Vereadores se solidarizam com ambulantes retirados das ruas pela Prefeitura de Jaguaquara

/ Jaguaquara

Rodrigo e Júnior se solidarizam com ambulantes. Foto: Divulgação

A retirada de vendedores ambulantes das ruas centrais de Jaguaquara é um assunto que rende na cidade e permeou as discussões na sessão ordinária da Câmara Municipal na noite desta quarta-feira (15).

O vereador Rodrigo Dias (PSD) subiu à tribuna da Casa Legislativa para tratar do tema e, mesmo com a timidez que lhe é peculiar, endureceu o discurso contra o Executivo e lamentou o fato de a Secretaria Municipal de Infraestrutura ter determinado a retirada de tabuleiros de frutas e verduras das calçadas sem antes ouvir os ambulantes. ”Nós não podemos nos calar diante dessa situação. Tinha que haver um pronunciamento aqui, de todos os vereadores, ajudando os ambulantes nessa causa. Acho que a prefeita tem que interceder porque, nós precisamos escutar aqueles comerciantes que foram afetados drasticamente. A maioria ali, vive em vulnerabilidade social e busca ganhar o dinheiro. Fico triste com essas ações por parte do poder público, que na verdade não tem compromisso com os mais pobres, com as pessoas que realmente precisam”, disse Rodrigo.

Gastos com diárias da prefeita

O jovem parlamentar aproveitou para contestar os gastos da Prefeitura com diárias pagas a prefeita Edione Agostinone (PP) durante os oito meses e meio de gestão, R$ 26.500,00 / vinte e seis mil e quinhentos reais. O vereador Gilmar Fonseca (PCdoB) também usou à tribuna, em seguida, tendo afirmado que Rodrigo ”pegou pesado” nas palavras, discordando do colega, ressaltando que os ambulantes estariam atrapalhando os feirantes que reclamavam do comércio informal as vias públicas.

Contudo, o discurso de Rodrigo foi endossado por Júnior da Kombi (PSD) e Dermeval Gama (Republicanos). Júnior pediu para que Gilmar se colocasse no lugar dos ambulantes ao tratar do assunto.

Já o presidente da Câmara, Nildo Pirôpo (PP), saiu na defesa da chefe do Executivo. Para ele, ambas as classes, feirantes e ambulantes tem suas razões e ressaltou que a gestão é feita de decisões, enumerou obras que serão executadas no governo da prefeita aliada. ”Tem as pessoas que gostaram e as que não gostaram. Nós estamos realmente num período de desemprego, mas o gestor de uma cidade tem que tomar algumas decisões que vão desagradar um lado. Não justifica chegar um carro de frango para vender em Jaguaquara e a Vigilância Sanitária sequer saber a origem desses alimentos. Os ambulantes precisam trabalhar, mas de forma organizada”, justificou Pirôpo, que em um tom ameno disse ainda que Edione não estava agindo politicamente para beneficiar comerciantes, que segundo o vereador se posicionaram contrários ao projeto político da atual gestão nas eleições 2020 e assegurou que Agostinone busca a organização do comércio local, sem cunho político. ”Ela não está pensando na questão política”.

Prefeitura de Jaguaquara retira ambulantes das ruas e promete realocação; classe diz que não foi ouvida

/ Jaguaquara

Ambulantes são retirados das vias. Foto: Blog Marcos Frahm

Uma ação da Prefeitura de Jaguaquara pode ter passado despercebida pela maioria da população, mas não pelos vendedores ambulantes, que foram obrigados a parar de trabalhar em locais que eles atuavam.

A gestão pública municipal determinou a retirada de tabuleiros de frutas e verduras dos arredores do prédio do Mercado de Vísceras, na Praça Guilherme Silva. A determinação partiu do secretário municipal de Infraestrutura, Nelson Teixeira, que na última semana foi a Rádio Comunitária Jaguar FM e deu ultimato aos ambulantes, para que os mesmos desocupassem as calçadas por eles ocupadas, já na sexta-feira (09), mas os trabalhadores informais resistiram a determinação repentina e permaneceram até o sábado (10).

