Seabra: Vereadores têm mandatos cassados por incluir falsas candidatas em coligação para preencher cota

/ Política

Marcos (PDT), Selson (PRB) e Lília (PDT) cassados. Foto: G1

Três vereadores da cidade de Seabra, na região da Chapada Diamantina, na Bahia, tiveram os mandatos cassados pela Justiça Eleitoral, no início desta semana, por terem incluído falsas candidatas na coligação deles, durante as eleições de 2016, para preencher a cota feminina exigida. De acordo com informações divulgadas nesta sexta-feira (13) pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), a decisão, expedida pelo juiz Pablo Venício Novais Silva, da 88ª Zona Eleitoral, cabe recurso. A sentença foi expedida na segunda-feira (9) e publicada no Diário Oficial da Justiça Eleitoral na quarta (11). Os vereadores são Marcos Pires Ferreira Vaz (PDT), Selson José de Souza (PRB) e Lília Carneiro da Silva (PDT). Conforme a decisão da Justiça Eleitoral, duas mulheres concorreram nas eleições com os vereadores, pela coligação “Unidos Por Uma Seabra Melhor” – formada por por PRB, PDT e PR -, mas sequer divulgaram suas candidaturas. Uma das candidatas, identificada como Ana Cristina, recebeu apenas um voto. Já a outra, identificada como Rilma Quinheiro, não recebeu nem um. Ainda segundo a setença, a candidata Ana Cristina é irmã da veradora Lília Carneiro. Em nota, a Câmara de Vereadores de Seabra informou que a decisão foi em primeira instância, cabe recurso e os vereadores permanecem nos cargos.

Juazeiro: Em Caravana pelo interior, Rui Costa diz que ”a fórmula do sucesso é ouvir o povo”

/ Política

Rui Costa faz caravana pelo interior do Estado. Foto: Divulgação

O governador Rui Costa ressaltou na noite desta sexta-feira (13), durante Caravana pelo interior do estado, as pesquisas que apontam seu governo como o que mais cumpriu promessas no Brasil. “A grande maioria das propostas que vocês fizeram em 2014 virou realidade e, por quatro anos consecutivos, fomos o Governo que mais cumpriu promessas no Brasil. Agora, queremos repetir a dose. A fórmula do sucesso é ouvir o povo e trabalhar com amor e fé em Deus”, afirmou o pré-candidato à reeleição, após a quarta plenária territorial do Programa Participativo de Governo (PGP), em Juazeiro. Rui esteve também em Paulo Afonso, na companhia dos pré-candidatos a vice-governador, João Leão, e senador, Jaques Wagner e Ângelo Coronel. Nos dois municípios, cerca de 1,5 mil militantes ouviram propostas de lideranças comunitárias, coordenadores de territórios de identidade, representantes de sindicatos, entre outros. “Esse é o ponto de partida para que vocês se organizem em grupos – presenciais e pela internet – e formulem propostas que vamos integrar ao plano de Governo que registraremos no TRE em agosto”, lembrou o governador.

Nome de Lorena Brandão para vice na chapa majoritária de Zé Ronaldo é cogitado

/ Política

Lorena Brandão, do PSC, é vereadora em Salvador. Foto: Reprodução

O nome da vereadora Lorena Brandão, do PSC, de Salvador, surge como opção para candidata a vice do pré-candidato ao governo, José Ronaldo (DEM), ante a expectativa cada vez mais forte de que o deputado federal Irmão Lázaro, do mesmo partido, desista de concorrer ao cargo. Assim, a chapa de Ronaldo ficaria com ela, como vice, e mais o deputado federal Jutahy Magalhães Jr. (PSDB) e o vice-prefeito Bruno Reis, do DEM, para o Senado. Bruno, no entanto, que ainda resiste à possibilidade de concorrer ao cargo, precisaria de um empurrãozinho do prefeito ACM Neto (DEM), responsável, de verdade, pelas articulações com vistas à montagem da chapa eleitoralmente mais competitiva para concorrer contra o governo. No entanto, em entrevista à Itapoan FM na última quinta, a vereadora Lorena Brandão disse que a indicação de uma mulher para a chapa de José Ronaldo seria importante, mas que o seu partido, o PSC, estava fechado no nome do deputado federal Irmão Lázaro ao Senado. “Muita gente ventilou, mas eu digo que estou à disposição do prefeito ACM Neto e do partido. Hoje, nosso foco é a indicação de Irmão Lázaro ao Senado, pois acreditamos que o deputado tem muito trabalho de qualidade a fazer e ajudaria, sim, na campanha”. O nome de Lorena Brandão como opção de vice para José Ronaldo sobe na mesma proporção das críticas que o candidato do DEM faz ao governador Rui Costa (PT) por não ter conseguido montar uma chapa com uma mulher sequer. Mas a crítica é dirigida, indiretamente, ao fato de a senadora Lídice da Mata, do PSB, ter ficado de fora do primeiro time da campanha governista. Informações da Tribuna

