Ministro de Bolsonaro, Ricardo Salles apresenta febre e testa positivo para novo coronavírus

/ Brasília

Ricardo Salles testou positivo. Foto: Ministério do Meio Ambiente

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi diagnosticado com covid-19 nesta terça-feira e apresentou leve febre, informou o ministério. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, Salles passa bem e manterá isolamento, conforme orientação médica. Agora, a cúpula do governo federal tem 17 casos de Covid-19. São 13 ministros que já foram infectados pelo coronavírus, dois ex-ministros, além do presidente Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão.

A lista de contaminados tem: Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), André Mendonça (Justiça e Segurança Pública), Eduardo Pazuello (Saúde), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Milton Ribeiro (Educação), Onyx Lorenzoni (Secretaria-Geral da Presidência), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Braga Netto (Casa Civil) e Fábio Faria (Comunicações).

Também tiveram Covid-19 Jorge Oliveira (ex-ministro da Secretaria-Geral, atual ministro do Tribunal de Contas da União) e Marcelo Álvaro Antônio (ex-ministro do Turismo). Fonte: Terrra e G1

Quem é o deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL), preso pelo STF após ataques à Corte?

/ Polícia

Daniel Silveira foi preso pela Polícia Federal. Foto: Reprodução
O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), expediu na noite desta terça uma ordem de prisão por flagrante delito contra o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que mais cedo divulgou um vídeo com ataques a ministros da Corte — em especial, Edson Fachin, Gilmar Mendes e o próprio Moraes.

Preso em flagrante pela Polícia Federal, após publicar vídeo de ameaças ao STF, o deputado se descreve em seu perfil no Twitter como ”policial militar, conservador, bacharelando em Direito, deputado federal, totalmente parcial e ideológico”.

Hoje com 38 anos, Silveira tomou posse na Câmara em 2019, em seu primeiro mandato, dividindo a legislatura com curso de direito na Universidade Estácio de Sá. Além de policial militar, o deputado também é professor de muay thay. Foi eleito nas eleições de 2018 como deputado federal pelo Rio com 31.789 votos.

Durante a campanha, em 2018, ele protagonizou um dos episódios de maior repercussão de sua trajetória, quando, durante um comício ao lado do hoje governador afastado Wilson Witzel (PSC-RJ) e do hoje deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ), quebrou uma placa com o nome da vereadora Marielle Franco, assassinada meses antes.

‘Vistoria’ no Colégio Pedro II

Também na companhia de Amorim, em outubro de 2019, quando os dois já exerciam seus cargos públicos, Silveira entrou sem avisar no tradicional colégio federal Pedro II para uma ”vistoria” no que chamou de ”Cruzada pela Educação”, alegando que denunciaria materiais com conotação política em ambiente escolar. Na época, a reitoria da unidade chamou a Polícia Federal, pois os deputados não tinham autorização para entrar no local.

Troca de cuspes em universidade

Em dezembro de 2019, Daniel Silveira se envolveu em uma discussão com uma mulher na Universidade Estácio de Sá, em Petrópolis, onde estuda Direito. Na ocasião, foi divulgado vídeo no qual os dois trocam cusparadas. O político pergunta se a mulher pertence ao Psol e se refere à legenda como ”partido de maconheiros, vagabundo e narcoterrorista”.

Ameaça de tiros em manifestantes

Em maio de 2020, Silveira divulgou vídeo com ameaças a manifestantes contrários ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Na ocasião, indo para uma manifestação no Rio de Janeiro com apoiadores do governo federal.

”Vocês vão pegar um ‘polícia’ zangado no meio da multidão, vão tomar um no meio da caixa do peito, e vão chamar a gente de truculento”, disse Silveira na gravação. ”Eu estou torcendo para isso. Quem sabe não seja eu o sortudo.”

Capital baiana: Grupo de pais promovem protesto por volta das aulas em frente a casa de Bruno Reis

/ Bahia

Um grupo de pais promoveu uma manifestação, nesta terça-feira (16), na frente de um condomínio, no Comercio, onde reside o prefeito Bruno Reis (DEM). O Movimento ”Volta às Aula, Salvador”, é a favor do retorno das aulas e com panelas pediram o retorno das atividades.

”Ele não vai abrir. Temos que nos reunir. Principalmente escolas que estão fazendo on-line com preços acessíveis. Ainda mais escolas que estão mudando o CNAE. Ou vamos lutar ou não teremos escola no primeiro semestre”, comentou uma das manifestantes.

