Ceasa da capital baiana e mercados do Estado passarão por novas desinfecções

/ Bahia

O mercado do Ogunjá foi palco, neste domingo (7), de nova operação de desinfecção visando o combate ao novo coronavírus. A operação, que inclui distribuição de máscaras, será realizada também no Centro de Abastecimento do Estado (Ceasa), e nos Mercados do Rio Vermelho, Paripe e 7 Portas, em Salvador.

A operação é uma parceria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), responsável pelos equipamentos, e do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA), com o apoio da Secretaria do Planejamento (Seplan).

”A pandemia se agravou e estamos tomando todos os cuidados necessários para diminuir a transmissibilidade”, comentou o titular da SDE e vice-governador, João Leão. “Além da limpeza total do Ceasa e mercados, que prestam um serviço essencial à população, que é o abastecimento de alimentos, vamos distribuir 7,5 mil máscaras”.

O comandante-geral do CBMBA, coronel BM Adson Marchesini, explica que o Governo está reforçando ainda mais as ações preventivas para evitar a proliferação do coronavírus e a descontaminação faz parte desse processo. ”O Mercado do Ogunjá é um local com bastante fluxo de pessoas”, ressalta.

Bahia de Feira goleira o Fluminense e assume liderança do Campeonato Baiano 2021

/ Esporte

O Bahia de Feira é o novo líder do Campeonato Baiano. O Tremendão goleou o rival Fluminense de Feira, no clássico feirense, neste domingo (7) por 6 a 3, na Arena Cajueiro, pela quarta rodada do estadual.

Deon, duas vezes, Wesley, Marcos Pelé, Dionísio e Bruninho marcaram os gols dos donos da casa, enquanto os visitantes balançaram as redes três vezes todas com Emerson Catarino.

Antes no topo da tabela, a Juazeirense conheceu sua primeira derrota no Baianão. Jogando no Estádio Adauto Moraes, o Cancão de Fogo perdeu para o Atlético de Alagoinhas por 3 a 1. Gilmar, Miler e Reninha anotaram para o Carcará e Jô fez o de honra dos anfitriões.

Já UNIRB e Doce Mel ficaram no 0 a 0, no Carneirão, assim como Vitória da Conquista e Bahia, no Lomantão. Com informações do Bahia Notícias

”Estamos com contrato pronto para comprar Sputnik V”, afirma o governador Rui Costa

/ Bahia

Rui Costa fala sobre compra de vacinas. Foto: Mateus Pereira

O governador Rui Costa afirmou que a Bahia já está com o contrato pronto para a compra da vacina Sputnik V, produzida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia. A declaração foi feita através de suas redes sociais, na manhã deste domingo (7).

Rui afirmou que, também durante a semana passada, se reuniu com prefeitos de diversas regiões da Bahia para ajustar as ações contra o avanço do coronavírus. Ele fez um apelo à população.

“Enquanto a vacina não chega, precisamos da sua ajuda, da sua contribuição para garantir o distanciamento social”, enfatizou.

Ainda segundo o governador, uma semana antes do início das medidas de restrição, A Bahia registrou um aumento de 10 mil casos de covid-19 em uma semana. Depois do início das medidas, em uma semana, o crescimento foi de dois mil casos.

”Ou seja, desaceleramos”, disse. Esses resultados também já aparecem nos testes do Laboratório Central (Lacen). No fim do mês passado, o CORREIO mostrou que mais da metade das amostras que chegavam para análise no laboratório tinham resultados positivos. ”Diminuímos a taxa de positividade, então esta mais do que comprovado que distanciamento social reduz contaminação”, completou o governador.

Denúncias de violência contra a mulher somam 105,6 mil em 2020, revela o Ministério da Mulher

/ Brasil

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) divulgou neste domingo (7) o balanço de dados sobre a violência contra a mulher recebidos pelos canais de denúncia do governo federal. Ao todo, em 2020, foram registradas 105.671 denúncias de violência contra a mulher, tanto do Ligue 180 (central de atendimento à mulher) quanto do Disque 100 (direitos humanos).

Do total de registros, 72% (75.753 denúncias) são referentes à violência doméstica e familiar contra a mulher, informou a pasta. De acordo com a Lei Maria da Penha, esse tipo de violência é caracterizado pela ação ou omissão que cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico da mulher. Ainda estão na lista danos morais ou patrimoniais a mulheres.

