Eleição rejeitou radicalismo, mas não é recado para Bolsonaro em 2022, diz Kassab

/ Eleições 2020

Em março de 2011, o então prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, cunhou uma frase que foi entronizada no anedotário político nacional.

O PSD, partido que iria fundar, não seria nem de centro, nem de direita, nem de esquerda. Símbolo da geleia ideológica brasileira para uns ou expoente do pragmatismo para outros, a sigla chegou à eleição deste ano com seu melhor resultado até aqui.

Elegeu 640 prefeitos, 101 a mais do que em 2016, e firmou-se como terceira maior força municipal do país, atrás de MDB e Progressistas.

Vingado num pleito em que o eleitor buscou nomes mais moderados, após o tsunami bolsonarista de 2018, Kassab sempre disse que a frase havia sido editada sem o contexto de que falava na construção do programa partidário.

”Se dependesse de mim, o partido seria de centro. Como acabou sendo e continuará sendo”, afirmou.

Fidelíssimo a seu estilo, nesta entrevista ele diz que o eleitor negou o radicalismo nas urnas, mas que isso nada tem a ver com rejeição ao presidente Jair Bolsonaro ou com definição do pleito de 2022. Lembrado que seu partido apoia e participa do governo, defende independência.

Em São Paulo, concede que a maioria do PSD deverá apoiar a candidatura do prefeito Bruno Covas (PSDB), mas faz muitos elogios à candidatura de Guilherme Boulos (PSOL), usualmente visto como uma besta-fera esquerdista em círculos conservadores.

E deixa no ar dúvidas sobre uma eventual união da centro-direita contra Bolsonaro em 2022, dizendo que vai trabalhar por uma candidatura própria de seu partido.

Afirmou que não discute sua eventual volta ao governo paulista, do presidenciável João Doria (PSDB).

Ele assumiu e se licenciou da Casa Civil do tucano em 2019 para responder às acusações de recebimento ilegal de recursos da empresa JBS, o que ele nega em inquérito.

Onze prefeitos na Bahia foram eleitos com menos de 100 votos de diferença dos adversários; veja lista

/ Eleições 2020

Onze municípios baianos tiveram disputa apertada. Foto: Reprodução

A máxima de que, em uma democracia, cada voto pode fazer a diferença, nunca fez tanto sentido para candidatos de algumas cidades baianas. Ao todo, 11 eleitos para o cargo de prefeito no Estado receberam menos de 100 votos a mais que os concorrentes.

A votação mais apertada ocorreu em Sebastião Laranjeiras, no sudoeste da Bahia. Dr. Pedro (PSB) foi eleito para assumir a prefeitura nos próximos quatro anos. Ao fim da apuração, ele teve 2.868 votos no total, apenas seis votos a mais do que a segunda colocada, Dr. Luciana (PL), que recebeu 2.862 votos. O duelo entre médicos teve a menor diferença de votos registrada nos municípios baianos nas Eleições deste ano. O vencedor obteve 50,05% dos votos, enquanto a adversária ficou com 49,95%.

Em outras duas cidades, menos de 30 eleitores foram suficientes para definir a disputa.

No município de Santa Terezinha, Agnaldo Andrade (PSD) derrotou Zé de Zila (PP) por uma diferença de 23 votos. Ao fim da apuração, Agnaldo teve 49,07% dos votos. Foram 3.432 votos no total. Enquanto o adversário ficou com 48,74% (3.409 votos).

Em Presidente Tancredo Neves, 26 votos separaram o primeiro do segundo colocado. Toin do Bó (PP) foi eleito prefeito para os próximos quatro anos. Ao fim da apuração, ele teve 6.801 votos contra 6.775 de Quinha (Republicanos).

Na cidade de Mulungu do Morro, a eleição foi decidida pela diferença de 31 votos. Edimario Boaventura (PSB) foi eleito com 50,18% dos votos. Foram 4.205 votos no total. O segundo colocado, Acácio (PT), obteve 49,82% (4.174 votos).

Já em Várzea do Poço foi preciso uma quantidade um pouco maior de votos para decidir o futuro da cidade. Carneiro (PC do B) venceu a candidata Simone (DEM) por uma diferença de 48 votos. Carneiro 2.762 votos ( 50,44%). A opositora ficou com com 49,56% (2.714 votos).

Três eleitores a mais definiram as eleições em Santa Cruz da Vitória. Eleito novo gestor municipal. Professor Maurício (PSDB) derrotou Jackson Bonfim (PT). O primeiro 1.850 votos no total, enquanto o segundo ficou com 1.799.

