Agricultura: Chuvas fortes fazem preço do tomate disparar na Ceasa de Jaguaquara

/ Agricultura

Alta no preço do tomate é destaque na Ceasa
Chuvas aumentam preço do tomate. Foto: Blog Marcos Frahm

Por conta das chuvas, um dos principais ingredientes da salada, o tomate, produto carro-chefe na comercialização de hortifrutigranjeiros no Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, está mais caro. A caixa do tomate, com 24 kg, chegou a ser vendida por até R$ 110,00 reais nesta semana, conforme informações colhidas pelo Blog Marcos Frahm junto à gerência do órgão estadual. De acordo com a gerente Mara Freitas, o preço do tomate quase que triplicou das três últimas semanas para esta. A caixa do produto antes custava R$ 40,00 reais, e após as chuvas ultrapassou os R$ 100,00. Mara revela que, a chuva apesar de comemorada por boa parte dos produtores rurais, prejudica a produção de tomate e a oferta diminui na Ceasa de Jaguaquara, um dos principais centros de comercialização e distribuição de produtos hortifrutigranjeiros da Bahia. Ela diz que o produtor não consegue atender a demanda durante o período chuvoso quando o preço aumenta significativamente.

Agricultura: Quiabo está entre os vilões do preço alto no Mercado Produtor de Jaguaquara

/ Agricultura

Quiabo entre os vilões na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm
Quiabo está entre os vilões na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm

O preço do quiabo subiu no Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara e o consumidor já sente a alta nas feiras e supermercados. O saco do produto, com 30 kg, está sendo comercializado, de acordo com cotação da Ceasa desta terça-feira (15/12), por R$ 45, 00; recentemente chegou a ser vendido por R$ 60,00. O quiabo aparece pela segunda semana consecutiva entre os vilões de preço na Ceasa de Jaguaquara e, nos supermercados, o quilo do produtor já custa mais de R$ 5 reais.

Programa de Aquisição de Alimentos – PAA atende mais de 10 mil pessoas em Jequié

/ Agricultura

PPA distribui frutas, verduras, legumes
PPA distribui frutas, verduras e legumes. Foto: Dircom
Através da Secretaria de Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente, a Prefeitura de Jequié utiliza o Programa de Aquisição de Alimentos – PAA para distribuir alimentos como frutas, verduras, legumes gratuitamente a famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica atendidas por entidades beneficentes do município. Os alimentos são adquiridos da agricultura familiar do próprio município, o que ajuda também a estimular o desenvolvimento econômico do setor. São 240 produtores cadastrados, o que beneficia, diretamente, cerca de mil pessoas envolvidas no processo de produção desses alimentos. O PAA é coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Ministério do Desenvolvimento Agrário, numa parceria com a CONAB. Os alimentos adquiridos beneficiam 29 entidades de Jequié, dentre elas: Abrigo Leur Brito; Sebastião Azevedo; Associação de Pais e Amigos Excepcionais de Jequié (APAE); Fundação Urbano de Almeida Neto (FUAN); Associação Jequieense de Cegos (AJECE); Centro Educacional Especializado de Jequié (CEEJE); Ser Livre; Renascer; creches Nossa Senhora de Fátima, Lair Coutinho, Juju Borges, Santa Tereza e outras definidas pelo Conselho Municipal de Assistência Social. Desde novembro deste ano já foram adquiridas e distribuídas cerca de 50 toneladas de alimentos de qualidade, como banana, batata, manga, abóbora, tomate, alface, farinha, mamão, aipim, melancia, cebola e couve, o que garantiu o reforço alimentar de 10 mil pessoas. O PAA promove uma alimentação mais saudável às famílias que muitas vezes têm dificuldade para adquirir esse tipo de produtos. ”Também promove a inclusão social e econômica por meio do fortalecimento da agricultura familiar, complementando outros programas e serviços já desenvolvidos por meio das Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social, Educação e Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente que se mobilizam para o melhor atendimento a todos os cadastrados”, salienta Danilo Machado, coordenador do programa. O PAA é coordenado pela Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SESAN) do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e desenvolvido pelo município que oferece toda a parte logística: distribuição, galpão e pessoal para o funcionamento do programa.

