Apoiadores dizem que vice de Sérgio Moro deve ser do União Brasil, partido que unirá com o DEM

/ Política

Os auxiliares do ex-ministro Sérgio Moro confirmaram que o nome do vice na chapa que irá concorrer à Presidência da República deve ser do União Brasil, partido que unirá o PSL e o DEM e será o maior da Câmara. O nome ainda não foi anunciado, mas apoiadores de Moro dizem que precisa ser alguém com experiência política, diferente dele.

Conforme divulgou o Portal Metrópoles, parceiro do site Bahia Notícias, normalmente, políticos experimentados buscam um vice que tenha bom trânsito entre empresários, de modo a cabalar apoio entre o mercado financeiro. No caso de Moro, neófito na política, a necessidade é circular melhor entre os partidos e costurar alianças.

Na última terça-feira (23), o presidente do PSL e futuro presidente do União Brasil, Luciano Bivar, informou à cúpula da nova sigla que deseja concorrer ao Planalto. Correligionários viram o movimento de Bivar como uma tentativa de se cacifar, na verdade, para ser vice de algum nome da terceira via, principalmente de Sergio Moro.

No sul da Bahia, Otto garante apoio do PSD, com 110 prefeitos, à candidatura de Wagner a governador

/ Política

Rui, Wagner e Otto, durante visita à Itamaraju. Foto: Divulgação

Ao lado do governador Rui Costa (PT), na cidade de Itamaraju, no sul da Bahia, o senador Otto Alencar (PSD) cravou o apoio do seu partido à candidatura de Jaques Wagner (PT) ao Governo do Estado em 2022, durante seu discurso. Otto, que pode ser candidato à reeleição no Senado, também afirmou que aceitará a missão dada pelos baianos, seja ela qual for.

”Em 2022 a unidade e os interesses do povo da Bahia estarão à frente dos interesses pessoais. Meu partido, que tem 110 prefeitos, estará ao lado do PT, para juntos elevarmos a figura do governador do futuro, que tem na figura de Jaques Wagner, o candidato certamente em 2022”, disse Otto. Na terça-feira, ao lado de Rui Costa, o filho do senador, o deputado federal Otto Alencar Filho (PSD), também havia dito que os grupos ficariam juntos em 2022.

”A minha decisão é a decisão coletiva. A missão que o povo da Bahia me conceder vou executar com determinação e honra”, acrescentou o senador Otto Alencar.

Em Itamaraju, o governador assinou ordem de serviço para pavimentação da rodovia BA-284, no trecho entre Itamaraju e Jucuruçu. Rui também autorizou a Secretaria de Educação do Estado (SEC) a dar início a construção de um complexo esportivo incorporado ao Ginásio Municipal Dr. Almir Nobre de Almeida e às obras de modernização do Complexo Integrado de Educação de Itamaraju.

ACM anuncia criação de núcleos para atendimento em cidades da Bahia, caso seja eleito

/ Política

Ex-prefeito de Salvador em pré-campanha no Oeste. Foto: Divulgação

O presidente nacional do Democratas, ACM Neto, anunciou que pretende criar núcleos do governo estadual para atender as necessidades e demandas do interior da Bahia. De acordo com o ex-prefeito de Salvador, a ideia é iniciar o planejamento com sedes nas cidades do Oeste e do Extremo Sul do estado.

”A ideia será desenvolvida ao longo dos próximos meses, e será apresentada até o início do ano que vem de forma completa. Teremos, em algumas regiões, um braço avançado do governo. Uma presença orgânica e institucional do governo na região”, explicou durante coletiva de imprensa realizada na Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia nesta quinta-feira (25).

De acordo com ACM Neto, o conceito será criado para levar, através dos núcleos, serviços prestados pelo governo, descentralizando decisões, agilizando processos, e atendendo de maneira mais eficiente todas as demandas dos moradores de cada região.

”Vamos ter uma base. E não é só uma base física, mas uma base territorial. Um município receberá a sede desse braço administrativo, mas a estrutura vai responder por todo o território”, pontuou.

