Coordenador da APLB alfineta ACM Neto sobre salário do professor: ”não paga melhor que Estado”

/ Entrevista

Professor Rui Oliveira alfineta ACM Neto. Foto: Reprodução
O coordenador-geral da APLB-Sindicato, professor Rui Oliveira, criticou as gestões do governo da Bahia e da prefeitura de Salvador no quesito Educação. Segundo ele, ambas estão no mesmo patamar. ”Acho que as duas redes deixam muito a desejar. As escolas municipais estão sucateadas, verdadeiras pocilgas. É só ver quantos secretários foram mudados neste período. O problema é de gestão. Falta pessoa com visão mais completa da educação. Já na estadual falta pessoal de apoio, terceirizado principalmente”, afirmou. Questionado sobre uma pesquisa da prefeitura que aponta que o salário de professores municipais em Salvador é 58% maior que índice nacional, Rui rebateu. ”Cada um tem sua estatística e sua realidade. Depende da ótica como ele pegou. Eu não conheço esta pesquisa. Seria necessário que ele publicizasse esta pesquisa. Tanto na rede municipal e Estadual. Pode botar professores da rede estadual com remuneração melhor, mas que tem doutorado. E a prefeitura não paga melhor que o Estado”, disse Oliveira, segundo publicação do site Bocão News. Os dados mostram que o salário médio padronizado para 40 horas semanais de Salvador é 58% superior ao índice geral dos municípios brasileiros. Quando comparado ao estado da Bahia, essa diferença se aproxima de 57%. O levantamento, feito com base no ano de 2014, indica o valor de R$ 5.368,48 como média de remuneração dos professores municipais de Salvador ante R$ 3.116,35 dos municípios brasileiros e R$ 3.148,48 da rede estadual de ensino da Bahia. O estudo foi desenvolvido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão ligado ao Ministério da Educação (MEC). 

Deputado Antônio Brito sobre reforma da Previdência; ”votarei contra, como votei na trabalhista”

/ Entrevista

Brito comenta reforma da Previdência. Foto: Blog Marcos Frahm

Presente no mesmo evento em que o deputado Arthur Maia (PPS) estava, e foi vaiado, na cerimônia de inauguração da agência da Previdência Social em Maracás, no Vale do Jiquiriçá, o deputado federal Antônio Brito (PSD) afirmou no sábado (155) que votará contra a reforma da Previdência, que tramita no Congresso. ”Eu votei contra a reforma trabalhista porque tenho entendido que reformas nesse momento precisam ter mais legitimidade. Nós vamos ter debate sobre os aposentados e a população precisa estar mais próxima dessa discussão e isso vai interferir diretamente na vida da população. Temos uma preocupação inclusive com os desempregados e dizer que a reforma é importante, claro que é, mas ela não pode ser feita nesse toque de caixa, dessa forma. Se for votar agora, votarei contra, como votei na trabalhista. Acho que é fundamental e nós temos que fazer uma revisão da previdência social, mas é preciso um debate mais forte e com a população”, explicou Brito ao Blog Marcos Frahm. Indagado sobre a sentença do juiz Sergio Moro contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o parlamentar disse que decisão judicial não se discute. ”Foi uma decisão do juiz, ele decide e não se discute. Politicamente e Lula está aí e pode até esse momento ser candidato. Ele lidera todas as pesquisas e eu acho que isso demonstra que a população tem dado esse abraço no presidente Lula. Sobre a decisão, se vai ser reformada, aí depende do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que é no Rio Grande do Sul”, concluiu.

