Jaguaquara: Jovem de 20 anos morre após acidente entre moto e caminhonete na BA-545

/ Jaguaquara

Motocicleta ficou destruída após batida. Fotos: Blog Marcos Frahm

Um jovem de 20 anos morreu depois que a motocicleta que ele pilotava colidir com uma caminhonete, na BA-545, no município de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá. O acidente ocorrido por volta das 19h envolveu uma moto CG Honda, de cor preta, e um veículo S10, que transportava um carregamento de banana da área rural para o Mercado Produtor Ceasa em Jaguaquara. Alesson Silva Santos retornava pra casa, na zona rural, quando houve a colisão frontal.

PRE colhe informações sobre a colisão; veículo para no meio da pista

Com o impacto, o jovem teve o corpo projetado para o acostamento da rodovia e faleceu no local. Equipes da Polícia Militar/3ª Cia, Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e Polícia Técnica de Jequié estiveram no local e contornaram o trânsito, que ficou bloqueado até a conclusão dos serviços periciais. Conforme informações da polícia ao Blog Marcos Frahm, a suspeita inicial é de que um dos veículos teria tentando uma ultrapassagem e invadiu a pista contrária, provocando a batida.

Equipe do DPT/Jequié realizou serviços pericias no local do acidente

O condutor da caminhonete não foi encontrado, e a polícia foi informada de que ele evadiu do local. O corpo de Allesson foi encaminhado às 22h ao Instituto Médico Legal (IML) de Jequié. Os veículos foram removidos por um guincho e levados ao pátio da PRE.

Corpo do jovem foi levado ao IML de Jequié, por volta das 22 horas

No local, familiares e parentes da vítima se revoltavam com a repercussão nas redes sociais, através pessoas fazendo viralizar imagens do corpo em grupos do WhatsApp. Inclusive, a Câmara dos Deputados aprovou o aumento da pena em um terço do crime de vilipêndio a cadáver, contra o respeito aos mortos, previsto no artigo 212 do Código Penal Brasileiro.

Mais de 271 cidades da Bahia têm água contaminada por agrotóxicos; Jaguaquara aparece na lista

/ Jaguaquara

Barragem do Baixão, em Jaguaquara. Foto: Blog Marcos Frahm

Testes realizados pelas empresas de abastecimento de municípios brasileiros mostram que quatro cidades da Bahia consomem um perigoso coquetel com 27 agrotóxicos encontrados na água utilizada pela população. Mucugê, na Chapada Diamantina, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Itapetinga, Centro Sul, e São Félix do Coribe, no Oeste, estão no topo de uma lista de 271 municípios baianos em que se encontrou pelo menos um agrotóxico na água que abastece as torneiras das cidades.  A publicação dos dados faz parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) do Ministério da Saúde. O estudo detectou em 1.396 municípios no país todos os 27 pesticidas.

No caso de Mucugê, o número elevado de agrotóxicos na água pode ter relação direta com as plantações de batata, morango e tomate na região, conforme reportagem do Jornal Correio da Bahia. Moradores, biólogos, profissionais de saúde do município e até agricultores confirmam o problema e começam a ver os reflexos na população.

”Aqui tem fazendas grandes com plantações que consomem muito agrotóxico. Contamina solo, lençol freático, água para consumo residencial. A gente vê muita gente com alteração de hormônio, tireoide, muita gente hipertensa e diabética. É difícil comprovar que isso tem relação com o consumo da água, mas que se usa muito agrotóxico na região, com certeza”, disse um especialista na área de saúde de Mucugê, que preferiu não se identificar. O que assusta é a possibilidade de os males trazidos pelos agrotóxicos estarem agindo de forma silenciosa nas populações, sem que se saiba a origem do problema.