A partir desta semana, não é mais permitida à instalação do comércio ambulante. O secretário disse que o objetivo é trazer o conforto aos ambulantes. Segundo ele, a ação é resultado de um ciclo de reuniões de um grupo multidisciplinar, envolvendo fiscais da Prefeitura, Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, Assessoria Jurídica da Secretaria, Setor de Tributos e o Departamento de Trânsito. ”A prefeita está muito sensível a essa situação e nos pediu que preservássemos o direito do ambulante de vender. A gente não poderia apresentar medidas que viessem cercear o direito das pessoas. Essas pessoas hoje ocupam o Mercado de Vísceras, naquela região é praticamente impossível você transitar, em frente aos principais mercados da cidade você também não consegue mais transitar. Os próprios feirantes se sentem prejudicados por esse comércio paralelo. Visando a organização das vias públicas, deflagraremos um trabalho, um processo educativo. Nenhum ambulante ficará sem espaço para comercializar seu produtos”, justifica o secretário, que citou como exemplo a ação recente da Prefeitura de Jequié, que enfrentou uma grande polêmica com a realocação dos ambulantes. Ainda segundo o secretário, ambulantes da cidade vizinha estariam migrando para Jaguaquara após a mudança feita por lá. Na entrevista, Nelson Teixeira esteve detalhando a realocação dos ambulantes, que de acordo com o secretário passarão a ocupar um espaço nas proximidades da feira livre, num trecho próximo ao antigo prédio do Banco Bradesco.

Já os ambulantes temem que, com a mudança em meio à crise econômico-financeira, eles fiquem sem o sustento da família. ”A gente só recebeu a notícia através de fiscais e pela rádio. Não se preocuparam em ouvir a gente antes. Somos trabalhadores e nós ficávamos na área distante da feira porque lá nós não vamos ter condições de concorrer com os feirantes que tem suas barracas padronizadas. Na época do voto ninguém disse nada”, desabafou uma jovem filha de um ambulante ao Blog Marcos Frahm.

O Brasil vem passando por uma crise econômica e política nos últimos anos, como consequência disso o desemprego só cresce. São milhões de desempregados e desalentados (aqueles que desistiram de procurar emprego) segundo o IBGE. A alta de demissões no país por conta da crise em período de pandemia fez com que vários brasileiros passassem a trabalhar na informalidade. Os números só vem crescendo no país e Jaguaquara não ficou fora disso.

Jovem de 24 anos, morador de Jaguaquara, com doença rara, pede ajuda para custear tratamento

/ Jaguaquara

Wander Gabriel Melo Costa

O jovem Wander Gabriel Melo Costa, de 24 anos, morador de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, faz uma campanha na internet para conseguir apoio para o custeio de um tratamento paliativo. Ele enfrenta uma doença rara, a Esclerodermia, que é parte de uma família de doenças que afeta o tecido conectivo, sendo considerada uma enfermidade grave e que pode ser fatal.

”Essa doença começou em 2016, quando eu perdi o meu avô e tive um trauma emocional. Fui a uma médica dermatologista que me explicou que essa doença adormece no corpo da pessoa. Eu comecei a perder peso e os meus músculos estavam enrijecidos. Essa doença causa isso, em placas e em outras partes, mas graças a Deus a minha só é em placas. Eu fui a outro médico, em Vitória da Conquista e ele já me deu o diagnóstico por já conhecer a doença e me passou alguns remédios. Comecei a tomar sete remédios por dia e todo mês eu iria lá fazer tratamento de injeções no braço durante um ano e sete meses e decidi parar com os remédios porque eu não estava mais aceitando o medicamento. Sofri confusões, fui levado para o Hospital Santa Helena em Jequié, depois transferido para Salvador porque eu estava incluso no plano de saúde da minha avó. Meus rins foram afetados e fui submetido a tratamento de hemodiálise, fiquei em UTI e graças a Deus eles voltaram a funcionar. Voltei para Jaguaquara, passei a usar novos medicamentos que estavam me fazendo perder os movimentos, perder o fôlego e a minha família conseguiu manter contato um médico de São Paulo e por videoconferência ele passou medicamentos, mas peguei Covid e sofri novas alterações nos rins e tive que parar de tomar a medicação. Fui para uma nova consulta em Salvador, com uma reumatologista que me passou uma vitamina e prometeu investigar o caso para chegar ao medicamento ideal”, disse Wander em mensagem de áudio enviada ao Blog Marcos Frahm. 