A apuração também foi emocionante em Mirangaba. Por lá, 53 votos separaram o vencedor do segundo colocado. Ao fim da apuração, Dirceu Ribeiro (PSD) ficou com 36,46% (3.384).Já Adilson do Banco (PDT) obteve 35,89% (3.331).

Edione (PP) foi eleita a nova prefeita de Jaguaquara com 47,14% dos votos. Foram 11.685 votos no total. A candidata derrotou Raimundo do Caldo (PSD), que ficou em segundo lugar com 46,91% (11.627 votos), ou seja, 58 eleitores de diferença.

Outras cidades

Itiúba- diferença de 79 votos

Zé do Rádio (PP)- 10.263  votos (48,33%)
Dra Cecilia (PC do B)- 10.184 votos (47,96%)

Macaúbas- diferença de 82 votos

Aloisio (DEM)- 11.414 votos (47,60%)
Amelinho (PT)- 11.332 votos (47,26%)

Barro Alto- diferença de 88 votos

Orlando Amorim (PL)- 4.446 votos (50,50%)
Dadê (PSB)- 4.358 votos (49,50%). *BNEws

Vitória de Boulos em São Paulo não era considerada por Lula como derrota para o PT

/ Eleições 2020

Guilherme Boulos vai ao 2º turno das eleições. Foto: Reprodução

A ida de Guilherme Boulos (PSOL-SP) para o segundo turno das eleições municipais de São Paulo (SP), deixando o PT para trás, já era uma possibilidade real para o ex-presidente Lula (PT) antes mesmo da realização do pleito.

Lula não considerava a vitória do psolista como uma derrota para o PT, visto que Boulos é do campo da esquerda e não faz oposição nem ataca o partido, embora se mantenha autônomo.

Outro ponto positivo, segundo informações da coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, é que o candidato a prefeito da capital paulista, apesar de herdar votos do PT, pouco ou nada deve às lideranças da legenda.

O gesto de Lula, de votar bem cedo e ainda dar uma entrevista, com as urnas abertas, dizendo que a decisão de o PT não declarar voto em Boulos foi ”exclusivamente” do candidato Jilmar Tatto, foi entendida como uma senha para que as pessoas votassem no psolista.

Prefeito eleito de Tucano é mais jovem da Bahia, tem 21 anos e é filho do prefeito de Ribeira do Pombal

/ Eleições 2020

Ricardo Maia Filho foi eleito prefeito de Tucano. Foto: Rede social

Eleito prefeito mais novo da Bahia, Ricardo Maia Filho (PSD) de 21 anos irá assumir o executivo do município de Tucano, na região de Sisal, em 1º de janeiro do próximo ano, após conquistar 14.166 votos nas urnas, 49,27% dos votos válidos. O jovem derrotou o atual prefeito Rubinho (DEM) que teve 10.695 votos.

Nascido em 25 de abril de 1999, Ricardo Maia Filho atribuiu a vitória à dedicação na campanha e a proposição de projetos possíveis para o município. Ao site Bahia Notícias, o candidato eleito disse que o fato de ser filho de Ricardo Maia (PSD), atual prefeito de Pombal, cidade a 25 km de Tucano, colaborou para a conquista. ”Facilitou por trazer confiança aos nossos projetos para o município. O povo confia por que tem visto o que meu pai tem feito em Pombal”, declarou.

Maia Filho conta que enfrentou problemas com a idade por que a oposição fazia campanha contra alegando que ”política tem que ser feita por quem tem mais experiência, tem que ser mais velho”. ”Este é um pensamento antigo, fui lá e mostrei que seria capaz de ganhar a eleição, assim como vou provar que sou capaz de mudar Tucano”, assegurou.

Oito dos 19 vereadores conseguem reeleição em Jequié. Ramon é o mais votado, pela 2ª vez

/ Eleições 2020

Ramon Fernandes obteve 2.776 votos. Foto: Emanuel Jr.

