Depois de temporada na Europa, Ciro Gomes chega a Fortaleza, mas não fala com a imprensa

/ Eleições 2018

Ciro é pressionado por apoio a Fernando  Haddad. Foto: Estadão

O candidato derrotado à Presidência Ciro Gomes (PDT) chegou nesta sexta-feira (26) a Fortaleza depois de temporada na Europa após a eleição. Na chegada, ele não falou com a imprensa nem fez declarações. Segundo a direção do PDT do Ceará, ficou inviável ele falar pela quantidade de gente, estimada em 400 pessoas. Artistas eleitores de Ciro têm pressionado o ex-candidato a declarar apoio a Fernando Haddad de forma mais contundente.

Prefeito de Jequié emite nota pública declarando voto em Fernando Haddad para presidente

/ Eleições 2018

Sérgio diz que momento do país é grave. Foto: Blog Marcos Frahm

Aliado do governador Rui Costa (PT), o prefeito de Jequié, maior colégio eleitoral do Território de Identidade Médio Rio de Contas e atual presidente do consórcio intermunicipal que representa os municípios da região, Sérgio da Gameleira (PSB), emitiu nota pública à imprensa no final da tarde desta sexta-feira (26), faltando 2 dias para as eleições presidenciais declarando apoio ao candidato petista, Fernando Haddad e, nas entrelinhas, criticou o candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Tão logo divulgada pela sua assessoria, a nota de Gameleira foi reproduzida pelo governador nas redes sociais. Leia abaixo a nota na íntegra

O Brasil vai às urnas neste domingo para escolher o seu próximo presidente da República e está perigosamente dividido.
Entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, votarei em Haddad!

Muito mais que semelhanças ideológicas, há de minha parte a responsabilidade de afirmar a crença na conciliação e no diálogo como instrumentos de superação da profunda crise brasileira.

O momento é grave e exige um presidente conciliador e comprometido com a paz, com o respeito aos contrários, com a justiça social e com a democracia.

Fora disto é empurrar o Brasil para o embrutecimento e o abismo!

A vitória de Haddad será importante, não apenas pelas razões que expus mas, sobretudo, pela necessidade de termos na presidência alguém que olhe para a Bahia com o sentimento de respeito, justiça e carinho com os baianos.

Por amar e querer o melhor para Jequié, a Bahia e o Brasil, votarei em Fernando Haddad, 13!

Sergio da Gameleira
Prefeito de Jequié

ACM Neto manda Wagner se preocupar com a derrota que o PT sofrerá no próximo domingo

/ Eleições 2018

Neto rebate Wagner após ser chamado de covarde. Foto: A Tarde

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), resolveu responder à alfinetada do senador eleito Jaques Wagner (PT), que, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (26), disse que o maior erro do gestor municipal foi não sair candidato ao Governo do Estado em 2018 e só ter avisado às vésperas das eleições. ”O governador Jaques Wagner deveria se preocupar mais com sua vida e com a contundente derrota que o PT vai sofrer no próximo domingo do que perder tempo falando o que não deve”, bradou Neto pelo Twitter. Para Wagner, a consequência dessa ação de Neto foi o aprisionamento de novas lideranças, o que pode levar integrantes do grupo dele a querer presidir o PSL na Bahia. ”O maior erro foi ele mesmo, que acabou com o grupo dele. Eu continuo dizendo: ele tomou a decisão correta, eu completei o meu segundo mandato, mas ele tinha que ter avisado em julho de 2017 e não no dia 7 de abril. Não sei porque ele deixou para avisar nessa data. Agora alguém que lidera um grupo e diz o tempo todo que vai ser, isola o surgimento de novas lideranças e depois, quando chega na hora, diz que não vai ser. Ele decepcionou não foi a mim, mas aos torcedores dele. Ele facilitou”, criticou o senador eleito. Com informações do Bocão News

Artistas contrários a Bolsonaro se reúnem em movimento ”Vira Voto” ao redor do Brasil

/ Eleições 2018

Artistas tentam mudar voto. Foto: Reprodução: Instagram

Faltando apenas 3 dias para definir o futuro do Brasil o movimento ‘Vira Voto’ criado através das redes sociais ganhou adeptos da música e da televisão. Contrários a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), artistas se espalharam pelas ruas do Brasil na intenção de conversar um eleitor que está na dúvida de quem votar no domingo (28) em troca de um pedaço de bolo e um copo de café, e explicar o porquê do candidato deles, Fernando Haddad (PT), seria a melhor opção para o cenário da política brasileira. O perfil que hoje conta com mais 200 mil seguidores compartilhou nesta sexta-feira (26) cliques de artistas globais em conversa com eleitores nas ruas. Entre as celebridades estão Patrícia Pillar, ex-mulher de Ciro Gomes, Letícia Sabatella, Letícia Collin e Luisa Arraes, protagonistas da novela Segundo Sol, Enrique Diaz e Paulo Betti. A maioria dos artistas que aderiram ao ‘Vira Voto’ também fizeram parte do coro que ganhou repercussão internacional ‘#EleNão’ no primeiro turno das eleições.

