Carrapaticida é desenvolvido por estudantes de Maracás para ajudar produtores rurais

/ Região

Carrapaticida é desenvolvido em colégio estadual. Foto: Divulgação

Estudantes do curso técnico em Agropecuária, do Colégio Estadual Edilson Freire, no município de Maracás, desenvolveram um carrapaticida alternativo à base de plantas encontradas na região, como o nim, a aroeira e a babosa. A solução de baixo custo é resultado do projeto de pesquisa chamado ”Niarbs – carrapaticida alternativo”, que busca auxiliar os produtores rurais no combate aos carrapatos em animais bovinos. Os benefícios do carrapaticida foram relatados pela estudante Juliana Meira Silva, 18 anos: ”Fizemos várias pesquisas para chegar a este produto natural que, por não conter nenhum composto químico, não agride os animais, os produtores rurais e nem o meio ambiente”. Sua colega Gleice dos Santos, 19, por sua vez, destaca as propriedades das plantas utilizadas: ”O nim possui propriedades antissépticas, curativas, anti-inflamatória e inseticida. A aroeira também é anti-inflamatória e a babosa é antimicrobiana, antioxidante, cicatrizante, anti-inflamatória e hidratante”. Para a obtenção do produto, os estudantes maceraram 150 gramas de folhas de nim com 100 gramas de folhas de aroeira e adicionaram 800 ml de água. Ao sumo adquirido e coado foi acrescentado 200 ml de babosa, que é um gel obtido por meio do corte e escoamento da planta. Depois de pronta, a solução foi colocada em um aplicador improvisado e aplicada no dorso e nas áreas afetadas do bovino de uma fazenda da localidade. ”Após a aplicação, foi observada a diminuição progressiva dos carrapatos”, afirmou Juliana.

Os comentários estão fechados.