Eleições 2022: Multidão acompanha Lula e Jerônimo durante caminhada na orla de Salvador

/ Política

Lula e Jerônimo fizeram caminhada na Orla de Salvador. Foto: Divulgação

Uma multidão compareceu na Ondina para acompanhar a caminhada do ex-presidente e candidato ao Palácio do Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), junto com o candidato ao Governo da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), no final tarde desta quarta-feira (12).

Lula e Jerônimo estão acompanhados do governador Rui Costa, o senador reeleito Otto Alencar e do candidato a vice na chapa Geraldo Júnior. Antes do início da caminhada, Lula tirou fotos e atendeu apoiadores.

Embalados com os jingles da campanha eleitoral, eles seguem em direção ao Farol da Barra, onde o ato será encerrado. Com informações do site Bahia Notícias

Do partido de Neto, deputado Arthur Maia declara apoio a Bolsonaro no segundo turno

/ Política

Arthur Maia apoia Jair Bolsonaro a presidência. Foto: Rede social

O deputado federal, e reeleito, Arthur Maia (União) declarou que votará em Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno das eleições presidenciais no dia 30 de outubro. Em vídeo publicado nas suas redes sociais na última segunda-feira (10), o parlamentar alegou que ”sempre defendeu a economia liberal” e que, também, por conta disso, irá ser contra o Partido dos Trabalhadores nas eleições.

”Quem me conhece sabe que sou um político que acredita na economia neoliberal como fonte de riqueza e geração de oportunidades. A economia liberal em todo mundo tem trazido desenvolvimento para os países. Diante disso, não posso me filiar e apoiar esse modelo socializante do PT”, afirmou Maia.

Apesar do deputado ser do mesmo partido de ACM Neto (União), o candidato ao governo do Estado tem mantido uma posição de neutralidade em relação à corrida presidencial desde o primeiro turno.

A direção nacional do União Brasil, inclusive, liberou que as sedes estaduais apoiem o candidato à reeleição Jair Bolsonaro ou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante o segundo turno (veja mais aqui). Do Bahia Notícias

Do União Brasil, prefeito muda de lado e declara apoio a Jerônimo Rodrigues no segundo turno

/ Política

Prefeito de Candeal, Everton Cerqueira apoia Jerônimo. Foto: Ascom

O prefeito de Candeal, Everton Cerqueira, do União Brasil, declarou apoio neste segundo turno ao candidato a governador do Estado pelo PT, Jerônimo Rodrigues. Na primeira etapa, Cerqueira, que se elegeu em 2020 pelo então Democratas, apoiou o candidato do seu partido e ex-prefeito de Salvador.

”Peço a todos em Candeal, os vereadores, as nossas lideranças, já temos um senador eleito e, agora, teremos um novo governador, Jerônimo, que irá nos ajudar cada vez mais a avançar Candeal”, afirmou o gestor candealense.

”Quero agradecer ao prefeito Everton, aos vereadores e a todos de Candeal pela votação dada a mim, a Lula e a Otto. Podem ter a certeza que iremos fortalecer essa parceria, com a chegada de Lula, para cuidarmos de todos em Candeal”, agradeceu Jerônimo.

Desde a semana passada, após o primeiro turno das eleições, Jerônimo já recebeu o apoio de diversos partidos políticos, prefeitos, vice-prefeitos, ex-prefeitos e vereadores que não marcharam com o petista na primeira etapa. Entre as novas alianças para este segundo turno, o Psol, Patriota, PSC, PV e Rede Sustentabilidade se uniram ao Time de Lula na Bahia. Já prefeitos, o petista recebeu o apoio da prefeita Tânia Yoshida (PSD), de Conceição do Jacuípe; Djalma Anjos (PP), de Novo Horizonte; Adriano Lima (PP), de Serrinha; Marcus Sarmento (PP), de Itanagra; Nena Costa (PSD), de Inhambupe; Reginaldo Prado (PSD), de Candiba; Ari Bahia (PSC), de Varzedo; e Adãozinho (PSD), de Itaguaçu.

