Jequié Esporte Clube conquista o título de Campeã do 1º Zonal do Sudoeste, em Planalto

/ Esporte

Presidente Tinho dialoga com atletas do Jequié. Foto: Divulgação

Com vitórias diante das equipes de Bom jesus da Serra (7×1), Planalto (7×2) e Poções (7×1), a equipe do Jequié Esporte Clube conquistou o título de Campeã do 1º Zonal do Sudoeste, disputado no último final de semana na cidade de  Planalto. A segunda colocação foi conquistada por Poções  que também obteve classificação para a próxima fase. Jequié também participou com a equipe Sub-17, que venceu as equipes de Boa Nova (4×0) e Planalto (2×1), perdendo a semifinal por 4 a 3 para Poções. Jequié e Poções aguardam os demais classificados  nos demais zonais para a disputa da fase final.

Federação Bahiana de Futebol divulga súmula e oficializa triunfo do Bahia por 3×0 no Ba-Vi

/ Esporte

Expulsão do zagueiro Bruno acabou o Ba-Vi. Alisson Marinho

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) anunciou o placar do Ba-Vi com triunfo do Bahia por 3×0 sobre o Vitória no clássico realizado no domingo (18), no Barradão. A decisão é amparada no artigo 56 do Regulamento Geral de Competições da CBF, que diz em seu inciso 4º: ”O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3×0) para a equipe adversária”. O que diz o inciso 3º é que “após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa”. Foi exatamente o que aconteceu no Ba-Vi, quando o Vitória teve seu quinto jogador expulso, o zagueiro Bruno, aos 35 minutos do segundo tempo, em um duelo marcado pela violência: ao todo, foram nove expulsões. Com isso, o Bahia sobe para 2º lugar no Campeonato Baiano, com 11 pontos, e o Vitória fica em 3º, com 10 e uma partida a menos. A Juazeirense lidera, com 16 pontos, e o Fluminense de Feira fecha o G4, também com 10 e uma partida a menos. Junto com o resultado do jogo, a FBF publicou também a súmula da partida, na qual o árbitro Jailson Macêdo Freitas relata os acontecimentos ocorridos no campo. São duas páginas de relatório – ao contrário das poucas linhas habituais – nas quais Jailson narra tanto a expulsão do zagueiro Bruno, que causou o encerramento precoce da partida, quanto a briga generalizada que houve após o gol de empate do Bahia em 1×1. Sobre o lance que deu fim ao clássico, Jailson Freitas afirma: ”Expulsei aos 35 minutos do segundo tempo o Sr. Bruno Bispo dos Anjos, nº 37, do E.C. Vitória, em virtude do segundo cartão amarelo, por retardar o reinício de jogo de forma acintosa e ainda chutando a bola do local da cobrança (…) A partida foi encerrada aos 35 minutos do segundo tempo de jogo, devido à equipe do E.C. Vitória ter ficado reduzida com menos de sete (07) atletas no campo de jogo”. Já sobre a briga, o árbitro escreve: ”Após o gol de empate do Bahia, o Sr. Vinícius Góes Barbosa de Souza, nº 29, saiu para comemorar em frente à torcida do Vitória, provocando a mesma com gestos obscenos. Em seguida o goleiro do Esporte Clube Vitória, o Sr. Fernando Miguel Kaufmann, nº 01, foi até o mesmo tirar satisfação e o segurou pela camisa. Nesse momento vários jogadores do Esporte Clube Vitória e do Esporte Clube Bahia foram também em direção ao jogador Vinícius do Bahia dando início a um conflito generalizado incluindo jogadores do banco de reservas de ambas as equipes”. O juiz da partida justifica a expulsão de Vinícius por ”comemorar o gol da sua equipe em frente à equipe adversária fazendo gestos obscenos provocando a mesma”. O padrão seguido pelos árbitros recomenda o cartão amarelo nesse tipo de situação. As informações são do Correio

Não sei se campeonato baiano continua, diz presidente do Bahia após Ba-Vi polêmico

