Assim como ACM Neto, Eduardo Leite, no RS, adota neutralidade na disputa presidencial 2022

/ Política

Eduardo teve uma trajetória singular na sucessão. Foto: Reprodução

O candidato a governador do Rio Grande do Sul (RS), Eduardo Leite (PSDB), anunciou nesta quinta-feira (6) uma estratégia semelhante à do candidato a governador pela Bahia, ACM Neto (UB). Seu palanque não receberá nenhum dos dois candidatos a presidente do segundo turno, Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). ”Não preciso ser medido nesta eleição pela régua estreita da polarização nacional. Tenho serviços prestados, sabem como ajo e como faço política”, afirmou Leite.

As declarações foram dadas ao jornal digital GZH e reafirmada nas redes sociais. No Rio Grande do Sul, Leite enfrenta o ex-ministro do governo Bolsoanro, Onyx Lorenzoni (PL). Aqui, ACM Neto se mantém sem se aliar a qualquer presidenciável, embora tenha recebido o apoio de João Roma (PL), que concorreu ao governo baiano no primeiro turno.

Eduardo Leite teve uma trajetória singular na sucessão estadual. Apesar de eleito em 2018, ele não concorre à reeleição. Em abril,  renunciou ao governo tentando ser lançado a presidente da República. Em cumprimento às prévias, o partido lançava naquele momento o ex-governador de São Paulo, João Dória, que saiu do páreo, abrindo o espaço para o tucanato apoiar Simone Tebet (MDB) no primeiro turno.

PT e PSDB tentaram uma aproximação no Rio Grande do Sul, em um acerto que previa o apoio do atual governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), ao petista Fernando Haddad. Mas Garcia fechou com o bolsonarista Tarcísio de Freitas (Republicanos). Fonte: iG

Os comentários estão fechados.