Bruno, em suas redes sociais comentou que após a reunião com o governador, ficaram definidos ”os parâmetros para a retomada das aulas baseados em taxas de óbitos, crescimento de casos ativos e taxas de ocupação”. ”Vamos alinhar esse assunto com o Ministério Público, o Tribunal de Justiça e a Defensoria Pública do Estado. Os dados do crescimento da pandemia são preocupantes e precisamos de todo cuidado da população. Não podemos voltar às aulas presenciais sob o risco de colapso da saúde”, acrescentou. Com informações do site Bahia Notícias

Toque de recolher do Estado não deve impactar muito em Jaguaquara, que já fecha bares e restaurantes

/ Jaguaquara

Guarda, PM e Vigilância atuam conjuntamente. Foto: Prefeitura

O decreto do Governo que irá restringir a circulação de pessoas no Estado da Bahia a partir da próxima sexta-feira (19) para conter o coronavírus não deve provocar grandes diferenças na vida noturna de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá.

Através de decreto municipal, a Prefeitura, por meio da Vigilância Sanitária em ação conjunta com a Guarda Municipal e Polícia Militar já proíbe, desde o último dia (5), o funcionamento de bares, restaurantes, pizzarias, quiosques e similares a partir das 22h.

Em ronda pelas ruas da cidade e do distrito Stela Dubois – Entroncamento de Jaguaquara, às margens da R-116,  equipes envolvidas na fiscalização determinam o fechamento de estabelecimentos no período noturno.

O não cumprimento leva a multas e outras ações.  Jaguaquara registrou, desde o início da pandemia, 3.353 casos da Covid-19, estando atualmente com 174 casos ativos e o número de mortes é de 25, conforme dados divulgados pela Secretaria de Saúde no último boletim epidemiológico, que foi atualizado no dia (12/2). Até esta terça-feira, não foi publicado novo boletim pela gestão municipal.

Jequié não registra morte por Covid há 3 dias, mas confirma 63 casos; ocupação de UTI cai para 90%

/ Jequié

Ocupação de UTI/adulto agora é de 90%. Foto: Blog Marcos Frahm

O boletim Epidemiológico do coronavírus em Jequié, atualizado pela Secretaria Municipal de Saúde, nesta terça-feira (16)  registra, nas últimas 24 horas,  mais  63 novos casos, perfazendo um total de 10.333 pessoas confirmadas com a doença, até agora.

Ainda segundo o boletim, 8.483 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença. O número de mortes desde o início da pandemia é de 213.

Conforme os dados repassados pelo HGPV e pelo Hospital São Vicente, a taxa de ocupação geral dos leitos de UTI/adulto é de 90%. Destes, 18 leitos estão ocupados por residentes de Jequié e 8 leitos ocupados por pessoas de outros municípios. Até o presente momento 5.690  pessoas foram imunizadas em Jequié.

Com 15 mil casos ativos de Covid-19 na Bahia, governador decreta ”toque de recolher”

/ Bahia

A partir desta sexta-feira (19), ficará restrita a circulação de pessoas nas ruas e o funcionamento de serviços não essenciais após as 22h em grande parte da Bahia, exceto nas regiões oeste, de Irecê e Jacobina, que apresentam os três menores índices de ocupação de leitos de UTI para Covid-19. O anúncio foi feito pelo governador Rui Costa, nesta terça-feira (16), em mais uma reunião com membros da União dos Municípios da Bahia (UPB), prefeitos e técnicos das secretarias estaduais da Educação e da Saúde.

A restrição compreenderá o período das 22h às 5h. ”O decreto que será publicado nesta quarta-feira (17) irá valer por sete dias e proíbe atividades comerciais não essenciais. É uma medida que precisamos tomar para conter as taxas de contágios e o número de casos ativos que hoje ultrapassam 15 mil. É uma forma de conter o avanço desse número alarmante que, se continuar crescendo, irá levar ao total colapso do sistema de saúde”, declarou o governador.

Rui afirmou ainda que, para a volta às aulas, três critérios precisam ser obedecidos: a redução do número de casos ativos, a diminuição do número de óbitos e a queda das taxas de ocupação de leitos. ”Definimos que esses critérios são os requisitos mínimos necessários para que possamos ter um retorno sem colocar em risco a vida de nossos professores, pais, alunos e todos os seus familiares”, concluiu.

A declaração do governador seguiu uma apresentação de técnicos da Sesab mostrando que a Bahia alcançou uma taxa de 74% de ocupação dos leitos de UTI dedicados para atender pacientes com casos mais graves de Covid-19. ”Os dados indicam um risco real de colapso do sistema de saúde e consequente aumento na mortalidade. Nesse momento, apenas medidas de distanciamento social mais severas minimizarão as altas taxas de transmissão do vírus”, explicou o secretário da Saúde, Fábio Vilas Boas.

