Educação: Ufba oferece aulas online gratuitas para estudantes que vão fazer Enem

/ Educação

O núcleo de Pós-Graduação em Biodiversidade e Evolução do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba) oferece aulas de biologia gratuitas para estudantes que vão participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As inscrições são pela internet, e devem ser feitas até dia 21 de outubro.

As aulas serão ministradas por pós-graduandos da Ufba e transmitidas pelo canal do YouTube do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Evolução (PPGBioEvo UFBA), toda quarta-feira, às 18h, de 14 de outubro até 16 de dezembro.

Qualquer pessoa pode assistir, porém, para receber certificado é necessário preencher um formulário online. Mais informações podem ser pedidas através do e-mail: [email protected].

O projeto foi idealizado por oito pós-graduandos no Instituto de Biologia da Ufba, com a orientação de quatro docentes.

SESI Bahia inscreve para 1600 vagas gratuitas de Educação de Jovens e Adultos

/ Educação

Jovens e adultos com idade acima de 18 anos têm a oportunidade de retomar os estudos gratuitamente. O Serviço Social da Indústria (SESI Bahia) está com inscrições abertas para novas turmas gratuitas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). No total, são oferecidas 1.600 vagas de Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) e Ensino Médio (1º ao 3º ano) em todo o estado.

Os interessados devem efetuar a inscrição pela internet, no site do SESI Bahia (www.sesibahia.com.br), até o dia 30 de outubro. Os cursos são realizados na modalidade a Distância (EaD). Por isso, para que o aluno acompanhe as aulas é preciso ter acesso à internet.

O SESI Bahia é a única instituição no estado que oferece o ensino médio e fundamental II a distância, com oferta autorizada pelo Ministério da Educação. O curso também é reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação.

Além disso, o SESI Bahia possui a metodologia de Reconhecimento de Saberes, que identifica, valida e certifica as competências e habilidades desenvolvidas nas experiências de vida e trabalho do estudante. A principal vantagem é que o reconhecimento dos conhecimentos prévios do aluno diminui o tempo de curso, ao focar nas competências essenciais que o estudante precisa dominar para obter o diploma de ensino fundamental ou médio.

”Nós não temos condições de ter as aulas presenciais” diz secretário de educação da Bahia

/ Educação

Secretário de Educação, Jerônimo Rodrigues. Foto: Elói Correa

O secretário de Educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, afirmou nesta quarta-feira (30), que a Bahia ainda não tem condições de voltar a ter aulas presenciais. Segundo ele, o índice de diagnósticos positivos para Covid-19 na comunidade escolar testada, até agora, pelo governo do estado, tem sido determinante para que as atividades continuem suspensas. Na região do subúrbio ferroviário de Salvador, por exemplo, 6% das pessoas testadas nas escolas tiveram resultado positivo. As informações são do G1

”Nós não temos condições de ter as aulas presenciais, isso é um fator que está nos levando, ou seja, se nós estamos com 6% de estudantes, professores e servidores com Covid-19, você imagina isso multiplicado por seus familiares, por seus grupos de amigos. Isso se multiplica e se fortalece com maior rapidez”, analisou o secretário de educação.

Mesmo sem uma previsão de retorno, Jerônimo Rodrigues acredita que os testes nas escolas são importantes para monitorar a doença entre os alunos e as famílias.

O primeiro decreto de suspensão das aulas foi publicado ainda no mês de março, após os primeiros casos da Covid-19 na Bahia. Ele tem sido prorrogado desde então, como medida preventiva ao coronavírus. O estudante Márcio Luiz fez o teste há 15 dias, mas ainda não recebeu o resultado. O jovem conta que tem medo de voltar para a escola nesse momento.

”Muita gente não vai cumprir as regras, não vai lavar as mãos, fazer o distanciamento, muita gente não vai fazer isso”, disse o estudante. Lucia Bahia, outra estudante da rede pública, também acha que não dá para retornar às aulas, porque ela mora em uma casa que tem pessoas do grupo de risco. A jovem não fez o teste na escola, em Paripe, porque ficou com medo de ser infectada por alguém que pudesse estar com Covid-19.

