Jequié: Prefeitura divulga esclarecimento sobre Programa de Aquisição de Alimentos-PAA

/ Agricultura

Prefeitura divulgou nota sobre o PPA
Prefeitura divulgou nota sobre o PPA. Foto: Divulgação

A Prefeitura de Jequié, por meio da Secretaria de Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente, divulgou nota de esclarecimento sobre o processo de liberação de recursos do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) para a ano de 2015. O Programa de Aquisição de Alimentos – PAA compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação. Esses alimentos são distribuídos gratuitamente a pessoas ou famílias que precisam de suplementação alimentar (porque estão em situação de insegurança alimentar e nutricional) e também a entidades de assistência social, restaurantes populares, cozinhas comunitárias, bancos de alimentos, entre outros. Os alimentos adquiridos pelo PAA também podem compor estoques públicos estratégicos de alimentos. O PAA é coordenado pela Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SESAN) do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Em Jequié o PAA está cadastrado na modalidade de Compra com Doação Simultânea e no ano de 2014 a Prefeitura de Jequié viabilizou um galpão específico pra o programa, e trabalhou com 254 produtores rurais, atendendo a 44 entidades de assistência social, utilizando verba do Governo Federal num montante de R$ 1.141.354,22. No ano de 2015, o orçamento da União foi aprovado no mês de Abril, e em Maio foi reiniciado o processo para a liberação do PAA 2015.

Segundo o secretário municipal de Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente, Carlos André Santos, o município de Jequié está entre os municípios baianos que realizam o processo de forma correta e dialogando os produtores rurais e com o Conselho Municipal de Assistência Social para que o trabalho atenda os trâmites do programa e as reais necessidades da população.  De acordo com o coordenador do PAA em Jequié, o diretor de projetos Danilo Machado, a Secretaria de Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente, desenvolve ações para agilizar o processo de cadastro e explica que este é dividido nas seguintes fases: – Cadastramento de produto; – Cadastramento de preço; – Quantidade de compra por produto; – Cadastramento das entidades de assistência social (entidades corretamente cadastradas no CMAS e dentro dos critérios estabelecidos pelo PAA); – Divisão dos produtos por entidade; e – Cadastro dos Agricultores (devidamente cadastrados com o DAP – Declaração de Aptidão ao PRONAF).  Para o ano de 2015 será destinado o recurso federal no montante de R$1.141.354,22; distribuídos aos 254 agricultores cadastrados (num valor por agricultor cadastrado de R$ 4.493.52).

Agricultura: SETAF inaugurado em Jequié vai atender mais de 10 mil agricultores no Médio Rio de Contas

/ Agricultura

Setaf é inaugurado em Jequié. Foto: Karoline Meira
SETAF é inaugurado em Jequié. Foto: Karoline Meira
Foi inaugurado nesta, quarta-feira (19/8), o Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF), no município de Jequié, Território de Identidade Médio Rio das Contas, beneficiando mais de 10.500 mil famílias da região. Este é o sétimo dos 27 SETAFs, que serão implantados em toda a Bahia. A ação, realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), tem o objetivo de articular políticas públicas para a agricultura familiar e promover a inclusão produtiva dos agricultores familiares baianos, aproximando mais as ações do governo estadual dos agricultores. No local, serão prestadas informações e acompanhados os serviços executados pela secretaria, reunindo, no mesmo espaço, órgãos da SDR como a CAR, CDA, Bahiater, SUAF e Sutrag, além de ser um espaço aberto a uma relação de parceria com a Seagri, através da Bahia Pesca e Adab. Já estão em funcionamento as unidades dos Territórios Sertão do São Francisco (Juazeiro), Recôncavo (Cruz das Almas) e Bacia do Paramirim (Macaúbas), Semiárido Nordeste II (Ribeira do Pombal), Vitória da Conquista (Vitória da Conquista) e Médio Sudoeste (Itapetinga). O ato de inauguração contou com a participação do secretário do Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, o superintendente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Jeandro Ribeiro, do superintendente da Agricultura Familiar, Marcelo Matos, de prefeitos e vereadores de municípios do Território, parlamentares e demais autoridades regionais.