Confira a cotação de preços na Ceasa de Jaguaquara; tomate mantém boa média e cenoura tem alta

/ Agricultura

Preço da cenoura melhora na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm
Preço da cenoura melhora na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm

Preços de produtos hortifrutigranjeiros seguem oscilando no Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara, maior Centro de Abastecimento do interior baiano. Produtores acreditam que os altos e baixos na fruta e no legume são uma consequência de instabilidade do clima nas regiões produtoras. A batata lisa especial, que liderava alta de preços, sendo vendida até por R$ 120,00, o saco com 50 kg, caiu para R$ 65,0, segundo cotação desta quarta-feira (2/12). Já cenoura apresenta alta, sendo vendida a R$ 31,00, o saco com 20 kg. Mas, nesta semana, não há muito o que comemorar por parte dos produtores e comerciantes de hortifrúti. A oscilação, ou seja, a variação, tem revelado baixa nos preços de quase todos os produtos. A cebola pera, por exemplo, que chegou a ser a vilã dos preços altos recentemente, com o saco de 20 kg custando R$ 80,00, agora é vendida a R$ 32,00. A cebola roxa, mais barata ainda, R$ 23,00 o saco. O jiló também despencou, custando R$ 10,00, o saco com 20 kg. O maracujá, também tem baixa, sendo vendido a R$ 15,00, o saco com 14 kg. Dentre as frutas, a maçã é o produto em alta, custando R$ 72,00 a caixa com 18 kg. O tomate, fruto carro-chefe na comercialização da Ceasa, mantém boa média e continua a R$ 34,00 a caixa com 23 kg. Confira os preços de outros produtos comercializados na Ceasa: abóbora, saca com 25 kg, R$ 12,00; repolho, caixa com 12 unidades, R$ 25,00; chuchu, caixa com 23 kg, R$ 14,00. Voltando as frutas – coco vende, o cento, R$ 115,00; laranja, o cento, R$ 13,00; mamão caixa 15 com kg, R$ 23,00 e uva, caixa de 15 kg, R$ 77,00 reais.

Manoel Vitorino: Produção de melancia cresce e produtores comemoram

/ Agricultura

Melancia produzida em Manoel Vitorino. Foto: Charle Nascimento
Melancia produzida em Manoel Vitorino. Foto: Charle Nascimento

Você sabia que parte das melancias produzidas na região de Catingal, no município de Manoel Vitorino, vem sendo comercializada em outros estados? O produtor Vicente Charle Nascimento, informa que muitas frutas extras estão sendo levadas para a cidade de São Paulo. ”Estamos conquistando novos consumidores”, festejou em rede social. E completou: ”A melhor melancia da Bahia é produzida aqui – MAVAPIN em Catingal BA”. Por Souza Andrade

Jequié sedia a partir de amanhã Encontro Estadual de Mulheres da Agricultura Familiar

/ Agricultura

Evento será aberto no Centro de Cultura de Jequié
Evento será aberto no Centro de Cultura de Jequié

Jequié sediará, entre esta quinta e sexta-feira, dias 03 e 03 de dezembro o Encontro Estadual de Mulheres da Agricultura Familiar e Economia Solidária. O objetivo será de discutir eixos temáticos de políticas para as mulheres do campo e da cidade, que construam em conjunto a carta de intenção, como proposta que irá nortear as ações de luta dos grupos para mudar a realidade. O evento é promovido pela Associação das Donas de Casa do Estado da Bahia (ADCB), Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (FETRAF Bahia), Central Única dos Trabalhadores (CUT Nacional) e Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (FASE Bahia). Dentre as ações do evento, serão discutidos eixos temáticos de políticas para mulheres do campo e da cidade, exposição de artesanatos e produtos da agricultura familiar e economia solidária e apresentações culturais. A presidenta da ADCB Marinelma Macedo Gomes disse ”estar fortalecendo as políticas públicas, com este evento”.”As conferências são o controle social das políticas públicas. O que mais nos estimula a enfrentar esse desafio é o controle social, que é representado pela participação dos conselhos, da sociedade civil, dos movimentos de mulheres, porque eles impulsionam as reivindicações e demandas e nós temos a responsabilidade, enquanto gestores, de entidade como a ADCB”, ressaltou Marinelma. O Encontro Estadual de Mulheres da Agricultura Familiar e Economia Solidária será aberto no Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães a partir das 08 horas. Já na sexta-feira, o evento dará continuidade nas dependências da UESB, campus de Jequié, no Anfiteatro Pavilhão Manoel Sarmento, a partir das 08 horas.

