Soldado Prisco diz que ACM pode apoiar Bolsonaro: ”Existe uma aliança não declarada entre os dois”

/ Política

Presente no ato que reuniu grupos bolsonaristas no Jardim de Alah, na manhã deste domingo (1º) (veja aqui), o deputado estadual Soldado Prisco revelou que apesar de apoiar a reeleição de Jair Bolsonaro à presidência, não votar em João Roma, candidato do chefe do Executivo nacional na Bahia, e sim seguir apoiando ACM Neto na disputa pelo Palácio de Ondina.

”Eu caminho com ACM Neto porque acho que ele tem musculatura para derrotar o PT. Não tenho nada contra João Roma, acho legitima a candidatura dele, mas já estou com ACM Neto há mais de 12 anos”, justificou o parlamentar.

Sobre o voto “Bolsoneto”, Prisco afirmou que se trata de uma ação coerente, já que, segundo ele, os dois teriam um acordo para o próximo pleito. ”ACM Neto não rompeu com Bolsonaro, existe uma aliança entre eles dois não declarada no primeiro turno, que vai ser confirmada, se houver segundo turno. Não há nenhuma fala de Neto contra Bolsonaro no momento, ninguém vai ver isso. O importante na Bahia é derrubar o PT”, ressalta Prisco.

Na contramão da declaração do militar, já se fala em um apoio de Neto ao candidato do PT ao Palácio do Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o jornal O Globo, apesar da resistência do ex-prefeito em nacionalizar seu palanque na Bahia, existe a possibilidade do diálogo (saiba mais aqui). Com informações do site Bahia Notícias

Wagner chama ACM de vira folha e diz que candidato de Lula é Jerônimo; ”disse que iria dar uma surra”

/ Política

Jerônimo tem Wagner como um de seus padrinhos. Foto: Divulgação

O senador Jaques Wagner (PT) afirmou, neste sábado (30), em Alagoinhas, que o pré-candidato a governador pelo União Brasil, ACM Neto (UB), é ”vira folha” e que as informações de um possível diálogo do ex-prefeito de Salvador com o ex-presidente Lula é ”conversa de enganador”.

”Tem muito vira folha na praça que na hora que vê Lula bombando, com 70% da preferência, diz: ‘eu sou Lula desde criancinha’. Ôh, meu Deus! Você disse que iria dar uma surra no cara e agora está dizendo que é amigo do cara desde criancinha? Vamos se respeitar. Cada um tem um lado, e respeitamos todos, mas o lado do Lula está aqui: é Jerônimo, Geraldo e Otto. O resto é conversa de enganador”, disparou o líder petista baiano, durante plenária do Programa de Governo Participativo (PGP).

ACM Neto promete construir estrada entre Sento Sé e Xique-Xique; ”encurtar o acesso à região oeste”

/ Política

ACM Neto durante evento em Sento Sé. Foto: assessoria/UB

O pré-candidato a governador ACM Neto (União Brasil) se comprometeu a viabilizar a estrada de ligação entre Sento Sé e Xique-Xique, caso seja eleito. O anúncio foi feito neste sábado (30),durante evento em Sento Sé.

”Eu não sou um homem que faz promessa à toa. Hoje, eu firmo esse compromisso com vocês, afirmou o pré-candidato, que segue ainda neste sábado para as cidades de Remanso e Casa Nova”. O périplo pelo norte baiano começou na sexta-feira (29), em Curaçá.

Segundo o pré-candidato do UB, a rodovia terá repercussão regional ao facilitar o transporte e a comercialização de insumos cultivados pelos pequenos, médios e grandes produtores locais.

”Essa estrada vai ser capaz de gerar a integração da região norte com a região de Xique-Xique e Irecê. Com ela, vamos aproveitar mais ainda o projeto do Baixio (em Irecê) e encurtar o acesso à região oeste do estado”,concluiu.

