Secretário diz que estado respeitará decisões de consórcios de saúde; o Vale do Jiquiriçá sai na frente

/ Entrevista

Secretário Fábio Vilas-Boas. Foto: Blog Marcos Frahm
Secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas. Foto: Blog Marcos Frahm

O secretário de Saúde do estado, Fábio Vilas-Boas, disse durante inauguração de centro de tratamento contra o câncer das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), em Salvador, que o estado respeitará as decisões dos consórcios de saúde. A iniciativa foi apresentada pelo governo como uma das soluções para descentralizar os serviços do setor no estado – principalmente para desafogar as unidades da capital – além de ampliar os atendimentos. Segundo ele, a intenção está prevista na composição de votos na direção dos consórcios. ”O estado é minoria. Nós temos dois quintos dos votos e vamos respeitar a decisão deles”, disse o secretário em entrevista ao Bahia Notícias. Mesmo com a autonomia das entidades, Vilas-Boas frisou a prerrogativa de o governo Rui Costa continuar o repasse de verbas. ”O estado quer entrar com recursos para poder ajudar e dar maior grau de autonomia e liberdade para que os consórcios possam gerenciar a saúde regional”, declarou. A primeira entidade a formular interesse em ”consorciar” os serviços de saúde foi o “Consórcio de Saúde do Vale do Jiquiriçá e Médio Rio de Contas“, formado por 29 municípios. A intenção do governo é criar 28 entidades em todo o estado. m visita a Maracás, no último dia (24/4),  Rui Costa recebeu das mãos do presidente do Consórcio do Vale do Jiquiriçá, o prefeito de Lafaiete Coutinho, Zé Cocá (PP) o protocolo de criação do Consórcio de Saúde da região. Este é o primeiro grupo de cidades a entregar a documentação necessária para formação do consórcio, que aguarda assinatura do governador para ser apreciado na Assembleia Legislativa e Câmaras Municipais. Os Consórcios de Saúde devem ser criados em todo o estado, como forma de regionalizar o atendimento e a realização de exames médicos

Walter Pinheiro nega que vá ser o novo secretário do governo Rui Costa: ”Não sei quem deu essa notícia”

/ Entrevista

''Não sei quem deu essa notícia''.
”Não sei quem deu essa notícia”, diz Walter Pinheiro

O senador Walter Pinheiro (PT) negou a sua possível ida para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), pasta comandada até a semana passada pelo ex-secretário James Correia, que comandou a pasta durante seis anos após convite do então governador Jaques Wagner (PT). As especulações surgiram na imprensa anteontem, após uma suposta reunião entre o governador Rui Costa (PT), o ministro Wagner e o senador Otto Alencar (PSD), no último final de semana, no Palácio de Ondina. No cardápio, a possível saída do senador baiano do PT. ”Não sei quem deu essa notícia. Eu não conversei com ninguém. Por enquanto estou no Senado da República e não estou discutindo com partido nenhum, coisa nenhuma”, afirmou em entrevista a repórteres que faziam a cobertura da cerimônia de despedida de Rodolfo Tourinho. A negativa de Pinheiro também foi reforçada pelo secretário de Relações Institucionais do governo da Bahia, Josias Gomes. “Essa secretaria é da cota exclusiva do governador, que chamou para si a tarefa de definir os novos rumos da pasta. Eu tenho um profundo respeito pelo companheiro Pinheiro, um importante quadro partidário que já demonstrou sua capacidade quando esteve à frente da Secretaria de Planejamento”, disse o articulador político da gestão petista. A ida de Pinheiro para a SDE seria uma forma de convencer o senador petista a rifar a ideia de deixar o Partido dos Trabalhadores. Ontem, Pinheiro completou 29 anos de filiado à legenda. Para isso, com ele despachando no Centro Administrativo da Bahia (CAB), as possibilidades de costurar uma possível candidatura à prefeitura de Salvador aumentariam. Entretanto, Walter Pinheiro negou interesse em disputar a prefeitura da capital baiana nas eleições do ano que vem. Leia mais.

