Ministério da Educação informa que inscrições para o Sisu 2019 serão de 22 a 25 de janeiro

/ Educação

As inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2019 poderão ser feitas de 22 a 25 de janeiro, conforme edital divulgado pelo Ministério da Educação (MEC). O programa oferece vagas em universidades públicas. O número total de vagas, bem como o número de instituições que participarão do programa ainda serão divulgados. Podem concorrer às vagas do Sisu os estudantes que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 e obtido nota acima de zero na prova de redação. Além disso, os candidatos poderão se inscrever no processo seletivo em até duas opções de vaga, especificando, em ordem de preferência, as suas opções em instituição de educação superior participante, com local de oferta, curso e turno, e a modalidade de concorrência. Os resultados individuais do Enem serão divulgados no dia 18 de janeiro. Os gabaritos das provas estão disponíveis para consulta na página do exame. O Enem foi aplicado nos dias 4 e 11 de novembro a mais de 4 milhões de estudantes em todo o país. No primeiro domingo, os estudantes fizeram provas de linguagem, ciências humanas e redação. No segundo domingo, fizeram provas de ciências da natureza e matemática. Além de concorrer às vagas do Sisu, os participantes do Enem poderão concorrer a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Governador Rui Costa convoca reunião com setores da Educação para tratar de fechamento das escolas

/ Educação

Rui convoca reunião para discutir educação. Foto: Manu Dias

O governador reeleito Rui Costa (PT) convocou uma reunião com integrantes da área de educação para tratar do fechamento de escolas estaduais. Segundo apurou o Bahia Notícias, o encontro não tem data definida, mas deve acontecer até a próxima segunda-feira (26). Nesta quinta-feira (22), pais e alunos protestaram em Salvador contra o fechamento das unidades escolares. O superintendente de Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação (SEC), Ney Campello, disse, em entrevista à TV Bahia, que não haverá encerramento das escolas, mas sim ”reestruturação”.

Mozart Neves deve ser oficializado o ministro de Educação do Governo Bolsonaro

/ Educação

Mozart é um dos nomes conhecidos da educação. Foto: Estadão

O educador Mozart Neves Ramos será o ministro da Educação do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Fontes ouvidas pelo Estado afirmam que a oficialização deve sair entre hoje e amanhã. A escolha de Mozart acontece após a aproximação de Viviane Senna, presidente do Instituto Senna, ao grupo de Bolsonaro. O futuro ministro é um dos nomes mais conhecidos da educação atualmente no País. É atualmente diretor do Instituto Ayrton Senna, mas o primeiro diretor executivo do Todos pela Educação e secretário de Educação de Pernambuco. Formado em química e ex-reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Ramos esteve ao lado de Viviane em todas as reuniões feitas com o presidente eleito durante e depois da eleição. Ramos não é vinculado a nenhum partido e, por isso, transita bem pela esquerda e pela direita. Tem boas relações inclusive com Fernando Haddad (PT), candidato derrotado por Bolsonaro nas eleições. Eles se aproximaram durante o período em que Ramos ocupou a secretaria de Estado, entre 2003 e 2006, no governo de Jarbas Vasconcelos (MDB). Haddad era o ministro. No Todos pela Educação, notabilizou-se por estudos que mostravam a falta de professores no País, principalmente para áreas de ciências. Seu nome foi visto com otimismo por especialistas da área, mas há a preocupação sobre o que ele fará com relação às pautas defendidas pelo presidente eleito, como Escola sem Partido, colégios militares e educação a distância.

Educação: Professores municipais de Itabuna suspendem greve após 77 dias sem aulas

/ Educação

Os professores municipais de Itabuna, cidade do sul da Bahia, suspenderam nesta segunda-feira (19) a greve iniciada em 3 de setembro. Na última quarta-feira (14), a categoria anunciou que havia entrado em acordo com a prefeitura da cidade, durante reunião na sede do Tribunal regional do Trabalho (TRT), em Salvador. De acordo com o Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi), a previsão é de que as aulas sejam retomadas ainda na tarde desta segunda. Segundo sindicato, greve afetou 98 escolas e 17 mil alunos. A assembleia de classe que confirmou o fim da greve foi realizada nesta manhã, entretanto o Simpi informou que o movimento está suspenso até o julgamento do mérito da ação que trata sobre o reajuste de 6,81% dos salários dos professores. A ação deve ser julgada em 6 de dezembro. Com relação à reposição das aulas, o Simp informou que a estratégia será discutida sob mediação do MPE e do Conselho Municipal de Educação. Além do reajuste para docentes de nível II e III, a catergoria é contra a mudança do regime trabalhista, que é a CLT, para um regimento estatutário próprio, e exige o pagamento de salários atrasados para professores em desvio de função. Essas reivindicações ainda serão discutidas entre professores e prefeitura, com mediação do Ministério Público Estadual.