Cármen Lúcia concede mais 30 dias para conclusão de investigação sobre Aécio Neves

/ Política

Aécio teria recebido vantagens da Odebrecht. Foto: Estadão

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu mais 30 dias para a conclusão das investigações sobre o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no inquérito que apura repasses irregulares da Odebrecht à campanha presidencial de 2014. Inicialmente, a Procuradoria-Geral da República (PGR) havia pedido mais 60 dias para concluir a investigação. Na decisão, proferida nesta sexta-feira (13), Cármen concedeu mais 30 dias e afirmou que o objetivo é “evitar dilações processuais indevidas”. O ministro Edson Fachin é o relator dos processos da Operação Lava Jato no STF, mas a ministra Cármen Lúcia decidiu pelo prazo de prorrogação por ser a ministra de plantão no tribunal, segundo informações da Agência Brasil. O nome do senador foi citado por ex-executivos da empreiteira Odebrecht, que teriam repassado vantagens indevidas em 2014 para campanha do senador à Presidência da República. Em depoimentos de delação premiada, o ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht e outros executivos do grupo disseram que o senador recebeu propina para atuar favoravelmente aos interesses da empresa. O objetivo, segundo os delatores, seria obter apoio parlamentar para a construção das usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira, em Rondônia. Aécio prestou depoimento sobre esse inquérito na sede da Polícia Federal em Brasília, em abril deste ano. Na ocasião, seu advogado Alberto Zacharias Toron disse que os “próprios delatores” afirmaram nos depoimentos que as contribuições financeiras feitas pela Odebrecht às campanhas do PSDB “nunca estiveram vinculadas a qualquer contrapartida”. As investigações contra Aécio Neves foram autorizadas pelo STF após a abertura de 76 inquéritos no ano passado pelo ministro Edson Fachin, com base nos depoimentos de colaboração premiada de ex-executivos da empresa.

Para tentar barrar Lula, MBL pede que TSE declare ele inelegível antes de registro de candidatura

/ Política

PT quer registrar candidatura de Lula. Foto: Ricardo Stucert

O Movimento Brasil Livre (MBL), através de seus coordenadores Kim Kataguiri e Rubens Nunes, entrou com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que a Corte declare desde já a inelegibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pré-candidato à presidência da República nas eleições 2018, condenado e preso na Operação Lava Jato. O MBL pede que o TSE impeça “desde já” o registro de candidatura do petista. O tribunal estabelece que, após a convenção partidária, o partido tem até o dia 15 de agosto para requerer à Justiça Eleitoral os registros dos candidatos escolhidos. Na petição, o movimento destaca que Lula foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e que desde a publicação do acórdão do TRF-4 “não há dúvidas” de que Lula “está inelegível”, com base na Lei da Ficha Limpa. “É certo que a eventual possibilidade de candidatura do requerido gera severa insegurança jurídica à sociedade brasileira”, afirmam os integrantes do MBL. O movimento ainda pede que a Corte proíba Lula de praticar atos de campanha e de ser citado em pesquisas eleitorais. O TSE está de recesso durante todo o mês de julho.