Neto contou que a inspiração para o projeto são as Prefeituras-Bairro, implementadas em Salvador durante a gestão do ex-prefeito. Para ele, os núcleos servirão para solucionar os problemas do dia a dia das pessoas de forma mais rápida, e perto de onde moram.

”Nós fizemos. Dá certo, e funciona. Em Salvador, a gente levou a Prefeitura para perto dos bairros e fizemos um governo de proximidade. Por isso, quero levar o governo do estado para as regiões mais distantes. Facilitando uma série de demandas e de problemas do dia a dia das pessoas que não terão que ser, necessariamente, encaminhados para a capital”, ressaltou Neto.

O ex-prefeito também avaliou a necessidade de o próximo governador da Bahia estar apto e disposto a se movimentar por todo o estado.

”Esse compromisso de fazer um governo de proximidade parra, também, pela presença do governador nas cidades do interior. Isso faz muita diferença. Será fundamental que ao longo de todo o governo, o governador esteja presente”, acrescentou.

Pl da Bahia deve romper com ACM e apoiar candidatura de João Roma em 2022, diz jornal

/ Política

PL na Bahia é presidido por José Carlos Araújo. Foto: Reprodução

A filiação de Jair Bolsonaro ao PL deve mesmo ter consequências nas eleições de 2022 na Bahia. O partido que já estava apalavrado com ACM Neto (DEM) para a disputa pelo governo do Estado, deve mudar de rumo e apoiar um candidato que dê palanque a Bolsonaro. Tudo indica que esse nome será o do ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos).

A filiação de Jair Bolsonaro ao PL deve mesmo ter consequências nas eleições de 2022 na Bahia. O partido que já estava apalavrado com ACM Neto (DEM) para a disputa pelo governo do Estado, deve mudar de rumo e apoiar um candidato que dê palanque a Bolsonaro. Tudo indica que esse nome será o do ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos).

Conforme publicado pelo jornal O Globo, para garantir a filiação de Bolsonaro, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, teria garantido a ele que romperia com Neto (veja mais).

Uma fonte do partido procurada pelo site Bahia Notícias, confirmou a negociação, mas afirmou que um posicionamento oficial da legenda na Bahia não tem data para acontecer. “Só deve ser anunciado depois do dia 30 [data da filiação de Bolsonaro]. É o que ele [Valdemar] está falando nos jornais. É uma dedução lógica”, afirmou.

O PL apoiou a candidatura de Bruno Reis (DEM) à Prefeitura de Salvador, no pleito de 2020, saiu do arco de aliança do governo de Rui Costa (PT) e desde então faz parte da base de Neto. Quando questionado sobre a possibilidade de perder os liberais, o presidente do Democratas apenas disse que ”só quem pode falar é o próprio PL”.

ROMA NO PL
Caso a candidatura ao Palácio de Ondina se confirme, a situação de João Roma no Republicanos pode ficar delicada. Segundo uma fonte ouvida pela reportagem, o partido não vai apoiar Roma na disputa. A tendência é que a legenda siga com ACM Neto na Bahia. Com isso, existe a possibilidade do ministro da Cidadania se filiar ao PL.

Em reunião com ACM, União Brasil conclui que Moro é única 3ª via possível e desiste de Mandetta, diz site

/ Política

Partido sonha em compor a chapa com Moro. Foto: Reprodução

A cúpula do União Brasil, fruto da fusão entre o DEM e o PSL, concluiu nesta terça-feira (23) que a única 3ª via possível nas eleições presidenciais de 2022 é a do ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro da Justiça Sergio Moro. As informações são do site Poder 360.

O partido pretendia lançar o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta ao Palácio do Planalto em 2022, mas ele deverá abrir mão da disputa. Filiado ao DEM, o nome de Mandetta havia sido aventado tanto pelo seu atual partido quanto pela legenda futura como opção viável para a disputa eleitoral, mas a entrada de Moro no jogo inviabilizou sua possível candidatura.

