Jaguaquara: 3ª Cia/PM intensifica o policiamento nas ruas para fazer cumprir o toque de recolher

/ Jaguaquara

Polícia exige cumprimento de decreto. Foto: Blog Marcos Frahm

Diante da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Jaguaquara voltou a decretar a restrição da circulação de pessoas nas vias da cidade, das 19h às 05h, além de outras medidas duras, como fechamento de estabelecimentos comerciais.

O município contabiliza 511 casos do vírus e 03 óbitos causados pela doença, conforme informou a Secretaria Municipal de Saúde. E para fazer cumprir o decreto municipal, neste domingo (12), a Polícia Militar reforçou o policiamento em pontos diversos, exigindo que as pessoas se recolham as suas casas como forma de prevenção ao coronavírus.

Jaguaquara está na relação de municípios baianos que terão medidas mais restritivas por meio de determinação do Governo do Estado.

Prefeitura de Itagi distribui ”kit Covid-19” com ivermectina e cloroquina para pacientes

/ Saúde

A prefeitura de Itagi, no Médio Rio de Contas, anunciou que vai distribuir um ”kit-Covid” com os medicamentos ivermectina, hidroxicloroquina e azitromicina, para todos os moradores da cidade com sintomas do novo coronavírus.

Os dois primeiros são apontados como alternativas para tratamento da doença, mas não têm eficácia comprovada cientificamente e nem recomendação de uso por entidades como a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo publicação feita nas redes sociais da prefeitura, a medida, que faz parte do ”plano de enfrentamento à Covid-19”, é uma forma de evitar que pacientes ”se desloquem para as farmácias” em busca dos medicamentos. O kit será entregue nas casas das pessoas contaminadas. Para a gestão municipal, a ação é ”pioneira” e ”reforça o combate à disseminação acelerada do novo coronavírus no município.”

Vale lembrar que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu nota, na última sexta-feira (10), na qual desaconselha o uso da ivermectina no tratamento da Covid-19. Segundo o órgão, não há estudos científicos que comprovem a eficácia do medicamento contra o coronavírus. Ainda de acordo com a Agência, até o momento, não existem remédios aprovados para prevenção ou tratamento da doença no país. A ivermectina é usada no tratamento de vermes e parasitas.

A Anvisa ainda alertou que, se por um lado não há comprovações da eficácia do anti-parasitário, por outro lado estão ocumentandos os efeitos colaterais e os riscos do uso do medicamento sem prescrição médica. ”No caso da Ivermectina, os principais problemas (eventos adversos) são: diarreia e náusea, astenia [perda da força física], dor abdominal, anorexia, constipação e vômitos; em relação ao sistema nervoso central, podem ocorrer tontura, sonolência, vertigem e tremor. As reações epidérmicas incluem prurido, erupções e urticária.”

Outro medicamento do kit sem eficácia comprovada é a hidroxicloroquina. Apesar da falta de estudos sobre a substância, ela ficou famosa no Brasil após ter o uso incentivado pelo presidente Jair Bolsonaro. Diagnosticado com a Covid-19, Bolsonaro afirma que tem tomado a cloroquina no tratamento da doença.

O QUE DIZ A OMS SOBRE A CLOROQUINA

Na sexta, a OMS disse não indicar o uso da substância em pacientes com coronavírus.

”A OMS não indica o uso da cloroquina em pacientes de coronavírus porque não conseguimos demonstrar um benefício claro a eles”, afirmou diretor de emergências da OMS, Michael Ryan. A declaração foi em resposta a um questionamento da imprensa sobre as afirmações de Bolsonaro em relação ao medicamento. Com informações do site Bahia Notícias

Homem de 57 anos é a terceira vítima da Covid-19 no município de Jaguaquara, diz secretaria de saúde

/ Jaguaquara

Jaguaquara já ultrapassou os 500 casos. Foto: Blog Marcos Frahm

A Secretaria de Saúde de Jaguaquara confirmou o 3º óbito por Covid-19 no município. Em comunicado neste domingo (12), a Secretaria revelou que, um homem, de 57 anos, morador do bairro São José, no distrito Stela Dubois, teria testado positivo para o vírus após transferência ao Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié e não resistiu, indo a óbito neste domingo.

Ainda conforme o comunicado, o paciente era portador de comorbidades. Até a última sexta-feira, quando foi atualizado o boletim epidemiológico do coronavírus Jaguaquara contabilizava 511 casos da doença, com 239 pacientes recuperados.

