”Realização do Enem em 2020 está garantida, diz o ministro da Educação, Abraham Weintraub

/ Educação

Weintraub garante a realização do Enem. Foto: Luis Fortes

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, confirmou nesta sexta-feira, durante live em uma rede social, a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na versão imprensa, com prova prevista para os dias 1º e 8 de novembro. Segundo ele, até lá, a quarentena já terá passado e não há motivo para o adiamento do exame.

”Vai ter Enem, essa quarentena vai acabar em breve, eu acredito”, afirmou. ”A crise já vai ter passado”. Pela primeira vez, o Enem terá também aplicação de provas digitais, em fase experimental. De acordo com o ministro, a prova digital será realizada por cerca de 100 mil voluntários. A data dessas provas está prevista para os dias 22 e 29 de novembro.

Se houver algum problema na aplicação da prova digital, os candidatos poderão refazer o exame na versão impressa, em data posterior. ”Se der problema, faz a reaplicação em papel, junto com quem teve problema [com a prova] em papel”, explicou o ministro.

Weintraub informou que a pasta concedeu cerca de 1 milhão de isenções da taxa de inscrição do Enem 2020. O prazo para fazer o pedido termina às 23h59 desta sexta-feira. O participante que deseja solicitar o direito de não pagar a taxa e estiver dentro dos critérios do edital deve acessar a página do Enem 2020 e se inscrever. O resultado será divulgado no dia 24 de abril.

Fies

O ministro também garantiu que o governo vai suspender temporariamente o pagamento do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) em decorrência da crise econômica causada pelo novo coronavírus. A regulamentação do adiamento está em fase final de tramitação no ministério e será, inicialmente, por 60 dias, podendo ser prorrogada por mais 60.

”Já está encaminhado o pedido, tramitando no Ministério da Economia e no MEC. Serão 60 dias e, se precisar mais 30 e, depois, mais 30”, detalhou.

Ano letivo

Ainda durante a live, Weintraub disse que não há comprometimento do ano letivo por causa da suspensão das aulas que ocorre em todo o país. No início do mês, o presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória (MP) para flexibilizar o número mínimo de 200 dias letivos previstos em lei.

”O ano letivo não está comprometido. A gente flexibilizou a questão dos 200 dias. Com a flexibilização dos 200 dias, a única coisa que a gente pede é que as escolas deem um currículo de 800 horas/aulas, e isso pode ser feito de uma forma mais flexível”, disse.

Educação: Pedido de isenção de taxa de inscrição do Enem termina nesta sexta-feira

/ Educação

Os interessados em fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 têm até as 23h59 desta sexta-feira (17), para pedir a isenção de pagamento da taxa de inscrição. A solicitação é feita, exclusivamente, por meio da plataforma virtual Página do Participante, dentro do site do Enem. O procedimento não garante a participação no exame. As inscrições devem ser realizadas de 11 a 22 de maio.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do Enem, o participante habilitado para a isenção em 2019 que não compareceu aos dois dias de exame deve comprovar o motivo da ausência para pedir nova gratuidade neste ano. O processo também deve ser realizado pela Página do Participante.

Tem direito à isenção da taxa quem cursar a última série do ensino médio em 2020, em escola da rede pública declarada ao Censo Escolar; tiver cursado todo o ensino médio em escolas públicas ou como bolsista integral na rede privada, além de ter renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio.

A pessoa precisa também declarar estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda, inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), que requer renda familiar per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Cadastro

Para justificar a ausência em 2019 e/ou solicitar a isenção em 2020, os participantes deverão ter o login único do governo federal, pelo portal gov.br. O acesso poderá ser realizado por meio da Página do Participante do Enem. A senha deverá ser memorizada ou anotada em local seguro, pois será necessária para acompanhar todas as etapas do exame, desde a solicitação de isenção da taxa de inscrição até a consulta dos resultados, em 2021.

