apesar de defender que os interesses da Bahia estejam acima de demandas ”apenas partidárias”, negou pertencer ao grupo de Neto e assegurou ainda total alinhamento com o governo do estado.

”Assumo os compromissos com minha sigla, mas considero importante um político transitar por todas as instâncias de governo, sendo da base ou oposição, por um bem maior que são os interesses da população. Estou deputado federal pela Bahia e me coloco também à disposição para contribuir com os debates. Tenho total alinhamento com o Governo do Estado e um ótimo relacionamento com o vice-prefeito Bruno Reis, dentre outros integrantes da oposição. Isso é fazer política sem picuinha”, declarou.

A declaração foi dada após a notícia, conforme publicado pela reportagem, de que o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, viria à Salvador nesta quinta-feira (24), para encontros com o governador Rui Costa (PT) e com o prefeito da capital e presidente nacional do DEM, para alinhavar a filiação do democrata Leo Prates ao ninho pedetista. Os comentários no meio político é que os integrantes da sigla não concordam com a possível ruptura com o Executivo estadual por conta da eventual filiação de Prates.

 

Assessor denuncia que foi agredido pelo deputado estadual Marcell Moraes, dentro de apartamento

/ Política

Lucas Carvalho diz que foi agredido por Marcell. Foto: Reprodução

Primo do deputado estadual Marcell Moraes (PSDB), o assessor Lucas Carvalho de Matos confirmou ao site bahia.ba que foi ”espancado” dentro de um apartamento do tucano em Salvador, na manhã desta quinta-feira.

”Agora vou fazer uma tomografia. Fui espancado dentro de um apartamento do qual o dono é o deputado Marcel Moraes”, afirmou Lucas. Há suspeita de que ele esteja com costelas e maxilar fraturados.

O assessor disse ainda que a agressão aconteceu após o deputado desconfiar que ele estaria tendo um caso com uma mulher apontada como sua amante.

Lucas Carvalho diz que foi socorrido por uma unidade do Samu e que está num hospital fazendo ”uma série de exames” neste momento. O deputado não atendeu às ligações nem respondeu às mensagens enviadas pela equipe.

Na GloboNews, Rui fala de possível candidatura a presidente; ”Quero ajudar o Brasil a se reencontrar”

/ Política

Governador concede entrevista à GloboNews. Foto: Camila Peres

O governador Rui Costa, em entrevista à GloboNews exibida na noite desta quarta-feira (23/10), afirmou que ”quer ajudar o Brasil a se reencontrar”, fazendo referência a uma possível candidatura à Presidência da República em 2022.

”Eu posso não ser candidato a nada, mas quero ajudar o Brasil a se reencontrar”, disse o petista, pontuando que ”os políticos precisam controlar sua vaidade para ficar um degrau abaixo do projeto de nação, do projeto do país”.

Costa focou na questão da “união” da sociedade brasileira já a partir do pleito de 2020. ”Precisamos nos unir nas eleições municipais para reconstruir o Brasil, deixando de lado o ódio e a raiva”, afirmou.

O chefe do Executivo baiano também avaliou Lula como ”líder nato”, que ”trouxe pacificação” para o Brasil. ”Foi o período que o Brasil mais cresceu nas últimas décadas”, assegurou o governador, ressaltando os avanços na Bahia no período em que o PT governou o Brasil.

”A Bahia tinha um Instituto Federal, hoje tem 30. Tinha uma universidade federal, hoje temos 5. A oferta de educação cresceu muito, e esse é um feito dos governos Dilma e Lula. Apostaram no futuro”, pontuou.

A ineficiência do governo federal também foi abordada por Costa. ”O que eu discordo é desse estilo de trazer tudo para esferas políticas e ideológicas em vez de tomar logo uma atitude. Não colocar a defesa da população em primeiro lugar. A demora na reação deles [na questão do vazamento de óleo na costa do Nordeste] tem a ver com isso”, afirmou.

Em áudio, Queiroz fala de cargos no Congresso e cita gabinete de Flávio: ”Faz fila, é só chegar”

/ Política

Flávio Bolsonaro é citado em a´áudio de Queiroz. Foto: Ag. Senado

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, aparece em áudio de WhatsApp obtido pelo jornal O Globo falando sobre indicações para cargos no Congresso. De acordo com a publicação, a mensagem foi enviada por Queiroz em junho – seis meses depois que o Estado revelou que o ex-assessor foi citado em relatório do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf, agora Unidade de Inteligência Financeira) por movimentações atípicas em sua conta.

”Tem mais de 500 cargos, cara, lá na Câmara e no Senado”, diz Queiroz no áudio. ”Pode indicar para qualquer comissão ou, alguma coisa, sem vincular a eles em nada. ’20 continho’ aí para gente caía bem pra c*”. Queiroz cita o gabinete de Flávio. ”O gabinete do Flávio faz fila deputados e senadores lá para conversar com ele. Faz fila. É só chegar: ‘meu irmão, nomeia fulano para trabalhar contigo aí’. Salariozinho bom, para a gente que é pai de família, p* que pariu, cai igual uma uva.”

O Estado tenta contato com a defesa de Queiroz.

O Ministério Público quer saber por que Queiroz, de janeiro de 2016 a janeiro de 2017, movimentou em uma conta mais de R$ 1,2 milhão, quantia considerada incompatível com a renda do assessor. Ele trabalhava para Flávio, oficialmente, como motorista. Em maio, a Justiça do Rio autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal do senador e de Queiroz, atendendo um pedido do Ministério Público Estadual do Rio, junto com famliares de ambos e dezenas de outras pessoas que trabalharam com o então deputado estadual.

Um mês depois, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli suspendeu, a pedido da defesa de Flávio, todos os processos judiciais que tramitam no País onde houve compartilhamento de dados da Receita Federal, do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e do Banco Central com o Ministério Público sem uma prévia autorização judicial.

Com a determinação do ministro, todos os casos que tratam sobre a controvérsia ficam suspensos até que o STF decida sobre a questão, incluindo o processo contra Flávio. Em 30 de setembro, Gilmar Mendes decidiu suspender processos envolvendo a quebra do sigilo de Flávio no caso. A decisão de Gilmar atende ao pedido da defesa do filho do presidente, que alegava que processos que miram Flávio não foram devidamente suspensos, desrespeitando, portanto, a decisão de Toffoli. Com informações do Estadão

Cacá Leão nega a possibilidade de fusão entre PP e PSL e declara que é ”Fake News”

/ Política

Possível fusão entre PP e PSL é Fake News. Foto: Reprodução 

 A possibilidade aventada pelo colunista da revista Época, Guilherme Amado, de que uma fusão entre o PP e PSL estaria sendo negociada. Em conversa com o site BNews, o deputado federal Cacá Leão (PP-BA) negou a possibilidade da fusão e declarou que é ”Fake News”.

A crise do PSL está a todo vapor e  notícias de uma possível fusão do partido com partidos de direita, como o DEM (Democratas) e o PP (Partido Progressista)  já foram ventilados como possíveis  parceiros da sigla.