Mais dois pacientes com doença cardiovascular crônica morrem infectados pelo coronavírus em Jequié

/ Jequié

Número de óbitos em Jequié chegou a 46. Foto: Blog Marcos Frahm

A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, apresenta o boletim epidemiológico do coronavírus, deste domingo (12), atualizado à 19h, que registrou mais dois óbitos, sendo um homem, de 93 anos, morador do Loteamento Itaigara, no bairro Mandacaru, portador de doença cardiovascular crônica, que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva, do Hospital Geral Prado Valadares; e uma mulher, de 63 anos, residente no bairro Joaquim Romão, portadora de doença cardiovascular crônica, que estava na internada no HGPV.

O boletim registrou, também, mais 66 novos casos positivos, perfazendo um total de 1698, até agora. Destes, 588 foram diagnosticados por meio do método laboratorial RT-PCR. 808 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença. Os que estão em quarentena somam 3700 pessoas.

Jaguaquara: Em final de semana movimentado, PM apreende drogas, armas, carro e prende suspeitos

/ Jaguaquara

Após denúncias que em uma residência na Rua da Lagoa existia comercialização de drogas e arma de fogo, a guarnição da Polícia Militar de Jaguaquara foi ao local indicado, no sábado (11), a fim de constatar a veracidade da informação.

Chegando ao local foi realizado o cerco perimetral e buscas no imóvel e pessoas presentes, momento em que foi localizado todo material, que acabou sendo apreendido, inclusive, um revólver calibre .38.

Todos os envolvidos, assim como o material apreendido foram apresentados na Delegacia Territorial de Jaguaquara para adoção das medidas cabíveis.

Em continuação ao flagrante realizado na Rua da Lagoa, os policiais de serviço receberam outra informação sobre uma residência no Bairro Malvina II, que possivelmente guardava entorpecentes e arma de fogo. Os militares foram ao lugar da denúncia, apreendendo mais porções de entorpecentes e mais um revólver, desta feita calibre .22. Os envolvidos foram detidos.

Ainda no final de semana, na Bela Vista, a PM visualizou um veículo Celta de placa JSA-9763, cor prata, momento em que o condutor ao notar a presença da viatura empreendeu fuga, em alta velocidade, sendo interceptado no bairro da Muritiba. Segundo a PM, foi realizada abordagem ao motorista e busca no interior do veículo, onde foram encontradas 10 porções de substância análoga à maconha, pronta para comercialização.

O suspeito confessou que em sua residência existiam mais entorpecentes, que foram localizados após buscas. O indivíduo, assim como todo material apreendido, foram apresentado à autoridade competente para adoção das medidas cabíveis. As informações são da 3 Cia da Polícia Militar

Ipiaú tem mais um óbito e 23 novos casos do coronavírus; cidade tem toque de recolher

O boletim epidemiológico de Ipiaú, divulgado neste domingo (12/) pela secretaria Municipal de Saúde, contabiliza mais um óbito e 23 casos de covid-19, elevando o total de infectados para 936. A secretaria municipal de saúde informou ao GIRO que a vítima era uma idosa de 71 anos, com comorbidades (diabetes, hipertensão e obesidade). O óbito ocorreu no dia 10 no Centro de Triagem da Covid, na UPA de Ipiaú. O resultado do exame laboratorial saiu na noite de sábado (11).

Conforme o novo boletim, 735 pessoas estão recuperadas. O número de pacientes ativos é de 191, desses, 07 estão internados. 172 pessoas aguardam por realização de testes e resultados de exame laboratorial. Dos 3.907 casos notificados, 2.799 foram descartados. O município contabiliza agora 10 óbitos por Covid-19.

TOQUE DE RECOLHER

Visando frear a disseminação do coronavírus em Ipiaú, o governador Rui Costa, em decreto publicado no Diário Oficial no sábado (11), decretou toque de recolher em Ipiaú das 18h às 05h, valendo a partir dessa segunda-feira (13) até o domingo (19). Já o decreto municipal, publicado no Diário Oficial do Município neste domingo (12), mantém o toque de recolher das 20h às 05h. Nossa reportagem foi informada que nesta segunda-feira, a prefeita Maria das Graças irá solicitar ao governador que o toque de recolher seja das 19h às 05h.

Polícia da Bahia faz reprodução simulada da morte do miliciano Adriano da Nóbrega

/ Bahia

Polícia da Bahia no momento da reprodução simulada Foto: SSP-BA

As Polícias Civil e Técnica da Bahia realizaram, neste domingo (12), a reconstituição da morte do miliciano Adriano da Nóbrega, ocorrida no dia 9 de fevereiro deste ano, na zona rural da cidade de Esplanada. A informação é da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA).

A secretaria já tinha anunciado que a polícia iria fazer a reprodução do caso, mas a data ainda não tinha sido definida. Conforme a SSP, as equipes envolvidas no confronto refizeram, neste domingo, todo o percurso do dia da morte de Adriano. [Veja as imagens no vídeo acima]

A repetição do caso durou 4 horas, informou a SSP-BA. Buscas, localização, entrada na casa e abordagem a miliciano foram demonstrados pelos policiais que participaram da ação.