Fenagro começou mal com morte de cavalo, que teria sido eletrocutado numa baia

/ Agricultura

Rui esteve na abertura da Fenagro. Foto: Manu Dias
Rui Costa esteve na abertura da Fenagro. Foto: Manu Dias
Repercute intensamente no meio do agronegócio a morte de um cavalo premiado nacionalmente pertencente ao Haras Caraíbas que foi eletrocutado numa baia do Parque de Exposições de Salvador, durante a 28ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro). O animal, chamado de Forró do Cardeal, teria recebido um choque na baia em que estava e não resistiu. Em sua página do Facebook, o Haras Caraíbas, responsável pelo cavalo, reclama da estrutura do evento e diz estar vivendo ”um dos piores momentos da nossa criação”. ”Nosso Forró do Cardeal acaba de morrer eletrocutado! Acreditem! Absurdo! Eletrocutado na baia da Fenagro 2015! Uma feira que se diz uma das maiores do Brasil! Sem nenhuma estrutura para receber nossos animais e com gambiarras que matam nossos cavalos e podiam matar nossos peões ou proprietários”, acusa a publicação. A feira internacional foi aberta oficialmente neste domingo, com a presença do governador Rui Costa e do recém nomeado secretário de Agricultura, Vitor Bonfim.

Agricultura: Preço do tomate se mantém estável, no Mercado Produtor de Jaguaquara

/ Agricultura

Tomate mantém
Tomate mantém boa média na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm

O preço do produto carro-chefe na comercialização do Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara, o tomate, permanece relativamente estável, apesar de a gerência do órgão registrar semanalmente oscilações na cotação. O preço do tomate praticado nesta semana teve queda inexpressiva, em comparação com a semana passada. A caixa do tomate de primeira, por exemplo, com 23 kg, que custava R$ 40,00, caiu para R$ 35,00, de acordo com informações oficiais do Mercado Produtor Ceasa. O tomate de segunda chegou a custar nesta terça-feira (24/11) R$ 20,00 a caixa. Curiosamente, a falta de chuvas favorece a produção do produto na região. Há quem diga que, quanto menos chuva, melhor para produzir o tomate, ajudando na eliminação de pragas e doenças, mas a irrigação é fato fundamental para produzir bem e o produtor deve estar atento no acompanhamento.

Agricultura: Preço do limão dispara e chega a R$ 90 no Mercado Produtor de Jaguaquara

/ Agricultura

Estiagem eleva preço do limão. Foto: Blog Marcos Frahm
Estiagem eleva preço do limão. Foto: Blog Marcos Frahm

A disparada no preço do limão tahiti é destaque na cotação do Mercado Produtor Ceasa, em Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá. A estiagem durante o período de entressafra do limão levou o preço da fruta a bater recordes. Nos últimos dias, o produtor negociou em Jaguaquara o saco com 25 quilos entre R$ 85 e R$ 90. O valor é altamente significante em comparação com os preços praticados em semanas anteriores, quando o saco do limão não chegava a R$ 40 reais. Quem comemora são os produtores, mas os consumidores lamentam o preço alto. Nos supermercados, o kg do limão já custa quase R$ 5 reais.

Jequié: Conferência discute melhorias para a agricultura familiar no município

/ Agricultura

Evento ocorreu no auditório da Secretaria de Educação
Evento foi no auditório da Secretaria de Educação. Foto: Dircom

Agricultores familiares e a sociedade civil de Jequié participaram da 1ª Conferência Municipal de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária. Para a promoção do desenvolvimento rural sustentável com base na agricultura familiar e reforma agraria.  O evento, realizado no auditório da Secretaria Municipal de Educação, abrangeu discussões em torno do tema central da Conferência: ”ATER, Agroecologia e Alimentos Saudáveis”. A 1ª Conferência é realizada pela Prefeitura de Jequié através das Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social e de Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente. Trata-se de um evento preparatório para a Conferência Territorial que acontece nos dias 3 e 4 de dezembro em Jequié, e para a etapa nacional, prevista para o período de 30 de maio a 3 de junho de 2016, em Brasília.

Participantes acompanharam palestra magna foi proferida pela representante da SDR Marilia Anunciação,
Participantes acompanharam palestra magna proferida por Marília

A prefeita de Jequié, Tânia Britto, participou do evento junto aos secretários de Governo, Marcelo Aguiar, de Educação, João Magno Chaves, da Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente, Carlos André dos Santos.  Estiveram presentes Cleber Bonfim da Sater – Assistência Técnica Rural, o presidente da Associação de Agricultores Familiares de Campo Largo e Região, Noé Carlos Gomes, o presidente do Assentamento Santa Cruz, Claudio Farias, a presidente do Território Médio Rio das Contas, Rita Rodrigues, e o presidente do Fórum dos Secretários Regional da Agricultura Familiar, José Carlos Preché. A palestra magna foi proferida pela representante da SDR Marilia Anunciação, em seguida Tatiane Botelho, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPQ, proferiu palestra sobre o tema agroecologia. Durante o evento, também foi aprovado o regimento da Conferência e ficaram definidos os 12 delegados que irão participar da etapa regional.

