Donald Trump cogita possibilidade de anunciar quarentena curta para Nova York

/ Mundo

Trump fala em quarentena. Foto: Shealah Craighead/Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que cogita a possibilidade de declarar ainda neste sábado (28) uma quarentena de duas semanas para os estados de Nova York, epicentro da pandemia do país, Nova Jersey e partes de Connecticut.

Em paralelo, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou o adiamento das primárias no estado, que deveriam acontecer no dia 28 de abril, para 23 de junho.

Ao sair da Casa Branca, Trump disse que preferia não pôr os estados sob confinamento, mas isso poderá ser necessário casos as infecções pelo Sars-CoV-2 continuem a crescer. Nova York é, o estado dos EUA mais afetado pela pandemia de Covid-19: até a tarde deste sábado, havia 52.318 casos da doença registrados, com 728 mortes. Com isso, os casos no país ultrapassaram os 115 mil, mais que qualquer outra nação.

”Nós estamos pensando em algumas coisas. Algumas pessoas gostariam de ver Nova York sob quarentena porque é um epicentro. Nós não temos que fazer isso, mas há a possibilidade de fazermos hoje, em algum momento, uma quarentena curta, duas semanas, em Nova York”, disse o presidente.

Jequieense que estava no Peru em meio à pandemia do coronavírus é resgatada por avião da FAB

/ Mundo

Laís Geambastiani é resgatada

O Itamaraty e o Ministério da Defesa informaram que dois aviões Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) decolaram na terça-feira (25), para a segunda operação de resgate de nacionais retidos no Peru.

Desta vez, cerca de 300 brasileiros serão retirados da cidade histórica de Cuzco. As aeronaves têm previsão de chegada ao Brasil na noite desta quinta-feira, ao final de 16 horas de voo.

Entre os brasileiros resgatados na chamada Operação Covid-19, está a jequieense Laís Geambastiani, ela que havia publicado um vídeo reproduzido contando o drama vivido no país vizinho e pedindo ajuda do governo para retirá-la de Cusco. Em Jequié, familiares e amigos aguardam com ansiedade a chegada de Laís.

Itália registra mais 651 mortes por causa do coronavírus; total de casos sobe a 59.138

/ Mundo

A Itália registrou neste domingo 651 mortes decorrentes do coronavírus nas últimas 24 horas. Com isso, o número de mortes no país com a pandemia aumentou para 5.476. O número de novos casos cresceu 10%, para 59.138. O chefe da Agência de Proteção Civil da Itália, Angelo Borrelli, observou que o aumento diário do número de casos foi menor. ”Esperamos que essa tendência possa ser confirmada nos próximos dias. Não devemos baixar a guarda”, afirmou.

Somente empresas que fabricam o que o governo considera produtos essenciais podem permanecer abertas, disse o primeiro-ministro Giuseppe Conte no sábado. O governo também está forçando quase todos os escritórios privados e públicos a fechar. Até agora, alguns escritórios permaneceram abertos e esperavam que os funcionários viessem trabalhar, mas isso não será mais possível na maioria dos casos. ”Essas são medidas severas, eu percebo isso”, disse Conte ao ler uma declaração transmitida no Facebook. ”Não há alternativa … Essa é a crise mais difícil que o país enfrenta desde a Segunda Guerra Mundial.”

Muitos grandes fabricantes já haviam fechado, incluindo a Fiat Chrysler Automobiles, mas algumas fábricas menores permaneciam abertas, como anteriormente permitido pelo governo, desde que trabalhadores mantivessem a distância de um metro entre si. Contudo, líderes sindicais defendiam que todas as fábricas precisavam ser fechadas para garantir a segurança dos trabalhadores. Conte disse que o governo passou grande parte do sábado junto com sindicatos e outras organizações, elaborando uma lista de quais produtos e serviços são considerados essenciais. Supermercados, farmácias e bancas de jornais permanecerão abertos, como antes. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Número de casos de coronavírus no mundo passa de 275 mil e o de mortes, 11,4 mil

/ Mundo

O número de casos de infecção pelo novo coronavírus no mundo chegou a 275.469 neste sábado, segundo os últimos dados da Universidade Johns Hopkins. O total de mortes causadas pela covid-19, como é conhecida a doença, é de ao menos 11.403. Mais de 88 mil pessoas se recuperaram da enfermidade.