A SSP-BA detalhou que a célula tática, composta de três policiais militares, que localizou o miliciano, mostrou como foram as buscas, a tentativa de cumprir o mandado, a entada no imóvel onde o foragido se escondia, o confronto e o socorro.

O laudo da reprodução simulada será anexado aos exames periciais no corpo de Adriano, no colete balístico atingido no confronto e na análise do local de crime, informou a SSP-BA.

Por meio de nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que o secretário da pasta, Maurício Barbosa, disse que desde o início do caso o órgão foi transparente e que a reprodução simulada é mais uma maneira de esclarecer e oferecer os subsídios à Polícia Civil para concluir o inquérito. Barbosa informou também que, assim que o inquérito for concluído, todos os resultados serão divulgados e repassados aos órgãos envolvidos.

O procedimento foi solicitado por delegados do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco). Peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) coordenaram as repetições.

Caso

Adriano Magalhães da Nóbrega, conhecido como Capitão Adriano, era alvo de um mandado de prisão expedido em janeiro de 2019 e era considerado foragido até de ser encontrado na cidade baiana.

Na época em que foi morto, a SSP-BA afirmou que ele era suspeito de envolvimento no assassinato de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018. O nome do miliciano, no entanto, não consta do inquérito que investiga a morte da vereadora.

Também na época da morte do miliciano, a SSP-BA informou que Adriano da Nóbrega foi encontrado na casa por equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Litoral Norte e da Superintendência de Inteligência (SI) da SSP-BA. O imóvel é um sítio de um vereador do PSL de Esplanada.

Brasil registra 631 mortes por covid-19 em 24 horas, diz boletim do Ministério da Saúde

/ Saúde

O Brasil registrou 631 óbitos pelo novo coronavírus em  24 horas, entre o boletim deste sábado (11) e o divulgado hoje (12), segundo atualização diária divulgada pelo Ministério da Saúde. As mortes causadas pelo vírus já somaram 72,1 mil no país. 

De acordo com a atualização do ministério, 669.377 pessoas estão em acompanhamento e 1.123.204 se recuperaram. Há ainda 4.063 mortes em investigação. Segundo o Painel Coronavírus, foram registrados 24.831 casos de pessoas diagnosticadas com covid-19  desde ontem. O número de casos confirmados desde o início da pandemia chegou a 1.864.681.

Estados

Os estados com mais mortes são: São Paulo (17.848), Rio de Janeiro (11.415), Ceará (6.868), Pernambuco (5.595) e Pará (5.289). As unidades da Federação com menos óbitos pela pandemia são Mato Grosso do Sul (161), Tocantins (255), Roraima (396), Acre (426) e Santa Catarina (497).

São Paulo também lidera entre os estados com maior número de casos confirmados, com 371.997, seguido por Ceará (136.785), Rio de Janeiro (129.684), Pará (125.714) e Bahia (105.763). As unidades da Federação com menos pessoas infectadas registradas são Mato Grosso do Sul (13.197), Tocantins (15.132), Acre (16.190), Roraima (22.225) e Rondônia (26.728).

Neto propõe adiamento do Carnaval para maio ou junho em conjunto com Rio e São Paulo

/ Política

ACM sugere adiamento do carnaval. Foto: Max Haack/Secom

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), afirmou que irá propor um adiamento conjunto do Carnaval 2021 para São Paulo, Rio de Janeiro e outras grandes cidades que recebem a festa caso a pandemia do novo coronavírus ainda não permita a circulação de pessoas nas ruas.

Em entrevista à CNN neste domingo (12), Neto afirmou que é uma possibilidade realizar o Carnaval entre maio e junho do ano que vem para que a festa não seja cancelada por completo.

”Todo mundo sabe que além de prefeito, eu sou um carnavalesco nato. Eu amo Carnaval e toda vez que lembro que até novembro iremos tomar uma decisão nesse assunto, me aperta o coração”, disse o prefeito.

”Primeiro, aguardar pra ver se teremos uma vacina que possa assegurar a imunidade. (…) Se não der pra fazer com segurança, irei propor para os prefeitos das principais cidades que fazem o Carnaval no Brasil, inclusive os prefeitos de São Paulo e Rio de Janeiro, e outros colegas prefeitos, para que a gente pense talvez num adiamento conjunto do Carnaval no ano que vem”, completou.

ACM Neto também falou que é possível pensar em antecipar feriados municipais para criar um Canaval fora de época após fevereiro. ”Mas sem atrapalhar os festejos juninos. Talvez essa possa ser uma alternativa caso o Carnaval não tenha condições de acontecer em fevereiro. Mas ainda não é hora de cravar nenhuma posição definitiva”, concluiu. Com informações do BNes

Bahia registra 1.575 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, diz boletim epidemiológico da Sesa

/ Saúde

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.575 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +1,5%), 47 óbitos (+1,9%) e 594 curados (+0,8%). Dos 105.763 casos confirmados desde o início da pandemia, 73.730 já são considerados curados, 29.550 encontram-se ativos e 2.483 tiveram óbito confirmado.