Veja as propostas dos candidatos Jair Bolsonaro e Fernando Haddad para a política externa

/ Eleições 2018

Os candidatos à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) apresentam caminhos distintos para a política externa. Bolsonaro tem acenado com uma maior aproximação com os Estados Unidos e elogiado as políticas implementadas pelo governo de Donald Trump. No âmbito regional, o candidato defende o distanciamento do Brasil de países como Venezuela e Cuba. Haddad, por sua vez, defende o aprofundamento da integração na América Latina por meio do Mercosul, da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) e da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). Seu plano de governo também prevê o fortalecimento da participação brasileira em mecanismos multilaterais como o Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Jair Bolsonaro

Na proposta de governo entregue pelo candidato ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Bolsonaro fala em um “novo Itamaraty”. Segundo o texto, o Ministério das Relações Exteriores precisa estar a serviço de valores que sempre foram associados ao povo brasileiro. A outra frente, diz o programa, será fomentar o comércio exterior com países que possam agregar valor econômico e tecnológico ao Brasil. ”Deixaremos de louvar ditaduras assassinas e desprezar ou mesmo atacar democracias importantes como EUA, Israel e Itália. Não mais faremos acordos comerciais espúrios ou entregaremos o patrimônio do povo brasileiro para ditadores internacionais”, diz o documento. Sobre comparações feitas entre ele e o presidente dos Estados Unidos, Bolsonaro respondeu, em coletiva de imprensa, no último dia 20: ” Trata-se de querer um Brasil grande assim como ele quer uma América grande.”Ele [Trump] diminuiu a carga tributária do setor produtivo, foi criticado, mas isso gerou emprego e atraiu novas empresas de fora. A Inglaterra fez isso há 20 anos. Admiro muito ele [Trump] por isso aí, ou vão querer que eu admire [Nicolás] Maduro [presidente venezuelano] ou o governo cubano?”, acrescentou Bolsonaro. No âmbito regional, o plano de Bolsonaro prevê aprofundamento da integração ”com todos os irmãos latino-americanos que estejam livres de ditadura”. ”Precisamos redirecionar nosso eixo de parcerias”. Sobre o Mercosul, o candidato afirmou, na entrevista do dia 20, que não se pode “jogar para o alto” o acordo. ”O que não pode é continuarmos usando acordos como esse em função de interesses ideológicos como o PT fez”, criticou. ”Vamos partir para o bilateralismo onde for possível. Conversei com o [Mauricio] Macri [presidente da Argentina], ontem com o do Paraguai [Mario Abdo], encontrei senadores do Chile. Vamos buscar fazer acordos com os países da América do Sul sem o viés ideológico”.

Fernando Haddad

Em seu programa de governo registrado no TSE, Haddad aponta para a ”retomada de uma atitude proativa no plano internacional” com o fortalecimento de iniciativas como o Brics e o Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul (Ibas). ”Isso é essencial para criar um mundo mais equilibrado e menos dependente de um único polo de poder, de modo a superar a hegemonia norte-americana”, diz o documento. O candidato também defende o aprofundamento das relações de ”amizade e parceria” com os países africanos e árabes e disse que sua administração estará empenhada em promover a reforma do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) em prol de um mundo mais multipolar e equilibrado.

”As mudanças no cenário internacional, especialmente nos EUA sob o governo Trump, apontam no sentido de esvaziamento dos organismos multilaterais, menor peso para aspectos normativos e maior ênfase à velha política de poder de ações unilaterais. Isso apresenta grandes riscos como exacerbação de conflitos e ações militares unilaterais, mas também cria aberturas para um mundo mais multipolar, menos submetido à influência hegemônica de um polo de poder”, diz o plano do candidato do PT. Segundo a proposta, o Brasil deve retomar e aprofundar a política externa de integração latino-americana e a cooperação Sul-Sul de forma a apoiar o multilateralismo, a busca de soluções pelo diálogo e ”o repúdio à intervenção e a soluções de força”. ”O Brasil também voltará a ter presença ativa no Sistema Internacional de Direitos Humanos”, diz o texto. Para o petista, é necessário recuperar os avanços na integração regional. Seu governo, afirma, promoverá a integração das cadeias produtivas regionais, a expansão da infraestrutura e o fortalecimento de instrumentos de financiamento do desenvolvimento, como o Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem). Da Agência Brasil