A família confirmou a versão do jovem, tendo informado que ele tem buscado atendimento com médicos nefrologista, reumatologista e dermatologista, em Salvador, que não atendem pelo SUS. Informou também, a família do jovem, que eles buscam apoio para o transporte até a capital baiana, que é feito de carro particular em decorrência das dificuldades respiratórias e outras insuficiências provocadas pela doença. O apoio é para o custeio com as consultas, que custam R$ 900,00 e combustível para abastecer o veículo que transporta Wander.

A família recebe apoio via pix / 96524979591 em nome da mãe de Wander, Patrícia Melo, e o telefone para contato é o 73 – 98846-1308.

Vereador diz que perfil da Prefeitura de Jaguaquara apaga comentários com críticas ao Primeiro Estágio

/ Jaguaquara

Alex Moraes cobra transparência da Prefeitura. Foto: Rede social

O perfil da Prefeitura de Jaguaquara tem apagado comentários críticos a gestão municipal nos últimos dias, após desgaste com a contratação de 14 jovens para o que a administração classifica em uma publicação no Facebook de ”Primeiro Estágio”, mas sem publicação de edital de convocação para tal [entenda].

A informação de que a Assessoria de Comunicação excluiu comentários de pessoas que foram as redes sociais buscar esclarecimentos do governo é do vereador Alex Moraes, que apesar de integrar a base governista na Câmara se posicionou contrário ao suposto processo seletivo.

Alex subiu à tribuna livre em sessão da noite desta quarta-feira (1º) para se pronunciar sobre o assunto que rende polêmica na cidade, tendo o parlamentar informado que passou a ser procurado por jovens que buscam esclarecimentos relacionados aos critérios utilizados pela Prefeitura para o estágio de 14 pessoas que estariam atuando no Departamento de Tributos, que está realizando o Recadastramento Econômico e Imobiliário. ”Tenho como fundamento o mandato participativo, norteado pelos princípios básicos de representar os anseios da população. Desde segunda-feira tenho sido informado por parte da população sobre o projeto de estágio divulgado pela prefeitura. Pedi o espaço para buscar esclarecimentos e de fato entender o que estava sendo publicado e executado pelo município. Em contato com a secretaria de Governo a informação foi de que esses estudantes estavam lotados em algumas secretarias sem remuneração, outros já em situação de contrato e apenas foi feito esse processo de estágio. No dia de hoje fui surpreendido por uma nota da prefeitura, onde fez referência a um projeto de lei, sendo que o que norteou o processo foi uma lei regulamentada pela Câmara. Me preocupei, até para entender o processo. Me reuni com o procurador da Câmara e, pelo que examinamos o projeto, ele se baseou no seu gerenciamento, destinando as orientações como deveriam proceder os estágios. Aqui no município, sou representante da associação dos estudantes e as demandas acabam chegando, para representar os jovens, como sempre venho defendendo”, disse o parlamentar, que cobrou transparência nas próximas ações da gestão no tocante a geração do primeiro emprego aos jovens.

