Homem mais alto do Brasil, com 2,37 metros, Ninão decide amputar perna por causa de infecção

/ Brasil

”É uma decisão dura e dolorosa”, afirmou. Foto: Rede social

Homem mais alto do Brasil com 2,37 metros, Joelison Fernandes da Silva, o Ninão, decidiu que vai amputar sua perna direita por conta de uma infecção no local. O paraibano de 36 anos e mais de 200 quilos não consegue andar e nem ficar de pé por conta da osteomielite.

”É uma decisão dura e dolorosa, mas pra eu ter uma vida normal, é mais fácil andar com prótese do que com o pé. A gente decidiu fazer a amputação com a esperança de uma vida melhor, de voltar andar, caminhar, andar, trabalhar, que era o que eu fazia antes. Eu era muito feliz com isso”, desabafou Ninão.

O gigante foi diagnosticado com a infecção há cerca de quatro anos e meio, porém sofre com os sintomas da doença há quase dez. O diagnóstico foi tardio, o que causou o grande comprometimento da perna de Joelison, que precisa realizar suas atividades diárias com o auxílio de uma cadeira de rodas especial.

Após a cirurgia de amputação, Ninão pretende utilizar uma prótese. Para conseguir comprá-la, o paraibano está fazendo uma vaquinha na internet. Hoje, o gigante vive com a esposa por meio de uma aposentadoria obtida em 2012, no valor de um salário mínimo. Hoje, apenas em medicamentos, Ninão gasta cerca de R$ 500, cerca de metade da renda familiar.

Câmara técnica da Saúde fala em renúncia coletiva se ministro não recuar sobre vacinas em jovens

/ Brasil

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Reprodução

Em reunião nesta sexta-feira (17), membros da Câmara Técnica do Plano Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde exigiram mudança de posição e retratação da pasta em relação à suspensão da orientação sobre vacinar adolescentes de 12 a 17 anos contra a Covid-19.

Eles querem que a pasta diga publicamente que a câmara não foi consultada na decisão pela suspensão e que se comprometa a retomar a recomendação da vacinação dos adolescentes. Caso não ocorra, eles disseram que pretendem entregar suas posições na câmara. O pleito teve apoio unânime entre os participantes da reunião.

O grupo é composto por professores, especialistas, representantes de sociedades de classe e conselhos de secretários estaduais e municipais de Saúde (como Conass e Conasems), e é responsável por subsidiar tecnicamente o ministério em suas decisões.

Se o ministério vai tomar decisões sem consultá-los, afirmaram, não faz sentido manter seus nomes associados às medidas tomadas pela pasta. O ministério foi representado no encontro por Rosana Leite de Melo, secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19, que disse que levaria os recados ao ministro Marcelo Queiroga.

Segundo relatos dos presentes, o encontro foi tomado pelas críticas dos membros da câmara técnica, que Queiroga ignorou ao decidir pela suspensão. Em entrevistas, ele tem dito que o órgão é consultivo e que não tem a obrigação de ouvi-lo.

A perfomance de Queiroga ao longo do episódio foi descrita como desastrosa. O ministério foi criticado por suspender a vacinação devido à morte de uma adolescente que, ao que tudo indica, não teve qualquer relação com a imunização, por surpreender a câmara técnica com a publicação da nota sobre o tema e por gerar mensagens equivocadas e danosas à população em relação à eficácia da vacinação.

Publicada na noite da quarta-feira (15), a nota técnica que trata da suspensão da vacinação destaca que o ministério é subsidiado pela câmara, o que causou grande incômodo de seus membros, que enfatizaram que querem que Queiroga deixe claro que não foram consultados para tomar a medida considerada trágica.

Esses especialistas apontaram ainda que a nota técnica está repleta de erros técnicos. Ela diz que a OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda a imunização de criança ou adolescente e que os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos, ambas afirmações que não correspondem à realidade.