Agricultura: Em Jaguaquara, preço da cebola despenca em mais de 70% na Ceasa

/ Agricultura

Preço da cebola cai na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm
Preço da cebola cai na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm

Os consumidores que reclamavam do preço alto da cebola, agora já podem comemorar. O produto que há um mês era considerado vilão de preço no Mercado Produtor Ceasa, em Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, despencou de vez. A cebola pera,  que chegou a ser vendida a R$ 105,00, agora custa R$ 10,00, o saco com 20 kg, segundo dados da cotação de quarta-feira (28/10). E como os preços praticados na Ceasa refletem nas feiras livres e supermercados, o Kg da cebola branca, que era vendido a R$ 8,00, já é encontrado até por R$ 1 real em determinados estabelecimentos. O preço em decréscimo da cebola pode alegrar os consumidores, mas preocupa os produtores, que apesar de estarem acostumados a oscilação negativa, lamentam a queda. Alerta: amanhã, a cotação pode mudar o e preço oscilar novamente.

Jaguaquara: Preço do tomate tem alta na Ceasa

/ Agricultura

Tomate é o carro-chefe na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm
Tomate é o carro-chefe na Ceasa. Foto: Blog Marcos Frahm

O preço do tomate volta a ter alta no Mercado Produtor de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, município considerado a Capital do Hortifruti na Bahia. A caixa do produto, que semana passada chegou a custar R$ 17,00, passou a ser comercializada a R$ 40,00 nesta semana. Na Ceasa de Jaguaquara, órgão do Estado, um dos maiores centros de comercialização de produtos hortifrutigranjeiros, os preços dos produtos sempre oscilam, e os produtores já estão acostumados com os altos e baixos da cotação, mas não deixam de comemorar a alta no preço do tomate, produto carro-chefe na comercialização da Ceasa.

Cebola apresenta queda e não é mais a vira a vilã da inflação na Ceasa de Jaguaquara

/ Agricultura

Cebola tem queda de mais de 50%
Queda na cebola de mais de 50%. Foto: Blog Marcos Frahm

A cebola não é mais a vilã da inflação no Mercado Produtor Ceasa de Jaguaquara. . O produto mais procurado para a composição da salada e um dos principais na comercialização da Ceasa, na Capital Baiana do Hortifrutigranjeiro, apresenta queda significativa de preço, em comparação com semanas anteriores. A cebola pera, por exemplo, chegou a custar R$ 80,00, o saco com 20 kg, que agora é vendido a R$ 25,00, conforme cotação desta quinta-feira (24/9) do Mercado Produtor. A grande oferta de cebola na Ceasa neste mês de setembro é um dos motivos da queda no preço do produto. O órgão tem recebido em Jaguaquara inúmeras cargas de cebola, vindo de várias regiões do Estado, inclusive de Irecê/Ba. O kg da cebola em supermercados diversos já ultrapassava os R$ 8,00, onde também tem queda.

Agricultura: Maracujá apresenta alta de preço na Ceasa de Jaguaquara e anima produtores

/ Agricultura

Preço do maracujá sobe na Ceasa
Preço do maracujá tem alta. Foto: Blog Marcos Frahm

O Brasil ocupa a posição de maior produtor de maracujá do mundo, com uma produção anual de 492.000 toneladas, segundo o IBGE. Em nível de macrorregião, o Nordeste é o maior produtor, respondendo por cerca de 45% da produção nacional, sendo a Bahia e Sergipe os Estados que registram produções mais expressivas. O município de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, é responsável por mais de 40% da produção estadual. Mas, a variação de preço do produto no Mercado Produtor Ceasa local é o que mais chama a atenção. Dias atrás, era fácil encontrar produtores reclamando de queda nas vendas em decorrência do pequeno preço do maracujá, muitos atribuindo a que a crise econômica, mas essa semana, o quadro se inverteu na Ceasa e os produtores e comerciantes já comemoram. O maracujá está se destacando como uma das frutas que mais registraram alta nesta semana. O saco com 13 kg, que antes era vendido a R$ 18,00, passou a custar R$ 40,00. O maracujá de primeira chega a R$ 42,00 e a procura pelo produto aumenta.