Datafolha: Bolsonaro tem 26% das intenções de voto; Haddad e Ciro têm 13% cada um

/ Política

Nova pesquisa do instituto Datafolha mostra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com 26% das intenções de voto na disputa presidencial. Fernando Haddad (PT) atingiu 13% e está empatado com Ciro Gomes, que tem o mesmo percentual. Geraldo Alckmin (PSDB) obteve 9% dos votos e Marina Silva (Rede) é a candidata de 8% dos entrevistados. Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo) marcam cada um 3% das intenções de voto. Também estão empatados Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL) e Vera Lúcia (PSTU), com 1%. João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram. Treze por cento dos entrevistados declaram votar em branco ou nulo; e 6% não sabem ou não responderam. O levantamento foi feito ontem (13) e nesta sexta-feira (14) junto a 2.820 eleitores em 187 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pelo jornal Folha de São Paulo e pela Rede Globo e registrada com o número BR05596/2018 na Justiça Eleitoral.

Comparação

Na comparação com a pesquisa realizada na última segunda-feira (10), Jair Bolsonaro oscilou dois pontos percentuais, Fernando Haddad cresceu quatro pontos percentuais e Ciro Gomes manteve-se estável. O ex-governador paulista Geraldo Alckmin perdeu um ponto percentual e a ex-senadora Marina Silva desceu três pontos. Não oscilaram os percentuais de intenção de voto os candidatos Alvaro Dias, Henrique Meirelles, João Amoêdo, Cabo Daciolo, Guilherme Boulos, Vera Lúcia, João Goulart Filho e Eymael. A proporção que declara votar nulo ou em branco reduziu em dois pontos percentuais e o número de indecisos e não respondentes oscilou em um ponto.

Rejeição

Em relação à rejeição aos candidatos, Jair Bolsonaro manteve o maior percentual, que subiu um ponto percentual entre as duas pesquisas: 44% declararam que não votariam de ”jeito nenhum” no candidato no primeiro turno. O mesmo fenômeno ocorreu com Marina Silva, que agora tem 30% de eleitores contrários à sua eleição. A taxa de rejeição a Fernando Haddad cresceu de 22% para 26%. Geraldo Alckmin tem 25% de rejeição; e Ciro Gomes, tem 21%. Os dois candidatos oscilaram um ponto percentual entre a pesquisa do começo da semana e a realizada ontem e hoje. Vera Lúcia tem 19% de taxa de rejeição; Cabo Daciolo, 18%; Henrique Meirelles, Guilherme Boulos e Eymael, 17%; Alvaro Dias, 16%, João Amoêdo,15% e João Goulart Filho, 14%. A rejeição a Alvaro Dias oscilou dois pontos percentuais. Não houve alteração nas taxas de rejeição de Meireles, Amoêdo, Vera Lúcia e Boulos. Os percentuais de eleitores contrários de Daciolo, Eymael e João Goulart Filho caíram 1%, respectivamente.

2º turno

O Instituto Datafolha ainda simulou disputas entre os presidenciáveis no 2º turno entre os principais candidatos. Jair Bolsonaro perde em eventual disputa para Ciro Gomes (45% a 38%). Em relação a Marina Silva (43% a 39%) e Geraldo Alckmin (41% a 37%), a desvantagem do candidato do PSL está na margem de erro. Em relação a Fernando Haddad, a vantagem de Bolsonaro é de um ponto percentual (41% a 40%). Além de Bolsonaro, Ciro Gomes tem vantagem em eventuais disputas com Fernando Haddad (45% a 27%); Marina Silva (44% a 32%); e Geraldo Alckmin (40% a 34%). Geraldo Alckmin supera Fernando Haddad (40% a 32%) e Marina Silva (39% a 36%). A candidata da Rede tem cinco pontos percentuais de vantagem em relação ao candidato petista (39% a 34%). Da Agência Brasil

Apoiador de Alckmin, ACM Neto duvida de crescimento de Haddad após pesquisa Vox Populi