Enem Digital

O exame digital será oferecido a partir deste ano, com implantação gradual e aplicação-piloto para 100 mil pessoas de todo o país. A estrutura das provas é a mesma do modelo impresso.  A modalidade tem edital próprio, mas as regras para pedidos de isenção e justificativas de ausência são as mesmas. As provas da versão digital estão previstas para 11 e 18 de outubro e as do Enem impresso, para 1º e 8 de novembro.

Vale-alimentação: Estado disponibiliza número de WhatsApp para atualização de CPF de estudantes

/ Educação

Vale-alimentação de estudantes está garantido. Foto: Camila Souza

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) está realizando a atualização cadastral dos estudantes da rede estadual de ensino, cujo CPF da mãe, do pai ou responsável não foi informado à escola, no ato da matrícula. O objetivo é fornecer o número do CPF dos estudantes da rede, para que tenham acesso à alimentação direto no supermercado ou receba o cartão alimentação do banco, neste período de pandemia do coronavírus.

Nesta terça-feira (14), o governador Rui Costa falou sobre o vale-alimentação. Serão destinados recursos da ordem de R$ 44 milhões do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza e cujo projeto de lei foi aprovado pela Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). ”Nós estamos realizando esforços para que este benefício chegue rápido para as famílias desses estudantes. Para aqueles que forem fazer a compra diretamente no supermercado, será necessário apresentar o documento com RG e CPF e poderá levar para casa apenas itens de alimentação. Acredito que ainda esta semana conseguiremos viabilizar essa logística”, disse.

Para atualizar o CPF, o estudante não precisa sair de casa. Basta entrar em contato, por telefone ou WhatsApp, com a escola onde estuda. Outra opção é atualizar pela internet, no Portal da Educação ou direto no link do Siadiante. Este sistema de acesso pela internet estará disponível a partir das 14h desta quarta-feira (15). Em caso de dúvidas, basta entrar em contato pelo número 0800 2840011; pelo WhatsApp (71) 99911-7631; ou pelo e-mail [email protected]

A rede estadual conta com 800 mil estudantes matriculados. O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, disse que a iniciativa visa garantir a segurança alimentar das famílias, neste período de pandemia do coronavírus, com recursos do Tesouro Estadual. ”O governador Rui Costa enviou o projeto de lei, aprovado pela Assembleia Legislativa da Bahia, que garante recursos para a alimentação escolar dos nossos estudantes. É uma ação de segurança alimentar não só dos estudantes, mas de suas famílias. E esta atualização do CPF é para otimizar a logística e, consequentemente, o acesso das famílias a este recurso, para cada estudante matriculado”, afirmou.

O superintendente de Gestão da Informação Educacional do Estado, Rainner Guimarães, destacou que a informação do CPF pode ser feita por qualquer computador ou celular. ”A atualização é simples para facilitar até mesmo para aqueles que não têm acesso à internet e podem pedir ajuda a um colega, a um professor ou à direção da escola onde estuda”, afirmou, ao ressaltar que aqueles que não têm CPF devem procurar fazê-lo pelo site da Receita Federal. ”A recomendação continua a mesma: não sair de casa. Então, quem não tem CPF pode fazer pelo site da Receita Federal”, concluiu.

Educação: Governo prorroga prazo para 30 de junho renovação de contratos do Fies

/ Educação

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) prorrogou para 30 de junho o prazo para a renovação semestral dos contratos de financiamento concedidos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) do 1º semestre de 2020. Os aditamentos dos contratos deverão ser feitos pelo sistema SisFies.

A Portaria nº 240/2020  que prorroga o prazo foi publicada hoje (14) no Diário Oficial da União. A medida vale para contratos simplificados e não simplificados.

No caso de aditamento não simplificado, quando há alteração nas cláusulas do contrato, como mudança de fiador, por exemplo, o aluno precisa levar a documentação comprobatória ao banco para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

Os contratos do Fies devem ser renovados semestralmente. O pedido de aditamento é feito inicialmente pelas instituições de ensino e, em seguida, os estudantes devem validar as informações inseridas pelas faculdades no SisFies. Inicialmente, o prazo seria até 30 de abril, para contratos assinados até dezembro de 2017. Os contratos do Novo Fies, firmados a partir de 2018, têm prazos definidos pela Caixa Econômica Federal.