Um dos líderes de grupo com lugar na câmara técnica compara a atitude de Queiroga às falas antidemocráticas de Jair Bolsonaro por ocasião do 7 de Setembro, classificando-a como um golpe no Plano Nacional de Imunizações e uma intentona antivacina.

Nesse sentido, portanto, o ministro agora está sendo cobrado para dar a sua ”Declaração à Nação” como a do presidente, ou seja, deve sinalizar que reconhece que errou ao recomendar a suspensão da vacinação e mostrar que pretende agir de modo diferente a partir de agora.

*por Fábio Zanini/Folhapress

Avião cai em mata e 7 pessoas morrem em Piracicaba; sócio da Raízen e família estão entre vítimas

/ Brasil

Incêndio em mata após queda de avião. Foto: Corpo de Bombeiros/SP

Sete pessoas morreram após um avião cair em Piracicaba (SP) na manhã desta terça-feira (14). A aeronave caiu em uma área de mata no bairro Santa Rosa e, com a explosão, um incêndio teve início no local.

Segundo o Corpo de Bombeiros, no avião bimotor modelo King Air B200, ano 2019, prefixo PS-CSM, estavam o sócio da Raízen Celso Silveira Mello Filho, 73 anos, sua esposa Maria Luiza Meneghel, 71 anos, e os 3 filhos do casal: Celso Meneghel Silveira Mello, 46 anos, Camila Meneghel Silveira Mello Zanforlin, 48 anos, e Fernando Meneghel Silveira Mello, 46 anos. Também morreu o piloto Celso Elias Carloni, 39 anos, e o copiloto Giovani Dedini Gulo, 24 anos.

As vítimas foram carbonizadas e morreram no local. O Corpo de Bombeiros já localizou os sete corpos, segundo a prefeitura.

Em nota, a empresa Raízen confirmou a morte do empresário Celso Silveira Mello Filho e família. ”Celso era acionista e irmão do presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Ometto Silveira Mello.”

Segundo a empresa, também estavam no avião a esposa de Celso, Maria Luiza Meneghel, seus três filhos, Celso, Fernando e Camila, o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo. As informações são do G1 SP

Novas eleições municipais: Cinco municípios em quatro estados elegem novos prefeitos

/ Brasil

Cinco municípios brasileiros elegeram no domingo (12) novos prefeitos em eleições suplementares. Além de Silva Jardim e Santa Maria Madalena, no Rio de Janeiro, foram realizadas novas eleições para o executivo municipal em Campo Grande (AL), Pedra do Anta (MG) e Gado Bravo (PB).

Em Silva Jardim, foram constatadas irregularidades em um dos partidos integrantes da chapa vencedora na eleição municipal de 2020. Nos demais municípios, os vencedores em 2020 tiveram suas candidaturas indeferidas.

Em Santa Maria Madalena, Nilson José (DEM) foi eleito com 3.527 votos (50,82% dos votos válidos). Já em Silva Jardim, Maira de Jaime (PROS) venceu a disputa com 5.273 votos (37,99%).

Na cidade mineira de Pedra do Anta, Eduardo José Viana (PL) elegeu-se com 1.849 votos (72,23%). Em Gado Bravo, o eleito foi Marcelo Jorge (PL), com 3.613 votos (62,58%). Já na alagoana Campo Grande, Teo Higino (Republicanos) conquistou 3.270 votos (49,83%) e foi eleito prefeito.

Os prefeitos eleitos ontem exercerão seus mandatos até 31 de dezembro de 2024.

Manifestantes pró-Bolsonaro tentam invadir Ministério da Saúde após perseguição a jornalistas

/ Brasil

Um servidor do Ministério da Saúde e cinegrafistas da Record e do SBT foram perseguidos por manifestantes pró-Bolsonaro, que tentaram invadir o prédio atrás deles. Ninguém se machucou, mas o equipamento da Record só foi recuperado porque um pedestre o resgatou no meio dos manifestantes e levou até a repórter da emissora, que estava protegida dentro do prédio.