Relator da reforma da Previdência, Arthur Maia diz que não é nada demais a pessoa contribuir 40 anos

/ Entrevista

Arthur Maia defende a reforma. Fotos: Ricardo Tuacha/BMF

O relator da reforma da Previdência na Câmara, o deputado baiano Arthur Maia (PPS-BA), disse em entrevista no sábado (15/7) ao Blog Marcos Frahm que acredita na aprovação da reforma, considerada necessária pelo parlamentar para mudar o sistema atual da previdência social no Brasil, que para ele está falido e não tem condições de continuidade. ”A reforma não pode ser tratada de maneira emocional. As pessoas, é óbvio, preferem que não tenha nunca reforma e que todo mundo possa se aposentar como se aposentam hoje no Brasil. Os pobres se aposentam com 60, com 65 anos e os ricos, os privilegiados do funcionalismo público, com 40, com 50 anos. Os pobres, recebendo, na sua grande maioria, apenas um salário, com uma dificuldade muito grande pra fazer a sua contribuição e os ricos recebendo salários de 10, de 20, de 30 e de até 40 mil reais de aposentadoria, muitas vezes fazendo contribuições por muito menos do que os pobres. Então, essa reforma é fundamental para que nós possamos dar uma condição de justiça à previdência social. Eu desafio qualquer pessoa a dizer qual é o ponto da reforma que tira um direito do trabalhador”, ressaltou Maia. Para o relator, ”não é nada demais a pessoa contribuir 40 anos para ter direito a aposentadoria” e confirmou que a proposta feita pelo Governo Temer passou por alteração e reduziu de 49 para 40 anos o tempo de contribuição para aposentadoria com salário integral e citou outros pontos alterados no texto. ”Muitos pontos foram objetos de muitas críticas e eu faço questão de ressaltar. Não fosse um deputado nordestino que tivesse assumido essa relatoria, certamente as coisas teriam ficado iguais aquelas que o governo propôs. É difícil dizer o principal ponto, mas vou citar os significativos e o primeiro é essa questão do tempo de contribuição, que era de 49 e eu mudei para o máximo de 40. O segundo ponto: a questão do trabalhador rural. O governo estava propondo que a idade do trabalhador que hoje é de 60 anos fosse para 65 e que o tempo de contribuição que hoje é de 15 fosse 25 anos e eu mudei, mantendo como é hoje, com 15 anos de contribuição e 60 anos de idade e ponto final. Muitos deputados do sul do Brasil queriam mudar isso para que o trabalhador rural fosse para o Benefício de Prestação Continuada que é pago a pessoas deficientes e eu não aceitei isso”, acrescentou, citando que um texto substitutivo da reforma tornou as regras de acesso à aposentadoria mais acessíveis, segundo ele. Entre as propostas que foram alteradas por Maia estão as de Benefícios de Prestação Continuada (BPC) e as de pensões. Pela proposta antiga, os benefícios continuados perderiam a vinculação com o salário mínimo. Agora, isso será mantido. A idade mínima para ter acesso também foi alterada: passou de 70 anos para 65.

Maia diz que aposentadoria pode ser cortada se não houver reforma

Na defesa do projeto, Arthur Maia afirma que o Brasil gastou em 2016, de tudo que arrecadou 55% com a Previdência, que esse ano poderá chegar a 60% e a previsão para 2024 é gastar 85%, ”com isso estaremos perdendo o poder de investimentos em outros setores, a exemplos da Saúde, Educação, Infraestrutura etc, se isso acontecer será o fim”, disse. Quando indagado sobre aprovação o não da proposta, que tramita no Congresso, o deputado afirmou que ”se não for aprovada, daqui há três anos acontecerá no Brasil o que aconteceu na Espanha, em Portugal. Muito em breve, nós vamos ter a aposentadoria cortada ou então o governo vai deixar de pagar, como já acontece no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul”, concluiu, ao justificar a necessidade de aprovação da proposta.