/ Bahia, Esporte

Presidente do Bahia fala sobre o Ba-Vi. Foto: Reprodução

O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, disse não saber se o campeonato baiano continua após a confusão e o fim polêmico do Ba-Vi do último domingo (18), no Barradão, pela sexta rodada do estadual. “Qual a postura que a FBF vai ter com o time que abandona o campo? E as agressões? Preciso ter uma segurança de que vale a pena ter o Campeonato. Temos que ver o que queremos com o futebol baiano”, declarou, em entrevista à ESPN Brasil. Bellintani também questionou o que pode ser feito com o Vitória e com Kanu, que acertou dois socos no meia Vinícius após o gol que fechou o placar em 1 a 1. “O que acontece com esse time e as agressões? Sem querer colocar a culpa em Kanu, que deu dois murros, o que aconteceria se fosse na Copa do Mundo? Estou em fase de reflexão”, apontou. Com informações do site Bahia.ba.

Juazeirense vence o Jequié de virada e se isola na liderança do Campeonato Baiano 2018

/ Esporte

Jequié abriu o placar e permitiu a virada. Foto: Divulgação/Juazeirense

A Juazeirense segue na liderança isolada do Campeonato Baiano. O Cancão de Fogo, como é conhecido, venceu o Jequié por 2 a 1, neste domingo (18), no Estádio Adauto Moraes, em jogo válido pela 6ª rodada do estadual. Com os três pontos, a equipe chegou aos 16 e se isolou na liderança. O Jequié segue na quarta colocação com dez pontos ganhos. Antes da bola rolar, teve homenagens no campo e nas arquibancadas para Danilinho, meia da Juazeirense que morreu na última semana durante um treino da equipe. Ao fim da partida, jogadores emocionados e torcida em êxtase cantaram: ”Time de guerreiro”.

Federação Bahiana de Futebol diz que seguirá regulamento para decidir placar do Ba-Vi

/ Esporte

Jailson expulsa Bruno e acaba o Ba-Vi. Foto: Arisson Marinho

O primeiro clássico Ba-Vi do ano, que foi marcado por brigas e teve que ser encerrado por falta de atletas do Vitória em campo, segue sem placar. De acordo com o presidente da Federação Bahiana de Futebol (FBF), Ednaldo Rodrigues, o assunto deve ser resolvido ainda nesta segunda-feira (19). Em contato inicial com o CORREIO, o dirigente afirmou que as questões serão encaminhadas ao Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia (TJD-BA). “A Federação Bahiana vai se manifestar assim que receber a súmula do jogo, para ver os fatos narrados. Agora é com o tribunal. Assim que essa súmula chegar, encaminharemos imediatamente ao TJD. O documento será encaminhado para a procuradoria, a quem cabe fazer as possíveis denúncias. Uma das três comissões será sorteada e colocará em julgamento as demandas”, disse Ednaldo.

Técnico do Vitória, Wagner Mancini pede expulsão no Ba-Vi, diz especialista em leitura labial

/ Esporte

Vagner Mancini pediu expulsão no Ba-Vi. Foto: Globoesporte

De acordo com o programa Globo Esporte, o técnico Vagner Mancini, do Vitória, realmente solicitou ao zagueiro Bruno que tomasse o segundo cartão amarelo e fosse expulso para que o Ba-Vi fosse encerrado mais cedo, como aconteceu aos 34 minutos do segundo tempo, domingo (18), no Barradão. O programa da TV Bahia convidou o especialista em leitura labial Ronaldo Freitas, da Associação de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos do Estado da Bahia, e ele afirmou que a frase dita pelo treinador rubro-negro ao zagueiro Ramon é a seguinte: “Pede ao Bruno, pode tomar o segundo amarelo”. Segundo o profissional, a imagem é clara e não há dúvida do que foi dito. De acordo com o inciso 1º do artigo 55 do Regulamento de Competições Geral da CBF, “os atletas, técnicos, membros de comissão técnica, dirigentes e membros da equipe de arbitragem e todos aqueles que tentem influenciar no resultado das partidas serão sancionados com suspensão por partida ou proibição de exercer qualquer atividade relacionada ao futebol”. O inciso 2º acrescenta ainda que, “em caso do jogador ou dirigente influenciar efetivamente no resultado de uma partida será imposta multa ao seu clube, e, havendo gravidade, poderá o clube do jogador ou dirigente infrator ser sancionado com exclusão da competição, descenso, para categoria inferior, subtração de pontos e devolução de prêmios”. Procurada pelo Correio após a divulgação do vídeo, a assessoria de comunicação do Vitória informou que Mancini não vai comentar o assunto no momento. O técnico falou logo após o clássico, ainda no domingo, negou que tenha partido dele essa orientação. Segundo Mancini, a decisão foi unicamente do zagueiro Bruno, que disputava seu primeiro Ba-Vi como profissional. “Quem tem prova disso [que o cartão foi forçado]? É uma acusação muito grave em cima de pessoas do bem, de caráter, profissionais que estão aqui. Quem tiver a prova, que apresente”, disse o treinador na entrevista coletiva. O caso será encaminhado para julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia (TJD-BA).