Lula chama Bolsonaro de ”Zé Ninguém” e diz que o presidente odeia o Supremo Tribunal Federal

/ Política

Ex-presidente Luiz Inácio Lula Foto: REUTERS/Carla Carniel

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou neste sábado, 30, que o presidente Jair Bolsonaro (PL) é um ”Zé Ninguém que só sabe contar mentiras”, não gosta de gente e não conhece a palavra solidariedade. ”Ele só conhece o ódio. Ódio contra a mulher, contra o negro, contra o PT, contra o LGBT, contra o quilombola e, agora, contra a Suprema Corte”, disse, em evento com mulheres na periferia de São Paulo.

Pré-candidato ao Planalto, o petista criticou o indulto dado por Bolsonaro ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), um dia após o parlamentar ser condenado a mais de oito anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). ”Ao invés de visitar uma cadeia e dar indulto a quem merece indulto, ele dá para um amigo seu que tinha cometido a barbaridade de ofender a Suprema Corte . Na verdade, esse homem não tem sentimento nenhum.”

Ao falar das eleições de outubro, Lula disse que o voto é ”um ato revolucionário” e que, neste ano, ele deve ser usado para “mandar esse cidadão” embora, viver longe com seus filhos, em referência a Bolsonaro.

Lula e o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), pré-candidato ao governo de São Paulo, participaram de um evento com mulheres na zona norte de São Paulo sobre inflação e insegurança alimentar. Logo no início do encontro realizado na quadra de uma associação comunitária, a organização apresentou dois carrinhos de supermercado com compras feitas em 2010 e, agora, em 2022, com R$ 100. O primeiro cheio e o segundo, vazio.

De acordo com Lula, ”metade da inflação” enfrentada hoje pelo brasileiro é culpa do governo, responsável pelas políticas de energia e combustível. ”Ele não tem vergonha na cara”, completou, ao falar sobre a fome. “Somos o terceiro maior produtor de alimentos do mundo. Não tem explicação ter gente passando fome no Brasil.”

O ex-presidente disse que só se coloca como pré-candidato para devolver a dignidade ao povo pobre. ”Meu compromisso não é com o banqueiro, com o alto empresariado ou com o fazendeiro, mas com o povo pobre”, afirmou, dizendo em seguida que não quer “tirar nada de ninguém ”.

Haddad usou o simbolismo da apresentação para criticar Bolsonaro e o ex-governador João Doria (PSDB). Pré-candidato ao governo paulista, ele citou o preço alto da gasolina e dos pedágios pagos nas rodovias do Estado para explicar, em parte, porque a inflação está alta.

Em um discurso rápido, Haddad ainda afirmou que Doria aumentou os impostos que incidem sobre a cesta básica. ‘Chegamos nessa situação por termos maus governos nos âmbitos estadual e federal. O Bolsodoria não deu certo pra ninguém”, disse.

*por Adriana Ferraz , Estadão

Eleições: 51,8% dos paulistas desaprovam governo Bolsonaro, diz o Instituto Paraná Pesquisas

/ Política

Instituto diz que Bolsonaro lidera em SP.Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

A maioria dos paulistas desaprovam a condução do presidente Jair Bolsonaro (PL) à frente do governo federal. Isso é o que indica o levantamento do Instituto Paraná Pesquisas divulgado neste sábado (30).

Cerca de 51,8% dos entrevistados consideraram negativamente o liberal, enquanto outros 43,3% aprovaram as ações do militar reformado. Um total de 4,9% dos paulistas não souberam ou não opinaram.

O instituto ouviu 1820 eleitores de 78 municípios de São Paulo entre os dias 24 e 29 de abril de 2022. E 44,4% dos entrevistados disseram que avaliam como ruim ou péssima a administração federal. Os que afirmam que a gestão é ótima ou boa somam 33,1% e os que não souberam ou não opinaram são 1,4%.

Os resultados são da estimulada, em que os participantes são provocados a opinar sobre as alternativas disponíveis no questionário.