Mandetta avalia agora concorrer a deputado federal por Mato Grosso do Sul. Ele já exerceu o cargo entre 2011 e 2018 e não disputou as últimas eleições. Naquela época, queria deixar a política. Meses depois, porém, foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro para o Ministério da Saúde e ganhou protagonismo com o início da pandemia no Brasil.

O União Brasil, porém, ainda sonha em compor a chapa com Moro e pode indicar o ex-ministro para a vice. Integrantes da cúpula do novo partido nunca deixaram de conversar com o ex-juiz. No início, havia uma pequena esperança de que poderiam convencê-lo a integrar a legenda. Quando Moro oficializou sua ida ao Podemos, porém, as conversas passaram a girar em torno da composição de chapa. Esses diálogos devem, inclusive, se intensificar a partir de agora.

Estiveram presencialmente no encontro o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, atual presidente do DEM e secretário-geral do União Brasil; o deputado federal Luciano Bivar (PE), presidente do PSL e presidente do União Brasil; o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM); o deputado federal Elmar Nascimento (DEM-BA); o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM); e o presidente do PSL em Brasília, Antonio Rueda, vice-presidente do União Brasil.

Pré-candidato, Moro comenta sobre prisão de Lula em 2018: ”Foi poupado de uma derrota”

/ Política

O ex-juiz da Operação Lava Jato é pré-candidato. Foto: Reprodução

O pré-candidato à presidência da República, Sergio Moro (Podemos) voltou a criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em entrevista concedida à CNN Brasil, nesta terça-feira (23).

Após afirmar que o petista flerta com o autoritarismo por ter minimizado a ditadura de Daniel Ortega na Nicarágua, o ex-ministro da Justiça destacou que os resultados da operação Lava Jato foram respaldados pelo Judiciário.

”O ex-presidente insistiu na sua candidatura quando estava inelegível, no fundo ele foi poupado de uma derrota. Mas a grande recessão de 2014 e 2016 estava na memória. As sementes dessa recessão foram plantadas pelo governo Lula; eu não acredito que o ex-presidente, mesmo se tivesse em liberdade, tivesse ganhado aquelas eleições. Tanto que usou um candidato que usava máscara com a sua cara e perdeu”, disse o ex-juiz.

Moro deu a declaração em entrevista ao jornalista William Waack, âncora do Jornal da CNN.

Após mal-estar, Otto Filho acompanha Rui em agenda em Ubaíra e crava apoio em 2022

/ Política

Após o mal-estar gerado pelas declarações de Rui Costa (PT) sobre os deputados que votaram a favor da PEC dos Precatórios (lembre aqui), o deputado federal Otto Filho (PSD) acompanhou o governador em viagem à cidade de Ubaíra, nesta terça-feira (23).

O parlamentar que chegou a dizer que a relação abalada entre PSD e PT na Bahia (veja aqui), destacou Rui como ”melhor governador do Brasil” e cravou o apoio do PSD a Jaques Wagner (PT), caso confirmada a candidatura do senador ao Governo do Estado em 2022.

”Eu tenho certeza absoluta que vamos continuar lutando, apoiando o Governo do Estado, independente de quem seja o candidato a governador, seja Jaques Wagner, que provavelmente será, ou o senador Otto Alencar, estaremos juntos”, falou o deputado federal.

Além do filho do senador Otto Alencar, marcaram presença no evento o secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano, o prefeito de Jequié e presidente da UPB, além de nome forte do PP na Bahia, Zé Cocá. *Bahia Notícias s

Rui Costa entregará obra de abastecimento de água e autoriza construção de delegacia em Ubaíra

/ Política

Rui Costa estará em Ubaíra, nesta terça-feira. Foto: BMFrahm

O governador Rui Costa estará, nesta terça-feira (23), às 9h, em Ubaíra, na região do Vale do Jiquiriçá, onde vai entregar a obra da captação alternativa para o Sistema de Abastecimento de Água do município, a partir do manancial do Boqueirão-Cachoeira dos Prazeres. A obra foi executada pela Embasa, empresa vinculada à Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs).