Salvador: Exército vai atuar no atendimento às vítimas da chuva; Rui e Neto sobrevoam áreas afetadas

/ Entrevista

Rui Costa e ACM Neto Foto: Alberto Coutinho
Rui e Neto em coletiva de imprensa. Foto: Alberto Coutinho
O governador Rui Costa, acompanhado do ministro da Integração, Gilberto Occhi, e do prefeito de Salvador, ACM Neto, sobrevoou, na manhã desta terça-feira (28), a capital baiana para avaliar os impactos das chuvas que atingem a cidade. Eles se reuniram no gabinete do governador e, juntos, concederam uma entrevista à imprensa no auditório da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), sobre as medidas que serão tomadas para diminuir os prejuízos e minimizar os danos à população soteropolitana e também do interior baiano. Segundo o governador, homens do Exército vão auxiliar na retirada de moradores de áreas ameaçadas. ”Depois desse sobrevoo, pudemos notar e mapear pelo menos dez áreas mais críticas em Salvador, que ficam em bairros como São Caetano, San Martin, Subúrbio, Fazenda Grande e Pau da Lima. Agora o nosso esforço maior é o de elaborar ações de prevenção e de salvamento de vidas, com atuação do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Defesas Civis federal, estadual e municipal. A partir de hoje também será solicitada ajuda do Exército, inclusive para a remoção das famílias e de mobiliários e pertences que estão em casas ameaçadas pelas chuvas”, disse Rui Costa.  Durante a reunião no gabinete, por telefone, a presidente Dilma Rousseff reforçou o apoio à Bahia e afirmou que o Exército segue à disposição para atender às necessidades dos baianos enquanto as chuvas continuarem atingindo o estado. Depois do encontro, ao lado do ministro e do prefeito, Rui Costa anunciou as medidas emergenciais para a cidade de Salvador. O governador ainda fez um pedido aos moradores de áreas de risco: ”O que eu peço é que a população compreenda e colabore com o trabalho das equipes que visitarão as zonas ameaçadas e que o desejo de todas as instâncias é o de salvar vidas. Essas pessoas podem ter certeza que não ficarão desamparadas e nos colocamos, todos aqui, à disposição para distribuição de aluguéis sociais e locais para abrigar quem precise deixar seus imóveis”.

Itiruçu: Alegando falta de recursos, prefeito pretende gastar apenas R$ 250 mil no São Pedro

/ Entrevista

Prefeito Wagner Novaes (PSDB). Foto: Blog Marcos Frahm
Prefeito Wagner Novaes (PSDB). Foto: Blog Marcos Frahm

O São Pedro de Itiruçu, uma das mais tradicionais festas juninas do interior baiano, está sem definição há dois meses para o início do evento, que faz parte do calendário cultural dos festejos juninos no Vale do Jiquiriçá. Ao Blog Marcos Frahm, o prefeito Wagner Noves (PSDB) ressaltou que os motivos são falta de recursos e alto custo das atrações musicais para apresentação. O gestor tucano afirma que a Prefeitura de Itiruçu sofre com queda nos repasses de recursos destinados ao município e diz que sua pretensão é fazer uma festa modesta, reduzindo o número de bandas musicais. ”O são Pedro hoje é uma festa que representa toda a região, mas não posso ainda confirmar a realização. Entre o salário do trabalhador da prefeitura e a festa, vamos priorizar o salário. Eu só quero assegurar, que estou em busca de apoio para depois anunciar a festa. O São Pedro tradicional de Itiruçu custa em torno de R$ 700, R$ 800 mil, e eu quero baixar isso para R$ 250 mil”, revela. O gestor disse que vai recorrer ao governo do Estado, através da Bahiatursa, para liberação de verba de apoio aos festejos de São Pedro. ”Eu vou correr atrás, vou ter força e com fé em Deus, vou realizar o São Pedro de Itiruçu”, acredita. Wagner ainda detalhou que o custo das contratações de atrações musicais pra festas juninas aumentou de forma a impossibilitar as prefeituras de contratar as chamadas atrações de peso. ”Hoje, qualquer banda de forró passa de R$ 50 mil. Até um show de arrocha é caro, passa também de R$ 50 mil e as prefeituras não tem como realizar grandes festas como antes”, lamenta o tucano.