”Eu não tenho segurança de ir para a escola, de frequentar aquele ambiente, não sabendo se vai ter estrutura para manter os protocolos de segurança”, contou Lucia Bahia. Em nota, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) afirma que as testagens são feitas seguindo protocolos de segurança.

O virologista Gúbio Soares, pesquisador responsável por identificar o Zika Vírus no país, diz que não há previsão de retorno das aulas a curto prazo. O profissional conta que é bem provável que será preciso testar novamente os estudantes e lembra que ainda não há uma definição se quem já teve a doença está imune ao vírus.

”Nós não sabemos ainda quais são as defesas reais contraídas no nosso organismo. O que acontece com o sistema imunológico não está bem caracterizado, bem estudado. Qualquer período depois de outubro, que volte as aulas, vai ter que fazer novamente os testes e tem que ser testes não sorológicos”.

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) disponibilizou mais novos 70 conteúdos dos Roteiros de Estudos, totalizando 980 atividades disponíveis. Os conteúdos trabalhados são das áreas de Matemática e Ciências da Natureza.

Desenvolvidos desde o início da suspensão das aulas, decorrente da pandemia do novo Coronavírus, os roteiros são direcionados a estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3ª ano do Ensino Médio. Para acessar o conteúdo, basta entrar no site Portal da Educação.

Secretário baiano critica uso do Fundeb no Renda Cidadã; ”descobrir um santo para mal cobrir outro”

/ Educação

Secretário Jerônimo Rodrigues, ao meio. Foto: Matheus Cunha

Anunciada na segunda-feira pelo governo federal, a ideia de retirar recursos do novo Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para custear o Renda Cidadã foi criticada pelo secretário de Educação do governo baiano, Jerônimo Rodrigues. Para o gestor, uma política de assistência social não pode ser financiada retirando recursos de outra ação social

”Fazer isso é, simplesmente, descobrir um santo para mal cobrir o outro”, condenou o secretário baiano. ”Este governo (federal) não gosta da Educação”, concluiu. Ainda sem um formato concluído e um projeto enviado ao Congresso Nacional, o renda cidadã deve substituir o bolsa família a partir de janeiro.

Rodrigues avalia que o Brasil precisa é ampliar as políticas sociais. O secretário lembrou que em julho, durante a tramitação da PEC que tornou o Fundeb em um fundo permanente o executivo federal tentou retirar R$ 8 bilhões deste para o próximo programa de transferência de renda.

”Agora, o Governo Federal quer desviar o equivalente a 5% do Fundeb para a proposta do ‘Renda Cidadã’. Esta medida compromete o financiamento da Educação, prejudicando estados e municípios e, sobretudo, a população mais pobre, ampliando as desigualdades sociais”, destacou.

Inscrições para bolsas remanescentes do Universidade para Todos (ProUni) terminam semana

/ Educação

As inscrições do programa Universidade para Todos (ProUni) está chegando ao seu prazo final. Os candidatos já matriculados ou não em instituição de ensino superior, onde pretendem receber uma das bolsas remanescentes, têm até quarta-feira (30) para fazer inscrição na página do programa.

São 90 mil bolsas não preenchidas no processo seletivo regular para o segundo semestre de 2020.O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.

Pode participar quem cursou o ensino médio na rede pública ou na rede particular, na condição de bolsista integral. Também entram na lista dos contemplados estudantes com deficiência, professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, além de integrantes do quadro de pessoal permanente de instituição.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda declarada deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Quem quiser participar do processo precisa ter feito alguma edição do Enem, a partir de 2010, e ter obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas do exame. Além disso, o candidato deverá ter tirado nota maior que zero na redação.

Educação: Uneb prorroga por mais 15 dias suspensão de aulas e atividades presenciais

/ Educação

A reitoria da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) anunciou, nesta sexta-feira (25), a suspensão das atividades administrativas e acadêmicas presenciais por mais 15 dias.