Os casos confirmados ocorreram em 398 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (41,08%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Gandu (2.660,25), Itajuípe (2.322.97), Ipiaú (2.005,54), Lauro de Freitas (1.739,57) e Itabuna (1.656,01).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 209.099 casos descartados e 98.366 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste domingo (12).

Na Bahia, 11.305 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Todos os dados estão disponíveis no Painel Epidemiológico. Para acessar o boletim completo, clique aqui.

Taxa de ocupação

Na Bahia, dos 2.378 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para coronavírus, 1.546 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 65%. No que se refere ao total de leitos de UTI adulto, dos 926 leitos dedicados à Covis-19, 749 possuem pacientes internados, compreendendo uma taxa de ocupação de 81%. A região Extremo-Sul da Bahia possui a maior taxa de ocupação, com 100% dos leitos de UTI ocupados, seguida da região Sul, com 85%.

Cabe ressaltar que o número de leitos é flutuante, representando o quantitativo exato de vagas disponíveis no dia. Intercorrências com equipamentos, rede de gases ou equipes incompletas, por exemplo, inviabilizam a disponibilidade do leito. Ressalte-se que novos leitos são abertos progressivamente mediante o aumento da demanda.

Óbitos

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 2.483 mortes pelo novo coronavírus.

2437º óbito – mulher, 73 anos, residente em Uruçuca, portadora de hipertensão arterial e diabetes, foi internada dia 17/06 e foi a óbito dia 19/06, em unidade da rede pública, em Ilhéus;

2438º óbito – homem, 51 anos, residente em eira de Santana, sem informação de comorbidade, foi internado dia 02/06 e foi a óbito dia 07/07, em unidade da rede pública, em Feira de Santana;

2439º óbito – homem, 72 anos, residente em Coração de Maria, sem comorbidades, foi internado dia 13/06 e foi a óbito dia 10/07, em unidade da rede filantrópica, em Salvador;

2440º óbito – homem, 67 anos, residente em Salvador, portador de diabetes, foi internado dia 10/06 e foi a óbito na mesma data (10/06), em unidade da rede pública, em Salvador;

2441º óbito – homem, 45 anos, residente em Jaguarari, portador de doença do sistema nervoso, data de admissão não informada, foi a óbito dia 21/06, em unidade da rede pública, em Petrolina, Pernambuco;

2442º óbito – homem, 85 anos, residente em Camamu, sem informação de comorbidade, data de admissão não informada, foi a óbito dia 07/07, em unidade da rede pública, em Camamu;

2443º óbito – homem, 95 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial e doença renal crônica, foi internado dia 15/06 e foi a óbito dia 17/06, em unidade da rede privada, em Salvador;

2444º óbito – mulher, 52 anos, residente em Pindobaçu, portadora de hipertensão arterial e diabetes, foi internada dia 08/07 e foi a óbito dia 09/07, em unidade da rede pública, em Pindobaçu;

2445º óbito – homem, 94 anos, residente em Manoel Vitorino, sem informação de comorbidades, foi internado dia 02/07 e foi a óbito dia 07/07, em unidade da rede pública, em Jequié;

2446º óbito – homem, 71 anos, residente em Piraí do Norte, sem comorbidades, foi internado no dia 06/07 e foi a óbito na mesma data (06/07), em unidade da rede pública, em Santo Antônio de Jesus;

2447º óbito – homem, 53 anos, residente em Cabo de Santo Agostinho, sem comorbidades, foi internado dia 23/06 e foi a óbito dia 27/06, em unidade da rede privada, em Salvador;

2448º óbito – mulher, 69 anos, residente em Lagoa Grande, sem comorbidades, data de admissão não informada, foi a óbito dia 01/07, em unidade da rede pública, em Juazeiro;

2449º óbito – mulher, 110 anos, residente em Rio do Pires, portadora de hipertensão arterial, data de admissão não informada, foi a óbito dia 05/07 em domicílio, em Rio do Pires;

2450º óbito – homem, 86 anos, residente em Ipecaetá, sem informação de comorbidades data de admissão não informada, foi a óbito dia 07/07, em unidade da rede pública, em Ipecaetá;

2451º óbito – mulher, 87 anos, residente em Feira de Santana, portadora de diabetes e doença cardiovascular, foi internada dia 02/07 e foi a óbito dia 09/07, em unidade da rede pública, em Feira de Santana;

2452º óbito – homem, 62 anos, residente em Pindobaçu, sem informação de comorbidades, data de admissão não informada, foi a óbito dia 11/07, em unidade da rede particular, em Remanso;