Vale do Jiquiriçá

Jaguaquara, maior município do Vale do Jiquiriçá e considerado um dos grandes produtores de hortifruti da Bahia também aparece na lista. Além de Jaguaquara, outras cidades da região, como Apuarema, Iramaia, Lafaiete Coutinho, Laje, Lajedo do Tabocal, Maracás, Planaltino, Amargosa e Wenceslau Guimarães também figuram na lista.

Dos 27 agrotóxicos encontrados pela pesquisa, 16 são classificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como extremamente ou altamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças crônicas como câncer, malformação fetal, disfunções hormonais e reprodutivas. Importante ressaltar que as quatro cidades: Mucugê, Camaçari, Itapetinga e São Félix do Coribe atingem o número máximo de agrotóxicos, mas há muitas outras com uma quantidade perigosa de químicos, como Macarani, também no Centro Sul, com 25 agrotóxicos, e até a própria Salvador, com 16 pesticidas.

Saúde em alerta
As intoxicações por agrotóxico, em casos graves, podem até gerar coma, parada cardíaca, hemorragia ou perda da visão. Na Bahia, o problema é tratado como uma questão de saúde pública, já que está entre os oito estados do Brasil em consumo do produto. Os defensivos agrícolas possuem diversos níveis de intoxicação, que podem variar de acordo com a quantidade do produto e tempo de exposição a ele.

O Ministério da Saúde alerta que os venenos podem entrar no corpo por meio de contato com a pele, mucosas, respiração ou ingestão. Os sintomas mais comuns logo após a exposição são mal-estar, dor de cabeça e cansaço. Nos casos mais graves, pode se identificar lesões de pele, tonturas, dificuldade respiratória, podendo ocorrer coma e morte.

Os agroquímicos também podem desenvolver problemas crônicos, que aparecem após algum tempo, como distúrbios como irritabilidade, ansiedade, alterações do sono e da atenção, depressão; dor de cabeça, cansaço, alergias de pele e respiratórias, problemas neurológicos e até alguns tipos de câncer.

Agronegócio questiona dados de contaminação 

A divulgação, nessa semana,  do resultado do estudo de contaminação de água por agrotóxicos pela Agência Pública, Repórter Brasil e organização Public Eye gerou questionamentos. Além das próprias empresas de tratamento de água desmentirem as informações ou falarem que elas são tendenciosas, associações do setor agrícola também foram contrárias aos dados apresentados. A Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), por exemplo, afirmou que os dados foram publicados ”de forma alarmista” com pesquisas ”absolutamente desconhecidas por autoridades nacionais e internacionais”. Leia na íntegra

 

Com apoio da Loja Maçônica, trabalho social incentiva a prática do ”jiu-jitsu” em Jaguaquara

/ Jaguaquara

Jovens praticam o jiu-jitsu Sensei na Loja Maçônica. Foto: Divulgação

Com um trabalho sócio-esportivo, a Associação Beneficente Paz e Liberdade, em parceria com a Loja Macônica de Jaguaquara está inserindo jovens e adolescentes no mundo do esporte graças ao trabalho do faixa-preta em jiu-jitsu Sensei Lavde Caribé, que recebeu apoio da entidade para utilizar o espaço físico da Maçonaria para aulas, desde fevereiro de 2018.

A parceria está proporcionando a muitos jovens jaguaquarenses a oportunidade de praticar o esporte, o que é muito importante em diversos sentidos. Além de aulas particulares, aproximadamente 30 alunos de escolas públicas de Jaguaquara estão sendo atendidos gratuitamente pelo projeto coordenado por Sensei Lavde.

O Jiu-Jitsu é uma luta milenar e de origem oriental que utiliza princípios de equilíbrio, mobilidade de quadril e sistemas de alavancas corporais aliadas às técnicas de torções articulares, projeções, controle e submissão, nesse caso, como ferramenta de apoio ao cotidiano escolar, possui uma pedagogia de ensino puramente educativa, tanto nos movimentos corporais e culturais como também nas atitudes de comportamento, valorizando o outro e visando a formação do cidadão.