Apoiadora de ACM, prefeita de Conquista aumenta o tom contra governador e se ”revela” bolsonarista

/ Política

Sheila mudou o tom adotado na campanha. Foto: Blog do Anderson

A prefeita de Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, Sheila Lemos (União), resolveu mudar o tom adotado na campanha. Lemos que segue em apoio ao candidato ao governo ACM Neto (União) começou a desferir ataques contra o governador Rui Costa (PT), além de se mostrar bolsonarista.

Conforme o Blog do Anderson, parceiro do Bahia Notícias, a gestora chegou a dizer que a Bahia está ”abandonado” e que Vitória da Conquista estaria ”esquecida” pelo chefe do Executivo estadual.

Em relação ao presidente Jair Bolsonaro (PL), no primeiro turno, a prefeita não declarou apoio público ao mandatário – chegou a não revelar voto para o cargo máximo da República – e não costumava usar camisas da seleção brasileira, como muitos apoiadores de Bolsonaro gostam de vestir.

Derrotado para governador, Roma acompanha voto de Dra. Raíssa em Porto Seguro: ”Estamos confiantes”

/ Política

Roma foi o terceiro colocado. Foto: Assessoria/João Roma

O deputado federal João Roma (PL), que recebeu mais de 738 mil votos nas eleições para governador da Bahia, sendo derrotado no 1º turno, disse que seu apoio ao candidato do União Brasil, ACM Neto, não garante que todos os votos sejam transferidos ao ex-prefeito de Salvador. ”Ninguém é dono do voto de ninguém, pois cada um exerce o direito ao voto com a sua consciência. Eu declarei minha posição política de adversário do PT na Bahia e no Brasil”, disse Roma, em entrevista à Rádio Paraguassu, de Santo Estêvão.

Roma também reiterou que ter declarado apoio a ACM Neto no segundo turno não quer dizer que ele se tornou aliado do candidato ao governo que enfrenta Jerônimo Rodrigues (PT). ”Mas fica claro que muitos eleitores nossos se ressentem por não verem um contraste entre ACM Neto e o candidato do PT”, comentou Roma, após ser questionado sobre a resistência de alguns eleitores bolsonaristas de depositarem voto no ex-prefeito de capital.

O parlamentar comentou que o segundo turno virou ”com uma tendência muito forte para a reeleição de Bolsonaro”. Para justificar o pensamento, Roma indicou os apoios de Claudio Castro (PL) e Romeu Zema (Novo), governadores reeleitos de Rio de Janeiro e Minas Gerais, e também do governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), estado onde o candidato apoiado pelo presidente Bolsonaro, Tarcísio de Freitas (Republicanos), também lidera a disputa.

O ex-ministro da Cidadania também acredita que Bolsonaro vai aumentar a votação que teve no Nordeste. “Ele foi o presidente que mais fez pelo Nordeste”, pontuou, ao indicar, dentre outras obras, a conclusão do principal trecho da transposição do Rio São Francisco.

Em entrevista à Rádio Mix BA, de Conceição do Jacuípe, Roma explicou que a indicação de voto em ACM Neto indica uma outra característica dele, a de não ficar neutro em nenhuma eleição. ”Eu sei, inclusive, escolher o menos pior. Tenho que me posicionar como líder político inclusive para dizer o eleitor para onde ele não deve ir”, salientou Roma.

Candidato ACM Neto diz que a marca do trabalho de Jerônimo na SDR foi a extinção da EBDA

/ Política

”Ele fracassou na Secretaria”, diz ACM sobre Jerônimo. Foto: Divulgação

O postulante ao governo da Bahia pelo União Brasil, ACM Neto, nesta segunda-feira (10), em entrevista à Eldorado FM, de Teixeira de Freitas, disse que Jerônimo Rodrigues protagonizou o fim da assistência técnica aos agricultores familiares do estado, ao decretar a extinção da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), e que ele é um dos responsáveis pelos baixos índices na Educação do Estado.

”Ele fracassou na Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), quando extinguiu a EBDA, e fracassou na Secretaria de Educação. A marca do trabalho dele na SDR foi a extinção da EBDA, uma empresa do governo do estado que dava apoio ao pequeno produtor com suporte técnico, orientação e qualificação técnica, além de realizar pesquisas para o desenvolvimento de novas tecnologias”, falou Neto.

