Investigação aponta operação coordenada em ataque a TSE e postagens alegando fraude

/ Eleições 2020

Ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE. Foto: Reprodução

Investigação da SaferNet, que trabalha em parceria com o Ministério Público Federal no monitoramento de fraudes eleitorais cometidas pela internet, aponta que ataques hacker sofridos pela TSE neste domingo (15) foram uma ”operação coordenada” para ”desacreditar a Justiça Eleitoral”. O Tribunal foi alvo de negação de serviço (DDoS) contra os seus servidores e o vazamento de dados de funcionários.

Thiago Tavares, presidente da SaferNet, que vem fazendo o monitoramento desde o fim de outubro, forneceu ao MPF e ao TSE os dados levantados em tempo real.

”Trata-se de uma operação coordenada e planejada para ser executada no dia das eleições com o objetivo de desacreditar a Justiça Eleitoral e eventualmente alegar fraude no resultado desfavorável a certos candidatos”, diz Tavares.

Às 09h25 deste domingo, houve vazamento de dados antigos obtidos de um banco de dados com informações desatualizadas sobre o sistema de recursos humanos da justiça eleitoral. O ataque que deu acesso aos dados, no entanto, foi feito antes de 23 de outubro, segundo a PF.

”Apesar de o ataque ter sido feito antes de 23 de outubro, deixaram para publicar o vazamento dos dados na manhã de hoje, para causar mais impacto”, diz Tavares. ”Em paralelo, deflagraram um ataque de negação de serviço (às 10h41) para tirar do ar o site e alguns serviços da Justiça Eleitoral.”

Ele explica que os IPs usados em ataques de negação de serviço (DDoS) geralmente integram as chamadas “redes zumbis”, formadas por computadores infectados, que podem estar localizados no exterior e serem coordenados daqui.

O TSE afirmou que os IPs dos hackers que invadiram os sistemas do tribunal seriam de Portugal ou coordenados por um cidadão português.

Os ataques, a princípio, não têm relação com o atraso da apuração dos votos pelo TSE neste domingo, diz Tavares.

Segundo o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, o atraso na apuração foi causado por um problema técnico em um dos processadores do computador responsável pela totalização dos resultados.

O atraso na apuração, além das informações sobre os dois ataques contra o TSE, deram combustível para uma campanha nas redes sociais com questionamentos à integridade do sistema eleitoral e dos resultados da eleição.

Perfis bolsonaristas e de outros políticos passaram o dia divulgando mensagens apontando para supostas fraudes eleitorais e falta de credibilidade do TSE. O Twitter chegou a rotular um tuíte da deputada Joice Hasselman, que afirmou ”Fraude? Será? Tem todo o cheiro” – a postagem recebeu o alerta ”Essa reivindicação de fraude eleitoral é contestada.”

Eleições 2020: veja lista com as 57 cidades espalhadas pelo país em que haverá 2ª turno

/ Eleições 2020

Nas eleições municipais deste ano, haverá segundo turno em 57 cidades espalhadas pelo país, das quais 18 são capitais. Nessas localidades, a campanha eleitoral já pode recomeçar a partir de hoje (16).

O segundo turno está marcado para 29 de novembro, 13 dias após a primeira votação. Trata-se do menor intervalo da história. Normalmente, o período é de três a quatro semanas. O calendário apertado foi aprovado pelo Congresso em função do adiamento provocado pela pandemia de covid-19.

A votação no segundo turno será disputada pelos dois melhores colocados e cada uma dessas 57 cidades. Isso porque nenhum deles conseguiu alcançar maioria absoluta (50% mais um) dos votos válidos no primeiro turno – votos brancos, nulos e abstenções não entram na conta.

O segundo turno era possível nas 95 cidades brasileiras que possuem mais de 200 mil habitantes. Dessas, 35 decidiram os ganhadores já na primeira rodada de votação, pois nelas algum candidato recebeu mais de metade dos votos válidos.

Em duas cidades, Duque de Caxias e Volta Redonda, há candidatos com votos suficientes para levar no primeiro turno, mas o resultado ainda está sub judice, isto é, ainda aguardam por uma decisão final da Justiça. Em Macapá a eleição foi adiada em razão do apagão de energia elétrica.