O dia 30 de junho também é a data limite para a realização de transferência integral de curso ou de instituição de ensino e de solicitação de aumento do prazo de utilização do financiamento, referente ao primeiro semestre deste ano.

O Fies é o programa de financiamento estudantil em instituições privadas de ensino superior. Hoje, ele está dividido em duas modalidades: o Fies a juro zero para quem tem renda familiar de até três salários mínimos por pessoa e o P-Fies para aqueles com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos, com juros que variam de acordo com o banco e a instituição de ensino. Essa última modalidade funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes.

Secretaria lança conteúdos virtuais do Programa Universidade para Todos voltados para o Enem

/ Educação

A Secretaria da Educação do Estado lançou, nesta segunda-feira (13), o projeto Universidade para Todos (UPT) Estude em Casa. O objetivo é estimular e motivar a preparação dos estudantes beneficiários do UPT para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e para os vestibulares, neste período de isolamento social, por causa do combate ao coronavírus.

O UPT é realizado em parceria com as quatro universidades estaduais (Uneb, Uefs, Uesc e Uesb) e faz parte da política de acesso ao Ensino Superior. Com o UPT Estude em Casa, os estudantes terão ainda mais conteúdos agregados aos já existentes no Portal da Educação, dentro da  Plataforma Anísio Teixeira.

Durante live no canal do Youtube da Educação Bahia, o subsecretário da Educação, Danilo Souza, que representou o secretário Jerônimo Rodrigues, explicou da dinâmica desenvolvida pela secretaria. ”O importante é que não percamos tempo e possamos disponibilizar todo o material que possa ser utilizado pelos estudantes neste momento de isolamento social, apresentando alternativas para o aprendizado, em um projeto que alcança jovens de comunidades quilombolas, indígenas, ribeirinhas, entre outros”, enfatizou.

O reitor da Universidade do Sudoeste da Bahia (Uesb) e presidente do Fórum dos Reitores das Universidades Estaduais Baianas, Luiz Otávio de Magalhães, destacou a importância social do UPT. ”As universidades têm a convicção de que é um projeto altamente exitoso e participamos com muito prazer. Uma das marcas do ensino das universidades públicas é a estratégia de emancipação social, visando combater um problema estrutural que é a desigualdade”, disse.

O coordenador executivo de Projetos Estratégicos da secretaria, Marcius Gomes, ressaltou a importância do projeto UPT Estude em Casa. ”Esta é mais uma oportunidade de aprendizado com o objetivo de diminuir o impacto desta paralisação na rotina escolar. Estamos desenvolvendo uma grande rede de aprendizagem, dando ao estudante a chance de buscar conteúdos e informações necessárias à sua  formação, melhorando o seu conhecimento”.

Governo destina R$ 44 milhões para vale-alimentação de estudantes da rede estadual

/ Educação

Rui garante vale-alimentação dos estudantes. Foto: Camila Souza

O governador Rui Costa anunciou que encaminha, ainda nesta segunda-feira (13), à Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), um projeto de lei para garantir que todos os estudantes da rede estadual de ensino recebam um vale alimentação. O Governo do Estado vai investir R$ 44 milhões com recursos próprios na medida, que vai beneficiar cerca de 800 mil alunos. O governador explicou que a Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-BA) avalia junto às instituições financeiras a forma de viabilizar que o recurso chegue o mais rápido possível aos estudantes.

”Essa é uma medida para garantir que esses jovens possam reforçar a alimentação em suas famílias neste momento de pandemia do novo coronavírus. Tenho certeza que teremos o empenho da Assembleia Legislativa pela aprovação do projeto. Estamos em diálogo com os bancos para verificar o formato mais rápido de fazer esse dinheiro chegar na mão de cada família”, destacou Rui.