O restante das denúncias, que somam 29.919 (28%), refere-se à violação de direitos civis e políticos, que incluem, por exemplo, condição análoga à escravidão, tráfico de pessoas e cárcere privado. Também estão relacionadas à liberdade de religião e crença e o acesso a direitos sociais como saúde, educação, cultura e segurança.

As informações estão disponíveis no painel de dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, que foi detalhado durante a coletiva de imprensa para anunciar os dados de 2020. A plataforma interativa permite cruzar diversos dados sobre o tipo de violência denunciada, o perfil socioeconômico da vítima, informações sobre o perfil dos agressores, incluindo filtros por estados, municípios, ano e mês de registro, por exemplo.

“Quem não conhece o problema não pode propor solução. É para isso que esse painel veio, para propor solução conhecendo o problema”, disse a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

”Esse banco de dados é uma fonte poderosa de informação para subsidiar políticas públicas de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, por exemplo”, disse Rodrigo Capez, juiz auxiliar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

As denúncias de violências contra a mulher em 2020 representam cerca de 30,2% do total de 349.850 denúncias realizadas no Disque 100 e no Ligue 180.

Canais

Os canais, coordenados pela Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos do MMFDH, recebem denúncias de violações a diversos grupos vulneráveis, como crianças e adolescentes, pessoas idosas e com deficiência.

A maioria das denúncias tem como vítimas mulheres declaradas como de cor parda de 35 a 39 anos. O perfil médio das mulheres que sofrem violência de acordo com os registros dos canais de denúncias ainda aponta que elas têm principalmente ensino médio completo e renda de até um salário mínimo. Já em relação aos suspeitos, o perfil mais comum é o de homens brancos com idade entre 35 e 39 anos.

Como o preenchimento desses dados não é obrigatório durante a realização da denúncia, o perfil médio das vítimas considera apenas aqueles itens em que as denúncias tiveram essas informações prestadas.

Na avaliação da ministra Damares Alves, os dados do ano passado mostram uma queda no volume de ligações, que ela atribui ao fato de crianças e adolescentes estarem fora das escolas e creches, no contexto da pandemia.

”Os nossos telefones tocaram, em 2020, 3,5 milhões de vezes. Em 2019, passou de quatro milhões. Por que a gente diminui esse número? Porque as crianças não estão na escola, não estão na creche, e um dos maiores denunciantes que temos em nossos canais de direitos humanos é a escola, o professor, o educador, a creche. Isso nos leva a acreditar que é possível que quando as crianças voltarem à escola, esses números vão aumentar muito”, disse.

Como denunciar

Gratuitos, o Disque 100 e o Ligue 180 são serviços para denúncias de violações de direitos humanos e de violência contra a mulher, respectivamente. Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia pelos serviços, que funcionam 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. Além de cadastrar e encaminhar os casos aos órgãos competentes, a Ouvidoria recebe reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento. De acordo com o ouvidor Nacional de Direitos Humanos, Fernando Ferreira, 98% das ligações são atendidas em cerca de 50 segundos. Da Agência Brasil

Inventário de ACM é paralisado por investigação de paternidade e petição de herança

/ Polícia

Ex-senador Antonio Carlos. Foto: Rosevelt Pinheiro / Agência Senado

O inventário do ex-senador ACM (1927-2007), em curso na 14ª Vara de Família de Salvador, foi paralisado após ”ação de investigação de paternidade e petição de herança”.

O autor do processo é o empresário Luiz Antônio Flecha de Lima, o Tota, filho da embaixatriz Lúcia Flecha de Lima, conhecida do grande público como “a melhor amiga da Lady Di”; e do embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima, um dos mais influentes quadros do Itamaraty no final do século passado, hoje muito adoentado.

Aberto em 2019, o processo corre em segredo de Justiça. Os advogados do empresário relatam que sua mãe, Lúcia, “teve um relacionamento afetivo” com ACM em 1974. O resultado da relação teria sido o nascimento de Tota no ano seguinte.

”Como Lúcia era casada com Paulo Tarso”, o menino foi registrado ”como filho do casal”. Os advogados de Tota dizem que o ex-senador “sempre teve conhecimento de sua paternidade” e chegou a dedicar ”carinho e atenção a ele”.