Em rede social, artistas baianos fazem convite para caminhada com Haddad em Salvador

/ Eleições 2018

Artistas estarão em ato pró-Haddad em Salvador. Foto: BNews

Artistas baianos usaram as redes sociais para convidar os seus seguidores para a ”Caminhada da Paz”, que acontece na tarde desta sexta-feira (26), em Salvador. Previsto para começar às 15h, o evento terá início no monumento das Gordinhas, em Ondina, e seguirá até o Farol da Barra. O ato vai contar com a presença do candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), e do governador da Bahia, Rui Costa (PT). Os cantores Luiz Caldas, Katê, Marcia Castro e Marcia Short, Zelito Miranda e Daniela Mercury, Mari Antunes, estão entre os artistas que fizeram as gravações.

Bolsonaro pede empenho e Fernando Haddad faz corpo a corpo na reta final de campanha

/ Eleições 2018

Candidatos chegam na reta final da campanha. Foto: Reprodução

As candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) adequaram os discursos e táticas para os dois últimos dias da campanha presidencial. O capitão reformado, que lidera as pesquisas de intenção de voto e esta semana chegou a dizer que estava com a “mão na faixa”, procura conter o excesso de otimismo e pediu ontem empenho dos apoiadores. A campanha petista, por outro lado, investe na reta final do segundo turno numa estratégia de corpo a corpo e convencimento dos eleitores nas ruas. Para evitar possíveis prejuízos eleitorais na votação de domingo, o candidato do PSL reafirmou que será neutro nas disputas pelos governos estaduais, especialmente em São Paulo. Pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira, 25, mostrou Bolsonaro com 56% das intenções de voto, enquanto Haddad aparece com 44%. Na comparação com o último levantamento do instituto, a diferença entre os candidatos diminuiu de 18 pontos porcentuais para 12 pontos em uma semana. “Quero neutralidade, porque não está garantida minha eleição no próximo domingo, e a eleição mais importante para quem está do meu lado é a minha”, disse Bolsonaro, que cobrou empenho dos correligionários: “Em São Paulo, por exemplo, a preocupação número um não é eleger um ou outro candidato a governador, e sim somar votos para a nossa candidatura.” Na noite de quarta-feira, 24, em discurso transmitido por seu perfil no Facebook, Bolsonaro já havia reclamado da disputa paulista. “Estou vendo uma briga em São Paulo… em vez de brigar por voto pra mim, fica um (apoiando um) candidato (e outro) apoiando o outro, pelo amor de Deus! O objetivo de vocês é Jair Bolsonaro, depois é (Márcio) França (do PSB) ou (João) Doria (do PSDB)”, disse. “Uma briguinha que parece que vocês se elegeram por mérito próprio. Com toda certeza, alguns seriam eleitos, (mas) a maioria não.” No Estado, o maior colégio eleitoral do País, Doria associa sua candidatura à do presidenciável do PSL, mas o senador eleito Major Olímpio (PSL) faz campanha para França. Apesar de a desvantagem nas pesquisas ainda ser significativa, a ordem no PT é mobilizar militantes e voluntários nas ruas para tentar virar votos de eleitores que dizem apoiar Bolsonaro. O comando do partido enviou um comunicado para que todos os diretórios se mobilizem nestes últimos dias. Segundo o PT, foram registradas recentemente iniciativas semelhantes e espontâneas – sem a participação de filiados – de centenas de grupos organizados em diversos segmentos pró-Haddad. Alguns petistas comparam o momento com a reta final do segundo turno em 2014, quando o partido acredita que a militância espontânea fez a diferença na disputa entre Dilma Rousseff e Aécio Neves (PSDB). Nas grandes cidades, o PT montou equipes para percorrer as periferias batendo de porta em porta. O objetivo é tentar reconquistar votos que já foram do partido. Isso faz parte de uma mudança de estratégia adotada no início da semana passada. Depois de dez dias “perdidos” no início do segundo turno à espera de uma ampla “frente democrática” que pudesse ampliar a candidatura de Haddad para o centro do espectro político, a campanha decidiu mudar de rumo e reorientar esforços com foco no eleitorado petista tradicional, em especial a população de baixa renda. O resultado na cidade de São Paulo da mais recente pesquisa do Ibope/Estado/TV Globo – na qual Haddad aparece numericamente à frente do adversário, com 51% ante 49% – foi o que mais animou a campanha petista. As promessas de Haddad de reajustar o salário mínimo acima da inflação, aumentar em 20% o valor do Bolsa Família e fixar teto de R$ 49 para o botijão de gás fazem parte dessa reorientação.