Sede da antiga fazenda ”toca da onça”, Colégio Luzia Silva comemora 69 anos de história

/ Jaguaquara

Colégio Luzia Silva comemora 69 anos em Jaguaquara. Foto: Divulgação

Sede da antiga fazenda ”toca da onça” o Colégio Luzia Silva é sediado no monumento histórico jaguaquarense que, por meio do Sr. Guilherme Martins Eirado e Silva, um dos primeiros moradores de Jaguaquara, doou sua residência para que fosse fundado um colégio católico, sua aspiração naquela época. Anseio que deu certo e rende bons frutos até hoje!

O Colégio Luzia Silva passou e passa por muitas dificuldades que, graças ao apoio diário dos pais e da comunidade jaguaquarense e, dedicação sem igual dos diretores, coordenadores, professores e funcionários são superadas a cada aniversário.

Atualmente, o colégio está associado à Companhia de Santa Úrsula – ACONSU – dirigida pelas irmãs Ursulinas que desenvolvem um trabalho educativo com princípios na ética, na boa conduta, obedecendo o regimento escolar, por meio de uma relação afetiva que preserve o amor, a alegria, a esperança e a paz, que é primordial dentro de uma instituição de ensino.

Nesse ano de 2019 o Colégio Luzia Silva oportunizará um dia com atividades como missa festiva, exposições e apresentações para toda comunidade de Jaguaquara, a fim de comemorar os 69 anos de muita luta, ensino e aprendizagem mútua, desde o quadro docente aos discentes. A relação professor-aluno mediada é um dos pilares da educação dentro da instituição, por isso há sempre uma grande procura por vagas nos períodos de matrículas. Além dessa boa relação, os índices educativos tais como IDEB e Saeb dos Anos Finais do Ensino Fundamental – Prova Brasil – colocam o colégio com bons resultados nas avaliações externas destacando-se com maior proficiência do Vale do Jiquiriçá, nas disciplinas de peso Português e Matemática. A média considerada adequada para estudantes dessa etapa é de 350 pontos e o Colégio Luzia Silva apresentou 272,71 pontos. Ainda há um caminho vasto a ser percorrido, mas Jaguaquara possui um excelente Colégio público que merece honras por sua trajetória até o presente dia.

Parabéns ao colégio Luzia Silva, seus 69 anos não foram em vão, sua história faz a diferença para toda comunidade jaguaquarense com toda certeza.

*Por Juliana Machado

Educação: Com ”mala literária”, professora em Jaguaquara incentiva gosto pela leitura

/ Jaguaquara

O projeto foi batizado de ”Mala Literária”. Foto: Divulgação

Uma mala recheada de livros de Literatura chama a atenção por quem passa no pátio do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Alimento e Recursos Naturais Pio XII, localizado no bairro Muritiba, em Jaguaquara. Quem se interessar por algum exemplar, pode levá-lo para casa com o único compromisso: devolvê-lo tão logo faça a leitura. Não precisa assinar o nome em nenhuma lista, nem tem limite de prazo para a devolução. A iniciativa, proposta pela professora Ilana Cardoso, tem como objetivo incentivar o ato de ler, o cuidado com os livros e o senso de responsabilidade dos alunos da unidade escolar da rede estadual de ensino. O projeto, batizado de ”Mala Literária”, já tem repercussão positiva, considerando o aumento de rotatividade em apenas um mês de quando foi criado.

A mala de livros de autores importantes da Literatura Brasileira, como Machado de Assis, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa e Jorge Amado, colocada no pátio da unidade escolar, começou com publicações doadas pela professora Ilana. Com o passar dos dias, novos volumes foram cedidos pelos próprios estudantes, estimulando a leitura do gênero entre os alunos. Foi o caso de Amanda Carla Reis, 17, 3º ano do Ensino Médio, que mesmo já sendo uma leitora assídua, ficou encantada com o projeto.