Educação: Renovação de matrícula na rede estadual começa na próxima semana

/ Educação

O período de renovação da matrícula para os estudantes da rede estadual de ensino do estudante que frequentaram regularmente o ano letivo 2018 começa na  próxima segunda-feira (26) e vai até o dia 17 de dezembro. Os alunos podem ir presencialmente nas escolas  ou optar pelo sistema online da Secretaria da Educação do Estado, que estará disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). Para renovar a matrícula, a unidade escolar entregará aos estudantes uma carta de renovação, que deverá ser devolvida, obrigatoriamente, à Secretaria Escolar, mediante protocolo, sob pena de o aluno perder a vaga na unidade escolar onde estudou em 2018. Quando a escola em que o aluno está regularmente matriculado em 2018 não oferecer a série subsequente para o ano letivo de 2019, o estudante receberá uma carta informativa com um código para fazer sua matrícula pela internet, no dia 22 de janeiro de 2019. Esta data é reservada à transferência de estudantes da rede estadual de ensino, que também poderá ser feita presencialmente em qualquer escola da rede estadual.

Educação Inclusiva 

A pré-matrícula do estudante com necessidade educacional especial, ou seja, aquele aluno com deficiência, transtorno global do desenvolvimento e/ou altas habilidades/superdotação, com ou sem diagnóstico comprovado, será realizada apenas via internet, nos dias 29 e 30 de novembro. Para a inscrição na pré-matrícula, todos os campos de cadastro devem ser preenchidos. O estudante inscrito na pré-matrícula terá sua matrícula efetivada, somente, após a entrega da documentação na unidade escolar indicada no cadastro, no dia 31 de janeiro de 2019. Já o calendário de matrícula para o ano letivo de 2019 será de 22 a 29 de janeiro de 2019. Uma novidade é que a apresentação do cartão de vacina dos estudantes até 18 anos de idade se tornará obrigatório no ato da matrícula, mesmo não se tornando impedimento para que o ato aconteça. O calendário escolar do ano letivo de 2019 começará no dia 11 de fevereiro e termina no dia 16 de dezembro. Em ambos os casos, o ano letivo terá carga horária mínima anual de 800 horas, distribuídas em 200 dias de efetivo trabalho escolar, excluído o tempo reservado a avaliação final.

Estudantes têm até sexta-feira para renovar contrato do Fies

/ Educação

Estudantes beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) têm até sexta-feira (23) para renovar os contratos. Aqueles que contrataram o Fies até 31 de dezembro de 2017 devem fazer o aditamento. Neste semestre, cerca de 890 mil contratos devem ser renovados, de acordo com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A renovação do contrato é feita pelo sistema SisFies. Os contratos do Fies precisam ser renovados todo semestre. O pedido de aditamento é inicialmente feito pelas instituições de ensino para, depois, as informações serem validadas pelos estudantes no sistema. Caso o aditamento tenha alguma alteração nas cláusulas do contrato, o estudante precisa levar a nova documentação ao agente financeiro, que é o Banco do Brasil ou a Caixa Econômica Federal, para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema. Contratos de 2018 Os estudantes que aderiram ao Novo Fies e contrataram o financiamento em 2018 devem seguir o cronograma da Caixa, que é o agente operador do Novo Fies. Segundo a Caixa, aproximadamente 50 mil estudantes assinaram contratos do Novo Fies no primeiro semestre de 2018. O prazo para esses estudantes vai até 30 de novembro. O aditamento é feito no site da Caixa. O novo Fies, lançado no ano passado, tem modalidades de acordo com a renda familiar. A modalidade Fies tem juro zero para os candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil e é bancado pelo governo. A modalidade chamada de P-Fies é para candidatos com renda familiar per capita entre 3 e 5 salários mínimos. Nesse caso, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito, que pode ser um banco privado ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

