Vítima do coronavírus, morre o empresário e ex-prefeito de Santa Inês, Zé Afrânio

/ LUTO

Zé Afrânio faleceu em Conquista. Foto: Arquivo/Blog Marcos Frahm

Faleceu no fim da tarde desta quinta-feira (11), em Vitória da Conquista, o empresário e ex-prefeito de Santa Inês, José Afrânio Braga Pinheiro, 54 anos, vítima do novo coronavírus. Zé Afrânio, como era popularmente conhecido na região do Vale do Jiquiriçá estava internado há 23 dias na UTI de uma unidade hospitalar privada de Conquista, para onde foi encaminhado por familiares depois de acometido pela doença.

Figura do riso fácil, Afrânio era natural de Ubaíra, mas residente desde jovem em Santa Inês, aonde chegou a ser prefeito, de 2012 a 2016, abrindo mão de ser candidato à reeleição, mesmo tendo todas as contas referentes à sua gestão aprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios – TCM.

Em 2017, voltou a atuar na área privada, no setor supermercadista, inclusive a frente de um supermercado instalado na cidade de Jaguaquara – onde conquistou muitas amizades e deve ter contraído o vírus.

Zé Afrânio deixa a esposa Marizete, e um casal de filhos, Franciny e Afrânio Filho. Ainda não há informações sobre horário e local de sepultamento. A redação do BMFrahm lamenta a morte precoce do empresário e presta condolências e solidariedade aos familiares e amigos.

Prefeito de Itaquara decreta luto pela morte do ex-prefeito Astor; ”Não podemos negar a importância”

/ LUTO

Marco Aurélio decretou luto em Itaquara. Foto: Blog Marcos Frahm

O prefeito de Itaquara, Marco Aurélio Costa (PSB), decretou luto oficial de três dias pela morte do ex-prefeito do município, Astor Moura Araújo, ocorrida nesta sexta-feira (08), na capital baiana. Marco Aurélio, também demonstrou suas condolências.

No story do Instagram,o gestor publicou uma mensagem: ”É com muito pesar que receemos a notícia do passamento do ex-prefeito Astor Araújo. Deixo aqui meus sentimentos para toda a sua família e amigos. Militamos em campos opostos na política de Itaquara, mas não podemos negar a importância de Astor para a história recente da nossa cidade. Que Deus possa confortar a todos nessa hora tão difícil”, publicou.

Família do jovem Álvaro, de Ipiaú, que morreu vítima de coronavírus, divulga mensagem de agradecimentos

/ LUTO

Álvaro Jardim Fernandes faleceu no sábado. Foto: Reprodução

A família de Álvaro Jardim Fernandes, o jovem de 26 anos, que era servidor do Hospital Geral de Ipiaú e morreu vítima de Covid-19 no último sábado, num leito do Hospital Couto Maia, em Salvador, emitiu nota de agradecimento pelas mensagens de condolências.

É com imensurável amor é carinho que venho através desta vós informar que meu irmão Álvaro Jardim Fernandes será sepultado segunda-feira no cemitério Jardim da Saudade, na cidade de Salvador, às 9:00 hs, onde acontecerá o processo de crematório.

Hoje o céu está em festa pois recebeu um anjo, um irmão dócil, amável, sincero e amigo, por onde passava contagiava à todos com seu sorriso espontâneo que sempre mostra meiguice. Nos conforta saber que o pai amado está cuidando de você e que em breve nos encontraremos na sião celestial.

Vai em paz meu irmão que nosso pai amado está te aguardando. Você deixou marcado em nós os melhores momentos que vivemos. Obrigado meu Deus e muito obrigado à Prefeita Maria e sua filha Flávia. Os nossos sinceros agradecimentos para vocês, amigos população ipiauense, cada mensagem está guardada em nossos corações. Vai em paz guerreiro!”. Nota divulgada por Sandra Jardim Fernandes e família

Morre no Rio de Janeiro aos 73 anos, o poeta e compositor jequieense Jorge Salomão

/ LUTO

Poeta e compositor Jorge Salomão

O poeta e compositor Jorge Salomão morreu neste sábado (7) no hospital municipal Miguel Couto, na zona sul do Rio de Janeiro. Irmão de Waly Salomão, Jorge foi também diretor de teatro e escritor, e teve músicas gravadas por grandes nomes da MPB.