A necessidade de segundo turno na disputa para prefeito em cidades com 200 mil habitantes ou mais consta na Constituição e segue o mesmo modelo adotado nas eleições para presidente e governador.

Confira abaixo a lista das cidades onde haverá segundo turno e os respectivos candidatos:

Anápolis (GO): Roberto Naves (PP) e Antonio Gomide (PT).

Aracaju (SE): Edvaldo Nogueira (PDT – atual prefeito) e Danielle Garcia (Cidadania).

Bauru (SP): Suéllen Rosim (Patriota) e Dr Raul (DEM)

Belém (PA): Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Eguchi (Patriota).

Blumenau (SC): Mário Hildebrandt (PODE) e João Paulo Kleinübing (DEM).

Boa Vista (RR): Arthur Henrique (MDB) e Ottaci (Solidariedade).

Campinas (SP): Dário Saadi (Republicanos) e Rafa Zimbaldi (PL).

Campos dos Goytacazes (RJ): Wladimir Garotinho (PSD – sub judice), e Caio Vianna (PDT)

Canoas (RS): Jairo Jorge (PSD) e Luiz Carlos Busato (PTB).

Cariacica (ES): Euclério Sampaio (DEM) e Célia Tavares (PT).

Caucaia (CE): Naumi Amorim (PSD) e Vitor Valim (Pros).

Caxias do Sul (RS): Pepe Vargas (PT) e Adiló (PSDB).

Contagem (MG): Marília (PT) e Felipe Saliba (DEM).

Cuiabá (MT): Emanuel Pinheiro (MDB – atual prefeito) e Abílio Júnior (Podemos).

Diadema (SP): Filippi (PT) e Taka Yamauchi (PSD).

Feira de Santana (BA): Zé Neto (PT) e Colbert Martins (MDB).

Fortaleza (CE): Sarto Nogueira (PDT) e Capitão Wagner (Pros).

Franca (SP): Flávia Lancha (PSD) e Alexandre Ferreira (MDB).

Goiânia (GO): Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD).

Governador Valadares (MG): André Merlo (PSDB) e Dr. Luciano (PSC).

Guarulhos (SP): Guti (PSD) e Elói Pietá (PT).

João Pessoa (PB): Cícero Lucena (Progressistas) e Nilvan Ferreira (MDB).

Joinville (SC): Darci de Matos (PSD) e Adriano Silva (NOVO).

Juiz de Fora (MG): Margarida Salomão (PT) e Wilson Rezato (PSB).

Limeira (SP): Mario Botion (PSD) e Murilo Félix (Podemos).

Maceió (AL): Alfredo Gaspar (MDB) e Jhc (PSB).

Manaus (AM): Amazonino Mendes (Podemos) e David Almeida (Avante).

Mauá (SP): Átila Jacomussi (PSB) e Marcelo Oliveira (PT).

Mogi das Cruzes (SP): Marcus Melo (PSDB) e Caio Cunha (PODE).

Paulista (PE): Yves Ribeiro (MDB) e Francisco Padilha (PSB).

Pelotas (RS): Paula Mascarenhas (PSDB) e Ivan Duarte (PT).

Petrópolis (RJ): Rubens Bomtempo (PSB) e Bernardo Rossi (PL).

Piracicaba (SP): Barjas Negri (PSDB) e Luciano Almeida (DEM).

Ponta Grossa (PR): Mabel Canto (PSC) e Professora Elizabeth (PSD).

Porto Alegre (RS): Sebastião Melo (MDB) e Manuela d’Ávila (PCdoB).

Porto Velho (RO): Hildon Chaves (PSDB – atual prefeito) e Cristiane Lopes (PP).

Praia Grande (SP): Raquel Chini (PSDB) e Danilo Morgado (PSL).

Recife (PE): João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT).

Ribeirão Preto (SP): Duarte Nogueira (PSDB) e Suely Vilela (PSB).

Rio Branco (AC): Socorro Neri (PSB – atual prefeita) e Tião Bocalom (PP).

Rio de Janeiro (RJ): Marcelo Crivella (Republicanos – atual prefeito) e Eduardo Paes (DEM).

Santa Maria (RS): Sergio Cecchim (PP) e Pozzobom (PSDB).

Santarém (PA): Nélio Aguiar (DEM – atual prefeito) e Maria do Carmo (PT).