Jaguaquara: Delegado diz que investigação sobre morte de policial civil ainda está em curso

/ Entrevista

Delegado Regional Fabiano Aurich. Fotos: Blog Marcos Frahm
Delegado Regional Fabiano Aurich. Fotos: Blog Marcos Frahm

Quase um mês após o assassinato do policial Civil Dilton Carlos Costa Silva, 54, morto a tiros no último dia (2/4) na Praça Guilherme Silva, área central de Jaguaquara, o coordenador da 9ª Coorpin/Jequié, delegado regional Fabiano Aurich, voltou a comentar sobre o crime, que ganhou ampla repercussão no Estado e disse que as investigações ainda estão em curso. Para Aurich, ainda não é possível dizer quem matou o policial e ressalta que, na cidade, as investigações não pararam desde o dia do assassinato. ”Todos os dias estão circulando na cidade homens da polícia civil, as investigações continuam. As equipes estão em carros padronizados e também em carros não padronizados, que nós chamamos de carros velados, participando de diligências diversas em Jaguaquara”. O delegado destaca ainda que, na medida em que se avançar na investigação, serão verificados os responsáveis e será definida a autoria e motivação.

As
Fabiano Aurich diz que mudanças são determinas pelo estado

Quando questionado sobre possíveis mudanças na Delegacia Territorial de Jaguaquara, pergunta do repórter Sílvio Senna, que baseou-se nos rumores de que poderá haver mudanças na segurança pública do município, o coordenador da Coorpin afirmou que não cabe a 9ª Coordenadoria determinar mudanças. ”Com relação as mudanças, as mudanças são determinadas pelo governador do estado da Bahia. A gente recebe as ordens, faz o levantamento, passa o que está acontecendo e, as mudanças, mesmo que a gente direcione, coloca situações diversas, quem determina no final é o secretário de segurança pública e o governador do estado”, declarou Fabiano Aurich.

Josias Gomes abre margem para reforma administrativa no primeiro escalão de Rui Costa

/ Entrevista

Josias Gomes, chefe da Serin. Foto: Blog Marcos Frahm
Josias Gomes, chefe da Serin. Foto: Blog Marcos Frahm

Ao comentar a oferta de quatro diretorias ao PR, após longo diálogo de arrumação da sigla na gestão, o secretário de Relações Institucionais, Josias Gomes (PT), deu brecha para uma futura reforma administrativa a ser programada no primeiro escalão do governo Rui Costa (PT). A primeira abertura foi ao afirmar à Tribuna da Bahia que os republicanos poderão ganhar uma secretária, no futuro, e a segunda quando, ao Bocão News, declarou que, até junho, novos partidos poderão se somar a equipe aliada petista, citou, inclusive, uma aproximação com o PROS. A única mudança atual já programada é a da secretaria de Desenvolvimento Econômico, com a saída de James Correia, publicada no Diário Oficial deste sábado. Em seu lugar assume Paulo Roberto Britto, atual superintendente de Atração e Investimento do Estado como interino. O próprio Rui já anunciou que até a primeira quinzena de maio anuncia o substituto misterioso, cujas especulações giram em torno do ex-presidente do G Barbosa, Sílvio Pedra. As novas modificações ainda são um mistério, mas já se fala de membros do primeiro e segundo escalão incomodados com o jeito “correria” de Rui de condução do governo. Das duas uma: ou os incomodados vão pedir para sair ou o governador vai avaliar os desempenhos e construir novos cenários. O próprio chefe do Palácio de Ondina afirmou que quando quiser poderia fazer modificações a qualquer momento. Informações do Bocão News

Ubaíra: Prefeito garante realização do São João 2015: ”A gente vai manter a tradição”