A equipe do SBT e o servidor também conseguiram se proteger, mas os cinegrafistas da Record não. Eles tiveram que correr para o carro e ir embora. De acordo com seguranças da Saúde e equipes de jornalismo, que estavam no local, a ação foi muito rápida.

Às 10h30, na lateral do prédio, o servidor estava chegando para trabalhar. Como a Esplanada dos Ministérios está tomada pelos manifestantes, o único caminho é passando por eles. Em algum momento, o funcionário da Saúde fez um comentário, que irritou os manifestantes. Eles o encurralaram.

Para tentar se proteger, o servidor começou a se encaminhar para a porta do ministério. Os cinegrafistas, então, fizeram imagens da agressão. O foco dos manifestantes passou a ser também os cinegrafistas, que correram na direção da porta do ministério.

Os seguranças do ministério trancaram a porta para evitar invasão, mas abriu uma fresta para a imprensa e o servidor se abrigarem dentro. Apenas o servidor e o cinegrafista do SBT conseguiram entrar. Nesse momento, os manifestantes forçaram a porta para invadirem o ministério.

Já uma outra frente perseguiu a equipe da Record, que ficou para fora. A Polícia Militar do Distrito Federal foi chamada.

”A PMDF foi acionada para verificar uma situação envolvendo jornalistas e manifestantes. Quando chegamos no local, a situação foi resolvida”, relata a nota oficial.

As imagens do portal Metrópoles mostram três momentos: dois dos servidores conseguindo se abrigar dentro do Ministério da Saúde e uma dos manifestantes perseguindo a equipe da Record. As imagens foram feitas de dentro do prédio.

A reportagem da CNN chegou ao local um pouco depois e só conseguiu entrar no prédio com a ajuda da Polícia Militar.

Em nota, o Ministério da Saúde informou que, ”na manhã desta quarta-feira (8), alguns manifestantes tentaram entrar no edifício-sede da pasta. A situação foi rapidamente contida pelos seguranças do prédio. Cabe esclarecer que não houve feridos”.

Ministério da Saúde libera R$ 1,1 bi para fundos de Saúde de estados e municípios

/ Brasil

Uma portaria do Ministério da Saúde, publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (3) destina mais de R$ 1,1 bilhão para fundos de Saúde dos estados, Distrito Federal e municípios. Os recursos serão repassados em parcela única para o enfrentamento da pandemia de covid-19.

O  montante está previsto na Medida Provisória (MP nº 1062/21), editada pelo presidente Jair Bolsonaro no mês passado, que libera mais de R$ 9,1 bilhões para o combate à covid-19.

O Fundo Nacional de Saúde fica com a maior parte dos recursos: mais de R$ 8,3 bilhões. O dinheiro deve ser aplicado em atenção à saúde para procedimentos em média e alta complexidade, estruturação de serviços de urgência e emergência, pagamento do piso de atenção primária à saúde, educação e formação em saúde.

Pela MP, uma parte do restante do valor previsto – R$ 705,1 milhões – irá para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os recursos vão financiar compra e distribuição de vacinas, manutenção de laboratórios e pesquisas clínicas em patologias de alta complexidade da mulher, da criança e do adolescente.

O Hospital Nossa Senhora da Conceição fica com o restante, R$ 15,3 milhões. O dinheiro faz parte do programa de atenção à saúde nos serviços ambulatoriais e hospitalares do Ministério da Saúde em Porto Alegre.

A MP 1062/21 tranca a pauta de votações do Congresso a partir de 24 de setembro e precisa ser votada por deputados e senadores até o dia 8 de outubro.

Quase 3 mil cidades brasileiras não registraram casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

/ Brasil

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (27) que em 2.950 municípios brasileiros não foram registrados casos ou mortes por Covid-19 em 24 horas. O dado, relativo à quinta-feira (26), consta do painel LocalizaSUS, que monitora a situação epidemiológica da pandemia no país.