A professora Ilana Cardoso testemunha que o ”Mala Literária” têm modificado a rotina da escola, tornando o espaço educativo mais plural e democrático, já que o projeto contempla todos os alunos do CEEP. ”A liberdade de pegar os livros do interesse de cada um é o diferencial desse projeto. Ao mesmo tempo que promovemos o incentivo à leitura, estamos incutindo nos estudantes o senso da responsabilidade. Isto porque não há ninguém fiscalizando quem pega emprestado os livros. Simplesmente, o aluno pega e devolve, com a consciência de que os colegas também terão direito de usufruir do exemplar que está na sua mão’, relata a educadora.

Chuva forte causa transtornos e alaga ruas em Ubaíra; jovem perde móveis após ter casa invadida

/ Jaguaquara

Chuva deixou vias alagadas por toda cidade. Fotos: Leitor BMFrahm

Uma chuva forte na tarde desta quinta-feira (11) alagou ruas e provocou transtornos a moradores de Ubaíra, no Vale do Jiquiriçá. A chuva começou por volta das 14h40 e durou cerca de 40 minutos, tempo suficiente para provocar alagamentos na cidade que inclusive enfrentava racionamento de água, em razão do nível baixo da barragem que é usada pela Embasa para abastecer o município. O reservatório melhorou desde as chuvas de março e o nível aumentou hoje, chegando a transbordar, segundo moradores, que enviaram fotos e vídeos ao Blog Marcos Frahm.

Moradores passam sufoco no bairro Areia de Cima, com casas invadidas

Umas das áreas mais atingidas pela tempestade foi o bairro Areia de Cima, onde casas foram invadidas e ruas ficam praticamente intransitáveis. No local, uma mulher perdeu todos os móveis após ter a casa invadida pela enxurrada. Em um vídeo que circula na rede social, a mulher aparece em clima de desespero e diz que a criação de um loteamento próximo, sem canal para escoamento de água provocou o transtorno. ”Ele vai me dar uma casa nova”, diz a jovem chorando, se referindo ao responsável pelo loteamento próximo, um ex-vereador. A previsão é de mais chuva para esta sexta-feira em Ubaíra, com risco de alagamento e deslizamento.

Prefeito de Jaguaquara faz novas mudanças na equipe; secretário de Agricultura é exonerado

/ Jaguaquara

Prefeito exonera secretário e nomeia a prima para a Agricultura

O prefeito de Jaguaquara voltou a promover mudanças no primeiro escalão do governo. Giuliano Martinelli (PP) buscou soluções caseiras para novas mudanças na equipe. O gestor exonerou, do cargo de secretário de Agricultura e Meio Ambiente, José Ivanaldo Saraiva dos Santos, que atuava no cargo desde a primeira gestão do alcaide e será substituído pela prima do prefeito, Adriele Andrade Ribeiro, nomeada para comandar a pasta depois de exonerada da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil.

Martinelli encontrou na sua esposa, a primeira-dama e atual secretária de Governo, Geisa Silva Santana Martinelli a solução para preencher a vaga deixada pelo locutor Weder Mello, que foi exonerado em fevereiro último do cargo de secretário de Cultura, Esporte e Lazer. Conforme publicação do Diário Oficial, Geisa irá responder, interinamente, pela Cultura, que estava sob o comando da secretária de Educação, Juliana Santiago Ferreira.

Os decretos de exoneração e nomeação assinados pelo chefe do Executivo estão datados de segunda-feira (8) e terça-feira (9), e revelam a terceira fase de trocas na equipe, apenas neste ano. Em janeiro, Juliana assumiu a Educação em substituição a Jurema Bomfim de Quadros, que havia assumido a pasta em outubro de 2016. Em fevereiro, foi à vez de o prefeito exonerar Weder. Agora, em abril, Martinelli voltou a mexer no tabuleiro.