”É uma vergonha, esse é o legado deixado pelo PT da Bahia depois de 16 anos no poder. Com a responsabilidade direta daquele que foi testado e reprovado, aquele que fracassou na educação e na agricultura, o ex-secretário Jerônimo Rodrigues. O mesmo ex-secretário que agora, imaginem só, chega para pedir o voto dos baianos para ser governador. Apenas e exclusivamente pela manutenção de um projeto de poder na Bahia que pode dar mais quatro anos àqueles que já tiveram tantas oportunidades e que foram perversos com as nossas crianças e com os nossos jovens”, condenou ACM Neto na entrevista.

Na ocasião, o ex-prefeito de Salvador falou que pretende implementar um novo modelo educacional no estado caso seja eleito, com tecnologia, ensino em tempo integral e valorização dos professores: ”Será possível levar o ensino em tempo integral para toda a Bahia, e eu não vou ficar apenas nas grandes e médias cidades, vamos levar para a maior quantidade possível de municípios do interior do nosso estado, e não vai ser qualquer escola em tempo integral”, pontuou.

”A gente quer desenvolver um sistema educacional que vai trazer tecnologia e o que há de mais moderno em termos de educação com uso da informática, de conectividade para os alunos. Que vai introduzir, e aí está o ponto que eu acho o mais importante, os conceitos de empregabilidade e empreendedorismo. Ou seja, o aluno que estiver cursando o ensino médio da Bahia, terá acesso à qualificação profissional desde a escola”, garantiu.

O postulante ao Palácio de Ondina ainda falou que, durante a caminhada pelo interior, teve a oportunidade de conversar com jovens de todas as idade e que, para ele, o maior desafio é garantir uma educação de qualidade para que os alunos saiam do ensino médio com capacidade de ingressar em faculdades ou aplicar no mercado de trabalho os conhecimentos adquiridos.

Henrique e Juliano encontram Bolsonaro em show e ganham camisas do Brasil com o número 22

/ Política

Bolsonaro durante encontro com sertanejos. Foto: Reprodução/Instagram

A dupla Henrique e Juliano recebeu o presidente Jair Bolsonaro nos bastidores da gravação do novo projeto audiovisual, em Brasília.  

O atual chefe Executivo presentou os sertanejos com camisas da seleção brasileira personalizadas com o número 22, do seu partido. 

A família dos artistas também estiveram estavam no encontro com o presidente e compartilharam fotos do encontro.  ”As pessoas têm de entender que não queremos retroceder, não queremos que nosso país seja roubado e enganado outra vez”, disse o pai da dupla. 

Itapebi: Prefeito deixa aliança com Neto e declara apoio a Jerônimo Rodrigues ao Governo da Bahia

/ Política

Juarez da Silva Oliveirapula do barco. Foto: Reprodução

O prefeito de Itapebi, na Costa do Descobrimento, Juarez da Silva Oliveira (PP), não vai mais apoiar ACM Neto (União) como candidato a governador do estado. Ao site Políticos do Sul da Bahia, parceiro do Bahia Notícias, Peba, como é conhecido, disse que seguirá agora com Jerônimo Rodrigues (PT). A declaração foi dada nesta segunda-feira (10).

”Eu vou apoiar Jerônimo. Não tem como ficar dois anos sem governo do estado. O governador Rui Costa foi bom para nossa cidade, por isso vou apoiar Jerônimo”, afirmou. Peba é ligado ao deputado federal Ronaldo Carletto (PP), que nesta eleição ficou como candidato à suplente no Senado, tendo como Cacá Leão (PP), como representante da chapa. Logo após a eleição de primeiro turno, setores do PP já especulam um possível retorno à base de Rui Costa (PP) (saiba mais aqui).

A disputa teve como vencedor Otto Alencar (PSD) que obteve 58,31% dos votos válidos, contra 25,24% de Cacá Leão (ver mais aqui).