A ação relata que em junho de 2007, um mês antes de morrer, ACM, então hospitalizado, revelou a Tota que era o seu pai biológico. Já Lúcia ”evitava tratar do assunto com o filho, mesmo após a morte” do ex-senador.

Contudo, ”como uma de suas últimas vontades” em 2017, antes de morrer, ela admitiu para o filho que ele foi fruto de uma relação com ACM.

A família do ex-senador e ex-governador da Bahia concordou em realizar o exame de DNA em junho de 2020, mas a pandemia travou o andamento do processo. A expectativa é de avanço somente após vacinação da população contra a Covid-19.

Apesar de pedir para ser reconhecido como filho de ACM, Tota quer que seja mantido também o ”nome do seu pai constante no atual registro, Paulo Tarso Flecha de Lima, haja vista a relação paternal que também os une”. As informações são de Lauro Jardim, colunista do O Globo.

Bahia registra 82 mortes por covid-19 e 3.105 novos casos da doença em 24h, diz boletim

/ Bahia

A Bahia registrou, nas últimas 24 horas, 3.105 novos casos confirmados da Covid-19 e 82 mortes em decorrência da doença, segundo boletim divulgado hoje (7) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). Apesar dos óbitos terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro foram contabilizados hoje.

Ao todo, a Bahia tem 714.005 casos confirmados e 12.530 óbitos desde o início da pandemia; 680.532 pessoas já estão curadas da doença e 20.943 encontram-se ativos.

No estado, dos 2.375 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para coronavírus, 1.790 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de UTI adulto de 86%.

”Bolsocaro’: vídeo sobre o aumento de preços no Brasil com imagem do presidente viraliza nas redes sociais

/ Brasil

”Todo dia é dia de preço alto no Brasil do Bolsonaro”. É com essa frase que um grupo anônimo fez viralizar nas redes sociais o vídeo da campanha #Bolsocaro. A peça critica a inflação de itens comuns no dia a dia do brasileiro, como carne, batata, gasolina e gás de cozinha, após a eleição do presidente Jair Bolsonaro.

O vídeo já foi compartilhado por artistas e políticos, como Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (PSOL).

A campanha se popularizou nas redes sociais menos de 24hs após a viralização de outro vídeo com críticas ao presidente: o ”Custo Bolsonaro”, que citava o “prejuízo incalculável” de Bolsonaro ao Brasil. “O custo Bolsonaro é a fuga dos investidores internacionais. E não dá para culpá-los. Pense bem: você confiaria seu dinheiro a essa equipe? Custo Bolsonaro é ter a Damares falando na ONU e Guedes fora da OCDE”, diz trecho do primeiro vídeo.

Houve aumento de fato?

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou no mês passado a previsão para a inflação dos alimentos em 2021. O instituto corrigiu a projeção de 3% para 4,4% a alta nos preços da categoria, segundo carta de conjuntura divulgada em 23 de fevereiro.

Maioria dos fabricantes brasileiros de cloroquina não recomenda o remédio para Covid-19

/ Saúde

Das seis farmacêuticas que fabricam cloroquina ou hidroxicloroquina no Brasil, quatro não recomendam que o remédio seja usado para tratar a Covid-19. Essa maioria foi formada após a Apsen, principal fabricante de hidroxicloroquina do país, se posicionar pela primeira vez contra o uso do medicamento para combater o coronavírus.

A mudança de posicionamento da Apsen Farmacêutica aconteceu na quarta-feira (3), mais de quatro meses depois de a OMS rejeitar de forma conclusiva o medicamento para este fim e após a Repórter Brasil entrar em contato com a empresa para questionar sobre dois contratos de empréstimo assinados com o BNDES em 2020, que somam R$ 136 milhões. Deste total, R$ 20 milhões já foram desembolsados pelo banco, mas para investimento em inovação —o contrato não permite investir em medicamentos antigos, como a cloroquina, que a Apsen produz há 18 anos.

Outros três laboratórios –Farmanguinhos/Fiocruz, EMS e Sanofi-Medley– já haviam divulgado comunicados no qual recomendavam o fármaco apenas para doenças previstas em bula, ou seja, malária, lúpus e doenças reumáticas.