Erosão avança e forma cratera em via às margens da BR-116, no Entroncamento de Jaguaquara

/ Jaguaquara

Cratera às margens da pista preocupa. Foto: Blog Marcos Frahm

Uma erosão avançou e formou uma cratera na Avenida Presidente Médici, às margens da Rodovia Santos Dumont BR-116, no perímetro urbano do distrito Stela Dubois/Entroncamento de Jaguaquara. O problema ocorreu no local após as fortes chuvas de março, que atingiram a região. A cratera preocupa motoristas e transeuntes, que aguardam providências por parte do órgão responsável. ”Estamos preocupados. É um risco muito grande para acontecer um acidente, porque pode cair uma pessoa ou até mesmo um carro aí”, disse uma moradora ao BMFrahm.

Ex-presidiário de Jaguaquara, Gefferson Gonçalves é morto a tiros em Feira de Santana

/ Jaguaquara

Um ex-presidiário de Jaguaquara, identificado como Gefferson Gonçalves Costa, 31 anos, foi assassinado a tiros por volta das 06h30 desta segunda-feira (8), na Rua Osvaldo de Abreu no bairro Aviário, em Feira de Santana. Oriundo de Jaguaquara, Gefferson já teria cumprido pena no Conjunto Penal de Jequié pelo cometimento de crime em Jaguaquara, onde residem seus familiares. Em Feira, morava na Rua Pau Pombo, mesmo bairro onde foi morto.

Segundo informações da polícia, ele estava em frente a uma residência quando foi alvejado pelos tiros. Ainda não há detalhes sobre motivação e autoria do crime. O delegado Luís Smyslov Filgueiras efetuou o levantamento cadavérico juntamente com peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana.  Com informações do repórter Aldo Matos, do site Acorda Cidade

Jaguaquara: Homem morre após ser encontrado caído ao lado de motocicleta na Rodovia BR-420

/ Jaguaquara

Moto precipitou-se numa curva. Foto: Leitor do BMFrahm

Um homem e 28 anos morreu na madrugada deste sábado (6), no Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié, depois de dar entrada da unidade vítima de um acidente com a motocicleta que ele pilotava na Rodovia BR-420, no trecho do município de Jaguaquara.

Mário conduzia uma moto Honda CG 125 e teria sido encontrado por volta das 22h30, caído ao lado do veículo às margens da estrada, na noite de sexta-feira (5). Conforme populares, o rapaz apresentava ferimentos e o acidente teria ocorrido em uma curva, próximo ao Aterro Sanitário de Jaguaquara.

Ainda segundo relatos de populares que avistaram o motociclista, o socorro a vítima foi demorado e o mesmo teria sido socorrido por uma ambulância do SAMU do município de Lafaiete Coutinho. No HGPV, Mário faleceu às 02h40 de hoje. Ele era morador num assentamento, no Entroncamento de Jaguaquara, onde será sepultado neste domingo. Ainda não há informações sobre as circunstâncias do acidente.

Festival Conexão Musical anima Jaguaquara nesta sexta e sábado, na Praça JJ – Seabra

/ Jaguaquara

Evento ocorrerá no Centro da cidade. Foto: Blog Marcos Frahm

O caminhão amarelo do festival musical mais redondo do Brasil segue viagem pela Bahia, e neste final de semana chegou a Jaguaquara, para realização da oitava etapa da turnê que vem animando o interior baiano. O evento itinerante que é patrocinado pela Skol já passou por Madre de Deus, São Sebastião do Passé, Cachoeira, Santo Amaro, Itaparica, Ipirá e Ruy Barbosa e desembarca muita cultura e alegria em Jaguaquara nesta sexta e sábado.

Os shows acontecem no caminhão-palco, na Praça J J Seabra, a partir das 18h. Na primeira noite de festa, sexta feira (5), quem sobe ao palco Skol é Jefinho Love Light e Léo Novo Som, além da atração oficial do evento, o DJ Conexão. Na noite do sábado (6) a animação fica por conta de Lipinho Fontes e Magary Lord, atração que retorna ao Festival, e ainda tem o DJ Conexão agitando a galera no intervalo entre as bandas. A entrada é gratuita, e o evento se encerra pontualmente a meia noite.