/ Política

ACM diz que Vox Populi é instituto do PT. Foto: Reprodução

A recente pesquisa do instituto Vox Populi, encomendada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) e divulgada na última quinta-feira (13), apontado Fernando Haddad (PT) na liderança das intenções de votos, é vista como duvidosa pelo prefeito de Salvador ACM Neto. O presidente do DEM, em entrevista ao site bahia.ba nesta sexta-feira (13), chegou a debochar da autoria da pesquisa. ”É do instituto do PT. Tem nem graça”, disse, horas antes da entrega da restauração e reabertura da Catedral Basílica, no Pelourinho.

Após oficialização da candidatura e apoio de Lula, Haddad passa Ciro e vai para 2º turno

/ Política

Hadad ganha projeção em pesquisas. Foto: Ricardo Stuckert

O presidenciável Fernando Hadad, do PT, ganhou projeção nas pesquisas após ser oficializado como candidato do partido após negativa em relação a Lula. Em pesquisa eleitoral divulgada nesta sexta-feira (14) pela XP Investimentos, o petista iria ao segundo turno em cenário onde obtivesse o apoio explícito do ex-presidente Lula. Com 16% das intenções de voto, Haddad ultrapassaria Ciro Gomes (PDT), que tem 11%, e iria para o segundo turno com Jair Bolsonaro (PSL), com 23%.  Já em cenário sem o apoio de Lula, Haddad ficaria na terceira posição, com 10% dos votos, atrás de Bolsonaro (26%) e Ciro Gomes (12%) que fariam o segundo turno. A pesquisa encomendada pela XP foi feita pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) durante os dias 10 e 12 de setembro, por telefone.

Bolsonaro está fora da campanha presidencial do primeiro turno após facada, diz filho

/ Política

Flávio Bolsonaro fala sobre o quadro do pai. Foto: Reprodução

Em entrevista à rádio 97,1 FM, do Rio de Janeiro, o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), disse que o seu pai não fará campanha de rua nem em vídeo no primeiro turno das eleições, confirmando o que já se imaginava devido às complicações do seu estado de saúde após o atentado que sofreu com faca na última semana. De acordo com Flávio, a orientação dos médicos é que Bolsonaro evite falar para não agravar o seu quadro clínico. “Ele não está conseguindo nem falar direito, então não pode ir para a internet para fazer transmissão ao vivo. A orientação médica é que nem fale, porque quando fala acumula gases e pode ocasionar mais dor ainda”, disse Flávio. ”Ao que tudo indica, no primeiro turno não vai ter mais condições médicas de ir para a rua de novo. Praticamente impossível. A cirurgia de reconstituição do intestino dele vai acontecer daqui a dois meses ou mais, não tem como ir pra rua com a barriga aberta. É risco de infecção, é risco de arrebentar. É totalmente contraindicado”, ressaltou.

Em baixa nas pesquisas, Geraldo Alckmin deseja atrair 30% do eleitorado de Bolsonaro

/ Política

Campanha de Geraldo Alckmin não embalou. Foto: Folha de SP

Com um pequeno crescimento nas pesquisas divulgadas nesta semana, a equipe do presidenciável Geraldo Alckmin ainda sonha em conseguir atrair até 30% do eleitorado de Jair Bolsonaro (PSL). A cúpula do PSDB avalia que, com a ascensão de Fernando Haddad, consiga convencer eleitores de que Alckmin é a melhor alternativa para dar um ”voto útil” contra o PT, segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo. Desafio é convencer que o tucano pode ter um rendimento superior ao capitão em eventual segundo turno contra o petista.