Já os dois laboratórios restantes na lista dos fabricantes do medicamento, Cristália e Laboratório do Exército, não se posicionam de forma clara contra o uso do remédio para a Covid-19, mantendo aberta a possibilidade de que a cloroquina ou a hidroxicloroquina sejam usadas no tratamento dos infectados pelo novo coronavírus.

A fábrica militar alegou que, por ser apenas um “órgão executor”, não tem competência para opinar sobre a eficácia do medicamento que produz. Já o Cristália afirmou que a cloroquina é recomendada para malária e outras doenças, mas não descartou o uso para Covid-19, dizendo que ”qualquer recomendação fora das especificadas na bula deve ser feita sob responsabilidade do médico, como ocorre com qualquer medicamento”.

*por Diego Junqueira /Mariana Della Barba/ Folha

Sem máscara, ministro do Brasil, Ernesto Araújo’ é advertido em Israel; veja vídeo

/ Mundo

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, foi chamado atenção após tentar se aproximar de uma autoridade israelense sem máscara.

O ministro está em visita ao país para, segundo Bolsonaro, negociar vacinas. Antes, o presidente disse que iria mandar uma comitiva para conhecer um spray nasal contra a covid, ainda sem comprovação científica.

Farmácia Pfizer confirma que governo rejeitou oferta de 70 milhões de doses de vacinas

/ Saúde

Rejeição à Pfizer ocorreu em agosto de 2020. Foto: Alan Santos

A farmacêutica Pfizer confirma que o governo brasileiro rejeitou a oferta de 70 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 já em agosto de 2020, de um total de três propostas.

Em nota divulgada em 7 de janeiro, o laboratório diz que a proposta inicial encaminhada em 15 de agosto previa a entrega de doses já em dezembro de 2020 e que, com base em acordo de confidencialidade firmado em julho de 2020 com o Ministério da Saúde, não poderia comentar detalhes da negociação em curso.

Reportagem publicada neste domingo (7) na Folha de S.Paulo detalha as três ofertas. Do total de doses prometidas, 3 milhões estavam previstas até fevereiro, ou o equivalente a cerca de 20% das doses já distribuídas no país até agora.

Embora tenha feito reuniões anteriores com representantes do governo, a farmacêutica fez a primeira oferta em 14 de agosto de 2020, segundo informações obtidas pela Folha. A proposta previa 500 mil doses ainda em dezembro de 2020, totalizando 70 milhões até junho deste ano.

A Pfizer aumentou a oferta inicial quatro dias depois, elevando para 1,5 milhão o número de doses ainda em 2020, com possibilidade de mais 1,5 milhão até fevereiro de 2021 e o restante nos meses seguintes.

Sem aprovação do governo, uma nova proposta foi apresentada em 11 de novembro. Com o passar do tempo, governos de outros países foram tomando o lugar do Brasil, e as primeiras doses ficariam para janeiro e fevereiro –2 milhões de unidades.

Nesta semana, diante do agravamento da crise e do aumento da pressão de governadores, o Ministério da Saúde Saúde anunciou que prepara contratos com Pfizer, Janssen e Moderna para obter 151 milhões de doses entre maio e dezembro de 2021.

O contrato com a Pfizer deve ser assinado nos próximos dias, depois que o presidente Jair Bolsonaro sancionar projeto de lei aprovado pelo Congresso que cria um ambiente jurídico mais favorável para que as cláusulas exigidas pela farmacêutica sejam atendidas, como a que isenta a empresa de responsabilidade por eventuais eventos adversos.

Supremo Tribunal Federal decide que Petrobras não precisa se submeter à Lei das Licitações

/ Justiça

Por 6 votos a 4, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a Petrobras não precisa se submeter aos procedimentos de contratação na administração pública previstos pela Lei das Licitações, de 1993. A decisão foi tomada no plenário virtual, ambiente digital em que os ministros têm uma janela de tempo para votar por escrito, de modo remoto. A sessão que encerrou a controvérsia se encerrou na noite de sexta-feira (5).
Os ministros julgaram o recurso de uma transportadora do Rio Grande do Sul que buscava indenização por um contrato rompido em 1994 pela Petrobras. Após o rompimento, a petroleira estatal contratou sem licitação outra empresa para fazer o mesmo serviço.