São Gonçalo (RJ): Dimas Gadelha (PT), e Capitão Nelson (Avante).

São João de Meriti (RJ): Dr João (DEM) e Leo Vieira (PSC).

São Luís (MA): Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos).

São Paulo (SP): Bruno Covas (PSDB – atual prefeito) e Guilherme Boulos (PSOL).

São Vicente (SP): Solange Freitas (PSDB) e Kayo Amado (PODE).

Serra (ES): Sergio Vidigal (PDT) e Fabio Duarte (Rede).

Sorocaba (SP): Rodrigo Manga (Republicanos) e Jaqueline Coutinho (PSL).

Taboão da Serra (SP): Engenheiro Daniel (PSDB) e Aprigio (PODE).

Taubaté (SP): Saud (MDB) e Loreny (Cidadania).

Teresina (PI): Dr. Pessoa (MDB) e Kleber Montezuma (PSDB).

Uberaba (MG): Elisa Araújo (Solidariedade) e Tony Carlos (PTB).

Vila Velha (ES): Arnadinho Borgo (Podemos) e Max Filho (PSDB).

Vitória (ES): Delegado Pazolini (Republicanos) e João Coser (PT).

Vitória da Conquista (BA): Zé Raimundo (PT) e Herzem Gusmão (MDB).

Operação Eleições 2020 da Polícia Rodoviária intensifica fiscalização nas rodovias estaduais

/ Eleições 2020

Batalhão de Polícia Rodoviária tua nas estradas. Foto: Divulgação

A Polícia Militar da Bahia está intensificando neste domingo (15), as ações preventivas de acidentes e fiscalização de transportes irregulares nas rodovias estaduais. Denominada ”Operação Eleições 2020”, a ação seguirá até o início desta noite, com equipes do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv).

Conforme o órgão, o BPRv irá coibir possíveis práticas de crimes eleitorais, como o uso de veículos para realização de carreatas, comícios, transportes e distribuição de material de propaganda, bem como o transporte de eleitores por veículos clandestinos ou não autorizados pela legislação e com finalidades eleitoreiras.

Através da utilização de radares, a fiscalização também terá foco a redução de acidentes relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas associadas à direção e ao excesso de velocidade nas rodovias.

Eleições 2020: Compra de votos e propaganda ilegal são registradas no Recôncavo baiano

/ Eleições 2020

Flagrantes de compra de votos e propagandas irregulares foram registradas pela polícia baiana, até as 11h deste domingo (15). Os crimes eleitorais aconteceram nas cidades de Santo Antônio de Jesus, Correntina e Tabocas do Brejo Velho.

No Oeste da Bahia, no município de Correntina, dois homens, um deles candidato a vereador, foram conduzidos por suspeita de compra de votos. Com a dupla foram apreendidos 1,5 mil reais em espécie, uma agenda com nomes de possíveis eleitores e ”santinhos”.

Em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano, um homem foi preso entregando 24 cestas básicas para moradores do Loteamento dos Prazeres, no bairro de Cajueiro. O veículo usado no transporte dos alimentos estava plotado com propaganda de um candidato a prefeito.

Na cidade de Tabocas do Brejo Velho, a polícia apreendeu ”santinhos”, bandeiras, adesivos e fogos de artifício com dois adultos e dois adolescentes. Em todos os casos, os flagrantes foram comunicados à Justiça Eleitoral, que promoverá a aplicação da lei. Com informações do site Bahia Notícia

Com candidatura impugnada, prefeito de Itabuna é vaiado em rua ao sair para votar

/ Eleições 2020

Fernando Gomes teve sua candidatura impugnada. Foto: Rede social

O prefeito de Itabuna e candidato à reeleição com direitos políticos suspensos pela Justiça, Fernando Gomes (PTC), foi vaiado em uma das ruas da cidade do Sul da Bahia.

Informações preliminares não confirmadas pelo candidato dão conta que Fernando Gomes se dirigia de carro a seção eleitoral que vota na cidade quando foi recepcionado com as vaias. Com informações do Bahia Notícias

Isidório diz não ter dúvidas de que estará no 2º turno e desacredita pesquisas: ”80% mentira”

/ Eleições 2020

Isidório é candidato pelo Avante na capital. Foto: Vagner Souza

O candidato a prefeito de Salvador pelo Avante, o deputado federal Pastor Sargento Isidório, disse neste domingo (15) que não tem dúvidas de que estará no segundo turno pelo Executivo da capital baiana. O candidato votou no final desta manhã. Na ocasião, ele também desacreditou o resultado das pesquisas eleitorais.