”Eu me preparei para ganhar essa eleição”, diz ACM Neto durante ato no subúrbio ferroviário de Salvador

/ Política

Candidato em campanha na capital. Foto: Ascom / ACM Neto

Durante evento de campanha neste domingo (9), no bairro de Plataforma, no subúrbio ferroviário de Salvador, ACM Neto (União Brasil) destacou seu currículo ao afirmar ser o nome indicado para vencer a disputa pelo governo da Bahia.

”Eu quero dizer a vocês que eu estou pronto para esse segundo turno. Eu não me preparei apenas para saber governar a Bahia, eu não me preparei apenas para ter condições de ser um grande gestor. Eu me preparei para ganhar essa eleição”, declarou o candidato, que aproveitou a oportunidade para provocar o adversário, Jerônimo Rodrigues (PT), e o governador Rui Costa (PT).

”Nós não estamos aqui apenas para tirar um grupo que governa a Bahia há 16 anos. Nós estamos aqui para fazer história, estamos aqui para mudar a Bahia de verdade. Nós estamos aqui pelo futuro do nosso estado, pelo futuro do nosso povo”, disse Neto durante a caminhada, que contou com as presenças do prefeito de Salvador, Bruno Reis (União Brasil), da vice-prefeita de Salvador Ana Paula Matos (PDT), da candidata a vice-governadora Ana Coelho (Republicanos) e do prefeito de Candeias, Pitágoras Ibiapina (PP).

 

Jerônimo afirma que Bolsonaro ”abandonou” a Bahia e diz que recuperar BRs é essencial

/ Política

Candidato em campanha na Chapada. Foto: Ascom / Jerônimo Rodrigues

Candidato do PT ao governo da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT) prometeu priorizar a duplicação e requalificação das rodovias baianas, caso seja eleito no segundo turno, e disse já ter conversado sobre o tema com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que também disputa um novo mandato na Presidência da República. As declarações se deram neste domingo (9), em atividade de campanha na Chapada Diamantina, onde ele passou pelos municípios de Novo Horizonte e Ibitiara.

”Um dos meus objetivos enquanto governador será conectar toda a Bahia, essa medida irá facilitar o transporte, os empresários, o turismo, a geração de emprego e renda e a qualidade de vida de forma mais geral. Eu já conversei e vou reforçar o pedido ao presidente Lula após sentar na cadeira de governador, as BRs baianas precisam de atenção e cuidado, o nosso governo está cuidando das rodovias federais, o governador Rui Costa se encarregou disso, já que o atual presidente abandonou completamente a Bahia”, disse Jerônimo, criticando a administração do presidente Jair Bolsonaro (PL) e prevendo melhorias se Lula for eleito.

”Nós vamos mudar a cara das nossas BRs. Vamos pedir a duplicação de trechos da BR-116, BR-101. Buscar uma terceira faixa ou uma duplicação ali na BR-242. Trabalharemos pela requalificação das BRs 020, 030, 122, 235, 349 e 430”, prometeu o candidato, afirmando ainda que se eleito também vai investir na ampliação dos aeroportos estaduais de Feira de Santana, Barreiras, Porto Seguro e Jequié, iniciar e finalizar a ponte Salvador-Itaparica, além de modernizar e requalificar os terminais hidroviários baianos.

”Nós faremos sim um investimento grande em questões de infraestrutura, transporte e mobilidade, mas isto não significa que iremos agir ignorando a questão ambiental. O avanço que iremos proporcionar não exclui os nossos cuidados e a nossa política de preservação ambiental. Eu irei trabalhar para que a Bahia seja referência nesta questão, teremos os investimentos mais estruturais, contudo iremos atuar fortemente na questão de meios de transporte não poluentes, incentivando e proporcionando condições para a utilização e popularização”, disse Jerônimo Rodrigues.

Na ocasião, o petista provocou ACM Neto (União Brasil), pelo o adversário criticar a construção da ponte Salvador-Itaparica. ”Eu jamais vou entender por qual motivo o ex-prefeito é contra o desenvolvimento da Bahia. Quer dizer, talvez seja saudade do atraso e do abandono que o grupo dele proporcionou ao nosso estado durante 40 anos. Eu reafirmo aqui: meu compromisso é concluir a ponte Salvador-Itaparica, uma obra necessária e que só trará desenvolvimento para o nosso estado. A construção da ponte tem impacto direto e indireto em 250 municípios, serão mais de 6 mil empregos diretos, além dos impactos que causará no turismo, no transporte e no comércio das cidades”, disse o ex-secretário de Educação da Bahia.