Além de propagar e promover cultura e entretenimento, o Festival Conexão Musical Bahia fomenta a economia local das cidades por onde passa. ”Queremos conectar as pessoas através de um evento democrático, inovador que leva cultura e alegria através da música. Isso faz parte do DNA Skol – uma cerveja jovem, democrática, inovadora e que apoia a diversidade com o intuito de surpreender o público consumidor. É isso que pretendemos com o Conexão Musical”, afirma Pedro Beltrão, gerente regional de eventos Skol. ”Vamos oferecer, de forma gratuita, em dois dias de Festival muita música e inovação. Com certeza, o público não perde por esperar”, completa Beltrão.

O festival conta com estrutura de bares que venderão produtos da família Skol, principal patrocinadora do evento. Entre as bebidas que estarão disponíveis ao público, a Skol Pilsen, os três tipos de Skol Beats: Senses, Spirit e Secret, água, refrigerante e energético e a nova integrante da família que é a sensação do verão da Bahia: a Skol Puro Malte.

ROTEIRO MUSICAL

Após Jaguaquara, o Festival Conexão Musical pega estrada, e nos dias 12 e 13 de abril o evento desembarca na praça Salvador da Mata, na cidade de Ipiaú para a sua penúltima etapa. Na sexta (12) os show ficam por conta de Lê Kum Crê e Larissa Souza e no sábado (13) quem sobe ao palco são Kal Firmino e Pé de Badoque, além do DJ Conexão agitando tudo nos dois dias de festa. A última etapa do Festival Conexão Musical Bahia será na cidade de Gandu nos dias 20 e 21 de abril (sábado e domingo), na praça do Povo.  O Festival Conexão Musical Bahia é uma realização da Alquimia Comunicação, com produção da Maré Produções Culturais, e conta com patrocínio da Skol, via AMBEV, e do Governo do Estado, por meio do programa Fazcultura, das Secretarias da Fazenda e Cultura.

Jaguaquara: Filiado ao PR, presidente da Câmara pode mudar de partido para tentar disputar Prefeitura

/ Jaguaquara

Raimundo Louzado pode deixar o PR. Foto: Blog Marcos Frahm

Fontes próximas ao presidente da Câmara de Jaguaquara, Raimundo Louzado, informaram nesta sexta-feira (5) ao BMFrahm que o vereador já não esconde sua pretensão de disputar a Prefeitura do município em 2020 e que existem outras legendas partidárias, além do PR, à qual Louzado é filiado, em contato sobre uma possível candidatura ao Executivo local.

Mesmo distante do período, denominado ”janela partidária”, que é quando o político detentor de cargo pode mudar de partido Raimundo vem sendo procurando. O fato de o PR ser presidido em Jaguaquara pela esposa do prefeito Giuliano Martinelli (PP), a primeira-dama e secretária de Governo Geisa Martinelli, estaria colocando Louzado na mira de outros partidos, depois do lançamento antecipado, pelo prefeito, da sua futura pré-candidata a prefeita, a secretária de Desenvolvimento Social, Edione Agostinone. A escolha do nome de Edione faltando um ano e meio para as eleições teria frustrado não só os planos de Lozado, como de outros vereadores da base do gestor, a exemplos de Hélio Boa Sorte (PP) e Francisnei Santos (PSL), que sonhavam com o apoio de Martinelli na disputa pela máquina pública.

Dentre os vereadores, Raimundo aparece como um nome leve e é apontado como uma das ameaças ao projeto de Giuliano. Contudo, a relação entre prefeito e presidente da Câmara azedou desde que Louzado venceu a vereadora Cristiane Pinheiro (PP), prima do prefeito, na eleição pela presidência da Câmara em dezembro de 2018. Mas há quem tenta virar a página e apagar o incêndio. É o deputado estadual Zé Cocá (PP), que trabalha pela união de ambos para que o grupo tenha candidatura única no ano que vem. Fontes asseguram que Cocá se esforça para promover uma reunião entre Martinelli e Louzado.