Nos Estados Unidos, o número de casos chegou a 19.624, quase dez vezes mais do que há uma semana. Ontem, o número era de 14.250. As vítimas fatais do vírus no país somam 260.

A quantidade de novos casos e de mortes continua a subir na Ásia onde muitos países parecem ter conseguido conter a expansão da doença nas últimas semanas. Cingapura reportou as primeiras mortes pelo covid-19 neste sábado, uma mulher de 75 anos e um homem de 64 anos. Ambos tinham histórico de problemas cardíacos, segundo informações de autoridades de saúde locais.

O número de novos casos em Cingapura chegou a 40 no último dia, totalizando 385. Muitos países e territórios asiáticos que tinham conseguido desacelerar o ritmo de transmissão comunitária da doença estão vivenciando agora uma segunda onda de infecções de cidadãos que estiveram recentemente nos Estados Unidos, Europa e partes da própria Ásia onde as taxas de infecção estão aumentando.

Na Austrália, o número de casos confirmados atingiu 1.000 neste sábado, após um pico no número de registros no Estado de Nova Gales do Sul, onde as autoridades identificaram mais cruzeiros com passageiros infectados com o covid-19 a bordo.

A China reportou novos casos pelo terceiro dia seguido, informando que 41 deles se referiam a viajantes que entraram no país. O número de pessoas infectadas na China agora chega a 81.303 e o de mortes, 3.139, de acordo com a Universidade John Hopkins; 58.946 pessoas se recuperam da doença no país.

No Japão, o número de infectados passou de 1.000 depois que o país registrou o maior aumento diário em uma semana. O número de mortos na Coreia do Sul aumentou para mais de 100, com o país adicionando 147 casos no dia anterior, de um total de 8.652.

No Irã, o número de mortes passou para 123 nas últimas 24 horas, chegando a 1.556 no sábado, segundo o porta-voz do Ministério da Saúde local, Kianoush Jahanpour. O Irã registrou 966 novas infecções, elevando o número total de casos para 20.610.

Na Europa, a Espanha contabiliza neste sábado 21.517 casos e 1.093 mortes, a Alemanha soma 19.848 casos e 68 mortes e a França tem 12.632 casos e 450 mortes.

Na Itália, os casos atingiram 47.021 hoje, com 4.032 mortes, superando o número de vítimas fatais da China, onde a doença se originou. Fonte: Dow Jones Newswires. Com informações do Estadão Conteúdo

Na Espanha, técnico de time de futebol morre aos 21 anos vítima do coronavírus

/ Mundo

Técnico do time infantil do Atlético Portada Alta, escola de futebol de Málaga, na Espanha, Francisco García morreu, neste domingo (15), aos 21 anos.

O espanhol, que fazia parte do grupo de risco por ser portador de leucemia, foi a sétima vítima do coronavírus na região da Andaluzia.

Por meio das redes sociais, o Atlético Portada Alta manifestou luto com uma mensagem onde lamenta a morte do jovem treinador. ”Queremos manifestar o mais profundo pêsame à família, aos amigos e chegados de nosso treinador, que nos deixou, por profunda desgraça”, lamentou o clube.

O Málaga Club Fútbol, principal time da cidade, também divulgou nota de pesar e alertou sobre a importância de combater o coronavírus.

Número de mortos por coronavírus na Itália disparam e Lombardia busca restrições

/ Mundo

O número de mortos por coronavírus na Itália aumentou 250 nas últimas 24 horas, o maior aumento diário já registrado em qualquer país, enquanto a região mais afetada da Lombardia pede o fechamento completo de fábricas e escritórios.

Esta semana, o governo impôs restrições drásticas em todo o país, fechando bares, restaurantes e a maioria das lojas e proibindo viagens não essenciais, em um esforço para deter o pior surto da doença fora da China.

As medidas até agora não apontam sinais de desaceleração no número de mortes, que subiram 25% em um dia para 1.266, disse o chefe da Agência de Proteção Civil nesta sexta-feira.