Em BH, Lula diz que governador é livre para apoiar quem quiser, mas não pode pensar que povo é gado

/ Política

Lula recebe apoio do prefeito de BH. Foto: Reprodução/TV Globo

O candidato do PT à presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, disse neste domingo (9) durante visita a Belo Horizonte que o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), tem “liberdade de apoiar quem ele quiser”, mas que ele não pode pensar que o ”povo é gado”.

”A única coisa que ele tem que levar em conta é não pensar que o povo é gado. É não pensar que o povo pode ser tangido para lá ou para cá, o povo tem consciência do que está acontecendo no país”, afirmou o ex-presidente em conversa com jornalistas após o evento.

Após o resultado do primeiro turno, Zema, reeleito com 56,18% dos votos, declarou apoio à reeleição do atual presidente Jair Bolsonaro (Pl). Em Minas Gerais, Lula venceu no primeiro turno com 48,29% dos votos, ante 43,60% de Bolsonaro.

”O povo pode medir quaisquer quatro anos meus com quatro anos de Bolsonaro. Belo Horizonte pode medir quatro anos meus com quaisquer quatro anos de Bolsonaro, que se o governador souber 10% do que nós fizemos em Minas Gerais, ele terá um problema de remorso ao não me apoiar”, afirmou o ex-presidente.

Depois da coletiva, Lula saiu em caminhada da Praça da Liberdade até a Praça Tiradentes, na Região Centro-Sul da capital mineira. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o cantor Chico Buarque também participaram.

Ao discursar, Chico Buarque usou trechos da canção ‘Apesar de você’: ”Reafirmando o que eu disse, em torno de de 50 anos, amanhã vai ser outro dia. Amanhã vai ser outro dia”. Com informações do G1

Bolsonaro diz que pode descartar aumento de ministros do STF se corte ”baixar temperatura”

/ Política

”Já temos duas pessoas garantidas lá”, disse. Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou neste domingo (9) que deve decidir sobre a proposta de aumento do número de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) após as eleição e que ela vai depender da ”temperatura” na corte.

Em entrevista para um canal no YouTube, Bolsonaro fez as contas dos ministros que pode ter a seu favor caso seja reeleito. Seriam os dois já indicados por ele, Kassio Nunes Marques e André Mendonça, mais dois que entrariam no próximo mandato, após a aposentadoria de Rosa Weber e Ricardo Lewandowski.

O mandatário foi questionado especificamente por um dos entrevistadores sobre a sugestão de aumentar a composição do STF, que tem 11 ministros atualmente. Disse que já recebeu essa sugestão, mas que vai decidir depois das eleições.

”Se eu for reeleito, e o Supremo baixar um pouco a temperatura, já temos duas pessoas garantidas lá [Kassio Nunes Marques e André Mendonça], tem mais gente que é simpática à gente, mas já temos duas pessoas garantidas lá, que são pessoas que não dão voto com sangue nos olhos, tem mais duas vagas para o ano que vem, talvez você descarte essa sugestão”, afirmou o presidente ao canal Pilhado.

”Se não for possível descartar, você vê como é que fica. Você tem que conversar com o Senado também a aprovação de nomes. Você tem que conversar com as duas Casas a tramitação de uma proposta nesse sentido. E está na cara que muita gente do Supremo vai para dentro da Câmara e do Senado contrária, porque se você aumenta o número de ministros do Supremo, você pulveriza o poder deles. Eles passam a ter menos poder e lógico que não querem isso”, completou, na entrevista que teve mais de quatro horas de duração.

O presidente teve um ambiente bastante amigável durante o podcast, com ambos os entrevistadores manifestando voto em Bolsonaro e repetindo mantras bolsonaristas, como críticas ao Judiciário, à imprensa e críticas à ”ideologia de gênero”.

Um deles, Paulo Figueiredo, é neto do último ditador do regime militar, o ex-presidente João Baptista Figueiredo (1918-1999). O comentarista louvou em alguns momentos o governo de seu avô, como a política habitacional.