”Segundo Turno é claro. Quem tá me ouvindo vai perguntar: ‘Foi pesquisado?’. Não foi. Pesquisa na Bahia é 80% mentira, pago pelos caras que querem resultado. É só olhar o que a rua está fazendo. A rua está gritando 70 muito”, disse a jornalistas.

Levantamento divulgado pelo Ibope/TV Bahia na noite do último sábado (14) mostra que o parlamentar apresenta a maior rejeição entre todos os candidatos, com 38% dos eleitores dizendo que não votariam nele em nenhuma hipótese.

O levantamento está registrado no TSE sob número BA-06193/2020. Ele acrescentou que ”os mafiosos” precisam entender que “quando Deus e o povo quer, ninguém muda a realidade”. ”Às vezes até algum profissional de imprensa percebe isso mas o s donos, que são políticos, de rádio e jornal botam o que quer”, acusou.

Questionado sobre a possibilidade de apoiar outro candidato da base do governador Rui Costa (PT) caso não seja ele a ir para o segundo turno, Isidório disse que terá de sentar para discutir a respeito antes de bater o martelo.

”Vamos discutir, vou sentar com assessoria. […] Estou trabalhando contra duas máquinas – a máquina da prefeitura e a máquina do governo do Estado. Vamos ter que analisar. Obras feitas com o dinheiro do povo não podem estar em nome de candidato”, concluiu. *BNews

Denice minimiza Ibope, aposta em 2º turno e acredita no diálogo com demais candidatos da oposição

/ Eleições 2020

Major Denice, candidata em Salvador pelo PT. Foto: Divulgação

Candidata à Prefeitura de Salvador pelo PT, a Major Denice minimizou, em conversa com a imprensa na manhã deste domingo (15), a última pesquisa Ibope divulgada ontem (14) pela TV Bahia a qual aponta a vitória de Bruno Reis, do DEM, no primeiro turno.

”A campanha foi linda, belíssima e verdadeira que construímos. E mais do que isso, o olhar das pessoas nas ruas. Nós olhamos as pessoas nas ruas e estivemos com elas em cada espaço e em cada bairro dessa cidade”, disse a petista.

”Nós participamos de todos os bairros dessa cidade e a verdade é que estava no olhar daquelas pessoas, porque elas entendem a necessidade de a gente acabar de uma vez por todas com as desigualdades sociais tão perversas em nossa cidade”, continuou.

Para ela, a sua candidatura contará, em caso de segundo turno, com o apoio dos demais candidatos da oposição. ”Nós sempre estivemos próximos, sempre estivemos em diálogo, sempre nos respeitamos”, contou.

”Foi uma campanha belíssima, baseado no respeito e na democracia. E assim vai continuar”, concluiu, acompanhada do governador Rui Costa (PT).

”Salvador não pode parar e quer avançar’, diz Bruno Reis, candidato pelo Democratas, ao votar

/ Eleições 2020

Bruno Reis votou acompanhado da família. Foto: Divulgação

O candidato a prefeito da capital baiana pelo Democratas, Bruno Reis, ressaltou as realizações da atual gestão em Salvador e demonstrou otimismo com as eleições municipais deste ano, ao votar na manhã deste domingo (15), no Sartre COC Itaigara, acompanhado do prefeito ACM Neto, da companheira de chapa Ana Paula Matos, da esposa Rebeca Reis e dos filhos. O presidente da Câmara, vereador Geraldo Júnior, também esteve ao lado de Bruno.

”Com muito trabalho, a nossa querida cidade passou por uma enorme transformação nos últimos anos. Não foi fácil chegar até aqui. O meu nome representa a garantia de que essas conquistas estão asseguradas. O povo sabe disso e vai defender nas urnas esse legado. Salvador não pode parar e quer avançar”, afirmou Bruno.