O número total de casos subiu de 15.113 para 17.660 em relação ao dia anterior, um aumento de cerca de 17%.

O chefe de saúde da Lombardia, Giulio Gallera, disse que as restrições do governo não são suficientes para a região que circunda a capital financeira Milão e é responsável por três quartos de todas as mortes no país.

“Estamos pedindo uma exceção para a Lombardia”, afirmou ele à televisão RAI 3, solicitando o fechamento de fábricas, escritórios e transportes públicos na região. “Se conseguirmos resistir por pelo menos oito dias, talvez vejamos as coisas mudarem.”

Não havia indicação de que o primeiro-ministro Giuseppe Conte concordaria em restringir ainda mais o coração dos negócios da Itália, com o governo cada vez mais preocupado com as cicatrizes de longo prazo que o vírus deixará na economia já frágil.

Algumas empresas, como a montadora Fiat Chrysler, decidiram fechar parte de suas operações, enquanto a fabricante de sistemas de freios Brembo anunciou na sexta-feira que interromperia temporariamente o trabalho nas quatro fábricas italianas.

”Hoje temos dois objetivos: cuidar dos doentes e prevenir infecções e cuidar de nossa economia”, disse o ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, nessa sexta-feira (13). Da Agência Brasil

Governo da Itália impõe restrições de viagem em todo o país devido ao coronavírus

/ Mundo

Por causa do novo coronavírus, o governo italiano anunciou na noite desta segunda-feira (9) que o deslocamento de pessoas está proibido em todo o país, ampliando, menos de 48 horas depois, as restrições impostas à região da Lombardia e a outras cidades do norte. A partir desta terça (10), a circulação dentro da Itália está vetada, a não ser por motivo de saúde, trabalho ou ”casos de necessidade”.

O mesmo vale para quem pretende sair ou entrar no país, independentemente do lugar de destino ou origem.

Com mais de 9.000 casos positivos e 463 mortos (até 18h de segunda-feira), a Itália, com 60 milhões de habitantes, é o primeiro país a entrar inteiramente em quarentena por causa do coronavírus. É também o mais afetado pelo covid-19 além da China, onde a emergência sanitária começou, em janeiro.

“Não existe mais zona vermelha, uma zona um ou uma zona dois. Haverá a Itália. Uma Itália zona protegida”, afirmou o primeiro-ministro Giuseppe Conte, em entrevista para jornalistas nesta noite, quando anunciou o teor do novo decreto.

“Os números nos dizem que está havendo um crescimento considerável de contágios, de pessoas internadas em terapia intensiva e semi-intensiva e vítimas”, disse. “A decisão certa hoje é ficar em casa. O futuro da Itália está em nossas mãos, que devem ser mãos responsáveis, mais do que nunca. Cada um deve fazer a sua parte”, pediu Conte.

No domingo (8), cerca de 16 milhões de italianos acordaram impedidos de viajar livremente na região mais rica do país, a Lombardia, e em outras cidades do norte da Itália, como Veneza, por causa do novo coronavírus, até pelo menos o dia 3 de abril.

Segundo informações das autoridades sanitárias italianas, há 5.049 contaminados internados, sendo 733 em unidades de terapia intensiva. O sistema de saúde da Lombardia, a área mais rica do país, e de cidades vizinhas está perto do colapso, com hospitais lotados e carência de médicos e enfermeiros.

Com a intenção de barrar a difusão do vírus, as medidas restritivas valem, pelo menos, até o dia 3 de abril. Até lá, todas as escolas continuam fechadas, assim como estão vetadas atividades culturais (museus, cinemas e teatros), missas, cerimônias civis (casamentos e funerais) e eventos esportivos. O campeonato da Série A de futebol, que já teve diversas partidas adiadas ou realizadas sem torcidas, está suspenso.

Bares e restaurantes só podem funcionar até as 18h. Lojas, supermercados e demais estabelecimentos comerciais podem abrir desde que tenham condições de respeitar a distância mínima de um metro de distância entre os clientes.