Líder da oposição, deputado defende Rui Costa sobre toque de recolher na Bahia: ”Tem que ser feito”

/ Política

líder da oposição na Assembleia, Sandro Régis. Foto: ALBA

O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), deputado Sandro Régis (DEM), defende o posicionamento do governador Rui Costa (PT), qupode adotar um novo ”toque de recolher” no estado caso haja crescimento do números de casos de coronavírus na próxima semana.

Para ele, toda medida que for tomada para conter o crescimento dos casos de Covid-19 na Bahia é ”importante”. O parlamentar ressalta ao site bahia.ba, que o sistema de saúde não pode entrar em colapso. ”É hora de agir junto, de apoiar e combater o vírus.”

”Se for para ajudar a conter a pandemia, tem que ser feito. O que não pode é a gente entrar num colapso na saúde. Todas as medidas devem ser tomadas para conter a pandemia na Bahia. Enquanto a vacina não chegar, efetivamente, para imunizar a população, toda ação do governador, do prefeito de Salvador e dos prefeitos dos municípios do interior, têm que ser feita. A gente não pode é entrar em colapso, nem na saúde privada e nem na saúde pública”, analisa.

Rui Costa afirmou nesta terça-feira (16) que se os números de casos confirmados de Covid-19 e os internamentos continuarem a crescer durante essa semana, será decretado um novo ”toque de recolher” no estado. ”Eu não ficarei passivo, mesmo contrariando a opinião de alguns”.

Em 24 horas, Bahia registra 66 óbitos por coronavírus e 3.849 casos da doença, diz boletim

/ Bahia

A Bahia registrou 66 óbitos por Covid-19 e 3.849 novos casos da doença em 24 horas, segundo boletim divulgado hoje (16) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 10.864, representando uma letalidade de 1,71%. Dos 635.494 casos confirmados desde o início da pandemia, 609.546 já são considerados recuperados e 15.084 encontram-se ativos.

A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto é de 74%, o que representa um aumento de 1% em 24h.

Transporte coletivo de Jequié não funciona há dois dias, após greve deflagrada por motoristas

/ Jequié

Jequié há 2 dias sem transporte coletivo. Foto: Blog Marcos Frahm

Uma greve deflagrada na última segunda-feira (15) por motoristas funcionários da empresa Rio de Contas, responsável pelos coletivos que circulam nas vias públicas afeta o sistema de transporte público na Cidade Sol.

A decisão sobre a paralisação foi confirmada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário, justificando que foi tomada em decorrência do atraso salarial que já dura três meses, além do 13º. A gerência da empresa diz ter sido notificada da decisão.

A expectativa é de que aconteça uma reunião entre representantes da empresa e Prefeitura de Jequié para para discutir à crise que afeta o transporte coletivo de passageiro urbano em um dos maiores municípios do Sudoeste baiano.

Sem os coletivos, circulam nas ruas veículos de transporte clandestino, como vans e outros, que não garantem segurança aos passageiros.

Na segunda-feira, feriado, muitos jequieenses não sentiram a falta do transporte, mas nesta terça, com a reabertura do comércio, os munícipes residentes em bairros distantes já começaram a sentir os efeitos colaterais da greve.

Diretor do Conjunto Penal de Jequié, Capitão João Henrique é promovido ao posto de Major PM

/ Polícia

Agora é Major João Henrique

O Diretor do Conjunto Penal de Jequié, oficial da Polícia Militar da Bahia, Capitão João Henrique Rebouças da Cruz foi promovido ao posto de Major da instituição, pelo critério de merecimento.

O decreto que promove João Henrique e outros oficias da PM foi assinado pelo governador Rui Costa e publicado no Diário Oficial do Estado, na edição de hoje, terça-feira (16). O agora Major comanda o Presídio da Cidade Sol desde agosto de 2017.

Governo da Bahia deseja incluir profissionais da educação em grupo prioritário para vacinação

/ Bahia

O Governo da Bahia deseja incluir os profissionais que atuam na área da educação, na rede pública ou privada, em um dos grupos prioritários para receber a vacina contra o coronavírus, de acordo com o secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues.

Em meio a discussões sobre o retorno presencial das aulas, o secretário afirmou que não pode descumprir o plano nacional de vacinação, mas já recebeu manifestações de sindicatos para que o estado priorize esses profissionais.

Ainda segundo Jerônimo, o governador Rui Costa afirma que depende da quantidade de vacinas disponíveis para incluir professores, porteiros, merendeiras e demais profissionais no grupo prioritário. Ele informa que Rui já pediu um levantamento dos profissionais da educação com idade acima de 55 anos.