Alex enfatizou ainda o Art. 13 do Projeto de Lei Nº 987 de 04 de Outubro de 2018, aprovado pela Câmara à época, que dispõe sobre os critérios de seleção de estagiários e que estaca a necessidade de ampla divulgação da abertura de inscrições para processo seletivo, o que não ocorreu, conforme apurado no Diário Oficial. ”Ao analisar esse projeto, a gente entende que é uma somatória de fatores, mas não é. A prefeitura pode utilizar o primeiro parâmetro como processo de seleção, como o segundo parâmetro como processo de seleção. O que precisamos de fato é buscar uma correção. Nos tempos de hoje, a gente vem buscando acesso a políticas públicas de transparência e não dar para ficar a mercê do primeiro quesito”, desabafou, sugerindo a revisão da Lei Municipal.

Moraes, que repetiu em seu discurso a palavra ”transparência” aproveitou para dizer que solicitou da gestão o banco de dados do cadastro único para analisar os currículos dos jovens selecionados e alfinetou o setor de comunicação da Prefeitura, tendo revelado que os comentários dos internautas que questionaram a ação foram excluídos. ”Todo órgão público tem que ter o princípio da transparência legal. A transparência de uma rede social de entidade pública se dá pela possibilidade do povo se manifestar, seja com críticas, elogios ou reivindicações. Fui cobrado com vários prints de postagens que foram excluídas das redes da prefeitura e isso eu não posso concordar. Se de fato haver qualquer manifestação que esteja trazendo questão de ofensa, requer uma representação judicial e não excluir o comentário. Em tempos em que a democracia é essencial, eu trago meu repúdio as tentativas de bloquear ou excluir. Se estamos querendo combater a ditadura, temos que combater também todo o processo de exclusão”, bradou.

Contratação de estagiários pela Prefeitura de Jaguaquara sem edital gera grande polêmica

/ Jaguaquara

Prefeitura contratou 14 jovens para estágio. Foto: Rede social

A Prefeitura de Jaguaquara divulgou, nesta semana, o que a própria gestão classifica de ”projeto piloto de programas para o Primeiro Estágio”, informando em rede social que estaria garantindo a estudantes a oportunidade de desenvolverem habilidades e iniciarem experiências no setor público com abrangência no mercado de trabalho.

”Nessa primeira fase, estudantes de nível superior, matriculados em diversos cursos e instituições diferentes, estão participando do projeto de Atualização do Cadastro Imobiliário do município”, diz um trecho da publicação da Prefeitura em sua página pessoal, alegando que os jovens contratados estariam atuando no Departamento de Tributos, que ”está realizando o Recadastramento Econômico e Imobiliário na sede, distritos e zona rural deste município, com a finalidade de atualizar os dados dos estabelecimentos comerciais e de serviços, bem como das informações cadastrais dos imóveis”.

Contudo, não consta no Diário Oficial do Município publicação de edital de convocação referente ao processo seletivo e o assunto tem gerado polêmica na cidade. Isso por que o Município não divulgou em sua publicação na rede social informações sobre o suposto processo seletivo e causou uma sensação de que a gestão teria escolhido os candidatos para ocupar vagas de estágio na instituição pública e os internautas dispararam críticas contra o processo, questionando os critérios utilizados para a contratação de 14 jovens, que aparecem num vídeo na página oficial da Prefeitura de Jaguaquara.

A justificativa do governo é de que a contratação foi realizada com base em um Projeto de Lei de autoria do Executivo, aprovado na Câmara Municipal em 2018, que dispõe sobre os critérios de seleção de estagiários.

Entretanto, a Lei Municipal Nº 987 de 04 de Outubro de 2018, diz em seu Art. 13 que o gerenciamento de estágios, no âmbito da administração pública, fica a cargo do gabinete do prefeito e exige a divulgação da abertura de inscrições, critérios de seleção, bem como quantitativo de vagas, além de firmar termo de acordo com as instituições de ensino, termo de compromisso de estágio, após aprovação do chefe do Executivo, providenciar a emissão da bolsa estágio aos que a ele fazem jus e exercer o controle do número de vagas, critérios que não foram divulgados com antecedência e nem constam no Diário Oficial.