Secretário estadual está em Jequié para inaugurar o Serviço Territorial de Apoio à Agricultura

/ Agricultura

Secretário Jerônimo Rodrigues. Foto: Camila Souza
Secretário Jerônimo Rodrigues. Foto: Camila Souza

O Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF) chega a Jequié. Nesta quarta-feira (19/8), o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), através do secretário Jerônimo Rodrigues, inaugura o sexto SETAF, no município de Jequié. A ação tem o objetivo de articular políticas públicas para a agricultura familiar e promover a inclusão produtiva. A unidade, localizada no extinto Derba, vai atender mais de 10.500 mil famílias de agricultores do Território de Identidade Médio Rio das Contas. A solenidade ocorre nesta manhã em Jequié. O secretário Jerônimo, é oriundo da região, nascido em Aiquara, no Médio Rio de Contas.

Jaguaquara: Preço da cebola segue em alta na Ceasa; produto chega a custar R$ 7 o quilo

/ Agricultura

Cebola é a vilã da inflação. Foto: Blog Marcos Frahm
Cebola é a vilã da inflação. Foto: Blog Marcos Frahm

Continua sendo caro preparar uma salada a base de cebola, ingrediente tão comum na culinária. Em Jaguaquara, no Mercado Produtor Ceasa, um dos principais centros de distribuição e comercialização de produtos hortifrutigranjeiros do Estado, a cebola segue em alta já a cerca de três meses. Nesta quarta-feira (12/8), conforme informações da gerência comercial do órgão, o saco da cebola chegou a R$ 75,00, preço considerado alto e que vem refletindo nas férias livres e nos supermercados, levando o consumidor a pagar R$ 7,00 pelo quilo do produto. Para os produtores, a baixa na produtividade da cebola nas regiões produtores é o que tem feito o preço disparar.

Jaguaquara: Cebola apresenta alta e vira a vilã da inflação no Mercado Produtor

/ Agricultura

Cebola tem alta de mais de 50%. Foto: Blog Marcos Frahm
Cebola tem alta de mais de 50%. Foto: Blog Marcos Frahm

Parece nunca ter sido tão caro preparar uma salada ou temperar comida usando a cebola, ingrediente tão comum na culinária. No Mercado Produtor Ceasa, em Jaguaquara, o preço da cebola apresenta alta há quase dois meses. Nesta semana, por exemplo, o saco da cebola com 20 kg é vendido por R$ 80,00. O preço alto na Ceasa reflete nas feiras livres e supermercados, levando o consumidor jaguaquarense quase às lágrimas na hora de pagar a conta no mercado. O kg da cebola em supermercados diversos já ultrapassa os R$ 7,00. É o valor mais alto registrado neste ano de 2015.

Jaguaquara: Preço da cenoura tem alta na Ceasa

/ Agricultura

Cenoura teve o maior aumento de preço.
Cenoura teve o maior aumento de preço. Foto: Blog Marcos Frahm

Com as chuvas moderadas que atingem a região, a qualidade das hortaliças melhora e o preço aumenta. No Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara, hortaliças, legumes e verduras oscilam preços. A cenoura, por exemplo, apresenta alta significativa nesta semana. De acordo com levantamento da gerência comercial do órgão, a cenoura teve reajuste de cerca de 60%, cujo saco com 20 kg custa atualmente R$ 40,00, maior aumento de preço do produto nos últimos meses. A batata lisa especial também lidera alta de preço, sendo vendida por R$ 125,00 –  saco com 50 kg. O tomate, carro chefe da comercialização na Ceasa, sofre queda, mas para os produtores e comerciantes a média de preço ainda é boa. A caixa do tomate, com 23 kg, custa R$ 26,00. Já o chuchu despencou, chegando a custar R$ 8,00 a caixa 23 kg nesta terça-feira (9/6) na Ceasa de Jaguaquara, um dos principais mercados atacadistas de hortifrutigranjeiros da Bahia.

Jaguaquara: Preço da cebola tem alta de mais de 50% no Mercado Produtor Ceasa

/ Agricultura

Variação chegou até alta de mais de 50%.
Cebola tem alta de mais de 50%. Foto: Blog Marcos Frahm

O mês de junho começou com alta no preço da cebola no Mercado Produtor Ceasa em Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá. O produto, bastante comercializado na região, teve uma valorização significativa no centro de distribuição do Vale do Jiquiriçá. O saco com 20 quilos da cebola roxa custa atualmente R$ 80,00. Semanas atrás, a mesma quantidade do produto custava menos do que R$ 40,00. A cebola branca tem a mesma variação de preço e o caso também é vendido por R$ 80,00. O quilo da cebola nas feiras de Jaguaquara está custando para os consumidores R$ 5,00. De acordo com a chefe do Cotação do Mercado do Produtor de Jaguaquara, Mara Freitas, a alta no preço da cebola deve-se a redução nas plantações da região.