Comparado ao mês passado, Bolsonaro teve um crescimento entre os que aprovam seu governo (passou de 40% para 43,3%) e uma redução entre os que desaprovam (de 55,1% para 51,8%). Eleitores que não souberam como opinar ou preferiram não opinar se mantiveram no mesmo patamar, 4,9%.

Mais residentes em SP passaram a ter a gestão como ótima, eram 13,7% e agora são 14,8%. Assim como os que acharam boa também aumentou (eram 16,2% e somam atualmente 18,3%).

Embora os que acham o governo regular continuem nos 21,2 pontos percentuais do levantamento anterior, os que o têm como ruim diminuíram de 9,6% para 8,3%.

Uma fatia considerável da amostra representativa ouvida pelo Paraná ainda acha a gestão péssima: 36,1%. No entanto, neste quesito, Bolsonaro também obteve um resultado mais agradável que o do mês passado, que era de 38,5%.

Mais pessoas não souberam como opinar ou preferiram não opinar (de 0,9% o número passou para 1,4%).

A pesquisa tem um nível de confiança de 95% e a margem de erro é de 2,3%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o n.º BR-07854/2022.

ACM Neto pode conversar com ex-presidente Lula já no primeiro turno das eleições 2022, diz coluna

/ Política

Coluna diz que ACM pode se aproximar de Lula. Foto: Divulgação

Atualmente, existe a possibilidade de diálogo para ACM Neto (União), pré-candidato ao governo da Bahia, em conversar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já no primeiro turno das eleições. Apesar da resistência de Neto em nacionalizar seu palanque na Bahia, existe a possibilidade do diálogo, segundo a coluna de Lauro Jardim no Globo.

Apesar disso, Lula já afirmou que, mesmo existindo a possibilidade de diálogo com alguns campos políticos, em relação ao ex-prefeito de Salvador a situação é diferente. Segundo Lula, não há sinalização de disposição, por parte do ex-gestor, para que esse diálogo aconteça (reveja aqui). Com informações do site Bahia Notícias

Jaques Wagner será um dos coordenadores da campanha de Jerônimo ao governo da Bahia

/ Política

Wagner de cabeça na campanha de Jerônimo. Foto: Rede social

O senador Jaques Wagner (PT) será um dos coordenadores da campanha de Jerônimo Rodrigues (PT) ao governo do estado. De acordo com informações obtidas pelo site Bahia Notícias, Wagner irá compor um grupo de coordenadores que irão articular o projeto eleitoral petista no estado. Não ficou descartada a possibilidade do senador dividir atribuições entre a campanha na Bahia e organização na disputa presidencial com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Wagner é um reforço em meio a uma crise na pré-campanha de Jerônimo. Anteriormente, o publicitário baiano Sidônio Palmeira foi confirmado como o marqueteiro responsável por conduzir as ações de Lula até outubro, desfalcando a candidatura na Bahia. A informação foi antecipada pelo Bahia Notícias por uma fonte ligada ao Partido dos Trabalhadores (PT) sob condição de anonimato (reveja aqui).

A ação tem levantado preocupação na cúpula petista na Bahia. O motivo apontado seria a situação da campanha de Jerônimo Rodrigues (PT), nome escolhido pelo partido para tentar manter a hegemonia da sigla na disputa pelo Palácio de Ondina. A ideia entre as lideranças é que Sidônio reforça a campanha de Lula, mas deixa Jerônimo ”desguarnecido” no estado, o que pode enfraquecer as ações.

Roma diz que falta clareza aos outros pré-candidatos ao Governo da Bahia, que só atacam o presidente

/ Política

Pré-candidato a governador, Roma. Foto: Ascom / João Roma

O deputado federal João Roma (PL) acusou seus opositores de utilizarem as ações do governo federal de maneira ”dissimulada”. Segundo ele, em declaração à imprensa na tarde desta sexta-feira (29), falta ”clareza” aos demais pré-candidatos ao Palácio de Ondina, uma vez que também atacam a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O ex-ministro da Cidadania reuniu apoiadores no restaurante Ferreiro, no Salvador Shopping, para um almoço de adesão. Entre os presentes estava a esposa dele, Roberta Roma, herdeira do espólio eleitoral para uma cadeira na Câmara dos Deputados e o deputado estadual Capitão Alden (PL), que também tenta ser deputado federal.