Itiruçu: Prefeita diz que vai ao Tribunal de Justiça para evitar fechamento da Comarca local

/ Entrevista

Lorena comenta decisão do TJ-BA. Foto: Blog Marcos Frahm

A inclusão de Itiruçu na lista dos desembargadores do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que decidiram aprovar, no último dia (5) de julho a desativação de 33 comarcas de cidades do interior do Estado tem causado insatisfação entre os moradores, que não aceitam a desativação da Comarca local, que atende ainda as cidades de Lagedo do Tabocal e Itiruçu, nas varas Cível e Criminal. De acordo com o TJ-BA, a medida está alinhada com a Resolução 184/2013 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que estabelece que os tribunais devem adotar providências para extinção, transformação ou transferência das unidades com baixa movimentação de processos nos últimos três anos.  Ainda segundo o órgão, a medida levou em conta critérios e questões técnicas como arrecadação judicial e despesas da comarca, bem como a distância entre as unidades que passarão a assumir o acervo processual e o número de servidores da antiga comarca. Conforme a decisão, os servidores e os acervos de processos deverão ser unificados em até 60 dias. Mas a decisão dos desembargadores, não é convincente para a população de Itiruçu. As autoridades políticas, também reagem com preocupação à decisão do Tribunal. A prefeita Lorena Di Gregório (PRB), informou ao Blog Marcos Frahm que na próxima segunda-feira (17), acompanhada de vereadores, irá a Salvador em busca de solução para que a Comarca não seja desativada. Na oportunidade, a prefeita entregará no Tribunal de Justiça um ofício solicitando uma atenção especial ao caso. Para Lorena, a desativação da Comarca de Itiruçu atingirá diretamente milhares de cidadãos, que terão que se deslocar até a cidade de Jaguaquara para ter acesso aos serviços. ”Essa é uma decisão do Tribunal e que não pode ser atribuída a nós, políticos, mas como representantes do povo estaremos engajados na busca de uma solução para esse problema, e já estamos mobilizados, juntamente com o presidente da Câmara e os demais vereadores. Temos uma audiência com a juíza Marielza Brandão, para tratarmos deste assunto e vamos em discutir alternativas para evitar que o município de Itiruçu tenha essa perda. Vamos nos colocar a disposição, para atuar de forma efetiva, em cooperação com o Tribunal de Justiça, na melhoria dos serviços de extrema relevância prestados pelo Poder Judiciário, de modo a garantir a sua continuidade”, explicou a gestora. 

Rui Costa manifesta solidariedade a Lula e diz que é ”perseguição política e condenação sem prova”

/ Entrevista

Rui Costa diz que clamor popular incomoda. Foto: Manu Dias

O governador Rui Costa solidarizou-se ao ex-presidente Lula e fez críticas ao juiz federal Sergio Moro, que condenou o líder do PT a 9 anos e seis meses de prisão. Na sentença do Caso Tríplex, Moro ainda proíbe Lula de exercer cargo ou função pública por 19 anos. ”Lamento a decisão tomada pelo juiz Sérgio Moro, foi uma condenação sem prova. No contexto em que foi proferida, me parece muito mais uma perseguição política que uma decisão baseada em fundamentos técnicos. É mais uma tentativa de impedir a volta de Lula à Presidência, um clamor popular que incomoda aqueles que estão usufruindo das benesses do poder”, afirmou Rui. Por meio de sua assessoria, Rui disse enxergar na sentença uma “decisão parcial e desrespeitosa contra um homem cuja história está ligada à luta dos trabalhadores, com uma trajetória política que ganhou destaque em nível mundial”. E concluiu: ”A inclusão social e a sua trajetória na área pública são reconhecidas internacionalmente por instituições acadêmicas, políticas e em defesa dos direitos humanos graças à sua atuação combativa durante os oito anos à frente da Presidência da República”, afirma. O governador citou ainda que, ‘ao longo dos oito anos na Presidência, Lula se consolidou como um fenômeno em razão das políticas públicas implementadas em seu governo, promovendo maior redistribuição de renda e inclusão social, através de programas como o Bolsa Família, aumento dos empregos formais, elevação do salário mínimo e expansão do crédito”. Por fim, o governador baiano elencou avanços na área econômica sob a gestão de Lula, ”duplicando o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) e ampliando as opções de educação superior para as camadas mais pobres da população”.