2453º óbito – mulher, 86 anos, residente em Castro Alves, portadora de diabetes, data de admissão não informada, foi a óbito dia 08/07, em unidade da rede pública, em Castro Alves;

2454º óbito – mulher, 89 anos, residente em Jequié, portadora de diabetes, data de admissão não informada, foi a óbito dia 11/07, em unidade da rede pública, em Jequié;

2455º óbito – mulher, 82 anos, residente em Itacaré, sem comorbidades, foi internada dia 06/07 e foi a óbito dia 07/07, em unidade da rede pública, em Ilhéus;

2456º óbito – homem, 81 anos, residente em Cairu, portador de doença cardiovascular, foi internado dia 17/06 e foi a óbito dia 04/07, em unidade da rede pública, em Ilhéus;

2457º óbito – homem, 57 anos, residente em Jequié, sem comorbidades, data de admissão não informada, foi a óbito dia 04/07, em unidade da rede privada, em Jequié;

2458º óbito – homem, 62 anos, residente em Jequié, portador de doença renal crônica, data de admissão não informada, foi a óbito dia 10/07, em unidade da rede pública, em Jequié;

2459º óbito – homem, 82 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial, foi internado no dia 29/06 e foi a óbito dia 06/07, em unidade da rede filantrópica, em Salvador;

2460º óbito – homem, 61 anos, residente em Dias D’Ávila, portador de diabetes, foi internado dia 25/06 e foi a óbito dia 06/07, em unidade da rede pública, em Salvador;

2461º óbito – homem, 87 anos, residente em Cruz das Almas, sem informação de comorbidades, foi internado dia 06/07 e foi a óbito dia 09/07, em unidade da rede pública em Cruz das Almas;

2462º óbito – mulher, 85 anos, residente em Pojuca, portadora de diabetes, data de admissão não informada, foi a óbito dia 11/07, em unidade da rede pública, em Catu;

2463º óbito – mulher, 88 anos, residente em Pojuca, portadora de hipertensão arterial. Internada dia 23/06, foi a óbito dia 08/07, em hospital da rede privada, em Salvador;

2464º óbito – homem, 71 anos, residente em Ituberá, portador de diabetes mellitus e doença cardiovascular. Internado dia 13/06, foi a óbito dia 23/06, em hospital da rede pública, em Ilhéus;

2465º óbito – homem, 35 anos, residente em Itabuna, portador de obesidade. Sem informação acerca da data de internação, foi a óbito dia 10/07, em hospital filantrópico, em Itabuna;

2466º óbito – mulher, 76 anos, residente em Candeias, portadora de obesidade e doença cardiovascular. Internada dia 09/06, foi a óbito dia 26/06, em hospital da rede privada, em Salvador;

2467º óbito – homem, 71 anos, residente em Valença, portador de hipertensão arterial. Internado dia 17/04, foi a óbito dia 01/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2468º óbito – homem, 65 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. Sem informação acerca da data de internação, foi a óbito dia 26/05, em hospital da rede pública, em Salvador;

2469º óbito – mulher, 75 anos, residente em Lauro de Freitas, portadora de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Internada dia 02/07, foi a óbito dia 04/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2470º óbito – homem, 73 anos, residente em Itabuna, portador de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Foi a óbito dia 01/07, em seu domicílio, em Itabuna;

2471º óbito – homem, 53 anos, residente em Itaberaba, sem comorbidades. Internado dia 23/06, foi a óbito dia 03/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2472º óbito – mulher, 70 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial. Internada dia 24/06, foi a óbito dia 06/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2473º óbito – mulher, 80 anos, residente em Salvador, portadora de diabetes mellitus e doença do sistema nervoso. Internada dia 18/05, foi a óbito dia 24/05, em hospital da rede pública, em Salvador;

2474º óbito – homem, 35 anos, residente em Laje, sem informação acerca da existência de comorbidades. Também sem informação sobre a data de internação, foi a óbito dia 08/07, em hospital da rede pública, em Santo Antônio de Jesus;

2475º óbito – homem, 47 anos, residente em Cotegipe, portador de doença renal crônica. Internado dia 26/06, foi a óbito dia 06/07, em hospital da rede pública, em Barreiras;

2476º óbito – criança, 10 anos, residente em Salvador, portador de obesidade e de outras comorbidades. Internado dia 05/07, foi a óbito dia 07/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2477º óbito – homem, 88 anos, residente em Mata de São João, portador de hipertensão arterial. Internado dia 29/06, foi a óbito dia 06/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2478º óbito – mulher, 88 anos, residente em Feira de Santana, portadora de hipertensão arterial e outras comorbidades. Internada dia 04/07, foi a óbito dia 06/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2479º óbito – mulher, 63 anos, residente em Lauro de Freitas, portadora de doença renal crônica. Internada dia 01/07, foi a óbito dia 06/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2480º óbito – mulher, 40 anos, residente em Salvador, portadora de diabetes mellitus e hipertensão arterial. Internada dia 26/06, foi a óbito dia 06/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2481º óbito – homem, 69 anos, residente em Dias D´Ávila, portador de diabetes mellitus. Internado dia 19/06, foi a óbito dia 22/06, em hospital da rede pública, em Dias D´Ávila;