Em Jequié, oito vereadores conseguiram reeleição nas Eleições Municipais 2020, realizadas no domingo (15). Ramon Fernandes é o campeão de votos e a professora Cida conquistou uma cadeira com pouco mais de 650 votos. A seguir a relação dos eleitos:
Ramon Fernandes PDT 2.776 votos
Duda Simões PSB 2.107
Gutinha PP 1.895
Marcinho PDT 1.743
Walmiral Marinho PP 1.690
Ziel PP 1.595
Ivan do Leite DEM 1.538
Bui Bulhões PODEMOS 1.510
Sidney Magal PSD 1.414
Joaquim Caires PODEMOS 1.404
Junior Braga PDT 1.278
Tinho PV 1.260
Colorido PP 1.137
Soldado Gilvan REPUBLICANOS 1.129
Moana Meira PSD 1.054
San PSD 1.006
João Paulo Fernandes PSD 1.004
Marcos do Ovo SOLIDARIEDADE 994
Professora Cida PT 653 votos

Nova Itarana reelegeu o prefeito Dannilo, do PSD, de 36 anos, com o maior percentual na Bahia

/ Eleições 2020

Antonio Dannilo foi reeleito em Nova Itarana. Foto: Divulgação

O atual prefeito de Nova Itarana, no Vale do Jiquiriçá, Antonio Dannilo (PSD), 36 anos, obteve uma vitória esmagadora na eleição de domingo (15), sendo reeleito para o segundo mandato de chefe do Executivo.

No município com 6.429 eleitores aptos a votar, a eleição teve 19,38% de abstenção, 2,3% votos brancos e 5,05% votos nulos.

Ao fim da apuração, Danilo teve 87,44% dos votos. Foram 4.199 votos no total, considerado o maior percentual de votos na Bahia. A vice é Dedé, do PP, que tem 67 anos.  O candidato derrotou Elisio de Nova Itarana, que ficou em segundo lugar com 12,56% (603 votos).

Aos 58 anos, Lúcio Monteiro volta à cena política e irá administrar Ubaíra pela quarta vez

/ Eleições 2020

Lúcio venceu Neném por 199 votos de diferença. Foto: Divulgação

Lúcio Monteiro (PSD), que governou Ubaíra por três vezes, (1997-2000, 2005-2008, 2009-2012) e no pleito de 2016 foi vencido pelo atual Fred Andrade (PP), por uma diferença de 643 votos é pré-candidato, irá administrar do Vale do Jiquiriçá pela quarta vez.

Lúcio foi eleito prefeito no domingo (15), derrotando o candidato apoiado por Fred, que desistiu da reeleição e declarou apoio ao ex-secretário municipal Neném, do PP.

Lúcio conquistou 50,47% dos votos válidos, 6.290, contra 48,87 – 6.091 obtidos por Neném, uma diferença de 199 votos.

O terceiro colocado Zé Osni do PTC conquistou 82 votos. Político experiente, Lúcio teve suas gestões marcadas pela realização de importantes obras em Ubaíra e contas aprovadas pelo Tribunal.

Antonio Sampaio desbanca união de adversários e vai governar Irajuba pela quarta vez

/ Eleições 2020

Sampaio venceu o prefeito Jerinho por 262 votos: Foto: Divulgação

A matemática dos adversários de Antônio Sampaio (PP) em Irajuba mostrava chance do atual gestor, Jerinho Souza (PSD), vencer a eleição após aliança com o ex-prefeito Humberto Solon e apoio declarado de outras figuras influentes no processo político local.

Contudo, o resultado das urnas trouxe um cenário diferente do previsto pelo grupo de Jerinho. Sampaio, que em 2016 findou o seu segundo mandato consecutivo e apoiou a candidatura do atual gestor, que se tornou seu principal opositor após ruptura neste ano, voltará a governar Irajuba.

Ele foi eleito com 53,17% dos votos válidos, ou seja, 2.200, contra 46,83% – 1.938 votos obtidos por Jerinho. A diferença do primeiro para o segundo colocados foi de 262 votos.

Vitória de Emerson em Santa Inês foi acachapante e é apontado como possível candidato a deputado

/ Eleições 2020

Emerson Eloi foi reeleito prefeito de Santa Inês. Foto: Rede social

O prefeito Emerson Eloi, do PT, vai governar Santa Inês por mais quatro anos. Ele foi reeleito com vitória acachapante na eleição municipal de domingo (15), obtendo 83,07% dos votos válidos, ou seja, 4.862, ao derrotar Júnior de Valdélia, do PCdoB, que conquistou 16,93%, 991 votos.

Emerson venceu o pleito 2020 com uma larga vantagem sobre o adversário, 3.871 votos de diferença, resultado que consolida seu projeto político na cidade. Muito elogiado por correligionários, por ter realizado uma gestão que, aparentemente deu cara nova a Santa Inês, sobretudo no aspecto urbanístico, o Professor, como é chamado pelos aliados é apontado como possível candidato a deputado estadual. Para o cargo de vice, foi eleito o também professor, Erivaldo Santana (PT).