De acordo com o candidato, se eleito, vai ser o prefeito ”de toda a cidade”, mas dedicará atenção especial à população mais pobre. ”São mais de 20 anos de vida pública, entrando e saindo de cada rua, beco, baixada e viela. Conheço os problemas de perto. E aprendi os caminhos para solucioná-los. Se a cidade me escolher, em primeiro de janeiro, chegarei sabendo o que fazer para Salvador não parar um só segundo”, destacou Bruno.

Na dúvida em quem votar? Acesse o perfil dos políticos e leia mais sobre a sua biografia

/ Eleições 2020

Eleitores de todo o país vão às urnas neste domingo (12) para eleger prefeitos e vereadores. No pleito deste ano, 19 mil pessoas são candidatas ao cargo de prefeito e de vice-prefeito, e 518,3 mil para vereadores. Com tantos candidatos, como escolher à aquele que melhor vai lhe representar.

Para isso, a Folha de S.Paulo desenvolveu uma ferramenta na qual o leitor poderá pesquisar por nome, estado ou partido e acessar o perfil e declaração de bens de cada candidato.

Saiba tudo sobre a votação, de horários e cuidados com a Covid até como consultar o número

/ Eleições 2020

As eleições municipais de 2020, que acontecem durante a pandemia de coronavírus, terão um protocolo sanitário para evitar contágio entre eleitores e mesários.

Além do uso obrigatório de máscara, todos deverão manter pelo menos 1 metro de distância entre si e higienizar as mãos antes e depois de entrar na seção eleitoral.

Para isso, o TSE mudou o protocolo de entrega de documento aos mesários. Agora, eles devem ser apenas exibidos, mantendo a distância recomendada.

O horário de votação também foi ampliado em uma hora para evitar aglomerações, e a biometria foi excluída do processo para evitar contato em uma mesma superfície.

Veja abaixo perguntas e respostas com os principais cuidados para evitar contágio por coronavírus, como consultar o número dos candidatos e as zonas eleitorais, quais os itens obrigatórios no dia da votação e como justificar ausência.

ANTES DO DIA DE VOTAÇÃO
Como consultar o número dos candidatos a prefeito e vereador? O TSE reúne no sistema DivulgaCandContas os dados eleitorais dos candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador. O site informa, por exemplo, o número, partido e proposta de governo do candidato. Há também registro de eventuais registros criminais e descrição e valores dos bens declarados.

As ficha dos candidatos também podem ser acessadas pelo sistema de busca criado pela Folha. Nele, é possível pesquisar por nome, estado ou partido e acessar o perfil e declaração de bens de cada candidato.

Para o dia da votação, a Justiça Eleitoral permite que o eleitor leve uma cola preenchida com os nomes dos candidatos que escolheu para prefeito e vereador.

O que é necessário levar no dia da votação? Quais os documentos obrigatórios e o que é proibido? Em razão da pandemia, este ano é obrigatório que todos os eleitores usem máscara nos locais de votação. Também para evitar contágio por coronavírus, a Justiça Eleitoral recomenda que cada um tenha sua própria caneta. Caso o eleitor não leve, haverá uma para uso coletivo, e os mesários serão orientados a higienizá-las com álcool 70% antes e depois do uso.

O eleitor deve levar documento oficial com foto (como carteira de identidade, passaporte, carteira de trabalho ou carteira nacional de habilitação), que pode ser substituído pelo e-Título, aplicativo disponível em celulares e tablets (iOS e Android), para quem fez cadastramento biométrico. Não é obrigatório levar o título de eleitor.

Segundo a legislação eleitoral, é proibido divulgar propaganda de partido político ou de candidatos no dia da votação e servidores da Justiça Eleitoral também não podem utilizar vestuário ou objeto com propaganda de partidos, coligação ou candidato. Também são proibidos o uso de alto-falantes, comício, carreata e derrame de santinhos ou outro material impresso próximo aos locais de votação.

Já a manifestação individual com uso de bandeiras, broches, dísticos, adesivos e camisetas pelos eleitores é permitida.

Como consultar o local de votação? É possível consultar a zona e a seção eleitoral pelo site do TSE ou dos Tribunais Superiores Eleitorais de cada estado pelo nome, pelo título de eleitor ou pelo número de CPF.