2482º óbito – homem, 85 anos, residente em Lauro de Freitas, portador de diabetes mellitus e hipertensão arterial. Internado dia 28/06, foi a óbito dia 09/07, em hospital da rede pública, em Salvador;

2483º óbito – homem, 65 anos, residente em Salvador, sem informações sobre quais comorbidades era portador. Internado dia 30/06, foi a óbito dia 07/07, em hospital da rede pública, em Salvador.

Ludmilla é internada e passa por cirurgia após problema com prótese de silicone

/ Entretenimento

Cantora Ludmilla foi internada neste domingo. Foto: Reprodução

A cantora Ludmilla foi internada neste domingo (12), no hospital São Luiz, em São Paulo, e precisou fazer uma cirurgia, após ter problemas com a prótese de silicone.

Segundo informações da assessoria da artista, ela passa bem e deve ter alta em breve. Esta já é a segunda vez que Ludmilla precisou ser internada esse ano. Em maio, ela fiou cinco dias no hospital por conta de uma pielonefrite aguda, que consiste em uma inflamação nos rins.

Três universidades do Paraná desenvolvem apoio a diagnóstico de Covid-19 com raio-x

/ Educação

Três universidades do Paraná desenvolveram um método de apoio a diagnósticos de causas de pneumonia empregando inteligência artificial em procedimentos utilizando raio-x. O método pode auxiliar na detecção de covid-19. Até o momento, os pesquisadores conseguiram taxa de assertividade de 90% de detecção da doença.

A investigação está sendo desenvolvida por um grupo de pesquisadores de três instituições: Pontifícia Universidade Católica (PUC-PR), Universidade Estadual e Maringá (UEM) e Universidade Federal Tecnológica do estado (UTFPR).

Atualmente, exames de tomografias já são adotados como forma de identificar indícios do que pode ser uma complicação no pulmão em decorrência da infecção pelo novo coronavírus. Este tipo de procedimento contribui para a análise clínica que já é admitida como forma de confirmação de casos em mudanças recentes divulgadas pelo Ministério da Saúde.

A diferença do sistema desenvolvido pelos pesquisadores paranaenses é o auxílio de análises realizadas por meio de inteligência artificial para realizar a avaliação do que causou uma pneumonia a partir de raios-x da região do tórax. Dentre as motivações, a tecnologia identificou os casos de covid-19 com taxa de acerto de 90%.

Rodolfo Pereira, idealizador da pesquisa e estudante do Programa de Pós-Graduação em Informática da PUC-PR, explica que a solução foi pensada a partir da demanda de encontrar formas de diagnosticar a covid-19, mas que pode também servir para indicar o quadro relacionado a uma pneumonia e subsidiar a indicação de tratamento pelos médicos.

Ele destaca que o sistema não é uma forma autônoma de diagnóstico, mas um recurso de apoio que pode ser útil uma vez que parte de imagens de raio-x e dispensa o uso de um tomógrafo. “A gente acredite que o sistema não é 100% seguro. Mas a questão é que a máquina de raio-x é presente em muitos postos de atendimento, inclusive em cidades do interior”, salienta.

“Em um cenário mais caótico, um sistema como este poderia ser útil em um momento de primeira triagem. Ou do pessoal que está no interior e precisa ser encaminhado para outros locais para ter diagnóstico mais apropriado. Tomografia é exame mais caro, mais custoso e talvez demore mais”, complementa o professor do Programa de Pós-Graduação em Informática da PUC-PR Carlos Silla, orientador da pesquisa.

Agora as equipes pretendem apresentar o projeto à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) com vistas a firmar parcerias com hospitais. Isso porque o sistema melhora na medida em que se analisam mais imagens. Até o momento, ele avaliou 1.144 imagens de pneumonias. Mas com o aumento da base de dados a taxa de acerto também pode ser ampliada.

Brasil não consegue colocar em prática promessas de testes do novo coronavírus

/ Saúde

Pazuello segue respondendo pela Saúde. Foto: Erasmo Salomão/MS

”Teste, teste, teste. Teste todo caso suspeito. Se for positivo, isole e descubra de quem ele esteve próximo.”Replicada no início da epidemia, a frase do diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom, se viu atropelada pelo desenrolar da Covid-19 no Brasil.