Segundo a instituição, a medida está em concordância com a resolução do conselho universitário e as recomendações da comissão criada para acompanhar e orientar as condutas institucionais relativas à pandemia da Covid-19.

A reitoria ainda informou que as atividades administrativas continuam sendo realizadas por trabalho remoto, e que 75% da comunidade da UNEB respondeu à pesquisa que irá subsidiar o planejamento das atividades acadêmicas no período na pandemia. A Gestão Universitária aguarda o resultado da consulta para decidir os encaminhamentos necessários.

Estudantes que têm contratos com Fies podem suspender pagamentos até o fim da pandemia

/ Educação

Estudantes que têm contratos do Financiamento Estudantil (Fies) por meio do Banco do Brasil (BB) ou da Caixa Econômica Federal poderão requerer a suspensão do pagamento enquanto durar a vigência do estado de calamidade pública decretado por causa da pandemia da covid-19. A medida vale para clientes em situação de inadimplência com seus contratos, antes do dia 20 de março, data em que foi aprovado o estado de calamidade pública no país, pelo Congresso Nacional. Os estudantes que estão em situação de inadimplência também poderão suspender as parcelas, desde que as amortizações devidas até 20 de março sejam de no máximo 180 dias. As parcelas em atraso antes da pandemia não serão suspensas.

As novas condições foram atualizadas pela Resolução nº 39, de 27 de julho, expedida pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão do Ministério da Educação (MEC) que concede financiamento a estudantes para a educação em cursos superiores de instituições de ensino particulares. A resolução anterior já permitia a suspensão do financiamento, mas limitado a quatro parcelas e autorizado para os alunos que estivessem em dia com os pagamentos. Segundo o FNDE, pouco mais de 151 mil estudantes do Fies aderiram ao programa de suspensão do pagamento das parcelas. Com as novas regras, cerca de 1,5 milhão de alunos do Fies, do total de 2,8 milhões que estão no programa, são elegíveis para a suspensão temporária do pagamento.

As prestações que forem pausadas serão incorporadas ao saldo devedor do financiamento, nos termos e condições contratados, incidindo juros contratuais sobre as parcelas suspensas e não juros de mora, ou multa por atraso. Os pagamentos das parcelas de amortização e das demais obrigações financeiras com o Fies devem ser retomados a partir do mês seguinte ao término da suspensão. De acordo com o FNDE, a suspensão vale para os pagamentos de contratos em fase de utilização, carência ou amortização.

Banco do Brasil

A adesão ao programa de suspensão do pagamento do Fies já está disponível no Banco do Brasil, e pode ser feito diretamente nas agências bancárias e via aplicativo do banco na internet, mas neste segundo caso, apenas a partir da primeira quinzena de outubro. Segundo o BB, a manifestação é feita de forma simples, sendo necessária apenas a concordância do estudante acerca das alterações contratuais, no momento da solicitação da suspensão. Após a formalização da proposta, a suspensão não poderá ser cancelada.

Para quem optar por procurar o atendimento presencial, o BB informa também que, durante a pandemia, as agências atendem em contingenciamento e triagem para o acesso às salas de autoatendimento, com a autorização de acesso limitada à capacidade do espaço disponível em cada unidade.

Caixa Econômica Federal

Para o estudante que possui contrato do Fies com a Caixa Econômica Federal, a nova regra de suspensão dos pagamentos ainda não está disponível, mas o banco esclarece que ela será feita de forma retroativa, sem prejuízo ao beneficiário. O banco divulgará quando o serviço estiver disponível, o que deve ocorrer em algumas semanas. Da Agência Brasil

Terminam nesta quinta-feira as inscrições em pós-graduação gratuita para professores

/ Educação

Os professores das redes públicas estaduais e distrital que atuam em educação profissional e tecnológica têm até hoje (24) para se inscrever na seleção do curso de pós-graduação em docência oferecido pelo programa Novos Caminhos. São oferecidas 4.320 vagas, distribuídas em polos localizados em todos os estados e no Distrito Federal.