Eleições 2018: Propaganda eleitoral gratuito no rádio e TV termina nesta sexta-feira

/ Eleições 2018

Nesta sexta-feira (26), a dois dias do segundo turno das eleições, serão exibidos os últimos programas do horário eleitoral gratuito no rádio e na TV. Hoje também é o último dia para divulgação de campanha paga na imprensa. Pelo calendário eleitoral, amanhã, véspera da votação, é o último dia para propaganda eleitoral com alto-falantes ou amplificadores de som, entre 8h e 22 horas. O prazo é o mesmo para a distribuição de material gráfico, caminhada, carreata, passeata ou para uso de carro de som com músicas ou mensagens de candidatos. No domingo, podem ser divulgadas as pesquisas de intenção de voto realizadas neste sábado (27), para todos os cargos. As de boca de urna, feitas no dia da eleição, só podem ser conhecidas após encerrado o pleito. No caso de presidente, em razão das diferenças de fuso horário, a divulgação só poderá ser feita quando acabar a votação em todo o território nacional. Nas disputas para governador, a divulgação das pesquisas pode feita após as 17 horas do horário local. No dia das eleições, domingo, é proibida a aglomeração de pessoas com camisetas padronizadas com o nome de um candidato que caracterize manifestação coletiva. No domingo, os eleitores podem se manifestar usando camisetas, broches ou bandeiras com nome do partido ou candidato de sua preferência desde que de forma individual e silenciosa. A legislação sobre consumo de bebida alcoólica no período de votação – chamada de Lei Seca – não é determinada pelo TSE. Ela varia de acordo com o estado e fica a cargo dos Tribunais Regionais Eleitorais.

Para se aproximar do PSL, ACM Neto oferece secretaria para marido de Dayane Pimentel

/ Eleições 2018

Dayane Pimentel preside o PSL na Bahia. Foto: Reprodução

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), ofereceu uma secretaria da administração municipal para a presidente do PSL na Bahia, a deputada federal eleita Dayane Pimentel. A parlamentar é principal aliada na Bahia do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que lidera as pesquisas de intenção de votos contra Fernando Haddad (PT). Segundo o site Metro1, a pasta pode ficar com o marido de Dayane Pimentel, Alberto Pimentel. O encontro de Neto com a deputada ocorre após o mesmo portal divulgar que o ex-prefeito de Feira de Santana e ex-candidato ao governo da Bahia, José Ronaldo (DEM), tem articulado para ser o principal interlocutor de Bolsonaro no estado. A relação entre Neto e Zé Ronaldo não anda boa desde que o feirense anunciou em um debate na TV Bahia que apoiaria Bolsonaro, apesar de o DEM ter feito uma coligação com o então candidato a presidente da República, Geraldo Alckmin (PSDB).

Em horário eleitoral, mulher de Bolsonaro aparece em programa e tenta suavizar imagem do marido

/ Eleições 2018

Michelle, de blusa preta, apareceu em programa. Foto: Estadão

Discreta durante toda a campanha, Michelle Bolsonaro, mulher do presidenciável do PSL, apareceu nesta quinta-feira (25), na propaganda eleitoral na televisão, com a missão de adocicar a imagem do marido. Mãe da filha caçula de Jair Bolsonaro, de oito anos, Michelle o descreve como um homem que tem ”um brilho no olhar diferenciado, um cara humano, que se preocupa com as pessoas”. Apresentada como alguém ligada às causas das pessoas com deficiência, uma mulher ”forte e sensível”, que ”estará junto com Jair Bolsonaro trabalhando pelo Brasil”, Michelle diz no programa que o marido ”é muito brincalhão, natural, dado, um ser humano maravilhoso”. Sua fala reforça a narrativa de que posturas preconceituosas do candidato, externadas reiteradamente em entrevistas e vídeos em seus quase 30 anos de vida pública, são apenas piadas, e não irão se refletir em decisões num eventual governo seu. ”Quem conhece e convive sabe que ele é assim. É o meu amor, né?”, ela continua, sorrindo, na propaganda. Até aqui, a mulher de Bolsonaro pouco aparecia ao lado dele nas agendas de rua. Foi uma forma de blindá-la do polarizado cenário eleitoral. Evangélica praticante, Michelle tem ligação com a comunidade surda. No programa na TV, contou que aprendeu a Linguagem Brasileira de Sinais sozinha, por ter um tio surdo. Recentemente, Bolsonaro se encontrou com representantes de grupos de pessoas com deficiência, por seu intermédio. Ele assinou um compromisso de propor políticas públicas que melhorem a condição de vida dessa parcela da população caso seja eleito, o que também foi filmado e exibido. Bolsonaro e Michelle têm uma diferença de idade de 27 anos. Os dois se conheceram na Câmara dos Deputados, em 2007. Natural do Distrito Federal, ela era uma jovem secretária e ele, um parlamentar com experiência. O deputado a levou para trabalhar em seu gabinete, mas um ano depois a exonerou, por conta da decisão do Supremo Tribunal Federal proibindo nepotismo. A festa de casamento foi realizada em 2013. A cerimônia, numa casa de festas do Rio, foi presidida pelo pastor evangélico Silas Malafaia.

