Após polêmica com fotos, apresentador da Record pede demissão: ”humilhado demais”

/ Imprensa

Imagens de Gilberto Ribeiro na praia repercutiram. Foto: Reprodução

O apresentador e deputado estadual paranaense Gilberto Ribeiro, que comanda o programa Balanço Geral local, decidiu pedir demissão da RIC TV, afiliada da Record TV, menos de um mês depois de ser demitido e recontratado pela emissora.

A ”demissão” anterior teria sido motivada pela repercussão de fotos dele, de sunga, na praia. Internautas chamaram a atenção para os atributos avantajados do apresentador, que acabaram viralizando nas redes sociais. A demissão, no entanto, também causou comoção nas redes sociais, e a mobilização dos internautas acabou fazendo com que o canal recuasse e desistisse de mandar o apresentador embora.

Acontece que a direção da TV decidiu tirá-lo da apresentação do programa, no horário do almoço, e passaria a comandar o programa pela manhã.  A decisão desagradou Ribeiro, que anunciou, a seguidores no Instagram, que decidiu deixar a emissora.  ”A diretora disse que meu tempo passou na TV (velho). Isso foi definitivo para não fazer BG de manhã. Já fui humilhado demais nessa vida”, explicou Ribeiro, pontuando ainda que as imagens de sunga não haviam sido o motivo da demissão posteriormente abortada.

Ele também anunciou quando deve deixar de apresentar a atração. ”Gilberto Ribeiro, apresenta o Balanço Geral até dia 17 de maio. Obrigado de coração pela sua companhia na hora do almoço desde outubro de 2007. Vida que segue… @deputadogilbertoribeiro Boa noite”, postou.

Jornalista Anna Valéria desabafa após demissão da Rede Bahia: ”Estamos encerrando um ciclo”

/ Imprensa

Anna Valéria foi demitida da Rede Bahia. Foto: Reprodução

Anna Valéria usou as redes sociais para desabafar após ter sido demitida da Rede Bahia. Após 31 anos de casa, a jornalista foi uma das funcionárias que caíram no grande corte feito pela afiliada da Globo na Bahia.

No depoimento compartilhado no Instagram nesta sexta-feira (3), a jornalista contou que recebeu carinho de diversas pessoas através de telefonemas e mensagens. ”Tá chovendo carinho, telefonemas e mensagens de apoio. Um super obrigada de coração! Sim, foram 31 anos de paixão de transmissão! Três décadas de comprometimento e lealdade com o jornalismo. Mas, como um casamento que acaba, eu e a TV Bahia estamos encerrando um ciclo”, escreveu.

Além da jornalista, outros três grandes nomes da emissora foram dispensados na última quinta-feira (2), Telma Verçosa, Mara Viana e a produtora Márcia Freire. Quem também deixou a emissora foi o jornalista Ramon Ferraz, que tinha 4 anos de casa.

Rede Bahia promove série de ”demissões” na emissora nesta manhã de quinta-feira

/ Imprensa

A Rede Bahia, tradicional empresa de comunicações do estado, anunciou uma série de demissões na manhã desta quinta-feira (02). Segundo informações, a lista de desligamento pode ter chegado a 100 nomes. Entre eles estão Telma Verçosa, Márcia Freire e Mara Viana, tradicionais funcionárias da empresa. O motivo das demissões ainda não é conhecido, mas especula-se que a baixa audiência é uma das causas.

Raimundo Varela sai em defesa de Bolsonaro após entrevista de Lula: ”É melhor um louco que ladrão”

/ Imprensa

Varela classifica Lula como bandido. Foto: Reprodução/Record

O apresentador Raimundo Varela resolveu dar sua opinião sobre a a entrevista que o ex-presidente Lula deu da cadeia na última semana no ”Balanço Geral”, da TV Itapoan, desta segunda-feira (29). No papo, o político disse que o ”Brasil está sendo governado por um bando de maluco”. ”Minha avó já dizia que de louco ninguém tem nada. Só se comer dejetos ou rasgar dinheiro. Cento e cinquenta psiquiatras americanos disseram que [Donald] Trump é maluco. Queria ter um maluco desse aqui”, iniciou o comunicador.