Ainda não há informações oficiais sobre a causa da morte, nem sobre velório e sepultamento, mas em fevereiro, o compositor já havia sido internado no Rio por conta de um enfarto. Ele também enfrentou recentemente uma pneumonia e uma úlcera no duodeno.

Nascido em Jequié/BA, onde iniciou sua carreira no teatro, Jorge se mudou para o Rio em 1969 e ao lado de Waly e de Torquato Neto foi uma presença marcante na cena cultural da cidade. Nessa época, trabalhou na revista Navilouca e dirigiu o espetáculo Luiz Gonzaga Volta Pra Curtir. Ele também produziu capas de disco e serviu de inspiração para a canção Jeca Total, de Gilberto Gil

De acordo com o Dicionário Cravo Albin da MPB, Jorge viveu em Nova York de 1977 a 1984, onde participou de várias experiências em vídeo e performances. Ao longo de sua carreira, colaborou com textos e produções para vários jornais e revistas brasileiras.

Entre seus parceiros musicais estão Roberto Frejat e Marina Lima, e nomes como Adriana Calcanhotto, Cássia Eller, Barão Vermelho, Zizi Possi e Zé Ricardo também gravaram canções suas.

Em 2019, a editora Gryphus lançou 7 em 1, com sete livros do escritor. ”Ele capta o sentido da poesia no seu texto, na sua própria arte”, escreveu Nélida Piñon na orelha da edição. ”É um homem luminoso que ama os seres, que ama as palavras, e que vai ao holocausto por elas”.

 

LUTO: Morre em Jequié, aos 74 anos, vítima de infarto, o radialista Aroldo Vieira

/ LUTO

Radialista Aroldo Vieira foi vítima de infarto. Foto: Acervo pessoal

Jequié se despediu nesta segunda-feira (20) de um de seus principais radialistas. O corpo de Aroldo Vieira, 74 anos, vítima de infarto, foi sepultado no Cemitério São Lázaro, nesta cidade sob forte comoção.

Mesmo afastado do rádio jequieense, onde dedicou parte de sua vida, seu nome sempre era lembrado quando se referia a qualidade musical e capacidade de venda. Polivalente, ele atuava nos bastidores tanto na produção musical como no setor comercial, especialmente da 95 FM, onde permaneceu por mais tempo. Músico profissional, teve passagem marcante como vocalista da Banda Embalo 4.

A surpreendente notícia de sua morte movimentou as redes sociais com muitas mensagens de carinho. As emissoras de rádio da cidade também destacaram a importância dele para a projeção de outros colegas. A Prefeitura divulgou Nota de Pesar em que lembra que, Aroldo Vieira era um “exímio pesquisador musical”. Seu nome será sempre lembrado pelo seu talento apurado. *Por Souza Andrade

Corpo de Gugu Liberato é enterrado sob aplausos e muita emoção em cemitério de SP

/ LUTO

Amigos e parentes observam caixão de Gugu. Foto: Marcelo Brandt/G1

O corpo de Gugu Liberato foi enterrado na manhã desta sexta-feira (29) sob aplausos e muita emoção no Cemitério Gethsêmani do Morumbi, na Zona Sul de São Paulo. Fãs, familiares e amigos participaram da cerimônia que foi aberta ao público, a família teve uma área reservada.

O corpo chegou ao local depois de ter sido velado por mais de 20 horas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Também estão enterrados no cemitério os corpos de outros famosos como Jair Rodrigues e Hebe Camargo.