Patético: Vitória provoca expulsão e acaba o Ba-Vi antes da hora; jogo terminou empatado

/ Esporte

Vitória forçou expulsão e terminou o jogo. Foto: Maurícia da Matta

O que seria o Ba-Vi da paz terminou como o Ba-Vi da vergonha neste domingo (18), no Barradão. Com 1×1 no placar e após 16 minutos de paralisação por causa de brigas, o jogo terminou aos 34 minutos do segundo tempo porque o Vitória não teve jogadores suficientes. A regra diz que a partida não pode continuar se um time tiver menos de sete jogadores em campo. Foi o que aconteceu, e de maneira proposital. O Vitória tinha sete jogadores em campo. Primeiro porque Kanu, Rhayner e Denilson foram expulsos por causa de uma briga que começou quando Vinicius empatou de pênalti para o Bahia – no primeiro tempo, Denilson havia feito 1×0 para o rubro-negro.O jogo só recomeçou depois de 16 minutos de bola parada e quatro jogadores do Bahia também expulsos, sendo os titulares Vinícius e Lucas Fonseca e os reservas Edson e Rodrigo Becão. Ou seja, com nove do Bahia e oito do Vitória. Até que o rubro-negro Uillian Correia foi expulso após fazer falta por trás em Zé Rafael e receber o segundo cartão amarelo. O Vitória, com sete em campo, ficava no limite. Poucos minutos depois, o Bahia teve uma falta para cobrar no ataque. E, após uma troca de informações entre o supervisor Mário Silva, o técnico Vagner Mancini e alguns jogadores como Ramon e Bryan, o zagueiro Bruno Bispo caminhou até a bola, que estava parada para Allione cobrar, e a chutou para longe. Ele já tinha cartão amarelo, foi expulso e acabou o jogo antes da hora.

A primeira briga
A primeira grande confusão do jogo começou aos 4 minutos do segundo tempo, quando o Bahia empatou o jogo em cobrança de pênalti de Vinícius. Na comemoração, o meia tricolor fez uma dancinha estilo “créu” e gesto de “cala a boca” direcionado para a torcida do Vitória. O goleiro Fernando Miguel não gostou e saiu em disparada segurando o jogador do Bahia e bradando com ele. Foi o início de uma briga generalizada em que Vinícius levou socos de Denilson, Yago e Kanu, e o volante Edson, do Bahia, deu um murro no lateral Bryan, do Vitória, além de outros jogadores envolvidos O árbitro Jailson Freitas expulsou três jogadores do Vitória: Kanu, Denilson e Rhayner, todos titulares; e quatro do Bahia, sendo os titulares Lucas Fonseca e Vinícius, sendo que este não havia revidado nem tinha cartão amarelo, e os reservas Rodrigo Becão e Edson.

