Em Jaguaquara, suspeito rouba loja, foge com moto do gás e acaba preso pela Polícia Militar

/ Política

Motocicleta foi recuperada pela Polícia Militar. Foto: Divulgação

Após ser informada sobre um roubo em uma loja de vestuário infantil, no Centro de Jaguaquara, onde fora subtraída a quantia de R$ 150,00, uma guarnição da Polícia Militar foi acionada e se dirigiu ao local indicado, constando a veracidade da denúncia.

Segundo informou a 3ª Cia, após tomar conhecimento das características do suposto autor, os policiais iniciaram diligências, com objetivo de efetuar a prisão do indivíduo e foram acionados e informados que um homem com as mesmas características do crime anterior havia furtado uma motocicleta para fuga.

Ainda conforme a PM, de posse das informações necessárias, a guarnição localizou o suposto criminoso, que ao avistar a viatura fugiu  pelas ruas da cidade; houve acompanhamento e nas proximidades da rodovia BA-540, ele foi alcançado, abordado e preso, momento em que fora recuperado o veículo subtraído, uma moto que era utilizada para entrega de gás de cozinha. O indivíduo foi apresentado na Delegacia Territorial de Jaguaquara para adoção das medidas cabíveis.

Jair Bolsonaro é o terceiro chefe de governo mais influente no mundo nas redes sociais

/ Política

Brasileiro está atrás de Donald Trump. Foto: Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro é o terceiro chefe de governo mais influente no mundo nas redes sociais. O levantamento é do Índice de Popularidade Digital (IPD), elaborado pela consultoria Quaest.

Segundo a pesquisa, Bolsonaro está atrás do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, e do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O índice é calculado a partir de amostras selecionadas de 18 líderes ao redor do mundo, a partir de coletas métricas de uso de Facebook, Instagram e Twitter. O IPD tem uma escala que varia de 0 a 100, indicando a popularidade mínima e máxima possíveis. Bolsonaro teve um IPD de 52,75.

Jequié: Pré-candidato, Alexandre Youssef nega saída antecipada da direção da Santa Casa

/ Política

Alexandre Youssef terá o apoio de Antônio Brito. Foto: Divulgação

Pré-candidato a prefeito pelo PSD, o diretor da Santa Casa de Saúde de Jequié, Alexandre Youssef, reagiu ao boato de que estaria se desligando da função que exerce na instituição pertencente à Fundação José Silveira, no bairro São Judas Tadeu, em Jequié.

Alexandre assegura que permanece no cargo até o prazo determinado pela Justiça Eleitora.  ”Só irei me afastar no final de março, prazo determinado pela justiça eleitoral para concorrer as eleições”. Uma publicação na rede social  – WhatsApp  – sobre um possível desligamento de Youssef da Santa Casa de forma antecipada teve repercussão nesta terça-feira e criou uma série de fake news nos grupos do aplicativo.

Embora negue, Alexandre deixará a Santa Casa no final do próximo mês e mergulhará de corpo e alma na disputa pela Prefeitura da Cidade Sol, com o aval e apoio o seu padrinho político, deputado federal Antônio Brito, o mais votado nas eleições de 2018 no município, onde obteve 36 mil votos válidos na última eleição.

Deputado Léo Prates se filia ao PDT e lança ”pré-candidatura” a prefeito de Salvador

/ Política

Léo Prates ingressa no DPT. Foto: Mateus Soares/Política Livre

O deputado estadual licenciado e secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, se filiou ao PDT e lançou a sua pré-candidatura a prefeito da capital baiana em um evento realizado na manhã desta terça-feira (11), no prédio da União dos Municípios da Bahia (UPB), localizado no Centro Administrativo (CAB).

Na semana passada, Prates se desfiliou do DEM, dirigido nacionalmente pelo atual gestor da capital baiana, ACM Neto, que não esteve presente hoje por apoiar o pré-candidato Bruno Reis (DEM).