Condenação de Lula é tentativa de inviabilizar candidatura em 2018, diz Gleisi Hoffmann

/ Entrevista

Gleisi Hoffmann sai na defesa de Lula. Foto: Moreira Mariz

Em coletiva à imprensa, logo depois de discursar na tribuna do Senado, a presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ”é uma prisão política, uma decisão sem provas, baseada única e exclusivamente para o juiz Sérgio Moro prestar contas à opinião pública”. Para ela, a condenação tem como objetivo inviabilizar a candidatura do líder petista à presidência da República em 2018. ”Como o Lula pode ser dono de um triplex se não tem o registro de imóveis no nome dele? Como o Lula pode ser dono de um triplex que não tem sequer a vontade de ele comprar documentada? Não tem provas de que esse apartamento é do Lula… se vocês querem tirar o Lula da vida política, sejam decentes, sejam corajosos, lancem um candidato e disputem nas urnas”, disse. A senadora ainda criticou Moro: ”Juiz Sérgio Moro dê exemplo ao Brasil, não faça isso. É feio. Todo mundo está vendo que é uma decisão política, uma decisão baseada em convicção, baseada para justificar a sua posição reiterada de convencimento da opinião pública de que Lula era chefe de quadrilha”, afirmou.

 

Maracás: Prefeito anuncia inauguração de agência do INSS, construída há mais de 2 anos

/ Entrevista

Soya anuncia data de inauguração. Foto: Blog Marcos Frahm

A instalação de uma agência do Instituto Nacional de Seguro Social em Maracás já é considerada uma das mais importantes conquistas do município. Mas, apesar de pronta há mais de 2 anos, a agência ainda não foi  entregue e a população, que aguarda o funcionamento da instituição. Para a alegria dos maracaenses, a espera está prestes a acabar.  A obra de orçada em R$ 1.057.903,99, pelo Ministério da Previdência, localizada na Avenida Brasília, Centro da cidade, numa área de terreno doado pelo município na gestão anterior, será entregue no próximo sábado (15/7). A informação é do atual prefeito, Soya Novais (PDT). Em contato com o Blog Marcos Frahm, nesta quarta-feira (11), Soya revelou que recebeu ofício do Ministério d Previdência solicitando que a Prefeitura viabilize a estrutura para cerimônia de inauguração, que contará com a presença de Leonardo Gadelha, presidente do INSS. ”Recebemos o comunicado e estamos preparando a inauguração. Vamos contar com a presença do presidente do INSS e será um dia muito importante para nós, moradores de Maracás. Independente de quando foi iniciada a obra, de qual gestão doou o terreno, a agência é um órgão público, construída pelo governo federal para servir ao povo de Maracás e também da região”, antecipa o prefeito. A unidade do INSS de Maracás vai beneficiar a população local e de vários outros municípios do Vale do Jiquiriçá, dentre eles: Lagedo do Tabocal, Planaltino, Iramaia e Lafaiete Coutinho e até Jaguaquara, maior cidade do território, sem sede do INSS, também será beneficiada. A implantação da agência é um anseio antigo da população da região que vai ter o acesso aos serviços prestados pelo INSS, sem precisar mais se deslocar até Jequié.

Policlínica Regional em Jequié deve ser inaugurada entre setembro e outubro, diz Nelson Portela