Setembro começa com chuva e tempo frio quase todo o Vale do Jiquiriçá; Jaguaquara registra chuva fina

/ Jaguaquara

Chuva cai nesta quarta em em Jaguaquara e região. Foto: BMFrahm

Na maioria das cidades do Vale do Jiquiriçá, a quarta-feira, (1º) de setembro, amanheceu chuvosa, com os termômetros marcando 19ºC em Jaguaquara, por exemplo, maior cidade do território de identidade. Nos demais municípios, a chuva cai, porém, sem intensidade.

Jaguaquara teve leve crescimento em número de habitantes de 2020 para 2021, chegando a 54.913

/ Jaguaquara

Município tem 54.913 habitantes diz IBGE. Foto: Blog Marcos Frahm

As novas estimativas de população do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, publicadas pelo IBGE, trouxeram indicativos de leve crescimento populacional no município de Jaguaquara, o maior do Vale do Jiquiriçá.

Em 2020, o número de habitantes era de 54.673, e agora, em 2021, de acordo com dados do IBGE, são 54.913 habitantes em todo o município.

Em Jaguaquara, Polícia Militar apreende carros, som automotivo, motocicletas e droga durante festa

/ Jaguaquara

Uma ação da Polícia Militar de Jaguaquara realizada na noite deste sábado (28) resultou na apreensão de carros, motos, som automotivo e drogas no bairro Nova Jaguaquara.

De acordo com informações da PM, os policiais foram ao local averiguar denúncia e constatou a veracidade da informação.

Ainda segundo a PM, no local, homens e mulheres participavam de um evento e todos passaram por abordagem pessoal, quando foi dada voz de prisão a um suspeito, que foi conduzido para a delegacia juntamente com os material apreendido.

Leia abaixo a nota distribuída pela PM 

Após denúncias anônimas que indicavam a realização de uma festa, popularmente conhecida como FESTA DO PÓ, no bairro Nova Jaguaquara, o efetivo de serviço se dirigiu até o local indicado, a fim de averiguar a denúncia e constatou a veracidade das informações, confirmando que realmente acontecia um evento; foi realizado o cerco perimetral e controle do fluxo de pessoas nas proximidades do local abordado, onde, a partir daí foi feita a tomada da parte interna, que nesse momento possuía muitas pessoas, entre homens e mulheres; foi dada voz de abordagem e todos o público passou por revista pessoal, momento em que foi localizado, com um dos participantes do evento, todo material ilícito apreendido. Foi dada voz de prisão ao detentor do entorpecente e ele, assim como todo material ilícito foram conduzidos para apresentação à Autoridade Policial. Vale salientar que os sons automotivos utilizados no local foram apreendidos e também foram conduzidos, juntamente com os seus proprietários para a Delegacia Territorial.

Material Apreendido:
▪️65 porções de substância análoga à cocaína;
▪️02 cigarros de substância análoga à maconha;
▪️01 iPhone;
▪️R$ 397,00, em espécie;
▪️05 carros;
▪️04 motocicletas; e
▪️02 sons automotivos.

Hospital de Jaguaquara passa a exigir comprovação de vacinação contra Covid a visitantes na unidade

/ Jaguaquara

HMJ exige cartão de vacinação a visitante. Foto: Blog Marcos Frahm

A Prefeitura de Jaguaquara informou, através de um card – arte gráfica publicado nas redes sociais que as visitas ao Hospital Municipal a partir de agora só serão permitidas com o visitante apresentando a comprovação da vacinação contra Covid-19.

No Facebook, a gestão pública municipal esclareceu que estaria primando pelo cuidado com seus pacientes e que a restrição é para o bem-estar.

Depois de um ano e cinco meses de pandemia, o boletim epidemiológico divulgado na noite desta sexta-feira (27) pela Prefeitura informa que o Município zerou os casos ativos do Coronavírus.