Rui também vai assinar ordem de serviço para a Secretaria de Segurança para a construção da Delegacia Territorial de Ubaíra.

O governador vai ainda anunciar a implantação do sinal de telefonia celular da operadora Tim, na localidade de Três Braços, resultado de uma parceria com as secretarias estaduais da Fazenda (Sefaz) e de Infraestrutura (Seinfra), por meio do Programa Fala Bahia.

Prefeito de Camaçari, Einaldo volta a ser cogitado para vice na chapa de ACM Neto em 2022

/ Política

Filiado ao DEM, Elinaldo é prefeto reeleito. Foto:assessoria PM Camaçari

O presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Júnior (MDB), defendeu nesta segunda-feira (22) a indicação do prefeito da cidade, Elinaldo (DEM), para vice-governador na chapa com ACM Neto. Hoje, com a presença de Elinaldo, foi inaugurado o Trevo da Cascalheira.

Recentemente, Geraldo Júnior, que também é presidente do MDB em Salvador, defendeu na imprensa esta indicação. Héber Santana, presidente do PSC, também reiterou a importância do nome de Elinaldo para a composição desta chapa. E o presidente de honra do MDB baiano e ex-deputado federal, Lúcio Vieira Lima, frisou que, na condição de observador político, avalia que o nome de Elinaldo foi ”uma grande sugestão do presidente da Câmara de Salvador e futuro deputado federal Geraldo Júnior”.

E o presidente da Câmara de Salvador pontou que ”quero dizer ao povo de Camaçari que nesta composição o raciocínio não é da perda de um prefeito que faz uma excelente gestão. A minha ótica é que a população de Camaçari e da Região Metropolitana de Salvador ganhariam um vice-governador comprometido com essa região”, disse.

Deputado baiano está entre autoridades que gastaram R$ 500 mil para ir a fórum jurídico em Lisboa

/ Política

Paulo Azi é um dos políticos listados pela Folha. Foto: Ag. Câmara

O deputado federal e presidente do DEM na Bahia, Paulo Azi, é um dos políticos listados pela Folha cujos gastos em viagem a Portugal para acompanhar o IX Fórum Jurídico de Lisboa somaram R$ 500 mil aos cofres públicos. Pelo menos 25 autoridades, servidores e cônjuges, segundo informa o jornal, foram ao evento organizado pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), que tem o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), como um dos sócios.

Paulo Azi, pelo que consta em sua biografia divulgada no site da Câmara dos Deputados, não tem formação jurídica, mas é engenheiro e administrador. O parlamentar, segundo a Folha, foi acompanhado pela esposa Iris. Participaram do evento ministros do Executivo, do Tribunal de Contas da União, presidentes de agências reguladoras e parlamentares.

No Instagram, Azi fez registro das atividades da viagem a Portugal. No dia 14, ele postou foto no Seminário Agronegócio Sustentável no Brasil e Mostra da Economia Criativa da Amazônia. ”Em Lisboa, Portugal, participando de encontro promovido pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional do Congresso Nacional”, escreveu o parlamentar baiana na legenda da foto.

Sobre a participação no Fórum Jurídico, o parlamentar baiano legendou assim a foto publicada no Instagram: ”Registro da nossa participação no Fórum Jurídico de Lisboa, evento que contou com palestras de diversas personalidades, como os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, além do ministro do STF Gilmar Mendes”.

Segundo a Folha, cinco parlamentares e seus cônjuges, dentre os quais o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que levou a mulher Ângela, viajaram em avião oficial das Forças Armadas. Eles foram no dia 9 e retornaram no dia 17. A deputada Soraya Santos (PL-RJ) também viajou com o esposo Alexandre – a parlamentar é advogada. Lira, além de empresário e agropecuarista, também é advogado.