Estudantes beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) devem renovar contratos

/ Educação

Estudantes beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) devem renovar os contratos até o dia 23 de novembro. O prazo, que terminaria hoje (16) foi prorrogado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Devem fazer o aditamento aqueles que contrataram o Fies até 31 de dezembro de 2017. Neste semestre, cerca de 890 mil contratos devem ser renovados, de acordo com o FNDE. A renovação do contrato é feita pelo sistema SisFies. Segundo o FNDE, o prazo foi estendido para que nenhum estudante com contrato a ser renovado fique de fora. ”Em virtude do feriado, decidimos dar mais prazo para que todos consigam concluir o processo de aditamento no sistema”, diz o presidente do FNDE, Silvio Pinheiro, em nota enviada pela autarquia. O FNDE ressalta ainda na nota que é ”fundamental que os alunos acessem o SisFies o quanto antes e não deixem para a última hora”. Os contratos do Fies precisam ser renovados todo semestre. O pedido de aditamento é inicialmente feito pelas instituições de ensino para, depois, as informações serem validadas pelos estudantes no sistema. Caso o aditamento tenha alguma alteração nas cláusulas do contrato, o estudante precisa levar a nova documentação ao agente financeiro, que é o Banco do Brasil ou a Caixa Econômica Federal, para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

Contratos de 2018

Os estudantes que aderiram ao Novo Fies e contrataram o financiamento em 2018 devem seguir o cronograma da Caixa, que é o Agente Operador do Novo Fies.. Segundo a Caixa, aproximadamente 50 mil estudantes assinaram contratos do Novo Fies no primeiro semestre de 2018. O prazo para esses estudantes vai até 30 de novembro. O aditamento é feito no site da Caixa. O novo Fies, lançado no ano passado, tem modalidades de acordo com a renda familiar. A modalidade Fies têm juro zero para os candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil e é bancado pelo governo. A modalidade chamada de P-Fies é para candidatos com renda familiar per capita entre 3 e 5 salários mínimos. Nesse caso, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito, que pode ser um banco privado ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

Secretaria de Educação da Bahia divulga período de renovação de matrícula na rede estadual de ensino

/ Educação

Visando o ano letivo de 2019, a Secretaria de Educação do Estado da Bahia divulgou essa semana as datas referentes aos períodos de matrículas para os estudantes da rede estadual de ensino. Segundo a nota, a renovação de matrícula para os estudantes da rede pública poderão ser realizadas presencialmente nas escolas ou através do sistema online. A data definida para o início da matricula é dia 26 de novembro e vai até 17 de dezembro deste ano. Para realizar a renovação da matrícula é muito simples, basta o estudante preencher a carta de renovação de matrícula que deverá ser entregue pelo colégio. Também ficou definido na portaria divulgada pela Secretaria que, o ano letivo terá início no dia 11 de fevereiro e terminará no dia 16 de dezembro.

Educação Inep divulga gabaritos do Enem 2018; resultado final sairá em janeiro

/ Educação

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga nesta quarta-feira, 14, os gabaritos oficiais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na página do exame. O órgão também vai divulgar os cadernos de questões aplicados nos últimos dias 4 e 11 a mais de 4 milhões de estudantes em todo o país. Os resultados individuais do serão divulgados no dia 18 de janeiro. Mesmo com o gabarito, os candidatos não conseguirão saber a nota que tiraram porque o sistema de correção do Enem usa a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), que não estabelece previamente um valor fixo para cada questão. O valor varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, se a questão tiver grande número de acertos será considerada fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante que acertar um item com alto índice de erros, por exemplo, ganhará mais pontos por ele. Dessa forma, o candidato só saberá a sua nota nas provas objetivas após a divulgação do resultado final, em janeiro. Na segunda, 12, o Inep anulou uma das questões da prova de matemática por já ter sido usada em um vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2013, descumprindo os requisitos de ineditismo e sigilo do exame. A autarquia instaurou sindicância para apurar responsabilidades. O Enem foi aplicado nos dias 4 e 11 de novembro. No primeiro domingo, os estudantes fizeram provas de linguagem, ciências humanas e redação. No segundo domingo, fizeram provas de ciências da natureza e matemática. A nota do exame poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia abre nessa quarta-feira inscrições para o vestibular