Regulamento dá triunfo ao Bahia
O regulamento geral de competições da CBF afirma, em seu artigo 56, que nenhuma partida poderá ser disputada com menos de sete atletas. E acrescenta, no inciso 3º, que “após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa”. O inciso 4º complementa: “O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3×0) para a equipe adversária”. O técnico Guto Ferreira já falou como vencedor do clássico, embora em tom de lamento: “Infelizmente um triunfo do Bahia que não tem aquele gostinho porque dentro de campo não foi possível terminar da maneira que tinha que terminar. Mas aí não cabe a nós julgar ou tomar decisões por eles. Nós sempre honramos os torcedores, buscamos os resultados até o final”. A Federação Bahiana de Futebol ainda não publicou a súmula da partida. *Correio

Bahia e Vitória fazem neste domingo clássico com tabu de nove jogos para o Leão

/ Esporte

Nino Paraíba, agora no Bahia, e Yago, do Vitória. Foto: Divulgação

A bola vai rolar para o primeiro Ba-Vi de 2018. Neste domingo (18), Bahia e Vitória se enfrentam às 16h, no Barradão, pela sexta rodada do Campeonato Baiano, e a principal novidade estará nas arquibancadas. Após seis clássicos com torcida única, tricolores e rubro-negros poderão acompanhar o duelo. Em campo, os dois times vivem momentos distintos. Com apenas uma derrota na temporada, o Leão é o vice-líder do estadual. O rubro-negro tem 10 pontos, com um jogo a menos, e só atrás da Juazeirense, que tem 13. Já o Bahia soma oito pontos e inicia a rodada na quinta colocação, fora da zona de classificação para as semifinais – o Jequié, em quarto, tem 10. Por isso, o triunfo sobre o rival ganha ainda mais importância para os comandados de Guto Ferreira.

Aposta única de Curitiba ganha o prêmio de mais de R$ 104 milhões da Mega-Sena; veja as dezenas

/ Esporte

A Caixa Econômica Federal realizou neste sábado (17) o concurso 2.015 da Mega-Sena. As dezenas sorteadas foram: 17 – 18 – 27 – 32 – 39 – 58. Uma aposta de Curitiba ganhou sozinha, e levou R$ 104,5 milhões. Outras 130 pessoas acertaram na Quina. O prêmio para cada uma é de R$ 51.593,19. Já a Quadra teve 12.558 acertadores, e o prêmio para cada um é de R$ 762,98. O sorteio foi às 20h (horário de Brasília) em Vinhedo (SP). O próximo concurso da Mega-Sena acontece na quarta-feira (21), e tem expectativa de prêmio de R$ 3 milhões. A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Mega-Sena pode pagar neste sábado maior prêmio do ano, estimado em R$ 100 milhões

/ Esporte

O concurso 2.015 da Mega-Sena pode pagar o maior prêmio do ano, estimado em R$ 100 milhões. Os números serão sorteados às 20h deste sábado (17 na cidade de Vinhedo, em São Paulo. Segundo a Caixa Econômica Federal, se o prêmio de R$ 100 milhões sair para um só apostador e for aplicado em caderneta de poupança, o ganhador receberá mensalmente quase R$ 400 mil em rendimentos. O valor é equivalente ao prêmio da Lotomania, que também será sorteado hoje. Se o todo o valor do prêmio da Mega-Sena for investido em bens, o ganhador poderá adquirir 153 imóveis no valor de R$ 650 mil cada, ou comprar uma frota de 500 carros de luxo. Os prêmios da Mega-Sena saem para acertadores de seis, cinco e quatro dezenas. As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) de hoje em qualquer lotérica do país. *Com informações da Caixa Econômica Federal

”Não vou a Brasília nem ganhando nem perdendo”, afirma o treinador Tite sobre a pós-Copa

/ Esporte

Tite enfrentará o maior desafio da carreira. Foto: Reprodução

O técnico Tite está a apenas quatro meses do maior desafio de sua carreira e garantiu que, independentemente do resultado da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, que começa para a equipe no dia 17 de junho, ele não será utilizado para jogos políticos. ”Não vou a Brasília nem antes nem depois da Copa. Nem ganhando, nem perdendo”, disse o treinador. ”Já aconteceu até comigo, de não ser autorizado, ser filmado e daqui a pouco estar aparecendo a minha imagem em um processo seletivo de apoio. Tenho esses cuidados. Até porque é muito mais importante politicamente nós termos um bom comando, porque isso vai gerar uma educação melhor para o país, saúde melhor, segurança maior. Entre a política limpa e o esporte, a prioridade é a política, para a gente ter um Brasil melhor. Se tiver, vai ter um esporte, um futebol melhor”, completou Tite, em em trevista ao jornal Estadão. Questionado se pretende apoiar algum candidato, o técnico afirmou que não vai tomar posicionamentos como pessoa pública. ”Não publicamente, mas internamente, as pessoas próximas a mim, vão saber as pessoas que eu gosto. Mas essa eu já externo: eu não sei às vezes escolher qual que é o melhor, mas eu posso ver quem tem ficha suja. E esses de ficha suja, para mim, estão todos fora”, disse ele.