O governador também revelou que, ainda nesta segunda-feira (13), será sancionado o projeto de lei do Governo do Estado que determina que estabelecimentos privados e públicos, em funcionamento, assegurem máscaras para seus funcionários em serviço e fiscalizem o uso do material. O projeto foi aprovado pela Alba no último sábado (11) e abrange todos os estabelecimentos industriais e comerciais. Com a nova lei, o uso deixa de ser opcional e passa a ser obrigatório.

Segundo Rui, o empregador também será responsável por fiscalizar o uso do equipamento pelos funcionários. As penas previstas para quem descumprir a medida são o pagamento de multa e até fechamento do estabelecimento. ”Estamos reforçando o apelo à população para que use máscaras, já que esta pode ser uma forma de conter o avanço do coronavírus. O projeto de lei se soma ao esforço que o Governo do Estado vem fazendo no combate a essa pandemia”, afirmou.

 

 

USP testa ventilador pulmonar que poderá suprir falta de respiradores para UTIs, diz jornal

/ Educação

O projeto da Poli (Escola Politécnica da USP) que cria um ventilador pulmonar de baixo custo para pacientes de Covid-19 em UTIs entrou na reta final. Na próxima semana, ele deve ser testado em animais —e também em seres humanos.

A informação é da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo. ”Não é que deveremos fazer neste prazo. Teremos que fazer”, diz à publicação Dario Gramorelli, da Associação dos Engenheiros Politécnicos, que participa do projeto.

Segundo a coluna, inicialmente o equipamento será usado em porcos. Depois, em voluntários saudáveis que se disponham a passar pelo teste.

Se tudo der certo, o protótipo será disponibilizado em uma plataforma pública. Empresas já habilitadas pela Anvisa poderão usar o modelo para fabricar os equipamentos.

De acordo com a publicção, a iniciativa da Poli é uma luz no fim do túnel: a falta de respiradores para UTI é um dos maiores problemas enfrentados hoje por governos e prefeituras no combate à Covid-19.

A maioria das administrações têm tentado importá-los da China, sem sucesso. Muitas empresas chinesas exigem pagamento antecipado sem garantia formal de entrega no prazo de máxima urgência pedido pelos governos.

Ministério da Educação oferece 13 cursos online sobre Base Nacional Comum Curricular

/ Educação

O Ministério da Educação (MEC) está oferecendo 13 cursos a distância sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Pessoas ligadas à comunidade educacional podem ter acesso ao conteúdo.

Para efetuar a matrícula no tema de interesse, é necessário fazer o cadastro no Ambiente Virtual de Aprendizagem do MEC (Avamec).

O próximo passo é acessar o link do curso de acordo com o endereço correspondente. A lista com os temas disponíveis para matrícula também está disponível na página do MEC.

Após finalizar o conteúdo e as atividades, as declarações serão emitidas pelo MEC e ficarão disponíveis no Avamec. A finalização do curso só é possível se as atividades e o conteúdo estiverem concluídos. O profissional pode realizar vários cursos ao mesmo tempo.

A BNCC é um documento normativo que define o conjunto de aprendizagens essenciais e norteia a formulação dos currículos para os todos os alunos da educação básica do país, em conformidade com o Plano Nacional de Educação (PNE). Neste ano, as instituições de educação infantil e de ensino fundamental devem implementar as diretrizes em seus currículos.

Desde 2018, o MEC investiu mais de R$ 200 milhões para apoiar a revisão dos documentos curriculares, a formação continuada de professores, a compra de materiais didáticos já adaptados e a elaboração de avaliações padronizadas.

A BNCC completa e informações sobre o seu histórico e implementação estão disponíveis no portal do MEC.

Com comentário racista, ministro da Educação provoca mais uma crise entre Brasil e China

/ Educação

Weintraub provoca crise entre Brasil e China. Fotos: Luis Fortes

Mais uma crise foi gerada entre chineses e brasileiros após declarações de aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Após comentário racista do ministro da Educação, Abraham Weintraub, a embaixada da China reagiu durante a madrugada desta segunda-feira (6) e demonstrou indignação com a forma com que o povo chinês tem sido tratada por representantes do povo brasileiro.