Qual o horário de votação? O horário de votação foi ampliado em uma hora, e acontecerá das 7h às 17h. O TSE orienta que o horário das 7h às 10h seja preferencial para pessoas acima de 60 anos, um dos grupos considerados de risco para o coronavírus.

Eleitores que não fazem parte do grupo de risco poderão votar neste horário, mas a ideia da recomendação é que idosos sejam majoritariamente atendidos neste período do dia.

Como votar na urna eletrônica? Digite primeiro o número de seu candidato a vereador ou da legenda de um partido. Vão aparecer a foto, o número e o nome do candidato e/ou a sigla do partido. Confira a informação e aperte “Confirma”.

Na sequência, o voto será para prefeito. Basta digitar o número do candidato. Confira novamente os dados do candidato e aperte “Confirma”. Se um dos números estiver incorreto, aperte o botão “Corrige” e reinicie o processo.

Como votar em branco na urna eletrônica? Basta apertar o botão “Branco” e depois “Confirma”.

Como votar nulo na urna eletrônica? Basta escolher um número que não existe, como “00”, por exemplo, e apertar “Confirma”.

CUIDADOS PARA EVITAR CONTÁGIO POR CORONAVÍRUS
Quais são os cuidados básicos para evitar o contágio pelo coronavírus? As regras não são diferentes das já recomendadas para quem precisa sair de casa. Segundo Leonardo Weissmann, infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, isso inclui manter o distanciamento físico entre as pessoas, evitar aglomerações, usar corretamente a máscara —cobrindo o nariz e a boca— e higienizar as mãos após o contato com qualquer superfície.

As medidas minimizam a possibilidade de contato com gotículas liberadas no ar, secreções ou alguma superfície contaminada.

Quais são os principais cuidados durante o trajeto para o local de votação? Para os que não têm transporte individual ou a possibilidade de ir a pé para os locais de votação, utilizar o transporte público requer atenção. Natalia Pasternak, doutora em microbiologia pela USP e presidente do Instituto Questão de Ciência, explica que esse é um dos locais com maior risco de contaminação, já que há a possibilidade de aglomeração e a necessidade de encostar em superfícies.

Além do uso de máscara, a especialista recomenda higienizar as mãos antes e depois de encostar em corrimãos e catracas, por exemplo. Se possível, é importante também evitar aglomerações.

Como os locais de votação serão adaptados para receber os eleitores? Todos os espaços, segundo o TSE, terão álcool em gel disponível para higienização das mãos antes e depois da votação.

A epidemiologista Maria Patroclo sugere que cada eleitor tenha um frasco próprio de álcool em gel na bolsa —recomendação que, reforça a especialista, serve para todos os momentos em que for necessário sair de casa durante a pandemia.

Para evitar proximidade entre as pessoas, fitas adesivas no chão marcarão o distanciamento mínimo de 1 metro tanto entre os eleitores na fila para votação quanto entre eleitores e mesários.

Ingerir alimentos, beber ou qualquer outra atividade que exija a retirada da máscara estão proibidas nos locais de votação.

Há algum remanejamento de locais de votação previstos para que os eleitores votem em locais mais próximos de suas residências? Não, mas eleitores idosos, com deficiência ou com mobilidade reduzida podem solicitar transferência para seção especial.

Como evitar o contágio por coronavírus em superfícies durante a votação? O TSE alterou protocolos para reduzir o contato com superfícies nas eleições. A identificação biométrica foi excluída no dia da votação. Segundo o TSE, cerca de 400 pessoas colocariam as mãos em um mesmo aparelho no dia da eleição.

A consultoria sanitária recomendou essa mudança para além de diminuir o risco de contágio em superfícies evitar a formação de filas e aglomerações, já que o protocolo é um dos mais demorados nas etapas de votação.

Sem a biometria, a confirmação da identidade do eleitor será feita mediante assinatura do caderno de votação.

O recebimento do comprovante de votação passará a ser facultativo e entregue só mediante solicitação do eleitor. Além disso, em vez de entregar o documento de identificação ao mesário e retirá-lo após a votação, o eleitor deve apenas exibir o documento oficial ou o e-Título pelo aplicativo mantendo a distância de 1 metro.