”O Ricardo Lewandowski autorizou ele dar entrevista. Já viu bandido dar entrevista? Fernandinho Beira Mar dá entrevista? O Lula, para mim, é igualzinho. Ele matou milhões de crianças nos hospitais, com o dinheiro roubado por ele e o governo dele. Seu Lula, quero o ‘maluco’ do Bolsonaro, mas não quero o desonesto igual a você. Ainda tem gente curtindo a entrevista de Lula. Ele disse que o Brasil está sendo governado por louco. É melhor um louco que ladrão”, atacou. Com informações do Bahia Notícias

Grupo Globo nega fim das rádios CBN e Globo e chama de ”boatos totalmente infundados”

/ Imprensa

A direção-geral do Sistema Globo de Rádio negou, por meio de nota, que o grupo irá acabar com as marcas das rádios CBN e Globo, como noticiou o colunista Ricardo Feltrin, do Uol; Em nota, o grupo informou que os boatos que circulam na internet são ”totalmente infundados”. Em nota lida na rádio CBN, a informação publicada, pela coluna, foi chamada de ”mentirosa” e ”pura invenção”. ”A CBN é um sucesso estabelecido e a rede de rádios de notícias que mais cresce no Brasil, não havendo nenhuma possibilidade de sua descontinuidade”, diz.

Bandidos invadem emissora rádio durante entrevista ao vivo e praticam assalto; assista

/ Imprensa

A rádio online SOT, em São Paulo, foi assaltada na noite desta terça-feira (2) enquanto um programa era transmitido ao vivo pelas redes sociais. Segundo o G1, a polícia informou que pelo menos cinco ladrões participaram da ação, que ocorreu no estúdio da rádio, no Jardim Paulista, Zona Oeste de São Paulo. Um dos assaltantes estava armado.

Ainda segundo o G1, o grupo recolheu celulares, relógios, colares e correntes de apresentadores e convidados. Entre as vítimas, estava o cantor Pinha Presidente, ex-integrante do grupo de pagode Exaltasamba. Além de Pinha, estavam no estúdio: os apresentadores Jocimar Martins, mestre-sala da Mocidade Alegre, e Ronaldo Brás; Grazzi Brasil, intérprete da Vai-Vai, e Tassiane Martins, Miss São Paulo Plus Size.

Morre o radialista Rafael Henzel, sobrevivente da tragédia com avião da Chapecoense

/ Imprensa

Rafael Henzel morreu após passar mal. Foto: Reprodução

Morreu na noite desta terça-feira (26), aos 45 anos, vítima de um infarto, o radialista e jornalista Rafael Henzel. O profissional era um dos sobreviventes do acidente aéreo que vitimou profissionais de imprensa e boa parte do elenco da Chapecoense, em novembro de 2016. A notícia foi confirmada pela Rádio Oeste Capital de Chapecó, onde Henzel trabalhava. Henzel estava reunido com amigos para um jogo de futebol quando passou mal. Ele foi levado ao Hospital Regional do Oeste ainda com vida, mas não resistiu ao mal súbito.

A confirmação da morte do narrador foi dada pelo jornalista Marcinho San, pela Rádio Oeste:  ”Nosso colega Rafael Henzel veio a falecer na noite desta terça-feira. Ele jogava futebol com amigos e sofreu um infarto fulminante. Foi conduzido ao Hospital Regional de Chapecó, onde foi confirmado o falecimento do colega jornalista, narrador, Rafael Henzel”,  disse San.

Conhecido nacionalmente após o acidente com o avião da Chape na Colômbia, Henzel voltou a trabalhar normalmente com jornalismo após se recuperar dos ferimentos. Ele foi um dos quatro sobreviventes brasileiros da queda do avião da LaMia, junto dos jogadores Alan Ruschel, Neto e Follmann – dois tripulantes bolivianos também ficaram vivos. Foram 20 dias no hospital, 10 deles na UTI, até receber alta. Ele teve sete costelas fraturadas, pneumonia e também uma lesão no pé direito. O narrador chegou a participar da transmissão da Rede Globo no amistoso entre a Seleção Brasileira e a Colômbia, no Rio de Janeiro, em homenagem às vítimas da tragédia. Ele esteve ao lado de Galvão Bueno e narrou parte do jogo no Engenhão.