”Nossa candidatura não é contra ninguém. Ela é a favor de Salvador”, cravou Leo, emocionado, durante discurso. O evento contou com a presença do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e de lideranças da legenda na Baha.  *Por Mateus Soares

Do DEM, prefeito de Barreiras agradece a Rui por Policlínica: ”dia histórico, nós agradecemos muito”

/ Política

Prefeito de Barreiras, Zito Barbosa, do DEM. Foto: BNews

O prefeito de Barreiras Zito Barbosa (DEM) afirmou que o município vai economizar com o novo formato de gestão de saúde, através do Consórcio com o Governo do Estado e ressaltou a importância da inauguração da Policlínica. ”A partir de amanhã a policlínica já passa atender os pacientes de Barreiras e região. Agradecemos ao governo do estado por essa visão e a nova forma de atender na saúde, através de consorcio onde participam os municípios juntamente com o Estado. Portanto, agora os municípios terão uma economia nessa área de imagem que vai possibilitar fazer novos investimentos em outras áreas. Dia histórico, nós agradecemos muito”, disse, nesta segunda-feira (10), ao BNews, durante a entrega do equipamento na cidade.

Questionado se o fato de ser do DEM, partido do grupo de ACM Neto, principal adversário do governador Rui Costa (PT) na Bahia, impacta na relação política, ele disse que ”mantém relação saudável com o governo estadual”.

”Nós não temos nenhum problema de relacionamento. Eu, eleito prefeito de Barreiras, passei a ser o prefeito de todos os barreirenses não só daqueles que votaram em mim, assim como é o governador Rui Costa, a partir do momento que toma posse ele é o governador de todos. Aqui mantemos uma boa parceria porque quem ganha é o povo, mantemos a relação saudável. Deixamos a política para a eleição”, ressaltou.

PSOL e viúva de Marielle Franco cobram explicações sobre morte de miliciano na Bahia

/ Política

Mônica Benício se manifesta após morte de Adriano. Foto: Estadão

A Executiva Nacional do PSOL vai pedir uma audiência com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia para cobrar esclarecimentos sobre a morte de Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como chefe da milícia ”Escritório do Crime”, suspeita de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), em março de 2018.

Foragido há 14 meses, Nóbrega foi morto na manhã desde domingo, após trocar tiros com policiais, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia. Segundo o PSOL, é importante saber as circunstâncias da morte de Nóbrega porque ele ”era peça chave para revelar os mandantes do assassinato de Marielle e Anderson”. O partido avalia medidas que envolvam também autoridades federais.

Também na manhã deste domingo, a viúva de Marielle, a arquiteta Mônica Benício cobrou providências do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro. Ao compartilhar a notícia da morte de Nóbrega, ela escreveu ”Moro, cadê o Queiroz”, em referência a Fabrício Queiroz, amigo de Nóbrega e ex-assessor parlamentar de Flavio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

A ex-mulher e a mãe de Nóbrega trabalharam no gabinete de Flávio na Alerj. Além de empregar as parentes do miliciano, o filho do presidente Jair Bolsonaro já o homenageou com a Medalha Tiradentes, honraria mais alta do Legislativo do Rio, em 2005, quando o então policial estava preso acusado de homicídio. Adriano foi expulso da Polícia Militar por causa de envolvimento com a contravenção. Informações do Estadão

Isidório Filho lamenta assassinato de assessor e diz confiar na polícia para esclarecer o crime

/ Política

Humberto Alves foi assassinado em Candeias. Foto: Rede social

O deputado estadual João Isidório (Avante), conhecido também como Pastor Isidório Filho, lamentou a morte do seu assessor Humberto Alves, ocorrida na manhã deste sábado (8), em Candeias. A vítima foi baleada na cabeça e uma mulher de 22 anos também foi atingida na perna.

”Com muita tristeza lamento informar o falecimento do jovem Humberto Alves, assessor que fazia parte do nosso mandato. Humberto era um jovem sonhador como muitos outros que entraram no mundo das drogas e se recuperou na Fundação Dr. Jesus há 13 anos atrás. A partir daí, com o seu desenvolvimento, dedicação e liderança Humberto passou a fazer parte da equipe, primeiro no mandado do meu pai e agora no meu”, afirmou João através de suas redes sociais.

O deputado contou que o assessor também realizava um trabalho voluntário de prevenção às drogas, com palestras e levando jovens para a recuperação. ”Confio no trabalho das autoridades policiais para apurar e esclarecer esse homicídio. Que Deus conforte o coração de toda sua família e amigos”, desejou o parlamentar. As informações são do BNews

Deputado repudia fala de Bolsonaro sobre pessoas com HIV: ”O Estado tem o dever de cuidar delas”

/ Política

Deputado estadual baiano Marcelinho Veiga. Foto: Divulgação

”Uma pessoa com HIV, além de ser um problema sério para ela, é uma despesa para todos aqui no Brasil”. A fala é do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), que foi questionada por profissionais de saúde, ativistas e por políticos, como o deputado estadual baiano Marcelinho Veiga (PSB).