Em levantamento do Datafolha: Bolsonaro tem 56% e Fernando Haddad, 44%; diferença cai seis pontos

/ Eleições 2018

Bolsonaro e Haddad disputam 2º turno. Foto: Reprodução

Jair Bolsonaro (PSL) tem 56% das intenções de voto e Fernando Haddad, 44%, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (25), a três dias do segundo turno. Em relação ao último levantamento do instituto, divulgado na última quinta-feira (18), a diferença entre os dois caiu seis pontos percentuais. Na pesquisa anterior, os percentuais eram de 59% e 41%. Nos votos totais, o candidato do PSL ficou com 48% e Haddad teve 38%. Brancos e nulos somaram 8%. Não souberam ou não opinaram 6%. O Datafolha entrevistou 9.173 eleitores em 341 cidades na quarta (24) e na quinta (25).

Rejeição –  O levantamento encomendado pela Folha e TV Globo apontou ainda que a rejeição a ambos os candidatos permanece alta – uma marca desta eleição. Haddad viu a sua oscilar negativamente de 54% para 52%, enquanto Bolsonaro teve a sua subindo três pontos, para 44%. A certeza do voto dos eleitores declarados de ambos é alta: 94% dos bolsonaristas e 91% dos pró-Haddad se dizem convictos.

Ciro Gomes volta de viagem a Europa e deve anunciar voto em Fernando Haddad no 2º turno

/ Eleições 2018

Ciro volta de viagem de descanso na Europa. Foto: Estadão

O irmão de Ciro Gomes e ex-governador do Ceará, Cid Gomes, está organizando um grande ato no estado, para receber, nessa sexta-feira (26) à noite, o ex-candidato do PDT, que retorna de viagem de descanso para a Europa. O evento em Fortaleza pode se transformar em algo mais do que receber ”o Cirão da massa”. O candidato do PDT ao Planalto, que foi derrotado no primeiro turno, poderá aproveitar o evento para anunciar seu voto em Fernando Haddad contra Jair Bolsonaro.

Presidente do PSL, Dayane Pimental minimiza fala de Bolsonaro contra Bahia: ”Brincadeira”

/ Eleições 2018

Dayane preside o partido de Bolsonaro na Bahia. Foto: Instagram

A presidente do PSL na Bahia, deputada federal eleita Dayane Pimentel, minimizou, em vídeo postado no Instagram, uma fala de Jair Bolsonaro (PSL) em que declara que seria vantajoso comprar carro na Bahia porque já viria com freio de mão puxado, dando a entender que os baianos são preguiçosos. A declaraçãfoi alvo de crítica do governador Rui Costa (PT), que pediu que o candidato ao Palácio do Planalto respeitasse a população do estado. ”Apenas porque o Bolsonaro fez uma piada com nossa Bahia, uma inofensiva, uma brincadeira, Rui Costa do PT, governador do estado, manda recado dizendo nos respeite”, disse a deputada eleita. Ela então destaca algumas notícias sobre a segurança pública, educação e saúde no estado e provoca o governador: ”Quem precisa respeitar o povo baiano é você”, diz Dayane.

O Globo: Em SP, Haddad aparece numericamente à frente de Bolsonaro, com 51% dos votos

/ Eleições 2018

Haddad cresce na reta final, diz pesquisas. Foto: Ricardo Stuckert

O candidato à Presidência Fernando Haddad, do PT , cresceu quatro pontos na capital paulista e aparece numericamente à frente de Jair Bolsonaro ( PSL ), segundo pesquisa do Instituto Ibope feita entre os dias 20 e 23 de outubro. O petista tem 51% dos votos válidos, contra 49% do capitão. Como a margem de erro é de três pontos percentuais, o cenário é de empate técnico. Na sondagem anterior, divulgada no dia 17, Bolsonaro liderava com 53% e petista tinha 47%. Com informações de O Globo