/ Entrevista

Fábio Cristiano
Fábio Cristiano (PT), prefeito de Ubaíra. Fotos: Blog Marcos Frahm

O prefeito Fábio Cristiano (PT) de Ubaíra confirmou a realização do São João 2015, em entrevista nesta sexta-feira (24/4) ao Blog Marcos Frahm, quando marcava presença na visita do governador em Maracás. Fábio não anunciou atrações, mas falou sobre as expectativas em torno da tradição que celebra a cultura nordestina. De acordo com o prefeito, a festa que movimenta o comércio local, não será uma das maiores já realizadas na cidade, mas manterá a tradição com boas atrações e organização. Assim como outros gestores, o petista também alega dificuldades financeiras, mas diz que, o São João de Ubaíra, uma das festas juninas de tradição no Vale do Jiquiriçá, precisa ser mantido para fomentar a cultura local e movimentar a economia. ”Nós vamos realizar o São João sim, isso já está decido, mas será uma festa modesta, com menos gasto, em comparação com os anos anteriores. A novidade deste ano é que nós vamos voltar a fazer o São João numa área de uma quadra poliesportiva, onde sempre aconteceu, antes de ser transferida para a praça. A gente vai manter a tradição e, em questão das atrações, divulgaremos em breve a grade. Colocamos o nosso projeto na Bahiatursa, estamos com a expectativa de conseguir uma ajuda do governo e fazer uma festa com qualidade”, comenta.

Gestor diz que a tradição do São João tem que ser mantida
Gestor público diz que fará o São João 2015 com menos gastos

O prefeito ao falar da questão de ordem administrativa no município disse estar satisfeito com sua gestão e afirmou que, a Prefeitura de Ubaíra, não é diferente das outras e também enfrenta dificuldades financeiras e burocráticas, mas que não há pendências financeiras com servidores e fornecedores. ”A nossa satisfação é essa, pagar em dia, cumprir com o piso salarial dos professores, como estamos cumprindo, priorizamos a educação, o social, investimos na zona rural, com recuperação das estradas e tudo isso foi possível com uma política de contenção de despesas, que nos fez enxugar a máquina e nos deu uma melhor condição de administrar”, assegura o prefeito. Ainda sobre o São João, Fábio revela que o evento deverá ocorrer com três dias de duração.

Rui prometer voltar a região para assinar protocolo de intenções para o Consórcio da Saúde

/ Entrevista

Governador quer regionalizar a saúde
Governador quer regionalizar a saúde. Fotos: Blog Marcos Frahm

O governador Rui Costa recebeu hoje (24/4), em Maracás, dos prefeitos da região, o protocolo de intenções para a constituição do Consórcio Público de Saúde dos territórios de identidade Vale do Jiquiriçá e Médio Rio de Contas, que terá 29 municípios. Esse é o primeiro grupo de cidades a entregar a documentação necessária para a formação do consórcio, agora ele segue para assinatura do governador e aprovação na Assembleia Legislativa e nas Câmaras Municipais. Durante entrevista coletiva, Rui foi indagado pelo Blog Marcos Frahm sobre o protocolo, Rui disse que não assinou o protocolo hoje porque vai retornar ao Vale do Jiquiriçá para formalizar, com os prefeitos, a criação. “Eu lancei o desafio aos prefeitos, queria ver quem faria o primeiro consórcio e hoje recebi a boa noticia. Volto à região em breve para formalizar a criação”, garantiu o chefe do Executivo baiano. ‘’Eu vou voltar a região. Não vou assinar lá em Salvador não, vou conversar com os prefeitos e dizer que eu quero assinar aqui”, disse.