O corpo do apresentador chegou em um carro aberto do corpo de Bombeiros e foi acompanhado por uma carreata de taxistas e familiares. Assim como o velório, o enterro é aberto ao público. Entretanto, a família tem uma área reservada. O filho de Gugu, João Liberato, colocou uma rosa em cima do caixão do pai.

Filhos e viúva de Gugu se abraçam na despedida da família a Liberato

Na chegada ao cemitério os Bombeiros retiraram o caixão do carro da corporação e o entregaram aos funcionários. Durante o trajeto do carro até o jazigo da família, fãs gritavam ”Gugu, eu te amo”.

Os familiares de Gugu Liberato acompanharam o cortejo. A mãe de Gugu, Maria do Céu, chegou de cadeira de rodas e foi aplaudida pelo público.

Jornalista que morreu em queda de avião em Barra Grande foi identificada por arcada dentária

/ LUTO

Jornalista Marcela Brandão Elias tinha 37 anos. Foto: Rede social

A mulher que morreu na quinta-feira (14) na queda de um jato executivo em Barra Grande, distrito que pertence a Maraú, no baixo sul da Bahia, era jornalista Marcela Brandão Elias, de 37 anos, informou a assessoria do deputado federal licenciado Guilherme Mussi, cunhado da irmã da vítima, que também estava no avião.

Ela era casada com Eduardo Trajano Telles Elias, de 38 anos, que também estava na aeronave e segue internado no Hospital Geral do Estado (HGE) com queimaduras. O filho do casal, também chamado Eduardo, de 6 anos, está na mesma unidade, com ferimentos. Ambos não têm previsão de alta.

O corpo de Marcela, carbonizado após a aeronave pegar fogo, foi levado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Ilhéus. Até a última atualização desta reportagem, os peritos aguardavam exames solicitados à família da vítima para fazer a identificação oficial por meio da arcada dentária.

Marcela era irmã de Maysa Marques Mussi, casada com Eduardo Mussi. Os dois estavam na aeronave e também estão internados na capital baiana. Eduardo é irmão do deputado federal licenciado Guilherme Mussi. Ele teve queimaduras e está no HGE. Maysa está no Hospital do Subúrbio.

Os outros ocupantes da aeronave são Aires Napoleão, de 66 anos, que pilotava o jato; Christiano Chiaradia Alcoba Rocha, conhecido como Tuka Rocha, de 36 anos, ex-piloto da Stock Car, Fernando Oliveira Silva, de 26 anos, Marcelo Constantino, de 28 anos, e Marrie Cavelan, de 27 anos. Todos estão internados no HGE.

Tuka teve 80% do corpo queimado. Em 2011, o ex-piloto da Stock Car já tinha escapado de um grave acidente, quando o carro que ele pilotava em uma competição pegou fogo, no Rio de Janeiro. Ele conseguiu se jogar do veículo.

O acidente aéreo em Barra Grande é investigado pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II), da Aeronáutica. Nesta sexta-feira (15), militares do órgão estiveram no local do acidente para coletar dados que possam auxiliar nas investigações que vão apontar as causas da queda. Não há informações se o jato foi retirado do local. Com informações do G1

Prefeitura de Jequié emite nota de pesar e lamenta o falecimento do cantor Ailton dos Anjos

/ LUTO

A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, manifestou, publicamente, nesta segunda-feira (26/08), o seu mais profundo pesar pelo falecimento do músico Ailton Pereira dos Anjos, o Ailton dos Anjos; conhecido pelos anos dedicados à música, sendo reconhecido como um dos maiores intérpretes da seresta, grande animador de bares, sobretudo, pela marcante presença na programação da ”Vila Junina”, da Praça Rui Barbosa, no São João do município.

”Ailton dos Anjos deixa um legado de talento e paixão pela música. O Executivo Municipal, através da Secretaria de Cultura e Turismo, apresenta as condolências aos familiares e amigos”. O músico faleceu neste domingo, em Lagedo do Tabocal e foi sepultado em Jequié.