Ordem dos Advogados do Brasil e Abraji repudiam atos de Bolsonaro contra a imprensa e jornalistas

/ Imprensa

Jair Bolsonaro ataca à imprensa. Foto: Marcos Corrêa

Diante de um novo ataque à imprensa feito pelo presidente Jair Bolsonaro, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) emitiram uma nota conjunta contra a tentativa de intimidar a imprensa e jornalistas. ”Isso mostra não apenas descompromisso com a veracidade dos fatos, o que em si já seria grave, mas também o uso de sua posição de poder para tentar intimidar veículos de mídia e jornalistas, uma atitude incompatível com seu discurso de defesa da liberdade de expressão”, diz as instituições. Para a OAB e a Abraji, ”quando um governante mobiliza parte significativa da população para agredir jornalistas e veículos, abala um dos pilares da democracia, a existência de uma imprensa livre e crítica”. Os ataques aconteceram diante da publicação de uma reportagem do jornal Estadão, feita pela repórter Constança Rezende, dizendo que a imprensa mente quando se refere as movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro. ”Como é comum nesse tipo de ataque, a família de Constança também virou alvo. O grave nesse episódio é que o próprio presidente instigou esse comportamento, ao citar como indício de suposta conspiração que Constança é filha de um jornalista de O Globo”, lembra o comunicado. As duas instituições repudiam qualquer tentativa de intimidação de jornalistas e declarou apoio aos profissionais atacados por fazer seu trabalho.

Ex-TV Sudoeste, jornalista jaguaquarense Renata Menezes pede desligamento da TV Bahia

/ Imprensa

A jaguaquarense Renata pediu demissão da emissora. Foto: TV Bahia

Após quase dois anos no comando do programa ”Conexão Bahia”, da TV Bahia, a jornalista Renata Menezes pediu desligamento da empresa, nesta semana. A informação foi dada pelo perfil no Twitter Olhar na Tela. Segundo o site Bahia Notícias, que entrou em contato com Lilia Gramacho, gerente de conteúdo e entretenimento da afiliada,  a informação foi confirmada e Lilia disse que Renata saiu ”para tocar projetos pessoais”.  Inicialmente, Camila Marinho foi apontada como a substituta de Renata, fato negado por Gramacho. Ainda em contato com o site, Gramacho disse que estão ”trabalhando com algumas ideias e possibilidades, mas não será substituída por Camila”.  O “Conexão Bahia” estreou em 16 de setembro de 2017. Natural de Jaguaquara, Renata passou pela TV Sudoeste, onde integrou a equipe de jornalismo atuando como repórter e na TV Bahia comandava a atração ao lado do ator e dramaturgo Aldri Anunciação. Antes disso, ela integrou por anos o ”Mosaico Baiano”.

Maju Coutinho estreia na bancada do JN e se torna primeira mulher negra a apresentar o telejornal

/ Imprensa

Maju Coutinho e Rodrigo Bocardi na bancada do JN. Foto: Reprodução

A jornalista Maria Júlia Coutinho, 40 anos, fez sua estreia na bancada do Jornal Nacional na noite deste sábado (16) e se tornou a primeira mulher negra a apresentar o programa da Globo. Ao lado de Rodrigo Bocardi, ela comandou a edição histórica do telejornal e se divertiu na hora da previsão do tempo. ”Agora eu vou passar por uma situação superinusitada”, brincou quando foi chamar Tiago Scheuer para falar sobre as temperaturas deste domingo (17). “Tem mais chuva prevista?”, Maju, que é quem normalmente faz a previsão no telejornal, perguntou. Scheuer aproveitou a ocasião para desejar sorte à colega. ”Bem-vinda, boa sorte e ainda mais sucesso para você”, disse. Em quase 50 anos de história do Jornal Nacional, Heraldo Pereira foi o único negro na bancada do programa. A estreia foi em 2001, mas sua presença tem sido cada vez menor desde que virou apresentador na GloboNews.​ Entre as mulheres, jornalistas negras como Glória Maria e Zileide Silva já fizeram parte do Fantástico e do Jornal Hoje, respectivamente, mas nenhuma chegou a assumir a mesa do Jornal Nacional. Em entrevista ao F5, Maju disse que sua estreia no programa seria simbólica e representativa. ”Fico honrada e feliz por fazer parte de uma bancada com tan ta credibilidade como a do JN”, completou. Conhecida do público por falar sobre a previsão do tempo na segunda edição do SPTV e, desde 2015, no próprio Jornal Nacional, Maju agora entra para o time de profissionais que se revezam na atração aos sábados e feriados, quando William Bonner e Renata Vasconcellos estão de folga.