Nesta sexta-feira (7), o parlamentar repudiou a fala e pediu garantia dos direitos das pessoas com HIV/Aids. ”São declarações equivocadas de quem não conhece os dados do país que governa. O Rstado tem o dever de cuidar dessas pessoas. E política de abstinência sexual anunciada por ministra não vai reduz taxas de infecções pelo HIV. Com certeza não vai ser com preconceito e ignorância que daremos respostas eficazes a essa epidemia”

Marcelinho Veiga ainda frisa que no final de janeiro, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para revogar a regra trabalhista que proíbe a demissão de pessoas que vivem com HIV. ”Era nisso que o presidente deveria focar, mas prefere fazer declarações espúrias para enganar o povo”, destaca.

A Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (ABIA) emitiu nota descaracterizando o programa de abstinência sexual idealizado pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, junto com o Ministério da Saúde. ”“A principal lição em 40 anos de enfrentamento à Aids nos ensinou, sem qualquer dúvida, que o peso de estigma e discriminação na resposta social é a maior barreira ao controle da epidemia”.

O deputado do PSB ainda diz que tanto a fala de Bolsonaro quanto a ação no STF acabam reforçando o estigma, o preconceito e a discriminação contra as pessoas que vivem com HIV/Aids no Brasil. Utilizando dados da nota da ABIA, Marcelinho completa dizendo que “quando o presidente da República fala que as pessoas vivendo com HIV causam prejuízo à sociedade, ele autoriza tacitamente o estigma, a discriminação e a violação dos seus direitos humanos”.

Para Veiga, ”Bolsonaro tem realizado um desserviço ao país por comandar um governo federal que não reconhece os direitos humanos. Ele ataca doentes, quilombolas, indígenas, fala mal de ativistas, de sindicatos e de movimentos sociais, é uma vergonha”.

Eduardo Bolsonaro evita polemizar PEC da previdência de Rui e cita ”benefícios” da reforma federal

/ Política

Eduardo Bolsonaro visita Salvador. Foto: Agência Brasil

O deputado federal Eduardo Bolsonaro saiu pela tangente nesta sexta-feira (7), em Salvador, quando questionado sobre o que achava do governador Rui Costa (PT) ter emplacado na Assembleia Legislativa da Bahia uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera o regime da previdência de servidores baianos. A aprovação da matéria foi marcada por protestos e quebra-quebra.

Questionado sobre um chefe do executivo estadual filiado ao Partido dos Trabalhadores – legenda contrária a reforma da Previdência aprovada no congresso no segundo semestre do ano passado – propor uma medida de natureza similar, Eduardo preferiu celebrar as consequências da reforma proposta pelo governo Bolsonaro.

”A reforma da previdência é uma medida impopular, no entanto foi uma medida necessária para salvar o Brasil. Ou era feita a reforma ou o Brasil ia para o buraco”, opinou. Ele avaliou que a medida aprovada é um ”sucesso”, e creditou a ela a retomada da criação de empregos no último ano, e o País ter voltando a ser o 4º maior país a receber investimentos financeiros.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego no Brasil caiu para 11% no último trimestre de 2019. Esta é a menor taxa desde março de 2016.

O mesmo levantamento mostra também que o número de trabalhadores com carteira assinada cresceu 2,2% em relação ao mesmo período de 2018 – chegando a 33,7 milhões. Contudo, o país ainda tem 11,6 milhões de desempregados, e o trabalho informal atingiu o maior patamar em quatro anos.

Segundo o IBGE, a informalidade – que abrange pessoas trabalhando sem carteira assinada e por conta própria, entre outros – representou 41,1% da população ocupada. A porcentagem representa 38,4 milhões de pessoas na média de 2019.

Com a ajuda do programa de privatização de empresas federais, o Brasil foi de sexto para a quarto no ranking dos principais destinos de investimentos estrangeiros em 2019.

Segundo relatório divulgado pela Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) no último mês de janeiro, o Brasil recebeu US$ 75 bilhões em investimentos externos no ano passado – contra US$ 60 bilhões em 2018.

De acordo com o documento, parte da alta dos investimentos externos no Brasil ocorreu, em parte, por causa do programa de privatizações – que se concentrou na venda de subsidiárias de estatais e de participações acionárias do governo em empresas privadas.