Em publicação no sábado (4), no Twitter, o ministro associou a origem do novo coronavírus (Covid-19) ao país estrangeiro, além usar o personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, para fazer chacota e ironizar o modo de falar dos chineses que trocam o R pelo L.

”Deliberadamente elaboradas, tais declarações são completamente absurdas e desprezíveis, que têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis, tendo causado influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil. O lado chinês manifesta forte indignação e repúdio a esse tipo de atitude”, diz nota divulgada pela embaixada nas redes sociais.

”A maior urgência neste momento é unir todos os países numa proativa cooperação internacional para acabar com a pandemia com a maior brevidade, com vistas a salvaguardar a saúde pública mundial e o bem-estar da Humanidade”, acrescenta.

A embaixada reforça ainda que a OMS (Organização Mundial da Saúde) e a comunidade internacional se opõem à associação do coronavírus a um país ou região, combatendo a estigmatização.”Instamos que alguns indivíduos do Brasil corrijam imediatamente os seus erros cometidos e parem com acusações infundadas contra a China”, conclui.

Esse não é o primeiro ataque de uma pessoa ligada ao presidente Jair Bolsonaro contra o país onde se registrou o começo da pandemia. Na noite do dia 18 de março, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, fez duras críticas ao deputado federal Eduardo Bolsonaro após o filho do presidente, também em uma rede social, comparar a pandemia do coronavírus ao acidente nuclear de Tchernóbil, na Ucrânia, em 1986.

O episódio gerou crise diplomática entre os países. Com a repercussão do caso, o deputado federal afirmou no dia seguinte às declarações que jamais quis ofender o povo chinês e ressaltou que o embaixador chinês não refutou seus argumentos sobre o surgimento do coronavírus. As informações são da Folha de S.Paulo.

Retorno das aulas depende de governadores e prefeitos, diz ministro da Educação

/ Educação

Weintraub fala sobre retorno das aulas. Foto: Alessandro Dantas

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, parece não influenciar na decisão quanto ao retorno das aulas nesse período de pandemia do novo coronavírus. Em resposta a uma seguidora nas redes sociais, o chefe do MEC deixou a decisão para os gestores estaduais e municipais.

”Espero que ainda esse mês [haja o retorno às aulas]. Depende dos governadores e prefeitos”, escreveu.

O posicionamento do ministro vem uma semana após o presidente Jair Bolsonaro criticar a suspensão das aulas, já que crianças não são o grupo de risco – apenas os idosos. Autoridades sanitárias, no entanto, reforçam que as crianças podem ser vetores de transmissão do vírus para pessoas acima de 60 anos.

Depois do pronunciamento, secretários estaduais de educação mantiveram a suspensão das aulas. De acordo com a Folha de S.Paulo, o Conselho Nacional de secretários (Consed) disseram que a medida é não apenas um ato de responsabilidade para proteger estudantes, servidores e todos no seu entorno.

Secretaria da Educação disponibiliza roteiro de estudos para estudantes em quarentena

/ Educação

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) disponibilizou, no Portal da Educação, sugestões de roteiros de estudos para os estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, para o período de suspensão das aulas, ocasionado pelo combate ao Coronavírus (COVID-19).

Os roteiros foram elaborados voluntariamente por professores da rede estadual, por área do conhecimento, e apresentam uma proposta de cronograma para a realização dos exercícios.

A superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, Manuelita Falcão, explica que o material visa contribuir para manter o engajamento dos estudantes e estimular a adoção de rotinas de estudo durante o período de isolamento social.

”A equipe técnica construiu este conteúdo para que pudéssemos dar opções de roteiros qualificados para os estudantes, observando o Documento Curricular Referencial do estado (DCRB) e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)”, afirma.