Os cidadãos que estão fora da própria cidade estão autorizados a voltar para casa. Todos os deslocamentos, inclusive o de turistas, dependem da autorização dos agentes de segurança, que, em tese, vão exigir um documento com os dados pessoais e o motivo da viagem. O módulo a ser preenchido está disponível online.

A autocertificação, que já estava sendo usada nesta segunda na região norte, é considerada um instrumento frágil de controle. Conte, no entanto, reforçou que se o documento for, depois, comprovado como falso, seu autor será submetido a sanções criminais. Os sistemas de transporte municipais e regionais não serão interrompidos.

Nesta segunda (9), os pontos de controle começaram a funcionar em cidades da Lombardia e vizinhança, com policiais checando um a um nas estações de trens, aeroportos e estradas.

A ampliação das restrições da região norte para todo o país aconteceu depois que vários cidadãos tentaram escapar da área que entrou em quarentena neste domingo.

O rascunho do decreto com as duras medidas foi publicado pelos jornais italianos no início da noite de sábado (7), levando a um corre-corre a estações de trem e terminais de ônibus, com pessoas embarcando com destino às cidades do sul. Agora, todo tipo de deslocamento está vetado.

O decreto do governo italiano também provocou, nesta segunda (9), rebeliões em 28 centros de detenção do país, com prisioneiros protestando contra a suspensão das visitas e das saídas de quem vive em regime de semiliberdade. Ao menos sete pessoas morreram em Módena e mais de 30 fugiram em Foggia.

A Itália é o segundo país mais afetado pela doença, atrás apenas da China, onde a epidemia teve início no final de 2019. O país europeu já registrou mais de 9.000 casos de infecção e 463 mortes. Já a China continental teve mais de 80 mil casos da doença e 3.008 mortes até a segunda-feira (9).

A imprensa europeia relatou corridas às estações e aeroportos para deixar a zona de quarentena antes que os controles fossem impostos, o que pode ter espalhado ainda mais o coronavírus.

Além da restrição de mobilidade, museus, casas de espetáculo e outros pontos de aglomeração foram fechados em todo o país, e casamentos, missas e funerais, suspensos. O decreto também estabelece que as pessoas fiquem a pelo menos um metro de distância das outras em mercados, restaurantes ou igrejas.

A Hungria interrompeu todos os voos para o norte da Itália e a concessão de vistos para iranianos. Também cancelou as cerimônias de seu dia nacional, 15 de março, e suspendeu visitas a hospitais.

A Suíça anunciou o fechamento de sua fronteira com a Itália, a não ser para quem comprove que trabalha no país vizinho —cerca de 80 mil italianos atravessam diariamente a fronteira com a Suíça para trabalhar, segundo o governo suíço.

A medida drástica tomada pelo governo italiano aumentou o nível de alerta em outros países, tanto pelo medo de contágio semelhante quanto pelos prejuízos que esse tipo de ação pode trazer. Da Folhapress

Ronaldinho Gaúcho e o irmão são presos em hotel do Paraguai para evitar saída do país

/ Mundo

Ronaldinho e irmãos utilizaram documentos falsos. Foto: Reprodução

A polícia paraguaia prendeu preventivamente na noite desta sexta-feira (6) Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Roberto de Assis após ordem da Procuradoria-Geral do Paraguai. A tarde, a Justiça paraguaia não aceitou a posição do Ministério Público de não levar adiante uma investigação sobre a dupla, que entrou no país com documentos de identificação falsos na última quarta-feira (4) para uma série de eventos.

Após mais de seis horas de audiência com os brasileiros nesta sexta (6), foi determinado que o caso fosse para a procuradora-geral do Estado, Sandra Quiñónez, que poderá manter ou rever a decisão inicial da Promotoria em até dez dias.

O instrumento jurídico ”critério de oportunidade”, presente no código penal paraguaio, havia sido usado pelo Ministério Público como embasamento para livrá-los do processo penal. Na quinta-feira (5), o promotor Frederico Delfino declarou que os brasileiros admitiram o delito, mas estariam livres de uma punição porque teriam sido ”enganados em sua boa-fé”.