/ Entrevista

Nelson Portela é assessor da Sesab. Foto: Blog Marcos Frahm

A proposta do Consórcio de Saúde, o qual será responsável pela gestão regionalizada de serviços, como unidades de pronto atendimento, laboratórios regionais e, eventualmente, o SAMU 192, e hospitais municipais e filantrópicos, contempla Jequié e região com a construção de uma policlínica, com especialidades médicas, e equipamentos, como tomógrafos, ressonância magnética, rastreamento de câncer de mama e vários outros exames. Nesta segunda-feira (10/7), os prefeitos das regiões do Vale do Jiquiriçá e do Médio Rio de Contas escolheram em decisão consensual os membros da direção do Consórcio. O coordenador dos Consórcios de Saúde do Estado, Nelson Portela, que esteve presente no evento representando a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), explicou que o governo estadual terá participação direta no projeto, entrando com o aporte financeiro de 40%. Além disso, o governo constituiu comissões técnicas em órgãos estratégicos como a Sesab, Procuradora Geral do Estado (PGE) e Secretaria do Planejamento (Seplan) para dar apoio aos municípios na formalização dos consórcios em suas regiões. Ele esclareceu ainda que os consórcios pelo interior do Estado terão autonomia financeira e administrativa plena, ”vão poder comprar e vender serviços de saúde”, pontuou Nelson, que reforçou que a iniciativa visa preencher a lacuna existente entre a atenção básica e a alta complexidade. Com a medida, os problemas relacionados à média complexidade na saúde serão solucionados na própria região. O valor da construção de toda estrutura física da Policlínica Regional, que está em fase conclusiva, será de cerca R$12 milhões, pagos pelo Estado. A manutenção mensal ficará em torno de R$700 mil e explicou ainda que o custo per capita será de R$0,76, para um consórcio em uma região com 550 mil habitantes. No entanto, ressaltou que este valor varia de acordo com o número de habitantes. Quanto ao Consórcio Público de Saúde que atenderá as regiões do Vale e do Médio Rio de Contas, beneficiando 29 cidades, Portela assegurou em entrevista ao Blog Marcos Frahm que a Policlínica que será sediada em Jequié vai entregue neste ano de 2017. ”A gente acredita que o governador entregará a obra entre o final de setembro e o início de outubro, quando a Sesab receber a obra física para entrar com os equipamentos. Vão ser quatro policlínicas inauguradas neste mesmo período, incluindo a de Guanambi, que está mais adiantada” revelou o coordenador.

Presidente diz que prevaleceu ”bon senso” na escolha da diretoria do Consórcio de Saúde

/ Entrevista

João Freitas é prefeito de Lafaiete. Foto: Blog Marcos Frahm

A avaliação do presidente do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Vale do Jiquiriçá e prefeito de Lafaiete Coutinho, João Freitas (PP), que acompanhou a eleição para escolha de membros da diretoria do Consórcio Interfederativo de Saúde, que atuará em gestão compartilhada com a direção da Policlínica Regional, unidade de Saúde que será sediada em Jequié para atender as regiões do Vale e do Médio Rio de Contas é que prevaleceu o bom senso na escolha da direção da entidade representativa.  O presidente afirmou ao Blog Marcos Frahm que o processo de escolha ocorreu de forma democrática, apesar de embates entre gestores dos respectivos municípios. ”Foi uma escolha muito democrática, apesar das discussões, dos embates, mas o importante foi que definimos nomes em uma decisão consensual, ouvindo os colegas prefeitos. A minha preocupação era em relação ao perfil dessas pessoas que irão atuar na direção, e eu fiz questão de afirmar que prezo pela transparência e que teriam que ser pessoas capacitadas, para fazer a coisa correta e não atrapalhar o bom andamento do consórcio, que envolve o nosso nome e nossa imagem. Mas que bom, que conseguimos escolher bons nomes e um deles é o de Patrícia Miranda, assistente social, de Lafaiete, e que possui um perfil de pessoa séria, humana e acima de tudo muito responsável para trabalhar nessa área de saúde, de atenção a quem mais necessita de apoio”, disse João, que também preside o Consórcio de Saúde. Patrícia Miranda, esposa do ex-prefeito de Lafaiete Coutinho e atual coordenador dos Consórcios de Infraestrutura da Bahia no Governo Rui Costa, Zé Cocá, exercerá o cargo de diretora-executiva. O advogado Gustavo Silva, filho do prefeito Olival Andrade de Itagi será o assessor jurídico da entidade e, o prefeito de Boa Nova, Adonias Rocha, indicará um nome para o cargo de assistente.