/ Educação

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) abrirá as inscrições para o vestibular 2019 nessa quarta-feira (14). As inscrições para o vestibular estarão abertas até o dia 2 de dezembro. Ao total serão ofertados vagas para 1.186 estudantes em 47 cursos. Os cursos estão divididos nos três campus da universidade que ficam nas cidades de: Jequié, Vitória da Conquista e Itapetinga. Para o primeiro período letivo de 2019 serão ofertados 727 vagas e 459 para o segundo período. Vale ressaltar, que metade das vagas são destinadas aos candidatos cotistas. Nos cursos também são disponibilizados vagas adicionais para quilombolas, índios e pessoas com deficiência. As provas irão estão marcadas para os dias 20 e 21 de janeiro e serão realizadas nas cidades onde a UESB possui campus. Para conferir mais informações acesse o site da UESB.

Educação: Enem teve quatro casos de questões anuladas desde 2009; confira os motivos

/ Educação

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 teve uma questão de matemática anulada na segunda-feira (12), por não ser inédita – ela já havia aparecido no vestibular da Universidade Federal do Paraná, no fim de 2013. Desde que o Enem passou por uma reformulação para o formato atual, em 2009, houve outros três casos de anulação de pergunta. Segundo professores ouvidos pelo G1, a nota dos candidatos não será afetada. O método de correção do exame apenas passa a desconsiderar a questão anulada e a calcular a nota com base nas demais perguntas.

Veja os motivos de outros episódios de cancelamento:

Enem 2018

Professores do Curso Anglo identificaram que a pergunta sobre pena de reclusão por tráfico de drogas já havia sido usada no vestibular da UFPR, para candidatos que pleiteavam uma vaga em 2014. Segundo o Ministério da Educação (MEC), a questão vai ser anulada e motivará uma investigação, que pode ”culminar em instauração de processos administrativo, cível e/ou criminal”. De acordo com a pasta, ”a questão foi elaborada em 2012 para o Inep, por um professor que, à época, estava vinculado à UFPR. No entanto, posteriormente, em 2013, foi utilizada no vestibular da própria universidade, para ingresso em 2014, o que não deveria ter ocorrido”, afirmou o ministério. Duas regras, portanto, foram quebradas: a do ineditismo e a que obriga professores contratados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) a manterem sob sigilo todas as perguntas formuladas para o Enem.

Enem 2016 – 2ª aplicação

Em 2016, por causa da ocupação estudantil em escolas que serviriam como local de prova, houve duas edições do Enem – uma em novembro, outra em dezembro. Na segunda aplicação, uma questão de ciências da natureza foi anulada por incluir um gráfico que possibilitaria mais de uma interpretação. A pergunta era sobre a concentração de gases responsáveis pelo efeito estufa na atmosfera, entre 1978 e 2010. Não havia dados incorretos, mas as escalas dos gráficos poderiam ter dificultado a visualização dos dados. Para os candidatos com deficiência visual, a prova tinha imagens adaptadas, nas quais não havia o risco de dupla interpretação. Para eles, portanto, a pergunta não foi anulada.

Enem 2011

Em 2011, catorze questões do Enem foram anuladas para um grupo específico de candidatos – 639 alunos do Colégio Christus, em Fortaleza. A escola antecipou, em apostilas, questões que foram cobradas no exame nacional. Naquele ano, houve uma série de decisões da Justiça sobre a abrangência do cancelamento das perguntas. Chegou a ser cogitado que os alunos do colégio cearense fizessem o Enem em uma segunda aplicação da prova, na mesma data das pessoas privadas de liberdade (Enem PPL). Depois, a Justiça Federal no Ceará decidiu que as catorze questões seriam anuladas para todos os candidatos do Enem. Em seguida, veio a determinação final: o Tribunal Regional Federal da 5ª Região estabeleceu que o cancelamento das perguntas deveria ocorrer apenas para os estudantes do colégio cearense. Em nota publicada pelo MEC, os afetados “sofreriam prejuízos mínimos”, porque a metodologia do exame permite que, mesmo com apenas 166 de 180 questões válidas, a pontuação máxima deles continue sendo de mil pontos.