A possibilidade de prescindir da ação penal costuma ser adotada em casos de crimes financeiros, quando o autor admite o delito, mas não possui antecedentes criminais no país e colabora com a investigação. O juiz do caso, Mirko Valinotti, discordou de que esse critério pudesse ser utilizado no momento.

Como não foram adotadas medidas cautelares, não havia impedimento legal para que Ronaldinho e Assis deixem o país. Após saírem da audiência com a Justiça, eles voltaram para o hotel, onde foram detidos.

asal que morava no sudoeste da Bahia é baleado na França e mulher relata atentado em Toulon

/ Mundo

Casal sofreu atentado na cidade de Toulon. Foto: Redes Sociais

Uma família brasileira foi vítima de um atentado a tiros na cidade de Toulon, na França, na última quinta-feira (13).

Cristiane Tavares, de 36 anos foi baleada nas costas, quando andava na rua, perto do apartamento onde mora. A mulher retornou para o imóvel sem notar que tinha sido vítima de arma de fogo.

O homem que fez o disparo a seguiu, entrou no apartamento e também disparou contra o marido dela, André Modenezi, de 39 anos, que foi atingido no abdômen.

O filho do casal, de quatro anos, presenciou o ataque dentro do apartamento, mas não teve ferimentos. Cristiane Tavares conta que os disparos foram feitos por um vizinho. O homem foi preso no mesmo dia do ataque, dentro do imóvel onde morava.

Ela, que é servidora pública no setor de comunicação do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), morava em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. Junto à família, foi morar em Toulon, na França, para fazer um mestrado.

A mulher se recupera bem, enquanto o marido, André Modenezi, está na UTI de um hospital da cidade. Ele já foi submetido a duas cirurgias e, nesta segunda-feira (17), vai passar pelo terceiro procedimento cirúrgico. André está em coma induzido e estado de saúde estável.

Por meio de nota, o Itamaraty informou que as autoridades consulares do Brasil na França estão cientes do ocorrido e acompanham o caso junto com as autoridades francesas. O Itamaraty ainda destacou que não pode informar mais detalhes, em respeito à legislação vigente sobre privacidade individual.

Cristiane e André moram em Toulon há cerca de cinco meses. Eles se mudaram de Vitória da Conquista para a cidade francesa em setembro do ano passado.

”A gente decidiu morar na cidade de Toulon porque é uma cidade considerada tranquila”, destaca.

Ataque com tiros nas costas

A jornalista disse que o ataque ocorreu quando ela saía de casa para a universidade. ”Recebi um tiro nas costas. No primeiro momento pensei que se tratava de uma descarga elétrica porque teve um clarão muito forte. Mas eu senti como se tivesse um estado de choque no corpo. Não identifiquei como tiro porque teve um clarão. Aí eu entrei para casa, no apartamento que fica no segundo andar, em um bairro bem tranquilo daqui”, relata.

Ao entrar em casa, Cristiane disse ao marido que havia recebido uma descarga elétrica e achava que estava tendo uma parada cardíaca. Ela deixou a porta aberta e em pouco tempo depois, um homem apareceu no apartamento dela.

”Eu não tinha sangue pelo corpo, porque eu estava com um casaco muito pesado, a gente não se deu conta. Aí na hora que eu sentei no sofá, meu marido percebeu que tinha alguma coisa na roupa, como se fosse sangue. Meu marido teve aquela coisa de ir em direção à porta. Na hora que ele foi em direção à porta, o homem entrou e deu o segundo disparo, que foi em meu marido. Eu tava sentada no sofá e meu filho em pé do meu lado”, relembra. As informações são do G1

Polícia confirma nove vítimas em acidente aéreo que matou ídolo da NBA em Los Angeles

/ Mundo

Kobe estava no helicóptero que caiu em Calabasas. Foto: Reprodução

Um acidente aéreo deixou cinco mortos em Calabasas, nos Estados Unidos, na manhã deste domingo (26), no horário local. As informações são do Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles, segundo a NBC.