Rui responde a perguntas do repórter Marcos Frahm
Rui Costa responde a perguntas do repórter Marcos Frahm

 Os Consórcios de Saúde serão criados em toda a Bahia, como forma de regionalizar o atendimento e a realização de exames médicos e tem o objetivo de firmar cooperação técnica na área de saúde entre os entes federados, União, Estado e Municípios, visando à promoção de ações de saúde pública assistenciais e prestação de serviços especializados em média e alta complexidade, como: serviços de urgência e de emergência hospitalar e extra hospitalar; ambulatórios especializados, policlínicas; Centros de Especialidades Odontológicas – CEOs; assistência farmacêutica, e outros serviços relacionados à saúde e que estejam em conformidade com os princípios e diretrizes do SUS e com o Plano Diretor de Regionalização – PDR do Estado da Bahia. Se aprovado, cada município pertencente ao Consórcio encaminhará às respectivas casas legislativas o projeto de lei municipal para a sua integralização. Em relação à sede do Consórcio, o protocolo de intenções define que seja localizada em município polo da microrregião de Saúde, preferencialmente na sede do Núcleo Regional de Saúde. Dadas as condições geográficas e estruturais, Jequié desponta como provável sede do futuro Consórcio de Saúde.

Em visita à Maracás, Luiz Caetano defende mobilização total contra terceirização

/ Entrevista

Luiz Caetano
Caetano espera posição de senadores. Foto: Blog Marcos Frahm

O deputado federal Luiz Caetano (PT), esteve em Maracás, nesta sexta-feira (24)/4) acompanhando o governador Rui Costa e, ao falar da terceirização, afirmou que a mobilização dos trabalhadores será fundamental para a próxima etapa da luta contra o projeto da terceirização: a votação no Senado Federal. ”Eu espero que os Senadores deste Congresso Nacional realmente manifestem suas posições contrárias à terceirização da mão de obra dos trabalhadores brasileiros. Vamos mobilizar o Brasil! Vamos fazer o chamamento em todos os cantos do nosso País”, conclamou o parlamentar. Caetano disse que todos os partidos que são contra à proposta devem se unir ao PT e mobilizar para um Primeiro de Maio em defesa dos direitos da classe trabalhadora. ”Faço aqui um apelo a todos os deputados da Casa que votaram contra a terceirização: ajudem-nos, nos estados, a fazer a mobilização da população brasileira! Ajudem-nos em todos os cantos, indo para as ruas, com o objetivo concreto, entre outros, de impedir que esse projeto passe no Senado Federal”, afirmou ele. O parlamentar baiano criticou a proibição do acesso dos trabalhadores às dependências da Câmara Federal em Brasília para acompanhar a votação. ”A Casa do Povo cada vez mais se transforma numa casa adversa ao povo. Isso é ruim para a democracia! Isso é ruim para a instituição! A câmara está se desgastando por atitudes como essa”, questionou Caetano.

Saúde: Vítimas de trânsito sobrecarregam o Hospital Geral Prado Valadares, afirma diretor

/ Entrevista

Diretor do HGPV, Bráulio Neto
Diretor do HGPV, Bráulio Neto. Foto: Blog Marcos Frahm