Esporte: De olho no Ba-Vi de domingo, Vitória elimina Corumbaense pela Copa do Brasil

/ Esporte

Yago fez o primeiro gol do rubro-negro (Betto Jr / Correio

Nesta quinta-feira (15), o Vitória jogou pela Copa do Brasil, mas já com um olho no clássico de domingo (18), contra o Bahia, pelo estadual. Os escolhidos para o teste foram bem: venceram o Corumbaense por 3×0 no Barradão. O triunfo em jogo único garantiu o rubro-negro na terceira fase da competição, em que enfrentará o vencedor de Bragantino x Altos-PI, que se enfrentam no dia 21 de fevereiro. A próxima eliminatória será disputada em jogos de ida e volta. Com a classificação adiantada, Mancini lembrou do Ba-Vi de domingo e começou a poupar seus titulares. O primeiro foi o próprio José Welison. Foi o primeiro jogo do volante em 2018 depois de se recuperar de lesão. Depois Rhayner deixou o campo, assim como André Lima.

Mega-Sena acumula mais uma vez e poderá pagar R$ 100 milhões no sorteio de sábado

/ Esporte

O concurso 2.015 da Mega-Sena poderá pagar R$ 100 milhões a quem acertar as seis dezenas neste sábado (17). No sorteio dessa quarta-feira (14), nenhuma aposta levou o prêmio principal e, mais uma vez, acumulou. As dezenas sorteadas foram 16, 32, 40, 46, 53 e 56. A quina teve 46 ganhadores. Cada um vai receber R$ 65.621,53. Outras 4.140 apostas acertaram a quadra e vão levar R$ 1.041,61 cada. Aplicado na poupança o prêmio de R$ 100 milhões renderia cerca de R$ 400 mil por mês, segundo a Caixa.

Mulher é enterrada viva e corpo é achado revirado dentro de caixão, diz família

/ Bahia, Esporte

Túmulo foi violado pela família, no Oeste. Foto: Reprodução/TV Bahia

A família de uma mulher de 37 anos que ficou enterrada por mais de dez dias, na cidade de Riachão das Neves, no Oeste da Bahia, acredita que ela tenha sido sepultada ainda com vida, após um erro médico. Segundo o G1,  os familiares de Rosângela Almeida dos Santos dizem que o corpo dela foi encontrado revirado no túmulo, com ferimentos nas mãos e testa, como se tivesse tentado sair do caixão após o sepultamento. ”Até aqueles preguinhos que estavam em cima estavam soltos. A mãozinha tava ferida, como quem estava arrumando assim… arrumando o caixão para sair”, disse Germana de Almeida, mãe de Rosângela. O túmulo foi violado pela família após moradores de casas vizinhas ao cemitério municipal onde a mulher foi enterrada ouvirem gritos vindos do túmulo. A família diz que o corpo da mulher ainda estava quente. ”Quando eu cheguei bem ali em frente, eu ouvi batendo ali dentro. Aí eu pensava que era brincadeira dos meninos, que os meninos só vivem aqui dentro [do cemitério] brincando… Aí gemeu duas vezes, com as duas gemidas ela parou”, falou a dona de casa Natalina Silva. A situação ocorreu na última sexta-feira (9), mas a mulher havia sido enterrada no dia 29 de janeiro. Rosângela estava internada no Hospital do Oeste, em Barreiras, e teve a morte atestada no dia 28. A certidão de óbito aponta um quadro de choque séptico como causa do falecimento. A situação está sob investigação da Polícia Civil de Riachão das Neves. Em nota, a assessoria do Hospital do Oeste informou que está à disposição dos familiares da vítima e autoridades para prestar todas as informações necessárias.