O site TMZ afirma que o ídolo do basquete Kobe Bryant, de 41 anos, está entre as pessoas que estavam no helicóptero que caiu. O esportista teria embarcado com mais três pessoas na aeronave particular. Ainda segundo o site, a filha do ídolo, Gianna, também estava na aeronave e não sobreviveu. Eles estavam a caminho da Academia de Mamba para treinar basquete, quando o acidente aconteceu.

Testemunhas disseram ao TMZ que ouviram o motor do helicóptero disparar antes da queda. A causa do acidente está sob investigação.

Kobe Bryant era considerado um dos ídolos da NBA. Confirmada sua morte, ele deixa esposa e quatro filhas, Gianna, Natalia, Bianca e o recém-nascido Capri.

Irã: governo convoca embaixador do Reino Unido por ele ter participado de manifestação

/ Mundo

O enviado do Reino Unido foi convocado neste domingo (12) pelo governo do Irã para reclamar de sua participação em um ato político “ilegal” em Teerã.

”Hoje, Rob Macaire foi convocado por causa de seu comportamento não convencional ao comparecer a uma manifestação ilegal no sábado (11)”, diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

O Reino Unido afirmou mais cedo que seu embaixador no Irã foi brevemente detido no sábado (11) –segundo a mídia do Irã, isso aconteceu porque ele estava incitando protestos antigoverno.

Londres negou neste domingo (12) que Macair tenha participado de qualquer manifestação contra as autoridades, conforme noticiado por alguns meios de comunicação iranianos.

“Ele não foi preso, mas detido como uma estrangeiro não identificado em uma reunião ilegal”, escreveu Abbas Araghchi, vice-ministro iraniano das Relações Exteriores , em uma rede social, detalhando que o diplomata foi liberado logo após ser identificado.

Avião ucraniano cai em Teerã com pelo menos 170 pessoas a bordo; não há sobreviventes

/ Mundo

A queda de um avião ucraniano perto da capital do Irã causou a morte de todas as pessoas que seguiam a bordo, de acordo com as autoridades de emergência iranianas. Seriam, pelo menos, 170 pessoas. As primeiras informações indicam problemas mecânicos como causas do acidente.

Pelo menos 170 pessoas, entre passageiros e tripulantes, seguiam a bordo do Boeing 737, que caiu pouco depois de decolar do Aeroporto Internacional Imam Khomeini, em Teerã. O avião tinha como destino a capital ucraniana Kiev.

A Cruz Vermelha iraniana adiantou que não há sobreviventes.

Segundo informação divulgada anteriormente pela televisão estatal iraniana, 180 pessoas seguiam a bordo.

O governo ucraniano já anunciou a criação de um grupo para investigar o acidente.

”O avião caiu cinco minutos depois de decolar, disse o porta-voz da aviação civil Reza Jafarzadeh. O piloto não teve qualquer contato com a torre de controle e não anunciou qualquer situação de emergência antes do acidente”, acrescentou.

De acordo com Pir Hossein Kulivand, responsável pelos serviços de emergência do país, praticamente todos os ocupantes eram iranianos. Trinta e duas pessoas seriam de outras nacionalidades.

O aparelho da Ukraine International Airlines caiu em área agrícola, a sudoeste de Teerã, onde foi mobilizada uma equipe de investigação. Um vídeo do acidente circulou na agência de notícias Isna. Mostrava um avião em chamas ainda no ar.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Drone que disparou mísseis no Iraque foi guiado dos Estados Unidos e custa US$ 11 milhões

/ Mundo

O general iraniano Qassim Suleimani era o alvo central. A ação foi o resultado de um longo e complexo processo de apuração de dados de inteligência coletados por agentes de campo, informantes secretos, interceptação eletrônica de mensagens, rastreamento por meio de aeronaves de reconhecimento e ”outros meios de caráter reservado”, de acordo com o Pentágono. O procedimento utilizou recursos de tecnologia comprovada. O Reaper é o maior modelo da sua classe, podendo permanecer em voo durante 14 horas com carga externa máxima de 1,4 tonelada – uma combinação de sensores digitais e até quatro Hellfire, com alcance de 500 metros a 11 km, guiados por um feixe de luz laser.