Bolsonaro repetiu em diversos momentos acusações aos ministros do Supremo, embora não tenha usado desta vez palavras de baixo calão. Disse novamente ser perseguido e voltou a citar a determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que o proibiu de realizar lives dentro do Palácio do Alvorada.

”Os caras têm lado político, os caras decidem. Qualquer ação no Supremo, TSE, dá ganho de causa para o outro lado. Não tem isenção nisso tudo”, afirmou, dizendo que no Palácio as lives custam apenas centavos.

O candidato também fez um apelo para que a corte eleitoral não derrube a rede de influenciadores e políticos que faz propaganda intensa a ele pelo Twitter. O time jurídico do PT vem estudando os principais perfis pró-Bolsonaro e entrou no TSE com uma representação cobrando a rede social pela disseminação de fake news por essas contas.

A lista de mais de 30 nomes inclui os filhos Carlos e Flávio Bolsonaro, sendo o primeiro o líder da campanha do pai na internet, a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), o deputado federal Ricardo Salles (PL-SP), a produtora Brasil Paralelo e influenciadores como Kim Paim e Bárbara Destefani.

”Peço que nosso querido TSE não embarque nessa porque se tirar o pessoal lá e eu nada fizer aqui é você mandar um batalhão para a guerra e no meio do caminho você tira os canhões dele. É nessa situação que eu fico aqui. Eu ia entrar na guerra e, em vez de fuzil e canhão, com pau e pedra, vou perder essa guerra”, afirmou, referindo-se ao segundo turno.

O presidente depois acrescentou que ”é impossível eu governar mais quatro anos com o Supremo fazendo ativismo judicial”. Em outro momento, afirmou que o STF ”condena santos e liberta capetas”.

O presidente usou a palavra santo, em particular, para se referir ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado por ameaças e incitação à violência contra ministros da corte. O presidente também disse que, em caso de reeleição, terá muito mais facilidade para aprovar medidas de seu interesse no Congresso Nacional, por ter fortalecido a sua bancada nas últimas eleições.

”Temos um Congresso mais conservador […] vou ter facilidade para aprovar projetos de interesse da população”, afirmou. Bolsonaro criticou o uso pela campanha de Luiz Inácio Lula da Silva de entrevista na qual afirma que comeria um índio. Disse que a menção ao canibalismo teria o intuito de “amedrontar a população”. A frase associada ao canibalismo foi dada por Bolsonaro em entrevista ao jornal New York Times.

O chefe do Executivo ainda acusou seus opositores de jogo sujo ao divulgarem que o senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) se tornaria ministro da Previdência em eventual segundo governo e que iria confiscar a aposentadoria de aposentados.

”Agora estão falando duas coisas aí. Primeiro, que eu sou canibal. Pô, é foda né? Aguentar um trem desse aí. A outra é que o Collor vai ser ministro e que nós vamos confiscar a aposentadoria dos aposentados. É o tempo todo assim”, afirmou.

Ele se referia especificamente ao deputado federal André Janones (Avante-MG), apoiador de Lula, a quem chamou de ”mal tremendo à nação”. Após ter relacionado a vitória do petista no Nordeste à alta taxa de analfabetismo na região, Bolsonaro buscou amenizar a situação e disse que nunca havia feito essa associação. E, sem provas, levantou dúvidas sobre o desempenho do petista na região.

”Falam muito que o Nordeste é reduto do PT, no meu entender não é mais reduto do PT. Tem voto lá o PT, tem. Mas não a esse ponto. Não teve festa na Bahia com o Lula com dois terços do voto para o lado dele. Não justifica isso. Então, foi bastante esquisito esse resultado”, afirmou.

Jair Bolsonaro foi questionado durante a entrevista se manteria no cargo o ministro da Economia, Paulo Guedes. Respondeu brevemente que ”se depender de mim, todos ficam”, sem dar mais detalhes. O mandatário iria dar sequência, comentando uma conversa com Guedes, mas acabou interrompido e o assunto não foi retomado.