Urnas serão higienizados durante a votação? Não. Segundo o TSE, as urnas não podem ser higienizadas por eleitores ou mesários já que um protocolo inadequado pode prejudicar o equipamento. Para evitar o contágio nessa superfície, os eleitores serão orientados a usar álcool em gel antes e depois de utilizar a urna. O uso de luvas não é recomendado.

Quais as recomendações de higienização no retorno para a residência? Depois de higienizar as mãos para retirar a máscara, o ideal é deixar a roupa usada em uma área de serviço para ser lavada e fazer uma segunda higienização das mãos, diz Leonardo Weissmann.

Quem tiver febre, ainda sem receber diagnóstico de Covid-19, deve ir à votação? Não. Todos os eleitores e mesários que tiverem febre nos 14 dias anteriores não devem comparecer e poderão justificar a ausência. Os mesários também devem avisar sua zona eleitoral.

Posso levar crianças e acompanhantes? O TSE orienta que, se possível, os eleitores não levem crianças ou acompanhantes ao local de votação.

JUSTIFICAR VOTO E REGULARIZAR TÍTULO DE ELEITOR
É possível justificar ausência no dia da votação? Sim. O eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral deve justificar a ausência no e-Título, por meio da geolocalização do aplicativo, sem sair de casa. A medida foi tomada para reduzir o fluxo de pessoas nos locais de votação, e a funcionalidade ficará disponível das 7h às 17h.

Segundo o TSE, caso o eleitor não tenha acesso ao aplicativo, é possível justificar a ausência em qualquer local de votação. A justificativa deve ser feita para cada um dos turnos.

Como justificar ausência após o dia da votação? Após a data, o eleitor tem até 60 dias após cada um dos turnos para justificar o motivo da ausência —ou seja, até o dia 14 de janeiro para o primeiro turno e até dia 28 de janeiro para o segundo turno.

Isso pode ser feito pelo aplicativo e-Título, pelo site do do Tribunal Superior Eleitoral no Sistema Justifica ou presencialmente em um cartório eleitoral.

Caso não consiga justificar, como faço para me regularizar com a Justiça Eleitoral? Caso o eleitor não consiga justificar o voto, é necessário pagar uma multa que vai de R$ 1,05 a R$ 3,51 por turno de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral. É possível consultar o débito do eleitor e gerar boleto para pagar a multa no próprio site do TSE.

Sem a justificativa e o pagamento da multa, o eleitor não poderá, por exemplo, obter passaporte ou carteira de identidade e renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo.

Eleições 2020: Nova pesquisa mostra Lúcio Monteiro liderando disputa pela Prefeitura de Ubaíra

/ Eleições 2020

Lúcio Monteiro é candidato pelo PSD em Ubaíra. Foto: Divulgação

Uma pesquisa eleitoral realizada pela Fernandes Consultoria, aponta que o candidato Lúcio Monteiro, do PSD, será eleito prefeito de Ubaíra, no Vale do Jiquiriçá, neste domingo (15).

Na sondagem estimulada, Lúcio lidera com 54,04%, o adversário Neném, do PP, ficou com 38,64%, Zé Osni, do PTC 1,52%, os indecisos somam 4,04%, brancos e nulos 1,01%, não sabe ou não respondeu 0,76%.

O levantamento foi realizado na sede e na zona rural do município e ouviu 385 pessoas, entre os dias 7 e 9 de novembro.

O nível de confiança é de 95%, a margem de erro de 5%, a pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral, sob número BA 03060/2020.

Sandro Régis multado em R$ 53 mil por divulgar pesquisa irregular sobre eleição em Ibirataia

/ Eleições 2020

Sandro Régis diz que vai recorrer da decisão judicial. Foto: ALBA

O deputado Sandro Régis (DEM), líder da oposição da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), foi condenado a pagar multa de R$ 53 mil por divulgação de pesquisa eleitoral irregular na cidade de Ibirataia, no Médio Rio de Contas. Segundo o site Bahia Notícias, Régis afirmou que irá recorrer da decisão da Justiça Eleitoral, publicada nesta sexta-feira (13), que o condenou. O parlamentar explicou que ”postou sem querer” e imediatamente após apagou o conteúdo em um grupo de aplicativo de troca de mensagens.