Proposta para dar título de cidadão de Itabuna ao prefeito ACM Neto é barrada na Câmara

/ Política

Câmara de Itabuna veta título a ACM Neto. Foto: Reprodução

A secretaria parlamentar da Câmara de Itabuna vetou uma proposta para conceder título de cidadão itabunense ao prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas ACM Neto. Isso porque ele já foi agraciado com a honraria em 2010. O autor da medida, vereador Enderson Guinho (PDT), alegou que está no seu primeiro mandato e desconhecia a homenagem que ocorreu oito anos atrás, na história recente do Legislativo. Neto receberia o ”segundo” título no dia 26 de julho, em uma sessão especial, às 19h, na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) de Itabuna, dentro das comemorações pelo aniversário de 108 anos de emancipação política da cidade. A informação da seção do título foi divulgada na imprensa local na manhã desta quinta-feira (12), mas precisou ser corrigida por conta da duplicidade da matéria. Se pudesse ganhar os holofotes, ACM Neto se juntaria a três aliados que poderão, sem impedimentos, ganhar a cidadania itabunense: Zé Ronaldo, pré-candidato ao governo da Bahia pelo DEM, João Gualberto, deputado federal (PSDB-BA), e Jutahy Magalhães, pré-candidato ao Senado pelo PSDB. Os dois primeiros foram indicados pelo vereador e presidente da Câmara Chico Reis (PSDB). Já Jutahy, é uma sugestão do ex-vereador Zé Silva, do PSDB, que foi aprovada na gestão anterior, mas que ainda havia sido entregue. As informações são do Bocão News

Em Pernambuco, PSB do governador Paulo Câmara ignora Executiva Nacional e declara apoio a Lula

/ Política

Governador do Pernambuco, Paulo Câmara, com Gleisi Hoffman

O governador de Pernambuco e vice-presidente nacional do PSB, Paulo Câmara, declarou nesta quinta-feira (12), que apoiará a candidatura do ex-presidente Lula, condenado e preso pela Operação Lava Jato, mesmo que o PT tenha candidatura própria ao governo do Estado nas eleições 2018. O apoio ao petista foi declarado após um café da manhã de Câmara com a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, no Palácio do Campo das Princesas. O pessebista disse que entende as dificuldades do seu partido, que já tem candidaturas majoritárias em vários Estados, mas que é preciso defender a aliança com o ex-presidente Lula “por tudo que ele fez por Pernambuco”. No Estado, o PT se divide entre lançar candidatura própria, da vereadora Marília Arraes, ou compor a chapa do Câmara, pré-candidato à reeleição. “O PSB é um partido democrático, e vamos respeitar tudo isso. Mas, no âmbito da nossa direção estadual, vamos levar ao Congresso (do partido, marcado para 5 de agosto) esse posicionamento em favor da aliança formal com o PT”, afirmou. Câmara afirmou acreditar que não está isolado dentro de seu partido nessa costura com o PT, embora boa parte do PSB declare nos bastidores apoio ao pré-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes, com quem o governador pessebista esteve na quarta-feira, em Brasília. Segundo Câmara, a ala pernambucana do PSB “é a maior” da legenda e conta com “o apoio dos outros Estados do Nordeste e alguns do Norte e do Centro-Oeste”. O pessebista, no entanto, pondera que o PSB está “olhando várias hipóteses”, incluindo a de seguir no caminho da neutralidade. “Dependendo das discussões, se a neutralidade for majoritária a gente tem que entender isso”, declarou. A senadora Gleisi Hoffmann, que na quarta-feira se reuniu com a cúpula do PT em Pernambuco, elogiou o posicionamento “firme” de Câmara na defesa do presidente Lula, mas afastou a possibilidade de alianças somente em âmbito estadual. “Acho que nós temos que fazer um esforço para formatar o campo (de centro-esquerda) muito firme para resgatar o Brasil. Temos a convicção no PT de que Lula é o condutor desse projeto que pode tirar o País da crise, por isso nossa insistência que o PSB possa estar com a gente (numa aliança nacional)”, disse a petista. Demonstrando inflexibilidade na construção de coligações estaduais, a senadora rechaçou a possibilidade de retirar a pré-candidatura de Luiz Marinho (PT) ao governo de São Paulo para apoiar Márcio França (PSB), como noticiou a Coluna do Estadão nesta quinta-feira. De acordo com Gleisi, essa possibilidade “nunca foi uma pauta colocada” e, em São Paulo, a prioridade do PT é outra. “Nós não chegamos a conversar isso até pelo posicionamento do governador Márcio França, que nós respeitamos. Lá, o nosso adversário é o PSDB, é (João) Doria. Essa gente que está dando sustentação à política do (presidente) Michel Temer, como aqui em Pernambuco com Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), pessoal que ajudou a desmontar as políticas importantes para a vida do povo”, disse. Gleisi voltou a criticar a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, acusando-a de parcialidade por acusar o desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) Rogério Favreto de prevaricação ao conceder habeas corpus favorável a Lula no domingo. “Raquel não deveria tomar partido. Quero saber se a PGR vai investigar (o juiz federal Sérgio) Moro por desobediência e interferência administrativa na condução da Polícia Federal na articulação com o TRF-4? Acho que se a PGR quiser ter respeito neste País, ela tem que ser isenta”, declarou. Gleisi segue viagem ainda nesta quinta-feira para a Paraíba, onde deve se encontrar com lideranças do PT e com o governador Ricardo Coutinho (PSB). Na sexta-feira, a expectativa é que ela desembarque na Bahia.