O Hospital Geral Prado Valadares, sediado em Jequié, é a única unidade hospitalar de grande porte de referência estadual na região, com mais de 180 leitos ativos, e atende a uma população superior a 600 mil habitantes de mais de 30 municípios que referenciam para a unidade, através da Central de Regulação de Leitos de Jequié e da Central Estadual de Regulação e ainda de forma espontânea (sem regulação). Pacientes que buscam atendimento no HGPV reclamam sempre de superlotação e falta de vagas para internamento; alguns chegam a publicar fotografias em corredores do HGPV aguardando procedimentos médicos. Para o diretor do Prado Valadares, Bráulio Ferreira Neto, a imprudência e a violência no trânsito vêm impactando diretamente a unidade hospitalar. Segundo Bráulio, em entrevista ao Blog Marcos Frahm, esse tem sido um dos fatores que mais contribuem para a superlotação e sobrecarga dos profissionais do Hospital Geral Prado Valadares (HGPV), já que as vítimas de acidentes de trânsito geralmente passam mais tempo internadas e os leitos permanecem ocupados, não havendo rotatividade. Ele assegura que o número de atendimentos a vítimas de acidentes tem crescido gradativamente, principalmente aqueles que envolvem motocicletas. Ainda de acordo com o diretor-geral, tem-se observado um aumento intenso, tanto na quantidade como na gravidade dos pacientes que chegam ao hospital vítimas de acidentes. ”São esses casos externos, acidentes, que mais contribuem para a superlotação e sobrecarga dos nossos profissionais. São muitas as vítimas de acidentes de trânsito, principalmente nos finais de semana e na maioria das vezes esses pacientes necessitam de um tratamento mais intensivo, com intervenção de várias especialidades. Tudo isso sobrecarrega a unidade, contribui para o aumento da demanda”, explica. No último sábado (11/4), por exemplo, o Prado recebeu, de uma só vez, doze feridos, dentre eles estudantes, vítimas de um acidente na BR-116, próximo a Santa Inês, envolvendo um ônibus escolar da cidade de Amargosa, que colidiu com uma carreta e transportava alunos da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, campus de Amargosa. As vítimas são oriundas de Manoel Vitorino e seguiam para Amargosa. Os feridos permanecem internados e estão com quadro clínico estável. ”Agradeço a todos os profissionais de saúde e demais funcionários da unidade que colaboraram e estão colaborando para prestarmos a melhor assistência às vítimas deste acidente”, ressalta Bráulio Ferreira Neto. Ela afirma que a nova emergência do Prado Valadares, que será inaugurada no segundo semestre deste ano, irá melhorar de forma significava o atendimento.

Prefeita aposta na construção da Policlínica Regional, em Jequié, através de consórcio da Saúde

/ Entrevista

Tânia comemora escolha de Jequié
Tânia comemora escolha de Jequié. Foto: Blog Marcos Frahm

A prefeita Tânia Brito (PP), avalia de forma positiva a elaboração conjunta entre os territórios Médio Rio de Contas e Vale do Jiquiriçá do projeto que escolhe Jequié como cidade-sede da policlínica regional, conforme determinam as diretrizes da proposta do Governo do Estado dos Consórcios de Saúde. ”É muito importante, estado e municípios, resolvendo as questões de média e alta complexidade da saúde. O estado vai construir a policlínica e isso é uma resposta positiva a cidadania”. A construção da policlínica por parte do Governo do Estado, em Jequié, segundo o projeto, beneficiará todos os municípios das duas regiões, suprindo a carência que existe entre a atenção básica de saúde e a alta complexidade, com especialidades e exames como tomografia, mamografia, ultrassonografia, raio X e ressonância. Mas Jequié, por ser sede, será o município mais bem beneficiado e, a construção da unidade regional, traz a esperança de melhoria na saúde pública, uma das áreas mais carentes na administração pública da Cidade Sol, com alto índice de reclamações por parte dos munícipes. As metas para o programa são de 28 consórcios e policlínicas. Até 2016 está previsto a construção de 10 policlínicas ao custo médio de R$ 12 milhões, cada. As unidades serão construídas pelo Estado e mantidas pelos consórcios ao valor médio de R$700 mil por mês. Este valor será dividido entre estado (40%) e municípios consorciados (60%). O projeto dos consórcios Médio Rio de Contas e Vale do Jiquiriçá será apresentado para aprovação nas câmaras de vereadores dos respectivos municípios.

Rádio 93 FM debate realização ou não do São João 2015 de Jequié; Prefeitura alega dificuldades

/ Entrevista

Debate envolveu secretário Jacobson
Debate envolveu secretário Jacobson. Foto: Jean Karlos /93FM