O drone foi pilotado, talvez a partir de uma das duas bases especializadas instaladas no estado de Nevada, no centro-oeste dos EUA, próximo das Montanhas Rochosas. A localização exata não foi revelada. Dois oficiais comandam o avião de 4.700 kg, usando uma constelação de satélites para receber e enviar informações. Um engenheiro da General Atomics, a empresa de San Diego, California, construtora do drone, disse ontem ao jornal O Estado de S. Paulo que o MQ-9 usa um recurso que elimina o breve intervalo registrado na circulação de sinais da geração anterior das aeronaves, o que faz com que os comandos sejam ”efetuados virtualmente em tempo real”.

O comboio de Suleimani estava nas proximidades do terminal de carga do Aeroporto Internacional de Bagdá quando o carro que o transportava foi atingido. Em terra, do outro lado do mundo, o chefe do voo pode escolher o melhor momento e para liberar os mísseis. Também poderia ter interrompido a missão se houvesse risco de “danos colaterais incontroláveis” – uma forma de definir as baixas e os feridos civis. Um Hellfire custa cerca de US$ 120 mil. O Reaper não sai por menos de US$ 11 milhões. O treinamento do piloto, desde a entrada no centro de treinamento, bate na casa do US$ 1,2 milhão – não considerada a formação básica.

Força secreta
A Força Quds, ou Força Jerusalém, criada em 1980 por um grupo de integrantes da Guarda Revolucionária entre os quais estava Qassim Suleimani, é cheia de mistérios. No organograma da poderosa Guarda, a Quds é um grupo de operações especiais estimado em 15 mil combatentes, voluntários, homens quase todos, embora haja um pequeno time de mulheres até agora nunca formalmente reconhecido.

A Quds mantém cooperação próxima e direta grupos radicais como o Hezbollah, o Hamas, a Jihad Islâmica, as milícias xiitas do Iraque, da Síria e do Afeganistão e com a etnia extremista Houthis, no Iêmen. Na América do Sul estabeleceu relações com o regime de Nicolás Maduro, na Venezuela, e coopera na Ásia com a Coreia do Norte, de Kim Jong-un. Em um raro pronunciamento de Suleiman a respeito da força, ele a definiu como ”uma unidade destinada a levar adiante missões não convencionais onde isso seja necessário”. Com informações do Estadão

Donald Trump diz que morte de general iraniano foi para parar uma guerra, não começar

/ Mundo

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Foto: Agência Brasil

O presidente Donald Trump fez um pronunciamento na noite de hoje (3) em que disse que o ataque dos Estados Unidos que resultou na morte, no Iraque, do general Qassem Soleimani, um militar de alta patente do Irã, foi uma ação para parar e não para começar uma guerra. A morte de Soleimani causou tensão nesta sexta-feira entre líderes mundiais devido ao risco da escalada do conflito entre Estados Unidos e Irã.

Durante o pronunciamento, Trump classificou Soleimani como ”o terrorista número 1 do mundo” e disse que o iraniano estava planejando ataques terroristas contra diplomatas e militares norte-americanos. ”Sobre nossa política contra terrorista que ameaçam ou pretendem ameaçar qualquer americano, nós vamos encontrá-lo e eliminá-lo”, disse o presidente.

Trump responsabilizou Soleimani pelos ataques a alvos dos EUA no Iraque, incluindo ataques a mísseis e o ataque à embaixada em Bagdá. ”Soleimani perpetuou atos de terrorismo para desestabilizar o Oriente Médio pelos últimos 20 anos”.

O presidente disse que o ataque que resultou na morte de Soleimani deveria ter sido feito há muito tempo. ”Muitas vidas teriam sido salvas. Recentemente Soleimani liderou a repressão brutal contra protestos no Irã em que mais de mil civis inocentes foram torturados e mortos pelo governo errado.”

Trump disse ter um profundo respeito pelo povo iraniano e que não procura uma mudança de regime. ”Entretanto o uso do regime iraniano de ações para desestabilizar seus vizinhos deve acabar e deve acabar agora. O futuro pertence ao povo do Irã, àqueles que procuram coexistência pacífica e cooperação, não os terroristas lordes da guerra”. Da Agência Brasil