Para conter rejeição, marqueteiros do candidato Bolsonaro se concentram nas ”minorias”

/ Política

Campanha vai focar em mulheres e homossexuais. Foto: Estadão

Com o maior índice de rejeição entre os presidenciáveis, de acordo com as pesquisas de opinião de voto, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), que venceria as eleições ao Palácio do Planalto, conforme aos mesmos levantamentos, vai concentrar a campanha nas mulheres e homossexuais. Segundo a coluna do Estadão, a equipe de marketing do capitão da reserva finalizou dois vídeos que serão impulsionados nas redes sociais para reverter a imagem de machista e homofóbico do candidato. Em seguida, o próximo passo dos marqueteiros é atrair a atenção dos ruralistas e defender o suporte do governo aos produtores: ”Um governo que se preza não pode se lembrar da classe produtiva apenas para arrancar impostos”. Bolsonaro continua internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e teve as visitas reduzidas nesta quinta-feira (13) para tentar acelerar a recuperação da última cirurgia.

STF conclui não haver indícios de crime e denúncia contra o deputado Aleluia cai para o TRE

/ Política

Aleluia foi citado em delação da Odebrecht. Foto: Reprodução

O inquérito que investigava uma citação ao deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) em delação premiada por suposto favorecimento à Odebrecht foi concluído sem haver qualquer indício de crime contra a administração pública. Por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, caberá agora ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) apurar apenas a suspeita de uma eventual infração de ordem eleitoral. ”Esse é o encaminhamento natural, uma vez que não há mais qualquer dúvida de que Aleluia não cometeu qualquer crime contra a Administração Pública, ficando apenas pendente a apuração sobre uma suspeita de infração de ordem eleitoral. Na prática, é como se fosse o penúltimo passo para o arquivamento definitivo da investigação”, explicou o advogado Fabrício Medeiros. Em sua decisão, Fux deixou claro que, mesmo após meses de apuração e pedidos de extensão de prazo, não surgiram quaisquer elementos probatórios no sentido da denúncia. Já o deputado Aleluia classificou a notícia como consequência natural do processo democrático. ”Todo homem público deve estar preparado para ser investigado e demonstrar com transparência a sua lisura perante a sociedade. Vejo todo esse processo como uma vitória da verdade e da democracia”, pontuou.

Jutahy Magalhães agradece apoio de Marcelo Nilo para sua candidatura ao Senado

/ Política

Jutahy anuncia apoio de Nilo, antigo aliado. Foto: Divulgação

O deputado Jutahy Magalhães Junior (PSDB) ficou muito feliz, na manhã desta quinta-feira (13), com a notícia externada pela imprensa do apoio do deputado estadual Marcelo Nilo (PSB) para sua candidatura ao Senado. ”Quero agradecer de coração o importante apoio do deputado do PSB Marcelo Nilo para minha candidatura ao Senado. São 45 anos de amizade pessoal e familiar, ele é meu compadre quatro vezes. Esse apoio, além de ser muito importante no plano eleitoral, me emociona no plano afetivo. Desejo a ele todo sucesso na sua eleição por saber que será, com sua experiência e trabalho dedicado à Bahia, um excelente deputado federal”.

CUT/Vox Populi: Haddad passa Bolsonaro e lidera quando aparece como apoiado por Lula

/ Política

Vox Populi diz que Fernando Haddad lidera. Foto: Reprodução

O candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), ultrapassa Jair Bolsonaro (PSL) e assume a liderança das intenções de voto quando apresentado como candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). É o que mostra a pesquisa CUT/Vox Populi, divulgada nesta quinta-feira (13). Quando colocado na condição de “apoiado por Lula”, Haddad alcança 22%, enquanto Bolsonaro cai para segundo, com 18%. Veja abaixo os resultados completos deste cenário da pesquisa estimulada, quando os nomes dos candidatos são apresentados ao entrevistado:

 

Fernando Haddad (PT), apoiado por Lula – 22%
Jair Bolsonaro (PSL) – 18%
Ciro Gomes (PDT) – 10%
Marina Silva (Rede) – 5%
Geraldo Alckmin (PSDB) – 4%
Outros – 5%
Ninguém/Branco/Nulo – 21%
Não soube ou não respondeu – 16%

 