A oferta do curso é feita em parceria do Ministério da Educação (MEC) com o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). O link para inscrições e o edital completo estão disponíveis no site do Ifes. O processo seletivo se dará por sorteio, previsto para ocorrer em 28 e 29 de setembro. Na seleção haverá reserva de vagas para pretos, pardos, indígenas e pessoas com deficiência.

O curso de especialização é gratuito e terá duração de 12 meses. As aulas têm início previsto para o dia 26 de outubro deste ano. Ele será ofertado na modalidade a distância, sendo que haverá atividades avaliativas a serem aplicadas presencialmente em um dos mais de 100 polos de apoio apresentados no edital.

Enem: estudantes têm até 1º de outubro para inserir ou alterar foto no cadastro

/ Educação

Até 23h59 (horário de Brasília) do dia 1º de outubro, inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 devem inserir ou alterar a foto na Página do Participante. O cadastramento é obrigatório e a foto deve atender a algumas regras, como ser atual, nítida, individual, colorida e com fundo branco.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), não serão aceitas imagens de pessoas com óculos escuros ou artigos de chapelaria (boné, chapéu, viseira, gorro ou similares). A fotografia também deve mostrar o rosto inteiro do participante, com uma boa iluminação e foco, além de estar nos formatos de arquivo JPEG e PNG (tamanho máximo de 2 MB). Imagens em PDF não serão permitidas. O Inep e o Ministério da Educação (MEC) não realizam validação da foto.

Provas

Por causa da pandemia do novo coronavírus, as provas da edição 2020 do exame foram adiadas para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021 (versão impressa); e 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021 (versão digital). Além de uma redação e 45 questões, os candidatos terão que responder questões sobre quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias.

Dúvidas

As informações a respeito do Enem 2020 podem ser acompanhadas nos portais do Inep e do MEC, assim como nas redes sociais oficiais dos dois órgãos do governo federal. Dúvidas podem ser sanadas pelo Fale Conosco do instituto, por meio do autoatendimento online ou do 0800 616161, a central aceita apenas chamadas feitas de telefone fixo.

Rui condena pedido de retorno das aulas presenciais por escolas particulares: ”Falta sensibilidade humana”

/ Educação

Rui Costa fala sobre aulas presenciais. Foto: Mateus Pereira

O governador Rui Costa declarou, em conversa com a imprensa na manhã desta quarta-feira (23), que ”falta sensibilidade humana” diante do pedido de retorno das aulas presenciais formalizado por escolas particulares.

”É como se morresse uma sala de aula com 44 alunos todos os dias. Um colégio particular acharia normal se todo dia morresse uma sala de aula? Esse colégio funcionaria normalmente?”, questionou o chefe do Executivo baiano.

”Parece que as pessoas acham que vai morrer só o outro e que ninguém da sua família vai morrer. Ou são pessoas idosas. A sensação que eu tenho é que as pessoas perderam a referência e a solidariedade com a vida humana”, ressaltou.

Falta de projetos do MEC inviabilizou empréstimo de R$ 1 bi para apoiar reforma no ensino médio

/ Educação

Educação ainda não avançou no atual Governo. Fotos: Luis Fortes

A inanição da gestão do Ministério da Educação desde o primeiro representante do governo de Jair Bolsonaro na pasta, inviabilizou o repasse de um empréstimo de US$ 250 milhões – cerca de R$ 1,3 bi – do Banco Mundial para apoiar a reforma do ensino médio no Brasil.

De acordo com informações do O Globo, o contrato previa a liberação do valor mediante a apresentação das propostas, o que não aconteceu durante a passagem de Ricardo Vélez e Abraham Weintraub, que foi substituído por Milton Ribeiro.

E a paralisia foi progressiva. Em 2018, a pasta obteve US$ 40 milhões dos US$ 55 milhões previstos pela instituição financeira. No ano seguinte, apesar dos US$ 60 milhões programados pelo Banco Mundial, nenhum valor foi repassado ao Brasil. Somente em julho de 2020, uma pequena quantia de US$ 2,5 milhões foi emprestada.