Bolsonaro já havia declarado que Paulo Guedes permaneceria no cargo em eventual novo governo, se o ministro quisesse. No entanto, deixou margem para dúvidas na última semana ao evitar responder uma pergunta direta sobre o assunto.

Bolsonaro passa o domingo em Brasília após viagem no fim de semana. No sábado (8), o presidente participou das festividades do Círio do Nazaré, em Belém. O mandatário esteve a bordo da Corveta da Marinha Garnier Sampaio, embarcação que leva a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, mas permaneceu isolado.

A procissão pelas águas da baía do Guajará faz parte das 13 romarias do Círio de Nazaré, considerada uma das maiores festas religiosas católicas do mundo. Ao retornar a Brasília, no fim da tarde, o presidente foi direto para o estádio nacional Mané Garrincha, onde posou para fotos com a dupla Henrique e Juliano.

João Gabriel, Renato Machado e Paula Soprana/Folhapress

Em Itabuna, Jerônimo fala em zerar fila da regulação e cita reforma do Hospital de Jaguaquara

/ Política

Jerônimo é recepcionado pelo prefeito Augusto. Foto: Divulgação

O candidato a governador Jerônimo Rodrigues (PT) garantiu que sua gestão irá zerar a fila da regulação e atuar para aproximar ainda mais a população baiana a oferta de serviços na área da Saúde, com a construção de sete novos hospitais regionais (Jacobina, Senhor do Bonfim, Capim Grosso, Amargosa, Jaguaquara, Valença e na região do Sisal), seis novas maternidades de alto risco, cinco novas policlínicas e dois novos serviços de oncologia. A declaração foi dada durante agenda eleitoral em Ilhéus neste sábado (08), o Time de Lula na Bahia realizou uma caminhada no município.

”Nós vamos zerar a fila da regulação, eu me comprometo com isso. Eu tenho certeza de que Rui já vai adiantar bem esta questão, a fila foi muito afetada pela pandemia, mas nós vamos zerar a fila. A minha gestão será marcada por aproximar a população da Saúde, dos serviços. Nosso time já fez muito, construímos hospitais, policlínicas e eu vou atuar para chegar com a oferta de saúde em regiões que ainda precisem ou tenha uma grande demanda. Nós não iremos deixar a população baiana de lado, as nossas gestões fizeram muito, diferente do outro grupo, mas eu farei ainda mais do que [Jaques] Wagner e Rui. Vou cuidar da Bahia ao lado do presidente Lula, garantir avanço em todos os segmentos, saúde, economia, geração de empregos, educação, no combate a fome”, afirmou Jerônimo.

O candidato do Time de Lula na Bahia enfatizou que irá atuar em parceria com os prefeitos e secretários de Saúde para fortalecer a rede municipal, a oferta de atenção básica e que a gestão estadual irá ampliar o incentivo financeiro para os consórcios que realizam a gestão das policlínicas regionais. O petista garantiu ainda que sua gestão irá oferecer melhores condições para profissionais da saúde para garantir o atendimento hospitalar de qualidade no interior do estado.

”A saúde sempre foi uma prioridade do nosso grupo. Eu lembro como era antes, as ambulâncias percorrendo as estradas e vindo para Salvador já que o lado de lá nunca se preocupou em cuidar do interior da Bahia. Nos poucos hospitais que existiam fora de Salvador, você só era atendido através do pistolão, do favorecimento. Nossa política não é assim, nós garantimos saúde de qualidade em toda Bahia e faremos ainda mais. Tem gente que diz que vai fazer pela Bahia o que fez em Salvador, Deus nos livre disso. Ele não fez nada por Salvador, uma das maiores capitais do país não tem uma maternidade municipal, tem um dos piores níveis de atenção básica em todo estado. A única coisa que ele fez quando era prefeito foi maquiagem, se não fosse por Rui nem existiria mais Salvador praticamente. Foi a nossa gestão estadual que fez tudo de relevante e importante na capital. Não conseguiu cuidar da capital e quer se vender como preparado para cuidar de um estado que ele começou a conhecer agora”, declarou o petista.