​Rodrigo Bocardi, Dony de Nuccio, César Tralli, Sandra Annenberg, Ana Luiza Guimarães, Flávio Fachel, Monalisa  Perrone e Ana ​Paula Araújo completam a escala. ​Antes de entrar no ar, Maju foi tietada por colegas de trabalho, que celebraram sua estreia com publicações nas redes sociais. O casal de repórteres Pedro Figueiredo e Erick Rianelli postou fotos ao lado da jornalista e não poupou elogios a ela. ”O JN de hoje é imperdível. A apresentadora é essa colega talentosa, linda e muito carismática. Orgulho de trabalhar no mesmo lugar”, escreveu o último. A também repórter Ana Paula Santos disse que estava alegre e desejou boa sorte à amiga. ”Arrebenta, Maju! O boa noite desta vez será representativo.” Já o companheiro de bancada de Maju, Bocardi, publicou uma foto da dupla sentada nas escadarias do estúdio. “Feliz em estar contigo nesse degrau”, disse. No começo da semana, o próprio William Bonner deu boas-vindas à jornalista. ”Enfim, uma notícia para alegrar todo mundo. História de talento, de dedicação, de conquista. História. A equipe e a bancada do JN dão as boas-vindas”, escreveu. ​

Morte de do jornalista Ricardo Boechat foi provocada por politraumatismo, aponta laudo

/ Imprensa

Ricardo Boechat deixou a esposa e seis filhos. Foto: Reprodução

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo aponta que o jornalista Ricardo Boechat morreu em decorrência de um politraumatismo, provocado pela queda do helicóptero somada à colisão com um caminhão. O acidente, que matou o âncora do Jornal da Band e o piloto Ronaldo Quattrucci, ocorreu na tarde de segunda-feira (11). De acordo com os documento, obtido pela GloboNews nesta sexta (15), os peritos não encontraram sinais de fuligem na traqueia nem nos pulmões de Boechat. Já a dosagem de monóxido de carbono detectou uma concentração abaixo de 10% de carboxihemoglobina no sangue, o que indica que a vítima já havia morrido antes de ser exposta ao gás. Na momento do acidente, Boechat voltava para a capital paulista após participar de uma palestra. Morto aos 66 anos, o jornalista venceu o Prêmio Esso, um dos maiores do jornalismo brasileiro, por três vezes. Ele deixou a esposa e seis filhos

Viúva de Ricardo Boechat, Veruska Seibel encontra aliança do jornalista: ”Melhor presente”

/ Imprensa

A notícia foi compartilhada por Veruska. Foto: Reprodução/Veja

Veruska Seibel encontrou um pouco de conforto em meio a perda do marido, o jornalista Ricardo Boeachat, morto na última segunda-feira (11) após um acidente de helicóptero. Em suas redes sociais a também jornalista compartilhou com seus seguidores ter achado a aliança do esposo. ”E no meio de tanta dor, recebi o melhor presente que eu poderia receber, já sem esperanças de conseguir. Meu coração é só amor. Te amo pra sempre, Boechat”, escreveu.

No Instagram, Esposa de Ricardo Boechat lamenta morte do jornalista: ”Pior dia da minha vida”

/ Imprensa

Veruska e Boechat eram casados desde 2005. Foto: Reprodução

A esposa do jornalista Ricardo Boechat, Veruska Seibel Boechat, usou as redes sociais para lamentar a trágica morte do marido nesta segunda-feira (11) após a queda de um helicóptero em São Paulo. Com uma mensagem simples e uma foto em preto e branco abraçada ao companheiro, a também jornalista escreveu: ”Pior dia da minha vida”.