Morre Raimunda da Silva, ex-prefeita e tradicional liderança política do município de Itatim

/ LUTO

Raimunda da Silva Santos, 57 anos

Morreu neste domingo (25/08), aos 57 anos, a ex-prefeita do município de Itatim, no Piemonte do Paraguaçu, Raimunda da Silva Santos – Mundinha, como era conhecida popularmente na cidade e região.

Segundo informações, ela teria sido acometida por um acidente vascular cerebral, sendo transferida para uma unidade hospitalar de Salvador, permanecendo internada por um período, tendo retornado para Itatim. Em sua residência, Raimunda era acompanhada por uma equipe médica, mas infelizmente não resistiu a enfermidade e foi a óbito em casa.

Foi vereadora por um mandato (1997/2000), vice-prefeita por dos mandatos (2001 a 2008) e prefeita (2009 a 2012). Ainda quando ocupava o cargo de vice-prefeita, foi também Secretária Municipal de Saúde. O sepultamento acontece na tarde desta segunda-feira.

A morte de Raimunda ocorreu um mês após o falecimento, também por problemas de saúde,  de  Grinaldo Andrade Nunes, o Guima, 74 anos, ex-prefeito do município, de quem ela foi vice. Grinaldo e Raimunda eram tradicionais lideranças políticas daquela cidade.

Jovem de 27 anos morre em hospital de Itapetinga depois de sofrer uma parada cardíaca

/ LUTO

Thaís estava internada no Hospital Cristo Redentor. Foto: Rede social

Uma jovem de 27 anos morreu após sofrer uma parada cardíaca na cidade de Itapetinga, no Sudoeste baiano. Segundo publicação do Blog do Tarugão, Thaís Lima Mascena estava internada na UTI do Hospital Cristo Redentor, depois de ser transferida da Santa Casa de Misericórdia, quando teria dado entrada na unidade. Inicialmente, Tahís teria dado entrada na UPA quando sofreu a parada. Ela faleceu nesta terça-feira (25). A jovem será sepultada nesta quarta-feira. Ela deixa esposo e filho.

Último show de Gabriel Diniz foi na cidade de Feira de Santana, na noite deste domingo (26)

/ LUTO

Cantor postou foto do show em Feira de Santana. Foto: Instagram

O cantor Gabriel Diniz, que morreu em um acidente de avião em Sergipe, nesta segunda-feira (27), fez o último show na cidade de Feira de Santana, na noite de domingo (26). O artista postou várias fotos da apresentação em sua página oficial no Instagram.

A apresentação aconteceu na casa de shows Prime Music, que fica na Avenida Maria Quitéria, no centro da cidade baiana. Antes do show, ele postou também imagens do momento da chegada em Feira de Santana, também de avião, e ainda mostrando a preparação da equipe minutos antes da apresentação.

Gabriel Diniz tinha 28 anos e era natural de Campo Grande (MS). Ele ganhou grande destaque nacional no meio musical no segundo semestre do ano passado, com o hit ”Jenifer”. A música divertida sobre uma mulher encontrada no Tinder foi a primeira de Diniz a chegar ao topos das paradas de todo o Brasil. Em abril, o cantor também esteve em Feira de Santana, onde se apresentou na micareta da cidade, abrindo a edição do evento de 2019.

Acidente

O avião de pequeno porte que levava Gabriel Diniz caiu no povoado Porto do Mato, em Estância, na região sul de Sergipe. De acordo com a Polícia Militar, três pessoas morreram no acidente. Amigos de Gabriel Diniz reconheceram o corpo do artista entre as vítimas. A assessoria de imprensa da produtora do artista confirmou que ele estava no avião. Também foi encontrado o passaporte do cantor perto do local do acidente.

A queda do avião vai ser investigada pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, com sede no Recife e que abrange o estado de Sergipe. Segundo documentos achados no local do acidente ao lado do passaporte de Gabriel Diniz, a aeronave é um monomotor Piper prefixo PT-KLO, com capacidade para quatro lugares e registrado em nome do Aeroclube de Alagoas.