Rui Costa ignora euforia da oposição com pesquisa: ninguém come reggae, prefiro comemorar eleição

/ Entrevista

Rui se mostra tranquilo sobre 2018. Foto: Mateus Pereira

Depois de colocar descrédito e considerar a avaliação precoce, o governador Rui Costa (PT) fez sua primeira abordagem da pesquisa do Instituto Paraná sobre a disputa pelo governo estadual em 2018, onde o prefeito ACM Neto (DEM) – até então seu principal adversário – aparece em vantagem. ”O momento é de trabalhar. Não sou ingênuo, e o povo da Bahia não é ingênuo, não se deixa enganar facilmente. Não vou gastar energia com isso. Na Liberdade, onde eu nasci, a gente diz aqui ninguém come reggae. Prefiro a comemoração do resultado da eleição do que o da pesquisa. É uma escolha”, afirmou em entrevista ao programa Se Liga Bocão, na Itapoan FM, nesta quarta-feira (14), ao minimizar a euforia com que os bastidores do Executivo municipal recebeu o levantamento. Rui Costa insistiu que ainda é prematuro o debate de 2018, mas se mostrou tranquilo com um comentário feito nos bastidores por ACM Neto de que fará um embate apertado, unha a unha. ”Na minha vida nada foi fácil, sempre foi superação de desafios. O valor da conquista quando é mais difícil é mais saborosa. Prefiro trabalhar, tenho um tesão danado por trabalhar”. As informações são do Bocão News

Comandante-geral da PM contesta pesquisa da Atlas; ”Eu contesto essa pesquisa, isso não procede”

/ Entrevista

Coronel discorda de pesquisa Atlas. Fotos: Blog Marcos Frahm

Durante sua passagem por Jequié, nesta quarta-feira (7/8), para presidir a troca de Comando do 19º Batalhão da Polícia Militar da região o Comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, Coronel Anselmo Alves Brandão falou ao Blog Marcos Frahm, sendo indagado sobre a inclusão de municípios baianos na lista do Atlas da Violência 2017, divulgada na segunda-feira (5), que coloca a Bahia com quatro cidades entre as 10 mais violentas do Brasil com população superior a 100 mil habitantes, entre elas: Lauro de Freitas, (2º), Simões Filho (5º), Teixeira de Freitas (7°) e Porto Seguro (9º), contabilizando as taxas de homicídio e mortes violentas com causa indeterminada. O Coronel Anselmo contestou os dados. ”Eu contesto essa pesquisa, no momento isso não procede se comparado com o resultado do nosso trabalho. O secretário de segurança nos informou que essa é muito errônea. A Bahia cumpre rigorosamente todo cronograma de fiscalização da segurança pública. Infelizmente surgiu essa pesquisa, mas isso não reflete na realidade e você pode sentir por Jequié, que não é uma terra de ninguém. Aqui tem homicídios, tem crimes, mas nós temos o controle. Na existe um lugar na Bahia que nós não fazemos um bom trabalho, e não existe um município onde o crime se estabeleça, pois nós temos feito um trabalho muito forte”, disse o Comandante-geral da PM/Bahia.

Anselmo Brandão afirma que pesquisa não reflete a realidade

Anselmo ressaltou que o Estado tem investido em segurança e que o governador Rui Costa cobra bons números e destacou o Pacto pela Vida, política de segurança pública que, segundo o Comandante-geral, ajuda na redução da criminalidade. Brandão presidiu em Jequié a cerimônia de transmissão de cargo para o Comando do 19º BPM, com o ingresso do Tem Cel Itamar Gondim Bandeira, que substitui o Ten Cel Alexandre Motta Lima, transferido para o Comando de Policiamento Regional Norte, em Juazeiro.