Enem 2009

Na edição de 2009, segundo o Inep, uma pergunta sobre uma tirinha de história em quadrinhos apresentava duas alternativas corretas. De acordo com o jornal O Globo, o MEC sabia, antes da aplicação do exame, que a questão precisaria ser anulada. Mas a prova já estava na gráfica e, por isso, a pasta decidiu manter a pergunta e só comunicar seu cancelamento depois da prova.

Outras polêmicas

Em outros anos, professores e candidatos pediram a anulação de questões do Enem. Mas, na decisão final, o Inep optou por mantê-las válidas no gabarito. Em 2013, uma questão de biologia apresentou imagem semelhante à de um exame da Fuvest, em 2007. A diferença é que, neste último, a pergunta era dissertativa, ou seja, não tinha alternativas. Professores de cursinhos chegaram a alegar, na época, que candidatos de São Paulo poderiam ter sido beneficiados por talvez já terem visto a figura em um vestibular importante da capital. O Inep optou por não cancelar a pergunta.  Antes disso, em 2010, um lote de provas amarelas do Enem teve problemas de impressão e foi entregue com perguntas repetidas e sequência numérica apagada. Os cerca de 9 mil candidatos afetados puderam prestar uma segunda aplicação do exame naquele ano. Também em 2010, houve um defeito na impressão dos gabaritos. No cartão de respostas, as áreas de conhecimento estavam invertidas: as questões de 1 a 45 eram de ciências humanas, mas estavam com o título de ciências da natureza. E de 46 a 90, vice-versa. Segundo o MEC, os fiscais foram avisados para orientar os candidatos a levarem em conta o número de cada questão, e não o título do gabarito. No entanto, alguns alunos afirmaram que não foram avisados e que, por isso, teriam sido prejudicados. Como solução, o MEC abriu a possibilidade de os candidatos solicitarem a correção invertida das disciplinas.

Tema de redação do Enem, tecnologia poderá ajudar na implantação do novo Ensino Médio

/ Educação

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano – Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet – não foi novidade para estudantes da Escola Estadual Raymundo Sá, em Autazes, no Amazonas. Na semana antes da prova, eles tiveram uma aula sobre o poder da internet. O professor que ministrava a aula não estava na sala com os alunos, mas a mais de 100 km de distância, em Manaus. A aula de Tecnologia foi transmitida pelo Centro Nacional de Mídias da Educação (CNME) apresentado hoje (13) pelo governo federal. ”O Enem estava cansativo, mas a gente sabia os conteúdos”, afirmou a estudante do 3º ano do ensino médio da escola, Karine Meireles, 17 anos. Ela participa das duas aulas que são oferecidas na escola pelo CNME – Tecnologia e Mundo do Trabalho. ”Fico com mais vontade de sair da sala para vir para cá porque aqui a gente interage mais. Na sala, é só estudo e caderno, não pode conversar. Aqui é diferente, a gente conversa e troca ideias sobre o que está sendo ensinado”, disse. O CNME foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) para ajudar na implantação do novo ensino médio, lei aprovada em 2017. Pela nova lei, os estudantes passarão por uma formação comum a todo o país, definida pela chamada Base Nacional Comum Curricular e por uma formação específica, que poderá ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico. A oferta da parte diversificada do currículo é um problema, sobretudo, para municípios pequenos que às vezes contam apenas com uma escola. O CNME surge para, com o uso da tecnologia, complementar o ensino. O projeto leva TV, câmeras, microfones e outros equipamentos necessários para interatividade a escolas de ensino médio. As aulas são transmitidas ao vivo, de Manaus. Nas salas de aula, elas são acompanhadas por professores, que auxiliam também no aprendizado dos alunos presencialmente. Ainda na fase piloto, as aulas são transmitidas desde agosto a 150 escolas em 17 estados e no Distrito Federal, que aderiram ao programa. Na escola Raymundo Sá, a sala de transmissão na escola é diferente. Os alunos não sentam em carteiras enfileiradas, mas se dividem em quatro mesas redondas. Participam estudantes do 1º ao 3º ano do Ensino Médio, que aprendem juntos. A televisão, equipada com câmera e microfone, ocupa posição de destaque. Antes de começar a aula, a professora Lourdes Cunha define os estudantes que serão responsáveis por fazer um resumo da aula, aqueles que farão uma avaliação ao final de como foi a aula, os que se encarregarão que as tarefas pedidas sejam executadas e aqueles responsáveis pela socialização – momento inicial de descontração, transmitido para as todas as escolas participantes. A escola é conhecida por se destacar na interatividade. As aulas acontecem simultaneamente nas 150 escolas e a plataforma permite que os alunos se comuniquem. ”Ninguém interagia e a gente começou a se comunicar com outros estudantes. Criamos um meme e mostramos na câmera, daí as outras escolas se soltaram e criaram também memes”, conta Nyeslly Nascimento, 17 anos, do 3º ano.