A aeronave, segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), só pode ser usada para voos de instrução. Uma moradora da região do acidente disse que o avião passou por cima da casa dela e caiu em seguida. Foi ouvido um estrondo nas imediações.

Cantor Gabriel Diniz morre em acidente de avião; aeronave caiu em Porto do Mato, em Sergipe

/ LUTO

Cantor Gabriel Diniz morreu as 28 anos. Foto: Rede social

O cantor sertanejo Gabriel Diniz morreu hoje (27) em um acidente de avião. De acordo com o G1, ele estava na aeronave que caiu em  Porto do Mato, em Estância (SE), na região Sul de Sergipe. 

Além dele, outras três pessoas, que estavam na aeronave, morreram. GD, como era conhecido, estourou nacionalmente esse ano após emplacar o hit Jenifer.  Uma moradora da região disse que o avião passou por cima da casa dela e caiu em seguida. Foi ouvido um estrondo na região.

Uma das últimas apresentações do cantor, antes do acidente, foi em Feira de Santana. ”Sempre uma alegria voltar a Feira de Santana e ser recebido com tanta alegria e com tanta energia positiva”, escreveu Diniz nas redes sociais.

Madrinha do samba, Beth Carvalho morre aos 72 anos no Rio de Janeiro; ela estava internada

/ LUTO

Elizabeth Santos Leal de Carvalho morreu. Foto: Rede social

Morreu aos 72 anos, a sambista Beth Carvalho. Ela estava internada no Rio de Janeiro. Grande intérprete, Beth Carvalho ficou conhecida carinhosamente como a ‘madrinha do samba’, pelos talentos que descobriu e apadrinhou ao longo de sua carreira, como Zeca Pagodinho e o grupo Fundo de Quintal.

A sambista nasceu Elizabeth Santos Leal de Carvalho, no Rio, em 1946. A paixão pela música, ela herdou da família. Sua avó tocava bandolim e violão. Desde criança, ouvia Sílvio Caldas, Elizeth Cardoso e Aracy de Almeida, que eram grandes amigos de seu pai e que ele recebia em sua casa. E ali Beth ouvia, atenta, aos convidados do pai – e à cantoria. Na adolescência, cantava bossa nova e outros ritmos em festas e, para ajudar a família, após o pai ser perseguido na ditadura por seus pensamentos de esquerda, ela passou a dar aulas de violão. Não por acaso, herdou do pai a postura engajada por toda a vida. Gravou o primeiro compacto em 1965, com a canção ‘Por Quem Morreu de Amor’, de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli.

Nos anos seguintes, seguiu a trilha dos festivais. Seu primeiro sucesso foi Andança, de Edmundo Souto, Paulinho Tapajós e Danilo Caymmi, que ela defendeu no Festival Internacional da Canção, em 1968, e com o qual conseguiu o 3.º lugar. A música também deu título ao seu primeiro LP, que foi lançado em 1969. Emendou outros sucessos na sua voz, como o hino ‘Vou Festejar’, e eternizou ‘Coisinha do Pai’. Na década de 1970, foi ao encontro dos mestres, ao gravar ‘Folhas Secas’, com Nelson Cavaquinho, e ‘As Rosas Não Falam’, de Cartola. Dois momentos sublimes em sua carreira. Ficou conhecida também sua presença assídua na quadra Cacique de Ramos, onde Beth identificava talentos no samba e os revelava, como aconteceu com nomes como Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Sombra, Sombrinha, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, entre tantos outros.