No período de pré-campanha, Emerson e o seu opositor, Júnior, travaram uma batalha nas redes sociais. A cada vídeo, o adversário acusava o petista de possíveis irregularidades, e o gestor o rebatia, classificando-o de estagiário de Direito.

Marco conquista vitória maiúscula em Itaquara, a segunda maior da história local, desde 1988

/ Eleições 2020

Marco foi reeleito com 454 votos de diferença. Foto: Rede social

O prefeito Marco Aurélio Costa (PSB), foi reeleito em Itaquara, no Vale do Jiquiriçá, conquistando uma vitória maiúscula. O pleito eleitoral no município que neste ano tinha 6.410 eleitores aptos a votar sempre foi marcado por disputas emblemáticas, com pequena diferença entre o primeiro e segundo colocados. Marco, inclusive, foi eleito em 2016 vencendo a prefeita Iracema Guimarães (MDB) à época com 37 votos de frente.

Contudo, o cenário mudou em 2020 e o gestor de 27 anos venceu a disputa com 2.855 votos, 454 a mais que o segundo colocado, Léo (PP), que obteve 2.401 votos. O candidato Anderson do PTC conquistou 10 votos. Conforme apurou, a última vitória de prefeito eleito com larga vantagem foi em 1988, quando Astor Araújo (in memoriam) derrotou Hidelrando, com 1.017 votos de diferença.

Líder de pesquisas, Soya foi reeleito em Maracás com 1.884 votos a mais que Fábio Pena

/ Eleições 2020

Soya Novaes continuará governando Maracás. Foto: Divulgação

A eleição municipal em Maracás levou às urnas 16.242 eleitores, dos 21.605 aptos a votar e teve como vencedor o atual prefeito, Soya Novaes (PDT), que foi reeleito com 8.106 votos, desbancando Fábio Pena (PSD), que obteve 6.222 votos, Paulo dos Anjos (PSB), 906 votos e Val de Zica (PT), 143 votos.

A diferença de votos entre o primeiro e o segundo colocados, 1.884, confirma o que era apontado em pesquisas de intenção de voto, que mostrava Soya na liderança desde o início da eleição.

Deputado, Zé Cocá foi eleito prefeito de Jequié com 2.894 votos a mais que James Meira

/ Eleições 2020

Zé Cocá obteve 30.301 votos em Jequié. Foto: Divulgação

Em uma das mais acirradas disputas de votos da história política de Jequié, o deputado estadual Zé Cocá (PP) elegeu-se no domingo (15), prefeito do município para o quadriênio 2021-2024, numa disputa polarizada com o servidor público federal James Meira (Patriota), que pela primeira vez participou de uma disputa política-eleitoral.

O resultado oficial do Tribunal Superior Eleitoral-TSE, registrou o candidato vencedor com 30.301 votos e o segundo colocado com 27.407 votos. Com a lentidão na atualização dos números oficiais, a constatação do resultado começou a ser comemorada horas antes dos números oficiais, com base na totalização paralela feita a partir da soma dos boletins das 261 seções. A frente favorável a chapa vencedora Zé Cocá (PP)/Poliana Leandro (PT), foi de 2.894 votos.

A terceira colocação na disputa ficou com o Dr. Fernando (PSD), que obteve 18.128 votos; Pé Roxo (PSOL), na quarta posição com 1.817 votos e na última colocação Rita Rodrigues (PCdoB), com 1.484 votos do eleitorado. *Jequié Repórter

Bruno diz que não vai ampliar estrutura da prefeitura de Salvador para acomodar partidos aliados

/ Eleições 2020

Bruno Reis foi eleito no 1º turno. Foto: Uendel de Souza/bahia.ba

O prefeito eleito de Salvador, Bruno Reis (DEM), afirmou nesta segunda-feira (16) que não pretende aumentar o número de secretarias e nem de demais órgãos que compõem o governo para acomodar os 15 partidos da coligação que o apoiou no pleito deste ano.

Questionado sobre se já tem ideia de como será o secretariado da nova gestão, Bruno disse que, passada a eleição, vai começar a pensar neste desenho. O novo prefeito terá o desafio de acomodar uma miríade de siglas com cargos na prefeitura: DEM, PDT, REPUBLICANOS, MDB, SOLIDARIEDADE, CIDADANIA, PL, PSL, PSC, PATRIOTA, PSDB, PV, DC, PMN e PTB.