”Diferente de outros, que de forma dissimulada tentam utilizar de ações do governo federal e atacam o presidente”, apontou Roma ao tratar sobre o assunto.

A fala do o ex-ministro da Cidadania aconteceu após ser provocado sobre um comentário do governador Rui Costa (PT), que disse que ele tinha “coragem” em admitir a relação com Bolsonaro. ”Está muito claro”, afirmou o parlamentar ao se posicionar.

Durante o encontro, ele defendeu a candidatura da sua companheira, Roberta Roma (PL) como uma prova do “protagonismo feminino” do seu grupo: “O papel da mulher na minha [chapa] tem sido cada vez mais de protagonimos e isso tem estmulado várias outras lideranças femininas”. Cerca de 200 pessoas confirmaram a adesão ao projeto do pré-candidato ao Governo da Bahia.

Chapa que, de acordo com ele, ainda não está definida, apesar de ter nomes especulados, como o do apresentador Uziel Bueno.

Pesquisa PoderData: Lula tem 48%, contra 39% do presidente Jair Bolsonaro no 2º turno

/ Política

Lula e Bolsonaro. Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Uma pesquisa realizada pelo PoderData, entre os dias 24 e 25 de abril, divulgada nesta sexta-feira (29), mostra que a distância entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) para o 2º turno das eleições estacionou em nove pontos percentuais. Em um possível embate entre os presidenciáveis, o petista aparece com 48% das intenções de voto, contra 39% do atual presidente.

Margem de distância entre os adversários vem caindo desde o início do ano. Há 1 mês, na rodada de 27 a 29 de março, a diferença percentual entre os 2 era de 12 pontos neste cenário.

Já no primeiro turno, o levantamento apontou que Lula tem 41% das intenções de voto, contra 36% de Bolsonaro. Em seguida, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 6%; João Doria (PSDB), com 4%; André Janones (Avante), 3%; e Simone Tebet (MDB) com 1%.

Brancos e nulos são 4%, enquanto 3% não souberam responder.

Os dados foram coletados de 24 a 26 de abril de 2022, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 3.000 entrevistas em 283 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O intervalo de confiança é de 95%. Registro no TSE: BR-07167/2022.

Em SP, Ciro Gomes troca xingamentos com bolsonaristas: ”Mito? Roubou tua mãe ou come* ela?”

/ Política

Ciro conversa com expositor na Agrishow. Foto: Reprodução

O pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, trocou xingamentos com apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) durante a sua passagem pela Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow) em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, nesta quinta-feira (28/04).

Em vídeos divulgados por bolsonaristas nas redes sociais é possível ouvir os gritos de “Mito”, usado por apoiadores para se referirem ao chefe do Executivo, e “Bolsonaro” enquanto Ciro Gomes se desloca por um dos espaços do evento. Na sequência, Ciro, que é opositor do presidente, questiona: “Mito? Roubou tua mãe ou come* ela?”. É possível ouvir o apoiador responder ”come* não, meu filho”. Em seguida é possível ouvir novos gritos de ”Bolsonaro” e ”Bolsonaro, o melhor do Nordeste”. Um homem próximo de Ciro, que vestia uma camisa azul, comenta algo inaudível e o presidenciável rebate: ”Isso é educação, babaca? Vai tomar no c*”.

O homem de camisa azul responde ”coisa linda” para o presidenciável enquanto outros apoiadores gritam. Então, Ciro declara: ”nazista, ladrão”. ”O melhor do Nordeste, o melhor da Paraíba, quem veio foi ele lá, vai lá na Paraíba”, segue falando um dos apoiadores. Um deles finaliza o vídeo chamando Ciro de ”safado”.