Bruno Reis é vencido pelo cansaço e vai ocupar chapa majoritária de Zé Ronaldo, diz site

/ Política

Bruno deve ser candidato a vice ou Senado. Foto: Valter Pontes

O vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM) foi vencido pelo cansaço. A resistência do demista em compor a chapa majoritária do ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM) já é mínima e ele ocupará a vaga de vice ou Senado – a depender da decisão do deputado federal Irmão Lázaro e o PSC. Contudo, o cristão já reafirmou que seguirá na disputa pela Casa Alta do Congresso Nacional. Informações do site BNews apontam um descontentamento do vice-prefeito após a desistência de ACM Neto em se candidatar ao governo. É nítido o desânimo de Reis durante os eventos da prefeitura. E apesar disso, o vice-prefeito topou mergulhar na campanha do correligionário e viaja com o grupo pelo interior. Nas últimas semanas, Bruno Reis já apontava como candidato a senador. Apesar de afirmar que fará o que for melhor para o grupo, a realidade é outra história. A resistência de Bruno Reis refere-se a sua candidatura à prefeito de Salvador em 2020. Aliados, inclusive, já teriam conversado com Reis para que ”não gaste sua imagem” nessa eleição, preservando-a para a corrida municipal. Outros adotam a perspectiva de que a experiência desta eleição lhe traria benefícios, como acordos políticos e aproximação com a população. Bruno optou pela segunda opção. Vale ressaltar que o prefeito ACM Neto tem participado pouco das negociações. Saiu com a imagem arranhada depois da desistência e, segundo aliados, tem deixado de lado as tratativas estaduais. A presidência nacional do DEM e sua vida particular estão preenchendo as lacunas.

 

Apontado como plano B do PT, Wagner se reúne com Valdemar Costa Neto em Brasília

/ Política

Wagner pode ser candidato à presidência. Foto: João Ramos

Comandante do PR, Valdemar Costa Neto e o ex-ministro Jaques Wagner (PT)  reuniram-se nesta quarta (11) em Brasília. A informação é do site Crusoé. O encontro ocorreu na sede do PR. Segundo a publicação, o governador do Piauí, Wellington Dias, dentre outros políticos petistas, também participaram da conversa. Embora declare-se pré-candidato ao Senado, Wagner é apontado como um dos possíveis ”plano B” de seu partido para a eleição presidencial, caso o ex-presidente Lula seja impedido de disputar o Planalto.

PSB deve aprovar indicativo de apoio a candidatura Ciro Gomes já na segunda-feira