Ainda de acordo com Manuelita, os roteiros não comprometem, mas complementam as iniciativas que o Instituto Anísio Teixeira (IAT) e algumas escolas também estão adotando, ”que podem ser chamados de ações de solidariedade pedagógica, dado que a realização das atividades é opcional.”

Cronograma
Nesta primeira semana, os estudantes já têm uma rotina de estudos à disposição com conteúdos e atividades que envolvem a área de Linguagens, reunindo os seguintes componentes curriculares: Língua Portuguesa, Produção Textual, Literatura, Arte, Educação Física e Inglês.

O cronograma propõe uma rotina das 9h às 12h e as atividades são explicativas, descrevendo tópicos da atividade, objetivo e sugestão de exercícios, buscando contemplar tanto estudantes que têm acesso à internet, quanto os que não têm.

A cada semana será contemplada uma área de conhecimento diferente, começando nesta semana por Linguagens e continuando; na próxima, com Matemática e Ciências da Natureza; e, na outra, com Ciências Humanas.

Inep publica cronograma do Enem; provas serão aplicadas em 1° e 8 de novembro

/ Educação

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou hoje (31) os editais das versões impressa e digital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. O período de inscrição será de 11 a 22 de maio. O participante que optar por fazer o Enem impresso não poderá se inscrever na edição digital e, após concluir o processo, não poderá alterar sua opção.

De acordo com o cronograma, o Enem 2020 impresso será aplicado em 1º e 8 de novembro. Os editais foram publicadas no Diário Oficial da União desta terça-feira e também estão disponíveis na página do Enem. Os participantes que optarem por realizar a versão digital do exame farão as provas nos dias 11 e 18 de outubro.

A autarquia vinculada ao Ministério da Educação também informou que, a partir do dia 6 de abril, os estudantes poderão fazer a solicitação de isenção da taxa de inscrição do Enem.

Os requerimentos e as justificativas de ausência na edição anterior devem ser feitas pela internet, na Página do Participante, com acesso pelo computador ou celular.

Pode solicitar a isenção da taxa quem está cursando a última série do ensino médio, em 2020, em escola da rede pública declarada ao Censo Escolar; quem cursou todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, além de ter renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio, e quem está em situação de vulnerabilidade socioeconômica por ser membro de família de baixa renda, devendo informar o número de identificação social (NIS), único e válido, além de ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Os participantes que solicitaram isenção em 2019, não realizaram os dois dias de prova e querem solicitar nova isenção para 2020, devem fazer a justificativa de ausência. O resultado dos pedidos deve ser divulgado em 24 de abril. Entre 27 de abril e 1º de maio será aberto prazo para apresentação de recursos e os resultados finais estarão disponíveis em 7 de maio. As regras valem para a versão impressa e digital.

O Inep ressalta que a aprovação da justificativa de ausência no Enem 2019 e da solicitação de isenção da taxa de inscrição não significa que a inscrição foi realizada. Portanto, os participantes deverão acessar o Sistema Enem e se inscrever para esta edição do exame.

Inscrições

Neste ano, será obrigatória a inclusão de foto atual do participante no sistema de inscrição, que deverá ser utilizada para procedimento de identificação no momento da prova. O valor da taxa de inscrição permaneceu o mesmo da edição de 2019: R$ 85, que deverá ser pago até 28 de maio.

De acordo com o Inep, a estrutura do exame não foi alterada e será mantida a aplicação de quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e uma redação em língua portuguesa. Durante o processo de inscrição, o participante deverá selecionar uma opção de língua estrangeira – inglês ou espanhol.

Acessibilidade

A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep visa dar atendimento especializado aos participantes que necessitarem. Para facilitar a compreensão no momento da inscrição, os atendimentos específicos (gestantes, lactantes, idosos e estudantes em classe hospitalar) foram incluídos na denominação “especializado”. As solicitações para esses atendimentos também deverão ser feitas entre 11 e 22 de maio. Os resultados serão divulgados em 29 de maio. Para os pedidos que forem negados, está prevista uma fase para apresentação de recursos. O resultado final estará disponível no dia 10 de junho.