A ampliação da testagem ficou na promessa -ou nas promessas, pois não foram poucas.

A principal delas foi a previsão de ofertar 46 milhões de testes até setembro. Seriam 24 milhões de testes moleculares (que verificam a presença de material genético do vírus em amostras das vias respiratórias) e 22 milhões de testes rápidos (que verificam a presença de anticorpos a partir de amostras de sangue).

Até agora, porém, só 12,3 milhões desses testes foram distribuídos aos estados, abaixo do previsto em cronograma inicial do programa Diagnosticar para Cuidar, que apontava 17 milhões até o fim de maio.

A testagem brasileira – foram feitos no SUS 1,2 milhão de testes moleculares, considerados mais precisos, e, se somados os da rede privada, 2,1 milhões – ainda é considerada baixa para uma população de 210 milhões e atrai críticas recorrentes.

Questionado, o Ministério da Saúde não informou o total de testes rápidos aplicados na rede pública. Com a rede particular, diz, chega a 2,6 milhões.

Mesmo com a oferta limitada, o país é hoje o segundo em número de casos registrados da Covid-19, com mais de 1,8 milhão de pessoas infectadas, menos apenas do que os EUA, que já contam mais de 3,2 milhões, um quarto do total global. Mas especialistas indicam que o Brasil ainda tem forte subnotificação.

Para o sanitarista Cláudio Maierovitch, a ausência de testes dificulta saber o número real de casos da doença no país e controlar da epidemia.
“Testar um caso, rastrear contatos, testá-los e isolar é o que permite o controle da doença onde ela está acontecendo”, afirma. “Sem testes, não se chega aos contatos dos contatos, e a investigação para no primeiro elo da cadeia [de disseminação].”

Nos últimos cinco meses, o ministério fez diferentes anúncios sobre testes. Além do aumento na quantidade, os planos envolviam coleta de amostras de pacientes com sintomas leves e expansão de laboratórios.

Boa parte dessas medidas ficou só no papel. Um raro avanço ocorreu na capacidade de laboratórios públicos, que foi de 1.600 testes por dia, em março, para atuais 14 mil.

Outras ainda não vingaram por completo, como a ideia de realizar 30 mil testes em um centro de diagnóstico instalado em parceria com a rede Dasa, que receberia insumos e amostras da rede pública.

Até esta última semana, o centro realizava no máximo 3.500 testes por dia. Em contrato, que falava em ampliação progressiva, a previsão era que já fossem feitos entre 13,5 mil e 18 mil por dia na fase atual. “Vamos crescer essa capacidade conforme a entrega de equipamentos do ministério e a capacidade dos municípios de enviarem amostras”, diz o diretor médico da Dasa, Gustavo Campana.

Também em abril e maio, o ministério anunciou que iria instalar postos drive-thru em cidades acima de 500 mil habitantes para testar casos leves. Mas a medida -cujas amostras seriam enviadas a Dasa e Fiocruz, por exemplo- não foi implementada.

Também ficou pela metade a ideia de usar o Telesus, sistema telefônico criado no fim de março para orientar a população sobre sintomas de Covid-19, como mecanismo de rastreamento de contatos de casos confirmados e oferta de testes a grupos de risco.

“Nossa intenção era transformar o Telesus em um grande sistema de rastreamento”, diz o ex-secretário de Atenção Primária Erno Harzheim, que era da gestão de Luiz Henrique Mandetta. Questionado sobre a medida, o ministério não respondeu.

Com o atraso, a pasta anunciou no fim de junho uma nova estratégia, , que prevê usar centros de atendimento a Covid na atenção básica para coletar amostras também de casos leves, e não apenas os que chegam graves a hospitais.

Até agora, 807 desses centros já foram habilitados. Segundo Mauro Junqueira, do Conasems (conselho de secretários municipais de saúde), municípios esperam apenas a entrega de insumos para iniciar a coleta, ainda sem prazo específico. Ele admite que o total aplicado de testes ainda é baixo. “Mas esperamos virar o jogo.”

Para Carlos Lula, secretário de Saúde do Maranhão e presidente do Conass, que reúne gestores estaduais, a estratégia inicial de testagem no país foi confusa.

“Nossos laboratórios não estavam preparados e houve em alguns casos falta de swab [instrumento usado para coleta de amostras respiratórias, similar a um cotonete] e de testes PCR, e, assim que chegaram os testes rápidos em alguns estados, já tínhamos uma curva muito acentuada da doença.”

Segundo Marco Krieger, vice-presidente de inovação e produção da Fiocruz, um dos problemas do atraso na ampliação de testes foi a falta inicial de informações sobre o vírus.

O cenário mudou com a chegada do vírus à Europa e a declaração de pandemia -o que levou à dificuldade de obter insumos e à necessidade de ampliar a produção, estimada inicialmente em 50 mil testes. Até agora, foram entregues pela Fiocruz 5,2 milhões de testes. A previsão é chegar a 11,5 milhões até setembro.