CANDIDATO DE LULA
O instituto Vox Populi, responsável pela pesquisa, também perguntou aos entrevistados se eles reconhecem Haddad como o nome apoiado pelo ex-presidente. Em resposta, 53% deles disseram reconhecer o petista como candidato de Lula. No entanto, ele é o menos conhecido entre os postulantes a ocupar o Palácio do Planalto: 42% informam saber de quem se trata e outros 37% afirmam conhecê-lo só de nome. O desconhecimento é maior justamente na parcela mais propensa a seguir a recomendação de voto de Lula, os mais pobres e menos escolarizados. Além disso, o melhor desempenho de Haddad é no Nordeste. Na região, ele atinge 31% dos votos. Sua pior performance eleitoral é no Sul, onde ele aparece com apenas 11%, mesmo quando associado ao ex-presidente.  O Vox Populi ouviu 2 mil eleitores em 121 municípios, entre os dias 7 e 11 de setembro. A margem de erro é de 2 percentuais, para mais ou para menos. O índice de confiança do levantamento é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-01669/2018.

Justiça Eleitoral determina devolução de 8 segundos de tempo de rádio para Zé Ronaldo

/ Política

Zé ganha 8 segundos na TV. Foto: Fernando Valverde/bahia.ba

A Justiça Eleitoral decidiu devolver oito segundos de tempo de propaganda eleitoral gratuita na rádio para a coligação do candidato do DEM ao governo do estado, Zé Ronaldo, de acordo com publicação no Diário de Justiça Eletrônico desta quarta-feira (12). A decisão do juiz Diego Luiz Lima de Castro, foi após sentença anterior, que havia determinado a retirado do tempo no rádio do candidato, após recurso da coligação do adversário Rui Costa (PT). Na decisão publicada no Diário de Justiça Eleitoral desta quarta-feira (12), foi concedida a liminar para suspender a sentença anterior, até que o recurso seja julgado pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA).

Após veto, pleno do TRE-BA libera o termo ”Correria” usado em propagandas de Rui Costa

/ Política

Petista Rui Costa volta a usar o termo ”Correria”. Foto: Facebook

Dois dias após suspender das propagandas eleitorais das chapas proporcionais do governador Rui Costa que utilizem o termo ”Correria”, a Justiça Eleitoral liberou o trecho, em votação unânime do colegiado, nesta quarta-feira (12). Em outra decisão, também foi liberado o termo nas locuções das propagandas. O pleno julgou improcedente o pedido da coligação ”Unidos para Mudar a Bahia”, encabeçada por José Ronaldo (DEM), de limar a participação de atores, apresentadores e locutores das propagandas de Rui. ”A Procuradoria Regional Eleitoral se manifestou no sentido da improcedência do pedido, por entender que não há que se falar em aplicação da mencionada restrição percentual àqueles que não se beneficiam da propaganda eleitoral, pois não são candidatos e as vantagens obtidas pela publicidade vão diretamente para aqueles que concorrem ao pleito”. Na segunda-feira (10), a juíza Gardênia Pereira Duarte cita que ”a referência às atividades realizadas pelo candidato ao pleito majoritário, revela o desvirtuamento da propaganda da chapa proporcional em favor de candidato majoritário”. ”Assim, tenho que a propaganda impugnada revela que os candidatos ao cargo de Deputado Estadual abriram mão do seu poder dever de protagonismo na propaganda, para favorecer o nome e a imagem do candidato Rui Costa dos Santos, de modo a causar desequilíbrio indesejado no certame político em aberto”, diz trecho da decisão. As informações são do Bocão News

Em dois dias, 600 mil mulheres entram em grupo de rejeição a Bolsonaro em rede social