Na volta ao Brasil, os deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Margarete Coelho (PP-PI) pegaram carona na caravana. A Aeronáutica não quis informar quanto custou o voo. O senador Angelo Coronel (PSD) também participou do Fórum, mas a publicação da Folha não detalhou se o parlamentar baiano utilizou voo da Força Aérea ou recursos públicos para a viagem.

No Instagram, Coronel postou um vídeo e disse na legenda da publicação feita há quatro dias: ”Foi uma honra participar aqui em Portugal do IX Fórum Jurídico de Lisboa, debater o sistema tributário brasileiro e falar sobre o projeto de reforma do imposto de renda, que relato no Senado. Assim como ter participado em Madri do 3⁰ Encontro de Cortes Superiores Brasil X Espanha, para falar sobre nosso trabalho de combate às Fake News no Brasil”, escreveu o senador, no Instagram.

*por Davi Lemos

Pré-candidato, Moro diz que não houve ”cruzada pessoal” contra Lula e defende Lava Jato

/ Política

Sérgio Moro se filiou recentemente ao Podemos

O ex-ministro da Justiça e pré-candidato à Presidência da República em 2022, Sérgio Moro, disse nesta quinta-feira (18), que não guarda rancor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que não houve uma ”cruzada pessoal” contra Lula durante a Operação Lava Jato.

Em entrevista ao site O Antagonista, o ex-juiz defendeu o papel da Lava Jato no combate à corrupção, sua principal agenda de campanha. ”A gente tem que restabelecer a verdade”, disse Moro. ”O que houve foram investigações que revelaram que a Petrobras foi saqueada. Ou vamos dizer aqui que a Petrobras não foi roubada como nunca antes na história desse país?”

Em junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a decisão que declarou Moro parcial ao julgar Lula no caso do triplex. Os efeitos da suspeição foram estendidos a dois processos que atingiam o petista na Lava Jato.

Moro também fez críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro. Para ele, a gestão é uma ”nau sem rumo” e o Brasil ”não tem projeto, nem liderança. Talvez o governo tenha um projeto para reeleição apenas”. O fim da reeleição no Brasil é uma das pautas defendidas pelo ex-juiz ao longo da entrevista.

”Nós estamos em um contexto em que nossas instituições são fortes, mas vimos como elas podem ser ameaçadas por autoritarismos”, disse Moro. ”Nós estamos na América Latina. Nós temos ainda riscos de populistas e caudilhos.”

O ex-ministro, que apontou o nome de Affonso Celso Pastore como conselheiro econômico em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, disse que mantém uma equipe com quem se reúne semanalmente – e, em alguns casos, diariamente – mas ainda preferiu não revelá-los.

*Estadão

Roma fala em novas configurações e revela conversas com Cacá e João Leão sobre governo da Bahia

/ Política

Roma tenta viabilizar candidatura ao governo. Foto: Rede social

O ministro da Cidadania João Roma ampliou a ofensiva política para viabilizar sua candidatura ao governo da Bahia em 2022. Nesta quinta-feira (18) ele revelou que tem mantido conversas com as lideranças do PP no estado de olho numa possível composição eleitoral que patrocine seu nome e garanta palanque regional para reeleição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

”Até junto com o PP nós temos também travado muitos diálogos tanto aqui com o deputado Cacá Leão, como o próprio vice-governador João Leão, que também almeja ser candidato a governador no próximo ano”, disse, em entrevista à rádio Salvador FM.

Na Bahia o PP é braço direito do governador Rui Costa (PT) – de quem Roma tem sido crítico ferrenho -, mas no plano nacional apoia e integra o governo Bolsonaro. Roma quer replicar no estado a aliança dos principais partidos que dão base ao governo federal, tendo PP, PL e Republicanos juntos.