A polêmica em torno da realização ou não do São João 2015 de Jequié foi assunto de debate no programa A Semana em Revista, da Rádio 93 FM, apresentado pelo jornalista Euclides Fernandes na manhã de sábado (11/4). A tradicional festa junina, ameaçada de não ser realizada pela Prefeitura, que alega falta de recursos financeiros, foi discutida numa mesa redonda com as presenças do secretário Jacobson Britto (Relações Institucionais e Comunicação Social), Antônio Trifino, presidente da CLD, Bené Sena, ex-secretário municipal de Cultura e Dayse Magno, diretora do Forró da Margarida. O secretário Jacobson, filho da prefeita Tânia Britto (PP), enfatizou a crise financeira que ele afirma ser enfrentada pela Prefeitura de Jequié, decorrente das constantes quedas de receitas, segundo o secretário, pelas quais tem passado as prefeituras baianas. Jacobson admitiu no caso de conseguir algumas cotas de patrocínio manter a realização da Vila de São João, na Praça Ruy Barbosa, com atrações locais, suspendendo o evento dos últimos anos, com grandes nomes do cenário musical, que aconteceu na Praça da Bandeira. O presidente da CDL lamentou a indecisão sobre a realização do São João e disse que o comércio perde, sem o evento, que poderia gerar crescimento econômico para o município. A diretora do Margarida, Dayse Magno, criticou a falta de planejamento e ressaltou que a festa de São João deveria ser planejada com antecedência, mas que infelizmente o poder público não prioriza o evento, que é fundamental para a Cultura do município.

”Falta de recursos é o maior gargalo da saúde”, afirma o secretário Fábio Vilas-Boas

/ Entrevista

Secretário da Saúde, Vilas-Boas. Foto: Blog Marcos Frahm
Secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas. Foto: Blog Marcos Frahm

O senhor foi convidado pelo governador Rui Costa por ser um técnico e com o objetivo de arrumar a casa. Como estão sendo os primeiros meses à frente da pasta? Tem encontrado alguma resistência?

Fábio Vilas-Boas – A Secretaria de Saúde é uma das mais complexas do estado da Bahia. Junto com a Educação e a Segurança, que são as três secretarias que possuem não só o maior número de funcionários, como o maior número de desafios e problemas. A Saúde, em particular, hoje é o principal problema do Brasil. Veja os programas mais polêmicos do governo federal, configuraram uma tentativa de atacar um problema que é enxergado pela sociedade como maior que a educação, maior que a segurança. E o governador elegeu a saúde como a bandeira principal dele e se comprometeu a traçar estratégias que viessem a atacar esse problema com vontade de ter resolutividade. A Saúde na história recente da Bahia nunca foi prioridade. O que você vê hoje no estado é uma concentração excessiva de serviços na região metropolitana e em algumas cidades polos do interior, reflexo de uma falta de investimento no setor. A população do estado todo vem buscar atendimento em Salvador, sobretudo, no Hospital Geral do Estado. No entanto, nós temos que ter vários hospitais no interior, uma rede estruturada como existe em estados mais desenvolvidos. Nos últimos oito anos, nos dois governos Wagner, essa realidade começou a ser modificada. É reconhecido por todo mundo que lida com Saúde que nunca se investiu tanto como nos últimos anos e isso não é discurso, é fato. Se você pegar números de investimentos, ampliação de cobertura básica com programas saúde da família, estruturação de centros de atendimentos para pacientes com problemas psiquiátricos, alcoolismo, assistência odontológica, criação de novos hospitais regionais, no interior do estado e capital. Nunca se investiu tanto em Saúde.

 A Sesab estava sendo aparelhada e usada politicamente?
Fábio Vilas-Boas –
Eu não tenho como te responder isso porque eu não sou político e não sei como isso é feito. O que eu posso dizer é que a ideia do governador de trazer um técnico, não político, e dar a ele o comando completo de toda a secretaria, versos a estratégia habitual de dividir com diferentes forças políticas a pasta, permite a mim, como gestor, ter o controle efetivo de todo o processo. Numa situação onde você tem diferentes correntes políticas contempladas dentro da mesma instituição, a voz de comando fica mais dificultada e eu reputo com a grande vantagem de gestão neste momento da Sesab, é nós termos dentro da secretaria pessoas, em que a voz do comando consegue ir desde o secretário até o último posto, integrante de uma única equipe.