A disputa chegou ao STF em 2005, e vinha se arrastando na Corte desde então. Alguns ministros chegaram a votar no caso em 2011, entre eles o já aposentado Celso de Mello, mas sucessivas interrupções impediram a conclusão até agora.

Ao final, a maioria dos ministros seguiu o voto do relator, Dias Toffoli, para quem a submissão da Petrobras à Lei de Licitações geraria ”um grave obstáculo ao normal desempenho de suas atividades comerciais”.

Em seu voto, Toffoli destacou que a Petrobras atua em concorrência com empresas privadas no mercado de petróleo e derivados, regime “incompatível com um sistema rígido de licitação, como esse imposto pela referida Lei nº 8.666/93”, escreveu o ministro.

Seguiram o relator os ministros Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello, Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes. Ficaram vencidos os ministros Marco Aurélio Mello, Edson Fachin, Rosa Weber e Cármen Lúcia, para quem a Petrobras deveria obedecer à Lei das Licitações. Luís Roberto Barroso se declarou suspeito no caso.

Movimento no Congresso Nacional tenta derrubar limite de gastos da PEC Emergencial

/ Brasília

O limite de R$ 44 bilhões aprovado pelo Senado para o pagamento do auxílio emergencial está na mira de organizações da sociedade civil e mesmo de parlamentares. Diante da explosão de uma nova onda da pandemia, há um movimento para tentar derrubar a trava durante a votação da PEC na Câmara dos Deputados.

Para a equipe econômica, a fixação do limite foi um ponto importante para evitar um ”cheque em branco” ao Congresso, num momento de fragilidade das contas públicas. No ano passado, o governo pagou R$ 293,1 bilhões em transferências às famílias vulneráveis, com impacto sobre a dívida pública, segundo a Exame.

Para o deputado Mauro Benevides (PDT-CE), o valor de R$ 44 bilhões não é um teto para o pagamento em si do auxílio. Ao Estadão, ele diz que o artigo da PEC que abre caminho à nova rodada do benefício trata de um teto para o volume de despesas que podem ficar de fora das amarras fiscais, mas nada impede, segundo ele, que o Congresso destine mais recursos ao programa social dentro das regras orçamentárias normais.

Morre aos 59 anos o Coronel Silvério, diretor-geral do Colégio da PM de Jequié

/ Jequié

O Ten Cel  Silvério durante homenagem na Câmara. Foto: BMFrahm

Faleceu na madrugada deste sábado (06) em uma unidade de saúde em Salvador, onde estava internado, o Tenente Coronel PM, José Silvério de Almeida Neto, 59 anos, diretor-geral do Colégio da Polícia Militar Professor Luiz Neves Cotrim, em Jequié.

O Ten Cel  Silvério foi acometido AVC isquêmico e não resistiu. Figura muito bem relacionada na comunidade local, Silvério passou pelos cargos de sub comandante do 19º BPM, diretor da 7ª Ciretran, até assumir a direção geral do CPM. Era integrante do grupo do Moto Clube Catingueiro, ao qual devotava grande dedicação.

No exercício de 2017 o Ten Cel Silvério, compareceu à sessão solene da Câmara de Vereadores de Jequié, ao lado da esposa Ivana Santos Silva, para receber o título de Cidadão Jequieense, proposta de autoria do vereador Ramon Fernandes. Com informações do Jequié Repórter

Boletim revela o registro de 86 novos casos de covid-19 nas últimas 24h em Jequié

/ Jequié

Boletim Epidemiológico da Covid-19 atualizado pela Secretaria Municipal de Saúde, neste sábado (6) registra em Jequié, nas últimas 24 horas, 86 novos casos, perfazendo um total de 11.927 pessoas confirmadas com a doença, até agora. 10.608 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença.O número de mortes desde o início da pandemia é de 240.

Conforme os dados repassados pelo HGPV e pelo Hospital São Vicente, a taxa de ocupação geral dos leitos de UTI/adulto é de 97%.

Destes, 14 leitos estão ocupados por residentes de Jequié e 14 leitos ocupados por pessoas de outros municípios. Até o presente momento 8.404 pessoas foram vacinadas em Jequié.