A primeira pergunta feita na aula acompanhada pela Agência Brasil foi: ”Para pensar sustentabilidade, precisamos usar a estatística? Expliquem”. Os estudantes tiveram alguns minutos para discutir em grupo e elaborar uma resposta. A escola foi a escolhida para dar a resposta. Quem pegou o microfone foi Maria Luiza Gomes, 17 anos, estudante do 2º ano. Com as aulas, ela perdeu a timidez. “Antes desse curso eu praticamente não tinha amizade, eu não falava com ninguém aqui e olha que a gente estuda na mesma escola. Com o curso, a gente se fala mais, se comunica”, disse. Das aulas que teve, Maria Luiza destaca a de casas sustentáveis, na qual tiveram que projetar uma casa que agredisse minimamente o meio ambiente, com cartolinas e outros materiais, e a aula de moedas virtuais: “Foi uma novidade para nós pensar que lá na frente não precisaremos mais usar dinheiro”, revelou a estudante. ”Tentamos sempre trazer temas inovadores, contemporâneos”, disse a professora de Mundo do Trabalho, Edivânia Barros. Antes de chegar a Manaus para fazer parte da equipe de 15 professores responsáveis pelas aulas transmitidas, ela lecionava em Salvador, na Bahia. Todos os professores são de redes estaduais de educação e têm, portanto, experiência em sala de aula no ensino médio. Edivânia contou que eles recebem formação para dar aulas com o auxílio da tecnologia, o que era novidade para ela. Leia mais

Anulada questão de matemática do Enem por ser repetida; MEC vai apurar o caso

/ Educação

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou hoje (12) que uma das questões da prova de Matemática e suas Tecnologias do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 foi anulada por já ter sido usada em um vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2013, descumprindo os requisitos de ineditismo e sigilo do exame. ”A questão foi elaborada em 2012 para o Inep, por um professor que, à época, estava vinculado à UFPR. No entanto, posteriormente, em 2013, a questão foi utilizada no vestibular da própria Universidade, para ingresso em 2014, o que não deveria ter ocorrido”, informou o órgão por meio de comunicado à imprensa. Segundo o Inep após constatar a repetição, o Ministério da Educação (MEC) instaurou uma sindicância para apurar responsabilidades, que pode resultar em processos administrativo, cível e até criminal. O reitor da UFPR, Ricardo Fonseca, colocou a Instituição à disposição para colaborar com a apuração. A Universidade tem um Acordo de Cooperação Técnica assinado com o Inep para integrar o processo de elaboração e revisão de itens do Banco Nacional de Itens (BNI). A questão anulada tem número diferente a depender do caderno de prova do Enem 2018. Nos cadernos amarelo, laranja e verde, é a número 150. No caderno Azul, 163, no Cinza, 170 e no Rosa, 180.

Convocados, professores reclamam de demora em nomeação por Rui Costa; SEC dá ”perspectiva”

/ Educação

Professores aguardam por Rui Costa. Foto: Mateus Pereira

Professores que foram convocados através do último concurso público promovido pelo governo da Bahia reclamaram da demora na nomeação e apontam dificuldade para planejar o próximo ano letivo. Sem as nomeações este ano, a distribuição dos docentes nas escolas e a preparação podem ser afetadas em 2019. Um dos concursados disse ao site Bahia Notícias que a possibilidade da nomeação no próximo ano ”dificulta ainda mais a organização das escolas no Estado, uma vez que não haverá tempo hábil para as necessárias acomodações, o que afetará o início do ano letivo em 2019”. Procurada, a Secretaria de Educação do Estado (SEC) informou somente que ”a perspectiva é que os convocados no concurso público sejam devidamente designados para atuação no próximo ano letivo”. Ano passado, o ano letivo começou no dia 19 de fevereiro, logo após o Carnaval. A SEC, no entanto, ainda não tem a data para início do ano que vem, visto que o Carnaval ocorrerá no início de março.