Rui pede a prefeitos que fechem atividades que geram aglomerações em lugares confinados

/ Bahia

Rui Costa não descarta toque de recolher. Foto: Fernando Vivas

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou nesta terça-feira (16) que vai voltar a determinar o fechamento de atividades não essenciais para reduzir a contaminação pelo coronavírus no estado. Diante do aumento de casos e óbitos provocados pela pandemia, ele pediu aos prefeitos que proíbam ”atividades que gerem aglomerações” e ameaçou decretar toque de recolher nos municípios que se negarem a atender a solicitação.

”Estou falando de atividades que geram aglomerações em lugares confinados, como cinemas, teatros, bares e restaurantes que tenham ambientes confinados”, disse o governador em entrevista ao Bahia Meio Dia, da TV Bahia.

Rui ainda declarou que, diante da possibilidade de colapso no sistema de saúde, manter o funcionamento de atividades econômicas do tipo não é essencial.

”Nós temos que fazer escolhas. Ou nós fechamos fábricas, comércios ou fechamos bares, restaurantes com ambientes confinados. Nós temos que escolher juntos. O que é melhor: chegar no colapso e fechar tudo ou escolher as atividades não essenciais? Eu entendo que, num momento em que está se morrendo tanta gente, não tem leito para todo mundo, ter um bar funcionando não é essencial. O que não é essencial acho que está no momento de fechar novamente para evitar o pior, evitar cenas de pessoas morrendo sem assistência médica”, declarou, acrescentando que o governo avalia a adoção de um “toque de recolher, dessa vez geral no estado ou nas regiões com alta taxa de contágio”.

Ao longo da primeira onda da pandemia na Bahia, diversas cidades passaram por toque de recolher, com a suspensão de todas as atividades não essenciais entre às 18h e às 5h. Agora que os números de novos casos de Covid-19 e a taxa de ocupação dos leitos voltaram a crescer, a medida é, de novo, vista como uma forma de combate à transmissão do vírus. De acordo com Rui, o assunto será discutido em reunião com a União dos Municípios da Bahia (UPB), nesta terça. As informações são do Bahia Notícias

 

Frente Nacional de Prefeitos cobra cronograma para vacinação e critica decreto de Bolsonaro sobre armas

/ Brasil

Entidade tem como presidente Jonas Donizette. Foto: FNP

A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) cobrou, nesta terça-feira (16/2), um cronograma com prazos e metas estabelecidos por grupos para a vacinação contra a Covid-19 e criticou o decreto editado pelo presidente Jair Bolsonaro na última sexta-feira (12/2), que flexibiliza a aquisição de armas e munições.

”É urgente que o país tenha um cronograma com prazos e metas estipulados para a vacinação de cada grupo: por faixa etária, doentes crônicos, categorias de profissionais etc. Disso depende, inclusive, a retomada da economia, a geração de emprego e renda da população”, diz a nota da FNP.

Os prefeitos destacaram que este não é o momento de debate da pauta de costumes ou regramento sobre aquisição de armas e munições.

A entidade diz que solicitou, no dia (14) de janeiro, em reunião entre o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e mais de 130 governantes das médias e grandes cidades do país, encontros para o acompanhamento das imunizações no país.

Segundo a FNP, na ocasião, ficou acordado reuniões a cada 10 dias entre o ministro e a comissão de prefeitos, mas, ”passados mais de 30 dias, nenhum agendamento foi feito”.

”Os sucessivos equívocos do governo federal na coordenação do enfrentamento à Covid-19, e também na condução do Plano Nacional de Imunizações, estão diretamente ligados à escassez e à falta de doses de vacinas em cidades de todo o país. Que o Brasil não soube lidar com a pandemia, não restam dúvidas, mas, prefeitas e prefeitos, que sempre solicitaram e incentivaram a organização nacional, agora exigem respostas”, diz.

Secretário de Saúde Fábio Vilas-Boas é diagnosticado com coronavírus; ”Testei positivo”

/ Bahia

Vilas-Boas diz que vai cumprir isolamento. Foto: Divulgação/Sesab

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, informou na tarde desta terça-feira (16) que foi diagnosticado com o novo coronavírus. Segundo Vilas-Boas, ele tem sintomas leves e já iniciou isolamento em casa, de onde manterá agenda de trabalho remoto.

O anúncio foi feito por meio de sua conta no Twitter, onde compartilhou uma imagem de um teste RT-PCR realizado no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública).

”Amigos. Depois de 11 meses tentando escapar do vírus, testei positivo para Covid-19 hoje (16). Permanecerei em isolamento, em casa, cumprindo agenda virtual de trabalho. Estou bem, com sintomas leves, com medicamentos sintomáticos. Essa doença é muito seria!”, escreveu o secretário.