Além disso, conforme a pasta, o Brasil chegou ao 15º dia consecutivo com a média móvel de mortes pela doença abaixo de 900 e ao terceiro dia seguido com o índice abaixo de 800. A curva de novos casos também está em queda.

Para o ministro Marcelo Queiroga, os números demonstram os efeitos da campanha de vacinação e o importante papel da imunização para acabar com o caráter pandêmico da doença. Para “seguir nesse caminho”, ele prevê ampliar a campanha de vacinação no país.

A previsão da pasta é de que os laboratórios entreguem 68,7 milhões de doses até o fim do mês de agosto. Para setembro, o expectativa é de 62,6 milhões.

Variante delta faz Prefeitura do Rio adiar plano de flexibilização das medidas restritivas

/ Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro adiou o plano gradual de flexibilização das medidas restritivas contra a Covid-19. Medidas de restrição mais brandas passariam a valer a partir da próxima quinta-feira (2) mas, por causa da variante delta, já não tem mais previsão para começar a valer.

”Diante do recente aumento do número de casos da doença devido à circulação da variante delta, do retorno de todo o mapa de risco para alerta moderado e da recomendação do Comitê Especial de Enfrentamento da Covid-19, o plano de reabertura foi adiado”, afirmou, por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Corrupção preocupa brasileiros mais do que saúde e meio ambiente, aponta pesquisa de universidade

/ Brasil

Um estudo coordenado pelo Centro de Pesquisa em Comunicação, Política e Saúde Pública da Universidade de Brasília mostrou que os brasileiros se preocupam mais com a corrupção do que com a saúde e o meio ambiente.

Cada entrevistado podia apontar dois problemas que considerava principais. Corrupção, com 54% das menções, lidera, seguido de saúde (46%) —meio ambiente ficou em sétimo, com 3%. A pesquisa, em parceria com o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados, foi realizada entre os dias 30 de junho e 13 de julho, com 1.009 pessoas.

*por Mônica Bergamo/Folhapress

Por conta da pandemia, prazo para alistamento militar está aberto até 31 de agosto

/ Brasil

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o período para alistamento militar foi prorrogado novamente este ano. O novo prazo vai até o final deste mês – mais precisamente, dia 31. As inscrições podem ser feitas no site alistamento.eb.mil.br (link: https://alistamento.eb.mil.br/).

O diretor de Serviço Militar, general de Divisão Vinicius Ferreira Martinelli, entrevistado do Brasil em Pauta deste domingo (13), adiantou que, para o alistamento, basta ter o CPF em mãos. Segundo Martinelli, os candidatos devem se alistar no ano em que completam 18 anos. “Se alistando, ele já vai estar aquele ano em dia com o serviço militar”, disse.

Segundo o diretor, o primeiro semestre do serviço militar é dedicado à formação como soldado, quando o aluno aprende conceitos como marchar e prestar continência. Numa segunda etapa, ele vai ter noções mais específicas do serviço militar, como paraquedismo, artilharia e comunicações, a depender da área para onde irá trabalhar.

De acordo com o militar, o treinamento coletivo possibilita que, em caso de necessidade, quem prestou serviço militar seja convocado para desempenhar essas funções. Segundo Martinelli, a estratégia é usada por muitos países para que não seja necessário ter um efetivo permanente muito grande e oneroso. “Esse é um sistema mais barato, já que você não precisa ter um exército grande”, disse.

A entrevista completa você confere neste domingo (12) no Programa Brasil em Pauta, que vai ao ar às 19h30 na TV Brasil. Clique aqui para saber como sintonizar a TV Brasil em canal aberto, em TV por assinatura e via parabólica.

Brasil ultrapassa 569 mil mortes por Covid e média móvel cai para 843, diz Conselho de Saúde

/ Brasil

O Brasil atingiu neste domingo (15) a marca de 569.058 mortes pela Covid-19 e 20.364.099 casos de contaminação registrados. No entanto, a média móvel de mortes diárias provocadas pela doença caiu para 843,86.