Com Rui, Geraldo e Otto, Jerônimo recebe apoio de vereadores e deputados em Feira de Santana

/ Política

Liderança políticas se reuniram nesta quinta. Foto: Divulgação

”Feira de Santana recebeu o maior investimento da sua história durante os governos de Jaques Wagner e Rui Costa. É por isso que as principais lideranças da cidade decidiram caminhar junto com o time de Lula na Bahia”. A declaração é do pré-candidato ao Governo do Estado pelo PT, Jerônimo Rodrigues, após encontro na Princesa do Sertão, na tarde desta quinta-feira (28). “A confiança em nosso projeto é fruto do trabalho que temos feito. Sou professor e morador de Feira de Santana e vou continuar trabalhando muito por toda a região”, acrescentou Jerônimo.

A reunião, que teve a presença do governador Rui Costa e do pré-candidato ao Senado, Otto Alencar, reuniu os presidentes das câmaras municipais das duas maiores cidades da Bahia: Fernando Torres, de Feira de Santana, e Geraldo Júnior, de Salvador, que também é pré-candidato a vice-governador e assumiu o compromisso de transformar a Vice-governadoria na “caixa de ressonância” de todos os vereadores da Bahia.

”Estamos unidos e confiantes na vitória”, afirmou Rui Costa durante o encontro, que também reuniu o ex-deputado estadual Targino Machado, o deputado federal Zé Neto e o deputado estadual Robinson Almeida. Além do presidente da Câmara, outros nove vereadores do município estiveram presentes: professor Ivamberg, Silvio Dias, Lu de Ronny, Eremita, Luiz da Feira, Galeguinho, Emerson Minho, Paulão do Caldeirão e Pedro Cicero. O pré-candidato a deputado estadual, Matheus Ferreira, e o ex-vereador Beto Tourinho também participaram do encontro.

Jerônimo Rodrigues provoca adversários: ”A gente tem que dizer com quem anda. sou do time de Lula”

/ Política

Pré-candidato alfineta oposição. Foto: Ascom Jerônimo Rodrigues

A gente tem que dizer com quem a gente anda. Eu ando e sou do time de Lula! Isso é um ponto favorável ao nosso projeto”, defendeu o pré-candidato ao governo da Bahia pelo PT, Jerônimo Rodrigues, durante visita, nesta quinta-feira (28), a Conceição do Jacuípe, município conhecido como a Capital das Hortaliças e pertencente ao Portal do Sertão.

Ao lado do governador Rui Costa (PT), do pré-candidato a vice-governador, Geraldo Júnior (MDB), e do senador Otto Alencar (PSD), além de lideranças políticas aliadas ao projeto que tem transformado a Bahia, ”Correria Dobrada”, como passou a ser chamado carinhosamente Jerônimo, afirmou que ampliará, com apoio do presidente Lula, os investimentos em todas as áreas de governo, já a partir de janeiro de 2023.

”Nós temos que continuar investindo em estradas. Nosso grupo fez 15 mil quilômetros e eu vou querer fazer mais. Levamos muita água tratada para as pessoas e vamos fazer mais. E vamos aperfeiçoar nossos projetos de geração de emprego e renda”, disse.

Ainda nesta quinta-feira (28), o pré-postulante escolhido para dar continuidade ao trabalho de Rui à frente da gestão estadual retorna a Salvador para participar, às 19h, das comemorações pelos 70 anos do Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (Sinduscon).

 

Daniel Silveira enfrenta ”STF” e exibe decreto de perdão emoldurado ao lado de Bolsonaro

/ Política

Daniel e o decreto do perdão recebido de Jair. Foto: Reprodução

Com decreto do perdão recebido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) emoldurado nas mãos, o deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) mais uma vez enfrentou o Supremo Tribunal Federal (STF) e disse que, ”pela lei”, pode ser candidato nas eleições de outubro. Nessa quarta-feira, 27, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, afirmou que o parlamentar segue inelegível, apesar da concessão da graça.