Os pedidos de tratamento por nome social serão feitos entre 25 e 29 de maio, com previsão de divulgação dos resultados em 5 de junho. O período para apresentação de recursos será entre 8 e 12 de junho e a disponibilização dos resultados finais em 18 de junho.

Enem Digital

A implantação do Enem Digital terá início neste ano e, de acordo com o Inep, será feita de forma progressiva. Nessa fase inicial, até 100 mil pessoas poderão fazer a prova no novo modelo. A previsão é que a consolidação deste modelo seja feita até o ano de 2026. A estrutura do exame será igual à da versão impressa.

O processo de inscrição é o mesmo da versão impressa. Serão disponibilizadas 100 mil inscrições para os primeiros participantes que optarem pela edição digital, conforme distribuição das vagas previstas no edital. Por se tratar de fase piloto de implantação do novo modelo, neste primeiro ano, o Enem Digital não estará disponível para treineiros e não promoverá atendimento especializado.

*Com informações do Inep

Uefs divulga lista de candidatos convocados na 4ª chamada do Sisu 2020; confira

/ Educação

A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) divulgou, nesta quinta-feira (26), a lista dos candidatos aprovados na 4ª chamada nos cursos de graduação da instituição, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para ingresso em 2020.

A relação dos candidatos pode ser conferida no site da universidade. Os candidatos deverão encaminhar a documentação para DAA, por e-mail ([email protected]).

Posteriormente será informado o prazo para a apresentação dos originais e a data da homologação. A lista de documentos necessários e outras informações podem ser conferidas no edital divulgado pela instituição.

O Sisu utiliza as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para disponibilizar vagas em instituições públicas de ensino

Educação: Governo prorroga por 30 dias prazo para validação e formalização do Fies

/ Educação

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) prorrogou por 30 dias o prazo para validação do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), a ser feita pelas Comissões Permanentes de Supervisão e Acompanhamento do Fies (CPSAs).

Foi também prorrogado pelo mesmo período o prazo para formalização do financiamento estudantil junto ao agente financeiro, referente às inscrições do primeiro semestre de 2020 que estão vencidas até esta data. As medidas foram publicadas no Diário Oficial da União de hoje (23).

A CPSA é a comissão responsável por validar as informações prestadas pelo estudante no ato da inscrição, bem como dar início ao processo de aditamento de renovação dos contratos de financiamento.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), cada local de oferta de cursos da instituição de ensino participante do Fies deverá constituir uma CPSA, composta por cinco membros: dois representantes da instituição de ensino, dois representantes da entidade máxima de representação estudantil da instituição de ensino e um do corpo docente da instituição de ensino.

Fies e P-Fies

Destinado a financiar cursos superiores em universidades privadas para estudantes de baixa renda, o Fies tem a previsão de ofertar, em 2020, 100 mil vagas. As inscrições são feitas por meio do site do programa, a partir de um cadastro vinculado ao Cadastro de Pessoas Físicas – CPF.

Há duas modalidades de financiamento no atual modelo do Fies, que possibilitam juro zero a quem mais precisa e uma escala que varia conforme a renda familiar do candidato.

A oferta de vagas a juro zero é destinada a estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos, que tenham realizado qualquer edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) desde 2010 e obtido pelo menos 450 pontos de nota média. O candidato não pode ter tirado zero na redação.

A outra modalidade, denominada P-Fies, é destinada a estudantes com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. Nesse caso, as condições do financiamento são negociadas com algum agente financeiro que fica responsável pelo contrato.

Para se inscrever no P-Fies, o estudante ainda precisa atender aos mesmos critérios do Fies juro zero: nota mínima de 450 pontos nas provas do Enem e não ter zerado a redação. Pelo calendário do MEC, o resultado da primeira pré-seleção do Fies será divulgado em 26 de fevereiro.