Na soma, o Brasil só utilizou 37% do montante de US$ 115 milhões devido ao baixo número de ações e projetos voltados à educação. O desempenho do Brasil neste quesito chegou a ser classificado pelo Banco Mundial como ”moderadamente insatisfatório”, na parceria que dura até 2023.

Além de perder a oportunidade de financiar mudanças na educação nacional, o comportamento do MEC ainda fez o país pagasse uma espécie de juros, chamada de ”comissão de compromisso”, justamente por não utilizar o valor disponibilizado para investir, ponto previsto no contrato.

A taxa é de 0,25% que incide duas vezes sobre o saldo total que não foi utilizado. Durante a gestão de Jair Bolsonaro, o país já precisou desembolsar pelo menos R$ 3,8 milhões, considerando os anos de 2019 e 2020.

O atual ministro, Milton Ribeiro, chegou a criticar o seu antecessor na última semana, ao fazer declarações sobre os cortes que o governo pretende fazer no MEC.

De acordo com Milton, ao não executar o orçamento da pasta, ao falar semana passada sobre cortes que o governo quer fazer no MEC. Segundo ele, ao não executar o orçamento da pasta ”os gestores anteriores” atraíram as atenções para a pasta, já que a equipe econômica ”viu que tinha valor considerável parado no segundo semestre” de 2020.

Inscrições para bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos começam hoje

/ Educação

As inscrições para o processo seletivo de bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (Prouni) para o segundo semestre deste ano começam hoje (15). Ao todo, serão ofertadas cerca de 90 mil bolsas que não foram ocupadas no decorrer do processo seletivo regular.

A disponibilidade dessas bolsas ocorre por desistência dos candidatos pré-selecionados ou falta de documentação, por exemplo. O prazo para inscrição termina em 30 de setembro e o estudante interessado deve acessar a página do Prouni na internet.

De acordo com o Ministério da Educação, nesta edição, o prazo de inscrição será único, tanto para candidatos não matriculados na instituição de ensino superior para a qual desejam se inscrever para disputar uma bolsa, como para candidatos já matriculados na mesma instituição para a qual querem fazer a inscrição.

Senado aprova projeto de socorro financeiro às escolas particulares afetadas pela pandemia

/ Educação

O Senado aprovou um projeto de lei que que cria o Programa Nacional de Auxílio às Instituições de Ensino da Educação Básica, que consiste em uma ajuda financeira a escolas particulares. A proposta prevê a suspensão do pagamento de impostos federais e de contratos de trabalho e permite a redução de salário e de jornada.

Além disso, o texto autoriza que os estabelecimentos de ensino particular afetados pela pandemia migrem para o Simples Nacional, que é um sistema de tributação mais simplificado que busca facilitar o recolhimento de contribuições de empresas.

Segundo o autor da proposta, senador Jorginho Mello (PL-SC), escolas pequenas poderão receber parcelas mensais de R$ 3 mil a R$ 10 mil com a criação do programa. O projeto segue para a apreciação na Câmara dos Deputados.

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): inscrições para certificadores começam nesta quarta

/ Educação

Está aberto o edital para cadastro de professores para atuação nas atividades de certificação dos procedimentos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Os professores devem garantir que todos procedimentos de aplicação da prova foram realizados da forma correta, além de registrar no sistema do Inep as informações coletadas durante a aplicação da prova e informar possíveis inconsistências.

A inscrição para a Rede Nacional de Certificadores (RNC) pode ser feita entre os dias 9 e 29 de setembro no site certificadores.inep.gov.br.

Para participar, o professor precisa ser servidor público efetivo e em exercício em uma escola registrada no Censo Escolar de 2019. Ele não pode estar inscrito ou ter parentes participantes do Enem 2020 e precisa ter smartphone ou tablet com acesso próprio à internet.

Os certificadores vão ser remunerados em R$ 342 por dia. Nos dias em que forem trabalhar precisam portar máscaras para proteção contra a Covid-19 e álcool em gel.