Nas últimas 24 horas, foram registradas 270 mortes em decorrência do vírus e 13.957 novos infectados notificados em todo o país. Os dados constam no mais recente balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Com este resultado, o país completa o 16º dia abaixo do patamar de mil falecimentos diários e o 5º com menos de 900 vidas perdidas para a doença pandêmica em 24 horas. Este também é o menor número registrado desde 7 de janeiro, quando o indicador estava em 792,7.

Covid-19: país tem 20,3 milhões de casos acumulados e 568,7 mil mortes, diz Ministério

/ Brasil

O balanço divulgado neste sábado (14) pelo Ministério da Saúde registra 31.142 novos diagnósticos de covid-19 em 24 horas. Esse dado eleva para 20.350.142 o número de pessoas infectadas pela doença desde o início da pandemia no país. Ontem (13), o painel de estatísticas marcava 20.319.000 casos acumulados.

As mortes pelo novo coronavírus ao longo da pandemia aproximam-se de 570 mil. Em 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 926 novos óbitos, totalizando 568.788. Na sexta-feira, o painel de informações marcava 567.862 mortes acumuladas.

O balanço apontou também 585.840 pacientes em acompanhamento e 19.195.514 recuperados da doença. Da Agência Brasil

Mortes por covid-19 caem 8% e casos, 5%, informa boletim, diz boletim do Ministério da Saúde

/ Brasil

As mortes causadas pela pandemia da covid-19 caíram 8% na Semana Epidemiológica 31, de 1º a 7 de agosto, em comparação com a semana anterior. As informações estão no mais recente Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde sobre a covid-19.

Na SE 31, autoridades de saúde registraram 6.382 pessoas que não resistiram à covid-19, enquanto o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde na semana anterior trouxe 6.922 óbitos.

O resultado representa uma continuidade da queda da curva de mortes. A média móvel de mortes na SE 31 ficou em 912, voltando a um índice abaixo dos 1 mil óbitos diários, retomando o patamar da virada do ano. Da Agência Brasil

Beneficiários do Auxílio Brasil, que vai substituir o Bolsa Família, terão acesso a crédito especial

/ Brasil

Os beneficiários do Auxílio Brasil, futuro programa social que pretende substituir o Bolsa Família, terão acesso a uma linha de crédito especial com juros reduzidos oferecido pela Caixa Econômica Federal, disse nesta quinta-feira (12) o ministro da Cidadania, João Roma. Com início previsto para novembro, o programa pretende atender 16 milhões de famílias.

”O que nós visamos é que justamente seja disponibilizado acesso a recursos com juros mais baixos. É uma população que em geral tem dificuldade de acesso ao setor bancário. Hoje essa população termina caindo em agiotas, que de maneira informal muitas vezes captura cartões e recebíveis muitas vezes de maneira truculenta”, declarou Roma, durante o anúncio do calendário da prorrogação do auxílio emergencial.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que o crédito especial beneficiará pessoas atualmente com o nome negativado e que, sem opção, tomam empréstimos em financeiras com juros altos. ”Só as financeiras acabam aprovando esse limite de crédito, cobrando 20% ao mês”, ressaltou.

Auxílio emergencial
Em relação ao auxílio emergencial, o ministro da Cidadania descartou uma nova prorrogação do programa após outubro, quando será paga a última parcela. Segundo ele, somente as três parcelas extras, que começam a ser pagas neste mês, permitirá a injeção de R$ 20 bilhões na economia.

Guimarães disse que a alta propensão ao consumo – tendência a consumir, em vez de poupar – entre os beneficiários do auxílio emergencial deve fazer com que quase a totalidade dos recursos sejam gastos no comércio. ”Este é um recurso que é totalmente consumido. Logo, ele faz a economia girar”, concluiu.