Campanha contra a febre aftosa chega a reta final; criadores devem procurar Adab de Jaguaquara

/ Agricultura

Adab / Jaguaquara vacina contra aftosa
Adab / Jaguaquara vacina contra aftosa. Foto: Blog Marcos Frahm

Entra na reta final a primeira etapa da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa 2015. A campanha que segue até o dia 31 foi aberta para vacinar os 10 milhões de bovinos e bubalinos existentes na Bahia, de acordo com a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Secretaria da Agricultura do Estado (Seagri), e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O produtor poderá adquirir e realizar a aplicação das doses em todo o rebanho, independente da faixa etária. Na aplicação devem ser obedecidas as recomendações do fabricante em relação à dosagem (5 ml para qualquer idade), prazo de validade, meio de transporte e conservação, cuidados na assepsia da seringa e local correto de aplicação da vacina (tábua do pescoço). Os produtores de alguns municípios do Vale do Jiquiriçá, Nova Itarana, Irajuba, Santa Inês, Cravolândia e Itaquara deverão se adiantar e procurar o escritório da Adab de Jaguaquara, na Rua Ministro Ilmar Galvão, anexo ao Fórum, no Centro da cidade.

Agricultura: Preço do tomate mantém alta na Ceasa de Jaguaquara há mais de um mês

/ Agricultura

Tomate mantêm boa média na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm
Tomate mantêm boa média na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm

O preço do tomate tem assustado as donas de casa de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, município considerado a Capital do Hortifruti na Bahia. A caixa do produto, que já chegou a custar cerca de R$ 10,00 no começo do ano, mantêm boa média há mais de um mês e nesta semana está sendo comercializada a R$ 54,00 no Mercado Produtor Ceasa, uma das principais centrais de abastecimento do Estado. O preço do tomate na Ceasa reflete nas feiras e supermercado, com o kg do produto custando mais de R$ 5,00. Mas enquanto as donas de casa lamentam a alta no preço do principal ingrediente da salada, na área rural os produtores comemoram. Na semana passada, a caixa do tomate, com 23 kg, era vendida a R$ 70,00, nesta terça-feira (12/5) caiu para R$ 54,00, mas o valor ainda é considerado ótimo pelos produtores do tomate.

Agricultura: Produtores da caatinga baiana mantêm a Bahia como maior produtor de pinha

/ Agricultura

Estado baiano é o maior produtor da fruta
Estado baiano é o maior produtor da fruta. Foto: Reprodução

Os produtores de pinha da caatinga baiana mantêm a Bahia como maior produtor de pinha do Brasil. A Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) confirma esta posição no ranking após inquéritos fitossanitários de fiscalização contínua de propriedades realizados nos municípios de Presidente Dutra, Lapão, Central, Uibaí, Anagé e Dom Basílio. A região produtora possui 4.200 hectares plantados, gerando cerca de 40 mil toneladas de pinha por hectare/ano. O município de Presidente Dutra, conhecido como ”Capital da Pinha”, ainda é o maior produtor da fruta, com 3.485 hectares cultivados em áreas de sequeiro e irrigada. Pelas condições climáticas da Região, permitem-se duas safras ao ano e sua produção é realizada de maneira escalonada, permitindo que se tenham frutos durante todo o ano. A pinha é a principal fonte de renda do município, tendo como foco de escoação os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Segundo a CEAGESP, maior Centro de Abastecimento do país, o volume de entrada da pinha cresceu o equivalente a 9% em relação ao ano de 2012, totalizando o comércio de aproximadamente 3 mil toneladas. Isso mostra as alterações que vêm ocorrendo, tanto na oferta dessa fruta, antes considerada exótica, como na demanda, até pela mudança de hábitos de consumo. A Bahia também garante ao Brasil o posto de segundo do mundo em produção de Pinha, ficando atrás do México.