”Então acho que tem muita água para rolar na sucessão do estado da Bahia, inclusive nessas composições partidárias que podem resultar inclusive em novas configurações para serem apresentadas ao eleitor baiano”. *As informações são do BNews

Deputado defende Wagner após ataques de ACM Neto: ”pegou um estado fragmentado pelos carlistas”

/ Política

Marcelinho Veiga alfineta ACM Neto. Foto: Reprodução/Rede social

Na briga entre petista e carlista, o socialista Marcelinho Veiga (PSB), que é um dos aliados do senador Jaques Wagner (PT-BA) nas eleições de 2022 para governo, defendeu que o ex-governador tem serviços prestados ao povo baiano e que tirou da miséria milhares de famílias durante sua gestão. Nesta quarta-feira (17), Marcelinho disse que ”Wagner foi quem mais fez como governante da Bahia, porque pegou um estado fragmentado pelos carlistas e com déficits que até hoje são problemas para a população, como a segurança pública, com índices alarmantes e desvalorização geral dos agentes de segurança e a saúde, que hoje deu um giro de 360 graus”.

Para o parlamentar baiano, é desnecessário os ataques do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM). Ele diz que é importante focar ”no que de fato já se foi feito e não elucubrar, partindo de uma ilusão reformista que falta precisão intelectual e política”. Marcelinho também cita a importância de se ter um lado definido. ”Wagner está com Lula, com o povo e com os trabalhadores. E seu grupo político tem atuação contra o debate de empolgação que vem desse viés político ultraconservador e extremista pregado por Bolsonaro atualmente”.

Marcelinho diz que é mais que evidente que ACM Neto tem um desejo em chegar ao governo da Bahia, mas isso não será feito de forma automática, tem uma eleição para isso. ”Essa prática de fazer o que digo, mas não fazer o que faço é uma característica dos carlistas, com estratégias que chegam a aproveitar da carência intelectual do atual presidente Bolsonaro. Porque os governos ligados ao presidente têm sido beneficiados, como é o caso de Salvador. Fato é que Wagner tem todas as condições de voltar ao governo e fazer ainda mais pelos baianos, e, por isso, caminhamos juntos na defesa desse projeto de sociedade”, completa.

UPB defende PEC para reduzir a alíquota patronal municípios e Cocá diz que é preciso discutir isso

/ Política

Zé Cocá defende discussão da matéria com o Governo. Foto: UPB

A proposta de reduzir de 22,5% para 10% a alíquota patronal paga pelas prefeituras ao INSS está sendo defendida pela União dos Municípios da Bahia (UPB) como pauta prioritária para melhorar a saúde fiscal dos municípios. Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que altera o parágrafo 9º do artigo 195 da Constituição Federal para reduzir pela metade a contribuição social dos municípios, foi protocolada nesta terça-feira (16), na Câmara dos Deputados, pelo líder do Progressistas, o deputado Cacá Leão. A matéria necessita da assinatura de 171 deputados para iniciar a tramitação na Casa.

O presidente da UPB, Zé Cocá, vinha articulando a proposta com o parlamentar e defende a medida como crucial para equilibrar as contas dos municípios. ”A UPB realizou um estudo de que, hoje, dos 22,5% [da alíquota] os municípios só conseguem pagar 7,22%. Se a gente conseguir a redução para 10% nós provaremos para União que, descontando na folha, ela arrecadará o dobro e vai permitir aos municípios sair desse ciclo de endividamento porque nenhuma prefeitura de pequeno porte consegue arcar com a alíquota atual”, explica Zé Cocá.

O gestor já tinha anunciado a medida em Brasília, na semana passada, durante a reunião com a bancada de deputados federais da Bahia. Segundo Zé Cocá, a PEC da Alíquota atende um pedido da UPB para evitar o colapso dos municípios, sobretudo das prefeituras mais pobres do Nordeste brasileiro. ”Ou a gente discute isso urgente com o governo federal ou, com a implantação do e-Social, agora, iremos quebrar os municípios de pequeno porte daqui a 2, 3 anos”, alerta o presidente da UPB que também é prefeito de Jequié, no sudoeste baiano.