Eduardo disse que as privatizações devem continuar, e que algumas vendas precisam ser aprovadas pelo Congresso Nacional – e que confia no secretário de Desestatização Salim Mattar para viabilizar que novas privatizações aconteçam ao longo de 2020. ”Estamos botando ordem na casa. Tem de ser feitos esses ajustes e bola para frente. Estamos no caminho certo”, concluiu. Com informações do BNews

Prefeitos de Maracás, Nova Ibiá e mais duas cidades baianas tem contas aprovadas pelo Tribunal

/ Política

Soya de Maracás tem contas aprovadas. Foto: Blog Marcos Frahm

Nesta quinta-feira (06/02), Tribunal de Contas dos Municípios aprovou com ressalvas as contas das prefeituras de Maracás, Nova Ibiá, Iuiu e Riachão das Neves, na gestão dos prefeitos Uilson Gomes de Novaes, José Nunes de Souza, Reinaldo Barbosa de Góes e Miguel Borges Neto, respectivamente. As quatro relativas ao exercício de 2018.

Em relação à Prefeitura de Maracás, o relator do parecer, conselheiro Raimundo Moreira, multou o prefeito em R$3,5 mil em razão das irregularidades apontadas no Relatório Técnico. A prefeitura teve uma receita de R$60.457.703,86, e uma despesa de R$59.416.316,41, resultando em um superavit de R$6.312.891,61. A despesa total com pessoal correspondeu a 51,14% da receita corrente líquida, atendendo ao limite de 54% previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal.

O conselheiro Raimundo Moreira também foi o relator das contas da prefeitura de Nova Ibiá. Foi imputada uma multa de R$3 mil, em razão das irregularidades apontadas no relatório técnico. A despesa total com pessoal correspondeu a 53,62% da receita corrente líquida, atendendo ao limite de 54% previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal. Todos os índices constitucionais foram respeitados.

O prefeito de Iuiu foi multado em R$2 mil, em razão das irregularidades apontadas no relatório técnico. O relator do parecer, conselheiro Mário Negromente, apontou algumas ressalvas, como orçamento elaborado sem critérios adequados de planejamento; baixa cobrança de dívida ativa e transparência pública e relatório de controle interno ineficientes.A prefeitura teve uma despesa total com pessoal correspondente a 59,92% da receita corrente líquida, acima do limite de 54% previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal. O gestor, no entanto, ainda tem prazo para a recondução das despesas aos limites legais.

O conselheiro Mário Negromonte também multou o prefeito de Riachão das Neves, devido a ressalvas encontradas durante a análise das contas. Foi imputada uma sanção no valor de R$2 mil. A prefeitura teve uma receita de R$66.053.569,30, e uma despesa de R$68.148.547,49, resultando em um deficit de R$2.094.978,19. O prefeito de Riachão das Neves também excedeu o limite de despesa total com pessoal, atingindo 59,86% da receita corrente líquida. Porém, assim como no caso de Iuiu, o gestor ainda se encontra no prazo de recondução. Cabe recurso das decisões.

PSL usou R$ 340 mil para contratar advogada que atuou na defesa de laranjas nas eleições de 2018

/ Política

Ministro do Turismo teria comandado laranjas. Fotos Roberto Castro

Duas semanas após a revelação do escândalo das candidaturas de laranjas, o PSL nacional usou parte da verba que recebeu dos cofres públicos para contratar uma advogada exclusivamente para o diretório de Minas Gerais, um dos focos do caso. Os gastos com serviços jurídicos dobraram desde o ingresso de Bolsonaro na sigla —o presidente permaneceu no partido por um ano e oito meses e se desfiliou em novembro passado. A legenda chegou, inclusive, a prever pagamento de abono natalino a um dos escritórios.

O contrato firmado para o diretório de Minas, de R$ 250 mil, foi assinado em 15 de fevereiro de 2019 com a advogada Fernanda Lage Martins da Costa. Cinco meses depois, foi reajustado para R$ 340 mil. O objetivo do contrato, entre outros pontos, era fazer ”assessoria e consultoria jurídica de ‘compliance’ (advocacia preventiva)” para a sigla em Minas, auxiliando a ”elaboração de procedimentos internos, regulamentos, decisões e código de condutas” com o objetivo de mapear e gerir ”riscos de infrações legislativas”.