/ Política

Ciro Gomes pode ter apoio do seu ex-partido. Foto: Divulgação

A campanha entra na fase de mata-mata na semana que vem, quando devem ser anunciadas as primeiras definições de alianças. O PSB deverá aprovar um indicativo de apoio a Ciro Gomes (PDT) já na segunda-feira, após uma reunião da Executiva. A aliança com o presidenciável pedetista deve prevalecer em relação às propostas de que o partido fique “solteiro” ou que feche com o PT. O chamado “blocão” também se encaminha para um desfecho da novela sobre para onde vão DEM, PP, PRB e Solidariedade. O maior entrave hoje para isso são os Democratas. ACM Neto e Rodrigo Maia comandam nas próximas 48 horas conversas internas e com partidos aliados para chegar a um veredicto, que pode também ser anunciado na semana que vem. O presidente da Câmara dos Deputados é hoje o maior “cirista” da sigla. Acha que o apoio ao pedetista facilitará a vida dos candidatos do DEM em colégios importantes, como o Rio (não por acaso, o seu), Minas Gerais e Goiás. O prefeito de Salvador, que já flertou mais fortemente com essa ideia, tem dito nos últimos dias que o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) é uma opção mais “segura” e fácil de explicar. Se prevalecer a aliança com os tucanos, o DEM acredita que consegue arrastar junto o PRB e o Solidariedade. Resta a dúvida sobre o PP, que, a despeito de ser o mais próximo do bloco a fechar com Ciro, pode ceder aos apelos de Rodrigo Maia caso a decisão do DEM seja pró-Alckmin.

Zé Ronaldo oferece vaga de vice ao PSC, com Lázaro na vice, mas o partido quer o Senado

/ Política

Lázaro não aceita ser vice de Zé Ronaldo. Foto: Bocão News

O pré-candidato ao governo da Bahia pelo DEM, Zé Ronaldo, ofereceu ao PSC a vaga de vice-governador na sua chapa majoritária. De acordo com publicação do jornal O Estado de S. Paulo desta terça-feira (10), o democrata cedeu à pressão do PSDB, que não concordava com a indicação do deputado federal Irmão Lázaro (PSC) para ocupar uma vaga destinada ao Senado. O PSC já deixou claro que o objetivo da legenda nestas eleições é disputar o Senado e não deve aceitar a oferta de Zé Ronaldo. Presidente do PSC na Bahia, o deputado estadual Heber Santana diz que a sigla se sente livre para negociar outras alianças. Entre as possibilidades, está a de integrar a chapa do pré-candidato ao governo pelo MDB, João Santana. Na composição liderada por Zé Ronaldo, uma vaga para senador já está definida para o deputado federal Jutahy Magalhães Júnior (PSDB). O tucano não concorda que a segunda vaga para o Senado fique com Irmão Lázaro.

Rui Costa segue na liderança dos governadores que mais cumpriram promessas de campanha, revela G1

/ Política

Rui Costa é o que mais cumpriu promessas. Foto: Mateus Pereira

O portal G1 divulgou nesta segunda-feira (9) o levantamento atualizado das promessas de campanha feitas por todos os governadores em 2014. De acordo com o G1, de 2015 até julho de 2018, o governador da Bahia, Rui Costa, é o que mais cumpriu as promessas feitas. Em três anos e meio, Rui executou, total e parcialmente, 74 promessas. O G1 se baseou no programa de governo registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) , em sabatinas, entrevistas e debates. Ainda segundo o G1, quando analisadas apenas as promessas totalmente cumpridas, Rui Costa permanece na liderança em todo o país, com 54 ações completamente executadas. Em segundo lugar aparece o governador de São Paulo (38 promessas cumpridas) e em terceiro o da Paraíba (31 promessas cumpridas).

Confira abaixo o ranking por números absolutos de promessas cumpridas

1º Bahia – 54
2º São Paulo – 38
3º Paraíba – 31
4º Goiás – 28
5º Maranhão – 24
6º Sergipe – 21
7º Paraná – 17
8º Roraima – 15
9º Rondônia – 14

10º
Pará – 12
Amapá – 12
Espírito Santo – 12
Mato Grosso do Sul – 12

11º
Pernambuco – 11
Mato Grosso – 11

12º
Alagoas – 9
Minas Gerais – 9

13º  Ceará – 8
14º Rio Grande do Norte – 7

15º
Rio Grande do Sul – 6
Distrito Federal – 6
Rio de Janeiro – 6
Amazonas – 6

16º
Piauí – 4
Santa Cataria – 4

17º Acre – 2
18º Tocantins – 40 promessas (nenhuma delas avaliadas)

Convenção em agosto homologará candidatura de Meirelles a presidente da República pelo MDB