Questionado por jornalistas no Palácio do Planalto se sairia candidato neste ano, Silveira respondeu: ”Pela lei, nada me impede”. A declaração foi feita após solenidade batizada de ”Ato Cívico pela Liberdade de Expressão” – na prática, um endosso de parlamentares bolsonaristas ao perdão presidencial concedido ao deputado menos de 24 horas depois de sua condenação pelo STF a 8 anos e 9 meses de cadeia por ataques à democracia e às instituições.

Silveira recebeu aplausos ao chegar à solenidade no Planalto, na qual Bolsonaro atacou o Supremo e voltou a levantar suspeitas sobre a lisura do sistema eleitoral brasileiro. Ao final, o deputado foi tietado com pedidos de fotos e vídeos.

Entenda o caso

Além de condenar Silveira à prisão, o Supremo Tribunal Federal determinou a perda de seu mandato e de seus direitos políticos, tornando-o, assim, inelegível.

O perdão assinado pelo presidente da República, se não for contestado pelo Supremo, pode livrar Silveira da prisão, mas ainda está em jogo se o decreto se estende para as outras penas imputadas pela Corte.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem jurisprudência que sustenta a inelegibilidade de condenados na esfera penal, mesmo em caso de perdão concedido pelo presidente.

Além disso, o ministro Alexandre de Moraes, que é o relator da ação penal, defende que a graça deve ter sua constitucionalidade analisada pela Corte. Segundo ele, Daniel Silveira continua inelegível mesmo com perdão de Bolsonaro.

Especialistas consultados pela reportagem concordam. Para o advogado Rafael Carneiro, professor do IDP, a jurisprudência indica a inelegibilidade de Silveira mesmo antes da Lei da Ficha Limpa, que é de 2010.

Ulysses de Oliveira Gonçalves Junior, integrante do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP) e desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, diz que o decreto de graça incide apenas na execução da pena de privação de liberdade e não sobre os ”efeitos civis da condenação”, como a inabilitação para a função pública, em razão de a pena ter sido superior a quatro anos de prisão.

Ou seja, mesmo com a concessão da graça, Silveira estaria com seus direitos políticos cassados, de acordo com o Artigo 92 do Código Penal Brasileiro.

Já o Congresso, na figura dos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) se impuseram para tentar neutralizar a cassação e solicitar que a perda do mandato deve passar pelo plenário da Câmara. Se os parlamentares conseguirem trazer a decisão para o Congresso, Silveira ainda precisa do voto dos deputados para manter o mandato.

Estadão Conteúdo

Apesar de não assinar requerimento, PP de Leão diz que quer participar de CPI dos Respiradores

/ Política

Aliados de Leão não assinaram requerimentos. Foto: Divulgação

Mesmo sem a assinatura de nenhum dos seis deputados do PP no requerimento para abertura da CPI dos Respiradores na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), o secretário-geral do partido, Jabes Ribeiro, diz que a legenda tem todo interesse em apurar o que ”precisar ser apurado” sobre o caso. A bancada do PP na Casa é composta pelos deputados Aderbal Caldas, Antonio Henrique Júnior, Eduardo Salles, Luiz Augusto, Nelson Leal, e Niltinho.

Para Jabes Ribeiro, o PP ”prefere manter a coerência”, por isso liberou sua bancada na Alba para assinar ou não o requerimento. ”Essa foi nossa posição. Nós estávamos há um mês no governo e não assinamo”, explica ao site bahia.ba.

Ribeiro ressalta ainda que o PP deverá participar da CPI, caso ela seja instalada, e que a sigla, comandada na Bahia pelo vice-governador João Leão, não quer adotar as “mesmas práticas” adotadas pelo governador Rui Costa (PT) com os prefeitos filiados ao partido.

”Nós agimos diferente, não agimos com chantagem, com perseguição, como eles fazem. Nossos prefeitos estão sendo coagidos a apoiarem o governo em troca de verbas para obras, emendas. Não agimos assim”, afirma o dirigente.