Otto Alencar determina mudança no PSD de Jaguaquara

Enquanto isso, na oposição, surge nome novo. O promotor de eventos Flavinho Souza, radicado em Salvador, mas filho da cidade, voltou para sua terra natal e tenta ingressar na política apresentando-se como virtual pré-candidato. Flavinho conseguiu, inclusive, tirar o PSD da base de Giuliano e já detém o domínio do Partido Social Democrático, presídio na Bahia pelo senador Otto Alencar, quem teria determinado que o partido mudasse de mãos na cidade, saindo do vereador governista Edmilson Barbosa para as mãos de Flávio. Até 2020, muitas águas vão rolar!

Prefeitura de Jaguaquara define data, o tema e anuncia as primeiras atrações do São João

/ Jaguaquara

Autora da música Cobaia, Lauana Prado é confirmada

Diferente dos anos anteriores, a Prefeitura de Jaguaquara decidiu antecipar os preparativos para os festejos juninos, definindo a data e o tema do São João 2019. Por meio da Secretaria de Cultura Esporte e Lazer, a Prefeitura informou que o evento ocorrerá de 21 a 24 de Junho e que prestará uma expressiva homenagem à Força da Mulher Nordestina, tendo como referência a história de Maria Gomes de Oliveira, a Maria Bonita.

Além de contar a história de Maria Bonita, o São João de Jaguaquara que traz como tema: ”A Força da Mulher no Sertão, Maria Bonita e Lampião”, dará destaque também às mulheres da comunidade local, que serão homenageadas no circuito pela sua história de luta e determinação, segundo nota divulgada pela assessoria de comunicação.

Duas atrações já foram confirmadas e anunciadas pelo poder público municipal. A cantora Lauana Prado, autora da música Cobaia, e Walkyria, ex-vocalista da banda Magníficos são as primeiras atrações contratadas. Apesar do anúncio, detalhes e valores dos shows de Lauana e Walkyria ainda não foram publicados no Diário Oficial, conforme verificação. Para muitos, a decisão da gestão em antecipar os preparativos foi acertada, já que o São João de Jaguaquara enfrenta decadência há anos, pela falta de investimentos, deixando de ser um dos destinos mais procurados pelos turistas no período junino e ficando atrás de cidades com menores receitas, como Amargosa, a cerca de 100 KM, que sempre aparece na lista das melhores festas e deve ser mais uma forte concorrência.

Festival Conexão Musical chega a Jaguaquara neste fim de semana, com shows gratuitos na praça

/ Jaguaquara

A música  vem conectando o interior da Bahia com o Festival Conexão Musical Bahia, que acontece entre os meses de fevereiro e abril. O festival, projeto patrocinado pela Skol em parceria com a Secretaria de Cultura da Bahia, já passou por Madre de Deus, São Sebastião do Passé, Cachoeira, Santo Amaro, Itaparica, Ipirá, Ruy Barbosa e agora chega a sua oitava etapa, desembarcando em Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, nesta sexta-feira (5) e sábado (6).

Na ocasião, o caminhão-palco da Skol estacionará na Praça J J Seabra, a partir das 18h. Na noite de abertura se apresentam Jefinho Love Light e Léo Novo Som. No segundo dia, o projeto será animado por Lipinho Fontes e Magary Lord. Durante todo o evento, o DJ Conexão é o responsável pelo som no intervalo entre as bandas. O evento é gratuito.

Com o propósito de oferecer música, cultura e lazer para mais de 500 mil pessoas, o festival passa por 10 municípios baianos, com a participação de 40 artistas locais e regionais, totalizando 140 horas de shows gratuitos em praças públicas. Depois de Jaguaquara, será a vez de Ipiaú e Gandu, na região Sul do Estado.