Novo comandante do 19º BPM promete ações especiais em Jaguaquara, onde já atuou como Tenente

/ Entrevista

Gondim foi promovido a Tenente Coronel. Foto: Blog Marcos Frahm

Jaguaquara é o segundo maior município que integra a área de responsabilidade do 19º Batalhão da Polícia Militar, sediado em Jequié e deverá receber operações especiais da PM. Essa é a intenção do Tenente Coronel Itamar Gondim Bandeira, que tomou posse da chefia do Comando do 19º BPM, durante cerimônia na tarde desta quarta-feira (7/6). Gondim estava atuando como Comandante da 33ª CIPM de Valença, no Baixo-Sul do Estado e agora será o responsável por chefiar 18 cidades e distritos do Médio Rio de Contas e do Vale do Jiquiriçá. Antes assumir o 19º BPM, ele integrou, em 2011 o quadro de oficial do Batalhão local, ainda com a patente de Tenente, quando atuou em Jaguaquara, no ano de 1997, sendo em seguida designado para unidades em outros municípios, tendo sido promovido no dia 21 de abril deste ano para a patente de Tenente Coronel PM. ”O tratamento que eu vou dar a Jaguaquara é especial. Eu trabalhei lá, fui tenente lá, comandei uma companhia lá. Vou ter um carinho especial por Jaguaquara, até porque é a segunda cidade maior”. O novo comandante afirma que espera contar com o apoio da tropa para dar continuidade ao trabalho realizado pelo seu antecessor, Motta Lima. Gondim diz ainda que já tem planos para novas ações do 19º Batalhão e que sua missão será reduzir os índices de criminalidade em Jequié e região.

Quitéria admite candidatura a deputada em 2018; ”estamos aí com esse novo projeto”

/ Entrevista

Quitéria vai disputar vaga na AL-BA. Fotos: Gledson Moreira/BMF

Atualmente na presidência da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM), a ex-presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Maria Quitéria (PSB), que deixou a entidade depois de dois mandatos consecutivos (quatro anos) como presidente, e com a moral em alta, por ter emplacado o prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro, para lhe suceder na UPB agora pensa em alcançar voos mais altos na vida pública. A ex-prefeita de Cardeal da Silva confirmou em entrevista exclusiva ao Blog Marcos Frahm que deve ser candidata a deputada estadual nas eleições de 2018, conforme já vinha sendo ventilado nos meios políticos baianos. ”Estamos aí com esse novo projeto, pois a gente entende que a luta pelo municipalismo e pelo fortalecimento da cidadania nos municípios tem que continuar. O que nós representamos hoje é a força do povo, que ficou por muito tempo enfrentando problemas nos municípios, com a seca, com enchentes e as prefeituras impossibilitadas de atender as demandas, mas que nos últimos anos viu acontecer o desenvolvimento e o nosso trabalho ao longo dos últimos anos na UPB reflete agora, com essa vitória do parcelamento de dívidas dos municípios com o INSS, e essa semana com a reformulação do ISS, com aprovações no Congresso Nacional graças a resistência dos prefeitos liderados pela UPB. Essa luta nós vínhamos travando”, disse Quitéria, preferindo, inicialmente, dar ênfase a sua passagem pela União dos Municípios da Bahia.