/ Política

Líder de pesquisas, Jair é também o mais rejeitado. Foto: Divulgação

Um grupo chamado ”Mulheres unidas contra Bolsonaro” foi criado no Facebook há cerca de 13 dias e já contabiliza mais de um milhão de participantes. A página possui nove administradoras e cerca de 50 moderadoras. As publicações feitas no grupo incentivam o engajamento de eleitoras que não desejam ver o candidato Jair Bolsonaro (PSL) ocupando a Presidência da República. O aumento expressivo do número de membros em um curto período surpreendeu as administradoras da página. Entre 9 e 11 de setembro, um intervalo de dois dias, foram registradas cerca de 600 mil novas adesões. A inclusão de novos membros é feita através duas maneiras: quem já está dentro pode acrescentar novas pessoas ou quem está de fora pode pedir para fazer parte. Pesquisas de intenção de voto apontam as eleitoras brasileiras representam o maior índice de rejeição ao candidato. Segundo a pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha nesta segunda-feira (10), a rejeição de Bolsonaro entre as mulheres é de 49%. A professora Maíra Motta, uma das responsáveis pelo grupo, explicou como acontece a inserção de mulheres ao grupo: ”Temos uma equipe de plantão apenas para aprovação dos novos membros e utilizamos filtros para que apenas mulheres, incluindo as trans, tenham acesso ao grupo. Observamos o perfil e recusamos eleitoras que tenham apoio declarado ao candidato que combatemos”.

Com cálculo na vesícula, Ângelo Coronel passa por operação e se afasta de campanha ao Senado

/ Política

Ângelo Coronel se recupera de cirurgia. Foto: Facebook

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) e candidato ao Senado, Angelo Coronel (PSD), vai precisar se afastar das atividades de campanha pelo menos nos próximos 8 dias. Ele foi diagnosticado nesta quarta-feira (12) com colecistite aguda, conhecida comumente como pedra na vesícula, e vai passar por uma operação cirúrgica nesta tarde, para retirar o cálculo.  A informação foi publicada pelo site Bahia Notícias e confirmada pelo próprio Coronel, também pelo senador e presidente estadual do PSD, Otto Alencar. ”Ele sentiu dor abdominal, com irradiação para o flanco direito. Fez tomografia, ultrassom e o diagnóstico foi de colecistite aguda, com indicação cirúrgica”, explicou Otto, que também é médico. O candidato ao Senado está internado no Hospital Aliança, para onde foi pela manhã, após sentir dores abdominais e também de garganta – esta última provocada por uma provável virose. Coronel afirmou que, por causa da operação, todos os compromissos de sua agenda serão cancelados. A previsão é de que, no pós-operatório, o candidato precise ficar pelo menos duas semanas de repouso. Mas ele quer voltar às atividades de campanha antes. ”Caí no canivete. Os médicos deram previsão de duas semanas, mas acho que devo voltar em oito. Oito é por conta e risco”, disse o social-democrata. Já para Otto, a hora é de se preocupar com a saúde, e não com campanha. ”Quando você tem um doente, pensa em salvar a vida dele. Ele não corre risco de vida, está bem, mas, se não fizer a cirurgia, pode sofrer com muitas dores e ter mais problemas”, explicou. Nesta quarta, Coronel participaria de um encontro com mulheres junto ao candidato à reeleição Rui Costa (PT), o candidato à reeleição para vice João Leão (PP) e o candidato ao Senado, Jaques Wagner (PT).

Confirmado no posto de candidato à presidência, Fernando Haddad visita Jequié neste sábado

/ Política

Fernando Haddad visitará Jequié com Manuela. Foto: Estadão

O ex-prefeito de São Paulo e agora candidato do PT na corrida ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad, voltará à Bahia, em campanha, no próximo sábado (15). O petista vai se concentrar em visita as cidades de Jequié, onde desembarca as 11h30, e Vitória da Conquista, com o apoio prometido pelo governador da Bahia e candidato à reeleição, Rui Costa. O petista será acompanhado pela candidata a vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), que também teve o nome oficializado nesta terça-feira (11), após a Justiça Eleitoral barrar a candidatura do ex-presidente Lula, preso na Polícia Federal de Curitiba desde abril. No dia 21 de agosto, ainda como candidato a vice, Haddad cumpriu agenda em Salvador e viveu ”dia de Lula” no bairro da Liberdade.