Desde o início da pandemia, foram registrados 5.693 casos e 69 mortes, conforme dados da gestão A vacinação avança e foi ampliada para jovens a partir de 18 anos.

Vereador Rodrigo solicita novo concurso para a Guarda Municipal de Jaguaquara; ”Há décadas sem concurso”

/ Jaguaquara

Rodrigo teve Requerimento Nº 084/2021 aprovado. Foto: Divulgação

Disposto a lutar pela qualificação da Guarda Municipal de Jaguaquara, o vereador Rodrigo Dias (PSD) propôs na Tribuna da Casa que a Prefeitura realize um novo concurso público para a Guarda, visando aumentar o quantitativo de agentes.

Rodrigo, que teve Requerimento Nº 084/2021 aprovado por unanimidade na sessão desta quarta-feira (25) enfatiza a necessidade do concurso, o que segundo o jovem parlamentar não ocorre há mais de duas décadas: ”Há mais de duas décadas não se tem um concurso público. Solicitamos do Executivo Municipal, que realize um concurso para que possa oferecer ao funcionário público estabilidade, segurança para exercer sua função, cursos de formação, projeção salarial, benefícios garantidos em Lei dando-lhe tranquilidade”, justifica. O Requerimento é assinado conjuntamente por Rodrigo e pelo vereador Dermeval Gama (Republicanos).

Rede de distribuição da Embasa estoura e provoca desperdício de água no Centro de Jaguaquara

/ Jaguaquara

Cano estourou na Rua D. Pedro II. Foto: Blog Marcos Frahm

Uma rede de distribuição de água potável utilizada pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento – Embasa estourou na manhã desta quarta-feira (25), na Rua D. Pedro II, centro de Jaguaquara e provocou o desperdício de água na região central da cidade.

Até o início desta tarde, a água jorrava no local e homens da Embasa tentavam solucionar o problema, que chama a atenção de transeuntes.

Prefeita de Jaguaquara garante que vai concluir creches, promessa não cumprida por antecessores

/ Jaguaquara

Obras foram iniciadas, mas não concluídas. Foto: Blog Marcos Frahm

Em Jaguaquara, um projeto que desafia as administrações municipais ao longo da história, deve, finalmente, sair do papel. A prefeita Edione Agostinone (PP) disse, em entrevista à rádio comunitária Jaguar FM, nesta terça-feira (24), ter conseguido, em Brasília, onde esteve na semana anterior, a prorrogação do prazo para a conclusão de duas creches, cujas obras iniciadas com recursos do FNDE estão inacabadas e abandonadas desde 2012, época em que Ademir Moreira era o prefeito da cidade. ”Nós vamos concluir essas creches”, assegurou a prefeita ao se referir as construções, sendo uma na sede, no Loteamento Jatobá, bairro Casca e outra no Distrito Stela de Dubois, Entroncamento.

Curiosamente, o Município que ostentou por anos o título de ‘Cidade Escola’, é uma das poucas cidades da Bahia que não dispõe de uma creche sequer, o que provoca um forte impacto na sociedade, tendo em vista a importância da creche para o desenvolvimento da criança, até porque ela marca o início da educação infantil.

Além disso, a creche tem grande valor social, pois permite que muitas mães possam trabalhar enquanto seus filhos permanecem no estabelecimento de ensino.

A gestora teria afirmado que busca autorização do Governo Federal para a conclusão através da interferência do deputado federal Cacá Leão (PP), com quem se encontrou em Brasília.

A gestão municipal teria que entrar com recursos da Prefeitura. Caso as obras sejam concluídas, conforme garante a prefeita, Edione estará pondo fim a um verdadeiro imbróglio, ou seja, cumprirá uma promessa que serviu de palanque eleitoral para o antecessor e padrinho político, o ex-prefeito Giuliano Martinelli, que afirmava em suas declarações que findaria o mandato concluindo as creches, o que não aconteceu.