Jerônimo agradeceu a população de Ilhéus pela sua vitória e de Lula no município e em toda Bahia no primeiro turno. O petista comemorou ainda a chegada de novos apoios políticos a sua candidatura, além de prefeitos, ex-prefeitos, deputados e lideranças, cinco novas legendas já anunciaram apoio ao postulante na disputa pelo Palácio de Ondina: PSOL, Patriota, PSC, PV e Rede Sustentabilidade.

”Eu queria agradecer a população de Ilhéus por cada um dos 39.706 votos que conquistei aqui, agradecer pelos 57.891 votos de Lula. Ilhéus deixou bem claro que tem lado, que está com o time que gosta de cuidar de gente, do emprego, do dinheiro no bolso do povo e da comida na mesa. Eu garanto aqui para vocês: nós vamos ampliar essa votação, a minha e a de Lula. A Bahia dará seu recado para os que estão do lado de lá. Gostaria de agradecer também a votação nos deputados e deputadas do nosso time. Soane Galvão teve uma votação bem expressiva aqui, Rosemberg também. Augustão, que conquistou a suplência na Câmara, também foi muito bem votado e o nosso federal Paulo Magalhães, que foi reeleito, também teve uma votação expressiva aqui em Ilhéus. Muito obrigado por essa confiança em todo nosso time e dia 30 agora é bem mais fácil, é só apertar 13 confirma duas vezes. Pela volta da esperança no Brasil e por nossa política de continuar cuidado de gente. O Brasil tem jeito e a Bahia tem lado”, finalizou o postulante petista.

ACM Neto: ”Quem terá que enfrentar a violência na Bahia será o governador, não o presidente”

/ Política

ACM durante evento em Vitória da Conquista. Foto: Divulgação

O candidato a governador ACM Neto (União Brasil) destacou neste sábado (8), em Vitória da Conquista, que, caso seja eleito, irá encarar de frente o problema da violência na Bahia. Ele citou a explosão de três agências bancárias em Irará na última sexta-feira (7) e disse que, em muitos municípios do estado, bancos foram fechados por falta de segurança.

Em entrevista à rádio Band FM de Conquista, Neto ressaltou que o povo da Bahia votará no próximo dia 30 de outubro para dois cargos de grande importância, mas com funções muito distintas: governador e presidente. O ex-prefeito de Salvador ainda criticou o adversário Jerônimo Rodrigues (PT) por não assumir a responsabilidade para resolver os problemas da Bahia.

”Eu acho que essa é a principal diferença minha para o meu adversário. Ele fica se escorando, ele transfere a responsabilidade para os outros. Eu não sou assim. Veja nos últimos anos o problema da violência. Quando o governador Rui Costa (PT) foi perguntado sobre os altos índices de criminalidade, ele simplesmente disse ‘isso é uma questão nacional, não é comigo, não’. E isso não é verdade, porque muitos estados do Brasil vêm reduzindo os índices de violência, enquanto que aqui na Bahia só faz crescer”, salientou.

ACM Neto salientou que presidente e governador têm funções diferentes. ”Nós sabemos que existem os eleitores que preferem Lula e os eleitores que preferem Bolsonaro, mas a verdade é que nem Lula e nem Bolsonaro serão os governadores do estado da Bahia a partir do próximo ano. O governador vai ser ACM Neto ou Jerônimo. Quem vai ter que dar resposta a todos os problemas da Bahia será ACM Neto ou Jerônimo, não é Lula e nem Bolsonaro”, disse.

ACM Neto citou um episódio recente que demonstra a gravidade do problema vivido pela Bahia na segurança pública: na madrugada da última sexta-feira (7), bandidos fortemente armados explodiram três agências bancárias na cidade de Irará. ”Fizeram uma devassa em todas as agências do município, levaram todo o dinheiro da cidade. Muitos municípios do estado não têm mais agências bancárias, elas fecharam por falta de segurança, porque a Bahia hoje ocupa um dos primeiros lugares do Brasil em ataques contra agências”.

”Essa é a realidade da segurança pública da Bahia. Quem vai resolver esse problema? É o presidente ou é o governador. É o governador. A gente tem aí pessoas morrendo na fila de regulação porque não conseguem acesso a um hospital ou a um tratamento médico. Quem vai resolver esse problema? É o presidente ou o governador? É o governador”, completou.