A partir daí, a advogada passou a atuar na defesa das candidatas do PSL Lilian Bernardino, Débora Gomes, Naftali Tamar e Milla Fernandes, denunciadas pelo Ministério Público sob acusação de participar de esquema de candidaturas fictícias comandado pelo atual ministro do Turismo de Jair Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio. As candidaturas de laranjas do PSL, caso revelado pela Folha em fevereiro de 2019, também têm como foco das investigações o presidente nacional da sigla, Luciano Bivar.

Ele foi indiciado pela Polícia Federal sob suspeita de ter cometido três crimes na eleição passada. Como o jornal mostrou, sob seu comando, a sigla em Pernambuco lançou candidatas que não fizeram de fato campanha. A PF concluiu que há indícios de desvio dos recursos. A cota de gênero obriga a aplicação de pelo menos 30% do dinheiro de campanha nas candidaturas femininas.

Bivar e Marcelo Álvaro sempre negaram participação em qualquer irregularidade envolvendo essas verbas. Conforme a Folha mostrou neste domingo (2), o PSL multiplicou gastos de dinheiro público, em vários casos, adquirindo artigos de luxo, como carro de R$ 165 mil e poltronas de R$ 3.600. A partir de 2019, após a onda que elegeu Jair Bolsonaro, passou a ter direito à maior fatia do Fundo Partidário. Pulou de menos de R$ 700 mil para cerca de R$ 9 milhões ao mês.

O presidente da República ingressou no PSL em março de 2018. Ele se desfiliou em novembro de 2019 após entrar em conflito público com Bivar. Atualmente, tenta colocar de pé o Aliança pelo Brasil, incluindo a tentativa de levar para a nova sigla parte das verbas hoje nos cofres do PSL.

Os contratos e relatórios de atividades da advogada Fernanda Lage Martins da Costa constam da papelada que integra a prestação de contas do PSL relativa a 2019. O partido colocou a documentação em seu site após os atritos públicos com Bolsonaro —pela lei, a sigla só teria que prestar contas em junho deste ano. Em seus relatórios de trabalho, Fernanda relata visitas à Polícia Federal e o acompanhamento jurídico das candidatas laranjas.

À Folha a advogada ressaltou que a lei dos partidos políticos permite a contratação de serviços jurídicos para ”litígios que envolvam candidatos do partido, eleitos ou não, relacionados exclusivamente ao processo eleitoral”. O tema é fonte de grande controvérsia, inclusive no Congresso Nacional, que foi o responsável por incluir essa redação na lei, em setembro de 2019, ou seja, sete meses após a contratação da advogada pelo PSL.

”As ditas candidatas investigadas concorreram às eleições de 2018 pelo PSL e são filiadas à agremiação até a presente data. Pediram ao partido assistência jurídica, o que foi concedido pelos membros da administração. Acredita o PSL existir uma grave distorção dos fatos envolvendo não só as ex-candidatas, como também diversos integrantes da administração estadual nas eleições passadas. A pecha de ‘candidaturas laranjas’ macula, sem justa causa, a imagem do partido”, afirma a advogada.

Fernanda diz ainda que foi contratada para atuar na reestruturação do partido em Minas porque o diretório encontrava-se ”com diversas pendências financeiras e de prestação de contas” e ”vinha cumprindo, há anos, sucessivas penalidades eleitorais por desaprovação das prestações de contas, partidária e eleitoral, especificamente de 2007 a 2016”.

Segundo ela, o partido só voltou a receber verbas do Fundo Partidário em novembro do ano passado, ”com a regularização de sua situação jurídico-eleitoral, após intenso trabalho realizado por esta profissional.” Os documentos da prestação de contas do PSL mostram que, fora a folha de pagamento, o maior gasto do partido é com advogados. Em 2018 foi de R$ 1,35 milhão, saltando para R$ 2,6 milhões no ano passado.

Entre os escritórios que receberam verba do PSL em 2018 e 2019 está o de Karina Kufa, responsável pela prestação de contas da campanha de Jair Bolsonaro. Rompida com o PSL, hoje ela é uma das que trabalham para colocar de pé o Aliança pelo Brasil.

Em 2018 há registro de R$ 114 mil pagos pelo partido, incluindo um contrato de R$ 100 mil relativo à prestação de contas da legenda daquele ano. Em 2019, os documentos do PSL mostram mais dois contratos, um de R$ 200 mil para representar o partido em ações no Supremo Tribunal Federal e outro, de R$ 40 mil ao mês, para serviços jurídicos ao PSL de São Paulo. Após o rompimento entre o PSL e Boslonaro, o partido passou a cobrar de volta R$ 200 mil de Kufa sob o argumento de que ela não prestou os serviços contratados.