Edione também comemorou o pacote de obras que serão executadas em Jaguaquara pelo Governo do Estado, citando a nova delegacia de Polícia, Complexo Poliesportivo e três praças. *por Marcos Frahm

Polícia registra tentativa de homicídio em Jaguaquara e vítima é socorrida ao Hospital Prado Valadares

/ Jaguaquara

PM diz que crime ocorreu no São Jorge. Foto: Blog Marcos Frahm

Um rapaz foi atingido por disparos de arma de fogo na cidade de Jaguaquara, na noite deste domingo (22), no bairro São Jorge. As informações são da Polícia Militar, que diz ter sido informado sobre o ocorrido, por volta das 20h30.

A vítima teria sido surpreendida por dois indivíduos que se aproximaram deflagrando tiros. O rapaz foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e encaminhado ao Hospital Municipal de Jaguaquara, de onde foi transferida ao HGPV, em Jequié.

A PM informou ainda que diligências estão sendo realizadas para a identificação da autoria e captura dos suspeitos. Não há informações sobre motivação do crime.

Câmara de Jaguaquara homenageia Comandante da PM, Capitão Hianderson, com Moção de Plausos

/ Jaguaquara

Hianderson recebe homenagem do Legislativo. Foto: BMFrahm

A Câmara Municipal de Jaguaquara, em sessão desta quarta-feira (18), fez inserir na Ata dos seus trabalhos uma Moção de Aplausos ao oficial militar do 19º Batalhão da Polícia Militar de Jequié: Capitão/PM Hianderson Cleiton de Brito Ribeiro, Comandante da 3ª Cia, responsável pelo policiamento nos municípios de Jaguaquara, Itaquara, Cravolândia, Santa Inês, Brejões, Nova Itarana e Irajuba, pelos relevantes serviços prestados à segurança pública da região e pelo alto grau de profissionalismo no exercício da função.

A Moção de Aplausos foi apresentada pelo presidente da Casa, Nildo Pirôpo e teve aprovação dos demais parlamentares. O homenageado chegou a Câmara na companhia do Comandante do 19º, o Major Reinaldo Souza dos Santos e de militares da 3ª Cia.

Formado em Administração pela Universidade do Salvador (INIFACS), Hianderson ingressou na PM/BA em 2007, concluindo o Curso de Formação de Oficiais no ano de 2010, tendo atuado até 2011 na 78ª CIPM de Vitória da Conquista, onde comandou o Pelotão de Emprego Tático Operacional, sendo transferido para Salvador, para servir a CIPT-A (Rondesp Atlântico). Em 2017, foi designado para o 19º BPM, assumindo a função de Subcomandante da 3ª em Jaguaquara, permanecendo até 2018, quando foi nomeado Comandante da unidade, estando no cargo até os dias atuais.

Homenageado pelo Poder Legislativo, Hianderson recebeu efusivos elogios dos vereadores e, ao discursar na tribuna livre, agradeceu aos parlamentares, saudou o Major Reinaldo e os policiais que prestigiavam a sessão e disse que cada gota de suor derramada diariamente é para garantir a paz e a tranquilidade da sociedade ao se referir às recentes operações de combate a criminalidade em Jaguaquara. ”Quando adentrei na Companhia, eu pedir a Deus que me desse sabedoria e que guiasse os meus caminhos para que eu conduzisse a instituição da melhor forma. Dei, e dou cada gota do meu suor para tentar trazer paz à sociedade, juntamente com os meus guerreiros”, destacou em seu discurso.

O Major Reinaldo enalteceu o que ele considera de conduta ilibada de Hianderson, tanto na vida pessoal quanto profissional e afirmou que um Comandante não é ninguém sem a sua tropa. A sessão contou com a presença de integrantes da Guarda Municipal, da secretaria municipal de Governo, Daniele Batista e do chefe de gabinete da Prefeitura de Jaguaquara, Romildo Fagundes.