Jaguaquara: Produtores de tomate comemoram a reação no preço do produto após chuva

/ Agricultura

Produtores de Jaguaquara comemoram.
Produtores comemoram boa fase. Foto: Blog Marcos Frahm

Os produtores de tomate do Vale do Jiquiriçá comemoram a volta da chuva na região. Com mais água disponível, as condições da lavoura melhoraram e, consequentemente, o preço dos produtos hortifrutigranjeiros apresentam alta. É o caso do tomate, produto mais procurado pelos comerciantes no Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara, a capital do hortifruti na Bahia. A caixa do tomate com 24 kg é vendida atualmente por R$ 68,00. O preço reflete nas feiras e supermercados, com o kg do fruto sendo encontrado até por R$ 4,00. Se a alta do produto pesa no bolso dos consumidores, para os produtores, a fase é de comemoração. Um dos fatores que tem influenciado positivamente é a chuva, que têm caído nas últimas semanas de forma regular no Sudoeste baiano, atingindo a região produtora de Jaguaquara.

Adab busca reconhecimento internacional da Bahia como zona livre da peste suína

/ Agricultura

Com o objetivo de conquistar novos mercados para exportação de carne suína, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), está adotando uma série de medidas para que o estado obtenha a certificação internacional de Área Livre de Peste Suína Clássica (PSC). A meta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é que 14 estados recebam o reconhecimento internacional até 2016. A Bahia já é livre da doença, sem a necessidade de vacinação, desde 2001, quando recebeu o status nacional de livre para a Peste Suína Clássica, e agora está entre os estados que pleiteiam o reconhecimento internacional. Para isso, representantes da área de defesa sanitária animal dos estados e do Mapa se reuniram, na ultima semana, em Curitiba, para avaliar as ações realizadas em atendimento às exigências da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Confira a cotação de preços na Ceasa de Jaguaquara; tomate segue com boa média e batata cai

/ Agricultura

A terça-feira foi de feira na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm
A terça-feira foi de feira na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm

Preços de produtos hortifrutigranjeiros seguem oscilando no Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara, maior Centro de Abastecimento do interior baiano. Produtores acreditam que os altos e baixos na fruta e no legume são uma consequência de instabilidade do clima nas regiões produtoras. A batata lisa especial, que na semana passada liderava alta de preços, sendo vendida até por R$ 130,00, o saco com 50kg, caiu para R$ 95,00 na feira realizada nesta terça-feira (17/3). O chuchu, outro produto que apresentava alta nas feiras anteriores, custando até R$ 15,00, a caixa/23kg, caiu para R$ 10,00. O tomate, carro-chefe na comercialização do Mercado Produtor, mantém boa média: R$ 35,00 caixa/23kg. E a mudança de preço na Ceasa reflete tão rapidamente nas feiras livres e supermercados. Confira os preços de outros produtos comercializados na Ceasa: abóbora, saca/25 kg, R$ 25,00; cebola pêra, saca/20 kg, R$, 44,00 e roxa R$ 42,00; jiló, saco/20kg, R$ 16,00; repolho, caixa com 12 unidades, R$ 17,00. Frutas – abacaxi, o cento, R$ 180,00; laranja, o cento, R$ 13,00; maçã, caixa/18 kg, R$ 43,00; mamão caixa 15/ kg, R$ 21,00 e uva, caixa/15 kg, R$ 78,00 reais.

Agricultura: Batata inglesa volta a ter alta de preços na Ceasa de Jaguaquara

/ Agricultura

A batata inglesa puxa alta de preço
A batata inglesa puxa alta de preço. Foto: Blog Marcos Frahm

Após a elevação nos preços do tomate, chegou à vez da batata tomar frente e assumir o status de vilão para o bolso do consumidor jaguaquarense. O produto atinge o preço alto nesta semana, de acordo com informações do Mercado Produtor – Ceasa. O saco da bata, com 50 kg, é vendido atualmente por R$ 112,00 e o alimento deve continuar em alt. As qualidades de batata inglesa são divididas em duas variedades para a comercialização. A primeira, a batata especial, tem melhor qualidade e maior preço, o saco de 50 quilos em período de fartura do produto. O preço alto na Ceasa de Jaguaquara, não afasta o consumidor, que continua promovendo uma forte demanda pelo produto.