/ Política

Meirelles será candidato à Presidência. Foto: Murilo Lima

O MDB marcou para 4 de agosto a convenção nacional que deve homologar a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles à Presidência. Embora Meirelles ainda esteja com 1% das intenções de voto, levantamento feito pela cúpula do partido indica que o apoio dos diretórios estaduais ao nome dele cresceu. Em reunião realizada nesta segunda-feira, em Brasília, os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha; de Minas e Energia, Moreira Franco, e o presidente do MDB, senador Romero Jucá, disseram a Meirelles que, agora, ele precisa fazer movimentos externos para ganhar a confiança do eleitor. Padilha apresentou ali uma planilha indicando que, se a convenção do MDB fosse hoje, a candidatura do ex-ministro seria aprovada por cerca de 70,4% dos presentes. Pelas contas do titular da Casa Civil, que também é vice-presidente do MDB, Meirelles tem aval de 443 dos 629 delegados. Ainda há, porém, resistências ao lançamento do ex-chefe da equipe econômica nos diretórios do MDB de Alagoas, Ceará, Sergipe, Paraná e Pernambuco. Jucá afirmou que o MDB não retirará Meirelles do páreo. “Não tem sentido o maior partido do Brasil ficar no banco de reserva”, disse o senador ao Estado. “Temos de jogar para a frente, mesmo porque o momento que vivemos não é de se eximir do debate. A sociedade cobra firmeza e coerência”. Sob forte desgaste, o presidente Michel Temer não entrará na campanha. Recente pesquisa Ibope, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostrou que o governo Temer é reprovado por 79% da população. Nesse cenário, a companhia do presidente no palanque é considerada tóxica até mesmo por aliados. Até agora, o MDB não fechou aliança com nenhum partido para ocupar o posto de vice e pode até apresentar uma chapa puro sangue. “Não tem problema. Nós temos o maior tempo de TV e, por enquanto, estamos tratando de reforçar nosso candidato”, insistiu Jucá. Na tentativa de se apresentar como alternativa entre os “extremos”, Meirelles vai reforçar o discurso da pacificação. Em novo vídeo da campanha para as redes sociais, dois grupos — um vestido de vermelho e outro, de azul — medem forças e protagonizam acirrada queda de braço, puxando uma retorcida bandeira do Brasil. O filme entra no ar na esteira da guerra de decisões sobre a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A batalha deste domingo para tirar Lula da cadeia jogou os holofotes para a disputa dentro do Judiciário e movimentou a corrida eleitoral. Ancorada pelo mote #ChamaOMeirelles, a propaganda do ex-ministro da Fazenda mostra dois pólos de força, com homens e mulheres tentando “conquistar” a bandeira. “De um lado, dizem que tudo não passou de um golpe. Do outro, dizem que a solução para o País são ideias radicais e perigosas, que não deram certo nem no século passado”, observa um locutor em off. “Em meio a tudo isso, a maioria silenciosa dos brasileiros, que não está nem de um lado e nem do outro, sofre com toda essa tensão”. O vídeo do “estica e puxa” termina com uma mensagem de otimismo, depois que a bandeira aparece, sã e salva, aberta. Ao lado dela, eleitores de todas as colorações estão juntos e sorridentes. “Você e o nosso país merecem muito mais do que isso. Merecem ter de volta um Brasil que cresça de verdade para todos. Com paz, diálogo e trabalho”, diz o filme. Com informações do Estadão

Doze dias após anunciar pré-candidatura, Datena desiste e diz que foi por causa da família

/ Política

José Luiz Datena desiste de candidatura. Foto; Reprodução

O apresentador José Luiz Datena reapareceu, na tarde desta segunda-feira (9), no comando do “Brasil Urgente” na Band. A volta do jornalista para a emissora deu um ponto final na sua suposta candidatura à vaga ao Senado pelo estado de São Paulo nas eleições deste ano. Durante o programa, o apresentador explicou o motivo que o fez desistir de disputar o pleito: “Resolvi que eu ainda não estou preparado para ajudar o meu país na política brasileira. A política brasileira depende de gente séria, capaz, que consiga ultrapassar a maior crise que nós já enfrentamos até hoje. Vamos esperar que apareçam quadros capazes de tirar o Brasil desta situação. É difícil? É quase impossível. Por isso que eu refleti. Ainda não me sinto preparado para ajudar o meu povo, a nação brasileira, em uma outra função que não seja esta. Assim que eu estiver, eu largo de uma vez o que estiver fazendo e me proporei a concorrer a algum cargo. Achei que não era a hora de participar dessa política do jeito que está”, justificou.