”Ganhando a eleição, vamos pensar na formação do governo. Mas a gente compreende que não é o momento de ampliar a estrutura administrativa. A gente é da visão de que, quanto menor estrutura, mais dinheiro sobra para investimentos. Um outro princípio é colocar [na gestão] pessoas técnicas, qualificadas. Não tenho preconceito de estar nesse ou naquele partido. Tem que ser um nome com qualidade, que tenha o perfil, que possa dar conta do recado. A melhor forma de fazer política é fazendo gestão. Vamos colocar questões técnicas à frente das questões políticas. Acabada a eleição, é hora de governar, de trabalhar”, afirmou em entrevista ao ”Isso é Bahia”, programa do Bahia Notícias e do Grupo A Tarde na rádio A Tarde FM.

Na atual gestão de ACM Neto (DEM) como vice-prefeito, Bruno espera fazer uma transição rápida e fácil de governo, já que argumenta ter ciência dos principais problemas da capital baiana. ”Eu vinha ajudando o prefeito a governar a cidade. Então, estou atualizado de todos os assuntos. Eu conheço profundamente essa cidade”, defendeu. Segundo ele, o processo de transição começa nesta segunda, em reunião à tarde com Neto, seu padrinho político e principal fiador da campanha.

Bruno garantiu que pretende ter relação cordial com o governador da Bahia, Rui Costa (PT), oposição ao seu partido, que vai conversar com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para garantir recursos a Salvador e que não fará um governo de preconceito em relação a partidos oponentes.

”Irei procurar o governador, irei procurar o presidente. Tinham projetos que eu estava elaborando como secretário de Infraestrutura que vou procurar apoio. Não tenha dúvida. Eu não tenho preconceito nenhum”, argumentou.

”Eu dizia na campanha que eu era o único que não tinha amarras políticas, ideológicas, que me impediam de dialogar. Eu sou um democrata nato. Tenho mais de 20 anos de vida pública. Tenho relações com todos os partidos, tanto que consegui construir a maior aliança do Brasil entre os candidatos nas capitais. Não tenho dificuldade nenhuma de aproveitar uma boa proposta deste ou daquele candidato”, garantiu.

Eleito em primeiro turno com 64,20% dos votos, Bruno assume a prefeitura de Salvador em 1º de janeiro de 2021. Com informações do Bahia Notícias

Presidente do TRE-BA celebra eleições em meio à pandemia: ”Exemplo de competência”

/ Eleições 2020

Desembargador Jatahy Júnior, presidente do TRE. Foto: Divulgação

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), desembargador Jatahy Júnior, considera que a Justiça Eleitoral brasileira passou exemplo de competência para o mundo com as eleições do domingo (15). Em mensagem divulgada nesta segunda (16), o presidente disse estar com sentimento de ”dever cumprido”.

”A despeito do sucesso recorrente dos trabalhos da Justiça Eleitoral nos vários pleitos anteriores, esse passará para a história em razão de ter sido realizado em plena pandemia, ainda com o novo coronavírus circulando. Tal fato torna ainda mais admirável o trabalho desenvolvido pela Justiça Eleitoral, passando para o mundo um exemplo de competência, seriedade e eficiência”, destacou Jatahy.

No primeiro turno das eleições, a Justiça Eleitoral baiana registrou 78 substituições de urnas eletrônicas em Salvador (20), Feira de Santana (3), Seabra (3), Jequié (4), Chorrochó (1), Santo Estevão (2), Itaberaba (1), Araci (1), Vitória da Conquista (4), Barra do Choça (2), Anguera (1), Formosa do Rio Preto (1), Alagoinhas (2), Santo Estevão (1), Abaré (1), Biritinga (1), Guanambi (1), Serrinha (1), Nova Fátima (1), Barra da Estiva (2), Coronel João Sá (1), Barrocas (1), Mortugaba (1), Teofilândia (1), Cristópolis (1), Barra do Mendes (1), Itororó (1), Itajú do Colônia (1), Jaguaquara (2), Ipirá (1), Itabuna (1), Nova Redenção (1), Cipó (2), Jeremoabo (2), Andaraí (2), Luiz Eduardo Magalhães (3), Retirolândia (2), Araci (1)e Barreiras (1). Ao todo, foram distribuídas 27.090 urnas eletrônicas em todo o estado.

O TRE-BA registrou ainda 79 ocorrências envolvendo não-candidatos, das quais quatro incorreram em prisão por transporte irregular de eleitor e por propaganda irregular. O primeiro caso ocorreu em Porto Seguro e em Pau Brasil, e o último em Ipiaú e em Ibirataia.