”Os contratos de 2018 e 2019 compreendiam objetos e períodos distintos. Os serviços foram devidamente prestados e justificados pelos relatórios acompanhados das notas fiscais, antes mesmo das autorizações de pagamentos, sendo inverídica qualquer outra informação”, afirmou a advogada à Folha. Escritório que presta serviço ao PSL desde a época do naniquismo, o Siqueira e Duarte viu seus rendimentos mensais provenientes do Fundo Partidário quase dobrarem após a vitória eleitoral de Bolsonaro, saindo de R$ 31 mil para R$ 56 mil.

No contrato de trabalho o PSL se compromete a pagar ainda, com verba do fundo, um abono natalino ao escritório, do mesmo valor da mensalidade (R$ 56 mil). Um dos sócios da firma, Enio Siqueira é quem responde pela parte jurídica do partido. Conforme a Folha mostrou neste domingo (2), sua sócia, Aira Veras Duarte, apresentou em 2018 e 2019 várias notas ao partido, para reembolso, de gastos em alguns dos restaurantes mais caros da capital federal, como Gero e Rubaiyat. Da Folha de S.Paulo

Rui determina apuração sobre homem que sacou arma na Assembleia durante votação da Previdência

/ Política

Rui Costa comenta sobre invasão à AL-BA. Foto: Roberto Viana

Após o plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) ser invadido por policiais civis sindicalistas durante votação da reforma da Previdência, inclusive com a presença de um homem armado, o governador Rui Costa (PT) informou que já há um inquérito criminal em andamento que tem como alvo diversas pessoas.

”Eu já determinei à SSP [Secretária de Segurança Pública] a apuração absoluta das pessoas que estão envolvidas, várias pessoas já estão indiciadas, alguns agentes públicos que deveriam estar dando segurança à população. Tem processo criminal já em andamento, inquérito criminal. Faremos também um processo administrativo”, revelou, em entrevista à imprensa.

O governador participar nesta tarde do evento de retomada dos trabalhos na AL-BA. Na ocasião, ele também prestou solidariedade aos deputados estaduais. ”Quero prestar minha total solidariedade, apoio, aos deputados e à Casa Legislativa. Isso que aconteceu é um ato de vandalismo, bandidagem, crime”, criticou.

Durante a votação da reforma da Previdência dos servidores estaduais na última sexta-feira (21), policiais civis invadiram o plenário da AL-BA, jogaram ovos em direção aos deputados e derrubaram uma porta da Casa. A proposta foi aprovada no final da noite em uma sala reservada, onde a imprensa não teve acesso.

ACM diz que reforma da Previdência será encaminhada à Câmara de Salvador após o Carnaval

/ Política

ACM prepara reforma da Previdência. Foto: Antonio Queirós

Ao chegar na Câmara de Vereadores de Salvador para fazer a mensagem de abertura dos trabalhos da Casa em 2020, nesta segunda-feira (3), o prefeito ACM Neto (DEM) disse que a reforma dos servidores municipais será encaminhada para o Legislativo logo depois do Carnaval.

”Já fechei os principais pontos da reforma. Vamos chamar os vereadores para conversar, dizer o que pretendemos fazer, e ir para a tramitação”, revelou ao site Bahia Notícias.

Após a aprovação da reforma da previdência do Estado, o chefe do Executivo ressaltou que o seu partido encaminhou favoravelmente a reforma como demonstração de coerência. E quem se mostrou incoerente foi o governador Rui Costa e o próprio PT. ”Não se posicionaram em Brasilia em nível federal e fizeram uma reforma mais dura que o Congresso”, comentou novamente, um dia após tecer críticas à tramitação da proposta de emenda à Constituição aprovada na Assembleia Legislativa da Bahia na última sexta-feira (31).

”Mantemos a postura de responsabilidade com as futuras gerações, o que está em jogo é a capacidade do poder público de pagar seus aposentados e pensionistas, como os ativos. Temos a gestão municipal mais bem avaliada do Brasil, a prefeitura com as contas equilibradas, mas que ainda sim, olhando para o futuro, os temas que são desagradáveis, pois mexem com vantagens e direitos de setores, mas também é preciso que o servidor compreenda que precisamos fazer ajustes”, acrescentou ACM Neto.