O fogo amigo contra o senhor tem sido intenso, talvez até mais do que o inimigo. Como tem sido sua relação no campo político?
Fábio Vilas-Boas –
Eu entendo que a nossa relação com a Assembleia Legislativa é a melhor possível. Eu transito com, praticamente, todos os deputados da base e de fora da base. Atendo-os de forma indistinta com agilidade, encaminho as demandas. Tenho feito visita à Assembleia, faço reuniões com a Comissão de Saúde, visito hospitais, convido deputados da Comissão para participar, coloco eles junto comigo nas decisões estratégicas da Secretaria, de modo que eu entendo que a relação da Secretaria de Saúde com a classe política é uma relação muito boa, de cooperação. E eu acredito que aquela fase inicial, em que havia uma reação inicial sobre a vinda de uma pessoa de fora, está totalmente ultrapassada e se por acaso ainda houver algum tipo de reação, ela é completamente localizada. Leia mais.

Delegado diz ter pistas de atiradores que assassinaram policial: ”Vamos meter eles na cadeia”

/ Entrevista

Delegado Regional Fabiano Aurich. Fotos: Sílvio Senna / Blog Marcos Frahm
Delegado Fabiano Aurich. Fotos: Sílvio Senna / Blog Marcos Frahm

O coordenador da Polícia Civil da região, Dr. Fabiano Aurich, titular da 9ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior – Coorpin de Jequié, demonstrou revolta diante da frieza dos criminosos que assassinaram o policial Dilton Carlos. ”Como Dilton era um policial excepcional, que combatia os marginais, e isso é comprovado aí no velório, com a comoção da comunidade, eles (criminosos), decidiram que ceifar a vida de Dilton seria o caminho para se fortalecerem”. O delegado afirmou que as investigações avançam e que o caso não ficará impune. ”Nenhum policial vitimado pela violência ficou sem resposta, e o caso de Dilton vai ter resposta. Vamos meter eles na cadeia”. Aurich revelou que a polícia já tem pista dos autores e motivação do crime, mas afirma que o momento não é propício para detalhar o andamento das investigações. ”O mais importante é que já descobrimos quem seria o mandante, a motivação e quem participou”, ressaltou a autoridade policial em entrevista ao Blog Marcos Frahm, quando participava do sepultamento do colega. Quando questionado se os criminosos são da cidade, ou de fora, Fabiano Aurich disse que não poderia revelar agora e que, a Secretaria Estadual de Segurança –SSP, acompanha o processo investigatório.

Aurich entrevistado pelo repórter Marcos Frahm
Fabiano Aurich foi entrevistado pelo repórter Marcos Frahm

De acordo com o delegado, a morte do policial poderá provocar mudanças na segurança pública em Jaguaquara. ”Estamos nos comunicando com Salvador, com a direção da Polícia Civil, inclusive com o próprio delegado geral, que estar ciente de toda a situação e na próxima semana haverá uma reunião em Salvador, para tratar sobre a segurança em Jaguaquara”, afirma. Uma moto supostamente usada pelos atiradores foi encontrada incendiada na manhã desta sexta, num matagal, próximo a BA-545, estrada que dar acesso a zona rural. O agente Dilton Carlos estava em seu carro particular, e teria acabado de sair da Delegacia, após cumprir expediente na unidade prisional. Ele foi surpreendido dentro do automóvel CrossFox de cor preta, na Praça Guilherme Silva, depois de ter saído do Supermercado O Pioneiro, onde teria feito compras. Dois indivíduos a bordo de uma moto Honda Twister de cor amarela, placa não anotada, conforme testemunhas, teriam se aproximado por volta das 18h e feito os disparos que acertaram o policial. Baleado, Dilton ainda conduziu o veículo ao Hospital Municipal, em busca de socorro médico e, sua transferência para Jequié, ocorreu depois de um longo período, cerca de uma hora, numa ambulância do Samu. Em meio ao trajeto, na BR-116, no trecho da Reta da Coalhada, quando a equipe tentava realizar a transferência para uma unidade móvel avançada do HGPV, Dilton Carlos faleceu.