Daí a alcunha de ‘madrinha do samba’. “Quem levou Beth Carvalho pro Cacique foi o Alcir Portela, que era jogador naquela época. Ela se apaixonou pelo samba tocado embaixo da Tamarineira. Gostou tanto que resolveu gravar com a gente em estúdio, no formato da nossa roda de samba”, contou, em seu site, o cantor, compositor e percussionista Bira Presidente, integrante do Fundo de Quinta. Beth Carvalho não renegava o posto de madrinha, da grande matriarca, mas preferia não ter essa função. Gostaria que os talentos tivessem outros tipos de incentivo e oportunidades para se expor. “Não é meu papel, mas sou assim, gosto de mostrar o que há de bom”, disse, certa vez, em entrevista ao Estado. Mangueirense de coração, foi homenageada por outras escolas de samba: foi tema de enredo da Escola de Samba Unidos do Cabuçú, ‘Beth Carvalho, a enamorada do samba’, em 1984, e recebeu da Velha Guarda da Portela uma placa comemorativa por ela ter sido a cantora que mais gravou seus compositores. Em 2009, no Grammy Latino, ganhou o prêmio Lifetime Achievement Awards, em celebração à sua carreira. No mesmo ano, precisou fazer uma pausa por causa de uma fissura na região sacra, que a obrigou a ficar em repouso total.

Voltou aos palcos no dia 19 de fevereiro de 2011, no show de encerramento do evento Sesc Rio Noites Cariocas. Poucos meses depois, em abril, a cantora se apresentou em São Paulo e, na ocasião, disse ao Estado que havia se surpreendido consigo mesma após passar 1 ano e meio convalescendo em cima de uma cama. “Tive paciência de Jó. Contei com o apoio dos amigos e da família. Toda hora tinha pagode em casa”, contou ela, à época. Apesar de a cantora se manter na estrada, suas condições físicas foram piorando. Em 2018, fez apresentações deitada. Por causa das dores, não conseguia ficar sentada. E emocionou as plateias. No final do ano passado, foi morar com a filha, a cantora e compositora Luana Carvalho, fruto de seu relacionamento com o jogador Édson de Souza Barbosa, mais conhecido como Édson Cegonha. Ao Estado, na época do lançamento de seu trabalho de estreia, o disco duplo ‘Sul’ e ‘Branco’, em 2017, Luana não negou que seu maior desafio talvez estivesse relacionado ao fato de ser filha de Beth Carvalho.

Ter como mãe uma grande intérprete como ela lhe deu menos direito ao anonimato, tampouco licença para se lançar crua na carreira musical. “Para eu aparecer com as minhas canções, sendo filha de uma pessoa que já tem um trabalho muito conhecido, talvez o mais delicado seja o quanto você precisa chegar com um senso estético já muito bem apurado, com uma proposta um pouco mais concreta, mas afinal são muitas vantagens também”, disse Luana. Beth Carvalho estava internada desde o dia 8 de janeiro, no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, no Rio, onde recebeu amigos para uma animada roda de samba. Ela tinha mais de 50 anos de carreira e uma discografia de 33 discos e 4 DVDs – e muitos prêmios, homenagens e troféus conquistados ao longo de toda uma vida dedicada ao samba. Com informações do Estadão

Câmara de Vereadores Jequié lamenta o falecimento de Paulo Ribeiro, ex-vereador do município

/ LUTO

Paulo Ribeiro morreu na noite desta quinta-feira. Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Jequié, pelo intermédio de seu presidente, Emanuel Campos Silva – Tinho – comunicou, com enorme pesar, na noite desta quinta-feira (14), o falecimento de Paulo Ribeiro, ex-vereador do município e com importante página escrita na participação em defesa e fortalecimento do futebol local, especialmente no bairro Joaquim Romão, bem como atuação destacada na liderança de movimentos populares na cidade. ”Em nome dos demais vereadores e dos servidores da Casa, o presidente Tinho lamenta a perda dessa importante liderança popular, política, desportista e cidadão de bem, ao tempo em que envia aos seus familiares suas condolências”, diz a Nota de Pesar publicada no site da Câmara. Paulo era membro de uma numerosa família, tendo entre seus irmãos o radialista Ribeiro Júnior, que atua na Rádio Cidade Sol FM.