”Eu recebi a pesquisa, que nem foi feita por mim, e iria passar para outra pessoa, e sem querer eu postei também em um grupo, e na mesma hora eu apaguei. Eles usaram de má fé e fizeram isso. Completamente distante o que aconteceu. Eles usaram de má fé”, enfatiza o deputado.

A decisão, assinada pelo juiz Rafael Barbosa da Cunha, da 24ª Zona Eleitoral de Ipiaú, diz que ”conforme se vê nos autos, o representado Sandro de Oliveira Régis, correligionário e dirigente partidário da Coligação ‘Construindo uma nova História’, composta pela candidata a prefeita Eurides Nunes Brandão e o candidato a vice-prefeito Caio Pereira da Silva, divulgou, no grupo de Whatsapp ‘Ibirataia Urgente’, composto por mais de 250 pessoas, pesquisa eleitoral não registrada junto ao TSE”.

A representação foi formulada pela coligação ”Para Ibirataia continuar no caminho certo”, da qual é cabeça de chapa e candidata a reeleição a pedagoga Ana Cleia (PSD).

A Resolução nº 23.600/19, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determina a obrigatoriedade do registro de pesquisas de opinião pública relacionadas às eleições em até cinco dias antes da data de divulgação. Devem ser informados o CNPJ da empresa que foi contratada para realizar a pesquisa, o valor e a origem dos recursos gastos, a metodologia, o questionário completo aplicado e dados sobre a amostra, além da margem de erro e do nível de confiança.

A pedido de Wagner, Lívia do PT retira candidatura em Porto Seguro e apoia a candidato da base

/ Eleições 2020

Lívia Bittencourt (PT) retirou sua candidatura a prefeita de Porto Seguro, na tarde desta sexta-feira (13), e anunciou apoio ao candidato Uldurico Júnior (Pros), após pedido do governador Rui Costa (PT) e do senador Jaques Wagner (PT). A petista comunicou a desistência através de um vídeo que circula nas redes sociais.

”Fui comunicada de um pedido do senador Jaques Wagner e do nosso governador Rui Costa a apoiar o candidato da mesma base do governo. Por terem feito esse pedido, e eles são as maiores autoridades do meu partido aqui na Bahia, eu retirei minha candidatura e vou apoiar o Uldurico, que é o candidato da base”, contou Lívia.

”Nessa chapa, eu vou apoiar o Uldurico, que é primo dos meus filhos e que temos um laço familiar. Não apoio qualquer outra pessoa da chapa. Porque acredito na pessoa do Uldurico, porque eu conheço desde pequena. Desde já, quero agradecer a todos vocês e dizer que Porto Seguro não pode retroceder”, disse a petista.

A decisão da vereadora petista ocorreu hora após a divulgação de um vídeo em que o senador Wagner faz um apelo pela retirada da candidatura de Lívia, em favor de Uldurico. O deputado federal Valmir Assunção (PT) opinou em pedido contrário e pediu pela manutenção, mas terminou vencido no embate. Com informações do Bahia Notícias

 

Eleições 2020: Pesquisa mostra Maria e Alipinho empatados na disputa pela prefeitura de Ipiaú

/ Eleições 2020

Maria das Graças e Alipinho polarizam em Ipiaú. Fotomontagem/BMF

Levantamento de intenções de voto nas eleições 2020 em Ipiaú mostra os candidatos Maria (PP) e Alipinho (MDB) tecnicamente empatados. A pesquisa foi realizada pelo estatístico Denivaldo Fernandes na cidade em parceria com o site Bahia Notícias

Na pesquisa estimulada, a candidata Maria tem 39,74% e Alipinho 39,22%. Deraldinho aparece em terceiro lugar ao somar 10,65% das intenções de voto. Em seguida aparecem Val da Glut com 0,52%, e com 0,26% os candidatos Washington Luiz Dias Martins, Sub Oficial Gilvan Barbosa e Liliane dos sem teto. Carlos da Link’s não pontuou. Os eleitores que não souberam são 2,60%, que votariam branco ou nulo 1,82% e os indecisos são 4,67%.

O levantamento de Denivaldo Fernandes ouviu 385 eleitores entre os dias 9 e 10 de novembro de 2020. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 5,0 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Os dados referentes à pesquisa eleitoral das Eleições Municipais 2020 foram encaminhados à Justiça Eleitoral e protocolizados sob o nº BA-01606/2020.