Após morte da vereadora Marielle Franco, relatora da OEA antecipa vinda ao Brasil

/ Brasil

Marielle foi morta a tiros no Rio. Foto: Mário Vasconcellos/CMRJ

A relatora do Brasil na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), Antonia Urrejola, antecipou a visita de trabalho ao país após a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. ”A visita de trabalho será muito importante, pois nos permitirá ver as áreas específicas que requerem nossa maior atenção. Nos preocupa especialmente a situação das defensoras e dos defensores de direitos humanos”, afirmou Urrejola, em entrevista à Folha de S. Paulo.De acordo com ela, a comissão também já enviou uma carta ao governo brasileiro em que solicita informações sobre a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Para Urrejola, o assassinato de Marielle e Gomes tem características de execução sumária: ”A comissão insta o Estado para que as linhas de investigação analisem como hipóteses que este crime tenha como motivação sua atividade como mulher, afrodescendente, vereadora e defensora dos direitos humanos”.

Os comentários estão fechados.