“O primeiro gargalo foi a produção, mas isso já está superado”, diz ele, segundo quem há agora outros a enfrentar, “como insumos de coleta e logística das amostras”.

A concorrência por insumos e problemas de logística também são apontados pelo ex-ministro da Saúde Nelson Teich. “Nossa expectativa era em junho fazer já 60 mil testes por dia.”

Procurado, o Ministério da Saúde diz que começou a busca por testes ainda em janeiro, mas que a corrida global provocou falta de insumos.
Segundo a pasta, uma operação de compra de 15 milhões desses materiais começou a ser feita com apoio da Fiocruz em abril. Desse total, 1 milhão já foi distribuído, e a previsão é entregar outros 200 mil por semana.

Em nota, o ministério diz ainda que “está ampliando a capacidade de testagem na rede” e que mantém a previsão de entrega de 46 milhões de testes. Mas não informou quantos já foram adquiridos.

O que o Governo prometeu sobre testes?

1) Ampliar a oferta

Expectativa: Fazer 46 milhões de testes até setembro, sendo 16 milhões até maio, 21 milhões de junho a agosto e 8 milhões nos meses seguintes.

Realidade: Até 8 de julho, 12,3 milhões de testes foram distribuídos aos estados, sendo:

– 4,8 milhões de testes moleculares (que usam a técnica de RT-PCR para verificar, em amostras de muco e saliva, a presença de material genético do vírus);

– 7,5 milhões de testes rápidos (que verificam a presença de anticorpos para o vírus em amostras de sangue).

2) Testar em massa

Expectativa: Testar até 22% da população até setembro.

Realidade: Total cresceu, mas é limitado. Ministério não tem controle de todos os testes aplicados e total engloba testes feitos por estados e municípios.

– 1,1 milhão de testes RT-PCR já realizados no SUS, segundo o Ministério da Saúde;

– 2,2 milhões de testes sorológicos (inclui rede privada; pasta não diz a fatia da rede pública).

3) Elevar a capacidade de processamento dos laboratórios

Expectativa: Aumentar progressivamente análise em laboratórios centrais e, em junho, processar por dia 16 mil testes na Fiocruz, 5.000 no Instituto de Biologia Molecular do Paraná e 30 mil em parceria com rede privada Dasa.

Realidade: Capacidade de processamento da rede pública cresceu de 1.689 em março para 14.567 em junho. Mas plano atrasou. Atualmente, Fiocruz tem laboratórios com capacidade para 7,5 mil testes por dia, enquanto a Dasa tem feito hoje cerca de 3.000 testes por dia.

4) Aumentar as unidades sentinela e testar nelas 100% das amostras

Expectativa: No fim de março, o ministério anunciou que pretendia ampliar número de unidades sentinela, centros que coletam amostras de parte dos pacientes atendidos com síndrome gripal, de 168 para 500 até junho, e testar também 100% dos casos.

Realidade: País tem hoje 237 unidades. Pasta não informa o total de amostras testadas nestes locais.

5) Instalar drive-thrus e ampliar testagem de casos leves

Expectativa: Postos drive-thru coletariam amostras e testariam casos leves em cidades acima de 500 mil habitantes. Resultado seria entregue por celular entre 24h e 96h depois.

Realidade: Postos não saíram do papel. Ministério diz agora que testes serão ofertados em centros de atendimento a doentes da Covid (que podem ser unidades de saúde com espaço específico para esse atendimento). Há hoje 807 habilitadas, mas ministério não informa em quantas a coleta já ocorre.

6) Rastrear por telefone e ofertar testes

Expectativa: Programa automático que telefona e questiona sintomas, Telesus, seria ligado a oferta de testes e monitoramento de contatos de casos confirmados.

Realidade: O Telesus foi implementado, mas não incluiu a oferta de testes.

Folhapress

Preso com CNH falsa na BR-116, em Jequié, homem confessa ter comprado documento por R$ 2,5 mil

/ Trânsito

Um homem de 37 anos foi preso no Km 667 da BR-116, no município de Jequié, na região sudoeste da Bahia por uso de documento falso, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal.

O flagrante ocorreu na última sexta-feira (10). Os agentes da Polícia Rodoviária Federal abordaram um Ford Fiesta para verificação. O condutor apresentou a Carteira Nacional de Habilitação. Os policiais checaram que o documento apresentado possuía sinais evidentes de inautenticidade.

Questionado pelos agentes, o homem revelou que CNH original havia sido suspensa por excesso de pontos. E por isso ele decidiu comprar o documento falso por R$ 2,5 mil. O homem  foi encaminhado à Delegacia de Polícia Judiciária local e responderá por uso de documento falso.