Ex-presidente da UPB, destaca avanços da entidade municipalista

Cotada para uma das vagas 63 vagas na Assembleia Legislativa da Bahia, Maria Quitéria promete fazer da FLEM uma referência em intermediação entre o poder público e a iniciativa privada, para fortalecer o desenvolvimento dos municípios baianos. Ela acredita que seus dois mandatos a frente da UPB a ajudará na nova caminhada. ”Conhecer as peculiaridades dos municípios, sobretudo dos pequenos, como o meu, conhecer as dificuldades dos municípios da Bahia. Com a experiência de quatro anos como presidente da UPB, conheço cada região com suas peculiaridades e suas dificuldades”. Filiada ao PSB, de Lídice da Mata, Quitéria ainda não decidiu se permanecerá na legenda partidária ou se migrará para outro partido, para disputar as próximas eleições. ”Eu ainda não tive uma conversa com a senadora Lídice. A gente marcou esse mês e ocorreram alguns contratempos, mas estou no PSB, na base do governador e vamos conversar com ele também [Rui Costa] para alinhar essa situação e definir em que partido de fato eu serei candidata”. Nomeada por Rui, recentemente, para assumir a Fundação Luís Eduardo Magalhães, ela revelou confiança no projeto de reeleição do chefe do Executivo baiano, tendo afirmado que Rui tem demonstrado ser um governador dinâmico. ”Muito dinâmico e tem uma capacidade de gerenciamento incrível. Inclusive, esse é um governo de gerar oportunidades e uma delas é o  Programa Primeiro Emprego, que beneficia milhares de jovens estudantes e esse trabalho de Rui nos faz refletir sobre os movimentos estudantis, quando a gente fazia valer a pena a nossa luta. Problemas estruturais tem em todo lugar e a gente entende, mas saber que a gente tem pensado nos jovens, isso nos motiva trabalhar pela continuidade do projeto de Rui, porque estávamos desanimados com a política e ele é diferente, faz um trabalho sério”, concluiu.

Prefeito quer apoio do Governo para cumprir promessa da implantação de voos no Aeroporto de Jequié

/ Entrevista

Sérgio explica imbróglio dos voos. Foto: Gledson Moreira/BMF

Em janeiro deste ano, a Prefeitura de Jequié divulgou a vinda de uma empresa de linha aérea com voos semanais, da Cidade Sol para a capital baiana, tendo revelado, inclusive, que haveria a possibilidade de ampliação dos voos para outros centros do país. O projeto, que ainda não vingou, estava sendo tocado pelo secretário de Governo, Jorge Galvão, tendo informado, na ocasião, que o avião seria um Bandeirantes, com capacidade para 17 pessoas e o valor da passagem ficaria um pouco a cima do valor de uma passagem em um ônibus leito de Jequié para Salvador. Informou ainda que a aeronave estaria operando com voos no mês de Abril, e que era necessário realizar algumas adequações no Aeroporto Vicente Grilo, reformado em 2016 pelo Governo do Estado.  ”Agora vários empresários que quiserem empreender em nosso município terá a oportunidade de aterrissar no nosso aeroporto e abrir novas indústrias em Jequié”, disse o prefeito Sérgio da Gameleira à época, em nota pública divulgada pela sua assessoria. O anúncio saiu da discrição habitual e foi feito com alarde pela equipe de Gameleira, com a administração esboçando um discurso de início de uma nova fase em Jequié. o termo: ”agora vai”, foi bastante usado pelos integrantes da atual gestão. Contudo, Abril chegou, foi embora, junto com Maio e, em Junho, a população jequieense ainda aguarda a concretização do que foi amplamente propagado. Ao acompanhar o lançamento do programa Garantia-Safra, do Governo do Estado, na quarta-feira (31/5), em Salvador, o chefe do Executivo de Jequié foi abordado pela reportagem do Blog Marcos Frahm, que foi direto ao assunto, o indagando sobre a implantação ou não dos voos anunciados. Gameleira atribuiu a não concretização a problemas com uma rede de energia elétrica, em face a postes instalados num residencial na região do Aeroporto Vicente Grilo e disse que a remoção já foi solicitada junto a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia e que aguarda também um posicionamento da Agência Nacional de Aviação Civil. ”A nossa parte a gente finaliza agora. São quatro postes que estão inviabilizando e estamos já nas últimas tratativas com a Coelba e vamos propor uma audiência pública, porque não adianta só o município fazer a sua parte. Existem questões em relação ao Estado, e sobretudo com a União, com  ANAC. Nós vamos propor uma audiência pública, chamar todos os interessados porque a prefeitura finaliza agora a sua parte, mas a gente quer compromisso do governo do estado e do governo federal”, justificou Gameleira, chamando os governos Estadual e Federal para uma ação tripartite. Ao que tudo indica, o agora de Sérgio, se transformará num depois.