asal que morava no sudoeste da Bahia é baleado na França e mulher relata atentado em Toulon

/ Mundo

Casal sofreu atentado na cidade de Toulon. Foto: Redes Sociais

Uma família brasileira foi vítima de um atentado a tiros na cidade de Toulon, na França, na última quinta-feira (13).

Cristiane Tavares, de 36 anos foi baleada nas costas, quando andava na rua, perto do apartamento onde mora. A mulher retornou para o imóvel sem notar que tinha sido vítima de arma de fogo.

O homem que fez o disparo a seguiu, entrou no apartamento e também disparou contra o marido dela, André Modenezi, de 39 anos, que foi atingido no abdômen.

O filho do casal, de quatro anos, presenciou o ataque dentro do apartamento, mas não teve ferimentos. Cristiane Tavares conta que os disparos foram feitos por um vizinho. O homem foi preso no mesmo dia do ataque, dentro do imóvel onde morava.

Ela, que é servidora pública no setor de comunicação do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), morava em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. Junto à família, foi morar em Toulon, na França, para fazer um mestrado.

A mulher se recupera bem, enquanto o marido, André Modenezi, está na UTI de um hospital da cidade. Ele já foi submetido a duas cirurgias e, nesta segunda-feira (17), vai passar pelo terceiro procedimento cirúrgico. André está em coma induzido e estado de saúde estável.

Por meio de nota, o Itamaraty informou que as autoridades consulares do Brasil na França estão cientes do ocorrido e acompanham o caso junto com as autoridades francesas. O Itamaraty ainda destacou que não pode informar mais detalhes, em respeito à legislação vigente sobre privacidade individual.

Cristiane e André moram em Toulon há cerca de cinco meses. Eles se mudaram de Vitória da Conquista para a cidade francesa em setembro do ano passado.

”A gente decidiu morar na cidade de Toulon porque é uma cidade considerada tranquila”, destaca.

Ataque com tiros nas costas

A jornalista disse que o ataque ocorreu quando ela saía de casa para a universidade. ”Recebi um tiro nas costas. No primeiro momento pensei que se tratava de uma descarga elétrica porque teve um clarão muito forte. Mas eu senti como se tivesse um estado de choque no corpo. Não identifiquei como tiro porque teve um clarão. Aí eu entrei para casa, no apartamento que fica no segundo andar, em um bairro bem tranquilo daqui”, relata.

Ao entrar em casa, Cristiane disse ao marido que havia recebido uma descarga elétrica e achava que estava tendo uma parada cardíaca. Ela deixou a porta aberta e em pouco tempo depois, um homem apareceu no apartamento dela.

”Eu não tinha sangue pelo corpo, porque eu estava com um casaco muito pesado, a gente não se deu conta. Aí na hora que eu sentei no sofá, meu marido percebeu que tinha alguma coisa na roupa, como se fosse sangue. Meu marido teve aquela coisa de ir em direção à porta. Na hora que ele foi em direção à porta, o homem entrou e deu o segundo disparo, que foi em meu marido. Eu tava sentada no sofá e meu filho em pé do meu lado”, relembra. As informações são do G1

Os comentários estão fechados.